9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

ANTONIO LUCENA – BLOG DO NOBLAT

9 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JOSÉ SILVA – CAMPO GRANDE – MS

Sr. Editor,

As pesquisas sobre a esquerda caviar da Alemanha comprovam o que nós já sabíamos: é um bando de desocupados vivendo fartamente com o dinheiro dos outros.

Nunca trabalharam. Nem têm a mínima vontade. Ou, quando têm vontade, sentam e esperam passar.

Agora só falta um teórico marxista escrever uma nova “Teoria da Dependência” exaltando seus valorosos cupinchas.

* * *

Os dados que exibiremos a seguir são reveladores. Ajudam a entender mais sobre o perfil do militante médio alemão que não se distancia muito dos nossos populares “esquerda-caviar”. Conforme matéria do ILISP, uma vasta maioria dos esquerdistas detidos pela polícia em Berlim nos últimos anos por atos de quebra-quebra são homens jovens que ainda moram com os pais.

Se avaliarmos os detalhes, veremos que 873 pessoas foram detidas pelas autoridades de Berlim no período de 2003 e 2013. Deste montante, 84% eram homens, sendo que 72% deles tinham entre 18 e 29 anos. Um terço deles estavam desempregados e 92% ainda viviam com os pais. Se você achou que seriam adultos independentes, se enganou…

Os dados foram informados pelo Escritório Federal de Proteção à Constituição alemão.

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

O PRONUNCIAMENTO DE TÁSSIA CAMARGO ABRIU O CARNAVAL DE 2017

Depois de uma vigília de três dias no Hospital Sírio-Libanês, onde acompanhou na fila do gargarejo a agonia de Marisa Letícia Lula da Silva, e de mais algumas horas de plantão no velório oficial da mulher de Lula, a atriz em recesso Tássia Camargo voltou para casa pronta para um pronunciamento à nação.

Em apenas 3 min 17s, a esforçada carpideira produz uma discurseira que lembra as piores letras de enredos carnavalescos na linha samba do crioulo doido.

Trata de virtualmente tudo. Não esclarece rigorosamente nada.

Confira a transcrição da fala:

Eu tô impressionada com a cri… criatividade de todos vo… de muita gente no Facebook. Eu.. eu tô evitando de olhar, né? Eu tô muito cansada, eu fiquei uns três dias fora, no Sírio-Libanês e, depois, no velório e aí eu leio coisas tipo assim: “Ah, olha, o caixão tá fechado”, pessoas postando ainda. “Vamos fazer o DNA pra ver se a Dona Marisa está lá mesmo, porque eu acho que ela tá na Itália”. Hello! Acorda, para de assistir Big Brother. Gente, a plom-plom, a platinada, a TV Globo, ela tá colocando cocozinho na sua cabecinha, pra você ficar mais burrinho ainda! E te ferrar muito! Cê não entendeu ainda: Moro, Aécio e TV Globo, tá tudo ligado! É…é… ela teve um AVC no dia que o filho recebeu uma intimação, um dos filhos, é… Se você quiser saber quem é, você procure saber. Não por… pela Globo, nem pela VEJA, mas sim pela… é… prum, pruma ave… averiguação sua, profunda, tá bom? Que o resto é resto. E você, Luana querida, você é tão talentosa, tão bonita. É… nós somos colegas de trabalho, não amigas, né? É… se for verdade o que eu tô lendo, é… por favor, não vire uma Regina Duarte, não. A Regina recebe anos parada, é, sempre… Meu cachorro que me empurrou aqui, meu braço, pra fazer carinho nele. A Luana.. a, a… a Regina Duarte trabalha há anos ganhando muita grana… é… parada. Sempre usou ponto, nunca decorou. Era, era ótima, agora tá canastra, né? E fica ainda: “Ah, passei, por acaso, perto do Doria pra ajudar a limpar a cidade de São Paulo”. Ô, meu pai… meu pai… o que o… né? Não sei nem o que dizer. Mas você, Luana, eu achei que você fosse parecida comigo no sentido de falar as coisas que pensa. E você é, mas cuidado com o que você fala, porque você não sabe o que é um casamento de quarenta anos, de trinta, de vinte, de dez. Talvez, nem de cinco ou de três. Aí, você pode pensar assim: “Ah, mas eu tive um relacionamento curto, mas profundo”, mas você não passou o que a Dona Marisa passou. As ameaças, as décadas e décadas. Você nem era nascida. Eu tô vivendo meus cinquenta e sete anos e eu tenho experiência de um relacionamento muito longo. Eu sei, exatamente, o que ele tá passando… É difícil, viu? É muito complicado. E ele vem com força. Agora, não fala besteira não, tá? É… tá parecendo mais pra se promover, o que você não precisa porque você é inteligente. Como falam: “Ai, a Tássia Camargo publica esses vídeos pra aparecer… a Globo congelou”, coisa e tal, e eu pedi demissão da Globo… cê sabe como funciona isso, né, Luana? As pessoas que não têm nada… pra fazer e são fa… são falidas, são derrotadas… é… não fazem o que querem e não têm talento pra nada, então, resolvem falar mal da gente. Não deixem falar mal de você, não. Conserta isso aí que cê tá fazendo, porque tá errado, viu, minha amiga? Minha amiga, não; minha colega. Então, pra todos vocês, beijinhos vermelhos. E pra você, Luana, beijinho. Tchau, boa noite.

Boa noite, Tássia. Vá descansar.

Você está precisando.

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

9 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ALEXANDRE TORRES – BAIXO GUANDU-ES

Berto,

Compartilhe aí com os fubânicos que coisa ridícula esses policiais pedindo autorização à mulheres para ir cumprir seu dever:

Depois, pegam uns dias de xadrez e chegam em casa desse jeito:

R. Meu caro leitor capixaba, vou complementar sua mensagem com uma charge de Nani, o genial colaborador fubânico.

Uma charge que desmente o segundo vídeo aí de cima e que mostra como é que as esposas estão tratando os policiais militares do Espírito Santo.

Veja:

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

LUTE – HOJE EM DIA (MG)

MARCOLINIZANDO

Indo rever o torrão
Que deixei inda menino
Parei por alguns instantes
Na terra de Vitalino
Para parabenizar,
Sorrir muito e abraçar
A filha de Marcolino.

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

LUSCAR – CHARGE ONLINE

9 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CARLOS IVAN – OLINDA-PE

Os registros indicam que o Brasil comete mil injustiças sociais. Age com tremenda incorreção. Só em ser mão aberta pra uns, deixar rolar regalias à vontade para a elite, mas, ranzinza para a maioria da população, negando inclusive direitos, já sai do tom. Praticando insensatez.

Basta verificar a realidade. Enquanto presidentes, vices, senadores, deputados federais e respectivas famílias tem cobertura médico hospitalar completa, totalmente grátis, até no mais caro hospital do país, o Sírio Libanês, de São Paulo, o povo é obrigado a se submeter diariamente à precária assistência prestada pelo SUS nos hospitais da rede pública. Sem estrutura adequada para eliminar as longas filas.

Depois, os homens, que se dizem honestos e sensíveis com os problemas sociais, vêm ao povo, tentando enganar com lindos e falsos discursos. Mentirosa falação.

Pouco se incomodando se milhares de brasileiros, pobres, entram em óbito, diariamente, espichados no chão gelado dos hospitais públicos. Completamente desassistidos.

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

EDRA – DIÁRIO DE CARATINGA (MG)

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)

ULTIMO DIA – Levino Ferreira

Hoje, 9 de Fevereiro, é o Dia do Frevo. Pros leitores fubânicos um Frevo de Rua da autoria do Maestro Levino Ferreira, intitulado Último Dia, o frevo preferido da co-editora do JBF, Aline Berto.

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)


http://www.musicariabrasil.blogspot.com
FÁTIMA DE CASTRO É BOSSA, É BLUES E O QUE MAIS VIER EM BOA MÚSICA

Em “Bossas e Blues”, a cantora e compositora pernambucana reafirma-se como uma grande intérprete a partir de canções que nos remete aos áureos tempos de nossa MPB (Foto de Thais Malta)

Diferente de outrora, a música popular brasileira definha a passos largos, à exceção de nomes pontuais e bastante conhecidos do grande público ou uma ou outra novidade que acaba por muitas vezes perdendo-se em meio a tanta mediocridade que nos é praticamente impostas através dos mais distintos canais de comunicação existente em nosso país. Um verdadeiro crime à arte feita com esmero, uma vez que trata-se de concessões públicas e que deveriam ter por finalidade maior a valorização da cultura nacional a partir do reconhecimento da qualidade da obra, e não por deixando-se levar em consideração aspectos econômicos como tem sido boa parte das diretrizes radiofônicas e televisivas vigentes. Trabalhos musicais que buscam atender aos mais refinados padrões melódicos e estéticos tem perdido a vez na concorrência desleal imposta a partir de outros deturpados parâmetros usados afim de aferir qualidade. É nesse desfavorável contexto, que a a cantora e compositora Fátima de Castro volta ao mercado fonográfico para nos atestar que nem tudo está perdido neste desgostoso aluvião sonoro. Compositora de mão cheia, a cantora e instrumentista volta aos discos depois de um hiato de duas décadas afastada da indústria do disco. Voltou para enfrentar o desfavorável contexto ao qual trabalhos como o seu tem que enfrentar paulatinamente. No entanto, mesmo ciente que remaria contra a maré, a artista não se deixou abalar nem rendeu-se aos ditames que regem o cenário musical e manteve-se firme em seu propósito de apresentar um trabalho agradavelmente destoante. Coragem para poucos que conseguem sobrepor-se a partir do talento, e com esse instrumento busca remar contra a desfavorável maré regente para a sorte daqueles que acreditam na redenção da música popular de qualidade que outrora predominava com folga os mais distintos espaços.

Instrumentista que teve como docente o exímio violonista Henrique Annes, para quem não conhece Fátima de Castro, ela traz em sua biografia artística décadas de história pautadas sempre em uma coerente trajetória. O caminho musical ao qual optou e vem trilhando teve início nos anos de 1960 a partir de esporádicas apresentações em shows universitários e programas de televisão que aos poucos, foi lhe propiciando uma maior visibilidade na cena musical pernambucana a partir dos mais diferentes contextos, tal qual a apresentação no Teatro do Parque ao lado do saudoso cantor Nelson Gonçalves pelo “Projeto Seis e Meia”. O acúmulo dessa experiência lhe deu a segurança precisa para, em 1994, incursionar pela primeira vez no mercado fonográfico ao lançar de modo independente o álbum “Fátima de Castro“, CD onde constam distintos ritmos musicais e a presenças de compositores diversos. Em 1995 a cantora, compositora e instrumentista volta novamente ao mercado do disco desta vez com um registro ao vivo e desde então havia dado uma pausa em sua discografia. Esposa do compositor Bráulio de Castro (que merece um capítulo à parte devido também a sua história dentro da música popular brasileira), agora volta interpretando quinze faixas que ora levam a sua assinatura como a bossa “Saudade” e a faixa “Samba do Kim”; em parceria com o marido vem “De repente”, “Minha presa”, “Palavras mal ditas”, “Deixa doer”, “Meu soluço”, “Antropofágica” e “Desacerto”. Da lavra de Fátima com outros compositores estão presentes as canções “Amigo da alegria” (parceria com Horton Coura), “Alguém possível” (com Paulo Elias) e “Recife Sol e cor” (com Carlos Pessoa de Melo). O disco ainda evidencia o seu lado intérprete ao trazer para o deleite dos admiradores da boa música canções como “Vinho da mesma safra” de autoria de Bráulio de Castro”, e as canções “Álbum de sonhos” e “Mais um louco” (do compositor em parceria com Paulo Elias).

Bossas e Blues” conta com a participação de nomes de peso da música instrumental pernambucana o que acaba por reiterar o compromisso que a artista selou com a proposta musical que abraçou desde o início e que evidencia-se nos diversos gêneros que a sua obra abrange desde que se propôs a fazer música. O CD traz consigo a chancela da qualidade, característica esta que, em momento algum, deixa de evidenciar-se no trabalho do início ao fim. Para respaldar esse precioso detalhe o disco conta com o requinte e o bom gosto de nomes como o do maestro Edson Rodrigues, com irrepreensíveis instrumentistas tais quais o guitarrista Luciano Magno, o pianista e tecladista Fábio Valois, o acordeonista Beto Hortis e Beto do Bandolim, que como o próprio nome artístico revela executa bandolim. Vale frisar que o disco conta ainda, em sua tessitura sonora, a chancela do irrevente e talentoso Maestro Forró e o endossamento do Maestro Spok, maior expoente da atualidade do gênero que melhor representa a música pernambucana: o frevo.

De antemão já deixo claro: apesar do título do álbum limitar-se a dois gêneros musicais, “Bossas e Blues” é um disco que abarca nuances diversos de uma parcela significativa da boa música. feita não apenas nem nosso país, mas de distintos gêneros existentes em todo o planeta. A prova maior desta afirmação é possível ter já na primeira faixa de “Bossas e Blues“, a partir de uma canção de nos remete sem escala aos anos dourados da música mundial a partir das saudosas big bands tão evidentes nas décadas da primeira metade do século XX. Um arranjo que nos remete a nomes como Duke Ellington, Glenn Miller e tantos outros. Daí em diante é uma efusão de uma rica sonoridade que só quem tem a oportunidade de conhecer o trabalho é capaz de perceber. Uma qualidade que faz com que o nome de Fátima de Castro reitere novamente o time da boa música pernambucana a partir de projetos fonográficos como este. Mesmo com uma carreira pontuada por significativos intervalos, Fátima mostra com talento e bom gosto o quanto faz falta para o cenário musical pernambucano sempre que buscou manter-se à margem dos holofotes. Em um cenário musical cada vez mais nefasto, trabalhos como “Bossas e Blues” reiteram a esperança naquilo que o fez o Brasil ser respeitado em todos os cantos do planeta ao se falar de arte. É um disco que facilmente pode servir de proa a favor dessa nau da boa música que insiste singrar esse mar de lama a qual a música popular brasileira anda mergulhada. Que nomes como o de Fátima de Castro estejam sempre a nos mostrar que nem tudo está perdido dentro da música popular brasileira a partir de trabalhos carregados de verdade e inquestionável qualidade. A música brasileira agradece e nós, pernambucanos acostumados ao título de megalomaníaco em tudo, ganhamos mais um motivo para manter a fama.

Deixo para deleite dos leitores de nossa coluna a canção “Minha presa“, como já dito, uma parceria sua com Bráulio de Castro:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

* * *

Maiores Informações:

E-mail – brauliodecastro@yahoo.com.br / fa.castro@hotmail.com

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

ASSUNTO DE NOVELA NO SERTÃO

Taliquá assunto de novela, vez por outra uma matuta virgem “facilita” prum cabra esperto e azeiteiro, e, na hora agá, joga a culpa no coitado do namorado em busca de casamento.

Isso aconteceu com uma moça do alto sertão da Paraíba, ou melhor, ia acontecendo, se não fosse a interferência do matuto Zé Pedro, pai do rapazote namorado, já denunciado de autor da “desgraça”.

No momento da denúncia, o delegado perguntou à moça:

– Como foi que aconteceu esse defloramento, menina?

– Eu não me alembro não seu delegado! Na hora eu tava dormindo!

Zé Pedro, com venta de bezerro, despejou um caminhão de batata de protesto:

– ÊPA!! Não pode, seu delegado! Tá camulesta! Não pode não!!!!

O delegado surpreendido questiona:

– E não pode por quê? Então o senhor acha que uma moça não pode ser deflorada durante o sono?

– Pode não sinhô! Porque se eu tiver dormindo nu abestalhado e alguém passar um fiapo de capim-mimoso no meu fundo, eu meto os pés, quanto mais um cepo de aroeira!!!

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

EDER – CHARGE ONLINE

9 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

AMAURY QUEIROZ – NATAL-RN

Berto:

Pernambuco está em festa!

Hoje, 9 de Fevereiro, é o Dia do Frevo.

É dia de alegria e de comemoração para os pernambucanos, inclusive aqueles que, como eu e com saudade, estão distantes do solo querido.

Festejemos ouvindo um dos frevos mais executados durante a folia: CABELO DE FOGO, de José Nunes, recentemente falecido, em versão com letra de minha autoria homenageando esse consagrado maestro, num vídeo produzido por José Leonardo Torres.

Um fraternal abraço!

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

AS CONTAS

Vai-se a primeira nota inflacionada
Vão-se o dólar, o euro e o real
Aumenta o preço até da goiabada
Vou acabar limpando com o jornal
À tarde, quando pego uma amassada
Nota de dez eu choro a duras penas
Valia dez e agora vale apenas
Menos de dois merréis, não vale nada!
Também os meus cartões todos se foram
Para o fundo do poço onde moram
Os cheques, a esperança e tudo o mais
Para o azul as contas não retornam
À minha porta os credores voltam:
– Eu vou mandar todos tomarem atrás!

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

9 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

IZETE VELANI – AQUIDAUANA-MS

Uma contribuição para esta gazeta escrota e líder.

Um vídeo sobre o amigão de Lapa de Corrupto.

Saudações pantaneiras!

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

MARIANO – CHARGE ONLINE

9 fevereiro 2017 A COLUNA DE ALAMIR LONGO

O PSICOPATA

O ser humano é capaz de criar coisas maravilhosas e dar exemplos grandiosos de solidariedade e fraternidade de ser digno daquela máxima de que fora criado “à imagem e semelhança de Deus”. Porém, infelizmente, temos que conviver com as mais terríveis mazelas que apodrecem a alma de tantos habitantes desse planeta azul. Entre as mais graves está a psicopatia que, segundo dizem, na fase adulta não tem cura.

Os psicopatas são sedutores, envolventes e simpáticos até conseguirem aquilo que desejam. Mas, na verdade, por trás da máscara de boa pessoa esconde alguém frio e calculista, mentiroso contumaz, egocêntrico, megalômano, parasita, manipulador, impulsivo, inescrupuloso, irresponsável e desonesto que age somente em benefício próprio. É capaz de cometer as maiores atrocidades sem demonstrar o menor sinal de remorso ou arrependimento.

Esse é exatamente o perfil de Lula: o de um psicopata.

Relembremos, por exemplo, o que declarou sobre ele em 2006, Heloísa Helena, uma das fundadoras do PT: “Luiz Inácio Lula da Silva é um gângster e o PT é uma organização criminosa capaz de roubar, matar, caluniar e liquidar qualquer um que passe pela frente ameaçando seu projeto de poder. Eu sei o que eles são capazes de fazer”. Palavra de quem vivia no mesmo ninho da “cumpanherada”, portanto, não há o que duvidar. (Clique aqui para ler)

Quem conhece Lula, não deve ter tido nenhuma surpresa com aquela indecorosa e repugnante profanação feita por ele com o cadáver insepulto de sua própria mulher, a quem pouco ligava. Dele não se esperava outro comportamento que não aquele. Lula é um psicopata e ponto!

Transformar velório em palanque não é nenhuma novidade para ele. É só mais uma de suas tantas sorrateiras especialidades. Não custa lembrar, por exemplo, que em 21 de janeiro de 2002, Lula compareceu à cerimônia fúnebre de Celso Daniel, subiu em um caixote e cinicamente disparou:

“-Estou convencido de que você, Celso Daniel, não foi vítima do acaso e que não foi um incidente. Possivelmente, sua morte foi planejada. Possivelmente, tem gente graúda por trás disso!”

O resto da história todo mundo já sabe.

Lula e Zé Dirceu no velório de Celso Daniel, em Santo André – em 2002

Aliás, sobre o assassinato de Celso Daniel, reveja no vídeo abaixo a deputada Mara Gabrilli botando a boca no trombone:

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – O LIBERAL

NA POLÍTICA DE BRASÍLIA, A UNIÃO FAZ A FARSA

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

S. SALVADOR – ESTADO DE MINAS

9 fevereiro 2017 GORJEIOS - Doddo Felix


DESAFIOS

Nas vastidão sem fim do firmamento
ziguezagueia cintilante bolha
num vendaval levada pelo vento,
exposta a tudo, sem nenhuma escolha.

Vencer os desafios sempre eu tento,
porém me sinto às vezes como folha
a deslizar em rio caudalento
com receios de que um abismo a colha.

Não conquistar um bem que muito quis,
de modo algum fará alguém feliz.
Em consequência, os dissabores vêm.

Mas com certeza o que começa finda,
até as cores de uma tarde linda…
E os desafios terão fim também!

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

9 fevereiro 2017 COMENTÁRIOS SELECIONADOS

O POVO TOMA NO FULECO

Comentário sobre a postagem AECINHO COMIQUIETO

Dalinha Catunda:

“Eu que não meto a colher
Pra mexer esse angu.
Políticos fazem merda,
E o povo toma no cu.
É candidato a prisão,
Quem for chamar de ladrão,
O famoso Belzebu.”

* * *

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

PATUSCADAS QUE (NÃO) SÃO PATACOADAS

O brasileiro adora uma patuscada, que no dicionário é definida como folia animada, divertida e barulhenta; pândega, farra. Já nossos “líderes” e políticos adoram uma boa patacoada, também definida no dicionário como fazer coisa errada, “fazer merda”, mas nada sério. Sinônimo de “presepada” ou de “palhaçada”.

Adoram um circo, um picadeiro onde podem ser astros e engabelar o povo. Ou melhor, adoram um picadeiro onde possam fazer o povo de palhaço. Só que nesta brincadeira só eles riem, ou pelo menos riam. As delações premiadas, o povo na rua, a lava-jato e o saco-cheio da população está trazendo uma mudança de ares ao fétido Circus maximus brasiliensis.

Mas o que fez nosso Capo de tutti Capi latino, Lula, resolveu transformar o velório de sua esposa, Dona Marisa Letícia, em ‘showmício’. Encarnou o ‘homem da cobra’ (personagem folclórico que anda nas praças do Brasil com uma cobra vendendo pomadas milagrosas, só na lábia e no gogó) e sem nenhum escrúpulo ou pudor vulgarizou o velório lançando raiva, bobagens e petardos contra todos os seus ‘inimigos’. Só faltou usar o féretro de palanque, o que não o fez porque ninguém sugeriu, se tivessem sugerido quiçá tivesse feito.

Eu havia acordado comigo mesmo não comentar a passagem de Dona Marisa em respeito à dor, que achei que a família pudesse estar sentindo e por aquele respeito que, por educação nos faz calar ante o passamento de qualquer pessoa, mesmo o mais vil dos canalhas.

Ocorre que, se a família de canalhas não teve, nem por educação nem por qualquer outra coisa, um pingo sequer de respeito ou um sinal de dor, vou falar o que penso.

Canalhice! É assim que defino as atitudes de Lula, de seus familiares e asseclas. Culpar A, B ou C é ridículo. Ameaçar pessoas, ameaçar autoridades, faltar com respeito a pessoas é mais ridículo ainda. Mas é parte da alma desta esquerda fútil e virulenta que nos desgovernou por 13 anos.

Erraram os médicos que comentaram em redes sociais sobre o estado de saúde e sobre seus desejos/prognósticos da saúde de Dona Marisa. Foram antiéticos e serão punidos, podem ter certeza. Mas aquele professor de Universidade Pública Federal que louvou, no final do ano passado, a morte de uma mãe de família, assassinada por um vagabundo, será que foi punido?

Claro que não, virou herói desta gente baixa ao mandar textos a seus alunos comemorando a morte desta mãe como “uma vitória dos proletários expropriando a burguesia”. Como se ele não fosse um burguês segundo seus próprios conceitos.

Já segundo os meus conceitos éticos não passa de um psicopata que deveria ser demitido e proibido de dar aulas.

Psicopatas, como os que agora clamam por vingança pela morte de Dona Marisa, mas que desejam explicitamente nas redes sociais e comemoram a morte e a doença de seus desafetos.

Doentes, psicopatas que obviamente seguem um doente mais agudo, um psicopata do último nível, que se preocupa apenas com o poder a qualquer custo. É o mínimo que se pode dizer do viúvo que tripudia o solenidade de velório de sua esposa, que usa o ritual como palanque e que emoldura uma foto sua atrás do caixão.

Mas o camelô de empreiteira conseguiu pouco além de alguns minutos na televisão. Não lotou nem o salão do sindicato que já foi pequeno, outrora, para sua audiência. E foi aplaudido apenas pela mesma plateia amestrada que sonha com seu retorno, mas que ainda o verá de mudas para Curitiba.

Sobre a falecida, o que dizer? Dona Marisa tinha um aneurisma, um coágulo no cérebro, descoberto ainda quando era primeira Dama, no auge do poder do marido. Quando não havia Moro, MPF ou Lava-jato.

Tinha como sempre teve todas as condições de tratá-lo e sem ter de usar o fantástico SUS, criado por seu marido. Não o fez e, pelo que se sabe também não se cuidou, acabou estourando. Deu no que deu, sem culpados, a não ser o destino.

Mas Dona Marisa não era a ‘santa’ que apregoam. Viveu mais de 40 anos com um canalha e lambuzou-se do poder, ou já esqueceram a estrela vermelha nos jardins do Alvorada. Viveu a ascensão do canalha e estava vivendo sua derrocada, lado a lado, ponto.

Mas a canalhada a soldo fica repetindo o mantra do ‘assassinato’, da coitadinha, etc. Parem! Ninguém mais cai nessa.

E o apedeuta de pé no palanque-caixão, consolado pelo Bispo Vermelho (Dom Angélico) que há muito só reza missa negra e cantilena marxista.

Só faltou pedirem votos! Aliás, não faltou não. É muita cara-de-pau.

Ah! Uma dúvida, onde estava Rose Noronha? Será que a primeira amiga foi ao enterro ou foi consolar o viúvo depois na intimidade?

Tudo isto me enoja e fez com que eu rompesse meu pacto de silêncio e respeito. Não dá para silenciar ante tanta desfaçatez, oportunismo e descaramento. Ainda mais do viúvo.

Que a Senhora tenham um julgamento justo no além e pague pelos seus pecados ante o Criador, não importa qual seja ELE.

Mas que seu viúvo tenha saúde e viva por muitos anos para pagar seus pecados aqui mesmo, nas terras de Curitiba.

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

MOISÉS – BLOG DO NOBLAT

9 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

UM EDITOR CONFUSO E FRUSTRADO…

A Polícia Federal concluiu um inquérito que investigou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no âmbito da Operação Lava Jato e apontou indícios de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, segundo informou o Jornal Nacional.

A investigação partiu de mensagens de celular trocadas entre Leo Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS, e o atual presidente da Câmara.

* * *

Oxente!

Danô-se!

Saiu no Jornal Nacional????

Confesso que num intendi…

Eu pensei que a Rede Globo e Jornal Nacional só perseguissem o PT e seus pulíticos. E só botassem no ar as ladroagens lulaicas.

Pelos menos é o que diz a fubânica petista Num-Mudo-Nem-Com-Prova-Em-Contrário.

Eu achava que só os noticiários do SBT, da Record e da Band é que fossem isentos, já que não recebem qualquer cacetada da militância tabacuda.

E o MPIZB (Manual do Perfeito Idiota Zisquerdista Banânico) recomenda que os descerebrados da militância vermêia falem mal da Globo pelo menos uma vez por dia.

Quer dizer, então, que o Jornal Nacional também bota no ar uma denúncia contra um pulítico do DEM, o partido da direita banânica???

Agora em fiquei confuso.

Vôte!

E logo eu que confiava tanto nas equilibradas e sensatas ponderações da sensata comentarista Num-Mudo-Nem-Com-Prova-Em-Contrário.

Confesso que fiquei frustrado.

Usando o incompreensível chavão dos militontos, o Jornal Nacional é golpista.

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

DUQUE – O TEMPO (MG)


http://orlandosilveira1956.blogspot.com.br/
RAPIDÍSSIMAS

ESTORVO

O velho sumiu. A família levou dez dias para se dar conta.

SINA

Quem sai aos seus – é certo – não degenera, mas também raramente se regenera.

CELIBATO

– Cadê a irmã Cidinha?

– Padre Paulo comeu.

BUMERANGUE

– Américo, você é um fracassado, um homem que nunca teve ambições.

– Você está certa, Josefa. Podia ter comido coisa melhor.

CHÁ DE CADEIRA

Fulano nunca chega no horário combinado. Hábito, mania? Não. Falta de educação.

MENTIRA

Não é verdade que todos os políticos são iguais. A imensa maioria é muito pior que a escassa minoria.

DUPLA FACE

A mão que afaga também afana.

HOMENS & MULHERES

Quem alardeia intimidades não vale o que come.

DORES

Não se iluda: elas são intransferíveis.

NA DÚVIDA

Seja generoso, sai mais barato.

9 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa