ANA MARIA MIRANDA – BRASÍLIA-DF

Senhor Papa:

A política de cotas só demonstra o desprestígio do mérito no ensino.

As já limitadas vagas das universidades públicas, únicas cujos cursos detêm alguma qualidade de nível internacional, servirão agora ao propósito demagógico de reduzir as desigualdades sociais.

Em vez de aumentar o número de vagas desse ensino qualificado, cobrando dos que podem pagar, caminhamos no sentido inverso, diminuímos as vagas destinadas aos melhores.

R. A propósito de sua mensagem, vale a pena repetir uma charge que foi publicada aqui no JBF sábado passado:

ctpr.jpg

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.