ROBERTO VIEIRA – CAMARAGIBE-PE

O DIA QUE PATATIVA CHEGOU NO CÉU*

O céu estava em festa.

“Chegou Patativa! Chegou Patativa!”

Os velhos poetas vieram ao seu encontro.

Pois não é todo dia que morre um poeta.

Ainda mais um poeta analfabeto de pai e mãe.

Vinícius quis lhe mostrar umas meninas.

Drummond?

O sentimento do mundo.

Bandeira falava da Rua da União.

Mas Patativa só escutava, escutava, escutava.

E procurava.

Virgílio preocupado chamou os amigos:

“Por que está triste o Patativa?”

Ninguém sabia responder.

Nem os poetas, nem São Pedro, nem mesmo as meninas do Vinícius.

Até que uma luz surgiu entre as nuvens.

E o silêncio se desfez.

Silêncio atraiçoado por um som agreste e nordestino.

Patativa começando a aboiar.

Patativa que cego, enxergava.

Sua antiga Vaca Estrela.

E o seu belo Boi Fubá!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.