17 março 2017 FULEIRAGEM

S. SALVADOR – ESTADO DE MINAS

17 março 2017 JOSIAS DE SOUZA

ELEITOR TERÁ QUE FAZER JUSTIÇA COM O PRÓPRIO DEDO

* * *

17 março 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

17 março 2017 A PALAVRA DO EDITOR

FAZENDO RAIVA À DIPUTADA MARIA DA NOVENA (VII)

Esta série é uma homenagem à diputada petralha Maria da Novena, a grande defensora dos Direitos dos Manos em Banânia.

Solicito aos nossos leitores que mandem aqui pro JBF qualquer notícia onde os bandidos se dão mal, são presos ou, melhor ainda, são eliminados.

Todas serão publicadas.

A banda decente da nação antecipadamente agradece a participação de todos vocês.

Esta matéria foi enviada pelo leitor fubânico Sandro ZC.

Para ler, basta clicar na manchete abaixo:

VÍTIMA DE ASSALTO ATIRA CONTRA BANDIDO EM JARDIM DA PENHA

“Quanta insensibilidade. Atiraram num pobre excluído. Snif, snif, snif, xiuf, xiuf, xiuf…”

17 março 2017 FULEIRAGEM

JARBAS – DIÁRIO DE PERNAMBUCO

FASCINAÇÃO

Se viva fosse, Elis Regina estaria completando hoje, dia 17 de março, 72 anos de idade. Vamos reverenciar sua memória ouvindo-a cantar Fascinação, uma valsa de autoria da dupla Maurice de Féraudy/Dante Pilade, versão de Armando Louzada.

17 março 2017 FULEIRAGEM

ALPINO – BLOG DO ALPINO

MENTIRAM ANTES OU MENTEM AGORA?

* * *

17 março 2017 FULEIRAGEM

DUQUE – O TEMPO (MG)

CINCO MESTRES DO IMPROVISO E UM FOLHETO ANTIGO

addbb

Poeta cantador Dimas Batista Patriota (1921-1986)

Dimas Batista

Quando eu pego na viola
Para cantar o Brasil:
Militar deixa o fuzil;
Jogador esquece a bola;
O aluno gazeia a escola;
O judeu sai do balcão;
O orador erra a expressão;
Pugilista perde o soco.
Eita, Brasil de caboco,
De Mãe Preta, e Pai João!

Eu sou toque de corneta;
Sou barulho de batalha;
Sou o gume da navalha;
Sou a ponta da lanceta;
Sou a pancada da marreta;
Sou o golpe do facão;
Sou tiro de mosquetão;
Sou trator de arrancar toco:
Eita, Brasil de caboco,
De Mãe Preta, e Pai João!

Cantador só passa em teste
Se consultar o Batista;
Porque Deus me fez artista;
Repentista do Nordeste;
Eu não temo nem a peste
Que tenha “pauta” com o “cão”,
Minha voz é um trovão;
Só não ouve quem for mouco:
Eita, Brasil de caboco,
De Mãe Preta, e Pai João!

* * *

Tárcio Costa

Se eu minto não minto só
Pois eu vi Dilma Rouseff
Mais o Lula que é seu chefe
Graça Foster, Cerveró
Adentrarem no forró
E foi quando veio à tona
Que a tal festa foi à lona
A zabumba foi roubada
Pinga superfaturada
Ninguém mais viu a sanfona.

* * *

Aldo Neves

Jesus Cristo tem sido até agora
Protetor de ateus e de pagãos
Me entrego Senhor em Tuas mãos
Tando aqui ou andando mundo afora
Ele ajuda a quem ri e a quem chora
Porque é paciente e bom amigo
Me livrando da treva e do perigo
É o Mestre do mundo e da Igreja
E por mais longe Senhor que eu esteja
Com certeza eu alcanço o Teu abrigo

* * *

Odilon Nunes de Sá

Acho graça a mocidade
Não querer envelhecer
Velho ninguém quer ficar
Novo ninguém quer morrer
Sem ser velho ninguém vive
Bom é ser velho e viver.

* * *

Onildo Barbosa

No planeta poeta em que vivemos
Sonho muito em deixar de ser poeta
Minha alma andarilha e inquieta,
Já cansou de romper os seus extremos,
Tenho a grande impressão, que o que temos
Já perdeu seu sabor original,
Fica apenas no mundo virtual
Todo dia essa cena se repete
O que faço não passa da internet
Nada vale pra mídia nacional.

Eu queria ver lá em Jô Soares,
Cordelistas, poetas cantadores ,
Repentistas, fiéis aboiadores
Divulgando projetos populares
Sebastião Cirilo, Carlos Aires,
Moacir, Ivanildo, Biu Salvino,
O poeta maior: Júnior Adelino,
Zé Viola, Geraldo e Moacir,
E eu sentar no sofá pra assistir,
Ao mais puro elenco nordestino.

Fico triste assistindo no Faustão
Um desfile de raças de cachorro
Nosso verso ao chorar pedir socorro
Mas programa nenhum lhe dá a mão
Nossa arte criada no sertão,
Possui tantos talentos pra mostrar,
Quero vê Mestre Lemos declamar,
Com Heleno Alexandre de Sapé,
Demonstrando o cordel como ele é,
A mais rica cultura popular.

O Rolando Boldrin não me convida
Jô Soares, Datena, nem Faustão,
Cada dia me dá a impressão
Que a nossa cultura está perdida
Fico aqui neste beco sem saída
Sufocado na minha persistência
A viola, na sua resistência,
Quando toca me diz em som dolente,
Que a barreira que tem na nossa frente
É maior do que nossa inteligência.

* * *

Um folheto de Leandro Gomes de Barros

O DEZRÉIS DO GOVERNO (Publicado em 1907)

Folheto_de_Leandro_Gomes_de_Barros

Conversavam dous vizinhos
Moradores de um sobrado
Exclamou, um oh! vizinho!
Já viu o que tem se dado?
O quê? – Perguntou o outro
Os 5 réis do estado.

Pergunta outro vizinho
Não é esse do vintém?
É um imposto damnado
Que não escapa ninguém,
É peior do que bexiga
Não repara mesmo alguém.

Bexiga ainda tem vacina
Que um outro sempre escapa
Mais esse imposto d’agora!
Só a doutrina do Papa
Qualquer cousa que se compra
Os fiscais dão mão de raspa.

Não me recordo do dia
Já estraguei a lembrança
Meu tio tem avó em casa
Foi fazer uma mudança
Pois para tirar a velha
Foram com ella a balança.

Clique aqui e leia este artigo completo »

17 março 2017 FULEIRAGEM

VERONEZI – CORREIO POPULAR (SP)

17 março 2017 A PALAVRA DO EDITOR

PROBLEMA RESOLVIDO

Alguns leitores reclamavam por conta de problemas que tinham ao acessar a coluna Peninha – A Música do Mundo, publicada sempre às terças e sextas-feiras no JBF.

Diziam estes leitores que não estavam conseguindo abrir a página e ouvir todas as músicas lá postadas.

Pois hoje eu recebi da Plano 4, a competente empresa que cuida dos detalhes técnicos desta gazeta escrota, a mensagem abaixo transcrita:

Boa tarde Berto.

Conseguimos resolver o problema da coluna do Peninha.

Você poderia verificar se está tudo certo?

Estamos à disposição.

Até mais,

Uma ótima notícia para este Editor e para toda comunidade fubânica.

A partir de agora, o fantástico acervo musical do nosso querido colunista Peninha vai poder ser ouvido sem qualquer problema.

Agradecemos do fundo do coração.

Aliás, quem quiser dar uma excelente passeio, entre na página da Plano 4 e veja que turma competente que só a peste.

Basta clicar aqui.

17 março 2017 FULEIRAGEM

MICHELÂNGELO – CHARGE ONLINE


http://calamus-scribae.blogspot.com.br
A CIDADE ENCANTADA DE PEDRA

As construções mencionadas neste texto não são as únicas curiosas estruturas de pedra que podem ser encontrada nos arredores da cidade de Tauá.

João Mocó, um sertanejo empenhado em vasculhar a região em busca de novos achados pictóricas (foto de: Arqueologia Social)

No sertão dos Inhamuns encontra-se um lugar conhecido com “A cidade encantada de Pedra”, onde podem ser avistadas estranhas formações, onde pedras parecem cuidadosamente equilibradas umas sobre as outras. Na cidade encantada também se pode observar painéis pictóricos, onde o dia a dia do nativo da região é o tema central de pinturas feitas principalmente com os dedos. Outros recursos como cipó e espinhos também foram utilizados em algumas minúsculas e delicadas figuras de até 2 cm. Algumas figuras humanas aparecem em movimento e se apresentam com o corpo quadrado preenchido com pequenos pontos, lembrando o Estilo Serra Branca.

Pedra chamada “Torre do Castelo”(foto de: Arqueologia Social)

O vale do Riacho Carrapateiras visto do alto apresenta-se aos olhos da imaginação como a profética lenda dos Kariri: Uma imensa cidade encantada de pedra, onde em cada pedreira o testemunho milenar de grupos caçadores coletores está registrado. Os grupos humanos utilizaram como suporte para a prática pictórica as rochas cristalinas às margens do Carrapateiras ou rochas associadas a um dos seus afluentes. Como preferência, as altas pedreiras foram utilizadas de onde estrategicamente pode-se observar todo o vale e numerosos outros abrigos pintados ao redor, como uma pretérita ‘cidade de pedra’. Outros grupos pintaram em um plano mais baixo, nas pedreiras junto a tanques naturais de água, um aparente balneário pré-histórico.

Tanques naturais do Açude Carrapateiras (foto de: Arqueologia Social)

Por do sol mostrando ao fundo a Torre do Castelo (foto de: Arqueologia Social)

Como atrativos culturais o município de Tauá possui três sítios paleontológicos e 15 arqueológicos, que podem ser visitados, porém só podem ser explorados por pesquisadores profissionais e cadastrados.

O maior ícone natural é o Serrote Quinamuiú. Ele pode ser avistado de qualquer ponto da cidade.

Serrote Quinamuiú, que pode ser visto de várias partes de Tauá

* * *

Fontes: Noite Sinistra, Arqueologia Social, Arqueolovia e Wikipédia

Fotos: Arqueologia Social

17 março 2017 FULEIRAGEM

CHICO CARUSO – O GLOBO

LULA VAI APENDER COM MORO O QUE É UM INTERROGATÓRIO

Depois do depoimento em Curitiba, o culpado sem álibis só será candidato a uma temporada na cadeia

Num depoimento no tribunal, o réu é obrigado a tratar exclusivamente dos fatos criminosos de que é acusado. Qualquer calouro de faculdade de Direito sabe disso. Disso pareceu esquecer-se o juiz Ricardo Leite, que conduz em Brasília uma das cinco ações judiciais protagonizadas por Lula.

Nesta terça-feira, o ex-chefe de governo que virou chefe de bando caprichou na pose de inocente perseguido por inimigos cruéis, indignados com a ascensão ao topo do poder de um migrante nordestino que, enquanto se esbalda na vida de rico, jura só pensar no sofrimento dos pobres. Haja cinismo.

Estranhamente, não foi contestado pelo magistrado, nem instado a descer da estratosfera pelo representante do Ministério Público. Liberado para mentir, o interrogado fez-se de ofendido com quem qualifica de “organização criminosa” a organização criminosa que, com Lula no duplo papel de mentor e coiteiro, destruiu a Petrobras.

No dia 2 de maio, o farsante enredado nas descobertas da Operação Lava Jato vai aprender em Curitiba o que é um interrogatório de verdade. No depoimento comandado por Sérgio Moro e procuradores federais, todos sobraçando provas contundentes, não haverá espaço para evocações da infância miserável no Nordeste.

Se é que algum dia existiu, o pequeno pernambucano decidido a mudar o mundo já não há faz muito tempo. Foi substituído por um Lula repulsivo, sem pudor, sem vergonha e sem álibis. Encerrado o encontro com Moro, o reincidente sem cura só será candidato a uma mais que merecida temporada na cadeia.

* * *

17 março 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

17 março 2017 DEU NO JORNAL

LEIS FUBÂNICAS

* * *

Este negócio de prescrição é uma merda mesmo.

O tucano mineiro tá merecendo uma pajaraca no furico há muito tempo.

A vez dele vai chegar.

O nome do Cheiradorzinho tá na Lista de Janot…

17 março 2017 FULEIRAGEM

ALPINO – BLOG DO ALPINO

TEMER UM USURPADOR

Temer um usurpador
Não vale a pena temer
No céu já surge o rubor
Do dia que vai nascer
O povo com seu valor
No seu lugar vai repor
O que antes devia ser
Porque dele é o poder
Depois de Deus.
E o Sol
Rebrilhará no Brasil
Para que um novo arrebol
No céu tingido de anil
Em dezoito mostre a força
Do brasileiro de raça
Cada um valendo mil
Mostraremos que o sucesso
Virá com Lula de volta
Pondo fim ao retrocesso
E a tudo que nos revolta.
VEM, LULA!
O teu regresso
Trará de novo o progresso!

17 março 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

17 março 2017 JOSIAS DE SOUZA

AGU DEFENDE DELTAN CONTRA “RETALIAÇÃO” DE LULA

Em contestação entregue na 5ª Vara Cível da Comarca de São Bernardo do Campo (SP), a Advocacia-Geral da União classifica como “retaliação” a ação movida por Lula contra o procurador Deltan Dellagnol. Sob a alegação de que o coordenador da força-tarefa da Lava Jato ofendeu a sua honra numa entrevista à imprensa, o ex-presidente petista reivindica indenização de R$ 1 milhão por ”danos morais”. A AGU sustenta que a independência e o funcionamento do Ministério Público estarão comprometidos se os autores de ações penais ficarem sujeitos a retaliações praticadas por pessoas acusadas de atos ilícitos, caso de Lula.

Lula foi à Justiça contra Deltan Dellagnol em dezembro de 2016. Seus advogados acusaram o procurador da República de abuso de autoridade por ter supostamente atacado a “honra, imagem e reputação” do ex-presidente. O “abuso” teria sido cometido numa entrevista realizada três meses antes, em setembro. Nela, Deltan apresentara aos jornalistas uma denúncia criminal contra Lula. Exibira em slides de PowerPoint ilustração em que Lula figurava no centro do esquema de corrupção que assaltou a Petrobras. O procurador referiu-se a ele como “comandante máximo.”

Na sua petição, a Advocacia-Geral argumenta que a entrevista do coordenador da Lava Jato não foi senão uma decorrência do princípio constitucional da publicidade. Os advogados do Estado realçam também que a Lei de Acesso à Informação e a Portaria número 918/2013 da Procuradoria-Geral da República impõem ao Ministério Público Federal o “dever de divulgar sua atuação em casos que tenham grande alcance, efeito paradigmático ou caráter pedagógico.”

Pode parecer paradoxal que a AGU defenda o procurador, pois o órgão está subordinado ao delatado Michel Temer, que está rodeado de ministros e aliados atolados no lamaçal da Lava Jato. Mas a AGU representa Deltan Dellagnol no processo a pedido do próprio procurador. Atua no caso como órgão do Estado. Esse tipo de ação está previsto no artigo 22 da Lei nº 9.028/95. Estabelece que a Advocacia-Geral poderá representar em juízo agentes da administração pública federal nos casos em que eles respondem a processos em decorrência de atos praticados no exercício de suas funções.

Os advogados de Lula enxergaram na entrevista de Deltan “termos e adjetivações manifestamente ofensivas” ao trão-petista. Para a AGU, não houve intenção de offender. O procurador apenas serviu-se de “analogias de caráter informativo” para facilitar a compreensão da denúncia contra Lula.

“A finalidade, portanto, era proporcionar explicações mais didáticas sobre os fatos investigados”, anota a peça redigida em defesa de Deltan Dellagnol. “Desse modo, os objetivos estritos da entrevista foram informar a sociedade, dar transparência à atividade do Ministério Público e prestar contas à população em caso de grande alcance nacional e internacional.”

Os advogados da União levantam outros quatro ponrtos na contestação protocolada em São Bernardo do Campo:

1) agentes públicos como Deltan Dellagnol não podem responder diretamente por eventuais danos causados a terceiros. O artigo 37 da Constituição Federal prevê que a administração pública deve responder por esse tipo de dano. Comprovando-se a culpa e o dolo do agente público, o Estado cobrará dele posteriormente o ressarcimento de eventuais danos.

2) o novo Código de Processo Civil anota que os membros do Ministério Público respondem apenas regressivamente, e não diretamente, por atos praticados no exercício das suas funções. A AGU argumenta que se trata de uma garantia para assegurar a independência de procuradores e promotores.

3) A comarca de São Bernardo do Campo não tem legitimidade para julgar o caso. A ação deve ser apreciada pela Justiça Federal, já que envolve a atuação do procurador na Lava Jato numa investigação de crimes que lesaram os cofres da União.

4) A indenização de R$ 1 milhão pleiteada por Lula é exorbitante. A jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça revela que nem mesmo indenizações por morte chegam a esse valor.

De resto, a AGU pede que Lula seja condenado a pagar honorários advocatícios fixados em até 20% do valor da causa caso o pedido de indenização seja considerado improcedente.

* * *

– Atualização feita às 18h26 dsta quinta-feira (16): Cristiano Zanin Martins, advogado de Lula, divulgou nota sobre a atuação da Advocacia-Geral da União em defesa do procurador da República Deltan Dellagnol. Vai abaixo a íntegra da manifestação do defensor do ex-presidente petista:

É jurídica e conceitualmente equivocada a nota divulgada pela Advocacia Geral da União (AGU) nesta data (16/03/2017 – “Para AGU, procurador da Lava Jato deve ser protegido de retaliações indevidas”), relativamente à defesa apresentada por esse órgão em favor do procurador da República Deltan Dallagnoll em ação de reparação de danos morais promovida pelo nosso cliente, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A participação da AGU no caso afronta a legislação e mostra tentativa de intimidar Lula.

O procurador não está sendo processado por ter subscrito uma denúncia contra o ex-presidente, ainda que com acusações frívolas e estapafúrdias. A ação se baseia na ilícita conduta do agente que capitaneou uma entrevista coletiva em 14/09/2016 – realizada em local alugado com recursos públicos e com auxílio de um PowerPoint que se eternizou pelos aspectos extravagantes de seu conteúdo – para caluniar e difamar Lula com afirmações estranhas ao objeto da denúncia protocolada naquela data e, ainda, com temas que estavam e permanecem fora de sua esfera de atribuição funcional.

Essa coletiva também promoveu um atentado a garantias fundamentais previstas na Constituição Federal e em Tratados Internacionais que o Brasil subscreveu, especialmente no que se refere à garantia da presunção de inocência.

Os membros do Ministério Público têm o dever de zelar pela defesa da ordem jurídica (CF/88, art. 127), jamais afrontá-la. Não é por outro motivo que o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) editou a Recomendação nº 39, de 08/2016, impondo que “as informações e o momento de divulgá-las deve ser responsavelmente avaliados” (artigo 13) e sempre é necessário “evitar que a manifestação do Ministério Público seja apresentada como decisão ou signifique condenação antecipada dos envolvidos” (artigo 14). A conduta adotada pelo procurador em relação a Lula é a antítese do ato normativo do CNMP e por isso também existe um procedimento aberto perante aquele órgão para investigá-lo.

A manifestação da AGU ignorou tais aspectos e, em realidade, defende que os excessos praticados por membros do Ministério Público, ainda que fora de suas estritas funções, fiquem sem qualquer punição, criando a reprovável figura de pessoas acima da lei. Os membros do Ministério Público devem agir com responsabilidade proporcional ao elevado poder que a Constituição Federal de 1988 lhes assegura.

A AGU sequer poderia estar à frente do caso. Sua atuação somente se justifica em relação a atos praticados por agentes públicos no “estrito exercício das atribuições constitucionais, legais ou regulamentares”, segundo dispõe a Portaria AGU nº 408/2009, em sintonia com a Lei nº 9.028/95. No caso, o que se tem é a defesa de ato praticado em local privado, sobre temas estranhos à denúncia que se propôs a informar e que sequer estava sob a sua atribuição, já que são objeto de procedimento conduzido pelo Procurador Geral da República perante o Supremo Tribunal Federal.

Protocolaremos no prazo legal réplica à defesa da AGU mostrando a indevida representação jurídica promovida por esse órgão público, além de reforçar a necessidade de o procurador reparar os danos morais causados a Lula.

O envolvimento da AGU no “lawfare” praticado contra Lula por alguns agentes públicos com a clara tentativa de intimidar o ex-Presidente por parte desse órgão do Executivo Federal também será levado ao conhecimento do Conselho de Direitos Humanos da ONU, no âmbito de comunicado feito em julho de 2016 e registrado em outubro do mesmo ano.”

* * *

17 março 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

17 março 2017 DEU NO JORNAL

CUNHÃO DE AÇO

O mestre de kung fu chinês Wei Yaobin desenvolveu uma técnica que o faz suportar chutes violentos na área sensível.

* * *

Vendo esta notícia, se alembrei-me logo da pegadinha de um amigo palmarense, o Zé Gahinha.

Ele chegava perto de alguém e perguntava de supetão:

– Tu viu Inaço?

E o otário, sem saber de nada, devolvia:

– Que Inaço?

Aí Zé Gainha completava a safadeza:

– Aquele que tem a pica de ferro e o cunhão de aço.

E saía se rindo-se alto, debochando da cara do mané.

Besteirada interiorano-palmarense.

17 março 2017 FULEIRAGEM

BENETT – GAZETA DO POVO (PR)

JOGO DA VIDA

Meu viver foi por mim depositado
Na roleta da vida da ilusão
O banqueiro sem dó e nem perdão
Já previa o meu triste resultado
Eu pensei ter a sorte do meu lado
Mas de sorte não fui merecedor
Nessa vida sou só competidor
E vencer para mim é algo raro
No cassino da vida apostei caro
Por azar eu não fui um vencedor

Eu perdi dessa vida o meu guia
Que me dava o carinho e a proteção
Que mostrou-me o caminho da razão
Com o saber da sua filosofia
Meu maior professor de poesia
Entre todos o maior escritor
De três livros foi ele o autor
Sem meu pai eu fiquei sem meu amparo
No cassino da vida apostei caro
Por azar eu não fui um vencedor

Sou palhaço de um circo sem plateia
Um artista sem ter o que ofertar
Um poeta incompleto no rimar
Sou um drama sem público para estreia
Uma presa no meio da alcateia
Que só sente tristeza, medo e dor
No meu peito só mora meu rancor
Mesmo assim minha lida ainda encaro
No cassino da vida apostei caro
Por azar eu não fui um vencedor

Penso e ergo a cabeça e vou em frente
Pra no fim receber o que eu mereço
Vou pagando no jogo um alto preço
Sem saber se é justo realmente
Mas justiça de fato vem somente
Quando é justo também o julgador
Se até hoje fui eu um perdedor
Pra um futuro sombrio eu me preparo
No cassino da vida apostei caro
Por azar eu não fui um vencedor

17 março 2017 FULEIRAGEM

BRUM – TRIBUNA DO NORTE (RN)

17 março 2017 DEU NO JORNAL

PROGRAMA IMPERDÍVEL: DILMA DARÁ PALESTRA EM LISBOA SOBRE O “NEOLIBERALISMO”

Rodrigo Constantino

Esqueçam esses humoristas nutella de hoje em dia, que fazem stand-up commedy por aí. É preciso ir no humor raiz, aquele “hard core” mesmo. Por isso convido a todos para o imperdível programa de humor: a “presidenta” Dilma fará uma palestra em Lisboa. E sobre “neoliberalismo” ainda por cima:

A ex-presidente Dilma Rousseff fará uma palestra sobre neoliberalismo, desigualdade e democracia na quarta-feira em Lisboa, conforme informou nesta segunda-feira a Fundação José Saramago, uma das associações que a convidaram para a ocasião.

Dilma abrirá o Ciclo de Conferências do Teatro da Trindade, no centro da capital portuguesa, com a conferência “Neoliberalismo, desigualdade, democracia sob ataque”, segundo a nota da fundação.

Os convites a Dilma para a visita a Portugal foram feitos por Fundação Inatel, Fundação José Saramago, Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e Casa do Brasil em Lisboa.

Dilma entende tanto do assunto quando um guaxinim de física quântica. Ela vai falar sobre democracia, aquela que ela quase conseguiu destruir no Brasil. Vai falar de desigualdade, aquela que ajudou a aumentar. É diversão garantida. Impossível não chorar de tanto rir, ainda mais quando o sujeito se lembrar que ela não é mais a presidente do Brasil.

Os participantes serão brindados com o livro sobre cegueira de Saramago, que é um toque bem adequado. Meus amigos me convidaram para ver Chris Rock aqui perto. Tentador, pois o cara é engraçado mesmo. Mas nada feito. Vou comprar minha passagem agora mesmo para Lisboa. Esse show eu não perco por nada!

PS: Fica a dúvida se Dilma vai falar em português sua palestra, já que ela é poliglota, como demonstrou em seus discursos em espanhol e francês impecáveis. Ela sem dúvida fala um português tão bom quanto…

17 março 2017 FULEIRAGEM

RONALDO – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

17 março 2017 A PALAVRA DO EDITOR

PINICO CHEIO

* * *

Que lindo!

Que saco com excelente farinha.

Que pinico com magníficos tolôtes!!!

Lobão, Lindbergh, Aécio, Edinho Silva, Lula, Eliseu Padilha, Palocci, Renan, Marta Suplicy, Fernando Pimentel, Dilma, José Serra, Mantega, Aloysio Nunes, Jorge Viana…

Vamos soltar uma salva de fogos em homenagem a esta cambada de guabirus banânicos!!!!

17 março 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

17 março 2017 JOSIAS DE SOUZA

CÓDIGO DE BARRAS À MOSTRA ATRAPALHA A AUTADEPURAÇÃO DO MODELO PROPINOCIDA

Políticos à venda existem em toda parte. Variam o preço e o cinismo. Nesses quesitos o Brasil revela-se um líder mundial. Depois que a Lava Jato invadiu a bilionária divisão de propinas da Odebrecht, a bancada dinheirista do Congresso se oferece para reformar o modelo político apodrecido. A articulação deflagrada em Brasília revela o tamanho da ilusão dos que imaginam que os políticos, alvos de uma rejeição jamais vista, são capazes de entender que a impaciência do país com a rapinagem virou uma força política a ser levada em conta.

Nesta quarta-feira, reuniram-se em Brasília os presidentes da República, Michel Temer; da Câmara, Rodrigo Maia; do Senado, Eunício Oliveira; e do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes. Em meio às labaredas, discutiram regras de prevenção ao incêndio a serem fixadas numa reforma do sistema político-eleitoral. Em nota, convidaram a sociedade civil a se unir à empreitada. Enumeraram quatro objetivos.

1. Buscar a racionalização do sistema político;

2. Redução dos custos das campanhas políticas;

3. Fortalecimento institucional das legendas;

4. Maior transparência e simplificação das regras eleitorais.

Beleza. Agora só falta responder a quatro perguntinhas: 1) Como confiar aos responsáveis pela irracionalidade corrupta a busca da racionalidade saneadora? 2) Congressistas que trazem o código de barras à mostra terão credibilidade para tratar de custos? 3) Antes de fortalecer as legendas, não seria o caso de cassar as que apodreceram? 4) As contas eleitorais serão expostas online, em tempo real, ou vem aí mais uma transparência de cristal Cica?

A reunião do Planalto foi comandada pelo delatado Michel Temer, que chefia um governo com cinco ministros lançados no caldeirão da Odebrecht. A pseudoreforma será conduzida por Rodrigo Maia e Eunício Oliveira, ambos pendurados de ponta-cabeça na nova lista de candidatos à investigação que a Procuradoria acaba de solicitar ao Supremo Tribunal Federal.

Uma autodepuração como essa, tão impregnada de autodesmoralização, não tem o menor risco de dar certo. Mas eles continuarão tentando. Convém retirar as crianças da sala.

* * *

17 março 2017 FULEIRAGEM

ELVIS – AMAZONAS EM TEMPO


Mundo Cordel
AGORA PRONTO!

Quem já teve nas mãos o disco SUCESSÃO DE SUCESSOS QUE SE SUCEDEM SUCESSIVAMENTE SEM CESSAR, do multifacetado artista Falcão – também conhecido como Brega Falcão – pôde ver que há ali uma canção cujo título é o mesmo que encima este texto: AGORA PRONTO!.

Para muitos, tal título deve ter passado despercebido, ou soado como um simples jogo de palavras. Até porque a letra da canção brinca com eventos passados – mais ou menos importantes – para chegar a uma conclusão que não parece ter muita conexão com as premissas:

Agora que o Brasil foi descoberto
Agora que Roberto enviuvou
Agora que homem já pisou na lua
Agora que mamãe engravidou

Agora que Getúlio fez essa besteira
Agora que Pelé já fez mil gols
Agora que seu Raimundo pegou papeira
Agora que açude de Orós arrombou.

Agora tem catuaba
Agora tem penicilina
Agora qualquer um já pode sair
E frequentar as meninas.

Agora tem computador
Agora já tem vaselina
Agora que eu não quero mais
Te vejo em qualquer esquina

Mas quem é versado no idioma cearês sabe que não se está a tratar de um jogo de palavras. Para nós, “agora pronto!” é expressão dotada de conteúdo próprio, sendo largamente utilizada no cotidiano, tanto pelas pessoas menos instruídas como por letrados e graduados.

Não surpreende que a canção seja uma parceria de Falcão com Tarcísio Matos, outro gênio da arte de colher as expressões e os costumes do povo cearense para transformar em humor. Foi isso que fizeram mais uma vez: pegaram o “agora pronto!” na rua e puseram na canção. Aliás, o “agora pronto!” não está em nenhum de seus versos. Mostra-se no título para se ocultar nas entrelinhas. Talvez para ser percebido só por iniciados.

Mas o que significa “agora pronto!”?

Depende. Como tantas expressões do idioma cearês, “agora pronto!” tem vários significados, que podem ser agrupados em dois sentidos: um positivo e outro negativo. Um é mais próximo do significado que a junção das palavras “agora” e “pronto” tem em português. O outro é bem diferente.

Vamos lá.

No sentido positivo – e mais próximo da língua portuguesa – “agora pronto!” significa simplesmente que um obstáculo foi superado e, agora pronto, pode-se seguir adiante. Mesmo que o problema não tenha sido resolvido ainda, basta que se encontre a solução para se dizer:

– Agora pronto! É só você segurar aí que eu aperto o parafuso aqui e fica tudo certo.

Agora pronto! Podemos passar ao sentido negativo, o qual, aliás, é até mais interessante.

Começando com um exemplo, imagine-se um ônibus lotado de cearenses voltando do trabalho. Todo mundo se espremendo naquele lugar quente e abafado. O cheiro de suor acumulado de todo o dia empesteando o ambiente. O ônibus pára no semáforo fechado e o motor apaga. Ouve-se um coro dentro do coletivo:

– Agora pronto!

Obviamente que a entonação muda em relação ao primeiro sentido. Lá, o tom seria de otimismo. Aqui, a voz aqui exprime uma mistura de surpresa e irritação. “Agora pronto!” significaria, neste caso, algo como “isso não podia ter acontecido agora!” ou “que lástima!”. Com a diferença que “agora pronto!” é lamentação, como essas outras expressões citadas, mas também é protesto. Um italiano talvez dissesse “porca miséria!”.

Mas, em alguns casos, “agora pronto!” também pode expressar uma indignação temperada com ironia.

A cena se passa em frente a uma padaria. Um homem havia deixado o carro estacionado ali. Quando se prepara para sair, percebe que outro veículo o está impedindo. Ao se aproximar, percebe que o motorista do outro carro está ao volante. Pela conversa, percebe-se que são dois cearenses:

– Sai do mei aí, macho. Preu poder pegar o beco!

– Péra aí, mah, que minha mulher já tá vindo ali com o pão.

– Agora pronto! Tua mulher vai comprar pão pra ti e eu tenho que ficar eguando aqui?

– Arriégua, mah… Tu já queimou ruim?

A partir daí os ânimos podem se alterar. Ou – o que é mais provável – o interlocutor encerrar a discussão, dizendo apenas, enquanto se afasta:

– Aí dento!

Antes de concluir, voltemos ao título da canção ora comentada, para destacar um último detalhe: “Agora pronto!” é a última faixa do CD. Isso certamente não se deu por acaso. Depois de gravar todas as faixas anteriores, só restava mesmo uma coisa a ser dita pelo artista: AGORA PRONTO!

17 março 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

FREVO Nº 1 – Antonio Maria

No dia de hoje, 17 de março, no ano de 1921, nascia o recifense Antonio Maria, que encantou-se em outubro de 1964, no Rio de Janeiro, onde vivia. Vamos ouvir uma de suas composições mais conhecidas na voz de Maria Bethania.

17 março 2017 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)


DESCARNAVAL, OU QUASE

Distanciam-se os hinos de Momo, diriam os pessimistas, mas existem os otimistas que vêm aproximar-se de maneira célere a chegada de um novo carnaval. Entre um e outro tempo, nos resta a saudade da festa e a expectativa de novas euforias. “Quem é de fato bom pernambucano…”, há décadas canta a canção.

Nestes tempos pretensamente politicamente corretos, no entanto, até o carnaval tem sido vítima da intolerância policialesca. Bem antes de suar os clarins já circulava na Internet mensagem com os lúdicos dedos do humor apontando para as polêmicas marchinhas carnavalescas. O teu cabelo não nega é racismo, a cabeleira do Zezé é homofobia, vou beijar-te agora, assédio sexual… e por aí seguiam as condenações.

Tudo parecia brincadeira, mas a coisa tomou outra dimensão. Vi várias matérias na TV onde os compositores de marchinhas, sobretudo João Roberto Kelly, eram questionados e chamados a explicar a verve humorística. O próprio Kelly tentava suavizar os versos de sua Maria Sapatão dizendo que tudo foi uma inspiração do Chacrinha, o Velho Guerreiro, que pediu algo bem mais apimentado, mas ele, malandro velho, optou por uma letra mais leve, mais dúbia… “de dias é Maria, de noite é João…”

A criatividade, no entanto, parecia fadada a perder a peleja.

Poucos dias antes do carnaval, um amigo meu, professor de música, foi provocado a selecionar o repertório da festinha carnavalesca de uma escola primária. Cumpriu a missão com o maior prazer e desprendimento, mas logo foi chamado pela diretora da unidade, e o argumento era o mesmo lido nas redes sociais: impossível tocar estas músicas, pois o teu cabelo não nega é racismo, a cabeleira do Zezé é homofobia, vou beijar-te agora, assédio sexual…

Parafraseando Shakespeare, há mais intolerância entre o céu e a terra do que posso imaginar nossa vã indignação…

As vezes penso que os intolerantes, ainda bem, não costumam escutar a música popular, do contrário, alguns compositores, como Noel Rosa, já estariam condenados em todas as inquisições possíveis. É do poeta da Vila algumas pérolas da misoginia, ou do anti-feminismo. Quando sua esposa, preocupada com o pouco dinheiro que circulava pelo doce lar do compositor, informou que iria arranjar um trabalho, o poeta cantou: “Você vai se quiser, pois a mulher não se deve obrigar a trabalhar. Mas não vá dizer depois, que você não tem vestido e que o jantar não dá pra dois… todo cargo masculino, desde o grande ao pequenino, hoje em dia é pra mulher, e por causa dos palhaços, ela esquece que tem braços, nem cozinhar ela quer…”

Em outro samba, bem mais cáustico, Noel se lamentava de uma certa figura: “Oh, que mulher indigesta, indigesta, merece um tijolo na testa. Esta mulher é ladina, toma dinheiro, é até chantagista. Arrancou-me dois dentes de platina, e foi logo vender pro dentista. E quando se manifesta, o que merece é entrar no açoite. Ela mais indigesta do que prato de salada de pepino à meia-noite…”

Versátil, talvez para gáudio das feministas, Noel exaltou a sabedoria da mulher num amor de parceria cantado por Araci de Almeida. “Saiba primeiro que fulana é minha amiga e comigo ela não briga, com ciúme de você. Você provoca briga entre rivais para depois ver nos jornais, seu nome e seu clichê. Há muito tempo minha amiga me avisava que ela sempre conversava com você no seu jardim, e começou nossa parceria, eu fui por ela
e ela foi por mim. (…) Nós aturamos os seus modos irritantes, mas filamos bons jantares nos melhores restaurantes. Você não sai de nosso pensamento, você foi negócio, e foi divertimento.”

Bom, tomara que aí o velho Noel não esteja melindrando os modernos metrossexuais…

E por falar em vila Isabel, Martinho da Vila é quem foi certa feita crucificado por cantar o verso “você não passa de uma mulher…”. Curioso é que exatamente no tempo em que o exército de anjos vingadores caia em cima do compositor, a socialite (é, essa coisa virou qualitativo…) falida Carmem Mayrink Veiga se queixava aos repórteres da revista Veja: “Hoje trabalho como uma negra qualquer…”

Eu pelo menos não escutei nenhum grito contra essa manifestação de racismo claro e evidente…

Tudo tem seu tempo certo, ensina uma outra canção popular. É preciso aprender e entender o tempo em que essas músicas foram compostas, afinal, Graciliano Ramos não pode ser visto como idiota ao dizer que o futebol não vingaria no Brasil. Ele falava de uma prática dos anos 1920 quando aquele era um esporte elitista, onde os negros só podiam jogar se pintassem o rosto com um pó branco.

Essa mania de desandar a verve humorística das gentes, no entanto, é coisa antiga. Lembro de uma apresentadora de programa infantil que condenava ao fogo dos infernos a ingênua cantiga de roda “Atirei o pau no gato…”, dizia ser uma apologia à violência contra os animais, etc., peibufo e coisa e tal. Essa moça, creio, chegou a montar uma loja para criança chamada Não Atirei o Pau no Gato.

Ela ficaria indignada lendo Millôr Fernandes: “Á noite todos os pardos são gatos”?

Meu conforto é que, a história nos traz incontáveis provas, a inteligência sempre vence a intransigência. Que o diga uma moça que fagueira desfilava pelas ruas carnavalescas de Olinda com uma blusa branca onde se li em letras garrafais: Me Atirei no Pau do Gato.

17 março 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

17 março 2017 A PALAVRA DO EDITOR

FAZENDO RAIVA À DIPUTADA MARIA DA NOVENA (VI)

Esta série é uma homenagem à diputada petralha Maria da Novena, a grande defensora dos Direitos dos Manos em Banânia.

Solicito aos nossos que leitores que mandem aqui pro JBF qualquer notícia onde os bandidos se dão mal, são presos ou, melhor ainda, são eliminados.

Todas serão publicadas.

A banda decente da nação antecipadamente agradece a participação de todos vocês.

O vídeo abaixo foi mandado pelo leitor Antonio César Landi Jr.

* * *

“Coitadinho… apanhou e levou porradas só porque estava fazendo justiça social…
Xiuf, xiuf, snif, snif…”


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa