21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

ALPINO – BLOG DO ALPINO

Compartilhe Compartilhe
A LAVA JATO PRECISA DE VOCÊ!

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

 

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 DEU NO JORNAL

AGUARDANDO O STF

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

TACHO – JORNAL NH (RS)

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 A HORA DA POESIA

OS MILHÕES DE ÁUREOS LUSTRES CORUSCANTES – Manuel Maria Barbosa du Bocage

Os milhões de áureos lustres coruscantes
Que estão da azul abóbada pendendo;
O Sol e a que ilumina o trono horrendo
Dessa que amima os ávidos amantes;

As vastíssimas ondas arrogantes,
Serras de espuma contra os céus erguendo,
A leda fonte humilde o chão lambendo,
Loirejando as searas flutuantes;

O vil mosquito, a próvida formiga,
A rama chocalheira, o tronco mudo,
Tudo que há Deus a confessar me obriga.

E para crer num braço, autor de tudo,
Que recompensa os bons, que os maus castiga,
Não só da fé, mas da razão me ajudo.

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

MÁRIO – TRIBUNA DE MINAS

Compartilhe Compartilhe

http://www.apoesc.blogspot.com.br
BICHO HOMEM

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

SID – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe
SONIA REGINA – SANTOS-SP

Ligar o computador e fuçar na internet, muitas vezes é tal-qual sentar perto de um enxame de pernilongos. Eles vão te picando e fogem. Você fica se coçando e não consegue pega-los. Tempos depois, começamos a ligar as pontas soltas.

O vídeo abaixo, é do ano de 2016, com uma conversa entre dois personagens que não se apresentam com aquelas bermudas masculinas caídas na parte traseira, nem tem uma arma na mão pra atacar.

Numa conversa até educada, expõem a não menos perigosa: “Facção do Paletó”.

Essa “Facção”, já comanda nossa politica desde o século passado. Atentem para os nomes que parecem ser decisivos para resolver os problemas das “excelências”: Renan e Sarney.

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

BRUM – TRIBUNA DO NORTE (RN)

Compartilhe Compartilhe
CABEÇA FEITA – Silvério Pessoa

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

GILMAR – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe
NUMA FEIRA DO SERTÃO

Um esperto mangalheiro
Vende laranja e banana,
Ali perto uma cigana
Ler mão, e ganha dinheiro,
Embolador com o pandeiro
Faz sua improvisação,
Um velho vende feijão,
Milho, farelo e farinha,
Peru, guiné e galinha,
Numa feira do sertão.

Na bodega de Seu Doca
Tem tudo que se procura,
Pirulito, rapadura,
Broa, bolo e tapioca,
Confeito, alfenim, pipoca,
Biscoito, bolacha e pão.
Cachaceiro no balcão
Saboreando a manguaça
Pra se lascar na cachaça
Numa feira do sertão.

Na banquinha de seu Zeca
Tem corda para viola
Caldeirão e caçarola
Tigela, alguidar, caneca,
Bola de gude, peteca,
Ponteira boa e pinhão,
Ratoeira e alçapão
Martelo, preguinho e tacha,
Tudo isso a gente acha
Numa feira do sertão.

Tem muita comida boa
Noutro banco mais na frente
Paçoca, cachorro quente,
Biscoito, bolacha e broa,
E para quem não enjoa
Carne gorda com pirão.
Rabo de galo, quentão,
Sarapatel e buchada,
Carne de sol bem passada
Numa feira do sertão.

Clique aqui e leia este artigo completo »

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe
O DOUTOR TEM QUE PERMANECER VIVO

Comentário sobre a postagem ALBERTO COZZOLINO – RIO DE JANEIRO-RJ

Adonis Oliveira:

“Sou fã de carteirinha do meritíssimo Mairton.

Deixa Dr. Moro em Curitiba mesmo.

Agora, a esta altura do campeonato, ele é imprescindível para o país.

Só tem que ter muito cuidado é para não andar de avião (vide Castelo Branco, Marcos Freire, Eduardo Campos, Teori, e tantos outros inconvenientes que foram devidamente “acidentados”), assim como não deve trafegar em rodovias de alta velocidade (Vide JK), e nem se operar de amídalas ou apêndice (Vide Tancredo Neves).

REALMENTE! PRECISAMOS DO DR. MORO VIVO!

SÓ…”

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – O LIBERAL

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO SÁBADO – XALEIRANDO O GALEGÃO

* * *

Faço questão de dar destaque ao novo prisidente dos Zistados Zunidos e botar nesta gazeta escrota a notícia de que ele dançou ontem com Melania no baile de posse.

Informantes fubânicos bem posicionados me disseram que o rela-bucho prisidencial foi tão arroxado que Trump saiu do salão da pau duro.

Xaleiro, corto jaca, babo ovo e puxo saco descaradamente do cabra mais puderoso do Planeta Terra, na esperança de que ele descole alguns pixulecos dolarificados pra tirar esta gazeta escrota da miséria em que ela se acha.

Vou enviar esta postagem para a Casa Branca ainda hoje de manhã.

Quem quiser dar um passeio na página da Uaite Rause, é só clicar aqui.

Ou, mais ainda, quem quiser ver um vídeo com 5 horas de duração (é isto mesmo: 5 horas!) sobre as festas de posse do galegão, clique aqui.

Fecho a postagem com Frank Sinatra cantando My Way, título em inglês da canção francesa Comme d’habitude, da autoria de Claude François. A música que o amostrado Trump dançou com a inxirida Melania no baile prisidencial.

Aliás, esta música tem uma particularidade: a letra começa dizendo que “E agora que o fim está próximo…“.

Vôte!

Num se esqueça d’eu não, Seu Trump!!!!

Chuplicleide, secretária da redação, tá rezando pelo seu sucesso!!!

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)

Compartilhe Compartilhe
CHUÁ, CHUÁ

Para encantar o nosso sábado, Pena Branca e Xavantinho cantam uma dolente canção de autoria da dupla Pedro de Sá Pereira e Ary Pavão.

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JBF

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 DEU NO JORNAL

O ESPÓLIO DE TEORI ZAVASCKI

Ruy Fabiano

A sucessão de Teori Zavaski no STF é a mais politizada de que se tem notícia, num tribunal que, embora não exclua a política, não a tem (pelo menos não a deveria ter) na sua essência institucional.

Pela primeira vez, os partidos se envolvem ferozmente na indicação de um ministro daquela Corte – e isso, claro, deriva da Lava Jato. A vaga de Teori tem carga dupla: agrega à de ministro a de relator dos processos da Lava Jato com direito a foro privilegiado. Estão em jogo, na verdade, duas vagas.

Teori morreu dias antes de homologar as delações premiadas de 77 executivos da empreiteira Odebrecht, que, entre outros, cita o presidente da República, Michel Temer, alguns de seus ministros e ex-ministros, os dois ex-presidentes da República que o precederam (Lula e Dilma) e cerca de duas centenas de parlamentares – do alto e do baixo clero, indistintamente – em delitos diversos.

Sobra pouca gente. Daí o indisfarçável teor político de sua sucessão. Quem herdará esse espólio explosivo? A dobradinha PSDB-PMDB postula, com a simpatia de Temer, a indicação do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que há dias teve sua demissão pedida pelo PT (o que lhe conferiu mais prestígio que problemas).

Carmem Lúcia, presidente da Corte, quer, no entanto, uma mulher naquela vaga, a advogada Geral da União, Grace Mendonça, vista como simpatizante da velha ordem petista, mas apresentada ao presidente como um quadro técnico.

Temer se inclina por Alexandre. Com ele, mataria dois coelhos de uma só vez: se livraria de um ministro da Justiça boquirroto, sem perfil executivo, e garantiria um aliado no STF, que pode vir a julgá-lo e a alguns de seus mais eminentes colaboradores.

E ainda: quer que o sucessor de Teori herde também a relatoria da Lava Jato. Carmem Lúcia e a maioria do STF, não. A lei atende a ambos os lados: permite também que os processos sejam redistribuídos ao plenário enquanto o rito sucessório, que envolve Executivo e Senado, se processa.

O Regimento do STF, em dois artigos (38 e 68), menciona como situações excepcionais para a redistribuição imediata dos processos a necessidade de não atrasá-los. É o caso.

Pode haver também, com o consenso do plenário, a opção por um nome, sem sorteio, hipótese vista como a mais provável, em que os mais cotados são os do decano Celso de Melo e de Edson Fachin.

A OAB, por meio de seu presidente, Cláudio Lamachia, endossa essa solução interna imediata, pela redistribuição dos processos. E aponta ainda outro problema, de ordem ética e política, para se contrapor ao desejo do Planalto de preencher as duas vagas com o mesmo nome, a ser indicado pelo presidente:

“Nas circunstâncias singulares deste momento, em que os condutores do rito de nomeação – Executivo e Senado – têm alguns de seus integrantes mencionados nas delações, optar por essa alternativa (a de atribuir ao ministro a ser nomeado o espólio processual de Teori) é dar margem a controvérsias e questionamentos, que não contribuem para a paz social.”

Seja como for, Alexandre de Moraes já tem um cabo eleitoral no STF, que o defende abertamente: o ministro Marco Aurélio Mello.

Procurador da República, professor de Direito Constitucional (titular em duas faculdades eminentes de São Paulo (a do Largo de São Francisco e a Mackenzie), Moraes é autor de obras de referência, citadas, inclusive, no STF. Os que o patrocinam o veem como alguém desperdiçado num cargo avesso a seu perfil (ministro da Justiça), quando sua bagagem jurídica o credencia aos tribunais.

Não há dúvida de que Moraes atende ao requisito constitucional de notório saber jurídico. O único problema é que essa bagagem foi contaminada pela política: não apenas serviu a governos tucanos, mas é filiado ao PSDB, aliado do governador Alckmin.

Não seria o primeiro a chegar ao STF com carteira partidária: Carlos Ayres Britto foi fundador do PT em Sergipe, Dias Toffoli advogado do PT e ex-chefe de gabinete de José Dirceu, Nélson Jobim foi deputado pelo PMDB e ministro da Justiça de FHC. Etc.

O agravante é que Alexandre de Moraes chega numa hora em que os partidos, inclusive o seu, estarão no banco dos réus. Pode até chegar, mas não herdar, sem provocar controvérsia, o espólio de Teori, transmutando-se dessa forma em juiz dos que o nomearam.

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

Compartilhe Compartilhe

STAND-UP COM POESIA

GARI X CATADOR DE LIXO

GARI: é o sujeito que cata o lixo da rua e deposita num lugar comum.

CATADOR DE LIXO: é o sujeito que traz o lixo do lugar comum novamente para a rua.

* * *

ESPELHO, ESPELHO MEU…

Olhei-me no espelho
Vi uma imagem repetida
O mesmo plágio da vida
Ouvi o mesmo conselho:
Essa vida é muito curta
Levante-se e vá à luta
Aproveitei o ensejo
Para não ver mais o que vejo
Melhor quebrar o espelho
Quebrei-o-o

* * *

DANÇANDO A SÓS

Dançamos nós
A dança dos amantes
Dançamos o antes
Dançamos durante
Somente o depois
Eu dancei a sós.

* * *

TUDO LOUCO

A boca da noite
Está com afta
A madrugada
Com torcicolo
O sol ao nascer
Quer que o dia
O carregue no colo

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

Compartilhe Compartilhe
PRIVATIZEM O PT…OU ESTATIZEM-NO PARA DENTRO DE UMA CADEIA

Lá vem o PT de novo e suas ideias estapafúrdias, pura balela para manter-se na mídia, agradar a militância amestrada e ter alguma mobilização, caso o Capo dit tutti Capi, Lula seja preso.

E o que propõem os gênios da raça? Mais do mesmo. Batem na tecla chata do Golpe, da perseguição política ao penta-réu Lula, a balela do eterno descontentamento dazelites brancas, de olhos azuis, etc. É a mesma cantilena de sempre pobre contra rico, negro contra branco e ai vai.

O que assusta não é o mais do mesmo. E sim que o PT reuniu a nata dos economistas do partido e de algumas de nossas Universidades Públicas para ‘bolarem’ um novo plano econômico. Estas sumidades são aquelas mesmas que ajudaram a quebrar o país e instalaram uma roubalheira generalizada, uma cleptocracia, durante os treze anos do partido no poder.

Os intelectuais de esquerda que nunca leram Marx e, que se leram não entenderam, defendem até o último fio de seus cabelos o pragmatismo ideológico de seus próceres e seus arroubos de canalhice e cara-de-pau. Vêm com mais um plano mirabolante para segundo eles salvar o país.

Ou seja, mais e mais do veneno que quebrou o país. Crédito fácil, campeãs nacionais, estatizações, Estado paquidérmico. Vão conseguir e, sabem disto, acabar de vez com o país, quiçá com a Nação. Mas do isto importa basta um pouco mais de tempo no Poder e, pensam eles, se livrarão da cadeia e engordaram ainda mais suas finanças pessoais, é isto que importa.

Entre as propostas vão defender a estatização dos bancos privados. Algo impossível, só estão jogando para a torcida. E o pior é que dá resultados.

A militância cega aplaude (a militância aplaude qualquer coisa até as bobagens de Lula) e o muitos dos que estão endividados, devendo aos bancos, creem que na satanização do sistema bancário terão sua redenção.

É óbvio que não. Quem quebrou o Brasil não forma os bancos, foi o PT com estas mesmas propostas que hora apresenta e com muita roubalheira. Se lucram os bancos privados e, lucram muito, com o caos e descontrole do país, lucram tanto ou mais os bancos públicos. Banco do Brasil, Caixa e outros tem tido resultados cada vez mais positivos.

Aviso aos incautos, ao estatizarem os bancos privados suas dívidas não serão perdoadas não. Vocês só passaram a dever agora a um Banco estatal e sem nenhuma chance de renegociação, provavelmente impotente ante ao juros escorchantes. E vão reclamar para quem? Para o Governo?

Serão mais cargos, mais funcionários públicos, fazendo greves, buscando mordomias e aposentadorias especiais. Mais e mais CC’s e Cargos comissionados para distribuir entre os apaniguados do partido. E, é claro mais negociatas, mais amigos recebendo empréstimos subsidiados e pagando, é claro, a propina ao Chefão e aos chefiados.

Os serviços governamentais são ‘burrocratizados’ e ineficientes,imaginem se tivermos somente bancos estatais, sem concorrência.

Será o caos e ninguém para fiscalizar. Ou alguém já viu Governo brasileiro, qualquer que seja, fiscalizar ou regular os péssimos serviços que ele mesmo presta. Sonhem!!!

O PT é financiado pelo Bradesco desde sempre, a Rede pelo Itaú. Todos mordem bancos privados. Vocês acham que vai ocorrer uma ação em que este banqueiros percam dinheiro. Tudo balela, mentiras deslavadas com intuito de atingir não só a militância mas aqueles que cansaram de raciocinar.

E se fosse verdade? Imaginem o preço que vai sair para estatizar estes bancos, ou alguém é ingênuo de achar que vão sair de graça. Serão bilhões, trilhões em indenizações e outros tantos em propinas em paraísos fiscais. Empregos, empresas e investidores deixarão o país correndo, gerando uma legião de desempregados que passarão a depender das esmolas do governo, massa de manobra ideal aos socialistas.

Puro êxtase! A utopia do paraíso para nossos socialistas, comunistas, trabalhistas, petistas e outras pragas. O povo deixará de ser roubado pelos grandes banqueiros capitalistas e deixará de depender e ser explorado pelo capital.

Passaremos a ser, com a graça de nossos ‘salvadores’, escravos das esmolas do Governo, desde que a ele nos submetamos. E daquele momento para frente só seremos roubados e expropriados pelo Partido (já com P maiúsculo, pois provavelmente será o único).

Sou a favor da taxação dos lucros dos bancos, da redução dos juros e de outras medidas, mas estas só são viáveis se o Estado for apenas o regulador, o fiscal. Não podemos esperar que o Estado regule contra seus interesses. Por isso bancos devem ser privados, não públicos, condição primeira para que o Estado possa regulá-los.

Lembrem-se de onde estão saindo os maiores escandá-los de corrupção da Caixa (Geddel, Vice-presidente da era Dilma e do PT), do BNDES, não de bancos privados. E quem apresentou os maiores lucros, ou seja, quem escorchou mais os clientes, Banco do Brasil, também não é privado, mas aposenta seus ex-presidentes e diretores com salários até 4 vezes maiores que os limites constitucionais e bem acima das aposentadorias proporcionadas aos banqueiros privados. E você que esta ai, paga a conta.

Aliado a estas ideias esdrúxulas temos ainda a censura a imprensa. Mesmo a imprensa amestrada de esquerda, que vive protegendo e dando voz aos petistas e a toda a ala esquerdopata do país. A mesma imprensa que lhes dá voz e tenta incutir nas mentes dos brasileiros as torpes ideias do esquerdismo moderno (o politicamente correto, por exemplo) é aquela que eles ainda querem censurar, para que? Para calar as poucas vozes que ousam se levantar contra suas ‘verdades’.

E a candidatura de Lula pouco tem de ingênua ou de louca. Tampouco é ameaça, é apenas um ato que mistura desespero e estratégia. Prepara um discurso para ser repetido ao STF, a militância e ao mundo tentando livrar o Capo de pagar por seus crimes e de ter uma versão ‘petistamente correta’ da história.

A história que é feita por heróis mas contada por quem tem voz mais alta, por isso a gritaria petista. Temos de gritar mais alto ainda.

A solução passa por mostrar a todos, diuturnamente, as mentiras e engôdos desta gente. Devemos desmenti-los, acuá-los, combatê-los todos os dias sem descanso, até que consigamos expurgar o país desta corja esquerdopata.

Ou privatizamos o PT e as esquerdas, retirando-os a fórceps de seus ‘donos’, os Lulas da vida. E os fazemos (pelo menos aqueles que não tem culpa no cartório) integrarem-se ao país.Trabalhando, pagando impostos e vivendo como cidadãos normais.

Ou poderemos também estatizar o PT e toda a sucia. Colocamos todo o PT e sua militância sob a tutela do Estado e os encaminhamos para serem ‘tutelados’ em uma cela em Curitiba.

Aliás, esta é uma ótima ideia! Acabaria com a lenga-lenga destes vagabundos e com as falácias de Lula. Sem plano A, B ou C e, o mais importante, sem ‘Planos’ Petistas.

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

MYRRIA – A CRÍTICA (AM)

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 DEU NO JORNAL

O REI DO ÓLEO DE PEROBA

Renan Calheiros virou fenômeno de antagonismo nas redes sociais.

Conseguiu ser hostilizado por mais de mil comentários na publicação onde ele lamenta a morte do ministro Teori Zavascki.

* * *

Cara-de-pau não é Renan.

O Rei do Óleo de Peroba é outra tenebrosa figura banânica.

O que Lapa de Cínico postou na internet dá ânsias de vômito.

Confesso a vocês que corri pro meu pinico quando acabei de ler o que ele botou nos ares (num texto escrito por um assessor, claro)

Vejam:

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

Compartilhe Compartilhe
LUIZ LEAL – CASIMIRO DE ABREU-RJ

Em Paris.

Feira de Mangaio.

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

RICO – VALEPARAIBANO (SP)

Compartilhe Compartilhe
PENA DE MORTE À BRASILEIRA

Samuel, 22 anos, tez morena, ensino médio concluído, arrimo de família, integrante do sistema carcerário brasileiro, foi preso por assalto à mão armada, condenado e trancafiado num dos presídios rebelados em 2017.

Foi um julgamento sumário. Tão logo de posse da peça acusatória, o juiz na ânsia de anular mais um predador da sociedade, e para não desmerecer a fama de julgador linha dura, foi inclemente na decisão judicial:

– Como demonstram os autos, o apelante foi reconhecido pela vítima que descreveu, em detalhes, como ocorreu a conduta criminosa. Nos crimes cometidos na clandestinidade, a palavra da vítima tem valor de destaque na prova e possui o condão de embasar o édito condenatório. A pena foi estabelecida pelo Juízo a quo na mais estrita observância do artigo 157, parágrafo 2º, incisos I e II do Código Penal – Assalto à Mão Armada, pelo que nada deve ser modificado no julgado ora impugnado.

– Doutor juiz, vocês vão me deixar lá e me esquecer. Três anos e quatro meses, em regime fechado, é muito tempo para o crime que eu cometi. Tudo o que falei pode ser comprovado, mas nada foi levado em conta no processo. Eu prometo arrumar minha vida, para tanto basta um emprego. Pelo amor de Deus, não me condene à morte!

Em seu desespero, Samuel chamara a atenção do juiz para fatos desprezados na sentença exarada, tais como: não ter havido agressão física, de ele ser réu primário não usuário de drogas e de não utilizar arma de fogo – a pistola encenada no ato foram os dedos anular, indicador e polegar da mão direita, em riste, escondidos no bolso da jaqueta de brim, apontados para o caixa da farmácia.

E mais: ele não encobrir o rosto para impedir a identificação, se apossar apenas de R$ 50,00 para as necessidades do momento, apelar à vítima dizendo “por favor, atenda, pois não desejo machucar ninguém”, atitudes que embasariam o amadorismo do acusado. Porém, priorizou-se a ação criminosa… E pronto!

Não afeito aos meandros diabólicos do cárcere, o jovem aprisionado serviu de porta-voz para ala insatisfeita de apenados, endereçando cartas para autoridades constituídas criticando desmandos diversos e ações impróprias praticadas por agentes penitenciários. Foi o suficiente para ficar na mira daqueles a quem acusara, como persona non grata ao sistema.

Dona Sebastiana, a mãe de Samuel, ao reconhecer o corpo do filho único sendo transportado esquartejado como um animal abatido, caiu num pranto inconsolável. Em entrevista a uma rede de televisão, desabafou:

– Ele não merecia esse destino. Samuel estava desempregado há dois anos. Naquela noite tentou arranjar dinheiro para botar alguma comida dentro de casa. Havia tentado esmolar na rua, mas sua aparência não convencia a ninguém.

Repórteres localizaram o meritíssimo juiz autor da sentença de pronúncia de Samuel, explanaram o desfecho daquele caso e perguntaram-lhe:

– O senhor não acha que decretou a sentença de morte do rapaz?

– Tudo não passou de um infeliz acidente. Cuidar do apenado é função do Estado. Ao juiz cabe, tão somente, interpretar e aplicar a Lei!

Em cada cabeça uma sentença. E se fôssemos nós os arrolados para funcionar como jurados no caso Samuel, qual seria a nosso veredicto? Culpado ou inocente? Manteríamos a pena do juiz ou aplicaríamos uma outra alternativa menos sinistra? Daríamos-lhe o direito à vida ou o condenaríamos à morte pelo crime cometido?

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

BRUNO – VALEPARAIBANO (SP)

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO SÁBADO – EDITOR INXIRIDO

A primeira-dama Marcela Temer, embaixadora do programa Criança Feliz, passará da fase preparatória para o estágio de mobilização do programa e participará, nesta segunda-feira (23), em Brasília, de um evento com gestores do Criança Feliz na região Centro-Oeste.

Como embaixadora, o papel da primeira-dama é divulgar o programa e promover eventos e reuniões com estados e municípios.

* * *

Ai, ai, ui, ui…

Chega se assuspirei-me quando olhei a foto da nossa Primeira Dama.

Se eu pudesse, viraria criança e estaria lá no evento na próxima segunda-feira.

Suspiros, suspiros…

Ai, ai…

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – AMAZÔNIA JORNAL (PA)

Compartilhe Compartilhe

OPORTUNIDADES

Acabo de assistir a posse do presidente americano Donald Trump. Um momento importante para o mundo e uma lição de País sólido, de governo decente, de povo que tem a liberdade de escolha por consciência daquilo que quer e deseja, provada nessas eleições. O discurso do novo presidente, aliás, como todos os outros, tem sempre a visão e preocupação de conduzir a Nação americana para patamar elevado e desenvolvido, de fé e convicção de que os Estados Unidos podem, ou seja, projetam, realizam e atingem as metas para o bem-estar e a qualidade de vida do povo americano. Não há espaços para demagogias baratas, tão comuns nos países de governantes e políticos como no Brasil.

Enquanto aqui sofremos para realizar remendos nos tecidos esgarçados dos nossos poderes, lutando contra a patifaria e politicagem em que vive o País há décadas, exceto no regime autoritário militar, lá se discute criar oportunidades, abrir caminhos a prosperidade. No Brasil estamos presos nas mesquinharias e na caça aos cargos públicos, seja por indicação ou por concursos, nestes, a única forma de sobreviver com segurança se você não compõe o grupo que sonega, que corrompe, que faz negociatas, que vive de superfaturamentos e por aí vai. Não é sem razão que são as micros e pequenas empresas que sustentam e salvam esta Nação de viver um estado de miséria consolidado. E mesmo assim o micro empresário luta por todo santo dia para sobreviver a sanha do Estado nos seus ganhos, iludidos que são por migalhas oferecidas como ajuda para que se transforme e cresça, uma ilusão que o leva a sonhar em ser um Trump da vida. Mais, existem milhões de talentos, diplomados, trabalhando em subempregos, desperdiçando sua capacidade e conhecimentos em campo árido para a prosperidade.

Nos Estados Unidos o presidente tem seu pensamento e ações voltadas em abrir espaços a inovação e ao desenvolvimento econômico, industrial e social. Busca dar incentivos e apoio ao empresário para o desenvolvimento da economia americana de forma a gerar riquezas que retornam em benefícios à população. No Brasil o pensamento e ações são direcionadas as próximas eleições, ao pagamento da monstruosa folha salarial do governo e a de poder propiciar ao povo a distribuição de bondades. Sugam as forças produtivas, mas sem qualquer retorno de benefícios à população. Esta, trabalha para sustentar o circo político e suas extravagâncias como, por exemplo, a viagem da ex presidente ao exterior, acompanhada de seguranças e assessores por mais de vinte dias. Sustentar as mordomias aéreas com os aviões da Força Aérea do Brasil, usadas até para levar famílias em festas de casamentos. Para exemplificar bem, nenhum ministro da Suprema Corte americana tem qualquer privilégio que não apenas uma vaga no estacionamento. A nossa Corte (STF) esbanja mordomias.

Assim é o Brasil, vivemos para sobreviver no dia a dia. Aqui lutamos e preocupamos com corrupção, extorsão de juros em cartões e empréstimos, insegurança social, falta de hospitais, com um Congresso Nacional atolado em malfeitos, com ministros de Estado respondendo a processos, com ministro do STF (julgador), de braços dados com o demandado (processado), com bandidos promovendo matanças generalizadas e por aí afora. Lá, a luta é pela prosperidade, pela oportunidade a ser oferecida à população para se desenvolver, via educação, suporte de toda forma, juros acessíveis, excelente infraestrutura e um sistema de impostos que favorece a quem produz. Aqui continuamos nas nossas pagas de todo dia, o povo sustentando as lambanças do governo.

“Acidentes” com aviões continuam, sempre no litoral e no momento do pouso. Ulisses Guimarães nunca foi encontrado, foi uma espécie de Bin Laden, sumiram para evitar idolatria. Lulla continua sendo venerado já que, na visão do povão, se não foi preso, ainda, é porque não tem culpa e com isso vai sedimentando caminho para uma fantasiosa candidatura que, na verdade, tem por objetivo manter viva sua imagem e tentar subverter a sua condenação e prisão, que é iminente. Assim vamos tocando a nossa pobreza, a nossa incapacidade de nos levantarmos, a nossa permissividade, a nossa estupidez e inconsciência do momento em que vivemos, a nossa falta de brio em reagir e se sujeitar as imposições dos sem escrúpulos que comandam as instituições e os poderes públicos. Não conseguimos enxergar que o que aí está, é por causa de nossa covardia, de nossa omissão. Lutamos para sobreviver, não por oportunidades.

Compartilhe Compartilhe

21 janeiro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JBF

Compartilhe Compartilhe
VADIAÇÃO DE VAQUEIRO – Caio Padilha e Almir Padilha

Compartilhe Compartilhe

20 janeiro 2017 FULEIRAGEM

MARIANO – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe
NO BOSQUE DOS PASSARINHOS

Foi numa manhã feliz
Que certo percurso eu fiz
Em busca de distração,
Cheguei num bosque bonito
Que por mim será descrito
No decorrer da canção,
No meio daquela mata
Existia uma cascata
Contendo tanta beleza,
Que deixou-me extasiado,
Perplexo e maravilhado,
Contemplando a natureza.

Diante tanta beldade
Senti a felicidade
Invadir meu coração,
Defronte essa cena eclética
A minha verve poética
Esbanjava inspiração,
E assim fui percebendo
E aos poucos compreendendo
Que a ação daquela imagem
Demonstrava nessa tela,
Que a mão de Deus se revela
Naquela airosa paisagem.

Caminhando lentamente
Fui um pouco mais pra frente
E ouvi um som divinal
Era a orquestra das aves
Com seus gorjeios suaves
Num concerto magistral
Aquele som impecável
Era bem mais agradável
Do que qualquer sinfonia
E mesmo ouvido a distância
Era eufônica a consonância
Na mais perfeita harmonia.

Numa palmeira gigante
Em toada ressonante
Se escutava os sabiás
E exibindo seus perfis
Ouviam-se os bem-te-vis
Nas copas dos jatobás
Perdizes e inhambus
Além dos uirapurus
Numa divertida festa
E dando vida ao cenário
Concriz, campina e canário,
Vitalizando a floresta.

Foi imensa a alegria
Que vivi naquele dia
Em meio ao matagal
E esse show imensurável
Trouxe um efeito agradável
De forma descomunal
Eu passei o dia inteiro
Nesse clima prazenteiro
Entre gorjeios e ninhos
Na maior simplicidade
Gozando a felicidade
No bosque dos passarinhos.

Compartilhe Compartilhe

© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa