1 janeiro 2017 FULEIRAGEM

BRUM – TRIBUNA DO NORTE (RN)

1º DE JANEIRO

Enfim, 2016 se foi. E não deixou saudade. Nem um pouco. Tampouco recordações agradáveis. Pelo contrário, deixou a lembrança amarga de dias conturbados sob todos os aspectos, sejam eles apreciados do ponto de vista da política, da economia, da moral e até da natureza, graças a El Niño – nome escolhido pelos pescadores para homenagear o Menino Jesus, já que, pela vontade dele, creem, as águas peruanas ficam repletas de peixes.

Já por estas bandas, El Niño deixa a seca impiedosa, a fome, a sede, a indiferença ao sofrimento de seres humanos sem eira nem beira e sem nenhuma importância política, econômica ou social, exceto durante as eleições.

El Niño, aqui entre nós, bem que poderia chamar-se, apropriadamente, El Diablo.

Deixe-se, no entanto, a amargura de parte. Primeiro dia do ano é, desde ontem, ao som do espoucar das rolhas de champanhe e ao sabor do néctar farto, o mundo se enche de esperança. Para o Brasil, diga-se, tão necessitado dela, já que talvez nem mais a tenha, exatamente pela carência tão agravada, o ano-novo, mais do que um congraçamento é um gerador de promessas para o ano novo.

A noite de 31 de dezembro é, pois, a noite em que se vai deixar de fumar, de beber excessivamente (embora naquela noite a ingestão seja homérica), de dormir tarde da noite, de de, de…

Há algo, porém, a ser considerado. Apenas 8% das promessas para o ano novo sobrevivem até o próximo ano-novo.

Os que fazemos A Propósito também fizemos uma promessa. A de, na modéstia de nossos meios, continuar denunciando, criticando, objurgando o que lhe pareça desleal para com os legítimos interesses da sociedade, salvo acontecimento de ordem superior.

Feliz ano novo, pois.

1 janeiro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JBF


http://www.apoesc.blogspot.com.br
FELIZ ANO NOVO

1 janeiro 2017 FULEIRAGEM

MOISÉS – BLOG DO MOISÉS

1 janeiro 2017 DEU NO JORNAL

GUABIRUTAGEM RENTÁVEL

Segundo a denúncia do Departamento de Justiça (DoJ) dos EUA, a Odebrecht “investiu” US$ 349 milhões em propinas entre 2003 e 2016.

O retorno estimado pelo pagamento de propinas foi de US$ 1,9 bilhão.

* * *

Investiu” milhões, teve retorno em bilhões. De dólares.

O “investimento” foi feito entre 2003 e 2016.

Eu tô em dúvida se foi no gunverno de Getúlio Vargas ou no gunverno de Juscelino…

Ou teria sido no gunverno de FHC?

Hein?

Tô cum a memória meio fraca.

Depois vocês me tirem esta dúvida, por favor.

Bom, o fato é que a Corruptora Ativa Odebrecht estava certa.

Certíssima.

Investir” em propinas foi melhor do que investir na caderneta de poupança.

Os juros lulaicos são infinitamente superiores aos juros pagos pela Caixa.

Lapa de Corrupto: o maior garoto propaganda que a Odebrecht já teve

1 janeiro 2017 FULEIRAGEM

SENNA – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

ALMEJOS PRA 2017

Que dois mil e dezessete
Seja um ano de bonança
Pondo um fim na violência
Que causa tanta matança
Que enfim se concretize
Toda e qualquer esperança.

Que o sorriso da criança
Seja estampado no rosto
Que não haja sofrimento
Nem tristeza e nem desgosto,
E o crédito nos governantes
Outra vez seja reposto.

E que ninguém fique exposto
Aos desmandos do furor
Que a vida do ser humano
Tenha muito mais valor
E todo que vai a luta
Seja sempre um vencedor.

Que reine a paz e o amor
Em todos os corações
Pra que a vida prolifere
Livre, sem ter restrições,
E os que buscam conquistas
Não sofram decepções.

Que a paz entre as nações
Seja restabelecida,
Que não morra tanta gente
Vítima, de bala perdida,
Que haja mais segurança
Na preservação da vida.

Que ao longo da avenida
Seja a imagem mudada
Em relação ao sem teto
Que tem vida malograda
E vai a busca de abrigo
Na marquise da calçada.

Que aquela calma sonhada
Venha a ser realidade
Que o ser humano esteja
Ativo na caridade
Ajudando ao semelhante
Que está em dificuldade.

Que a vasta felicidade
Venha sempre em abundancia,
Que ninguém jamais se empolgue
Para agir com arrogância
Que os abismos do perigo
Esteja a grande distância.

Que os níveis de petulância
Diminua entre os ladrões
Gerando moralidade
Pra que as novas gerações
Não vivam como as de hoje
Superlotando as prisões.

Que entre as religiões
Haja bastante harmonia,
E ajuste, nos seus conceitos,
No culto ou na homilia
Pra que não transforme o nome
De Deus em mercadoria.

Pra que haja melhoria
E afinal se faça jus
Assegurando os direitos
E não transformando em cruz
Igual a que se carrega,
Hoje nas filas do SUS.

Que Deus acenda uma luz
Com a chama da alegria
Que traga muita saúde
Sossego, paz e energia,
Pra que sejamos felizes
No ano que se inicia.

Um feliz 2017 pra todos!!!

1 janeiro 2017 FULEIRAGEM

REGI – CORREIO AMAZONENSE

VICIADOS NO JBF

Comentário sobre a postagem RONALD TITO VIEIRA DO CANTO – CAPIVARI-SP

Claudemiro:

“Que vicia, vicia mesmo.

Que me faz um BEM danado, faz.

Um 2017 repleto de saúde e paz para todos os viciados do JBF.”

* * *

Viciada fubânica acessando o JBF enquanto mija

1 janeiro 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

JACQUES RIBEMBOIM – RECIFE-PE

Caro Berto,

Tenho sempre lido matérias do JBF.

Um blog importante para nós, nordestinos.

Moro no Recife, sou professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco, autor do livro Nordeste Independente, ensaio econômico sobre a tese do neocolonialismo interno.

Gostaria de trocar umas ideias com você, talvez pessoalmente.

Abraços e feliz 2017!

R. Apareça quando quiser, meu caro. Estou às ordens.

Já passei meu telefone pra você.

Somos colegas de editora: todos os meus livros estão no catálogo da Bagaço.

Mande as ordens.

Abraços e um 2017 arretado de bom.

1 janeiro 2017 FULEIRAGEM

LAILSON – CHARGE ONLINE

1 janeiro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

NOVO ANO (II)

1 janeiro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

MÁRIO CAVALLERO – SÃO PAULO-SP

Estimado Editor,

Meus sinceros votos de um Feliz Ano Novo.

Que 2017 seja venturoso para este jornal e para todos os seus leitores.

Todos nós esperamos que V.Sa. continue combatendo firmemente os corruptos que andam saqueando o Brasil.

Por favor, publique esta foto que está no anexo.

Um grande abraço!

1 janeiro 2017 FULEIRAGEM

MARIANO – CHARGE ONLINE

POEMINHA PARA LETÍCIA

Poeminha mal acabado para uma musa que dorme no ano novo.

princesa-

Sonha minha princezinha
Teu sonho de amor e paz
Se fosse a vontade minha
Não crescerias jamais
Pra não sofreres nas curvas
Que a estrada da vida faz

Voa teu sonho filhinha
Nas asas de um passarinho
Que navega em céu de estrelas
E pousa devagarinho
Num galho onde o seu amor
Lhe espera dentro do ninho

Deixa que teu pai filhinha
Embale esse sonho teu
Porque o dia acabou
E a noite prevaleceu
E jajá nasce outro ano
No lugar do que morreu…

* * *

Nota do Editor: Poema publicado neste JBF no dia 2 de janeiro de 2014

1 janeiro 2017 FULEIRAGEM

JORGE BRAGA – O POPULAR (GO)

CARLOS ROCHA – GOIÂNIA-GO

Nos idos de 50, eu tinha em torno de oito para nove anos (tou na casa dos 7.2), morávamos numa pequena chácara retirado assim de um quilômetro a quilômetro e meio de Hidrolândia, minha terra natal, e pequeno município do interior de Goiás.

Eu tinha um tio, irmão do meu pai, chamado Benedito. Tratávamos ele, eu e meus irmãos, por “tiDito”. Ele possuía as duas presas folheadas a ouro, costume dos mais abastados da época. Ter dente de ouro era chique, pois ao sorrir aquela coisa cintilava na boca do sujeito, ou sujeita. O detalhe é que esse meu tio gostava de uma cachaça. A cada talagada de pinga que tomava ele soltava uma cusparada prá tirar o gosto. O cuspe gosmento se esparramava, parecendo uma grande aranha no chão. Vez ou outra, aos domingos, ele deixava os afazeres da fazenda de sua propriedade e se arribava prá nossa casa.

Pertinho de casa havia um pequeno comércio – a “venda do seu Vigilato” – que era o local que os cachaceiros se reuniam pra tirar um dedo de prosa e “limpar a garganta da poeirama da labuta na roça”.

Minha mãe havia terminado o almoço e gritou: “Carlinho, vai na venda do seu Vigilato e chama seu tiDito prá almoçar”. Eu fui.

Quando cheguei por traz para tocar no seu braço e dar o recado ele, sem me ver, se virou e soltou a infeliz cusparada na minha cabeça! Sai em disparada com aquela coisa nojenta escorrendo. Minha mãe socou minha cabeça na bica d’água e lavou com sabão preto (bola de sabão de cinzas usado antigamente por nossos pais e avós)).

Pedi prá ela prá nunca mais me mandar dar recado pro tiDito…

Arre! Que nojo!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa