19 novembro 2017 FULEIRAGEM

ZOP – CHARGE ONLINE

DIA DO CORDELISTA

Parabéns aos cordelistas
Que acessam o Besta Fubana
Celebramos hoje o dia
Dessa classe soberana
Que transforma em poesia
As noticias do dia-a-dia
De uma forma bem bacana

Pombal cidade paraibana
Viu nascer o maioral
Leandro Gomes de Matos
Cordelista sem igual
Conhecido no mundo inteiro
Esse ilustre brasileiro
Do cordel é o patrono oficial

O cordel era o jornal
Do povão antigamente
Em uma época remota
Alfabetizou muita gente
Na mente do matuto
Reinou em absoluto
E vivera eternamente

Enquanto existir vivente
Brilhará com galhardia
No mais modesto ambiente
A luxuosa academia
O singelíssimo cordel
Vai cumprindo o seu papel
Com louvor e primazia

19 novembro 2017 FULEIRAGEM

CLÁUDIO – AGORA SÃO PAULO


O CHEIRINHO QUE ENLOUQUECE

Imburana – pau cuja casca cheirosa dá qualidade ao rapé

Faz tempo que se sabe que vem de Paris os melhores perfumes (às vezes, com muita matéria prima saindo do Brasil ou de outras plagas). São tantos os odores diferenciados que poderíamos ser injustos citando apenas um ou dois. Até por que, isso é também uma questão de preferência pessoal.

Mas, que tem quem cheire sempre, naturalmente, sem nunca ter usado qualquer perfume. Por muitos anos se preferiu muito o cheiro do sabonete Phebo, que dizem alguns, era fabricado no vizinho estado do Pará.

Há quem também goste do cheiro de canela e mais ainda do cravo. E aí você junta o cravo com a canela. É realmente um aroma que chama a atenção de muitos – embora não seja um aroma para usar durante a noite, numa reunião ou numa festa.

No interior do meu velho e progressista Ceará, os mais antigos gostavam de misturar o fumo de rolo, depois de posto à secar e torrado, com o pó de imburana, uma árvore cuja casca tem um cheiro forte e concentrado. Dava um aspecto aristocrático ao rapé – e o simples abrir do corrimboque era um convite à aspiração. Era cheirar e espirrar quantas vezes se pretendesse para desobstruir as narinas.

O cheiro do muco que corre da vulva canina anunciando o cio enlouque os cães

O odor, sabemos, nem sempre cheira bem. O forte odor de amônia incomoda e não é benéfico a quem o aspira. Mas, o cheiro de almíscar é exageradamente “gostoso e atraente” com é o cheiro de limão, de erva-doce ou de camomila.

Há cheiros que atraem, por dizerem alguma coisa. O cheiro humano, dizem, pode identificar pessoas. Uma coisa é o cheiro emanado através das axilas (via que a Natureza reservou para jogar fora as impurezas, pela transpiração) e outra coisa é o cheiro humano dos braços ou das pernas.

Mas, qual seria o cheiro emanado pela vulva da cadela quando inicia o período do cio? Por que aquele cheiro “enlouquece” os cães?

Os adversários adotaram como zoação o “cheirinho” que o Flamengo sente dos títulos

Mas, outro tipo de cheiro que tem incomodado muito a uma grande quantidade de pessoas, é o “cheirinho” que o Flamengo vem sentindo desde janeiro deste ano. Investindo milhões na contratação de jogadores que imaginavam poder garantir a conquista de todas as competições da temporada, o Flamengo tem ficado mesmo só no cheirinho, virando deboche e gozação dos adversários.

O meu Botafogo, que não teve dinheiro para investir o correspondente a 10% do valor investido pelo Flamengo, está atualmente como líder entre os clubes cariocas que disputam o Campeonato Brasileiro da Série A.

19 novembro 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

19 novembro 2017 DEU NO JORNAL

O VOTO QUADRÚPEDE

Para quem nunca sabia de nada, demorou pouco para Lula acumular mais de R$ 35 milhões…

* * *

É errado dizer que ele não sabia de nada.

De uma coisa ele sabe muito bem: que existem milhões de antas descerebradas portando título de eleitor em Banânia.

Não só antas, mas tudo quando é tipo de irracional.

E ele conta com este eleitorado em 2018.

19 novembro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – O LIBERAL (PA)

19 novembro 2017 PERCIVAL PUGGINA

2018: HORA DE FAZER O DIABO, DE NOVO

Novamente é quase três da madrugada na necrópole da República. Hora de cultos satânicos, quebrantos e esconjurações. Ágeis como drones, bruxas esvoejam entre lápides e ciprestes. Taumaturgos de colarinho branco presidem cerimônias.

Quem ainda não percebeu, em breve será arrastado para as consequências destes dias. Neles se reproduz o ciclo repetitivo e funesto muito bem definido por Dilma em 14 de março de 2013. Antecipando, então, campanha eleitoral em João Pessoa, ela afirmou que “Nós podemos fazer o diabo quando é a hora da eleição, mas quando estamos no exercício do mandato, temos que nos respeitar”. O público presente talvez tenha tomado a primeira oração como exagero e a segunda como compromisso. No entanto, o diabo foi feito e o desrespeito derrubou a casa. Um ano e pouco mais tarde, já com a disputa eleitoral em marcha, ante público de seu estado natal, Lula disse a Dilma: “Eles não sabem o que nós seremos capazes de fazê, democraticamente, pra fazê com que você seja a nossa presidenta por mais quatro anos neste país”. Os meses seguintes contêm minuciosa narrativa daquilo que, de fato seria feito, “democraticamente”, para assegurar mais quatro anos para a presidenta. É do diabo que estamos falando.

Se há algo que sabemos sobre as potências das trevas é que elas não mudam de caráter nem de objetivo. O discurso de Lula aponta para a volta ao seu pior estilo, aquele anterior à carta ao povo brasileiro, com ódio exacerbado, afinação bolivariana e cheiro de enxofre.

Cenários como os que se desenham para 2018 fazem parte da nossa tradição presidencialista. As “virtudes” tomadas em maior conta no recrutamento dos presidenciáveis jamais influiriam na escolha de executivo para uma pequena empresa que almeje sucesso. Mas, se é para presidir a república, tendo voto, qualquer um serve. Causa angústia saber que, periodicamente, apostamos o presente e o futuro do país num cassino eleitoral matreiro, desonesto, onde, em acréscimo a tudo mais, sequer as urnas são confiáveis.

Em menos de um ano saberemos quem dirigirá a república no quadriênio entre 2019 e 2022. Até lá, vamos para o mundo das trevas, onde tudo é incerto. A irracionalidade do sistema de governo e o vulto dos poderes em disputa, concentrados em uma única pessoa, levarão insegurança e instabilidade ao desempenho dos agentes econômicos. Dependendo do lado para onde for a carroça, cairá a Bolsa, subirá o dólar, cessarão os investimentos. Afinado com as bruxas, o parlamento só se interessará por doces (agrados e favores) e travessuras (contas ao pagador de impostos). Tudo virará moeda nas mãos de quem tocar o sino na hora do diabo.

A revista The Economist divulga um índice de democracia pelo qual 167 países são pontuados em relação a processo eleitoral e pluralismo, funcionamento do governo, participação política, cultura política e liberdades civis. Entre os 20 primeiros lugares, apenas os dois últimos são presidencialistas. E nós estamos no 51º lugar. Um dia a ficha cai e exorcizamos esse modelo político.

19 novembro 2017 FULEIRAGEM

SINFRÔNIO – DIÁRIO DO NORDESTE (CE)

19 novembro 2017 DEU NO JORNAL

O BNDES E A PETROBRAS LULEIRAS

A CPI do BNDES retoma os trabalhos na quarta-feira (22) disposta a promover uma devassa na sede do BNDES, no Rio de Janeiro, para desvendar o financiamento suspeito de obras nos estados do Brasil.

Auditoria do Tribunal de Contas da União já apontou R$ 50,5 bilhões do BNDES usados para bancar 140 obras em outros países, quase todas da Odebrecht e muitas delas com a participação do ex-presidente Lula.

Os governos do PT aportaram R$ 440,8 bilhões do Tesouro Nacional para bancar financiamentos do BNDES no Brasil e mundo afora.

O Ministério Público Federal investiga o papel do ex-presidente Lula em esquema de tráfico de influência pela Odebrecht, em obras no exterior.

A CPI pretende recolher no BNDES novas informações técnicas e documentos que esclareçam suas operações sob suspeita.

* * *

O Diretório Nacional do PT já pediu a ajuda do fubânico luleiro Ceguinho Teimoso.

Ceguinho irá defender o BNDES de Lula nesta CPI da mesma maneira com que defendeu a Petrobras de Lula aqui no JBF.

Uma medida acertadíssima do Diretório Nacional da quadrilha vermêia.

Quem quiser saber a verdade sobre a Petrobras, leia os comentários de Ceguinho numa postagem de sexta-feira passada.

É só clicar aqui .

Primeiro leiam a postagem, claro.

Depois os comentários.

E tenham um bom domingo.

19 novembro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

A RIQUEZA DAS NAÇÕES

No começo, bem no começo, a ideia básica era conseguir especiarias raras e artefatos luxuosos que só pessoas imensamente ricas podiam se dar ao luxo. Os preços astronômicos compensavam de sobra todos os custos e riscos das imensas viagens necessárias para consegui-las e ainda davam lucros inimagináveis.

A rota da seda

Tais mercadorias normalmente eram importadas do distante e desconhecido oriente. Eram tecidos de seda e finíssimas porcelanas da China, especiarias deliciosas das Índias que, só de mencionar, aguçavam a imaginação dos europeus do medievo: Pimenta, noz moscada, canela, gengibre, anil, açúcar, chá, café das Arábias, tecidos de Damasco, tapetes da Pérsia e tantas outras mercadorias.

Os árabes as traziam até os portos do Mediterrâneo. De lá, navegadores italianos faziam a transferência e a distribuição para os mercados europeus. Foi este comércio que levou Gênova e Veneza ao seu apogeu.

Estava tudo muito bom, tudo muito bem, até que a perda de Jerusalém para os muçulmanos e o acirramento da disputa pelas almas dos fiéis em toda a costa mediterrânea complicou tremendamente o tráfico. Começou uma busca frenética por rotas alternativas e foi aí que os portugueses se deram bem. Herdaram todo o cabedal de conhecimentos trazidos do Oriente Médio pelos Templários e, com a extinção desta ordem, através da Ordem dos Cavaleiros de Cristo que os sucedeu, meteram mãos à obra.

Caminho “português” para as Índias e extensão do Império Espanhol de Felipe II

Se considerarmos o rudimentarismo dos equipamentos de navegação disponíveis à época, podemos considerar os navegadores portugueses como verdadeiros gigantes de arrojo e de coragem. Foram estes heróis que promoveram a primeira globalização de verdade, integrando os 7 mares e os 5 continentes.

Não demorou quase nada para que a Espanha, vendo os ganhos incomensuráveis advindos a Portugal como fruto da sua ousadia, seguir-lhe os passos. Primeiro, timidamente, com as 3 caravelas magras do imitador e trambiqueiro Cristóvão Colombo. Depois, de forma mais profissional, desta feita com conquistadores dispostos a ter sucesso a qualquer custo, mesmo que o preço fosse sua morte. Sucederam-se os Cortez e os Pizarros na dominação, espoliação e extermínio dos povos ameríndios.

Na ausência das tão desejadas especiárias na América, ênfase aí passou a ser a busca de metais preciosos: o ouro e a prata. Com a unificação ibérica, de 1580 a 1640, o Brasil se viu engolfado nesta busca desenfreada por estes metais, embora tais buscas só fossem ter sucesso no início do século XXVIII.

A partir daí, foi uma sucessão de impérios europeus se estendendo pelo mundo afora. Os judeus portugueses, expulsos de Portugal pela inquisição espanhola, dirigem-se a sua inimiga, a Holanda, e lá fundam as companhias das Índias (Ocidentais e Orientais) a fim de entrar nessa partilha.

Assim, podemos dizer que, se os séculos XV foi dos portugueses, o XVI viu o apogeu espanhol. No seguinte, o XVII, entram na briga os holandeses e franceses. Já no século XVIII se desenha a hegemonia britânica, que vem a culminar com a derrota de Napoleão e se estende até o século XX, só terminando com a ascensão do colosso americano após a 2ª Guerra Mundial, depois da “unificação” no século XIX.

Com a revolução industrial, a partir do século XVIII, o grande fator de competitividade das nações passa a ser a capacidade de produzir manufaturas. Nessa seara, a Inglaterra foi a pioneira e campeã absoluta durante os dois séculos seguintes, razão pela qual seu império sucedeu aos anteriores e se estendeu ao longo de toda a Terra. A briga então passou a ser pelo acesso às fontes de matérias primas (baratas) e aos mercados para os produtos manufaturados (caros).

É nessa que o Brasil entra na globalização sempre de calças arriadas e de ré. Nunca conseguimos transcender nossa condição de mero fornecedor de matérias primas para as nações avançadas. A duas únicas épocas em que houve um esforço concentrado na busca pela industrialização do país foi um pouco antes da república, com D. Pedro II trazendo emigrantes italianos e alemães altamente qualificados, e ao longo dos governos de JK e militar. Não fossem esses períodos, estaríamos similar ao Mali ou Sudão.

As evidências empíricas apontando que só se consegue progresso econômico das nações através da industrialização são abundantes. Segundo os economistas do M.I.T, César A. Hidalgo and Ricardo Hausmann, o “Economic Complexity Index que criaram mede a intensidade de conhecimentos e tecnologia embutidos nos produtos exportados por um determinado país. Segundo os mesmos, esta medida é capaz de predizer a tendência de progresso desta mesma economia. Vejam o que aconteceu com o Brasil nos anos PT. Retornamos aceleradamente à mesma condição da década anterior ao “Milagre” brasileiro propiciado pela administração militar.

Segundo o Diário do Poder, o valor das exportações brasileiras em 2017 já supera em US$ 30 bilhões as exportações do mesmo período do ano passado. Segundo o diretor de Estatísticas e Apoio às Exportações do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Herlon Brandão “Isso foi motivado por safra recorde de grãos e vendas de minérios de ferro e petróleo, entre outros produtos”. Ele ressaltou ainda que, no início do ano, as exportações cresciam principalmente pela melhora nos preços internacionais, mas, agora, com a demanda mundial aquecida, há aumento significativo também nas quantidades exportadas. De janeiro a outubro, o preço dos produtos vendidos ao exterior subiu 11,9%, enquanto as quantidades aumentaram 7,3%. “Provavelmente teremos recorde neste ano no volume exportado”, afirmou.

Maravilhoso!

Lá vamos nós para mais um voo de galinha, sempre na condição de vassalos das economias desenvolvidas.

19 novembro 2017 FULEIRAGEM

GENILDO – CHARGE ONLINE

19 novembro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Berto

Banânia se supera até em cartaz para vender pizza ou indicando a voltagem de uma tomada.

Veja abaixo e confira.

R. Lindos, estes dois cartazes, meu caro colunista fubânico.

Uma coisa é certa:

Os pintores que redigiram estas obras de arte estão prontos e aptos pra redigir seus votos pra presidente da república nas próximas eleições.

Pra presidente, pra governador, pra senador, pra deputado, pra prefeito e pra vereador.

19 novembro 2017 FULEIRAGEM

LANE – CHARGE ONLINE

EM DEFESA DO JORNALISMO

Há poucos anos perdemos um jornalista valoroso – Heródoto Barbeiro – da TV Cultura e Rádio CBN. O “bispo” Macedo comprou-o por uma bagatela irrecusável segundo muitos e o próprio jornalista, que continua lá na TV Record News (fechada) numa boa. Não sei se mais feliz, pois antes era um renomado jornalista reconhecido nas ruas. Hoje ninguém, talvez nem os próprios assinantes daquela TV, sabem quem é ou quem foi Heródoto Barbeiro.

Agora estamos perdendo outro grande jornalista – William Waack – por um motivo bizarro: um ataque dos correligionários de Torquemada, conforme bem denominou outro jornalista, o José Nêumane. Não se trata de defender o jornalista com sua piada sem graça, feita no ano passado em off e revelada agora por motivos não revelados, mas sabemos agora que havia a intenção de levar uma grana com a denúncia. Passaram um ano tentando levantar uma grana e como não conseguiram, mostraram o vídeo. O nome disso é extorsão. O fato é este: uma tentativa de extorsão feita por dois “colegas” travestidos de “politicamente corretos” derrubou um dos bons poucos jornalistas que temos. Imagino que se Paulo Francis estivesse vivo, não estaria trabalhando.

Até quando vamos aguentar essa turma do “politicamente correto” vigiando cada passa, cada palavrinha dita fora do contexto ou fora do que acham correto, mesmo que seja para achacar alguma pessoa? Alguns jornalistas saíram em defesa do William Waack, como o José Nêumane, Augusto Nunes, José Roberto Guzzo e Reinaldo Azevedo e os próprios colegas (negros) do jornalista. Mas, diante do alarido, a TV Globo sente-se obrigada a afastá-lo com medo da perda de audiência. Não sabem que vão perder muito mais audiência com seu afastamento.

Diante do inusitado, proponho ao nosso editor Luiz Berto abrir espaço aqui para o jornalista continuar expondo seus matérias e pontos-de-vista. Sei que sua audiência será de apenas umas 100 mil pessoas/dia. É pouco diante daquela existente na TV, porém muito mais qualificada. Enquanto isso, vamos esperando passar esse período de inquisição onde não se pode se falar qualquer bobagem, mesmo que seja em particular. Como todo mundo tem celular e uma câmera de filmar/gravar qualquer um está sujeito a ser demitido de seu emprego ou até ser preso devido a uma bobagem. E assim vamos perdendo nossos valorosos jornalistas.

19 novembro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

19 novembro 2017 EVENTOS

PARA OS FUBÂNICOS DO RECIFE – DIA NACIONAL DE AÇÃO DE GRAÇAS

Com o objetivo de estimular na sociedade o sentimento de gratidão, a celebração do Dia Nacional de Ação de Graças (DNAG) é realizada anualmente no Recife. Neste ano, a comemoração acontecerá no dia 23 de novembro. Uma grande ação social de assistência à saúde e cidadania será realizada, das 7h às 17h, no Parque Treze de Maio, localizado no centro da capital pernambucana. O evento, que entrou para o calendário oficial da cidade através da Lei 17.620, é promovido pelo Comitê Brasileiro do Movimento de Resgate do DNAG, que tem como slogan: digamos sempre obrigado, pois não conquistamos nada sozinhos.

Na área de saúde, serão oferecidos atendimentos nas especialidades de urologia, cardiologia, clínica médica, pediatria, fisioterapia, oftalmologia e odontologia, além da realização de exames de mamografia e prevenção do colo do útero. Serviços de cidadania também serão realizados no local como a emissão de RG, carteira de trabalho, certidão de nascimento, casamento e óbito, orientações ao consumidor, consultas e certidões no Detran Móvel, orientação jurídica, orientação profissional e arrecadação de material para o Projeto Vale Luz, da Celpe, que concede descontos na conta de energia em troca de resíduos sólidos recicláveis.

Na parte de bem-estar, serão oferecidos cortes de cabelo unissex e limpeza de pele. Haverá também no local uma exposição de pets para adoção. A área infantil estará recheada de atividades como contação de histórias com artistas pernambucanos, distribuição de livros, pipoca e algodão-doce. Brinquedos serão montados no local para a diversão da garotada. Toda a ação é gratuita e acontece por meio dos parceiros do DNAG como a Stealmoaic, Lacen, Amigo do Peito, Interodonto, Cantu, Instituto Embelleze, Pharmapele, Projeto Quadrante, Água Mineral Santa Joana, Procon, SDS, Ministério do Trabalho, Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, Detran, Celpe, Caape/OAB, Faculdade Universo, Capricche Grupo Adlim, Tupan e Liber Terceirização.

As atividades serão divididas em dois turnos, manhã e tarde, com limitação de quantidade. A partir das 7h, as fichas serão distribuídas e os atendimentos têm início às 8h, se estendendo até às 12h. No turno da tarde, as fichas serão distribuídas ao meio dia e os atendimentos serão das 13h às 17h. Para ter acesso aos atendimentos de saúde, basta apresentar documento com foto, exceto para o exame de prevenção do colo do útero, pois é obrigatória apresentação do cartão SUS e CPF. Para os serviços de cidadania, as informações sobre os documentos necessários estão disponíveis no site Ação de Graças, nas redes sociais ou pelo telefone (81) 3252.6008

Doações – Durante todo o mês de novembro, o Comitê Brasileiro do Movimento de Resgate do DNAG estará arrecadando alimentos não perecíveis, brinquedos e livros infantis. As doações devem ser entregues nas lojas Tupan, da Região Metropolitana do Recife e na Faculdade Universo. O material arrecadado será doado para ONGs e os livros serão distribuídos na ação do Dia Nacional de Ação de Graças, dia 23 de novembro.

Dia Nacional de Ação de Graças 2017
DATA: 23 de novembro de 2017
LOCAL: Parque Treze de Maio

 

19 novembro 2017 FULEIRAGEM

LEONARDO – CHARGE ONLINE

RIO DE JANEIRO QUE EU SEMPRE HEI DE AMAR

Um sucesso de 1954, de Fernando Martins e Victor Simon, com os Anjos do Inferno, era explícito e verdadeiro: “Rio de Janeiro, cidade que nos seduz, de dia falta água, de noite falta luz”. Meu pai contava que já nos anos 30, quando estudava Medicina no Rio, luz e água faltavam na cidade.

Foram décadas de queixas. Bastou um grande Governo, o de Carlos Lacerda, para que o problema da água fosse resolvido (o que vale até hoje, mais de 50 anos depois). E bastou que a Eletrobrás pusesse ordem na casa para que o problema da eletricidade fosse resolvido: hoje, há água e há luz.

O problema agora é a insaciável máquina de corrupção, unida ao tráfico e ao contrabando. Os narcotraficantes herdaram o poder dos bicheiros, multiplicando-o ao torná-lo mais sangrento. Agora? Isso vem de longe – o governador Brizola apôs obstáculos ao trabalho policial na década de 1980, há quase 40 anos; parte significativa da classe média, média-alta e rica se rendeu aos secos e molhados; o eleitorado perdeu oportunidades excelentes de eleger políticos corretos, como Fernando Gabeira, para escolher, veja só, Sérgio Cabral (Miro Teixeira, embora politicamente oscilante, manteve-se livre de acusações e ninguém duvidou de suas boas intenções).

Mas a vida segue. O paraense Billy Blanco, com Tom Jobim, compôs a Sinfonia do Rio de Janeiro. O Rio é a cidade, cidade mágica, que o mineiro Ruy Castro escolheu como sua. Quando o Rio vai bem, o Brasil vai bem.

Cultura útil

A cornucópia (em latim, o chifre da abundância) representava, no ritual pagão de Roma, a fertilidade, a fortuna, as riquezas da Terra. A palavra é hoje pouco usada – até porque, com essa história de corno, pode parecer indecente. E é indecente, mas não pelo corno: por representar as riquezas da Terra, simboliza também certas fortunas que apareceram do nada.

Dinheiro vem…

O Ministério Público Federal em Brasília pediu ao juiz Vallisney de Oliveira que bloqueie R$ 21,4 milhões das contas do ex-presidente Lula e de um de seus filhos, Luís Cláudio. No processo a que se refere esse bloqueio, Lula é acusado de tráfico de influência na compra, pelo Brasil, dos caças supersônicos Grippen, da empresa sueca Saab. Detalhe curioso, que pode ter várias interpretações: na negociação com o Brasil, cada caça saiu por US$ 150 milhões. Alguns anos depois, a Suíça rejeitou a compra, por julgar excessivo o preço de US$ 140 milhões por caça. Diferenças nos modelos podem explicar a diferença de US$ 10 milhões por caça; ou não. Considerando-se o bloqueio de R$ 10 milhões já determinado pelo juiz Sérgio Moro, nos últimos meses Lula teve suspenso o acesso a mais de R$ 30 milhões de seus bens. Considerando-se os salários que recebeu nos seus anos de serviço, seus cachês de conferencista devem ter sido excelentes.

A defesa de Lula diz que ele e o filho não interferiram no negócio, feito integralmente de acordo com os pareceres técnicos da Aeronáutica.

…dinheiro vai

Luiz Marinho, um dos dirigentes petistas mais próximos de Lula, que há pouco deixou a Prefeitura de São Bernardo e é cotado para disputar pelo PT o Governo paulista, também foi denunciado à Justiça: ele é acusado, em companhia de empreiteiros, de fraudes nas concorrências para a construção do Museu do Trabalhador. As acusações envolvem uso de empresa de fachada, cláusulas de restrição à competitividade e propostas “de cobertura”, cuja utilidade é dar ao vencedor previamente definido a garantia de que seus preços serão os mais baixos. Duas das empresas que o Ministério Público aponta como participantes das fraudes venceram 19 licitações para a execução das obras públicas mais lucrativas durante a administração do prefeito Luiz Marinho.

Chico Xavier…

O desenhista Maurício de Souza, criador da Turma da Mônica, já premiado pela ONU por uma notável historia que demonstra a imbecilidade do racismo, acaba de colocar seus personagens num livro infantil sobre um dos maiores médiuns brasileiros, Francisco Cândido Xavier. No livro, Mauricio e a Turma da Mônica mostram grandes exemplos de Chico Xavier; o novo personagem André, primo de Cascão, apresenta aos leitores 25 ensinamentos do líder espírita. Há histórias inéditas de pessoas que conviveram diretamente com Chico Xavier e dele receberam lições de vida.

…em quadrinhos

Cebolinha se surpreende ao saber que Chico Xavier doou todo o dinheiro que ganhou com milhões de livros vendidos a instituições de caridade – “ele podelia ter ficado lico!” André lembra que Chico Xavier escrevia por amor, e uma vez disse: “Ame sempre porque isso faz bem a você, não por esperar algo em troca”. São 64 páginas por R$ 11,00.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa