Sua Santíssima Santidade

Estou eu aqui de volta mais uma vez retornando de uma viagem (lazer), mas nao me acostumando com esse troço de aviao, pois passo o tempo todo lendo, mania que peguei pra espantar o medo. Dessa vez fomos em Vitória (a próxima quem sabe será aí em Recife) e lendo o jornal A Tribuna, gostei de uma reportagem e lembrei dos nobres “colegas” do JBF, afinal homem gosta de um cafezinho.

Nao é um cafezinho qualquer e sim um cafe de Domingos Martins-ES, que é feito com sementes ingeridas por um pássaro chamado jacu. Pois é isso mesmo, um cafezinho feito com as fezes da ave. E ainda por cima custa a bagatela de R$ 240.00 o quilo.

Trata-se do Jacu Bird Coffee, é um café exótico e um dos mais caros do mundo e o mais caro do Estado.

Ele passa por um processo diferente dos tradicionais cafés. Os graos sao colhidos das fezes do jacu, que nao é bobo e come os melhores frutos do cafeeiro, aqueles sem defeito e maduros. No sistema digestivo, a polpa é aproveitada e o grao, que nao é metabolizado, é descartado nas fezes.

A turma do Espírito Santo resolveu fazer a esperiencia depois de saber que o café mais caro do mundo o Kopi Luwak ou Café Civet, da Indonésia, é produzido tambem através do civeta, um tipo de gato selvagem de lá. Como o negócio lá fora é mais embaixo, o quilo desse café é vendido a US$ 1 mil, quer dizer, mais de R$ 2 mil.

Dizem os apreciadores do tal cafezinho Civet, o sabor é uma mescla de gosto de chocolate com suco de uva e é menos amargo que os cafés comuns, ui ui ui, arre égua, quem vai se habilitar?????

R. Caríssima, é sempre um enorme prazer revê-la nas páginas deste JBF.

Da próxima vez que for viajar, venha mesmo aqui pro Recife. Será recebida em cerimônia especial da ICAS.

Quanto à sua descoberta em terras capixadas, parece que consumir merda pagando um alto preço não é privilégio do Espírito Santo. É só verificar os índices de popularidade dos nossos dirigentes pra constatar a bosta que o Brasil consome.

O caríssimo café tomado neste país é pago por nós outros, os contribuintes. Aliás, estamos na época de acertar as contas com o Leão. Afinal, aumentaram geometricamente os gastos com os cartões corporativos da Presidência da República.

Eu, como bom jacu, vou tentar pagar o que devo ao fisco em módicas prestações.

7 Comentários

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa