24 outubro 2014 FULEIRAGEM

TIAGO RECCHIA – GAZETA DO POVO

tiago

Compartilhe Compartilhe
WILLIAN LÁZARO – MARILIA-SP

Berto.

Sou Wilian de Marilia/SP e faz tempo que quero escrever para você, parabenizá-lo pelas excelentes matérias do Besta Fubana.

Envio o texto abaixo e caso ache interessante, por favor, publique.

O texto é um pouco longo, mas peço que leiam.

Peço principalmente que compartilhem!!!

Vamos atingir o máximo de pessoas possível.

Um grande abraço.

R. Meu caro, por uma feliz concidência, no dia de hoje, 24 de outubro, ultrapassamos duas marcas.

A primeira é que mais de 90 mil leitores distintos acessaram o JBF nos últimos 30 dias, segundo informa o Google Analytics. Confira aí na tabela abaixo, à esquerda.

E São Paulo – que continua sendo o estado brasileiro com a maior quantidade de fubânicos -, também rompeu uma barreira: são mais de 21 leitores distintos. Até hoje, o máximo era 20 mil.

Na tabela do lado direito, que detalha a quantidade de leitores dentro do estado de São Paulo, veja que o JBF foi acessado por 99 leitores aí nessa bela cidade de Marília. Ressalto que desta tabela constam apenas as posições que vão da 10ª à 25ª, de um total de 205 cidades paulistas onde existem leitores fubânicos.

aa90marília

marília-

Marília, 228.628 habitantes, a 443 quilômetros da capital

Brigadão pela força e pela audiência. Disponha sempre deste espaço aberto e democrático.

E aqui está o texto que você nos mandou.

* * *

“IRMÃ DE LULA PEDE VOTOS PARA AÉCIO” ou “MALUF VIROU LADRÃO DE GALINHAS”

Não há nada de inacreditável nisso.

Apenas a constatação de que nem a própria família do “gnomo sem dedo” aguenta mais tanta corrupção, tanta roubalheira, tanta mentira, tanta bandalheira.

Os PTralhas estão no governo faz 12 anos, nesse período nada fizeram para diminuir os problemas recorrentes do país: saúde, educação, segurança pública, transportes e etc. E a situação se agravou ainda mais nos últimos 4 anos durante o “reinado” de nossa presidAnta.

Agora dizem que vão fazer. Fazer o que!?! Estão jogando o país num caminho muito perigoso, querem transformar o Brasil em mais uma republiqueta bolivariana, como já fizeram Evo Morales na Bolívia, Hugo Chaves e Nicolás Maduro na Venezuela e Cristina Kirschiner na Argentina.

Clique aqui e leia este artigo completo »

24 outubro 2014 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU

nicolielo

Compartilhe Compartilhe
MINHAS INESQUECÍVEIS ELEIÇÕES

LLÇ

Há exatamente 60 anos participei ativamente na minha primeira campanha eleitoral, tinha apenas 10 anos. Minha casa na Avenida da Paz era uma espécie de Quartel General da oposição, os oposicionista tinham medo das loucuras do governador Silvestre Péricles, homem honesto, entretanto, arbitrário e violento, não admitia seu candidato Campos Teixeira perder a eleição para o ainda obscuro jornalista Arnon de Mello. Muitos oposicionistas foram vítimas de violência, surras, incêndios e outras de somenos importância, realizaram várias reuniões, onde se sentiam seguros, na casa do então coronel do Exército Mário Lima, meu pai.

Eu ficava excitadíssimos à noite ao chegarem os homens de terno branco, apenas uma mulher, elegante, bem falante, opiniões ouvidas por todos (coisa rara no Nordeste na época), ela batia à máquina os ofícios, informações aos jornais, aprovados na reunião, era Dona Leda Collor de Mello, esposa de Arnon. Entre os oposicionistas, de terno branco, se destacavam, Oséas Cardoso, Carlos e Mário Gomes, Rui Palmeira, Freitas Cavalcanti.

Silvestre Péricles segurou o máximo possível com seu irmão General Góes Monteiro, a garantia de tropas federais na eleição em Alagoas. Com muita pressão política a ordem de deslocamento do 20º BC chegou às 2 horas da manhã do dia 3 de outubro, dia da eleição. A tropa estava de prontidão, o coronel Mário Lima agilizou com os caminhões do Exército e requisitou todo caminhão, camionete e carros que passassem em frente ao quartel garantindo a presença da tropa do Exército no interior do Estado, acabando as tentativas de fraudes. O Exército Brasileiro mais uma vez cumpriu sua missão democrática. Foi surpreendente a votação na oposição, Arnon de Mello eleito governador e Getúlio Vargas, presidente, político gaúcho, populista, ditador totalitário durante 15 anos (1930-1945) governou com mão de ferro e uma constituição (a Polaca) tão severa quanto o AI-5, voltava ao poder pelo voto.

Foi meu batismo, nunca deixei de acompanhar e participar de eleição no Brasil. Em 1955 Juscelino Kubistchek foi eleito presidente da República, precisou da intervenção do Exército para tomar posse, o general Lott deu um contra golpe garantiu a constituição. Cinco anos depois esse mesmo General Henrique Batista Dufles Teixeira Lott foi candidato contra Jânio Quadros, pela primeira vez votei para presidente, no General, homem honrado, honesto, nacionalista, entretanto, perdeu a eleição. Em agosto de 1961 Jânio Quadros renunciou a Presidência da República (bêbado, segundo testemunhas) provocando o maior caos político no Brasil, resultou no golpe de 1964 e uma ditadura de 21 anos. Fui testemunha participativa de todos os acontecimentos. Como tenente do Exército, servindo na cidade do Recife, apoiei o golpe naquele momento.

Vieram em seguida quatro presidentes generais: Castello Branco, Costa e Silva, Emílio Médici, Ernesto Geisel e Figueiredo. Só em 1985 por eleição indireta um civil, Sarney, assumiu a presidência. Contudo no ano da glória, 1989, retornou a eleição direta para Presidente da República. Em pleito disputadíssimo o governador de Alagoas, Fernando Collor de Mello ganhou do emergente político vindo de bases populares, Lula da Silva.

Em 1994, nova eleição, Lula perdeu do intelectual sociólogo Fernando Henrique Cardoso, reeleito em 1998 contra novamente Lula da Silva. Em 2002, a esquerda na poder, pela quarta vez consecutiva candidato, Lula foi eleito. Em 2006 o Brasil tinha mais um presidente reeleito, Lula. Em 2010 um grupo pressionou para aprovar o terceiro mandato no Congresso, entretanto, o espírito democrático brasileiro prevaleceu, não houve a segunda reeleição. Lula apresentou a candidata Dilma Rousseff que tornou-se a primeira mulher presidente do Brasil.

Nesse ano sagrado de 2014, temos uma eleição acirrada no segundo turno. De um lado a presidente Dilma Rousseff tenta a reeleição, do outro o jovem ex governador de Minas Gerais, Aécio Neves, tornou-se um forte candidato, as pesquisas dão empate técnico, ninguém pode prever o resultado, o povo diz sabiamente, ninguém sabe o que pode sair da cabeça de um juiz ou das urnas. Na verdade depois de mais de três meses de campanha, com muita marquetagem e menos informações, “alia jacta est”, “a sorte está lançada”, como diriam os romanos. Que Deus abençoe o Brasil.

Compartilhe Compartilhe

24 outubro 2014 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO

duke

Compartilhe Compartilhe
FELICIDADE DE CABOCLO, LUCAS VENTANIA

Compartilhe Compartilhe

24 outubro 2014 FULEIRAGEM

JORGE BRAGA – O POPULAR

jb

Compartilhe Compartilhe
ORLANDO SILVEIRA – SÃO PAULO-SP

A QUEM INTERESSAR POSSA

Sei que muitos me tomam por alienado. Danem-se. Já gostei muito de política. Hoje, não. Tenho motivos. Todo mundo os têm. Nunca deixei de votar. Nem deixarei. Ainda que eu seja radicalmente contra a legislação escrota, feita e mantida pelos escrotos de sempre, que me obrigam a votar. Os canalhas transformaram um direito de todos, mais que legítimo, em obrigação.

Tenho lado. Voto 45 para presidente, sem entusiasmo. Mas não me convidem para assinar manifestos, engrossar passeatas, cair no conto do vigário que só os outros são bandidos e incompetentes. A merda é geral, ainda que alguns cheirem mais que os outros. Que lástima!

Prefiro cuidar de conversas de bar, bate-papo de ônibus, do cachorro que perdi, das contas a pagar, do pai doente, das coisas miúdas – das quais a vida é feita. A vida vale mais que uma opinião, um interesse partidário/pecuniário, muitas vezes travestido de falsa paixão.

Abraço a todos.

Compartilhe Compartilhe

24 outubro 2014 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JBF

TRÇ

Compartilhe Compartilhe

24 outubro 2014 DEU NO JORNAL

A PESQUISA DA SEXTA-FEIRA

Aécio lidera com nove pontos de vantagem sobre Dilma

.

aann

Aécio Neves seria eleito presidente do Brasil se a eleição fosse hoje, afirma Sensus

Pesquisa ISTOÉ/Sensus realizada a partir da terça-feira 21 reafirma a liderança de Aécio Neves (PSDB) sobre a petista Dilma Rousseff nos últimos dias da disputa pela sucessão presidencial.

Segundo o levantamento que entrevistou 2 mil eleitores de 24 Estados, o tucano soma 54,6% dos votos válidos, contra 45,4% obtidos pela presidenta Dilma Rousseff.

Uma diferença de 9,2 pontos percentuais, o que equivale a aproximadamente 12,8 milhões de votos.

A pesquisa também constatou que a dois dias das eleições 11,9% do eleitorado ainda não decidiu em quem votar.

“Como no primeiro turno, deverá haver uma grande movimentação do eleitor no próprio dia da votação”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus.

Se for considerado o número total de votos, a pesquisa indica que Aécio conta com o apoio de 48,1% do eleitorado e a candidata do PT 40%.

Compartilhe Compartilhe

24 outubro 2014 FULEIRAGEM

AROEIRA – BRASIL ECONÔMICO

aroeira3

Compartilhe Compartilhe
NO SEGUNDO TURNO VOTO EM DILMA

Nestes últimos 20 anos, o país passou por diferentes experiências no governo federal que precisam ser comparadas. Fica muito difícil não olhar para o retrovisor, para escolher o candidato, nesta ferrenha e polarizada disputa no 2º turno das eleições presidenciais de 2014.

No poder de 1994/2002 a política neoliberal implementada pelo Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB deixou graves seqüelas. A economia era comandada pelo neoliberalismo. Seus gestores tentavam nos convencer que o mercado daria conta das grandes e graves questões nacionais. Quem não se lembra dos cortes nos gastos públicos em obediência irrestrita aos fundamentos do Fundo Monetário Internacional – FMI? Na redução dos subsídios e no aumento dos juros? Como diziam na época, tudo para atrair a confiança do capital financeiro, e assim com novos investimentos alavancar o crescimento econômico.

Basta um pouco de memória, ou mesmo consultar os jornais e revistas da época, para se lembrar do desemprego que dobrou nos 8 anos de FHC/Aécio, trazendo a fome e a miséria para a população. Os escândalos de corrupção, aas privatizações, o sucateamento dos serviços públicos, a inflação alta e o aparelhamento do Estado,

Para comentar apenas o que se passou em duas áreas, de meu maior envolvimento profissional, vejam bem o que aconteceu em relação à política energética e na educação superior. A política neoliberal adotada com relação à questão energética foi catastrófica. Neste período a energia elétrica, até então considerada um serviço essencial, foi transformada em mera mercadoria. Ocorreu a mercantilizarão deste que é um bem essencial na vida das pessoas, a energia. O desmantelamento e sucateamento do Ministério de Minas e Energia, responsável pelas diretrizes no setor energético brasileiro acabou levando ao racionamento de energia de 2001/2002. Neste setor também se dizia que o mercado resolveria tudo. E deu no que deu. O povo brasileiro jamais esqueceu.

Na área da educação superior outra grande catástrofe. Quem não se lembra do legado do ministro Paulo Renato, Ministro da Educação do governo FHC/Aécio? Durante oito anos nenhuma nova universidade federal foi criada. Nenhum concurso público para professores universitários foi realizado. Deixou um déficit de 7.000 professores. Mas se isto não fosse suficiente, vejam agora o que ocorre em São Paulo governado pelo partido político do senhor Aécio. As universidades paulistas mais bem classificadas no ranking mundial estão falidas. O governo do estado é responsável sim, pois é o governador quem indica os reitores. Muitas vezes indicando aqueles menos votados pela comunidades universitária.

Não voto em candidatos do Partido dos Trabalhadores para presidente da república, desde o primeiro mandato do presidente Lula, que ao assumir como primeiro ato, enviou ao Congresso Nacional a polêmica e mal vista, Reforma da Previdência, retirando direitos dos trabalhadores. Um total contra-senso, visto que inúmeras reformas estruturais, a meu ver, eram prioritárias. Foi emblemática esta ação que acabou sinalizando como seria o governo petista.

A desilusão foi grande, pois filiado ao PT naquela época, acreditava que com a ascensão ao poder central seria possível iniciar um processo de implantação de uma nova forma de fazer política em nosso país. Rompendo assim com tudo que estava arraigado de mais retrogrado e atrasado.

Mesmo nestes anos todos fazendo oposição as políticas e ações dos governos petistas, nesta hora decisiva para o Brasil não poderia me furtar de escolher entre um lado e outro. Pensei até em anular o voto. Mas ao analisar toda a historia recente, e estar convicto que depois do dia 26 de outubro estarei na oposição a esquerda daquele(a) eleito(a) para governar o país, declaro que votarei para presidente em Dilma 13.

Compartilhe Compartilhe

24 outubro 2014 FULEIRAGEM

BOOPO – TRIBUNA DE AMPARO

boopo

Compartilhe Compartilhe

24 outubro 2014 DEU NO JORNAL

A CULPA É DO PARTIDO DA IMPRENSA GOLPISTA

capa

Na última terça-feira, o doleiro Alberto Youssef entrou na sala de interrogatórios da Polícia Federal em Curitiba para prestar mais um depoimento em seu processo de delação premiada.

Como faz desde o dia 29 de setembro, sentou-se ao lado de seu advogado, pôs os braços sobre a mesa, olhou para a câmera posicionada à sua frente e se colocou à disposição das autoridades para contar tudo o que fez, viu e ouviu enquanto comandou um esquema de lavagem de dinheiro suspeito de movimentar 10 bilhões de reais.

A temporada na cadeia produziu mudanças profundas em Youssef. Encarcerado desde março, o doleiro está bem mais magro, tem o rosto pálido, o cabelo raspado e não cultiva mais a barba. O estado de espírito também é outro. Antes afeito às sombras e ao silêncio, Youssef mostra desassombro para denunciar, apontar e distribuir responsabilidades na camarilha que assaltou durante quase uma década os cofres da Petrobras.

Com a autoridade de quem atuava como o banco clandestino do esquema, ele adicionou novos personagens à trama criminosa, que agora atinge o topo da República.

Perguntado sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro foi taxativo:

- O Planalto sabia de tudo!

- Mas quem no Planalto?, perguntou o delegado.

- Lula e Dilma, respondeu o doleiro.

* * *

Petistas, zisquerdistas, lulistas e eleitores de Dilma fiquem tranquilos: o fubânico gunvernista Crédulo Sincero vai explicar tudinho e provar, com links, números e dados, que Youssef mentiu.

E mais: tendo mentido e acusado Lula e Dilma sem ter provas, vai perder todos os benefícios da delação premiadas e mofará na cadeia. Ele já foi alertado quando a isto. Mentiu porque deve ter muitos pecados na alma e quer pagar, conscientemente, no fundo do cárcere.

Agora tá provado: a culpa de tudo é da revista Veja, cuja capa está reproduzida aí em cima.

Isto não é liberdade de informação e de imprensa.

Isto é golpismo.

Divulgar e botar mentiras na capa é coisa de Partido da Imprensa Golpista.

Analisando direitinho, Lula não tem culpa, Dilma não tem culpa, Yousseff não tem culpa.

A culpa é da revista Veja.

Compartilhe Compartilhe

24 outubro 2014 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO

paixao

Compartilhe Compartilhe
É HOJE! – PARA OS LEITORES DO RECIFE – COLUNISTA FUBÂNICO LANÇA NOVO LIVRO

No dia 24 de outubro, sexta-feira, a partir do meio-dia, no Clube Alemão, Estrada do Encanamento, Recife, o escritor Zelito Nunes irá autografar o seu 9º livro, “No Sertão onde eu vivia”.CPP

Na obra, o autor reúne historias curiosas e engraçadas do universo do Cariri e Pajeú da Paraíba, com acontecências de sua vida e da vida alheia, sendo essa, segundo ele, a melhor parte da leitura.

O livro, que custará R$ 35,00, também inclui causos do médico Evilácio Feitosa, do jornalista Marcos Cirano e do compositor Xico Bizerra. A jornada de autógrafos seguirá por toda a tarde.

Paraibano da cidade de Monteiro, na região do Cariri paraibano, Zelito nasceu Joselito Nunes de Farias e mora no Recife desde 1969.

Ele é bacharel em Direito e professor do Ensino Médio, licenciado pela UFPE e funcionário público federal aposentado. Desde criança gosta de contar histórias, atraindo até hoje um crescente séquito de amigos que o rodeiam para ouvi-lo em locais como mercados, bodegas, feiras, além das caminhadas matinais pelo Parque da Jaqueira ou em qualquer lugar que se possa jogar conversa ao vento.

O autor Jessier Quirino definiu Zelito da seguinte maneira: “Mesmo vivendo na Capital, Zelito carrega na cabeça um telhado de casa da farinha, devidamente ponteado e um caçuá de histórias sertanejas mais originais do que o pecado de Adão”.

Para compor o quarto livro em referência ao Sertão, Zelito manteve a inspiração em José Lins do Rego e no poeta Manoel de Barros.

Zelito já publicou os livros “Folha de boldo: notícias de cachaceiros” (com Jessier Quirino), “Do outro lado do balcão: conversas de cachaceiros” (com Carlos Jatobá), “Cariri & Pajeú: gente engraçada de lá”, “Cariri & Pajeú: outras histórias de lá”, “Histórias de Beiradeiro”, “A cachaça e os gênios da garrafa” (com Carlos Jatobá), “Pinto Velho do Monteiro, um cantador sem parelha” e “Sertão de Beiradeiro – registro antes que acabe”.

Lançamento do livro No Sertão onde eu vivia – Zelito Nunes
Clube Alemão, Estrada do Encanamento, a partir das 12h

Compartilhe Compartilhe

24 outubro 2014 FULEIRAGEM

S. SALVADOR – ESTADO DE MINAS

AUTO_son

Compartilhe Compartilhe
O TRAPACEIRO

Dois rapazes cegos caminhavam juntos pelas ruas de uma cidade, cada qual com um cajado precário, recebido de alguma pessoa caridosa.

Pediam “uma esmola pelo amor de Deus, pra quem não vê a luz do dia”.

De repente, apareceu um forasteiro embriagado, montado num cavalo, e começou a insultá-los:

Chamou os dois de impostores e exploradores da caridade pública.

Assustados, os dois cegos pararam, tremendo de medo.

O homem não parou aí. Provocou os dois cegos, dizendo-lhes que iria lhes dar uma valiosa moeda de ouro. Fingiu, então, que estava entregando a moeda a um deles, dizendo:CGG2

- Está aqui esta moeda de ouro para os dois!

Os cegos responderam ao mesmo tempo:

- “Deus e Nossa Senhora vão lhe dar a recompensa pela caridade que está fazendo! O senhor é muito generoso! – Responderam ao mesmo tempo, os dois acreditando que o colega houvesse recebido a generosa esmola.

Emocionados, os dois cegos combinaram que iriam trocar a moeda de ouro, almoçando e bebendo em algum restaurante. Almoçar, para eles, seria a realização de um sonho, pois só se alimentavam das migalhas que recebiam das pessoas caridosas da cidade.

A fome em que viviam mergulhados já se tornara crônica. Mas, finalmente, com a moeda de ouro, supostamente recebida, pelo menos naquele dia, os dois saciariam essa fome.

Caminharam, então, para um restaurante simples da cidade, temendo, entretanto, serem confundidos com ladrões, em virtude dos trapos que vestiam.

O dono os atalhou na porta, já com uma esmola na mão. Mas eles a recusaram, dizendo que tinham recebido uma moeda muito valiosa, que daria para pagar o almoço e ainda sobraria um bom troco.

Ouvindo isso, o dono do restaurante mandou que ocupassem uma mesa e foi providenciar a refeição dos dois.

De longe, montado no seu cavalo, o forasteiro acompanhou os dois cegos, até o restaurante. Apeou-se e também ocupou uma mesa para beber e almoçar. Queria “assistir de camarote” o que iria acontecer com os cegos, na hora que viesse a conta. Sabia que os dois estavam certos de que tinham recebido a valiosa esmola.

O homem não parava de rir, antegozando o desfecho daquela história.

O dono do restaurante, confiando no dinheiro que os cegos diziam ter, serviu-lhes a melhor comida, acompanhada do melhor vinho de mesa. Chegou a refletir que, às vezes, um pobre é muito mais honesto do que certos ricos.

Na hora de pagar a despesa, um dos cegos falou para o companheiro:

- Você que está com a moeda de ouro, pode pagar a conta.

O amigo protestou e disse que ele mesmo não tinha recebido qualquer moeda.

Surgiu uma grande discussão entre os dois cegos e o dono do restaurante interveio irritado:

- Se vocês não pagarem essa conta, seus vagabundos, vocês vão ser açoitados e depois encarcerados em um calabouço!

O forasteiro, fingindo não saber o motivo da confusão, perguntou ao dono do restaurante o que estava acontecendo. O homem respondeu:

- Esses vagabundos comeram e beberam à vontade, e agora não tem dinheiro para pagar a conta. Chegaram aqui dizendo que tinham recebido de um homem generoso uma valiosa moeda de ouro, que daria para pagar o que comessem e ainda lhes caberia um bom troco. Agora, na hora de pagarem a conta, a tal moeda não existe.

O forasteiro, para acabar com a discussão, tranquilizou o dono do restaurante:

- Pois se o motivo da confusão é esse, eu autorizo o senhor a acrescentar à minha conta as despesas que os dois cegos aqui fizeram.

O dono do restaurante, diante das palavras do cliente, largou o braço de um dos cegos, a quem já estava prestes a açoitar.

Aliviados, e sem entender quem tinha pago as suas despesas, os dois cegos saíram do restaurante humilhados e desconfiando um do outro.

Nesse ínterim, o sino da Igreja começou a repicar, chamando o povo para a Missa do domingo. O forasteiro, então, disse ao dono do restaurante que estava na hora da Missa e o convidou para ir com ele à Igreja. Disse-lhe, também, que o padre iria lhe entregar um troco da ajuda que ele sempre dava à Igreja, e esse dinheiro seria exatamente o valor do pagamento das despesas feitas no restaurante, por ele e pelos dois cegos.

Meio desconfiado, o dono do restaurante acompanhou o forasteiro à Igreja e os dois sentaram-se juntos. Antes de começar a Missa, o forasteiro foi até à sacristia e entregou uma oferta ao padre. Ao mesmo tempo, pediu-lhe que, depois da Missa, fizesse uma caridade ao homem que estava sentado ao seu lado, pois há dias ele vinha sendo vítima de obsessão espiritual, delirando e dizendo heresias.

O Padre, então, logo se aproximou do dono do restaurante, e lhe disse que, depois da Missa, viria falar com ele.

A Missa começou e, em seguida, o forasteiro disse ao seu credor que não poderia ficar até o final, mas que ele ficasse ali aguardando. O padre iria lhe entregar quinze moedas, sendo cinco da sua despesa e dez da despesa dos dois cegos.

A Missa terminou e o padre pediu aos fiéis que permanecessem sentados. Queria que eles o acompanhassem nas orações que iria fazer, para livrar um pobre homem da obsessão que o dominava há vários dias.

Atônito, o dono do restaurante viu o padre se aproximar dele, com um crucifixo numa mão e um vidro de água benta na outra, iniciando um ritual para tirar “sua obsessão”. O padre lhe encostou o crucifixo na cabeça, e jogou-lhe muita água benta, fazendo movimentos em cruz por diversas vezes, e proferindo orações fortes, para que o espírito do mal se afastasse.

Ninguém entendia as palavras do dono do restaurante que, aos gritos, repetia que queria, apenas, o dinheiro que o padre iria lhe entregar.

Os protestos do homem não surtiram qualquer efeito. Vendo-se perdido, preferiu se acalmar e não dizer mais nada. Os fiéis acreditaram, então, que o crucifixo, as orações e a água-benta tiveram o poder de afastar o espírito do mal daquele corpo sofrido.

O padre, satisfeito com o resultado do seu trabalho de “cura de obsessão”, mandou que o dono do restaurante seguisse em paz.

O trapaceiro nunca mais foi visto na cidade.

Compartilhe Compartilhe

24 outubro 2014 FULEIRAGEM

CASSO – DIÁRIO DO PARÁ

casso

Compartilhe Compartilhe
HISTÓRIA DE NICOLAU I

Rei do Paraguai e Imperador dos Mamelucos

E o Paraguai alguma vez teve rei? Com a independência das colônias americanas, apenas o Brasil optou por um Imperador. O México teve um Imperador de julho de 1822-março de 1823; posteriormente foi imposto ao México, pela França, o ingênuo Imperador Maximiliano, que imperou de 1864-1867, quando foi executado pela resistência mexicana. Como, então, se fala de um Rei do Paraguai?NICOLAU

O livro que conta a história de Nicolau I foi publicado anonimamente, em francês, provavelmente na Holanda, em 1756. O livro foi escrito num estilo tão vivo e realista que muitos europeus acreditaram que Nicolau I, realmente, era Rei do Paraguai, e fora proclamado Imperador dos Mamelucos, instalando-se em São Paulo. Até Voltaire se manifestou duas vezes sobre o Rei Nicolau, mas, já em sua segunda carta, está convencido de que a história era fictícia. Também L.A. Muratori faz menção ao Rei Nicolau em uma das edições de seu livro sobre “O Cristianismo Feliz”, publicado na Itália em 1754.

No séc. XVIII, pelos relatos sobre as missões jesuíticas entre os índios Guaranis na Província do Paraguai, e especialmente com o Tratado de Madrid em 1752, que resultou na guerra guaranítica, e, depois, na expulsão dos missionários jesuítas, o Paraguai se tornou um referencial obrigatório entre os intelectuais europeus. Espalharam-se, então, escritos sobre estes acontecimentos por toda a Europa. Como nas colônias espanholas e portuguesas era proibido publicar livros, e os livros, publicados em Portugal e Espanha, deviam passar pelas diversas censuras do Paço e da Igreja, muitas destas obras foram publicadas na Holanda, onde havia liberdade. Muitos destes livros eram anônimos, e o lugar de sua publicação fictício. Assim, a história do Rei Nicolau foi escrita em francês, com indicação de sua publicação em “Saint Paul”.

O Autor do livro “Histoire de Nicolas I Roy du Paraguai et Empereur des Mamelus (1756)”, projeta sobre o Rei Nicolau I as mazelas dos políticos da época, relacionando com ele muitos dos problemas do séc. XVIII. No início do livro, o Autor adverte de que tudo que vai narrar é verdadeiro. O livro se tornou best seller na Europa, tendo muitos acreditado na veracidade da narração, embora fosse uma fábula.

Segundo a narração, Nicolau I nasceu em Taratos, uma aldeia da Andaluzia, em 1710. Recebeu o nome de Nicolau Roubiouni. Seu pai era um velho militar, que falava muito sobre as campanhas em que participara, e pouco se importava com a educação de seu filho. Desde cedo, o menino manifestava as mais perversas e corrompidas inclinações. Aos dezoito anos, por causa da tentativa de um assassinato, foi obrigado a fugir de sua terra natal. Nesta fuga, levou da casa paterna duas armas e uma preciosa bolsa, que pertencia à sua mãe.

Roubiouni refugiou-se em Sevilha, onde vendeu as armas e a bolsa. Em pouco tempo viu-se sem recursos. Frequentava os Jogos Públicos e as Igrejas. Nos Jogos conseguiu alguns recursos, e nas igrejas mostrava-se hipocritamente religioso. Assim conseguiu sobreviver durante quatro anos. Com sua religiosidade hipócrita impressionou uma devota senhora, que se afeiçoou a ele e o sustentava. Entretanto Roubiouni assumira o nome de Medelino. Esta devota senhora o recomendou a uma viúva rica e caridosa, que o abrigou até 1733. Mas, então, sua farsa foi descoberta e ele teve que fugir de Sevilha.

Esperou ser alistado no exército, o que não deu certo. Entretanto encontrou emprego como condutor de mulas, que transportavam mercadorias. Era bom conversador para enganar comerciantes. Em uma discussão com colega, cometeu um assassinato, mas continuou a conduzir mulas. Após outras falcatruas, inclusive aconselhando as pessoas a não mais pagarem os impostos ao rei, foi dispensado de seu emprego. Mudou-se então para Málaga, misturando-se ali aos estrangeiros, usando um nome falso. Desta forma, viveu em Málaga durante 10 anos. Em 1743, cheio de malandragens, resolveu mudar de vida, e começou a frequentar igrejas. Mas em Málaga era demasiadamente conhecido para alguém acreditar nele. Por isto, resolveu mudar-se para Saragossa, onde os jesuítas tinham uma bela casa. Apresentou-se aos jesuítas para entrar na Ordem. Enviaram-no ao Noviciado, e foi aceito como irmão.

Uma vez jesuíta, foi destinado a um grande Colégio, e encarregado de fazer as compras de mantimentos. Com esta função, tinha acesso a bastante dinheiro para viajar pelas aldeias e comprar o que os residentes do colégio necessitavam para sua alimentação. Inclusive, por causa das viagens , necessitava, às vezes, permanecer fora de casa por alguns dias. Em uma aldeia, mais ou menos distante, desconhecido, encantou-se com uma jovem, com a qual casou. Depois de casado, à vista de todos, permanecia algumas noites na casa da esposa, antes de voltar para sua comunidade jesuítica. Vivia, assim, uma vida dupla. Mas, depois de algum tempo, os padres começaram a desconfiar das ausências do irmão, e o transferiram a outro colégio distante. Assim não mais podia visitar sua “esposa”. Nesta nova comunidade provocou algumas confusões.

Entretanto, a sogra, como durante meses Roubiouni não aparecera mais, começou a procurá-lo, e espalhou, por toda região, a descrição do desaparecido genro. Roubiouni, então, apavorado e com medo de ser encontrado, se juntou a um grupo de missionários a caminho de Buenos Aires. Uma vez chegado a esta cidade, ele ouviu os rumores de um certo Tratado entre Madrid e Lisboa, pelo qual o Rei Católico havia negociado a troca de terras dos índios com Portugal. E os índios estavam-se revoltando contra este Tratado. Roubiouni se juntou aos índios, incentivando-os a resistirem. Conseguiu a confiança dos índios da “Ilha de São Miguel”. Em pouco tempo os índios o proclamaram seu Rei, com o nome de NICOLAU I, Rei do Paraguai. Nicolau arregimentou os índios revoltados e furiosos. Expulsou os jesuítas de São Miguel, e começou a matar, sequestrar, roubar e assassinar quem não se juntasse aos seus bandos.

Com o extraordinário sucesso de Nicolau, os índios confiaram que, finalmente, se conseguiriam libertar da dominação dos europeus. Nicolau mandou cunhar alguns medalhões. Um destes medalhões representava uma batalha sangrenta, com a inscrição “A vingança pertence a Deus, e àqueles que Ele envia”.

Com muito zelo, que somente os ideais religiosos conseguem sustentar, propôs-se a conquistar para Jesus Cristo o Uruguai, onde já não havia mais nenhum adorador do verdadeiro Deus. Resolveu conquistar as missões dos jesuítas, onde havia suprimentos. Conseguiu reunir um exército de 5.000 soldados. Muitos vinham se alistar neste vitorioso exército, sob o comando de Nicolau. Mas este exército agia com incrível crueldade. Como o reino exigia cada vez mais dedicação, Nicolau entregou o comando de suas tropas a um espanhol, chamado Mário, que conseguiu disciplinar cada vez mais estas tropas bárbaras. Assim a fama do Rei Nicolau se espalhava cada vez mais, e seu reino crescia incrivelmente. Até os mamelucos de São Paulo se entusiasmaram com os sucessos de Nicolau. Resolveram visitá-lo e convidá-lo para ser seu Imperador.

O Rei Nicolau se desloca então para São Paulo, que, segundo o Autor da História deste Rei, era habitado pelo rebotalho da humanidade. Segundo o Autor, a vila de São Paulo começou como começou Roma, com o sequestro de mulheres indígenas, com escravidão e assassinato dos índios. Europeus criminosos de todos os tipos moravam em São Paulo. Estes bandidos forçaram as índias a terem filhos com eles. Assim começou São Paulo. Os mamelucos, que convidaram Nicolau para ser seu Imperador, são os descendentes destes bandidos e destas índias bárbaras sequestradas.

Depois de pouco tempo em São Paulo, o Rei Nicolau mandou preparar uma grande festa, para se deixar coroar Imperador dos Mamelucos na catedral de São Paulo. Como Imperador, praticava as mesmas crueldades dos seus súditos.

Quando o Autor termina seu livro, o Rei Nicolau I, Rei do Paraguai e Imperador dos Mamelucos, ainda governava. Espera novas notícias para continuar a história deste Rei, ainda não finalizada. Mas, como já avisara no início do livro, o seu objetivo, ao escreevê-lo, também era: mostrar à humanidade que os grandes criminosos são, até os nossos dias, homens geniais, e que muitos dos que foram executados poderiam ser colocados no Templo da Imortalidade, ao lado dos heróis amigos da humanidade e da Pátria, caso a virtude tivesse tido o mesmo poder em seus corações como o crime. Ainda diz o Autor: quantos audaciosos, cujos nomes hoje fazem tremer o bom cidadão, seriam modelos de coragem e fidelidade se, inspirados pelo patriotismo, não tivessem ultrapassado os limites do rigoroso dever.

O livro ainda ensina que criminosos, que deveriam estar na cadeira, ainda hoje, se travestem, muitas vezes, em religiosos e políticos. Têm sucesso na vida, reúnem fiéis discípulos, mas não passam de salafrários.

Compartilhe Compartilhe

24 outubro 2014 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA

pater

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 A PALAVRA DO EDITOR

PARCIALIDADE DA PORRA

Tanto a pesquisa do Ibope quanto a da Datafolha, ambas divulgadas hoje, foram encomendadas, e pagas, pela Rede Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo.

Assim que os números foram ao ar, tanto o jornal Folha de S.Paulo quanto o jornal O Globo, em suas páginas internéticas, divulgaram a vantagem de Dilma sobre Aécio em manchetes com grande destaque.

Isto deve ser, com toda certeza, o que o colunista fubânico Luciano Siqueira, eleitor de Dilma, em texto publicado hoje no JBF, chamou de “parcialidade explícita da grande mídia”.

Como Luciano Siqueira, destacado membro do PCdoB, é aliado do PT e eleitor de Dilma, a gente pode concluir, sem sombra de dúvidas, que a parcialidade explícita da grande mídia é em favor de Dilma.

Logo, consequentemente, a Folha e o Globo são progressistas, esquerdistas e simpatizantes/defensores do gunverno petista.

Por favor, se eu estiver errado, vocês me corrijam.

Ou, melhor ainda, que Explicador do Inexplicável poste um comentário provando, com links, dados e números, que a parcialidade da Folha e do Globo, citada por Luciano Siqueira, é em favor de Aécio Neves.

Vamos aguardar.

folha

o globo

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 FULEIRAGEM

MÁRIO – A TRIBUNA DE MINAS

mario

Compartilhe Compartilhe
ADAIL AUGUSTO AGOSTINI – ALEGRETE-RS

Sr. Editor:

É tragicômica a notícia abaixo:

“A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda de um lote de açúcar cristal da marca Nevada porque testes encontraram excremento e pelo de roedor “acima do limite de tolerância estabelecido”. A medida foi publicada por meio de resolução no “Diário Oficial” da União desta quarta-feira (22).” (Leia na íntegra clicando aqui)

Note-se o detalhe:RTS

encontraram EXCREMENTO E PELO DE ROEDOR “ACIMA DO LIMITE DE TOLERÂNCIA ESTABELECIDO”.

CRUZ CREDO!!!!

Quer dizer que a ANVISA tem LIMITE DE TOLERÂNCIA ESTABELECIDO para MERDA E PELO DE RATO nos ALIMENTOS??? MAS ONDE É QUE ESTAMOS???

Vou ter que pesquisar as normas da ANVISA para descobrir que porcarias mais – e em que limites (sic) – são toleradas nos alimentos.

Estou me preparando, para vomitar, com o quê vou descobrir.

E viva a Banânia!!!!

Abraços.

R. Caro leitor, não vejo motivos pra vossa indignação com os limites de tolerância da Anvisa.

Nas atuais circunstâncias em que se acha eztepaiz, ratos são tolerados e até mesmo louvados e declarados “heróis do povo brasileiro”. Imagine a merda do rato, então. Esta é que é tolerada mesmo.

Se existe limite pra tolerância de corrupção na Petrobras, que na verdade é um limite ilimitado, eu não vejo motivos pra você ficar surpreso com limites pra tolerar bosta de guabiru nos alimentos que são legalmente vendidos e por nós consumidos.

E olhe que na tolerância do Petrolão, a prisi-Anta de Banânia declarou que batalhará pra ressarcir o que foi roubado. Repito, de novo, outra vez, novamente, peço bis e insisto: estas palavras saíram da boca da prisid-Anta Dilma. Ela disse – e está gravado e documentado -, que vai se empenhar pra devolver o que foi roubado da Petrobras.

Agora, de onde vai sair o dinheiro a ser devolvido, é outra conversa.

Vamos aguardar que a Casa Civil baixe um decreto estabelecendo os limites de tolerância pra gente suportar esta declaração fantástica de Dilma. Esta declaração autenticamente socialista muderna e inegavelmente banânica.

E, já que estamos falando em ratos, vamos fechar a postagem com um vídeo protagonizado pelos roedores:

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 FULEIRAGEM

FRANK – A NOTÍCIA

AUTO_frank

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 A PALAVRA DO EDITOR

A MANCHETE DA TARDE

Que beleza!

Tudo indica que este Editor e as páginas policiais não ficaremos sem assunto nos próximos quatro anos.

Nosso ganha-pão – o meu e o dos guabirus -, tá garantido!

É pena que tem gente que não acredita no que a “grande mídia” e o PIG publicam.

Pois eu acredito piamente.

Vejam o que eles, grande mídia e PIG, acabaram de publicar e que está na ilustração abaixo. Está em todos os grandes jornais, revistas e páginas internéticas, de norte a sul, de leste a oeste. Na Veja, na Folha, no Diário do Pará, na IstoÉ, no Globo, no Estadão, na Época, no Diário de Pernambuco, no Zero Hora e na Folha de Cuiabá. Todos acabaram de publicar que Dilma está na frente de Aécio. Em manchete e em letras garrafais.

Isto deve ser, com toda certeza, o que o colunista fubânico Luciano Siqueira, eleitor de Dilma, em texto publicado hoje no JBF, chamou de “parcialidade explícita da grande mídia

pqi

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 FULEIRAGEM

CAZO – COMÉRCIO DO JAHU

cazo

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 A PALAVRA DO EDITOR

BOLSA ESCROTAL SEM FUNDO

Tem uma postagem na minha seção, A Palavra do Editor, que já ultrapassou uma centena de comentários. Confira clicando aqui.

Vendo a paciência, a pachorra, o saco de filó dos comentaristas que estão debatendo com Citador de Dados – tentando sem sucesso mostrar o óbvio pra quem só enxerga a irrealidade e acredita no Saci Pererê -, eu me lembrei de uma charge que foi enviada por um leitor e que retrata com perfeição a inútil batalha que se desenrola lá na postagem.

A batalha da Razão x Irracionalidade. Luz x Trevas. Enxergamento x Cegueira.

É esta charge aqui:

nst

* * *

JJTT

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

amorim2

Compartilhe Compartilhe

http://www.neumanne.com/
COMENTÁRIOS PARA A RÁDIO JOVEM PAN

lulaehitler

TSE se preocupou tardiamente com baixaria e não inclui nela bravatas de Lula que compara Aécio com Hitler, esquecendo-se de que disse à Playboy em 1979 que Hitler era a personalidade do século 20 que ele mais admirava.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

pq

Por ter encenado uma falsa tentativa de suborno e vazado para a TV Globo no inquérito do caso Satiagraha, o policial e deputado Protógenes Queiroz foi condenado pelo STF e agora não é mais delegado da Polícia Federal.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 FULEIRAGEM

M. AURÉLIO – ZERO HORA

AUTO_marcoaur

Compartilhe Compartilhe

SONHO DE VALSA E OURO BRANCO

Eu a conheci exatamente faltando 15 dias para Lívia nascer.

Precisava de alguém que ficasse comigo todos os dias, cuidando de tudo para eu lamber a cria.

Éramos de poucas palavras, como são as pessoas que não se conhecem e estão com os dois pés atrás.

Mas notei logo de cara que seria pra sempre.

Quando cheguei com a Lívia da maternidade, me lembro como se fosse agora: eu entrei com aquela sacolinha de gente embrulhadinha nos panos e mantas em pleno mês de março, e fui andando devagar, apresentando a ela seu novo lar.OOBB

O nosso lar tinha mais uma pessoa e agora éramos uma família.

Ninguém se atreveu a pedir para pega-la, afinal, era meu troféu, a maior vitória da minha existência.

A casa cheia de parentes e amigos, todos compartilharam comigo da minha luta , de modo que todos também se sentiram vitoriosos com a chegada dela.

No meio de tantos sorrisos, eu vi ela ali, no cantinho, olhos brilhando, admirando tudo de longe, como se não fizesse parte daquela história de tristeza, luta e vitória.

Olhei pra ela e disse:

- Pega .

- Quem? Eu????

- Sim, você. Ela também vai ser sua. Você vai vê-la crescer e vai aprender a ama-la, assim como ela vai te amar pra sempre.

Ela pegou-a dos meus braços com todo cuidado. Só olhava e ria. Se havia emoção, essa foi contida naquele momento. E tudo aconteceu como eu previ naquele momento .

Tanta coisa aconteceu, e nossa amizade permaneceu inabalável. Fui embora, ela ficou.

Quando comemorei meus 40 anos, chamei só minha família e os que eram amados para comemorar comigo.

E ela estava lá, é óbvio.

E em algum momento do final de semana, assim, do nada, ela olhou pra mim e disse:

- “Aquele dia, em que você chegou com a Lívia e me entregou ela nos braços, foi um dos momentos mais felizes da minha vida.”

E chorou. E choramos.

Alí foi que eu vi como somos responsáveis pelos nossos atos. E como, tantas vezes afetamos positiva ou negativamente as pessoas sem sequer nos darmos conta disso.

Semana passada, postaram uma foto minha, num lugar que frequento quando estou na minha cidade natal. Ela viu e apareceu .

- “Eu vi no face que você estava aqui e vim te ver.”

- Marcela!

A minha Marcela foi lá pra me ver e além de dançarmos e matarmos a saudade, ainda demos conta de aprontarmos algumas artes.

Pra mim, nada simboliza mais a amizade do que o tempo, que supera até mesmo a distância.

E nada simboliza mais o amor, do que a verdadeira amizade, que é pra sempre. Não se esgota nunca.

Amo você, Marcela Tibúrcio, mais que meu braço direito, mais que segunda mãe da Lívia, mais que tudo: minha irmã!

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 FULEIRAGEM

NÉO CORREIA – CHARGE ONLINE

Pesquisa

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 DEU NO JORNAL

AGUARDO CONTATO

Dos R$ 12,7 milhões pagos pelo governo Dilma Rousseff a institutos de pesquisa, R$ 11 milhões foram destinados somente a empresas do grupo Ibope. E sempre sem licitação.Tba

O Ibope embolsou R$ 5,2 milhões, por exemplo, somente nos últimos três anos e dez meses, para confirmar o que todo mundo já sabe, principalmente no governo: não sai do “traço” a audiência da TV Brasil, a “tevê do Lula”.

A TV Brasil é mantida pela estatal Empresa Brasil de Comunicação, criada no governo Lula. Os pagamentos do governo Dilma a institutos de pesquisa saíram da verba publicitária da Secretaria de Comunicação da Presidência.

Em 2013 o Ibope recebeu do governo federal mais de R$ 1 milhão para aferir a audiência da TV Lula.

Outros institutos, como Datafolha e MDA, ganharam um bom dinheiro no governo Dilma, mas quase dez vezes menos que o Ibope.

* * *

Quero avisar à prisid-Anta Dilma e à Secretaria de Comunicações da Presidência que o Data-Besta está às ordens. Do mesmo jeito que o Ibope, o Data-Besta também dispensa licitação e burocracia. E o pagamento não precisa ser oficialmente contabilizado. Recebemos em espécie, via malote entregue na portaria do edifício onde mora este Editor.

O nosso instituto de pesquisas apresenta qualquer resultado que o gunverno mandar divulgar. Com os números que Franklin Martins nos remeter, a gente publica.

E com um detalhe importante: pela metade do preço que o Ibope cobra de vocês. Dependendo da negociação, até mesmo por um terço.

Aguardo retorno.

data2

“Vejam esta pequisa do Data-Besta, publicada no JBF: estou com 398% dos votos válidos no segundo turno!”

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 FULEIRAGEM

ZOP – CHARGE ONLINE

zop

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 DEU NO JORNAL

INSTITUTO PARANAUÊ MOSTRA DILMA COM 254% DOS VOTOS VÁLIDOS

The i-Piauí Herald

psqq

Em tom solene, Dilma comemorou a proliferação das pesquisas eleitorais em seu governo

Pesquisa divulgada hoje pelo Instituto Paranauê mostra que Dilma venceria as eleições com mais de 100% dos votos válidos. “Somando os apoios internacionais que a candidata à reeleição recebeu do eleitorado cubano, norte-coreano, venezuelano e hollywoodiano, ultrapassaríamos em 154% o tamanho do colégio eleitoral brasileiro”, explicou Pablo Capilé, diretor-adjunto do instituto.

Após explicar que a pesquisa foi feita através de uma inovadora técnica que envolve cubos cards estilizados sem qualquer monetização, Capilé salientou: “Com isso, a candidata estaria reeleita com 254% dos votos, caso as eleições fossem hoje”. Tirando um lápis da orelha esquerda, fez algumas contas e prosseguiu: “A probabilidade das eleições serem hoje é de 43%, com margem de erro de 2% para mais ou para menos”, concluiu.

No final da tarde, o Datafolha divulgou novos índices da corrida presidencial. Segundo o estudo, encomendado pelo Departamento de Linguística da USP, mais de 71% das frases de Dilma não fazem sentido. “A margem de erro, nesse caso, é incompreensível”, elucidou o diretor Mauro Paulino.

Depois de receber o apoio chiquérrimo de Lindsay Lohan e Naomi Campbell, Aécio Neves obteve ontem a adesão de Arnold Schwarzenegger: “Ele é o exterminador do futuro”, disse o ex-governador da Califórnia.

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 FULEIRAGEM

J. BOSCO – O LIBERAL

AUTO_jbosco

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 DEU NO JORNAL

TEM PERIGO?

Na reta final da campanha, vale tudo para tirar votos dos adversários.

Agora há pouco, começou a ser distribuído em Ipanema, Zona Sul do Rio de Janeiro, um jornal com a manchete “Aécio é contra o Rio”.

O panfleto, apócrifo, chama o tucano de “inimigo do povo”.

aecioinimigo

* * *

Esta notícia é fresquinha, foi publicada na manhã desta quinta-feira.

Me lembrei de Jurandir, o Equino, meu secretário, meu xeleléu e que lavava minha Belina.

Sempre que vinha pegar a chave do carro, invariavelmente ele me perguntava:

– Meu chefe, tem perigo de melhorar?

Transfiro a dúvida pra vocês e pergunto:

– Tem perigo de mudar?

Compartilhe Compartilhe

23 outubro 2014 FULEIRAGEM

MÁRIO – A TRIBUNA DE MINAS

mario

Compartilhe Compartilhe
ALTO NÍVEL DO DEBATE POLÍTICO NACIONÁ

Cada candidato dirige um desaforo ao adversário com direito a uma réplica de dois segundos:

- …Saiba Vossa Excelência que na minha cabeça ninguém caga.

- Pois fique sabendo que comigo a parada é dobrada, escreveu não leu o pau comeu.

- Comigo não tem pescoço, tudo é gógó.

- Comigo ninguém tira leite com espuma.

- Pois vamos emendar as camisas pra ver a tapa voar?

- Eu emendo sim as camisas, pois quando me abufelo madeira sobe de preço.

- Pois fique sabendo que eu sou uma pessoa que nunca morreu e não tem inveja de quem morre.

- E eu sou uma pessoa que nunca morreu e nem tem inveja de quem Deus já matou.

- Pois pise no meu pé e diga quantos murros quer.

- Pise no meu e veja quem se fodeu.

- Retire essa palavra do debate.

- Minha palavra é feito peido, não tem retorno; pronto.

Compartilhe Compartilhe

© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa