3 março 2009TORANDO OS PONTOS



Terminou há pouco, na Câmara, o prometido discurso do deputado Sílvio Costa (PMN-PE) contra o senador Jarbas Vasconcelos. Entre ofensas ao parlamentar – chamou-o de farsante, parasita e frouxo – o deputado propôs, no final da fala, protagonizar uma “novela da ética” com Jarbas, de forma que os capítulos fossem trocas de denúncias e explicações.

Disse ter mais de 20 itens com documentos “para ele [Jarbas] explicar”. Na tribuna, Sílvio Costa focou o discurso em dois casos específicos, a suposta aposentadoria irregular do senador e denúncia de que ele teria recebido “toco” (nas palavras de Sílvio Costa) da construtora pernambucana Queiroz Galvão.

“Qual a moral que um parasita do poder tem para criticar o Bolsa Família?”, questionou Costa. “Jarbas disse que a corrupção começou em 94. Quero corrigir um lapso de memória do senador. [A corrupção] começou em 93 e foi com ele. A primeira CPI do Caixa Dois foi em Pernambuco”, disse, promovendo logo em seguida a leitura de manchetes de jornais da época que trataram do caso Queiroz Galvão.

* * *

Por mais que repetisse diversas vezes que não tinha “nada pessoal” contra o senador Jarbas Vasconcelos, o deputado Sílvio Costa (PMN) não poupou adjetivos ácidos para tratar do conterrâneo.

Um dos momentos do discurso desta tarde, Costa mostrou uma fita, mas não comentou o conteúdo. Limitou-se à ameaça: “é só para mostrar o quanto ele é oportunista”.

“Ele é frouxo, se tivesse coragem teria dito os políticos corruptos. (…) Quero ajudar o Brasil a identificar mais um farsante”, disparou. “O senador tem que entender que não é nenhum timoneiro da moralidade, nenhum paladino da ética”, em outras referências nada amigáveis.

* * *

Tá arretado!!!

Eu quero que arroche até torar os pontos. Arroche até ficar roxo!!!

Esta cachorrada é ótima pra cidadania e eu espero sinceramente que a briga aumente de intensidade e que a fedentina da corrupção venham à tona.

Até pra arranjar sarna pra ele mesmo se coçar, a entrevista de Jarbas Vanconcelos serviu. Já dizia meu finado pai: “Quem não pode com o pote, não segura na rodilha”.

Tem certas caçadas às bruxas que são positivas e benéficas. Esta, por exemplo, é uma delas. Vamos fulanizar e dar nomes aos bois. E aos ratos também, claro.

Evidentemente que a turminha de deficientes visuais, velha conhecida nossa, só vai enxergar de um lado. Pros zisquerdinhas só terão fé de ofício as denúncias que passarem antes pelo filtro ideológico deles.

Mas fiquem tranquilos os leitores do JBF.

Aqui vocês tomarão conhecimento das duas margens do esgoto.

Sendo corrupto, pode ser da extrema esquerda ou da extrema direita: não existe piedade pra ladrão do dinheiro público nesta gazeta da bixiga lixa.

Nem pra acoitador de ladrões, como vocês já sabem…

6 Comentários

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa