2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

CLÁUDIO – AGORA SÃO PAULO

2 fevereiro 2017 COMENTÁRIOS SELECIONADOS

SUPEROU A REPÚBLICA FEDERATIVA DE BANÂNIA

Comentário sobre a postagem PAI ILUSTRE, FILHINHO MAIS ILUSTRE AINDA

Pablo Lopes:

“Caro mestre Berto, não sei se o senhor já leu, mas saiu na Veja, noticia de que na Romênia foi criada uma lei que legaliza a corrupção.

Isso mesmo!

Legaliza a corrupção, cujo prejuízo ao erário seja de até certo valor.

Já imaginou se nossos políticos seguirem o exemplo?

Se quiser ver a notícia, é só clicar aqui.

Abraços.”

* * *

Romenos nas ruas protestando contra a nova lei

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

VERONEZI – CORREIO POPULAR (SP)

NOCHE DE RONDA

Uma valsa canção de 1937, composta pela mexicana Maria Teresa Lara, e interpretada aqui pelo seu irmão, o também compositor Agustín Lara.

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)

2 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ROBERTO B. CAPPELLETTI – ITANHAÉM-SP

Caro Luiz Berto

Essa eu achei que você ia gostar:

Será que o sujeito está mostrando o tamanho da pajaraca que a Vaca Peidona iria levar se não apoiasse o sistema de arrecadação petista?

Ela parece ter ficado sem fala…

Um grande abraço

R. Meu caro leitor, eu desconfio que o interlocutor dessa idiota, além de mostrar o tamanho do cacete, deve ter dito também o nome do seu proprietário: o jumento fubânico Polodoro.

Aí a Vaca Peidona se assustou-se todinha e arreganhou a boca.

Na verdade, ela deveria ter arreganhado era as pernas.

Pela cara, eu acho que Marcelo Odebrecht pensou assim: “Eu acho é pouco… Merecia mais um meio metro…

Aproveito a oportunidade desta sua carta para mandar um grande abraço para os 119 viciados fubânicos que residem nessa bela Itanhaém!

Disponha sempre deste espaço, meu caro. E mande as ordens.

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

BRUM – TRIBUNA DO NORTE (RN)

2 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

FALTA MAIS UM

O juiz federal Sérgio Moro condenou nesta quinta-feira o marqueteiro do PT João Santana e sua mulher, Mônica Moura, pelos crimes de lavagem de dinheiro no esquema de corrupção na Petrobrás alvo da Operação Lava Jato.

Os dois foram condenados a 8 anos e 4 meses de prisão.

Entre os nove crimes de lavagem, reconheço continuidade delitiva. Considerando a quantidade de crimes, elevo a pena do crime em 2/3, chegando ela a oito anos e quatro meses de reclusão e cento e oitenta dias multa”, escreve Moro na sentença.

* * *

O marqueteiro do PT já está justa e devidamente condenado.

Agora só falta condenar o proprietário do PT.

João Santana e seus dois marqueteados vermêios-istrelados

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

ALPINO – BLOG DO ALPINO

INVENTORA DO DILMUNHOL ESQUECE O QUE DIZ EM DILMÊS

Com a agenda deserta desde 31 de agosto de 2016, quando foi despejada do emprego e impedida de concluir a missão de liquidar o Brasil, o que andaria fazendo Dilma Rousseff com o tempo que tem de sobra? Pelo que aconteceu em Sevilha neste 25 de janeiro, a ex-presidente continua empreendendo experiências linguísticas cada vez mais bizarras. Convidada para um seminário político naquela cidade espanhola, a pior oradora do planeta misturou o dilmês castiço com um portunhol de manicômio para criar um subdialeto inacessível tanto a quem fala português quanto para quem fala espanhol.

Ouça os três trechos agrupados no vídeo. Em seguida, leia a reprodução fidelíssima – sem retoques, sem correções e sem tradução – do que Dilma foi capaz de dizer. Pois foi isso o que desgovernou o país por mais de cinco anos.

1. “Cálculo de la ONU de la evasón fiscal de los países emergentes e em desenvolvimiento é… é subestimado de 100 mil millones ano. Ano! Quién és que paga el pato? Que és pagar el pato en Brasil? É quién paga la cuenta. E después vou hablar sobre el pato…. Quién paga la cuenta? Paga la cuenta, por essa política de interdición, de discusión a respeito de las receitas, paga la cuenta aquellos que estón mais… mais necessitado de la acción del Estado para garantizar los servícios que ellos necessitam. Esses pagam la conta”.

2. “Digo que no se puéde utilizar la corrupción como instrumento político de destruicción del que ellos consideram el inimigo. Não és um réu, és un inimigo! Y inimigo se destrói. É outra atitude. La justicia del inimigo no se puéde aplicar em países democráticos y isto yo digo porque yo tuve un golpe. El golpe sobre mi foi um golpe parlamentar, diferente de un golpe militar. El golpe parlamentar… eu sempre fiz la imagen, la metáfora de la árvore. Si la democracia, la árvore, el golpe parlamentar destrói a árvore a machadadas… No sé como se habla… (a tradutora sopra a palavra certa). Hachazo! En el golpe parlamentar, yustés invade a árvore com fungos e parasítas. Isto és la diferencia imagética… na verdade, yustés tienen partes de la estrutura, de las instituições contaminadas, mas você não tem perdas de derechos para a sociedad y isto é importante saber, porque lutarás contra ele, se ampliares todos los espaços institucionales democráticos. Lutarás contra eles se defenderes la democracia”.

3. “Uno… Una persona surge como una… gran posibilidad… con gran posibilidad de ser elecho, que és Lula da Silva. Lula és para ellos, golpistas, un perigo. Un gran perigo, porque tiene toda su carga de realizacciónes y el reconhecimiento de una parte da populación. Tentaram destruí-lo de todos los jeitos, aí, hacen pesquisas e ele está na frente. Entonces, hay grande risco de que ellos… de que ellos tentem inviabilizar su eleición condenando-o, porque para que ele no sea… séa candidato, condená-lo por dos veces”.

Dois dias depois, ainda na Europa, a palestrante especializada em cruzamento de idiomas ressurgiu em Lecce, para participar do seminário “La solitudine della democrazia”, promovido pela Universidade de Salento. Ou pelo esforço despendido no palavrório em dilmunhol, ou por ignorar até o quer dizer “mamma mia” em italiano, resolveu exprimir-se em dilmês, e transferiu para a intérprete a missão de traduzir o desfile de platitudes. Confira a performance no vídeo:

“A democracia permite que nós vejamos o processo e suas causas. É iss… é por isso que eu considero que, nessa tríade, o papel central, estratégico e articulador, o que permite construir um novo presente é a democracia. E quando ocê constrói um novo presente, é porque você tá de olho no futuro. Ninguém só constrói o presente sem tá um pouco de olho no futuro e é esse o processo que eu acho que nós temos de olhar. Temos de olhar na Europa, na América Latina, nos Estados Unidos… Somos todos irmãos nessa. E nunca, nunca…”.

A pausa sublinhada pela expressão apalermada precedeu a confissão:

“Ai, esqueci o que eu tava falando…”

Entre risos constrangidos, a intérprete ainda buscava uma fresta no muro sem saída quando Dilma voltou da estratosfera sobraçando uma maluquice intraduzível:

“Só um pouquinho… No Brasil, se diz eu engrenei uma primeira e fui!”.

Já foi tarde.

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

ZÉ DASSILVA – DIÁRIO CATARINENSE

DOIS BRINCOS RECÉM-TIRADOS

Na cabeceira da cama
Dois brincos recém-tirados
Dois brilhos fundos nos olhos
E um xodó bem começado.

Duas pessoas sozinhas
Qual duas casas vizinhas
Com biqueiras encostadas.
São vidas parede-meia
E a bica correndo cheia
Nessa hora de invernada.

Artilharia pesada
Tum-tum-tum de coração
Emoção ali campeia
Abrem-se regos nas veias
Só pra sangue de paixão.

Ali não há pára-choque
Nem outro tipo de pára.
De forma quero-maisista
É tudo mar de conquista
Bonito e cor de arara.

Sem meias e a meia-luz
Meia tiragem de roupa
É gesto suficiente
Prum casal enrabichado.

Rendidos, de mãos ao alto
E pernas pra que me queres
É aquele cabritismo:
Eu quero o que tu quiseres
Aquele chamar na chincha
Aquele corruchiado.

Nu com nu e sós com sós
E o quarto tando fechado
Exploram terreno livre
E também campo minado.

Publicado no livro Bandeira Nordestina Ed. Bagaço – 2006

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

2 fevereiro 2017 COMENTÁRIOS SELECIONADOS

FUBÂNICO ELEITOR DE TRUMP

Comentário sobre a postagem NÃO TEMOS MAIS COM QUE NOS PREOCUPAR?

Shimon:

“Como eleitor do Presidente Trump aqui na Carolina do Sul, entro no clube dos idiotas com alma lavada.

E os que elegeram e re-elegeram o Lula, Dilma, Sergio Cabral, etc, etc, são considerados espertos, inteligentes???

Boicotar venda do petróleo para isteitis???

Vão ser boicotado a importação, deixa entrar em funcionamento o PipeLine XL que vem petróleo do Canadá, Pipeline da Dacota do Norte, da abertura de minas de carvão mineral de West Virginia, da exploração macica do xisto no Texas, onde o Ministro de Energia é aquele que foi duas vezes governador do Estado do Texas.

O Presidente já declarou para a população americana que daqui a pouco o EUA serão independentes em importação de petróleo… etc. etc.

Sendo assim para quem país como a Venezuela vai vender o petróleo???

Decisão de um país soberano e terá que ser respeitada queira ou não.

Não visitar os isteitis é escolha de cada um, e eu quero gritar bem alto, “Make America Great Again Mister President“, para o bem das minhas netas.

Do eleitor idiota do Pato Donald.”

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

IOTTI – ZERO HORA (RS)

2 fevereiro 2017 DODDO FELIX - GORJEIOS


ADRENALINA DESPERDIÇADA

Por mais que o nosso coração palpite
e ter alguém seja o maior mister,
a vida nos impõe regra e limite,
inclusive em matéria de mulher.

Quem ama ao devaneio se permite.
Mas nem sempre se alcança o que se quer!
Não vale a pena que a gente se irrite
por qualquer coisa ou motivo qualquer.

Muita vez a paixão irrompe brava,
mas não progride, assim logo termina.
E tudo permanece como estava…

Amar é bom, entretanto atrapalha
e faz desperdiçar adrenalina,
mesmo que dure igual fogo de palha.

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

CONTATOS IMEDIATOS

Um lindo choro de Altamiro Carrilho para encantar a nossa quinta-feira.

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

S. SALVADOR – ESTADO DE MINAS

2 fevereiro 2017 JOSIAS DE SOUZA

SUPREMO SERVE REFRESCO PARA RENAN NOVAMENTE

Já virou novela o julgamento, no Supremo Tribunal Federal, da ação que pede a proibição da presença de réus nos cargos que estão na linha de sucessão da Presidência da República. Esses cargos são, pela ordem: presidente da Câmara, do Senado e do próprio Supremo.

O tema voltou ao plenário do Supremo na primeira sessão do Judiciário neste ano de 2017. Dependendo do resultado, o réu Renan Calheiros teria de deixar o comando do Senado poucas horas antes da eleição do seu sucessor, Eunício Oliveira. De repente, surgiu um pedido de vista redentor do ministro Gilmar Mendes. E a plateia foi privada novamente de assistir ao Super-Renan enfrentando um constrangimento.

Foi a segunda vez que o Supremo serviu refresco para Renan nessa matéria. Em dezembro de 2016, às vésperas do início do recesso parlamentar, o poderoso senador desrespeitou uma ordem judicial do ministro Marco Aurélio Mello, que ordenara sua saída do comando do Senado. E o plenário do Supremo passou a mão nos cabelos implantados do senador, desautorizou Marco Aurélio e inventou uma saída sui generis: réu não pode assumir a Presidência da República, mas nada impede que continue na Presidência do Senado. Um acinte.

Hoje, havia cinco votos a favor do entendimento segundo o qual réus não podem permanecer na linha de sucessão do Planalto. Faltava um voto para que a tese saísse vitoriosa, o que empurraria Renan para fora do cargo pouco antes da substuituição natural. Além de Gilmar Mendes, votaria Cármen Lúcia, a presidente do Supremo. O suspense foi mantido num instante em que assumem o comando no Senado e na Câmara políticos delatados por executivos da Odebrecht. Vai começar tudo de novo.

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE


www.cantinhodadalinha.blogspot.com
ESSE TAL DE BULLYING

Eu nasci no Ceará
No meu agreste sertão
Esse negócio de bullying
Por lá não deu certo não
Se alguém bulisse comigo
Corria sério perigo
Pais eu já sentava a mão.

Quando de casa eu saía,
Mamãe avisava bem:
Se apanhares na rua,
Apanha em casa também!
Os conselhos que mãe dava
Geralmente eu escutava
Não apanhei de ninguém.

O diabo destes meninos
São fracos e são mimados
E vão para o psicólogo
Quando eles são insultados
Não sabem se defender
E a altura responder
Ficando traumatizados.

No meu tempo de menina
Comigo ninguém bulia
E se teimasse em bulir
A porrada eu metia
Ninguém mangava da gente
Mas hoje é diferente
Buscam logo é terapia.

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

2 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JACOB FORTES – BRASÍLIA-DF

A SANFONA RECOSTADA À PAREDE DA SAUDADE

Minha travessia menineira está povoada de figuras humanas, mas uma, em particular, marcantemente sobrevive. Trata-se do Chagas, primo em segundo grau, consorte durante as distrações lúdicas dos tempos ditosos da infância. Formávamos uma confraria de meninos arteiros, entregues ao ofício de daninhar; evidentemente ao jeito próprio das crianças matutas da calmosa hinterlândia. Porém, chegou o dia em que nos apartamos. Subitamente um remoinho colheu-me e arrastou-me com suas garras espirais para lugar arredado da hinterlândia.

Quando a ventania, esgotada em cansaço, se esvaiu na sua última circunvolução, finalmente consegui apear; senti-me um náufrago que pisasse terra firme. (Ainda bem, pior se tivesse viajado embrulhado num trovão).

Mal pude acreditar naquele desconhecido, coberto de asfalto. Abobado e poeirento pisei, por assim dizer, em solo estrangeiro onde, de pronto, me alistei nas fileiras na densa borra suburbana da localidade. São os desígnios que cabem a cada um, em sorte. Aos mortais não é dado pressentir os remoinhos que advirão para levá-los ao próximo destino. Essa faculdade é privativa do Supremo.

Obviamente que durante a transportação revolta (que me desenraizou do sertão), gostaria de ter privado da companhia do meu singular confrade, Chagas, mas ele ficou no seu recanto costumado, desfrutando da imensa liberdade da hinterlândia, pródiga em favores, sobremodo os advindos dos roçados de onde seus pais colhiam os mantimentos de boca para prover-lhes a despensa. Aliás, mal se percebe que o mundo rural opera a abastança das metrópoles.

Chagas parece ter sido feito para aquele cenário sertanejo, gente mansa, pacata, cheio de particularidades: farinhadas, uma das lidas mais emblemáticas do sertão; fogueiras de São João; festa de apartação e ocorrências além.

Enquanto eu ia digerindo os hábitos dos urbanitas, Chagas, com ar de bonomia, crescia no papel de tocador de sanfona, especialidade forró pé de serra. Não tardou para que se tornasse muitíssimo conhecido por aquelas ribeiras, seja pelo ofício de tocador, seja pela singular maneira de conviver: tão amistoso quanto animoso, era o “mágico” da espontaneidade, pândego, bonachão. Sua figura também sintetizava o retrato anedótico do seu meio. A particularidade ímpar fica por conta do contraste: a crueza da labuta sertaneja (que lhe conferia pele queimada e feições encovadas) contrastava com a delicadeza com que dedilhava seu acordeom.

Ao esse amigo roceiro, sobretudo músico viandante, de significação particular, — cujo biótipo e maneiras tão expressivamente encerravam a bula da melhor convivência sertaneja, e que soube tocar, poeticamente, o sertão para os sertanejos, — dedico, sob o estigma da saudade, essas memórias, insones. Elas encerram um que de vago e triste, mas me regam.

Descanse em paz! Saiba que desta polifonia urbana consigo ouvir o som da sua sanfona, apesar de recostada à parede da saudade. Ainda não se identificou um lugar-tenente para suceder-lhe.

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

DUQUE – O TEMPO (MG)


http://orlandosilveira1956.blogspot.com.br/
HORA EXTRA

Quadro de Guy Rose

– Assim, não é possível. Está ficando difícil, mãe. Difícil, não: impossível. A senhora tem que se ajudar um pouco, saco! Tem que se alimentar direito, beber água, tomar os remédios, fazer os exercícios que o médico mandou. Puta que pariu!

– Calma, filha, calma. Se eu levanto do sofá, vocês brigam comigo, me xingam de tudo que é nome…

– Claro, queria o quê? É levantar para cair. Já lhe disse: quer ir ao banheiro? Chame alguém.

– Se eu chamo, vocês reclamam, ficam bufando.

– Não dá para ficar o dia todo à sua disposição. A gente tem mais o que fazer, mãe.

– Por isso, bebo pouca água, para não incomodar toda hora.

– Tem é que usar fralda dia e noite.

– Fico assada.

– Assada, não: mimada.

– Filha, minha doença não tem jeito. Tenha paciência.

– Eu sei. A senhora não vai melhorar mesmo. Mas quer piorar ainda mais? Já não basta o trabalho que está dando? Francamente. Há dez anos, desde que a senhora veio para cá, ninguém tem vida nessa casa. Merda.

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – AMAZÔNIA JORNAL (PA)

2 fevereiro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

PAI ILUSTRE, FILHINHO MAIS ILUSTRE AINDA

Há anos que recebo, quase que diariamente, o Ex-Blog do Cesar Maia.

Trata-se de um boletim escrito por Cesar Maia, pai de Rodrigo Maia, o atual prisidente da Câmara dos Deputados, e candidato à reeleição, mesmo sendo a reeleição para este cargo ilegal. E que, mesmo sendo ilegal e inconstitucional, foi a candidatura de Rodriguinho liberada ontem pelo STF, o órgão encarregado de zelar pela Constituição.

Coisas de Banânia, enfim.

E tudo indica que Rodriguinho, o franco favorito, será reeleito hoje, ainda pela manhã, tamanho o volume de promessas de pixulecagens que fez pros seus indecentes eleitores.

Cesar Maia, que já foi deputado federal e prefeito do Rio de Janeiro, hoje exerce o importante cargo de vereador na Cidade Maravilhosa. Na hora de escolher seus representantes, os cariocas só perdem mesmo pra nós outros, os pernambucanos, que temos os melhores prefeitos e vereadores deztepaiz.

A edilidade carioca propicia tempo suficiente para que Cesar Maia fique o dia inteiro cuidando do seu Ex-Blog.

O boletim Ex-Blog do Cesar Maia que recebi hoje, dia 2 de fevereiro, foi este que está reproduzido abaixo:

Este boletim de Cesar Maia não tem nada que se aproveite. É inutilidade do começo ao fim.

E, por isso mesmo, por não ter nada que se aproveite, é que eu leio todos os dias com muita avidez e atenção o boletim dele. Sempre é possível aparecer alguma notícia sem qualquer valor que possa ser aproveitada nesta gazeta escrota.

Além do boletim diário, Cesar Maia tem também uma página na internet. 

Quem estiver interessado em conhecer o blogue do pai do ilustre filhinho, é só clicar aqui.

“Filho querido, vou fazer uma pausa no besteirol que estou escrevendo, para nós capricharmos numa pose bem bonita: nós vamos sair no JBF, meu garoto!”

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

COMENTÁRIOS

Sem prazo pra nada

A primeira sessão do ano judiciário de 2017, com todas as desgraças que ocorrem à população brasileira, trouxe exemplos de como o Supremo Tribunal Federal posterga toda decisão que precisa tomar. Ao abrir a sessão, a presidente Cármen Lúcia sentiu-se na obrigação de prestar uma homenagem póstuma do ministro Teori Zavascki, que já teve todos os elogios fúnebres possíveis. Depois, pôs em votação a decisão de não permitir que presidente do Senado réu não pode assumir a Presidência da República por prazo algum. E Gilmar Mendes pediu vista, interrompendo o julgamento. Só Deus sabe quando vai liberar a ação. Já passou da hora de os ministros da Casa terem prazos para tomar decisões. (Clique aqui para ouvir o comentário).

* * *

Só chororô e chorumelas

Submeter a escolha do relator de processos relevantes para a Nação, como é o caso da Operação Lava Jato, chega a ser um crime de lesa pátria, a não ser que a Suprema Tolerância Federal prove que o algoritmo interfere no acaso levando em conta a carga de trabalho de quem disputa o lugar. A votação de um projeto que pode ficar para depois das urgências e com pedido de vista para atender formalidades jurídicos que adiam o sorteio do relator evidencia que, na primeira sessão de trabalho de 2016 do B, a STF, como de hábito, adiou o que é mais urgente. Urge, pois, reformar o regimento da Suprema Corte para, pelo menos, estabelecer prazos. A STF é a única repartição pública que desconsidera o tempo. (Clique aqui para ouvir o comentário)

 

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

ELVIS – AMAZONAS EM TEMPO

2 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PLANO 4 – RECIFE-PE

“Torna-te aquilo que és”.

Parece simples, mas concordando com Da Vinci, quando disse que “simplicidade é a sofisticação máxima”, sentimos que Nietzsche, com a provocação acima, não estava mergulhando no raso.

Ele fez com que revisitássemos as nossas utopias. Afinal, o que desejamos alcançar? E, conquistando, quem estará lá? Nós ou aquilo o que as “tendências” dizem que devemos ser?

Refletindo sobre isso percebemos que estava em nós, nublada, o que poderia aquecer ainda mais os nossos movimentos: a nossa essência. E que, exatamente ela, é que tornaria possível e linda toda essa viagem.

Tudo fez sentido.

Descobrimos que o que mais nos instiga é decifrar desejos e esculpi-los em projetos virtuais.

Notamos que os nossos espelhos refletem alquimistas do conhecimento. Inteligências entrelaçadas que, mutuamente, desenvolvem-se, transformam-se e desenham soluções sustentadas pelo princípio da fuga do óbvio.

Passamos a valorizar ainda mais as experiências que mexem com os sentidos e revelam a beleza da simplicidade das coisas.

Desta forma nos redescobrimos. Uma nova fase que pediu que nos vestíssemos de acordo.

Um novo site: Clique aqui para conhecer.

R. Francamente, é um privilégio ser cliente da Plano 4, a empresa que cuida do JBF.

Uma turma de técnicos informáticos sérios e competentes que está sempre a postos pra resolver todas as pendências.

Saibam que sou muito grato a todos vocês, pelo profissionalismo e pela eficiência.

Quem precisar de serviços de informática, garanto que não vai se decepcionar procurando a Plano 4.

E, aproveitando o momento, vou fazer logo o reclame: tudo a preço módico e accessível a qualquer blogueiro inxirido assim feito eu.

Sugiro aos leitores fubânicos uma visita à página da empresa.

Da esquerda para a direita: José Willams, Igor Melo, Hugo Madureira e Lula Paiva: os quatro malassombrados que cuidam desta gazeta escrota

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

PACIÊNCIA

Pacientemente, faz 150 anos, o nordestino sonha em se livrar das estiagens. Espera um dia, não se sabe quando, escapar do racionamento e da falta de água na torneira. Reza para, enfim, receber água do Velho Chico para irrigar a roça. Fortalecer o plantio. Ter o abastecimento garantido nas casas, especialmente quando a chuva tardar a aparecer. Como nestes cinco anos seguidos.

Infelizmente, a esperança de nova vida, a certeza de vencer o colapso hídrico, a aspiração de ter condições de matar a fome e a sede do povo e do gado, parece demorada. Pelo andar da carruagem, aparenta está bem longe de acontecer. O fato lamentável foi a destruição da fauna e da flora e a injeção de dinheiro para uma obra que parece interminável.

Somente em Pernambuco, até dezembro passado, existiam 60 municípios sofrendo os efeitos da seca. Enquadrados em situação de emergência. Lamentando o desabastecimento.

O que o polêmico projeto da transposição do Rio São Francisco tem servido, na opinião do matuto, é de moeda de troca. Garantir votos, mediante falsas promessas. Todavia, o que especialistas observam é a redução da capacidade de vazão do rio, devido a erosão e à degradação de trechos da bacia hidrográfica, onde vivem aproximadamente 17 milhões de pessoas e a falta de arborização dos afluentes. No passado, a profundidade do rio em terminados trechos, chegava a seis metros. Atualmente, em algumas áreas é possível se atravessar a pé.

A corrupção andou passeando nas obras de transposição. Desconfiada de desvio de recursos, a Polícia Federal fez uma operação para cumprir 32 mandados judiciais, 24 de busca a apreensão, quatro de condição coercitiva.

Desde 2007, a data do início das obras de transposição, o projeto que prever abastecimento para 400 cidades de quatro estados nordestinos, sofre alteração de custo. Atualmente, está orçado em R$ 8,2 bilhões.

O novo valor, depois de auditoria realizada, o Tribunal de Contas da União-TCU constatou indícios de irregularidades nos pagamentos e de superfaturamento.

A cada nova visita presidencial às obras de transposição, sempre acompanhada de enormes comitivas e movidas a gordas mordomias, para inauguração de estações de bombeamento, os gastos se elevam. Sem, no entanto, resolver o eterno problema de seca na Região.

Selecionada como uma das maiores obras hídricas do mundo, a transposição do Velho Chico além da geração de 10 mil empregos, devia era trazer esperança de vida melhor para 12 milhões de brasileiros.

Mas, no ritmo lento em que é executada, a demora faz incutir desesperança para essa pobre gente. Ávida para ver a cara do Nordeste mudar de feição. Sair da sensação do clima semiárido, superquente, abrasador, para um cenário agradável com predominância do verde.

No entanto, o sonho parece utópico. Difícil de realização. Lamentavelmente.

2 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – O LIBERAL

2 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUINTA-FEIRA – GUABIRUTAGEM AZUL-EMPLUMADA

* * *

Para quem tem seu bandido predileto, esta é uma excelente notícia.

Pra lamentar ou pra baixar o cacete.

Só mesmo aqui no JBF é que não tem vaga pra se elogiar corrupto de qualquer cor.

Agora, aqui entre nós: eu só queria saber com quem foi que Aécio aprendeu a rebater uma acusação de ladroagem com a afirmação de que “isto é um absurdo

Vocês sabem?

.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa