31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

CHICO CARUSO – O GLOBO

31 dezembro 2016 A PALAVRA DO EDITOR

NOVO ANO

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

MOSQUITA EM PERIGO

O ano em frases – Fevereiro

“Então, nós temos de combater o mosquito nas nossas casas. Por que que ele está nas nossas casas? Porque se o mosquito gosta de fruta, de inseto, enfim, o mosquito não é o mosquito macho. Ele não pica as pessoas, quem pica e gosta de se alimentar do sangue humano é a mosquita. E ela é sensível ao cheiro”.

Dilma Rousseff, no programa de comícios Minha Casa, Minha Vida, ensinando que é a mosquita que gosta de gente.

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

LUSCAR – CHARGE ONLINE

MENSAGEM PARA QUALQUER ANO NOVO. LEIA SEM MODERAÇÃO

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)

31 dezembro 2016 A PALAVRA DO EDITOR

FIM DE ANO, FIM DE FEIRA

Já que está se falando tanto em final de ano, vamos falar agora de final de feira. Feira autenticamente nordestina.

O talentoso Poeta Dedé Monteiro, um ícone da cultura nordestina na atualidade, é o autor do poema Fim de Feira, declamado por Ruiter Lima no vídeo abaixo.

Neste mês de dezembro, no dia 22 passado, Dedé Monteiro recebeu das mãos de Paulo Câmara, governador do estado, o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco.

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

TRANSPORTES 

O Brasil é extenso. Para cobrir a vastidão territorial, o país, de dimensões continentais, necessita de estradas, ferrovias, aeroportos e portos. Vias à disposição de quem se interessar para escoar a produção, transportar passageiros, promover o espontâneo desenvolvimento econômico. Por todos os recantos geográficos.
 
A utilização dos meios de transporte mais rápido começou a tomar vulto a partir do século dezenove. Começou com a construção de ferrovias, mas, logo depois a atenção passou para as rodovias, sob o incentivo do processo de industrialização, depois que o processo de industrialização se instalou no Brasil no século vinte. Em detrimento do sistema ferroviário que foi classificado com lento e caro na construção de linhas férreas.

Desde então, o transporte rodoviário é o mais utilizado. Apesar da péssima qualidade disponível. Para cobrir o gigantismo territorial, foi necessário construir imensa malha. A extensão da malha supera 1,8 milhões de quilômetros. Pelo tamanho, a malha rodoviária brasileira é a quarta maior do mundo. Apesar dos pesares, movimenta mais da metade das cargas transportadas.

Todavia, por falta de cuidados, reduzido nível de investimento na deficiente infraestrutura, a malha rodoviária é esburacada, lenta e perigosa. O que torna o transporte de cargas, apesar de eleito como o preferido, como o mais caro e demorado. Dentre os demais.

Somente o estado de São Paulo tem o privilégio de possuir autoestradas. Concedida a exploração da iniciava privada, as estradas paulistas cobram pedágios em demasia para oferecer boas condições de tráfego.

No restante do país, a malha rodoviária recebe a classificação de péssima, ruim ou regular.  Como as rodovias são administradas pelos estados, as condições de trafegabilidade são precárias.  No Norte e Nordeste, então, a falta de manutenção, derivada de falhas na pavimentação, sinalização, fiscalização e também na geometria, causam tremendo prejuízo aos transportadores. Ao contrário da Alemanha e França que fazem questão cerrada de manter cem por cento das estradas super pavimentadas.

Como não foram modernizadas, as rodovias nacionais registram constantes acidentes e mortes. O que causa enormes prejuízos ao setor, sacrificando a competitividade logística. A ausência de duplicação de vias, a carência de acostamentos, as curvas perigosas, asfaltos esburacados e a erosão atormentam os caminhoneiros que gastam os tubos no consumo de combustível e na manutenção dos veículos. Sem escapatória, o custo é repassado ao setor produtivo e consumidores. Situação que não ocorre nos portos que contam com eficiente estrutura.  Apesar de preteridos e apresentar serviços mais baratos. 

Quando se pensa nos serviços de exportação, importação e na atração de investimentos estrangeiros um dos  itens mais cobrados pelos investidores tem nítida relação com os meios de transporte.

Eleito com um grande produtor de grãos, o Brasil tem de melhorar os investimentos nos meios de transporte. Dispensar mais atenção às hidrovias e ferrovias para desafogar as congestionadas rodovias.

Assim, como as comunicações, os meios de transportes são perfeitos modais para garantir os projetos de desenvolvimento econômico que forem aparecendo. Inclusive o aéreo, ainda não consolidado no Brasil, embora seja o mais indicado para o setor produtivo altamente preocupado com a rapidez e a eficiência nas transações internacionais.

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

ACIR – CHARGE ONLINE

O SONHO – Rolando Boldrin

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

31 dezembro 2016 DEU NO JORNAL

UM ANO QUE JÁ NASCE VELHO

Ruy Fabiano

Um retrato do que foi 2016 e o que aguarda o país em 2017 pode ser extraído de uma advertência feita por uma associação que reúne oficiais da PM e dos Bombeiros do Rio, que pediu o cancelamento do réveillon na orla carioca em face da “possibilidade da ocorrência de manifestações que, pela amplitude e quantidade de pessoas envolvidas, poderão tomar proporções violentas”.

Pode ser – e talvez seja – paranoia pura. Mas o simples fato de as tensões da crise não cederem nem à tradicional trégua de fim de ano mostra em que pé as coisas estão. O país entra no ano novo com o mesmo espírito com que deixa o velho: em profundo estresse.

Quanto mais informado se está, menos se arrisca a uma previsão, façanha hoje restrita a pitonisas e pais de santo.

O país tanto pode sair da crise atravessando a pinguela institucional de que fala FHC – isto é, levando Michel Temer, aos trancos e barrancos, até 2018 -, como pode entrar numa zona de turbulência, com desobediência civil, renúncia, greve geral e mais e mais protestos violentos de rua, que podem desaguar tanto em eleições diretas antecipadas como em intervenção militar.

Ninguém arrisca um palpite; no máximo, uma torcida. Os agentes econômicos torcem pela pinguela, que propiciaria um ajuste mínimo na economia antes que o país mergulhe nas incertezas de uma campanha eleitoral. Os políticos estão divididos: a esquerda, banida do poder, quer antecipar as eleições; os demais preferem empurrar com a barriga, muitos temerosos das delações da Lava Jato e ansiosos por manter pelo maior prazo possível o foro privilegiado.

Concretamente, o que se sabe é que, já no primeiro trimestre, as 77 delações da Odebrecht devem chegar ao público. Anunciam-se, pelo que já vazou, devastadoras. Não poupam o presidente da República, seus antecessores e os que pretendem sucedê-lo; e, segundo se diz, alcançam cerca de duas centenas de parlamentares.

Se o TSE cassar a chapa Dilma-Temer, a Constituição manda que o sucessor seja escolhido em eleição indireta pelo Congresso. Mas o Congresso está igualmente contaminado por denúncias, sem qualquer condição moral de eleger quem quer que seja.

Além disso, quais seriam os candidatos? Haveria alguém disposto a um mandato de pouco mais de um ano, representando não o povo, mas um colegiado suspeito, para encarar uma economia moribunda e uma sociedade em estado convulsivo?

Falou-se em FHC, que já afastou a ideia com a veemência de quem, ocotogenário, não pretende comprometer uma biografia cuja marca, afinal, é a recuperação da economia, via Plano Real.

Uma eleição indireta, sem candidatos de peso, por um colegiado sob suspeição, produziria um presidente mais fraco ainda que Temer, mais inabilitado que ele para as reformas que reclamam urgência, no rastro da ruína econômica, social, política e moral deixada pelos quatro governos do PT.

Essa, no entanto, é a solução constitucional. Mudá-la não é tão fácil. Se a votação fosse hoje, não obteria o quórum necessário.

Esse impasse reforça a tese da pinguela, mas também de seu oposto, a intervenção militar. O país, nesses termos, continua mergulhado em total imprevisibilidade e a única bússola disponível é a da Lava Jato, que, no entanto, apena retira peças do tabuleiro de xadrez, sem repô-las. O ano novo, como se vê, já nasce velho.

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

ELVIS – AMAZONAS EM TEMPO

ÁGUAS DE MARÇO

Pra fechar o Caçuá Musical deste ano de 2016, vamos ouvir um composição do saudoso Tom Jobim, um gênio da MPB.

Ele encantou-se há exatos 22 anos, no mês de dezembro, na cidade de Nova Iorque.

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

OBAMA PISA NA BOLA AO APAGAR DAS LUZES

Gostei do Sr. Obama desde o início. Um homem de classe, ideias arejadas e uma família muito bonita.

No entanto, a perda do poder pelos democratas, acompanhada por uma natural decepção por não ter feito o seu sucessor (no caso, a sucessora), deve tê-lo abalado, a ponto de agir de forma incoerente ao final do seu mandato.

Sem falar na sua promessa não cumprida de fechar a prisão de Guantánamo, a posição Americana diante dos assentamentos de Israel, a essa altura do campeonato, depõe contra o seu governo.

Os EUA, sob o seu comando, tiveram 8 anos para pressionar Israel, até mesmo no Conselho de Segurança da ONU, para não invadir a Palestina e construir residências para israelitas em terra alheia.

Mas durante 8 anos, Obama e seu governo se omitiram e fracassaram na tentativa de levar a Paz à região, que já devia ter dois países e não um só, como quer Israel.

A alegação israelense de que os Palestinos não constituem um povo único, uma Nação, é tão falsa quanto à pureza étnica do judeus.

Em livro publicado em outubro de 2009 (De Habirus a Judeus: as raízes da tradição judaica, ainda sem tradução no Brasil), o escritor “judeu” americano Robert Wolfe, doutor em História em Harvard, aponta os judeus como descendentes de Habirus.

Os Habirus, por sua vez, eram bandos dispersos de assaltantes, escravos, mercenários e errantes, sem formarem uma única etnia.

Os Habirus são citados em registros antigos de várias nações do passado, incluindo-se osmanuscritos de Ugarit (de origem judaica, já que se tratava de uma cidade fenícia).

Segundo o Dr. Roberto Wolfe, Moisés era egípcio e não hebreu como diz a Bíblia e a tradução correta do seu nome é IRMÃO e não “salvo das águas”.

Se o nome significa IRMÃO é muito provável que a sua ida para a Palestina, comandando Habirus, tenha sido programada com o fito de proteger o Egito de ataques de outros povos, como Hititas. Ou seja, uma divisão DA região em duas: o Egito ficaria com o irmão mais velho, o Faraó, e Moisés, o irmão mais novo, com a Palestina.

Ou seja, a chamada TERRA PROMETIDA nada mais foi do que a GUERRA PROMETIDA e a divisão das terras dos cananeus (jebuzeus, amorreus, filisteus etc.) pelas chamadas tribos de Israel, foi uma compensação aos Habirus, de diversas etnias, por “protegerem” o Egito, uma vez que a rota normal para tais ataques seria, com certeza, a Palestina, de onde, através de um espaço de terra entre o Mar Vermelho e o Mediterrâneo se chegaria ao Egito.

Ou seja, os invasores desde sempre foram os israelitas e não podem, agora, impedir, ou tentar impedir, a criação do Estado Palestino.

Outra mancada do Sr. Obama foi a expulsão de diplomatas e outros funcionários russos do território americano, sob a alegação de espionagem.

Isso se torna mais tragicômico, pois mandaram fechar, inclusive um departamento considerado como o centro da espionagem.

Ora, com a tão competente CIA a seu dispor, certamente deveria saber, há muito tempo, qual a finalidade de tal centro operacional russo.

Um país que espiona o mundo inteiro (inclusive Dilma Roussef) se deixar apanhar tão desprevenido, me parece imperdoável!

E para completar, Obama deixou nas entrelinhas que se ele pudesse ter sido candidato, o resultado teria sido outro, uma vez que as suas conquistas como presidente teriam sido melhor avaliadas.

Desculpas de perdedor.

Não parece ser esta a opinião dos eleitores americanos!

* * *

FALA SÉRIO!

Não querendo pregar o ódio na virada do ano, declaro solenemente que não gostaria de ver o Sr. Lula da Silva e sua família presa coercitivamente pela Lava Jato.

Desejo, sim, de todo o coração, que ele se entregue espontaneamente e peça perdão ao povo brasileiro por ter pensado mais em si, nos seus “cumpanheiros”, nos seus aliados e no seu partido do que na maioria dos que o elegeram.

* * *

FALANDO SÉRIO DE FATO:

Desejo a todos os leitores do JBF um ano de 2017 cheio de SAÚDE e ESPERANÇA e que o nosso editor LUIZ BERTO FILHO não dê mais sustos em ninguém, especialmente na sua família!

FELIZ 2017!

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

ANTONIO LUCENA – BLOG DO NOBLAT

31 dezembro 2016 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

RONALD TITO VIEIRA DO CANTO – CAPIVARI-SP

Berto,

Sinceramente, eu não lembro quando ou por que eu cheguei neste treco que você chama de site, jornal, gazeta ou o caralho que é…ou foi. Eu devia estar pesquisando merda no Google, bêbado, e apareceu Besta Fubana. Esse Google é foda! E eu fui ver o que era…fofoqueiro e curioso que sou.

A Internet é muito interessante. Besta Fubana? PQP, que porra é esta?

Mas gostei, né. Fazer o quê? Deve ser o tal do sadomasoquismo.

Aí, comecei a ler, comentar e até gostar. Essa merda vicia.

Ainda mais quando o editor dá destaque a uma baixaria protagonizada por nós. Aí, a vaidade vai a mil.

Muito obrigado e um Feliz 2017 pra você e sua família. Que Deus os ilumine e guarde.

Tito e família.

R. Meu caro sadomasoquista, disponha sempre deste espaço.

Viciados do Brasil inteiro são muito bem vindos por aqui.

Um feliz amanhã pra você e pra toda sua família.

“Esta gazeta escrota vicia mesmo…”

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

DUQUE – O TEMPO (MG)

O QUE VALE A PENA

Terminarei minha participação anual neste Jornal da Besta Fubana com alguns dos pensamentos inspiradores de Felipe Cubillos, empresário e milionário chileno, que após amealhar considerável fortuna dedicou-se à filantropia. Cubillos faleceu num acidente aéreo em 2011, no Arquipélago de Juan Fernándes, aos 49 anos de idade.

Acerca de teus filhos – Definitivamente não são teus. Deves amá-los e educá-los com o exemplo e orientá-los para que busquem os próprios sonhos; não os teus. Não esperes que te agradeçam tudo o que fizeres por eles; esse agradecimento virá muitos anos depois, talvez quando já fores avô – aí eles reconhecerão o que é ser pai e mãe. Porém, se antes disso, decidirem dizer que estão orgulhosos de serem teus filhos, te consideres recompensado.

Acerca de teus pais – Nunca deixes de agradecer-lhes o fato de terem te posto neste mundo maravilhoso e de te haverem dado a possibilidade de viver, somente isso, viver.

Acerca de teus limites – Eles não existem e estão muito além do que imaginas. Quanto mais além? Esta é uma pergunta que tens que levá-la ao extremo para descobrir.

Acerca do talento – Não serve para nada se não vier acompanhado de determinação, planificação, disciplina e perseverança. O talento é efêmero, a determinação, eterna.

Acerca do amor – Deves dar graças ao Universo se te despertam a cada manhã com um beijo e um sorriso. Lembras-te das abelhas e das mariposas, elas não buscam a flor mais bonita do jardim, somente aquela que tem maior conteúdo.

Acerca dos amigos – Eleges aqueles que estiveram contigo quando estivestes por baixo, porque quanto estiveres no auge eles irão te sobrar.

Acerca da riqueza – Uma vez que tenhas consolidado o teu fluxo de caixa, tratas de comprar mais tempo do que dinheiro, mais liberdade do que escravidão.

Acerca da angústia e da amargura – Quando creres que já não é possível suportar os sofrimentos que te agoniam, que já não podes nada fazer, dás-te um tempo para ver as estrelas e esperas despertar o amanhecer, então descobrirás que sempre nasce o sol… Sempre!

Acerca do presente – Vivê-lo intensamente é o que realmente importa. Os que vivem aferrados ao passado já morreram e os que vivem sonhando com o futuro ainda não nasceram.

Acerca dos sonhos – Nunca renuncies a teus sonhos, persegue-os apaixonadamente e se não conseguires, não importa. Só o fato de haveres percorrido esse caminho terá valido a pena.

Acerca de Deus e o Céu – Creio que se vivermos fazendo o bem poderemos estar na lista de espera se é que o Céu existe, e se ele não existe, teremos tido nosso próprio Céu aqui na Terra. Quanto a Deus não o encontraremos apenas nos mares do Sul, nas ondas, nas nuvens, nas tormentas, Ele sempre esteve conosco, dentro, bem dentro de nós.

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

JARBAS – DIÁRIO DE PERNAMBUCO

31 dezembro 2016 A PALAVRA DO EDITOR

TROFÉUS DE 2016

Estes são alguns dos prêmios atribuídos pela página Diário do Poder, dirigida pelo jornalista Cládio Humberto, neste dia 31 de dezembro.

* * *

PRÊMIO ÓLEO DE PEROBA

Réu cinco vezes (por enquanto) por escândalos de corrupção que lhe podem render mais de um século de cadeia, Lula ganha o prêmio Óleo de Peroba ao afirmar que não existe brasileiro mais honesto que ele.

* * *

TROFÉU DOCE ILUSÃO

Vai para Dilma e seus poucos apoiadores nas redes sociais, que ainda choram o impeachment derramado e proclamam o “golpe” que não houve contra um governo corrupto e incompetente.

* * *

O ROUBO DO SÉCULO

Quando Ronald Biggs e comparsas assaltaram o trem pagador, no “roubo do século”, mal sabiam que era tudo brincadeira de criança. Não se conhecia a turma de Lula e Dilma, que, entre saques criminosos e prejuízos, golpearam a Petrobras em mais de R$ 61 bilhões.

* * *
OURO DE TOLO

A medalha é de Sérgio Cabral e ninguém tasca, que fez 264 farras no exterior com a mulher sem se dar conta de que logo entregaria os anéis, os dedos e os pulsos para as algemas da Policia Federal.

* * *

A INVESTIGAÇÃO DO SÉCULO

A Operação Lava Jato superou a ação italiana Mãos Limpas como a mais impactante operação jurídica-policial anticorrupção da História. Vai até virar filme.

* * * 
PERGUNTADOR DO ANO

O inglês Mehdi Hasan, da TV Al Jazeera, veio ao Brasil ensinar como se comportar numa entrevista com políticos. Diante de Dilma, ele fez a pergunta que se recusava a calar: no roubo bilionário na Petrobras, ela foi cúmplice ou incompetente?

“Esta tua pajaraca é enorme e tá doendo muito, porra!”

* * *

NANICO DO ANO

Gigante na produção do maior escândalo de corrupção da História, o PT encerra 2016 em 10º lugar entre os principais partidos brasileiros.

* * *
JÁ VAI TARDE

Dilma Rousseff e o ex-jogador Dunga dividem, com todos os méritos, o Prêmio “Já Vai Tarde”: saíram de suas funções sem deixar saudades.

* * *

CORONÉ SARUÊ DE BARRO

O troféu foi conquistado, com mérito, pelo senador Renan Calheiros, que, réu em um processo e investigado em outros 12, reagiu com ameaças à Justiça, à polícia e aos procuradores.

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

JORGE BRAGA – O POPULAR

FELIZ ANO NOVO

Caros confrades do JBF, chegamos ao final de 2016. Ufa! Nessa época de confraternizações e balanço de mais um ano vivido, muitos traçam planos e criam novas expectativas. Sem a intenção de plagiar a coluna “Cultura Popular” de Aristeu Bezerra, que frequentemente nos traz interessantes e bem-humorados pensamentos desde aqueles escritos no para-choque de caminhão até Machado de Assis, achei por bem selecionar algumas citações que podem nos ajudar a entender, enfrentar e aproveitar a vida.

Agradeço a convivência divertida e democrática da comunidade dos fubânicos universais, desejando a todos Boas Festas e que o ano de 2017 traga muita saúde e paz.

Com ordem e progresso.

* * *

– Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada.  – Ayn Rand

* * *

– A geração de hoje cresceu num mundo em que, na escola e na imprensa, o espírito da livre iniciativa é apresentado como indigno e o lucro como imoral, onde se considera uma exploração dar emprego a cem pessoas, ao passo que chefiar o mesmo número de funcionários públicos é uma ocupação honrosa. – Friedrich Hayek

* * *

– O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade

– A desvantagem do capitalismo é a desigual distribuição das riquezas; a vantagem do socialismo é a igual distribuição das misérias – Winston Churchill

* * *

– Nunca esqueçamos esta verdade fundamental: o Estado não tem fonte de dinheiro senão o dinheiro que as pessoas ganham por si mesmas e para si mesmas. Se o Estado quer gastar mais dinheiro, somente poderá fazê-lo emprestando de sua poupança ou aumentando seus impostos. Não é correto pensar que alguém pagará. Esse “alguém” é “você”. Não há “dinheiro público”, há apenas “dinheiro dos contribuintes”. – Margaret Thatcher

* * *

– Um homem sério tem poucas ideias. Um homem de ideias nunca é sério – Paul Valery

* * *

– Não quero apenas mais dias em minha vida, quero mais vida nos meus dias – Eduardo Giannetti

* * *

– Tudo que é rigorosamente proibido é ligeiramente permitido – Roberto Campos

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

VASQS – CHARGE ONLINE

31 dezembro 2016 A PALAVRA DO EDITOR

VÃO TOMAR NO FURICO!

Hoje, último dia do ano, eu me alevantei-me da cama pensando numa meia dúzia de cabras safados.

E, me alembrando-me deles, um música me veio à cabeça.

É pra estes felas-da-puta que decido a composição “Vai Tomando Rum“, na voz de Sandro Becker:

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

EDER – CHARGE ONLINE

DOIS TEXTOS

CARTINHA DE NATAL

Todos os anos escrevo junto com meu filho uma cartinha de Natal e de Boas Festas ao Papai Noel. Infantil dirão alguns, alienado consumista dirão os esquerdistas de plantão. Não! Apenas um pai zeloso cultivando uma infância saudável junto com seu filho pequeno.

Escrevemos a carta contando tudo sobre o nosso ano, sucessos e fracassos, angústias e esperanças, alegrias e tristezas. Colocamos nossas almas e corações nos votos do próximo ano que chega e também meu filho faz ali seus pedidos de Natal. Enviamos todos os anos a carta para a Aldeia do Papai Noel em Rovaniemi – Lapônia, na Finlândia (endereço do site em português: Papainoel.fi). O Bom Velhinho, patrocinado pelo organizado Governo Finlandês sempre responde, em bom português, contando sobre sua vida, sua férias, dando conselhos e recomendações. Para meu filho é uma alegria só, renovando a magia do Natal.

Mas este ano após escrever a cartinha com meu filho fiquei com algo entalado na garganta, uma sensação de que ainda faltava cuspir um sapo que insistentemente tentavam forçar-me a engolir. Resolvi, sem a presença de meu filho, escrever uma ‘cartinha’ ao Sr. Lula, o crápula, cara-de-pau, sem-vergonha que destruiu o sonhos e os próximos natais de milhões de brasileiros. Compartilho este desabafo com os digníssimos leitores, já pedindo antecipadamente desculpas pelo tom amargo e grosseiro, mas há momentos que só assim conseguimos evitar a desagradável tarefa de engolidor de batráquios.

Sr. Luis Inácio LULA da Silva,

Sabe, o Natal vem chegando e vejo nas ruas, nos olhos de milhões de brasileiros a desesperança, a tristeza, o desalento que o Senhor e a corja que o cerca impingiram ao nosso povo. São pais, mães, avós, namorados sem emprego, sem dinheiro, sem esperança enquanto o Senhor ainda vive como um Nababo as custas do sacrifício imposto ao povo brasileiro nestes treze anos de uma ditadura nefasta, em prol de seu projeto de poder.

Enquanto nosso povo aperta-se em ônibus lotados, o Senhor e os seus viajam em um jatinho particular para todo o lado, até para o ‘paraíso’ cubano, onde foi despedir-se do facínora Fidel Castro. Quem paga a conta de seu jatinho? E de seus ternos italianos e lençóis de algodão egípcio? A lava-jato está nos mostrando que provavelmente quem pagou por tudo isto foram os otários que estão naquele mesmo ônibus.

Enquanto os velhinhos penam nas filas do seu ‘maravilhoso’ SUS, o Senhor vai de madrugada ao Sírio Libanês. Provavelmente na magra Ceia de Ano Novo, nas casas simples, Brasil afora, muitos trabalhadores tomarão a custa de cortes e sacrifícios um copo de cerveja. Já o Senhor estará em sua casa tomando uísque 18 anos e Champanhe Romanée-Conti.

Sua casa? Que piada, me esqueci que nada é seu. Gostaria que o Senhor tivesse ensinado ao Brasil este milagre. Como fazer com que as pessoas lhe ‘emprestem’ de bom grado tudo, de aviões a chácaras e apartamentos.

E o senhor ainda tem a cara de pau de subir em um palanque e se candidatar a Presidente da República? De novo! Para que? Para terminar de vender ou de apropriar-se do país?

O Senhor ainda se diz ‘trabalhador’, logo o senhor que não sabe o que é trabalho a mais ou menos 50 anos. O senhor foi sindicalista, político, esperto, mas trabalhador?! Haja óleo de peroba.

Vou parando por aqui pois meu estômago está ficando revoltado. Mas lembre-se nas ruas em que impera a desesperança também está nascendo a revolta e a indignação. Cada vez mais fortes, cada vez com mais gente. A maré das ruas vai tragar-lhe em um turbilhão insano em 2017, pode esperar.

É isto senhor Lula, 2017 está chegando e com ele sua derrocada, de suas mulheres, de seus filhos, da corja que o rodeia e da sucia que milita no seu partido (daqueles que ainda não foram presos é óbvio).

Curitiba os aguarda, com uma cela bem pequena, onde nós brasileiros honestos e trabalhadores esperamos que vocês todos possam ver o sol nascendo quadrado por muitos e muitos anos.

De minha parte é isto. Esperar que 2017 seja um grande ano para o Brasil, com um Feliz Natal (diferente deste ano) para todos os brasileiros.

E para o senhor e os que o cercam, desejo que vejam 2017, 2018 e muitos outros anos que virão, passarem lentamente em uma cela em Curitiba.

Estes são os meus votos ao senhor e a sua família. Em 2017 faço sinceros votos que vocês…

SE FODAM!!!!!!

* * *

VOTOS DE FINAL DE ANO

Aos poucos (mas qualificados) leitores de nosso blog, o Livre Pensador agradecemos a paciência, o saco e a compreensão neste ano em que compartilhamos as nossas ideias neste espaço do Livre pensamento.

Pedimos desculpas pelos textos muitas vezes pesados ou com conteúdo e passagens deveras grosseiras, mas refletimos na escrita nosso estado de espirito e a indignação com aquilo que ocorre no nosso Brasil e principalmente com as barbáries que esta corja que habita nossa política nos impinge diariamente.

Exaltamo-nos, mas a palavra é o nosso instrumento de libertação da bestialidade esquerdopata, da ladroagem petista e de todos os imbecis que pululam em nosso mundo.

Àqueles que não conhecem fica o convite para acessarem nosso blog.

Gostaria de agradecer especialmente aos milhares de leitores do Jornal da Besta Fubana que muito nos honrou neste período ao receber os textículos deste escrevinhador rebelde. Já me desculpei pelos excessos. Agora permitam-me agradecer a oportunidade de até agora poder escrever nesta Gazeta Escrota que muito nos orgulha.

Agradecimentos de coração ao Mestre Berto, Editor deste besteirol fubânico. Abraços e muito obrigado meu Caro Editor Berto, extensivos a Chupicleide.

A Todos um Grande e Feliz 2017! Que possamos realizar todos os nossos sonhos. E que possamos, também ver ‘Lapa de Corrupto’, ‘Vaca Peidona’ e toda a corja vermelho-estrelada pagando cana em Curitiba.

Em resumo, UM FELIZ 2017 à TODOS!

Muito Obrigado!

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

RICO – VALE PARAIBANO (SP)

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

IVAN VIOLIN – LEME-SP

Bom dia.

Nunca tinha visto JBF.

Confesso que demorei para entender.

Mas, cheguei à êle por conta de ver o escrito dos “Duas histórias de Natal” de José Paulo Cavalcanti Filho.

Pensei.

Já era tempo de ter um assim na internet.

Achei.

Parabéns.

Feliz Ano Novo.

E muitos.

R. Meu caro, e muitos pra você também. Muitos anos de vida, como se canta no Parabéns pra você. De vida e de felicidades.

Quando você diz que “já era tempo” de ter um JBF na internet, eu me lembrei de que no próximo mês de abril esta gazeta escrota vai completar 9 anos no ar. Diariamente, de domingo a domingo.

São 212 os municípios de São Paulo onde existem leitores fubânicos. A cidade de Leme está no 105º lugar, com um total de 5 viciados.

Vamos ver se este número aumenta a partir de amanhã, quando já estaremos no ano de 2017.

Mande as ordens e disponha sempre deste espaço.

* * *

A tranquila cidade de Leme, com 99.388 habitantes e a 190 km da capital

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

31 dezembro 2016 A COLUNA DE RAPHAEL CURVO


2016 MARAVILHOSO

Apesar do atentado contra o Lulla quando jogaram um livro dentro do carro dele, 2016 foi o ano dos bons acontecimentos, não tanto como queríamos, mas o suficiente para darmos glória. Tem muito lixo ainda a ser jogado fora, aqueles entranhados. São sobras que nos fazem continuar na luta para uma limpeza geral e irrestrita. Foi o ano que a Lava Jato se consolidou no cenário, não só nacional como internacional, mostrando ao mundo a podridão que foi Lulla e seu bando a frente do governo brasileiro. As Instituições que deram a esse malandro, que não trabalha, que se utiliza de recursos escusos, condenáveis, para viver, enganando o povo que lhe entregou confiança a qual traiu, deveriam fazer a “mea culpa” e cassar as homenagens de “honoris causa” dadas a esta figura desqualificada para tal. Será um ato de recuperação da honorabilidade do título.

2016 foi o ano que se quebrou com a santidade petista de que se manteriam no Poder por anos por seus valores e causas sociais e voltadas ao bem-estar da população. Vivemos uma vitória ímpar ao vergamos e quebrarmos a crença de grande parte da população, inclusive da elite, de que esse bando da ORCRIM tinha o domínio do Estado e que ninguém conseguiria desalojá-los do Planalto. Ganhamos pela fé que milhares de brasileiros do bem saíram as ruas e começaram a crer que é do povo e em seu que o Poder deve ser exercido. A população assimilou a mensagem de que não dava mais para continuar e partiu para a luta e o resultado está em andamento. Ainda existem os que, admiradores das patifarias e safadezas, sempre repetem o refrão do mal de que não conseguiremos isto, não conseguiremos aquilo, porque os políticos são permissivos com o bando da ORCRIM.

Os políticos dependem do voto do povo e o eleitor está aderindo ao mandamento de que é dele e de sua força que resultará o sucesso do trabalho de limpeza dos corruptos entranhados no Estado brasileiro. Foi essa adesão que colocou para o olho da rua Dillma e sua “trupe” de malandros e está revolucionando o sistema político que se encontra frágil porque o novo comando é fraco e conivente com grande parte dos corruptos. Está sem pulso para promover uma reforma geral em seus quadros e não consegue ver que os incapacitados são incompatíveis com mudanças estruturais e políticas. Só aprovar medidas sem que se qualifique os agentes, dificilmente teremos resultados. Não acredito em final feliz com os que aí estão a comandar a política nacional. São caminhantes errantes e não transferem segurança aos que realmente produzem desenvolvimento no Brasil, os empresários e investidores.

2016 foi o ano que o brasileiro varreu de suas vidas o fator ideológico desses aproveitadores e também dos sonhadores que se masturbam mentalmente com princípios retrógados e desvinculados da nova era que dominará e dará qualidade na vida da população, a era tecnológica que está chegando a todo vapor e o Brasil ainda vivendo na periferia. Isto por conta de que ainda não temos uma equipe de deputados, senadores e governantes no comando para conduzir o Brasil ao campo de desenvolvimento que ele merece e pode chegar. O Congresso Nacional, em sua esmagadora maioria, é formado por pessoas de índole individualista e o coletivo fica a margem do processo. Os governantes, prefeitos, governadores e presidente, não são capazes de ousar, de romper com a burocracia e a inércia da administração balofa e sem agilidade para promover mudanças. Todos tem suas ações voltadas por e para a politicagem.

Vem aí 2017, o ano da República de Curitiba. Celas estão sendo prontas para receber os líderes de fantoches que iludiu a Nação brasileira por mais de 13 anos, que cooptou, corrompeu e absorveu milhares de patifes que se escondiam na pele de cordeiro. O chefe da ORCRIM já deve estar com a trouxa de roupas pronta para se apresentar na Polícia Federal do Paraná. Isso se não “rapá pé” para Cuba, onde voltará as origens, a ilha quebrou. A esquerda retrógada está sendo varrida por todo o mundo, assim como fizemos aqui com o PT.

O que deixo de mensagem aos meus leitores é que não esmoreçam, tenham em mente e no coração que esses grupelhos não sairão impunes, continuem na luta e abracem com fervor a causa de um Brasil limpo e decente para que todos possam ter, em segurança e de forma real, sem enganações, um crescimento profissional e social com base na sua formação e qualificação e com isso elevarmos esta amada terra Brasil, de bandeira verde, azul, branca e amarela a tremular com orgulho nos mastros das nossas instituições públicas. Longa vida a todos os brasileiros e que a vitória contra a corrupção seja uma constante em nossas vidas. Rememorem e verão que 2016 foi maravilhoso.

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

LUCIO – CHARGE ONLINE

31 dezembro 2016 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CICERO TAVARES DE MELO – RECIFE-PE

Caro editor Luiz Berto:

O ministro do Supremo Tribunal Federal e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, GILMAR MENDES, continua jogando bosta no ventilador de sua reputação e jogando o fedor para a gente olfatar!

Constitucionalista de mão cheia, mas patrimonialista como juiz, no dizer do jurista Luiz Flávio Gomes, Gilmar Mendes não para de fazer cocô nas calças com a intenção de desmoralizar a Lei da Ficha Limpa!

Condenados pela Lei da Ficha Suja, Sebastião de Barros Quintão, prefeito eleito de Ipatinga (MG), mais sujo do que poleiro de pato; Luiz Meneses de Lima, prefeito eleito de Tanguá (Ceará), mais sujo do que cano de passar tolete de esgoto público; e Geraldo Hilários Torres, Timóteo (MG), mais sujo do que pau de galinheiro, vão poder assumir o cargo de prefeito a que foram eleitos graças a uma liminar concedida pelo presidente do TSE, Gilmar Mendes.

É por essas e outras que este país de corno cururu não vai ter moral nunca para moralizar as instituições! A política caga na democracia e esta joga a bosta na cara do eleitor abestalhado que vota nesses políticos ladrões!

Há exceções honrosas!

Quando é que se vai moralizar um país escroto desses, onde um político canalha que rouba a nação descaradamente, é condenado pela Lei da Ficha Limpa, além de responder por processos civis e criminais, é impedido de candidatar-se pelo TRE, mas se candidata na punheta, ganha a eleição na punheta e é empossado por uma liminar monocrática dada por um Tribunal Superior, na punheta?

31 dezembro 2016 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU

31 dezembro 2016 DEU NO JORNAL

TURBILHÃO DE PAIXÕES

Nelson Motta

“Muito mais tarde, quando envelhecia, compreendi que o amor exige uma espécie de cegueira. Amamos não quem os nossos olhos enxergam, mas quem nosso coração demanda. O ser amado é, quase sempre, uma invenção indulgente de quem ama.”

Concordo com o personagem de José Eduardo Agualusa, é um tema atual e oportuno para uma crônica.

Se o amor, com sua nobreza, é assim tão cego, imaginem as paixões, aquelas avassaladoras que obliteram a razão e confundem os sentimentos, como uma droga pesada que vicia e cria dependência, e cobra um alto preço na saída.

A invenção não é só uma rima pobre da paixão, mas a sua parceira perfeita. A pessoa já está em um “estado de paixão”, só falta o objeto. Como um manequim em que se vai colocando roupas, adereços e atributos que estão nos olhos de quem vê: beleza, inteligência, generosidade, tolerância, honestidade, sex appeal, humildade, altivez, qualquer qualidade só precisa de um pouco de imaginação do apaixonado para caber no objeto de seus sentimentos e desejos.

O apaixonado vê o que quer ver, vê até o que não existe e ele mesmo inventou. O problema é quando a magia acaba, quando termina a “suspensão voluntária da descrença” que permite crer na ficção, e também na paixão, e o outro vai se revelando como é, como sempre foi, muito diferente do idealizado. O que era adoravelmente tímido e discreto vira uma besta que não tinha nada a dizer.

Enquanto a paixão se limita a duas pessoas, são só elas as responsáveis por suas dores e delícias, mas quando sua natureza é ideológica e se personifica em líderes políticos, os danos são para todos. As legiões de apaixonados são capazes de tudo, são incontroláveis, veem o que querem ver, lembram o que querem lembrar, esquecem o que querem esquecer, aceitam a invenção como verdade em nome de uma verdade maior: o líder.

É uma paixão que não só cega e ensurdece, mas emburrece, tira a capacidade de análise, crítica e opinião. E, ao contrário de paixões carnais que eventualmente se transformam em amor, as ideológicas só criam intolerância e ódio, que muitas vezes se voltam contra os líderes que os inspiraram.

30 dezembro 2016 FULEIRAGEM

S. SALVADOR – ESTADO DE MINAS

O SAMBA É MEU DOM – Grupo Reduto


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa