LUCIVALDO FERREIRA – TRIUNFO-PE

Papa Berto,

é com imenso prazer que envio este pequeno donativo poetistal para esta gazeta da bixiga lixa.

R. E é com um prazer enorme que recebo este grande donativo poetistal.

Um poema da bixiga lixa!

Sem contar o prazer de constatar mais um leitor/poeta sertanejo, acoitado na bela Triunfo, a cidade mais alta do território pernambucano, a 1004 metros do nível do mar e repleta de belezas e gente boa.

Seja bem vindo à comunidade fubânica e mande mais coisas bonitas pra gente.

Um abraço, seu doido!

POEMINHA BESTA

Casa grande sem janelas,
repleta de escadarias.
Tantas paredes vazias
e meu olho em sentinela
busca o olhar da donzela
no quadro jamais pintado.
Vê-se o vazio manchado
de tinta branca e limpeza
dissimulando a beleza
de quem jaz emparedado.

Casa grande sem saída,
que não abriga ninguém.
só tem a mim por refém
(esta visagem sem vida).
Na sala descolorida
vê-se o espelho sem fundo
deste meu olho imundo
apodrecendo a paisagem
de deusas com molecagem
emparedando meu mundo.

Casa grande, grande lança
a traspassar meu sorriso,
casa sem teto e sem piso
onde se perde em andança.
Casa, teu nome é lembrança
da minha gris fealdade,
resto da feliz cidade,
do meu zanzar de menino.
Casa, teu nome é destino.
Casa, teu nome é saudade.

* * *

triunfo-_-cine-teatro-guarani.jpg

Triunfo: Cine Teatro Guarani

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.