31 maio 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

31 maio 2017 DEU NO JORNAL

FALA, LÍNGUA PRESA!

O ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci negocia com a Procuradoria-Geral da República um acordo de delação premiada em que promete focar seus depoimentos em banqueiros, empresários e no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em troca, pede para sua pena ser cumprida em um ano de prisão domiciliar.

As informações são da edição desta quarta-feira do jornal Folha de S.Paulo.

* * *

Se Palocci contar mesmo tudo o que sabe sobre a ladroagem lulaica, a Editoria do JBF já oferece de antemão um belo domicílio pra ele cumprir sua pena.

O caixa desta gazeta escrota não tem dinheiro pra pagar o salário de Chupicleide, secretária da redação, mas pra estimular Palocci a dar com a língua presa nos dentes, eu arranjo dinheiro na hora com um patrocínio da JBS.

E compro pra ele um belo triplex no Guarujá, pra cumprir sua pena se rindo-se dos contribuintes que nadam lá embaixo.

Fala, Palocci!!!

“Chefe, com essa oferta do JBF, eu acho que vou botar sem pena no teu furico..”

31 maio 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

FRANCISCO CANINDÉ – NATAL-RN

Berto,

veja aí a fuleiragem que tá rolando lá pros lados de Caicó.

R. Danô-se!

Que fuleiragem da porra este cabra aprontou aí em Caicó.

Vôte!

Esta versão bostífera de Galopeira tá arretada! Merece ser gravada e apresentada no Programa do Faustão, que só bota música merda no ar. Ou, melhor dizendo, músicas que tenham merda na letra.

Agora, veja só: esta música a Galopeira, composta pelo paraguaio Mauricio Cardozo Ocampo com versão em português de Pedro Bento, é a música preferida do meu querido cunhado Macedo, casado com minha querida irmã Lúcia, residentes em Brasília.

Toda vez que Macedo toma uma bicada, ele inventa de cantar esta música.

Vou mostrar pra ele esta presepada do cachacista que está no vídeo que você nos mandou pra saber o que é que meu cunhado acha desta versão inusitada.

E, pra fechar a postagem, vamos ouvir a música Galopeira com Donizeti, que ficou famoso ainda quando era criança cantando esta composição.

Donizeti adulto e Donizeti criança cantando Galopeira:

31 maio 2017 FULEIRAGEM

RONALDO – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

A REPÚBLICA DOS COMPADRES

Chicanas e negaças não impedem o mau cheiro das manobras da máfia que ainda nos governa

Em nossa capital dos convescotes, onde os três Poderes da República confraternizam nos fins de semana e passam os dias úteis conspirando para salvar a própria pele e esfolar a Nação, a máfia dos compadritos – malfeitores portenhos na ficção genial de Jorge Luis Borges – se esfalfa para não ser extinta.

No Poder Legislativo, bocas malditas dão conta à boca pequena de que se conspira para dar de mão beijada aos ex-presidentes José Sarney, Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (por que não Fernando Collor?) indulgência perpétua para manter Michel Temer solto, caso seja defenestrado, como o major boliviano Gualberto Villarroel – este foi atirado pela janela do Palacio Quemado e linchado pela malta enfurecida, em 21 de julho de 1946. Ninguém espera que Temer seja atirado vidraça afora do Palácio do Planalto, tendo a palavra defenestrado sido usada apenas como um reforço de linguagem, uma metáfora do desejo da quase totalidade da população brasileira, que o prefere sem poder. Mas que saia inteiro, como a rainha da sofrência Roberta Miranda se dirige ao ex-amor no sucesso Vá com Deus. Embora seja mais difícil querer que ele saia íntegro desde a explosão sobre a faixa presidencial da bomba H da delação de Joesley Batista, o marchante de Anápolis que virou tranchã do próspero negócio da proteína animal no mundo.

Passadas duas semanas das revelações do delator premiado, Temer não contestou nenhuma das acusações que lhe faz, com base na delação, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no pedido de abertura de inquérito encaminhado ao relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Edson Fachin: corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da investigação. Em vez disso, contratou o perito Ricardo Molina para acusar a gravação da conversa nada republicana de delator com delatado de má qualidade e de prova de incompetência e ingenuidade dos procuradores que a negociaram. OK. E daí?

O Palácio do Planalto já desmentiu o procurador-geral. Mas juntamente com o desmentido foi dada a prova mais evidente – para qualquer cidadão com quociente de inteligência superior a 50 – de culpa do chefe do governo ao introduzir o roque do xadrez na gestão pública. Insatisfeito com a “timidez” de seu ministro da Justiça na direção da Polícia Federal (PF), ele demitiu o deputado Osmar Serraglio (PMDB) e o substituiu pelo jurista Torquato Jardim, cuja opinião depende tanto do interesse do patrão quanto a do atrapalhado legista. Renan Truffi revelou neste jornal que, em texto escrito em julho de 2015, ele escreveu que, “desconstituído o diploma da presidente Dilma, cassado estará o do vice Michel”.

Como se sabe, em maio de 2016, dez meses depois, o vice Michel era presidente e, no mês seguinte, o renomado causídico assumiu a pasta da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União. Desde então, tornou-se um devoto discípulo do “Velho Capitão” Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Mello, cujo engenho, mesclado à flexibilidade ética que praticava, produziu a pérola que pode servir de lema para o brasão do mais ilustre membro do clã Jardim: “A coerência é a virtude dos imbecis”. É ou não é?

Segundo relato de Felipe Luchete, do site de notícias jurídicas Conjur, o ministro criticou, em 21 de fevereiro passado, procedimentos da Operação Lava Jato: Jardim “listou problemas como as longas prisões provisórias, com duração de até 30 meses, e condenações sem provas, já reconhecidas pela Justiça. Ao comentar a operação, ele afirmou ainda que vazamentos seletivos geram ‘nulidade absoluta’ de processos”. O jornal Diário do Povo do Piauí publicou no dia de sua posse no Ministério de Temer sua profecia de que a Lava Jato teria destino igual ao das operações anteriores da Polícia Federal, caso da Castelo de Areia, sepultada no STF. Bidu!

Fiel ao brocardo de Chatô professado pelo chefe, sua assessoria tentou negar os fatos acima revelados, contrários à opinião da maioria da população, em nota ao Fantástico, que os noticiara. Mas isso não quer dizer que a troca de Osmar Serraglio por ele difira da substituição, feita por Dilma, do advogado José Eduardo Martins Cardozo pelo procurador Eugênio Aragão, alcunhado de “Arengão” por seu chefe, ex-amigo e agora desafeto, Janot.

Mais pernóstica do que a missão que ele nega, contudo, é a tentativa de transferir o antecessor para a pasta que antes o incoerente ocupava. O boquirroto Serraglio se jactava para quem se dispusesse a dar-lhe um minuto de atenção de que não era “pato manco” no governo Temer. E todos sabemos que isso se deve ao fato de sua permanência na pasta garantir o salvo-conduto para o suplente Rodrigo da Rocha Loures continuar no lado bom do dilema “ou foro ou Moro”, mantendo o foro privilegiado na cadeira para a qual o ex-futuro ministro da Transparência foi eleito.

O episódio encerrado com a recusa de Serraglio de ocupar o novo cargo cancela os significados de transparência, fiscalização, controle, justiça e outras já explidas da gestão pública e da política do País: ética, decoro, vergonha… Mas essa consequência é menor do que o motivo real do frustrado “movimento combinado do rei e de uma das torres, que se desloca para uma posição mais atuante para dar mais segurança ao rei”, como o Dicionário Houaiss define o roque, aquela jogada de xadrez acima citada.

Assim como a tentativa de desqualificar o depoimento do marchante delinquente por causa de seus crimes pregressos ou da má qualidade da gravação que ele fez nos porões do palácio, o odor infecto da matéria orgânica à tona de 17 de maio para cá já ficou insuportável. E exige mais atenção às manobras com que os compadritos da política tentam manter seus privilégios no status quo. Desfaçatez, chicanas e negaças não perfumam o ar apodrecido das catacumbas da máfia multipartidária que nos governa.

31 maio 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE


www.cantinhodadalinha.blogspot.com
FUMO NA CARNIÇA

Hoje trinta e um de maio
É o dia mundial
Sem tabaco instituído
Pois o tabaco faz mal
O povo disso é ciente
Mas no Brasil do presente
O fumo já é viral.

Diante da roubalheira
Que aflige essa nação
O país contaminado
Virou antro de ladrão
E nossa gente sem rumo
É quem mais entra no fumo
No palco da corrução.

Tudo isso se agravou
No estouro do mensalão
Pra ficar mais complicado
Explodiu o petrolão
Desbaratando os bandos
Políticos nos comandos
Degradando essa nação.

As brigas no senado
Mostram falta de respeito
Do político anarquista
Pelo nosso povo eleito
Incendiando a nação
Insuflando a multidão
E querendo ter direito.

É o lixo e o monturo
É o sujo e o mal lavado
Um acusando o outro
Cada qual mais descarado
Só espero que a justiça
Bote em cana essa carniça
Que empesteou a nação.

31 maio 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

31 maio 2017 A PALAVRA DO EDITOR

O INSTITUTO DATA BESTA ESTÁ NAS RUAS

Caros leitores, uma nova Enquete Fubânica está no ar.

Veja aí do lado direito do JBF.

Não negue fogo: vá lá e cumpra o seu dever cívico, dando a sua piruada.

Queremos saber a sua opinião.

31 maio 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

31 maio 2017 JOSIAS DE SOUZA

TUCANO PERDE O DISCURSO E O SENSO DE RIDÍCULO

A reação do tucanato à crise que engolfa Michel Temer transformou o ninho em motivo de piada. Uma das principais lideranças governistas no Congresso diverte deputados e senadores traçando uma analogia entre os tucanos e um português de anedota. Sorriso nos lábios, o apologista da administração Temer conta assim a piada luso-tucana:

“Os bombeiros entraram num prédio incendiado, para verificar os destroços. Encontraram um português morto. Estava de cabeça para baixo, com o dedo indicador apontando para um dos cantos do cômodo. Ao lado da vítima, um extintor e uma placa com a seguinte instrução: ‘Em caso de incêndio, vire para baixo e aponte para a chama’. Atordoado com as labaredas que consomem a gestão Temer, o PSDB imita o português. O partido já virou de ponta-cabeça. Só falta decidir para que lado vai apontar o bico.”

Desde que explodiu a delação do Grupo JBS, de Joesley Batista, a cúpula do PSDB ensaia um rompimento com o governo. Viria depois das explicações de Temer. Foi adiado para depois da decisão do STF sobre a integridade do áudio com a voz do presidente. Foi protelado para depois da decisão do TSE sobre o pedido de cassação da chapa Dilma-Temer…

Na noite desta segunda-feira, os grão-tucanos Fernando Henrique Cardoso e Tasso Jereissati reuniram-se com Michel Temer e o ministro Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) num hotel de luxo em São Paulo. “Foi uma conversa boa e proveitosa. Conversa boa e capaz de nos garantir, a eles e a nós, que as reformas passarão”, disse Moreira Franco. Falou-se sobre “caminhos para o futuro”.

O encontro irritou parte da bancada do PSDB na Câmara.

Os deputados tucanos estavam a ponto de explodir na semana passada. Foram contidos pelo senador Tasso Jereissati (CE), que assumiu a presidência da legenda depois que Aécio Neves foi fisgado pelo autogrampo do delator Joesley. Dias depois de pedir calma aos deputados, Tasso abusou da paciência dos correligionários ao tomar parte do conciliábulo paulista. “Além de não romper, estamos fazendo novos acordos com Temer”, queixou-se um deputado tucano.

A bancada do PSDB na Câmara voltou a ferver. E o tucanato flerta com a divisão interna. Depois de escalar o muro, seu habitat natural, os tucanos correm o risco de descer de lados diferentes.

Paradoxalmente, o PSDB frequenta a crise como autor das ações que podem levar à cassação de Temer e como principal fiador do governo do primeiro presidente da história a ser investigado no cargo pelos crimes de corrupção, obstrução da Justiça e formação de organização criminosa.

Temer tira proveito do desentendimento do PSDB consigo mesmo e com o DEM, para esticar um governo em estado terminal. Com Temer no Planalto, o tucanato é força auxiliar do PMDB. Sem ele, pode virar coadjuvante do DEM, pois o ‘demo’ Rodrigo Maia, presidente da Câmara é, no momento, o favorito numa eventual eleição indireta para a escolha do substituto de Temer.

Num dos trechos da gravação que registra a conversa desqualificada que manteve com o dono da JBS, o senador Aécio Neves disse que o PSDB representou no TSE contra a chapa Dilma-Temer apenas para “encher o saco do PT.” Dilma foi enviada mais cedo para casa. E Aécio, depois de se tornar o fiador da aliança do PSDB com Temer, apodrece junto com o aliado em praça pública.

Com suas principais lideranças tisnadas pela Lava Jato – além de Aécio, ardem no caldeirão Geraldo Alckmin e José Serra – o PSDB perdeu a hora do rompimento com Temer e o discurso da moralidade. A distância entre as ameaças de desembarque e sua concretização impõe à situação uma certa ponderabilidade cômica. De ponta-cabeça, o tucanato não sabe em que direção deve apontar. Perdeu o rumo e o senso de ridículo.

* * *

31 maio 2017 FULEIRAGEM

LUSCAR – CHARGE ONLINE

31 maio 2017 A PALAVRA DO EDITOR

A CANDIDATURA ESTÁ FIRME E FORTE

Numa postagem feita ontem, informei ao distinto público a minha candidatura à Presidência da República.

E esta candidatura imediatamente ganhou o apoio de inúmeros fubânicos, leitores e colunistas, e eu fiquei ancho que só a porra. Confiram lá na postagem.

A grande poeta Dalinha Catunda chegou a fazer um verso.

Vejam que lindo:

A faixa lhe caiu bem
Meu consagrado editor
Fazendo o que prometeu
Não vai faltar eleitor
E pode ficar ciente
Pois será o presidente
O nosso maior gestor.

Agradeço do fundo do coração o apoio de todos vocês.

E quero informar que irei tomar posse e receber a faixa presidencial não com o tradicional terno, de paletó e gravata.

Irei vestido com meu uniforme de catimbozeiro, devidamente paramentado de Pai Papa-Cu, que é como sou conhecido nos terreiros aqui do Recife e lá de Palmares.

E tenham certeza que vai ter um biquinho de peito em estatais e órgãos públicos pra cada um dos meus queridos leitores mamar enquanto durar o meu mandato.

Já tem até uma comissão se mobilizando pra fundar o Instituto Berto, a fim de sistematizar as mentiras e lorotas que irei inventar sobre a minha administração.

Aguardem.

31 maio 2017 FULEIRAGEM

IOTTI – ZERO HORA (RS)

COERÊNCIA É ISSO

A versão ministerial de Torquato Jardim debocha do Torquato Jardim modelo 2015

“Desconstituído o diploma da presidente Dilma, cassado estará o do vice Michel, visto que a eleição é mera decorrência da eleição do titular”.

Torquato Jardim, num artigo publicado em julho de 2015 no site de seu escritório de advocacia.

“Nunca vi tantos especialistas em TSE, e sem entender nada“.

Torquato Jardim, na sexta-feira passada, ao saber que seria ministro da Justiça, informando que considera “inevitável” um pedido de vista que adie a impugnação da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral.

31 maio 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

31 maio 2017 JOSELITO MÜLLER

GENTILI CONTRAI DOENÇA VENÉREA

O humorista Danilo Genitália Gentili entristeceu seus fãs na tarde de hoje ao anunciar no Twitter que suspeita que contraiu doença venérea ao passar em suas partes pudendas uma notificação remetida pela deputada Maria do Rosário.

Gentili, que ironizou o que chamou de “tentativa de censura”, aparece num vídeo rasgando o documento e colocando os pedaços dentro de sua cueca.

“ANTES DE GRAVAR O VÍDEO PENSEI ATÉ ME PEDIR UMA CUECA EMPRESTADA AO JOSÉ GUIMARÃES, QUE TEM AS MANHAS PARA CARREGAS DÓLARES NAS ROUPAS DE BAIXO, MAS ACABEI DECIDINDO USAR UM SIMPLES CUECÃO DE COURO, JÁ QUE ISSO, PENSAVA EU, NÃO INTERFERIRIA NO RESULTADO”, FALOU O HUMORISTA.

Ocorre que o que começou como uma inocente piada, acabou virando caso de saúde pública.

Gentili revelou com exclusividade à nossa reportagem que, horas após gravar o vídeo, sentiu uma “agonia” no ovo, que descia até a beirada do “olho de Tandera”, o que o levou a procurar um médico.

O referido profissional da saúde não revelou detalhes do diagnóstico, mas ficou calado ao ser questionado por nossa equipe se o apresentador havia contraído gonorreia, ou qualquer desgraça do gênero, em razão de seu ato inconsequente.

Como quem cala consente, interpretamos o silêncio do médico como uma resposta positiva.

31 maio 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

A MESMA ESTÓRIA

Um samba de Cartola e Elton Medeiros. Gravado por Cartola no final da década de 70.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa