POETA DEDÉ MONTEIRO – TABIRA-PE

MAIS HOMENAGENS AO POETA CICINHO GOMES

* * *

Meus irmãos,

A companhia de Cicinho Gomes era por demais agradável, pela presença de espírito e rapidez de raciocínio.

Certa vez, estávamos na casa de Josa Rabelo, em Tabira, quando Cicinho passou um bom tempo oferecendo uma cédula de 10,00 reais a Mariana – filha de Josa. Quando já cansado de oferecer disse :

– Josa, mande essa menina estirar o braço, que o meu está encolhendo…

Que um caminho de luz
O poeta tenha passado.
Mais um craque convocado
Pra seleção de Jesus.
Vai ficar maneira a cruz
Que a vida lhe o ofereceu:
Quando seu filho perdeu
Levou com ele a metade…
Brada feliz a saudade:
“CICINHO GOMES MORREU”

Paulo Rabelo

* * *

CICINHO QUE SE ENTREGAVA
AOS EXAGEROS BOÊMIOS,
TAMBÉM MWRECIA PRÊMIOS
NOS VERSOS QUE RECITAVA.
CICINHO QUE ALEGRAVA
CO’A VERVE QUE DEUS LHE DEU.
O SERTÃO EMUDECEU,
OS VATES TODOS CHORARAM
NA HORA QUE DIVULGARAM:
“CICINHO GOMES MORREU”

Que a terra lhe seja leve
Como foi sua presença.

Mauricio Tadeu Menezes

* * *

Eita Poetas!!!

Lembro-me de algumas cenas com esse personagem, coadjuvante e protagonista de situações registradas em viagens com o velho parceiro, saudoso Mestre, Manoel Filó.

Nas tantas idas e vindas, passavam por Arcoverde e sempre traziam uma história nova, um “causo” inédito, extraído dos costumes do nosso povo, burilados por eles e disseminados entre seus súditos.

Algumas vezes, nos ensinava algumas armadilhas do jogo de damas, do qual era exímio jogador; noutras, falava-nos sobre os filhos, sobre as perspectivas de cada um, sobre poesia sempre, enfim, sobre os acontecimentos do dia-a-dia de um caixeiro viajante.

Vá com Deus, Poeta!!!

Dê e receba um abraço no velho Manoel.

João Leonan de Menezes (Léo)

* * *

Amigo Dedé,

Minha contribuição, parecida com a coragem de quem sentava ao lado de Pinto em noite que a “serpente” estava com raiva.

O amigo Zé Liberal
Lá na outra dimensão
Chamará Zeto, Cancão,
Patativa e Louviral
Pra fazer uma recital
Pra Cicinho amigo seu
Que com ele conviveu
Nos festivais amadores
Tá de luto os cantadores:
“CICINHO GOMES MORREU”.

Ademar Rafael – Marabá – PA.

* * *

Meu prezado Poeta Dedé,

Muito obrigado por você me enviar essas lindas glosas em homenagem a Cicinho Gomes.

Acho que deveríamos fazer um CORDEL COLETIVO com essas glosas e os depoimentos.

Pense no assunto, talvez encontremos mais alguns poetas para colaborar.

Um abraço

Ismael Gaião

* * *

Poetas e Amigos,

Gostaram da ideia do poeta Ismael Gaião?

Eu também gostei!

Quem não glosou ou deu seu depoimento, que o faça já, exigência de Cicinho, o grande Cicinho!

Abraços!

Dedé Monteiro

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.