11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

GENILDO – CHARGE ONLINE

11 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

O VELÓRIO DE MAQUIAVEL

Ruy Fabiano

Não há dúvida de que o presidente Michel Temer é um virtuose da velha política, um craque dos bastidores.

Acaba de eleger os presidentes da Câmara e do Senado, exibindo uma maioria de fazer inveja ao Lula dos tempos do Mensalão. Indicou para o STF um homem de sua confiança, Alexandre de Moraes, que adiante poderá vir a julgá-lo.

Livrou-se, dessa forma, de um problemático ministro da Justiça e ganhou um aliado estratégico na Corte Suprema. De quebra, criou dois ministérios – o dos Direitos Humanos e o da Secretaria Geral da Presidência -, colocando neste um de seus mais próximos colaboradores, Moreira Franco, blindando-o na Lava Jato.

Denunciado na delação da Odebrecht, onde, sob o apelido de Gato Angorá, é acusado de receber propinas, Moreira, agora ministro, fica abrigado na amigável esfera do STF, salvo de Sérgio Moro.

Com o Ministério dos Direitos Humanos, entregue à tucana Luislinda Valois, consolida a aliança com o PSDB. Pouco importa que a redução de ministérios tenha sido um de seus compromissos de posse. Com os que acaba de criar, Temer garante sua maioria parlamentar, na base do toma lá dá cá. Cargos por votos.

O problema é que a velha política, com suas manobras e engenhosidades, só funciona para dentro; só produz aplausos e admiração nos bastidores. O efeito é oposto na opinião pública, farta de maquiavelismos. Essa é a grande mudança imposta pelo Brasil da Lava Jato, que, ao que parece, ainda não foi percebida pelos políticos.

Ainda agem movidos pelos velhos paradigmas, em que a busca de resultados (não necessariamente administrativos) põe tudo o mais, inclusive (e sobretudo) os fundamentos morais mais elementares da governança, em segundo ou mesmo nenhum plano.

Isso explica, por exemplo, a abundância de ministros demitidos em menos de um ano de governo. Só Dilma Roussef ultrapassou essa marca, mas Temer parece empenhado em não ficar para trás. Moreira é sua mais nova aposta.

Sua posse foi suspensa por mais de um juiz de primeira instância e terá veredito definitivo no STF, por meio do ministro Celso de Mello. Pode não ser tecnicamente a mesma situação de Lula, que já era réu quando nomeado para a Casa Civil por Dilma.

Moralmente, porém, é.

Moreira está citado com detalhes nas planilhas da Odebrecht. Deveria, ele próprio, abster-se de pôr em dúvida sua presunção de inocência. Ao aceitar o guarda-chuva ministerial, sinaliza em sentido oposto. Lula foi barrado por Gilmar Mendes; vejamos o que dirá Celso de Melo. O país acompanha tudo de perto – e essa é, repita-se, a grande novidade na política.

Na velha política, ignora-se tal fenômeno. Temer, segundo se noticiou – e ninguém desmentiu -, pediu à presidente do STF, Cármen Lúcia, que não quebrasse o sigilo das delações para não interferir no resultado das eleições para as presidências da Câmara e do Senado. Pedido aceito, as eleições consumaram-se sem surpresas. E as delações continuam sob total sigilo.

Tornou-se recorrente comparar a Lava Jato à sua similar italiana Operação Mãos Limpas, ocorrida entre 1992 e 1996, que também passou um trator sobre a política daquele país. Ao final, porém, não resistiu às manobras de bastidores, que resultaram em mudanças na legislação, que devolveram o país às práticas habituais.

Aqui, tenta-se o mesmo. Esta semana, a Câmara quis votar em regime de urgência proposta que retirava do TSE o direito de cobrar dos partidos prestação de contas. Não conseguiu.

As redes sociais derrotaram mais uma vez a manobra, já tentada antes em relação às dez medidas contra a corrupção, propostas pelo Ministério Público, e ao projeto de abuso de autoridade, que impunha sanções penais aos investigadores.

Esse é o diferencial destes tempos de Lava Jato em relação à Operação Mãos Limpas: a pulverização da informação, via internet. Não há mais como controlá-la, nem muito menos as reações que provoca e as mudanças que impõe. É uma viagem sem volta.

No futuro, que já começou, o político terá de ser honesto, senão por razões de ordem moral, por imperativo tecnológico.

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

FRANK – A NOTÍCIA (SC)

11 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

FRED MONTEIRO – RECIFE-PE

Aos amigos do Blog, em especial ao Editor Luiz Berto.

Não tenho a menor ideia de quem passou a reportar-se, neste blog, à Sra Glória Horta usando o infame pseudônimo “Rolha pra cu de cobra“. Jamais a chamei disso, pois deixei de me dirigir a ela faz tempo e essa “briga” sustentada por ela e seu irmão Goiano Horta, (excelente poeta, embora politicamente falando não pense como o signatário) não me diz respeito.

Deixei de escrever minha coluna por motivos pessoais, conforme comuniquei por escrito ao Editor, e até tentei continuar a acompanhar o blog mas, desde algum tempo, estou dedicado a ajudar na recuperação de meu irmão, de uma grave doença, participando ainda de um voluntariado musical em Hospital Público e outras entidades assistenciais desta cidade, além de cuidar e organizar meus arquivos de música, poesia, poemas de cordel e sobretudo 47 anos de constante atividade de fotografia e vídeo das minhas viagens pelo Brasil… tudo isso sem falar na atenção diuturna à minha família.

Como o amigo vê, falta-me tempo para dedicar-me a responder a esse tipo de gente. Não pretendo fazer isso e lamento que minha imagem no blog tenha se tornado essa. Prezo por demais os amigos que ai deixei para envolver-me numa “baixaria” desse porte, partida GRATUITAMENTE de uma senhora que tem evidentes problemas de interpretação de fatos do dia-a-dia dela, na medida em que assume posições exacebadas e sustenta intermináveis discussões políticas nessa conceituada folha digital.

A Sra Glória, na sua esquizofrênica interpretação de pseudônimos, já tinha anteriormente aventado a possibilidade de ser meu esse apelido. Num comentário nessa mesma postagem ela escreve:

“Esta gazeta escrota é também um circo. Tem até ex-colunista músico com pseudônimo de “Rolha pra cu de cobra”… Com todo respeito, mas será que a cobra se chama Wilma Flintstone? (Risos, risos e mais risos.)”

Mais uma vez encareço que você, Berto, como Administrador do Blog, que tem como saber de quem é o pseudônimo, (via conhecimento do e-mail de cada um dos leitores e comentaristas do blog), esclareça a essa Senhora acerca do erro que ela está cometendo, difamando-me publicamente com seus comentários toscos e impróprios, dirigidos à pessoa errada.

Se vocês perceberam, nessa triste estocada, ela fala num “ex-colunista músico” com esse pseudônimo e pergunta se a “cobra” se chamaria Wilma Flinstone (numa alegoria para ligar o “seu suspeito” ao nome Fred (Flinstone).

Isso tudo é de um terrível mau gosto e eu, que nem mesmo venho mais comentando no blog, fico por demais ofendido com essas colocações. Principalmente porque – acho eu – procurei-me portar de maneira civilizada na nossa longa convivência no Jornal.

Agradeço antecipadamente pela atenção.

Abraços a todos.

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

CONFISSÃO DE CABOCLO – Rolando Boldrin

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

11 fevereiro 2017 COMENTÁRIOS SELECIONADOS

INDICAÇÃO PARA O STF

Comentário sobre a postagem RUIM DE MIRA

Macau:

“Como dizem que a Justiça é cega, acho que o seu melhor representante seria um cego.

Então indico e faço campanha: para ministro do STF Goiano, meu ídolo.

Ele pode até não ser cego, mas não quer ver, o que dá no mesmo.”

* * *

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

11 fevereiro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

NO MESMO PINICO

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)

11 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PERGENTINO L. ANDRADE – FORTALEZA-CE

Veja esta:

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

11 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CARLOS IVAN – OLINDA-PE

Foi a falta de escrúpulos que colocou o Brasil na lata do lixo. Foi a falta de medidas eficientes que jogou a economia no meio da desordem, trouxe a longa recessão que já dura três anos. Foi a corrupção, a roubalheira, o cinismo e a impunidade que deixou o país dividido. Desorientado, sem rumo. Foi a inércia que implantou graves males nas instituições.

Por causa dos desacertos, o Brasil está envolvido numa série descomunal de graves problemas. A deficiente educação, a brutal violência, as improdutivas políticas públicas, a lentidão da Justiça, a impunidade, a saúde, precária, a resistente inflação, o alto nível do desemprego, que joga 13 milhões de pessoas ativas na ociosidade, a lista de elevados impostos, a falta de adequada infraestrutura, a baixíssima oferta de moradia, a incapacitada política que só faz contaminar o ambiente. Sem produzir efeitos positivos. A intempestiva burocracia.

Então, diante de nefasto quadro de negatividade, só resta ao país tomar sérias e inadiáveis decisões. Doa em quem doer.

Promover mudanças radicais e imediatas, aprovar reformas, agir com severidade contra a hipocrisia, os crimes hediondos, os corruptos e a pesada carga tributária.

Reduzir pela metade os altos salários pagos a políticos, eliminar excessivas regalias, recuperar os investimentos que fugiram do país, melhorar a educação, que está vergonhosa, tratar os segmentos de ciência e tecnologia a pão de ló, diminuir a menoridade penal e trabalhista. Queiram ou não maiores de 16 anos já matam, dirigem carro, tomam decisões próprias. Sem consultar os mais velhos.

Finalmente, resgatar a credibilidade da Justiça e das leis para reconquistar a moral no Brasil, que desapareceu. Caiu no lamaçal. Faz anos.

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

HORA DO ADEUS

Música de Onildo de Almeida e Luiz Queiroga, na voz do Rei Luiz Gonzaga.

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

JORGE BRAGA – O POPULAR (GO)

11 fevereiro 2017 EVENTOS

É HOJE! – PARA OS LEITORES DO RIO GRANDE DO NORTE – COLUNISTA FUBÂNICO LANÇA LIVRO

11 fevereiro 2017 RAPHAEL CURVO - VIA DO FATO


LAVA TUDO A JATO

Brasília se transformou em uma ilha isolada da vida brasileira. Não há conectividade entre o que ali acontece e o resto do Brasil. As vontades e aspirações de lá estão dissociadas das dos brasileiros. Fizeram da capital federal um castelo para o deleite dos membros da Corte. E como se divertem. Pintam e bordam com suas traquinagens ignorando por completo o que se passa do lado de fora dos seus muros. Estão inebriados com as festanças, farras e luxos oferecidos pelo Poder. É tanta a euforia que, até mesmo para uma conversa com um aposentado da Corte, necessário se fez o aluguel de jatinho com altíssimos custos ao bolso dos servos que recolhem diariamente os impostos e taxas, embutidos nos preços de todo produto. Essa é uma metáfora do que é feito pelos políticos e o descaramento com que conduzem os destinos do Brasil.

Estamos presenciando fatos que são verdadeiras aberrações. São afrontosos a qualquer nível de inteligência e de decência para uma organização social, econômica e política. O comportamento do presidente Michel Temer é de uma desfaçatez em nível que só a Lulla pertenceu. Claríssima está a sua meta com as atitudes que tem tomado no comando do governo. Ela consolida a visão de reeleição em 2018, mesmo com enormes prejuízos a ética, a moral e a decência no seio do governo. Perdeu a postura e compostura ao nomear para seu governo, e apoiar para a composição de comissões no Congresso, pessoas envolvidas em falcatruas e desvios de conduta, além de responderem a processos em andamento no judiciário. Para contrapor a essas vigarices, promove elaborações maquiadas de reformas nos sistemas previdenciários e outros, como forma de mostrar estar empreendendo mudanças para melhorar a vida da população. Esperem e verão que tudo isso, inclusive o próprio Temer, é uma fraude.

O objetivo de apoiar a composição da Comissão de Constituição e Justiça – CCJ do Senado Federal com a maioria de membros desqualificados moralmente e eticamente, -com processos judiciais nas costas além de fazerem parte de delações na Lava Jato, inclusive o seu presidente, um velho conhecido da justiça brasileira-, tem objetivos diretos em travar a Lava Jato por caminhos sutis e fascistas. O primeiro é assegurar a aprovação de Alexandre de Morais para o STF. O segundo é estabelecer uma frente contra a Procuradoria Geral da República-PGR sabedores que estão do encerramento do mandato de Rodrigo Janot em setembro. Como sabem os leitores, é o Senado que aprova a recondução dele ou a indicação de um novo Procurador Geral.

A estratégia é proteger, da ação da Lava Jato e do Janot, os delatados e os indiciados. Entre eles os pesos-pesados tais como o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, o presidente do Senado, senador Eunício Oliveira, o senador Renan Calheiros, o ex presidente José Sarney e outros tantos como Collor, Lobão, Romero Jucá, Gleise Hoffmann, Humberto Costa, Valdir Raupp, Jader Barbalho, Benedito de Lira, todos membros da Comissão de Constituição e Justiça do Senado – CCJ, a mais importante do Congresso Nacional. Inclui-se neste rol o presidente Temer, que tem problemas na justiça eleitoral. Caso o processo não seja retido pelo ministro Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, terá seu mandato cassado pelos malfeitos na campanha de 2014. Hilário, não?

O “pulo do gato” nisso, e aí cabe mobilização da população para não permitir, está no fato de que o ministro Luiz Fachin ainda não estar familiarizado com processo de milhares de páginas e as delações da Odebrecht serem extensas, dado o número de delatores e dos atos de corrupção. A CCJ, seus membros e parceiros, contam com o atraso para levar a cabo a meta de recusar a recondução do Rodrigo Janot e aprovar a indicação de um procurador geral mais afinado com o grupo de forma a ter ganhos nas questões judiciais em andamento. Tudo isso é um projeto que está sob supervisão do presidente Temer, sem deixar de anotar a participação de outros partidos da base que compõe o governo. A população, diante de tudo isso, tem que se mobilizar e pressionar por eleições gerais o mais urgente possível. Não há como fazer uma mudança no comportamento ético e moral da política e na administração brasileira com os carcomidos políticos que aí estão, salvo raras exceções, e elas existem. Temos que ter uma “Lava Tudo a Jato”.

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

O BRASIL NÃO PRECISA DE FHC

FHC impediu o início do processo de impeachment de Lula em 2005. A “análise” de conjuntura de que Lula deveria ser conduzido sangrando, nas cordas, para ser derrotado em 2006. Deu no que deu.

Em 2016 tentou novamente dar um golpe nos brasileiros. Desta vez as ruas disseram NÃO!!

O Brasil não precisa de FHC.

Chega!

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

ALEX PONCIANO – EXPRESSO POPULAR (SP)

11 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

DUAS NOTÍCIAS DE HOJE DERRUBAM AS FALÁCIAS DOS DESARMAMENTISTAS

Rodrigo Constanino

Roubo em uma loja de celulares de Vitória: a maçã não é uma arma. Deu nisso

O leitor certamente conhece algum desarmamentista. É do tipo que logo culpa a arma pelo crime, como se o objeto inanimado tivesse vida e responsabilidade, enquanto o sujeito que escolheu praticar o crime fosse um autômato sem volição. Essa turma condena sempre as armas, e esquece de culpar o próprio criminoso. Esquece que a mesma arma também pode ser utilizada para impedir crimes. O óbvio ululante, eu sei. Mas quem disse que essa gente liga para a lógica?

Pois bem: hoje temos duas notícias que derrubam as falácias dos desarmamentistas*. A primeira delas mostra que um juiz reagiu a um assalto em Minas Gerais, já contrariando as recomendações das autoridades (que querem criar uma sociedade de covardes). Ele estava armado, o que apavora os desarmamentistas (só marginal pode ter arma, pelo visto). O resultado? “Deu ruim” para os bandidos:

Um juiz da comarca de Uberlândia, de 53 anos, atirou contra dois criminosos durante um assalto, na madrugada desta sexta-feira (10), no Bairro Luizote de Freitas. Os assaltantes não resistiram aos ferimentos e morreram no local. O fato foi registrado por volta da meia-noite em uma lanchonete na Avenida Doutor João Manoel Tannus.

A Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis) enviou nota à imprensa manifestando apoio ao magistrado.

De acordo com as informações Polícia Militar (PM), três suspeitos chegaram ao estabelecimento armados e anunciaram o assalto. Foram roubados seis aparelhos celulares de clientes e cerca de R$ 50 em dinheiro.

As vítimas relataram aos militares que um dos autores estava encapuzado e, portando um revólver calibre 32, foi em direção ao caixa e ameaçou o proprietário do estabelecimento. Outro autor dava apoio ao assalto portando uma pistola.

Durante a ação, um dos criminosos teria apontado a arma para o magistrado que também estava no local. Momento que, em legítima defesa, o juiz sacou uma pistola e disparou contra os autores, sendo dois atingidos na cabeça e pescoço.

Esse juiz é um herói! Merecia uma medalha nacional de bravura, qualidade tão em falta em nossos dias. Cabra macho, que se defendeu dos marginais e protegeu sua vida e suas propriedades, mandando os safados direto para o colo do Capeta! Ainda bem que a Amagis soltou nota de apoio, porque sabemos que a turma dos “direitos dos manos” não gosta quando uma vítima reage e mata bandidos, pois esses é que seriam as “vítimas da sociedade”.

A segunda notícia diz tudo já na manchete, quase não precisa de acréscimos: “Em meio ao caos no Espírito Santo, só loja de armas abre”. Por que será? Por que a loja de móveis fecha, mas a loja de armas fica aberta quando a bandidagem anda solta pelo local? Teria alguma ligação com o fato de que cidadãos de bem querem o direito de se defender desses marginais? Diz a reportagem:

A falta de transporte público e o medo da violência afetaram muito o comércio da Grande Vitória. Desde o início da semana, poucas lojas arriscaram abrir as portas. Além da ameaça de assaltos e saques, as pessoas não conseguem chegar aos locais de trabalho. Assim, quase ninguém compra ou vende alguma coisa na região metropolitana.

Em Vila Velha, uma única loja estava aberta nesta quinta-feira, 9, em um raio de três quarteirões. O estabelecimento é especializado em armas, artigos de defesa pessoal e vestuário para agentes e seguranças.

Quem é doido para invadir uma loja com vendedores armados? Bandido pode ser até meio maluco às vezes, ousado, mas não é burro. Adora “gun-free zones”, ou seja, locais onde é proibido ter armas. Mas uma loja de armas? Nem pensar! O próprio vendedor carrega a sua, e a reação ao assalto é quase certa, tem probabilidade bem maior. Bandido também sabe calcular risco.

Quando vou no stand de tiro perto aqui de casa, o senhorzinho do caixa está sempre lá, com sua Glock na cintura. O cara teria que ser muito suicida mesmo para tentar alguma coisa num lugar desses, em que não só o vendedor está armado, como todos estão com armas à sua volta. É por isso que marginais preferem roubar onde ninguém pode ter armas.

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

DUQUE – O TEMPO (MG)

11 fevereiro 2017 MARCO DI AURÉLIO


http://www.marcodiaurelio.com/
PEDRO SOARES – TESOUROS DO CARIRI

Com muita alegria compartilhamos mais um trabalho realizado nas terras de dentro.

Este é o 15º número da série “Tesouros do Cariri”.

Mais uma produção independente que realça, valoriza e se orgulha em mostrar nossos valores mais autênticos.

Músicas autorais da lavra desses grandes mestres, que com certeza não serão vistas pela grande mídia, pois ela só se interessa pela “arte” de massa.

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

PASSOFUNDO – CHARGE ONLINE

11 fevereiro 2017 AUGUSTO NUNES - COMENTÁRIO

A TURMA QUE SONHA COM O FIM DA PM MERECIA ESTAR EM VITÓRIA

Num vídeo divulgado pelo Movimento Brasil Livre (MBL), quatro pajés de tribos esquerdistas garantem que o aumento da criminalidade só será contido se a Polícia Militar for desarmada, emasculada ou extinta de vez. O problema, portanto, não é a proliferação de meliantes e baderneiros. É a existência de uma instituição encarregada de defender a lei e a ordem. O desfile da insensatez começa com o deputado estadual Marcelo Freixo, candidato derrotado à prefeitura do Rio pelo PSOL. Para tapear gente com cérebro, ele preconiza a “desmilitarização da PM”, expressão que camufla o conjunto de mudanças que, consumadas, tornariam qualquer batalhão tão eficaz quanto uma guarda mirim.

Depois de uma curta e amalucada aparição do humorista a favor Gregório Duvivier, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e a onipresente Luciana Genro, do PSOL gaúcho, retomam a lengalenga da “desmilitarização”. As coisas ficam claras com a segunda entrada em cena de Duvivier, que berra a palavra de ordem que rasgou a fantasia: “Eu quero o fim/da Polícia Militar./Não acabou. Tem que acabar”.

O que espera a turma do vídeo para baixar no Espírito Santo e ver de perto como é uma cidade sem PM? Que tal criar coragem e acompanhar com os próprios olhos as cenas exibidas no vídeo abaixo, uma confirmação apavorante do horror cotidiano imposto a milhões de capixabas pela greve ilegal dos chantagistas fardados? Por que os guerreiros da Revolução dos Idiotas não tentam negociar com a bandidagem a ressurreição da paz assassinada Talvez sobrevivam.

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

JARBAS – DIÁRIO DE PERNAMBUCO

11 fevereiro 2017 COMENTÁRIOS SELECIONADOS

UM FUTURO ALVISSAREIRO PRA CUMPANHERADA

Comentário sobre a postagem TRISTE DATA

Regiopidio Lacerda:

“Trinta e sete janeiros de história
Se completa agora neste dia
Uma data de muita alegria
Pelo curso que tem a sua história
Um passado de lutas e de glória
Um futuro que surge alvissareiro
Um orgulho pra todo companheiro
Que conhece a razão e o porque
Da essência da vida do PT
Como um marco pra todo brasileiro.”

* * *

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

37 ANOS FERRANDO O BRASIL

Ontem foi um dia pouco auspicioso. Há 37 anos um bando de vagabundos, sonhadores, idiotas úteis, sem-vergonhas, sindicalistas (olha a redundância!), zintelequituais e outros representantes da fauna de esquerda fundaram a maior ORCRIM de nosso país.

Disfarçaram a máfia de partido político, insulflaram a militância, tanto a inocente útil e sonhadora como a militância a soldo, cheia de oportunistas e vivaldinos.

Usaram de tudo, doutrinação ideológica nas escolas, cantilenas marxistas, gritos e greves. Foram acolhidos generosamente por nossos Padres de Batina vermelha que dividem-se entre a pedofilia e o Culto à Marx.

Tomaram de assalto as Universidades Públicas e a Imprensa a soldo. Puseram grilhões, financiados pela Lei Rouanet, na classe artísticas. Criaram seus exércitos, armados na ideologia e sabe-se lá com que mais armas, tanto no MST e no MTST. Puseram de joelhos as lideranças sindicais.

Esta sucia perseguiu, entregou, vendeu e destruiu todos os seus opositores. Quem sabe não fez até mais, lembrem-se do Celso Daniel.

Ao final deste ciclo chegou ao Poder e lambuzou-se com aquilo que mais criticou nos seus opositores: o poder e o dinheiro fácil.

Ai foi fácil comprou mais, corrompeu mais, corrompeu-se, fez e aconteceu tentando manter-se no poder a qualquer custo, a qualquer preço.

Por emblemáticos 13 anos esteve no Poder. Por 13 anos destruiu o Brasil, relegou à nação a uma posição de nanico internacionalmente. Nos deixou uma herança de desemprego, inflação, economia arrasada. De recordes, só o de corrupção.

Fez tudo e muito mais que ainda não sabemos e quiçá saberemos. Sempre sob as ordens e olhos do Conselho de Notáveis e de ladrões. E sob a batuta do Capo de Tutti Capi, o dono do partido, o ninefingers, Lula.

Tentaram e quase conseguiram implementar uma Ditadura bolivariana ou pior uma Cleptocracia em nosso Brasil.

Reagimos a tempo. Mas vamos levar anos para limpar a sujeira que estes seres abjetos espalharam por nosso país. Será uma tarefa hercúlea!

O PT comemora 37 anos sobre os escombros do Brasil que ele destruiu, talvez complete 38 anos mas não completará os 40 anos. Antes disso terá seu registro cassado e seus líderes e próceres presos.

Espero que nos seus próximos aniversários o PT seja só uma triste lembrança ao país. Que seus líderes, incluso o ninefingers, passem a data na cela de segurança máxima, onde brevemente passarão a ocorrer as reuniões dos Diretórios do Partido.

Senhores caiu a máscara! Eis o PT! O PT! Partido que a 37 anos vem fudendo o Brasil!

Aos militantes e militontos, cúmplices do bando criminoso ou apenas idiotas úteis sonhadores (há dos dois): o PT ferrou o Brasil nos últimos 13 anos.
Agora, no seu aniversário, desejamos que a militância se FODA, pelos próximos 100 anos!

PT. Saudações! Adeus! Curitiba os espera.

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

11 fevereiro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JACOB FORTES – BRASÍLIA-DF

CURIOSIDADE SUPIMPA

Viajando-se pelos porões da história do cangaço vislumbra-se de tudo: o impossível de se pensar, de se supor, o imaginável, o inimaginável. Até porções, fartas, de todos os ramos do conhecimento humano, inclusive astrologia, intercorrem por essa descomunal página brasileira.

Recluso num cantinho obscuro dessa escritura topei com algo pitoresco: o irreverente humor carioca.

Em agosto de 1931, ecoando o prêmio tentador – a Perfumaria Lopes, do Rio de Janeiro, dobrara os 50 contos de reis com que a Bahia deixava a cabeça de Lampião a prêmio – Castro Barbosa gravou, na RCA-Victor, o samba Vou Pegá Lampião, da autoria do letrista J. Thomaz:

Adeus, Amélia,
Vou decidir minha sorte,
Eu vou pro Norte,
Vou Pegar o Lampião.

Cem contos
Não fazem mal a ninguém,
Vamos ver se esse malandro,
Desta vez, vem ou não vem.

Não quero nada,
Nem revólver, nem canhão,
Vou pegá-lo à cabeçada,
Pontapé e bofetão.

Não sou criança,
Ele vai virar estopa,
Vou acabar com essa lambança
Lampião pra mim é sopa.

Não escrevo para mostrar conhecimento, apenas porque sinto uma necessidade de compartilhar os donativos, incomuns, que me sucedem.

Assim como as crianças anseiam por mostrar o presente que ganham, não para exibi-lo, exatamente, mas por uma necessidade de compartilhar, eu também anseio por mostrar a outrem o que me sobrevém de inusitado.

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

MYRRIA – A CRÍTICA (AM)

NOTAS DE VIAGEM

Li, ou ouvi dizer, aqui ou alhures, que se descortina o caráter de um indivíduo submetendo-o a uma destas três situações distintas: numa mesa de jogo com apostas, emprestando-lhe dinheiro ou acompanhando-o em viagem com duração de mais de uma semana.

Quanto às duas primeiras alternativas não posso me manifestar com conhecimento de causa, mas, comprovo na prática a teoria da última. É impressionante a transformação que se observa no comportamento de determinados companheiros quando submetidos às asperezas de uma viagem longa.

Não tenho o direito de prejulgar ninguém, e até entendo que tais alterações de compostura decorram das pressões contidas numa circunstancial e brusca mudança de hábitos, dando vazão à ansiedade, ao receio, ao estresse, à contrariedade e à necessidade de fazer valer nosso ponto de vista. É tiro e queda. Querendo ou não, nós nos mostramos como somos aos parceiros numa convivência prolongada distante do nosso habitat natural. Mas aí é que reside o foco da questão. Sem essa experiência fica difícil delinear o perfil da companhia ideal para viajar.

Para o bom convívio em viagens com amigos, me ensinaram que tudo se resumia ao trinômio: compreensão, espírito de corpo e renúncia. A teoria não teria eficácia quando em viagens atreladas a excursões, onde o grupo é manietado por horários e tangido tal qual cordeiros obedientes ao cajado ou ao assobio do condutor do rebanho.

Disseram-me ser essencial manter o espírito de corpo. Afinal você integra um grupo imbuído do mesmo objetivo: compartilhar momentos agradáveis em ambientes diferentes daqueles do dia a dia de cada um. Outro ponto seria compreender e aceitar as preferências dos membros da excursão buscando o consenso para a manutenção da unidade do conjunto. Por último, saber quando e como renunciar aos próprios anseios privilegiando a programação da equipe para não ser tachado de estraga prazer ou comparado a um roda-presa.

Isso na teoria funciona que é uma beleza. Agora leve para a prática e veja o que é bom para tosse. Existe o tal outlet, cuja única função é desestabilizar qualquer planejamento elaborado durante meses de pesquisa, em cima de mapas ou da história de cada país a ser visitado.

Mas, a quem responsabilizar pelo desmando? Ora, a quem! Àquelas com quem a vaidade melhor se identifica. Parceiras capazes de voltar às costas a pinturas e esculturas do Renascimento se houver do outro lado da rua vitrines com roupas de grife. Ou de descartar do roteiro qualquer obra arquitetônica da Idade Média se aparecer no percurso alguma promoção de produtos femininos de beleza.

Aprendi uma estratégia para o caso de amigos optarem pelas compras em detrimento de visitas a museus. Eu os deixo à vontade pedindo para não se constrangerem. Defino um local de encontro e vou satisfazer minha curiosidade em área distinta daquela.

Como para quase tudo na vida existe uma explicação, encontramos na natureza o motivo da compulsão feminina por compras de embelezamento. São as diferenças existentes no mundo animal onde, ao contrário do mundo racional, os machos são os privilegiados esteticamente. Isso desperta nas mulheres o agente patogenético causador do mal do culto à própria beleza. Se assim for, que a natureza siga o seu curso.

Tudo pode ser resumido num único conselho, para quem quiser viajar em paz. O segredo é esquecer as mulheres nas compras e aguardá-las num barzinho aprazível, se possível, na companhia de um honesto vinho nacional.

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

11 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO SÁBADO – EX-PRESIDENTE DA REPÚBLICA RECEBEU PROPINA DA ODEBRECHT

O Peru colocou o ex-presidente Alejandro Toledo em sua lista de criminosos mais procurados nesta sexta-feira (10) depois que um juiz emitiu uma mandado internacional por ele ter recebido US$ 20 milhões em propinas da empreiteira brasileira Odebrecht.

O Ministério do Interior ofereceu o equivalente a US$ 30 mil por qualquer informação que leve à sua captura e pediu à Interpol para emitir um alerta vermelho rapidamente para ajudar a localizá-lo. De acordo com a imprensa peruana, que cita a Presidência do Conselho de Ministros, do governo, o alerta vermelho de captura da Interpol foi ativado em 190 países.

“Qualquer pessoa do mundo que puder nos ajudar a encontrá-lo pode reivindicar a recompensa”, disse o ministro do Interior peruano, Carlos Basombrio, à rede de televisão local Canal N. “O Peru não merece ver outro presidente fugir da justiça”, acrescentou Basombrio.

* * *

Vocês leram a notícia aí de cima direitinho, num é?

Pois é.

Ex-prisidente de uma Banânia Sul Americana está foragido e sendo caçado.

Recebeu propina da Odebrecht.

Por enquanto, sabe-se apenas que a propina foi em dinheiro vivo.

De 20 milhões. De dólares.

Nada de sítio ou apartamento. Foi bufunfa contada nota por nota.

O Ministério do Interior daquele país pediu pra Interpol emitir “alerta vermelho“.

Sabe-se que não é alerta vermelho-estrelado.

E sabe-se também que este alerta não é numerado. Não tem o número 13.

Peço encarecidamente: se algum leitor fubânico encontrar com este corrupto istranjeiro por aí, me dê a dica, pelo amor de Deus.

A recompensa de 30 mil dólares oferecida pelo governo peruano vai tirar esta gazeta escrota da miséria em que se encontra. Será um alívio enorme.

Alejandro Toledo, o guabiru peruano: não usa barba e tem 5 dedos em cada mão

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

11 fevereiro 2017 COMENTÁRIOS SELECIONADOS

UM JORNAL FEDORENTO

Comentário sobre a postagemem O PSICOPATA

José Carlos Batista:

“Vou passar mais uns meses longe dessa fedentina.

Vez por outra dou uma passada por aqui pra ver se o mau cheiro baixou e o odor da serenidade de outrora está mais evidente, mas, cada vez que volto as crises de náusea são retumbantes.

Fui!”

* * *

11 fevereiro 2017 FULEIRAGEM

RONALDO – CHARGE ONLINE


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa