SINTO VERGONHA DESSES ENCENADORES DE SÃO PAULO

Jarbas Vasconcellos, pmdb/PE, se fosse senador no Senado Romano teria levado uma facada nas costas. Como não é, já levou bem umas duas dúzias, uma depois da outra e a prevalecerem os usos e costumes da Grande Nação do Norte, periga levar uns tiros a traição.

Na sua entrevista à “Veja”, pingou meia dúzia de “is”, os mesmos que o chefe da quadrilha dos 40, zé dirceu, ameaçou pingar desde que a mãe de todos os escândalos viu a luz do dia, o “caso waldomiro diniz”, e nunca pingou po**a nenhuma. Jarbas deu nome aos capos mafiosos sarney, barbalho, renan e foi mais fundo, disse que “o pt e lulla não inventaram a corrupção mas são coniventes com ela”.

No meu modesto entender, essa entrevista equivale àquela do Primeiro Irmão pedro collor na mesma “Veja”, por supostas e nelsonrodrigueanas investidas colloridas sobre a Primeira Cunhada, que acabou derrubando collor.

A tropa de choque governista caiu matando em cima de Jarbas, exigindo que “desse nome aos bois”. Oras, tendo fulanizado com todas as letras sarney, barbalho, renan, pt e lulla, deu nome à boiada inteira, seguindo-se até todas as vacas do renan avacalheiros, exceção feita a Mônica, a Bela.

Exigem agora um Robertão Jefferson que dê nomes, números e quantias aos malfeitores. Querem encostar Jarbas na parede.

Jarbas ocupou a tribuna do senado na 3ª. feira para confirmar “cada vírgula, cada ponto, cada linha ” da entrevista à “Veja”. Num país decente, essa cambada por ele indigitada estaria com dor de barriga de tanta paúra. Aqui, posam de “varões de Plutarco”.

Os encenadores de São Paulo são uns horrores e matam-nos de vergonha, mas justiça seja feita nenhum é biônico, todos foram votados em eleições democráticas, fiscalizadas pelo TSE. Eles são a droga que sempre foram, mas não são causa da porcaria que é o congresso nacional, são consequência. A causa é o povo que vota neles, que os escolhe parece que sem pensar 2 vezes no que cada um é e representa.

Os brasileiros que vivem e votam em São Paulo deram 10 milhões de votos a merdacante, como elle vive atirando-nos às fuças, o aloprado falsário do dossiê fajuto contra o Serra.

Deram mais de 8 milhões e 400 mil votos ao manso (“cordato”) suplicy, o inútil, que entra no 3º. ano do seu 3º. mandato, 19 intermináveis anos de grana e mordomias em Brasilia pagos pelos otários contribuintes, ainda faltam mais 5, isso se não morrer antes, esmagado pelo peso da coroa que ostenta na testa, com o maior flair play e orgulho.

Deram mais de 7 milhões de votos ao xerife tuma, era do DEM, é tão obscuro que nem sei se continua no partido ou mudou-se para a base do governo depois que o seu filho tuminha, ex-delegado de polícia, ganhou a boquinha de Secretário Nacional de Justiça, um desses cargos do lullismo com status de ministério – status sendo grana, pessoal, mordomias “nivel de” ministro de Estado, também não lembro de nenhum chute a gol que o tuminha tenha acertado jogando nessa posição.

A tribuna do senado, o mesmo espaço nobre em que Jarbas devastou “tudo isso que está aí”, foi usado pelo manso (“cordato”) e inútil suplicy para, aos prantos, fazer a defesa do assassino terrorista italiano Battisti, condenado a prisão pérpetua por ter matado a sangue frio 4 membros da zelite, dois policiais, um açougueiro e um joalheiro, que o seu PAC (Proletários Armados pelo Comunismo) considerou “inimigos do povo”.

No plenário, arena criada para os embates democráticos, merdacante suou a camisa defendendo o direito da Venezuela de tchávez de entrar no Mercosul.

Quase 19 milhões de votos paulistas para a defesa de um terrorista italiano assassino e de um ditador histriônico venezuelano, aliens que nada têm a ver com as necessidades do Estado que os elegeu.

Quem votou nesses pulhas, que peça desculpas aos seus filhos.

JARBAS, OBRIGADO POR SER O SENADOR QUE É.

2 Comentários

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa