20 outubro 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

NÚMEROS DESOLADORES

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

TÉDIO

O tédio que avassala, a desventura
que aniquila, o pecado que devora
– fauna de horror, devastadora flora –
matam em mim o que de mim perdura.

A torturar-me recordando a outrora
serena alma constante e alegre e pura,
melhor me fora consumida a escura
existência, onde dor apenas mora.

Meu coração, que dele amor fizera
pasto vil de paixões, enclausurado
em si mesmo ora clama, e sem remédio.

E mais que a desventura o desespera,
não a morta lembrança do passado,
mas a viva opressão negra do tédio.

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – O LIBERAL (PA)

MARCOS ANDRÉ – RECIFE-PE

Berto, boa tarde.

Hoje observando o calendário de dias comemorativos, vi que consta o dia do Poeta.

Nada mais justo do que homenagear os grandes poetas que no JBF circulam com grande maestria as suas belas, aprazíveis e inspiradas narrativas, que nos maravilham e nos enchem de admiração.

O Dia do Poeta é celebrado anualmente em 20 de outubro. Esta data celebra o profissional, que pode (e deve) ser reconhecido como um artista escritor, que usa de sua criatividade, imaginação e sensibilidade para escrever, em versos, as poesias que faz.

Meus parabéns a todos os poetas do JBF!

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

CHICO CARUSO – O GLOBO

DOIS MESTRES DO IMPROVISO E UM FOLHETO DE LUTA

IVANILDOgeraldo amancio

Ivanildo Vilanova e Geraldo Amâncio: dois dos maiores poetas cantadores da atualidade

* * *

Ivanildo Vilanova e Geraldo Amâncio improvisando com o tema “Sertão”:

Ivanildo Vilanova

Uma tarde de inverno no sertão
É um grande espetáculo pra quem passa
Serra envolta nos tufos de fumaça
E agua forte rolando pelo chão
O estrondo da máquina do trovão
Entre as nuvens do céu arroxeado
Um raio caindo assombra o gado
Atolado por entre as lamas pretas
Rosna o vento fazendo piruetas
Nas espigas de milho do roçado

Geraldo Amâncio

No sertão quando é bem de manhãzinha
Sertanejo se acorda na palhoça
Chama o filho mais velho para a roça
A mulher toma conta da cozinha
Faz o fogo de lenha e encaminha
Um guisado, angu quente ou fava pura
E depois de fazer essa mistura
Sai faceira igualmente uma condessa
Com um quibongo de barro na cabeça
E vai levar aos heróis da agricultura

Ivanildo Vilanova

No sertão a tarefa é muito dura
Mas se tendo a colheita, a criação
Ferramenta da roça, produção
Uma rede, um grajau de rapadura
Uma “dez polegadas” na cintura
A viola, uma baú, uma cabaça
A tarefa e um litro de cachaça
Mescla azul, botinão, chapéu, baeta
Fumo grosso, espingarda de espoleta
E um cachorro mestiço bom de caça

Geraldo Amâncio

É preciso ter muita paciência
Guardar milho num quarto empaiolado
Sustentar criação com alastrado
Numa terra que tem pouca assistência
Trabalhar numa frente de emergência
Esperando o inverno que não vem
Insistir, crer em Deus e tratar bem
Manter sempre a família tão unida
Do chão seco arrancar o pão da vida
Sertanejo faz isso e mais ninguém

Ivanildo Vilanova

No verão quando o sol se descortina
Se escuta o zumbido das abelhas
O balir melancólico das ovelhas
O dueto dos pássaros na matina
O bonito alazão sacode a crina
O vaqueiro abolando chama a rês
Os canções gritam todos de uma vez
Acusando a presença da serpente
Num concerto de música diferente
E da orquestra sinfônica que Deus fez

Geraldo Amâncio

E o traje do homem camponês
Quando sai pra uma festa ou para a feira
A calça de mescla, uma peixeira
Um paletó listrado ou xadrez
Umas botas de couro de uma rês
Para dançar forró enquanto é moço
Um chapéu abalado, grande e grosso
Com uma pena qualquer de um passarinho
E a medalha fiel do meu padrinho
Num rosário enfiado no pescoço

Ivanildo Vilanova

Falar mal do sertão hoje eu não ouço
Não se entrega ao cansaço ou enxaqueca
Um herói pelejando a seca
Contra a cheia combate sem sobrosso
Respeita a moral de velho ou moço
Também quer ver a sua respeitada
Sem Brasil a América é derrotada
Com Brasil a América vale mil
Sem nordeste o Brasil não é Brasil
E sem sertão o nordeste não é nada.

* * *

Um folheto de Abraão Bezerra Batista

LUTA DE UM HOMEM COM UM LOBISOMEM

Agora que eu andei
pelas florestas do além
penetrei no inconsciente
íntimo que cada um tem,
sinto-me autorizado
para escrever o que vem.

Fui aos céus pra ver Jesus
e no inferno eu vi Caifaz;
nestes cantos eu tive a luz
que na terra ninguém faz,
meus pensamentos aqui pus
descrevendo uma luta assaz.

Presenciei por sete tempos
a luta de um certo homem
na mais cruenta das lutas
com o mais cruel lobisomem;
lá nesta peleja eu vi
miolo, coração, abdomem.

Numa encruzilhada que tem
cortando certa avenida
fazendo ponto estratégico
com o segredo da vida
bem na boca das cobras
para lá fui em seguida.

Não conduzia arma de fogo’
nem pau, peixeira ou foice
mas, tive coragem bastante
de olhar seja o que fosse
pois um barulho daquele
era pra guerra e danou-se.

Aproximei-me com cuidado
pra não entrar numa fria…
foi quando eu percebi
a vida e a agonia
a luta de um certo homem
com uma fera vã e baldia.

Clique aqui e leia este artigo completo »

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

FRANK – A NOTÍCIA (SC)

20 outubro 2017 DEU NO JORNAL

FECHA-SE O CERCO À LAVA JATO

Ricardo Noblat

Se dependesse do senador Romero Jucá (RR), presidente do PMDB e um dos mais poderosos nomes do governo Temer, “a sangria” provocada pela Lava Jato no meio político e empresarial já teria sido estancada há muito tempo. Desde, pelo menos, o início de 2015 quando conversou por telefone com Sérgio Machado, o ex-presidente da Transpetro que gravou seu desabafo.

Embora com atraso, está em curso a mais nova tentativa de estancar a sangria. E até aqui, pelo menos, ela avança com sucesso. O cerco à Lava Jato está se fechando com a colaboração do governo, do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF). Se não for revertido, a mais bem-sucedida operação de combate à corrupção da história do Brasil irá simplesmente para o brejo.

Depois de ter sepultado a primeira denúncia de corrupção contra o presidente Michel Temer, o governo está pronto para sepultar a segunda. Pagou caro pelo enterro da primeira, distribuindo cargos, verbas e outras sinecuras com partidos e deputados acostumados a tirar vantagem de tudo. Pagará mais caro pelo enterro da segunda. Adeus reforma da Previdência Social!

O Senado livrou um dos seus filhos mais ilustres, Aécio Neves (PSDB-MG), da punição que lhe foi imposta pela Primeira Turma do STF. Devolveu-lhe o mandato suspenso. E a livre circulação à noite. Aécio foi salvo pelo voto nada constrangido de algumas dezenas de senadores às voltas com um monte de processos. Suspeitos de crimes uniram-se para se proteger. Natural.

O STF protagonizou a patacoada de abdicar de uma de suas funções a pretexto de evitar a eclosão de uma nova crise. Não mais será dele a última palavra quando se tratar da punição de um parlamentar, mas sim do parlamento – Câmara dos Deputados, Senado, assembleias legislativas e câmaras de vereadores. Políticos, unidos, jamais serão vencidos!

Em breve, o STF desfechará mais um duro golpe na Lava Jato, ao recuar da decisão de que condenado em segunda instância da Justiça poderá ser preso de imediato. Caberá à terceira instância autorizar ou não a prisão. Não é nada, não é nada, mas é por isso que o privilégio de só ser julgado pelo STF dificilmente será revisto. Processos ali costumam prescrever. As condenações são escassas.

Se necessário, o Congresso votará novas leis para que algo parecido com a Lava Jato não se repita jamais. Não sentirá o mínimo pingo de vergonha por proceder assim. É o Brasil velho que esperneia, estrebucha e resiste ainda cheio de energia ao nascimento do novo.

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

BOSSA BRASILEIRA

Wilson Simonal (1938-2000)

* * *

01 – Vai levando – (Caetano Veloso / Chico Buarque) – Miúcha, Tom Jobim e Chico Buarque – 1977

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


02 – Lobo bobo – (Carlos Lyra / Ronaldo Bôscoli) – Wilson Simonal – 1964

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


03 – Garota de Ipanema – (Tom Jobim / Vinícius de Moraes) – Os Cariocas – 1962

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


04 – Eu sei que vou te amar – (Jobim/Vinícius) – Toquinho, Vinícius e Maria Creuza – 1970

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


05 – Mudando de conversa – (Hermínio B.Carvalho/M.Tapajós) – Dóris Monteiro e Lúcio Alves – 1969

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


06 – Canto de Ossanha – (Baden Powell / Vinícius) – Elis Regina – 1966

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


07 – Chega de saudade – (Jobim / Vinícius) – João Gilberto – 1959

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


08 – Pois é, pra quê – (Sidney Miller) – MPB 4 – 1971

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


09 – Vou te contar (Wave) – (Tom Jobim) – Miúcha e Tom Jobim – 1977

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


10 – O barquinho – (Roberto Menescal/Ronaldo Bôscoli) – Pery Ribeiro – 1969

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


11 – Viola enluarada – (Paulo Sergio Valle / Marcos Valle) – Marcos Valle e Milton Nascimento – 1967

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


12 – Roda Viva – (Chico Buarque) – Chico Buarque e MPB 4 – 1968

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


13 – Para viver um grande amor – (Toquinho/Vinícius) – Toquinho e Vinícius – 1971

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


14 – Samba do avião – (Tom Jobim) – Os Cariocas – 1962

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


15 – Balanço Zona Sul – (Tito Madi) – Wilson Simonal – 1963

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


16 – Desafinado – (Tom Jobim/Newton Mendonça) – João Gilberto – 1959

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

ADNAEL – CHARGE ONLINE

20 outubro 2017 DEU NO JORNAL

O LULISMO DE AÉCIO NEVES – Felipe Moura Brasil

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

BRUM – TRIBUNA DO NORTE (RN)

20 outubro 2017 DEU NO JORNAL

TÁ EXPLICADO

O deputado federal Jair Bolsonaro lidera com 26,2% as intenções de voto para presidente em Santa Catarina.

É o que mostra levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas.

Jair Bolsonaro – 26,2%

Lula – 18%

Marina Silva – 9,3%

Geraldo Alckmin – 8,2%.

Álvaro Dias – 7%.

Joaquim Barbosa – 5,3%.

Henrique Meirelles – 0,3%

* * *

Lula está em segundo lugar em Santa Catarina porque se trata de um estado pobre, cheio de analfabetos, de pessoas desinformadas e sem acesso a qualquer notícia sobre a realidade brasileira.

No Piaui, um estado rico, com um eleitorado politizado, bem informado, renda per capita muito boa, índice de qualidade de vida alto, onde ninguém recebe o Bolsa Família, Lula lidera em todas as pesquisas.

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

SENNA – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

TODOS SÃO VÍTIMAS DE CONSPIRAÇÕES E ARMAÇÕES

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

NEWTON SILVA – CHARGE ONLINE

20 outubro 2017 DEU NO JORNAL

JOSÉ SIMÃO PRA LEVANTAR O ASTRAL DA SEXTA-FEIRA

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

RONALDO – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

20 outubro 2017 DEU NO JORNAL

BOULOS, QUE EM QUALQUER PAÍS SÉRIO ESTARIA PRESO, PODE SER O CANDIDATO A PRESIDENTE PELO PSOL

Rodrigo Constantino

Leio no Estadão que Guilherme Boulos, o líder do MTST, pode ser o nome escolhido pelo PSOL para candidato a presidente em 2018. “O PSOL vai fazer uma sinalização em direção ao Boulos. Ele tem posições ideológicas e programáticas bastante próximas do partido e agora devemos convidá-lo para uma reunião da direção”, disse o deputado Ivan Valente (PSOL-SP).

Em entrevista à TV Estadão, nesta terça-feira, Boulos evitou o assunto, mas não admitiu nem descartou a possibilidade de se candidatar pelo PSOL. “Nesse momento estou focado em ajudar a organizar o processo de resistência ao desmonte do governo (Michel) Temer em relação aos direitos sociais, fazendo mobilizações como, por exemplo, a ocupação em São Bernardo do Campo e também em um debate mais amplo de projeto para o País”, disse.

Reparem como Boulos sabe dourar a pílula na forma, não no conteúdo, ao dar entrevista ao Estadão. Ele sabe qual o público. Um jornal “de direita”, segundo a extrema-esquerda. Mas notem que o próprio jornal é incapaz de chamar essa gente de “extrema-esquerda”, cuidado que não vemos quando se trata da direita. Todos à esquerda, mesmo invasores de terra, mesmo marxistas revolucionários, são apenas “esquerda”:

Líderes da esquerda, até mesmo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, viram na iniciativa uma tentativa de criar um caminho alternativo para a esquerda desgastada com as denúncias de corrupção envolvendo o PT e com a queda da presidente cassada Dilma Rousseff.

O grau de esquizofrenia do sujeito é tão grande que ele diz, durante a entrevista, que é preciso ter negociação com as autoridades, e que isso não pode ser embaixo de porrete, sendo que ele costuma iniciar tal “negociação” justamente com o uso do porrete, invadindo, tomando, ocupando. Mas como fala em nome dos pobres e da “justiça social”, aí tudo bem: ele pode usar violência e praticar crimes, pois está acima das leis.

Em qualquer país sério, onde as leis valem, alguém como Boulos já estaria preso faz tempo, numa cela ao lado de Stédile, do MST, e outra do Lula, do PT. Mas no Brasil essa turma não só continua solta por aí, praticando novos crimes, como é recebida por jornalistas “de direita” para entrevistas, e é tratada com toda deferência, e apenas como “esquerda”, jamais como os radicais ou extremistas que são. Extremista é só o Bolsonaro!

Dito isso, acho positivo o PSOL vir com um nome desses. É mais transparente, escancarado. Afinal, o PSOL ensaia uma tática de bancar a esquerda “fofa”, mais “limpinha”, com carinha de zona sul carioca, o que pode certamente enganar mais trouxas por aí. Colocando à mostra a carranca de um invasor revolucionário que banca o representante dos sans-culottes tupiniquins, a farsa fica mais exposta.

O PSOL “paz e amor” fica para depois. Quem defende o partido de Marcelo Freixo, Chico Alencar e Jean Wyllys terá que bater no peito e assumir sem rodeios: quer mesmo o marxismo, o modelo venezuelano, a revolução violenta, a invasão de propriedades. Boa sorte para sair dos 3% com essa plataforma, já que o Brasil não é exatamente o reduto do Leblon…

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

20 outubro 2017 DEU NO JORNAL

O LADO TRISTE

Gleisi Hoffmann e Jorge Viana estavam muito longe de Brasília anteontem, quando seus correligionários saíram derrotados do plenário do Senado ao verem a maioria da Casa aprovar o retorno de Aécio Neves.

A ausência da dupla, que está em visita a São Petesburgo, irritou a bancada petista.

Ao responder a um jornalista “onde o PT ficaria no caso Aécio”, um senador do partido foi irônico:

O PT? O PT fica na Rússia”, zombou a excelência.

* * *

Esta notícia tem seu lado irônico, na gozação do senador petêlho citado no último parágrafo.

Mas tem também o seu lado triste: a parelha petralha Gleisi e Jorge Viana voltou ao Brasil depois de visitar a Rússia.

Que merda…

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

CÍCERO TAVARES – RECIFE-PE

Caríssimo editodos Luiz Berto:

O programa Leruaite do Falcão, apresentado no dia 17.10.2017, pela TV Diário Ceará, foi um arraso com a presença do humorista nascido Luiz Antonio Costa dos Santos, nome artístico de Aurineide Cumurupim.

Uma aula genial de humor e descontração de 58h.03m que certamente vai fazer um bem da porra a todos os aficionados do nosso JBF.

Clique aqui para assistir.

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

20 outubro 2017 DEU NO JORNAL

MIJADA NA CABEÇA DA MÃE DENTRO DO PARLAMENTO BANÂNICO

O Congresso viveu ontem à noite uma daquelas cenas que mostra bem o nível da representação política do país.

Convidado pela comissão de segurança da Câmara dos Deputado a discutir a polêmica das mostras Queermuseu e do MAM de São Paulo, com um artista nu em cena, o Ministro da Cultura Sérgio Sá Leitão teve sua mãe desrespeitada pelo deputado Givaldo Carimbão, do PHS de Alagoas.

Último parlamentar a interpelar o titular da Cultura, Carimbão começou a dizer que na vida tinha “duas mães”, a de sangue e a Virgem Maria e, de forma pouco polida, começou insistentemente a perguntar para Sá Leitão o que ele acharia se uma representação da mãe do ministro, com a genitália desnudada, fosse mostrada numa exposição.

* * *

Um cabra que tem o nome de Carimbão tem a obrigação de carimbar sua presença num debate levantando a hipótese de alguém mijar na cabeça da mãe de um ministro de estado.

Coisas de um país chamado República Federativa de Banânia.

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

LEONARDO – CHARGE ONLINE

FESTA LITERÁRIA DE PALMEIRA DOS ÍNDIOS

Nos últimos anos estive em pelo menos 30 festas literárias e bienais de livro pelo Brasil e até Buenos Aires, Lima, Cartagena, Havana e Frankfurt. Está havendo um crescimento de feiras literárias em todo mundo, principalmente em cidades de médio porte, e em bairros, na periferia. É um fenômeno que dá importância ao incentivo à leitura em forma lúdica, festiva, apresentando artistas locais e folclore o que aumenta a autoestima e o sentimento de pertencimento. Em algumas regiões os eventos substituem as bibliotecas públicas no papel de juntar o leitor, os livros e os escritores, as festas têm um poder maior de comunicação e interação com a comunidade. A verdade é que o livro foi praticamente expulso da vida pública brasileira. Você não vê as pessoas lendo nas praças, nas ruas, nos ônibus. As publicações perderam muita força. A imagem do livro se desgastou a tal ponto que precisamos de campanhas e mais campanhas de incentivo à leitura no país. Mas as feiras e os festivais estão recolocando o livro em sua importância na cultura e desenvolvimento do país.

No Brasil praticamente começou com a Festa Literária Internacional de Paraty, a FLIP, em situação geográfica privilegiada, no triângulo econômico e cultural do Brasil, Rio, São Paulo e Minas Gerais. Esse ano no mês de julho realizou-se a 15ª edição. A FLIP tem uma característica, bem parecida com as Bienais de livro, a comercialização de livro como objetivo principal. A FLIP foi a inspiração e muitas cidades inventaram as Festas Literárias, como a FLIPOÇOS em Poços de Caldas, FLIARAXÁ em Araxá, FLIBOQUEIRÂO em Boqueirão no interior da Paraíba, entre outras.

Quando fui convidado para exercer o cargo de Secretário de Cultura de Marechal Deodoro, cidade histórica do Estado de Alagoas, planejamos e realizamos a 1ª Festa Literária de Marechal Deodoro em 2010. Foi um sucesso inesperado, às duras penas, pouca verba, convidamos grandes escritores do Brasil, como Marina Colasanti, Antônio Torres, Maurício Melo Jr, entre outros. Belas palestras, o público gostou. Porém em uma conversa com o poeta Affonso Romano de Santanna ele observou.

– O Brasil tem muitos escritores, precisamos é de fazer leitores.

Fiquei com aquela observação na cabeça. Certo dia li em um jornal alguns dados sobre leitura no mundo. A UNESCO, órgão da Educação da ONU publicou que nos países desenvolvidos cada habitante lê uma média de 14 livros por ano. Na América Latina o país melhor em leitura é a Argentina, cada habitante lê uma média de 4 livros por ano. No Brasil esses números são ridículo, nossa média de leitura é de 1,8 livros por ano por habitante. Esses dados da ONU me deixaram alarmado.

Procurei então a Secretária de Educação do município, Flávia Souza. Juntamente com sua equipe resolvemos que a FLIMARZINHA para jovens seria um programa de leitura durante o período escolar, tendo a FLIMAR como culminância desse programa. Foi uma revolução na educação em Marechal Deodoro. Cada uma das escolas durante o ano dentro de um cronograma realizou sua própria FLIMARZINHA os alunos se dedicavam à literatura e a leitura com muita alegria, com teatro, recital, contação de história. Durante o ano em todas as classes havia uma hora de leitura por semana, os alunos liam os livros trazidos da biblioteca e podiam levar para casa para continuar a leitura. Foi lançado concurso de contos inspirados em alguma poesia. Os 30 melhores contos foram editados em livro, lançado durante a FLIMAR. Ao deixar a secretaria, ano passado pedi para as professoras dos 8ª e 9ª anos realizarem uma pesquisa de quantos livros os alunos leram em 2016. O resultado foi surpreendente e gratificante, cada aluno dos 8º e 9º anos de Marechal Deodoro leu uma média de 4,2 livros. Isso basta para justificar nosso trabalho com a juventude deodorense.

“A leitura no Brasil sempre foi uma obrigação chata, um dever, não um prazer. Nesses eventos vejo crianças brincando com os livros, dessacralizando o objeto, transformando numa coisa lúdica, prazerosa. Acho que é por isso que eles são cada vez mais populares e, quanto mais se parecerem com eventos e não com aulas, melhor”. ( Zuenir Ventura).

Fui realizador de sete Festas Literárias de Marechal Deodoro (FLIMAR), em 2017 já realizei a Festa Literária do Pontal da Barra (FLIPONTAL) e na próxima semana entre 25 e 28 de outubro estarei junto ao prefeito Júlio César e a Secretária de Cultura, Isvânia Marques ajudando a realizar a 1ª Festa Literária de Palmeira dos Índios (FLIPALMEIRA), com uma programação esmerada, homenageando dois escritores palmeirenses da melhor cepa, Graciliano Ramos e Ivan Barros. A bela cidade histórica de Palmeira dos Índios se transforma na Capital da Cultura das Alagoas.

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – AMAZÔNIA JORNAL (PA)

20 outubro 2017 DEU NO JORNAL

EQUAÇÃO LULAICA

O juiz federal Sérgio Moro mandou a Polícia Federal fazer perícia na planilha Italiano do departamento de propinas da Odebrecht para descobrir quando e por quem foi criada a fórmula matemática que levou a Lava Jato a identificar propinas de R$ 12,4 milhões da empreiteira ao ex-presidente Lula.

A equação ((3* 1057)+ 8217 + 1034) = 12.422 estava nos arquivos cifrados do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht – que fechou delação e leniência na Lava Jato em janeiro 2017. Ela estava no mesmo registro de valores do “Amigo”, codinome de Lula.

Segundo a Lava Jato, ela representa o cálculo de gastos que a construtora teve com o imóvel vizinho ao apartamento de Lula em São Bernardo do Campo e ao terreno onde seria sediado o Instituto.

A fórmula estava em um dos itens da conta “Italiano”, que chegou a ter R$ 300 milhões à disposição de Lula e do PT. O próprio “Italiano”, o ex-ministro Antonio Palocci, e o empresário e delator Marcelo Odebrecht, confessaram o acerto da “conta corrente”.

Para a Lava Jato, a primeira parte da equação “(3* 1057) = 3.171” é o valor de R$ 3,1 milhões, do saque em dinheiro vivo das contas do setor de propinas da Odebrecht, usados para as despesas “por fora” da operação.

A segunda parte “8217” registra os R$ 8,2 milhões gastos pela DAG Construtora, do amigo de Marcelo Odebrecht – preso desde junho de 2015 -, usada como “laranja” da Odebrecht na compra do prédio para o Instituto Lula.

E a terceira parte “1.034” é dos R$ 1 milhão gastos com o apartamento 121 do Hill House e as comissões para o “laranja” de Lula, o aposentado Glaucos da Costamarques – primo do pecuarista José Carlos Bumlai – e o advogado Roberto Teixeira, compadre do petista.

Em ofício enviado à Polícia Federal, o magistrado pede ‘as providências necessárias para a realização de perícia no arquivo denominado “Planilha Especial Italiano” (arquivo esse que se encontra em posse da Polícia Federal em Curitiba/PR), no prazo de 30 dias’ para esclarecer duas questões:

“a) identificação da data e horário em que foi realizada a inscrição da fórmula “((3*1057) + 8217 + 1.034)” no referido arquivo eletrônico

“b) identificação do IP do equipamento informático que realizou a inserção da fórmula no arquivo eletrônico”. 

* * *

Dr. Moro pode ficar tranquilo.

O JBF encaminhou a questão para o colunista Goiano.

Além de ser doutor em Recibos de Aluguel Luleiros, nosso estimado colunista é também especialista em Equações Lulaicas.

Ele vai explicar tudinho ao Dr. Moro.

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

ZÉ DASSILVA – DIÁRIO CATARINENSE

20 outubro 2017 SONIA REGINA - MEMÓRIA

SAUDADE

A extinta TV Manchete, produziu em minha opinião a melhor novela brasileira:

Pantanal

A receita foi perfeita; um grande contador de histórias escreveu a trama para a interpretação de elenco escolhido a dedo por grandes diretores da época, uma paisagem de tirar o folego e fechando o círculo, trilha musical de primeiríssima qualidade.

A TV Manchete foi criada pelo jornalista e empresário Adolpho Bloch. A emissora, teve alguns problemas de ordem financeira e, portanto, vida curta, mas, inovou na arte de fazer jornalismo e entretenimento. Salvo engano, foi pioneira em colocar um trecho da novela antes da apresentação do elenco no que foi imediatamente imitada por seus concorrentes.

O vídeo com uma parte da trama, tem pouco mais de 8 minutos de pura emoção.

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

20 outubro 2017 DEU NO JORNAL

DÚVIDA ATROZ

A Polícia Federal cumpre mandados judiciais na manhã desta sexta-feira em uma nova operação que investiga o pagamento de vantagens indevidas a executivos da Petrobras através do Setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht, que é o departamento criado pela empresa para o pagamento de propina.

As ordens judiciais estão sendo cumpridas no Rio de Janeiro e Recife.

Há indícios concretos de que um grupo de gerentes da Petrobras se uniu para beneficiar o Grupo Odebrecht em contratações com a petroleira, mediante o pagamento de valores de forma dissimulada em contas de empresas off-shores estabelecidas no exterior, segundo as investigações.

Os crimes investigados na operação são associação criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro.

* * *

Eu fiquei todo orgulhoso em saber que o Recife está na rota da gatunagem.

Meu sentimento bairrista foi às alturas.

A notícia não esclarece se esta ladroagem – associação criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro -, foi praticada no governo Temer.

Ou se foi nos governos petralha de Lula e de Dilma.

Ou se foi nos tempos de FHC ou de Getúlio Vargas.

Ceguinho Teimoso, que sabe tudo sobre a Petrobras, vai nos tirar desta dúvida.

“Enquanto Ceguinho não responde ao Editor do JBF, deixa eu te dar uma autógrafo petrolado, Serginho”

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

UM SANTO REMÉDIO

Rosilda, do lar, e Mário, funcionário público municipal, estavam vivendo a crise dos dez anos de casamento. Influenciada pelas novelas da televisão, a mulher se impressionou com a onda de adultério que reinava no mundo, e botou na cabeça que o marido lhe era infiel. Achava que os homens eram caçadores e viviam em busca de aventuras. Eram infiéis pela própria natureza.

Por isso, Rosilda tornou-se agressiva e desconfiada. Amanhecia o dia “dando coice no vento”, sentindo-se traída, sem razão aparente. Farejava chifres, não acreditava no que o marido dizia, e procurava motivos para demonstrar sua insatisfação na vida conjugal.

Na verdade, o maior defeito de Mário era, uma vez por outra, depois do trabalho, encontrar-se com alguns amigos e tomar uma cervejinha, no bar localizado nas imediações de sua casa. Esse papo ia somente, até se aproximar a hora do jantar.

Apesar de não ser santo, sua média, como chefe de família e pai, era dez. Entretanto, bastava entrar em casa, para que a esposa o “espinhasse” com mil perguntas maliciosas, à procura de indícios de sua infidelidade.

Rosilda, com sua voz gasguita e insinuações irritantes, foi tirando a paciência de Mário. Aos poucos, o inferno se instalou dentro de casa, sob o olhar aflito dos três filhos pequenos.

Católica por tradição, aos domingos à noite Rosilda ia à Missa com o marido e os filhos. Também mantinha o habito de comungar toda 1ª sexta-feira do mês.

Numa quinta-feira à tarde, Rosilda foi à Igreja se confessar e contou ao padre que estava prestes a se separar do marido. Disse-lhe que suspeitava de estar sendo traída; que o marido chegava tarde em casa e sempre com hálito de bebida; também não lhe dava mais o carinho e atenção dos primeiros meses de casamento. Falou das brigas constantes, provocadas por ela.

O padre lhe deu conselhos para que não agisse precipitadamente e pensasse na falta que o pai iria fazer aos filhos, se houvesse a separação.

Pensando em preservar a instituição da família, o vigário teve uma ideia “bem bolada”. Avisou, durante a Missa, que iria distribuir às mulheres com problemas conjugais, um remédio eficaz para a reconciliação. Na manhã seguinte, na Sacristia da Igreja, formou-se uma fila para a entrega do remédio. A primeira da fila era Rosilda.

O nome do “medicamento” era “Água Santa”, distribuído em garrafas de 500 ml, com rótulo.

Chegando em casa, Rosilda, sozinha no quarto, leu o prospecto, onde estava escrito: “Colocar na boca 5 colheres de “Água Santa” e se ajoelhar durante 30 minutos, de boca fechada, sem engolir. O procedimento deve ser feito à noite, na hora exata em que o marido entrar em casa. Com 15 dias de tratamento, o resultado será surpreendente. Caso seja necessário, o tratamento pode ser prorrogado, até que a paz volte a reinar, no ”lar, doce lar”.

E a água potável fez efeito…

20 outubro 2017 FULEIRAGEM

PASSOFUNDO – CHARGE ONLINE

QUINTAL DO ZECA

Paulinho da Viola canta, de sua autoria, “Foi um rio que passou em minha vida“, que foi grande sucesso em 1970.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa