MARCOS MAIRTON – MOSSORÓ-RN

Prezado Papa,

Neste centenário de Patativa do Assaré, envio-lhe o texto “Secretária Eletrônica”, extraído do meu livro “Uma sentença, uma aventura e uma vergonha (e outras poesias de cordel)”, para compartilhar com os leitores do JBF.

SECRETÁRIA ELETRÔNICA

Um dia comprei uma secretária eletrônica, e logo veio a idéia de deixar a mensagem em versos. Comecei com o próprio número do telefone e fui distribuindo a mensagem pelos dez versos de sete sílabas, como até hoje gosto de fazer. E a mensagem ficou assim:

Você ligou dois, dois, nove,
Nove, oito, zero, sete.
Como não posso atender
Deixo esta fita cassete
Para gravar o seu nome
E também seu telefone
Nesse meio digital
Por favor dê seu recado
Falando bem compassado
Logo depois do sinal.

Só que, desde o dia em que gravei a mensagem, fiquei imaginando o que aconteceria se Patativa do Assaré me telefonasse e se deparasse com aquela gravação.

É claro que isso era mera fantasia, pois, embora ainda fosse vivo naquela época, Patativa não me conhecia, nem teria qualquer motivo para ligar para minha casa. Talvez nem gostasse de telefonar.

Mas, de tanto pensar no telefonema de Patativa, acabei imaginando sua resposta:

Amigo a sua mensagem
Ficou muito interessante
Deu vida à máquina fria
Fez dela um ser palpitante.
Vou lhe dizer o meu nome
E logo o meu telefone
Você vai saber qual é.
Falando bem compassado
Como foi recomendado
Patativa do Assaré.

5 março 2009 A PALAVRA DO EDITOR

DUAS COISAS

1 – Na charge que está publicada logo abaixo desta minha nota, existem três figuras no saco de farinha: Fernando Collor, Renan e Zé Sarney. Mas bem que caberia ali uma quarta figura. Algum leitor tem sugestão?

2 – Complementando um comentário que fiz numa mensagem do Bispo Hardy, a propósito da eleição de Fernando Collor para a Presidência da poderosíssima Comissão de Infraestrutura do Senado, derrotando a senadora petralha Ideli Salvatti, ofereço aos bem informados leitores do JBF este texto do jornalista Jânio de Freitas, intitulado “As Faces da Degradação“:

A eleição de Fernando Collor para presidir a Comissão de Infraestrutura do Senado e o artifício de Renan Calheiros que fez esta vitória formam um fato muito positivo, em duas direções.

Para a maioria que precisa de grandes aberrações para dar-se conta da realidade – arrastões em praia, invasões urbanas do PCC e outros, para admitir o nível de criminalidade -, a vitória de Collor/Renan vem demonstrar que a degradação de Senado e Câmara não é exagero dos críticos: nela germina uma ameaça nebulosa de acontecimentos, não necessariamente de origem militar, impróprios para o regime democrático.

Seja como for, que a crescente degradação não levará a bom resultado, não levará mesmo.

De outra parte, a vitória de Collor, no voto, contra a petista Ideli Salvatti, comprova e castiga o fisiologismo barato a que o PT se entregou, no servilismo sem limite ao governo e à “base governista”.

Quando se iniciaram as revelações sobre alguns métodos de Renan Calheiros, como o pagamento da pensão de sua filha pelo lobista de uma empreiteira, o PT alinhou-se logo ao PMDB na defesa do então presidente do Senado e em acusações ao trabalho jornalístico.

À frente dessa infantaria petista, a senadora Ideli Salvatti, autora, já no início da Comissão de Ética, da exaltada proposta de sustar ali mesmo qualquer propósito investigatório.

Renan Calheiros retribuiu a solidariedade de Ideli Salvatti, e do PT, a seus feitos, articulando agora as espertezas que a derrotaram.

Ideli Salvatti, o PT e Renan Calheiros continuam aliados.

CLÁUDIO ROCHA – RECIFE-PE

Luiz Berto,

coloquei a imagem do Besta Fubana la no site.

No Rodapé do site www.forrozeirospe.com.br

da uma olhada la para ve se ficou legal, caso nao tenha ficado vc me envia um banner q coloca la sem problemas.

Um grande e muito obg pela divulgação!

R. Meu amigo, ficou ótimo!

Muito grato mesmo por tamanha gentileza. Constar no rodapé do Forrozeiros é uma honra pro Jornal da Besta.

Não é à toa que esta gazeta da bixiga lixa tá com a corda toda e crescendo que só a gôta serena.

Recomendo aos nossos leitores uma visita ao Forrozeiros. Basta clicar no ícone da página, que está aqui do lado direito do JBF.

Sucesso, seu doido!!!

BISPO HARDY GUEDES – NATAL-RN

Caro Papa Berto,

De há muito tempo a sabedoria popular recomenda que não se deve criar cobra no quintal de casa.

O Presidente Lula foi dando corda ao PMDB e agora os peemedebistas estão com a Presidência da Câmara e do Senado.

Hoje, no Senado, em disputa contra a senadora Ideli Salvati do PT, para a presidência da Comissão de Infra-Estrutura, com o apoio do PMDB, especialmente do seu líder, o probo senador RENAN CALHEIROS, foi eleito o, igualmente probo, ex-presidente Fernando Collor, hoje no PTB.

Ou seja, nunca o PMDB teve tanto poder nas mãos, como no Governo Lula e, devagarinho, pelas beiradas, vão comendo, comendo, comendo…

Lula criou cobra no quintal de casa.

Nessa, o PT SIFU!

Tomara que a briga se acirre e os podres de uns e de outros venham á tona!

Um abraço,

R. Você fala de um jeito como se o Presidente Lula estivesse sendo enrolado pelo PMDB. Como se ele, como você diz, tivesse “criado cobra” pra ser mordido.

Acho que você não percebeu o óbvio: Lula e o PMDB são parceiros. A cara de um é o focinho do outro.

Quem nomeia, conscientemente, um Lobão pra ministro, indica um Romero Jucá pra chefiar bancada, dá poderes a Jáder Barbalho pra nomear cargos no executivo, trabalha pra um Renan ser líder e tem em Zé Sarney um conselheiro político, pode ser chamado de tudo. Menos de ingênuo. Ou de ter sido enganado pelos peemedebistas.

O ex-presidente Collor, a partir de agora, com o apoio do PMDB e as bênçãos do Palácio do Planalto, vai comandar uma Comissão no Senado Federal que terá influência e poderes sobres obras do PAC e do Pré-Sal.

Não me causa a menor surpresa, nem o mínimo espanto, que os caminhos de Lula e de Collor tenham finalmente se cruzado.

2197.jpg

JÚLIO FERREIRA – RECIFE-PE

O líder dos sem-terra em Pernambuco, Jayme Amorim, tomando as dores dos companheiros que assassinaram quatro seguranças de uma fazenda invadida no município de São Joaquim do Monte, no Agreste pernambucano, resolveu minimizar a declaração em que o presidente Lulla rotulou de “inaceitável” a desculpa de legítima defesa usada pelos assassinos.

O talzinho, com a empáfia características desses comandantes do MST, preferindo creditar a admoestação de Lulla ao fato de que o presidente estaria “desinformado”, afirmou: “Lula conhece a luta da reforma agrária e sabe a importância dela para o país. Certamente não explicaram para ele as condições de como tudo aconteceu. Não há outra explicação”.

Parece piada!

Quer dizer que o presidente Lulla, aquele que sempre se esconde atrás da cínica desculpa de que não sabe de nada para fugir das responsabilidades pelos infames atos praticados por seus aloprados “cumpanheros”, quando resolve admitir que sabe alguma coisa, e resolve “dar uma dura” no MST, pelo infame ato praticado, é imediatamente desqualificado pela liderança do movimento, sob a alegação de que está falando sem ter conhecimento dos fatos.

Se bobear, Lulla é que vai acabar “levando uma dura” do MST.

5 março 2009 A PALAVRA DO EDITOR

O MANUAL FOI OMISSO

O MPIZB (Manual do Perfeito Idiota Zisquerdista Brasileiro) possui uma quantidade relativamente pequena de itens para orientar o comportamento dos componentes da Confraria dos Cegos. É pequena mas tem um influência enorme e os itens funcionam como dogmas.

O que o Manual diz tem que ser seguido à risca e não são tolerados desvios revisionistas.

Sem a ajuda deste manual, um pobre militante zisquerdista ficaria mais perdido do que cachoro quando cai de um caminhão de mudança.

Nós, os extremistas de centro, sentimos uma pena enorme dos coitados. Mas não podemos ajudar em quase nada. Eu, particularmente, que me sinto feliz quando a direita me chama de “esquerdista”, e a esquerda me chama de “direitista”, sofro muito com o padecer dos que dependem do Manual pra sobreviver.

Pois bem.

Entre os poucos itens do Manual do Perfeito Idiota Zisquerdista Brasileiro, consta um que relaciona os nomes de pessoas e figuras da vida nacional que devem ser automaticamente execrados e esculhambados quando têm os nomes citados. Não importa o que digam, escrevam ou pensem. Se está no Manual, tem que ser satanizado. A lista não é muito grande mas enche uma página inteira.

Então, de ontem pra hoje, surgiu o seguinte dilema:

As zisquerdas do Recife e do Brasil são unanimememente contra o Arcebispo Dom Dedé, titular da diocese da capital pernambucana. Eu também sou. Não por esquerdista, mas por chato mesmo. Então, eu dizia, as zisquerdas da capital pernambucana são contra Dom Dedé em qualquer assunto. E, como não poderia deixar de ser, execraram o prelado porque ele excomungou a equipe médica que fez o aborto na criança de 9 anos.

Acontece que Arnaldo Jabor é um dos nomes de maior destaque na lista dos que devem ser esculhambados pelas zisquerdas. O nome dele está lá no Manual. Tanto por suas posições político-ideológicas quanto por ser assalariado da Globo.

Quando foi ontem de noite, Arnaldo Jabor deu um cacete tão da porra em Dom Dedé que eu fiquei de pé aplaudindo. Agora imaginem o impacto: um cacecete no qual o bispo é chamado de inquisitorial, no qual se falou de padres pedófilos e outras coisitas mais, na rede de maior audiência do país, num horário em que milhões e milhões de pessoas estão ligadas.

E, hoje pela manhã, os nossos pobres seguidores do Manual do Perfeio Idiota Zisquerdista Brasileiro ficaram numa sinuca de bico: bater palmas pra Jabor ou fazer que não viram nada?

Neste ponto o Manuel é omisso.

Como eu disse lá em cima, morro de pena. Mas não posso ajudar em nada.

Os leitores do JBF que quiserem ver e ouvir, cliquem aqui:

http://colunas.jg.globo.com/arnaldojabor/2009/03/05/arnaldo-jabor-condena-excomunhao-em-olinda/

5 março 2009 DEU NO JORNAL

UM TEXTO DE MARIANA MARTINS

Entidades criticam ofensiva da grande mídia contra MST


Não é de agora que os veículos de comunicação direcionam sua cobertura para atacar os movimentos de luta pela terra, em especial o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Nas páginas de jornais e nas telas de TV, a cobertura destes veículos sobre os casos de conflitos envolvendo estes movimentos sociais é descontextualizada, criminaliza estas organizações e questiona sua legitimidade.

Nas últimas semanas, este comportamento se repetiu. No episódio chamado pela grande mídia comercial de “carnaval vermelho”, em referência à quantidade de ações de ocupação de terras durante essa época do ano (mesmo sem nenhuma relação aparente entre elas), os movimentos sociais foram novamente condenados pelas iniciativas de luta contra os grupos que se beneficiam da concentração de terra no campo.

O estopim da ofensiva dos meios de comunicação foi o conflito, ocorrido entre dos dias 20 e 24 de fevereiro, em Pernambuco, que resultou na morte de quatro seguranças de uma fazenda. Segundo o MST, as vítimas eram pistoleiros contratados pelo dono da Fazendo Consulta e Jabuticaba, localizadas no município de São Joaquim do Monte, distante 137 do Recife.

Clique aqui e leia este artigo completo »

5 março 2009 DEU NO JORNAL

CONFRARIA

O senador Jarbas Vasconcelos vai liderar uma frente com diversos parlamentares, de vários partidos, que terá o objetivo de combater a corrupção no Congresso Nacional e os atos ilícitos cometidos nos Três Poderes.

* * *

O combate à corrupção é sempre bem vindo. Qualquer iniciativa merece o apoio dos homens de bem.

Todavia, existe um lugar neste país onde esta iniciativa não só não terá apoio, como será combatida. Não pela maioria, claro. Mas por algumas pessoas. Um grupo perfeitamente carimbado e fichado. É em Pernambuco.

Estou me referindo especificamente a esta iniciativa do Senador Jarbas Vasconcelos, e não a outras.

As paixões políticas locais recomendam que se desqualifique o sujeito que tá tomando a iniciativa e, esculhambando-o, se diga que não convém falar de roubalheira no guverno do cumpanhero.

Nem mesmo coisas do tipo “Jarbas também é um ladrão, recebeu propina da Queiroz Galvão, mas a iniciativa é correta” vocês irão ouvir. Pelo contrário, serão feitas tantas exigências, como nome e CPF, que as investigações, se dependesse deste povo, nem chegariam a começar.

Atacar a corrupção é atacar, por tabela, o governo Lula. Falar mal de Sarney e dizer que Renan é um desqualificado, é ferir no peito amigos caros de Lula. E isto as esquerdas pernambucanas não toleram. As do resto do Brasil também, com menor intensidade.

Vejam, por exemplo, o caso exemplar do recuo da rataria comandada pelo Ministro Edison Lobão no dinheiro do fundo de pensão de Furnas (que atualmente é comido pelo PT). Um recuo que foi consequência direta da entrevista do senador pernambucano, amplificada pela enorme repercussão na opinião pública nacional. A revista Veja publicou a seguinte nota em sua última edição: A entrevista com Jarbas Vasconcelos motivou 649 leitores a escrever para a redação, um recorde na história de VEJA.

Pois bem: aqui no JBF, os pernambucanos que se manifestaram se preocuparam menos com ladroagem e se ocuparam mais com a possível frangagem do homi, uma baixariazinha que domina o tititi de todas as conversas políticas desde muito tempo. Um assunto estadual que, graças ao JBF, agora vai pro domínio nacional. E que nada tem a ver com corrupção ou corrosão do dinheiro público. Quando muito, tem a ver com corrosão furical. Defender frangos e frangagem está na lista dos itens do politicamente correto das zisquerdas. Menos quando se trata da insinuada frangagem do Senador Jarbas Vasconcelos.

Goiano, defensor do governo Lula e isento na questão, por não ser pernambucano, é um sujeito cujas opiniões eu respeito e levo em conta. E percebe e fareja as coisas de longe. Ele escreveu um comentário muito sintomático na nota “Dando Início à Fulanização“, depois de ler as palavras dos pernambucanos lá registradas. Ele disse o seguinte: “Já vi que isso é briga de cachorro grande, vou ficar de fora…”

Num é bem uma briga, Goiano. É apenas cachorrada paroquial. As paixões exacerbadas, provocadas pelas eleições aqui na minha terra, são permanentes e duram enquanto durar o mandato e a vida dos eleitos. Duram até mesmo após a morte. Eu votei no ex-prefeito petista João Paulo duas vezes. Só não votei no seu candidato na última eleição, pois preferi a porra-louca da candidata do PSOL. Mas eu saí daqui adolescente e tive a felicidade de não ser contaminado por este tipo de coisa. Vivi muitos anos numa terra onde não havia eleições e isto foi ótimo pra minha cabeça. De modo que me sinto à vontade pra baixar o cacete em João Paulo quando me der vontade.

Tomara que aproveitem esta excelente oportunidade e desencavem agora as provas definitivas de que o Senador Jarbas Vasconcelos recebeu propina da construtora Queiroz Galvão. Ou de que roubou dinheiro público quando foi prefeito do Recife e quando foi governador de Pernambuco. O JBF será o primeiro a publicar estes provas e a baixar o cacete no parlamentar.

A paixão eleitoral e de campanha existe em todo canto. Mas em Pernambuco o grau de passionalismo e de irracionalidade atinge níveis que não existem em outros rincões.

O fato de Jarbas ter derrotado um ícone das esquerdas pernambucanas, o saudoso e competente governador Miguel Arraes e, além disso, ter sido reeleito, provocou um ódio imorredouro. Na cabeça da cambada, a culpa não é do povo, que assim quis e votou. Pelo peculiar raciocínio desta confraria, o mesmo povo que dá mais de 90% de aprovação ao Presidente Lula é sábio e justo. Mas o povo pernambuco que elegeu e reelegeu Jarbas e o fez derrotar Arraes não existe, está apagado da memória, dos debates e dos comentários aqui no JBF.

Vou contar um caso: Zelito Nunes, nosso Cardeal, foi eleito para a Academia da Boemia, que reune ilustre bebedores aqui da terra, e é formada por escritores, poetas, políticos, artistas, carnavalescos, gente boa, enfim. Uma entidade acima de religião, de política e de ideologia, destinada à fraterna convivência entre cachaceiros e pessoas de bem.

Zelito convidou todos os seus amigos para a festa de posse. Eu, inclusive. Pois bem. Um amigo nosso, meu e de Zelito – mais de Zelito que meu, por antiguidade -, zisquerdista roxo, disse que não iria de modo algum pois não queria compactuar com “os reacionários e direitistas” da Academia que, segundo ele, “bebiam uisque” ao invés de cachaça. Tudo porque Jarbas Vasconcelos é membro da tal academia… junto com a imensa maioria de esquerdistas que a compõe. E esta atitude, aqui na minha terra, é considerado um gesto tão natural quanto buzinar no trânsito e dirigir o carro sempre pela faixa da esquerda.

Isto é só uma pequena amostra.

O fato do senador pernambucano – amado por uns e odiado por outros -, ser cachaceiro, carnavalesco, boemio, cultor da cultura nordestina, colecionador de artesanato popular, festeiro e torcedor fanático de um time do Recife fica totalmente em segundo plano. O seu lado mundano só é ressaltado quando se insinua que ele é frango e gosta de doar o orifício pecaminoso. Ou que só aparece em público rodeado de jovens misses.

De minha parte sei dizer que foi o parlamentar mais chato, cabuloso e grosseiro com quem já convivi. Em termos de patadas, só perdia pro gaúcho Nelson Marchezan. Agora vou torcer pra que ele seja mais chato ainda no combate à ladroagem, à corrupção e à rataria que prolifera nos porões do reinado petralha. Não me importa que tenha virado direitista, que tenha recebido propina da Queiroz Galvão, que seja chibungo ou que tenha derrotado meu ídolo Arraes. Vou apoiar qualquer medida que ele tomar pra combater a corrupção. E vou também estampar os documentos nesta gazeta da bixiga lixa se ficar provado que ele também levou um “toco”.

Se, raciocinando por absurdo, Lula declarasse que Jarbas está certo ao iniciar esta campanha contra a corrupção, imediatamente as zisquerdas do Recife retirariam o seu apoio ao Presidente.

É a mais pura realidade. Acreditem.

PS: Antecipadamente peço desculpas aos possíveis comentadores desta matéria. Eu não vou mais me manifestar especificamente sobre este assunto. Enchi meu pote e esborrei minha cota. Já disse tudo. Quer dizer, quase tudo.

1062.jpg

PMDB e Palácio da Alvorada: quem ataca o partido e diz que ele só tem corrupto, está ofendendo diretamente ao Presidente Lula

HOMENAGEM A PATATIVA DO ASSARÉ NO DIA DO SEU CENTENÁRIO DE NASCIMENTO

Na minha pobre linguage
A minha lira servage
Canto que a minha arma sente
E o meu coração incerra,
As coisa de minha terra
E a vida da minha gente’

(Aos poetas clássicos)

* * *

Sou matuto sertanejo
Daquele matuto pobre
Que não tem gado nem quêjo,
Nem ôro, prata nem cobre

(Vida sertaneja)

* * *

Pois aqui vive o matuto
De ferramento na mão.
A sua comida é sempre
Mio, farinha e fejão

(Coisas do meu sertão)

* * *

Cá no sertão eu infrento
A fome, a dô e a misera.
P’ra sê poeta divera
Precisa tê sofrimento…

(Cante lá que eu canto cá)

* * *

A bem do nosso progresso
Quero o apoio do congresso
Sobre uma Reforma Agrária
Que venha por sua vez
Libertar o camponês
Da situação precária

(Eu quero)

* * *

Minha vida é uma guerra
E duro o meu sofrimento
Sem tê um parmo de terra:
Eu não sei como sustento
A minha grande famia…

(Terreiro da Choupana)

Clique aqui e leia este artigo completo »

JOSÉ ANTÔNIO DE CARVALHO – JOÃO PESSOA-PB

Seu Papa

Quem é mais mentiroso, a brasileira que dizia ter sido agredida por néo-nazistas na Suíça ou o pugilista cubano que ora conta uma versão da história, ora conta outra?

R. Entre os dois, eu acho que o mais mentiroso é o editorialista deste JBF.

5 março 2009 A PALAVRA DO EDITOR

HOJE: CENTENÁRIO DE PATATIVA

patativa.JPG

No dia 5 de março de 1909 nascia em Assaré, Ceará, o genial Antônio Gonçalves da Silva, que passou à história da Nação Nordestina como Patativa do Assaré.

Morreu com 93 anos em julho de 2002.

Veja trailer do filmePatativa do Assaré – Ave Poesia“, de Rosemberg Cariry:

 

Leia, a seguir, uma pequena biografia de Patativa do Assaré, constante da Wikipédia:

Clique aqui e leia este artigo completo »

ROBERTO VIEIRA – CAMARAGIBE-PE

A EXCOMUNHÃO DE DOM JOSÉ

dbd.JPG

Médicos realizaram aborto em uma criança de nove anos em Pernambuco.

Criança com gravidez gemelar.

Criança vítima de estupro.

A Igreja Católica tem seus dogmas.

Dom José Cardoso, arcebispo do Recife, excomungou os médicos.

Com a Lei de Deus.

Religião não se discute.

Cumpre-se.

O dever moral de um médico também não se discute.

Cumpre-se.

Aos médicos excomungados:

“Fiquem tranquilos!”

O céu está cheio de médicos, jornalistas, professores, advogados, engenheiros, divorciados, galileus, giordanos e excomungados pela Igreja.

E o inferno está repleto de certo tipo de religiosos…

Eu sei do que falo.

Tenho 11 anos de escola de padre.

20 anos de medicina.

E também sou excomungado pela Igreja Católica.

O que não mudou em nada meus diálogos com o Senhor lá em cima.

Mas dá uma saudade danada de Dom Hélder Câmara!

hde.JPG

5 março 2009 DEU NO JORNAL

VERDADE PURA

Enquanto o PMDB ameaça o Planalto propondo uma CPI dos fundos de pensão, os tucanos estudam pedir intervenção no Real Grandeza, pivô de disputa na base aliada de Lula. “Se o ministro peemedebista diz que há “bandidagem” na diretoria do fundo de pensão de Furnas, e o outro lado acusa o ministro de querer botar a mão nos recursos, não dá para o governo deixar por isso mesmo”, diz o presidente do PSDB, Sérgio Guerra.

* * *

Eu acho que os dois lados estão falando a mais pura verdade.


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa