3 maio 2017 FULEIRAGEM

ELVIS – AMAZONAS EM TEMPO

3 maio 2017 JOSIAS DE SOUZA

SOLTURA DE DIRCEU É TIRO DE CANHÃO NA LAVA JATO

Por 3 votos a 2, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal colocou em liberdade o grão-petista José Dirceu. A decisão é um tiro de canhão contra a Lava Jato. Por duas razões:

1) Consolida-se a impressão de que está formada no colegiado responsável pelos casos do petrolão uma maioria contrária àquilo que o ministro Gilmar Mendes chamou em fevereiro de “alongadas prisões de Curitiba.”

2) Principal defensor dos métodos da força-tarefa da Lava Jato no Supremo, o relator Edson Fachin tornou-se um personagem minoritário. Na semana passada, ele já ficara vencido nas decisões que viraram as chaves das celas do pecuarista José Carlos Bumlai e do ex-coletor do PP João Cláudio Genu.

Sergio Moro decidiu não comentar em público a nova realidade. Mas o blog recolheu afirmações feitas pelo magistrado em privado. Sem mencionar casos específicos, o juiz da Lava Jato afirmou que as críticas às prisões preventivas decretadas por ele não têm relação com a qualidade dos despachos. O que está em jogo, disse Moro, é a “qualidade dos presos”. Nessa versão, o incômodo se deve ao fato de que as grades de Curitiba guardam “presos ilustres”.

Quanto aos procuradores da força-tarefa da Lava Jato, o grande receio é o de que ocorra um “efeito dominó”. Um dos investigadores enumerou os habeas corpus que entraram numa fila hipotética e estão esperando para acontecer na Segunda Turma do Supremo: Antonio Palocci, Eduardo Cunha e Renato Duque.

No caso de Antonio Palocci, outro ex-gigante da era petista, os riscos potenciais à investigação são evidentes. Ex-ministro da Fazenda de Lula e ex-chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff, Palocci já sinalizou a intenção de colaborar com a Justiça. Disse a Moro que dispõe de lenha para alimentar as fornalhas da Lava Jato por mais um ano. O preso coça a língua porque vive a angústia do que está por vir. Sabe que sua pena não será leve.

De resto, Palocci amargou o indeferimento de um pedido de liberdade no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Seus advogados já recorreram ao Supremo. O preso e os defensores, que andavam pessimistas, podem recobrar a animação. E os lábios de Palocci talvez se tornem menos colaborativos. Lula parecia intuir alguma coisa quando disse ter certeza de que Palocci não lhe complicaria o histórico penal.

Diante do novo cenário, os olhos de Curitiba se deslocam de Brasília para Porto Alegre. Ali, funciona o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, responsável pelo julgamento dos recursos contra condenações impostas por Sergio Moro. As penas de Dirceu somam 32 anos e um mês de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Uma confirmação do TRF-4 devolveria o condenado à cadeia, pois o Supremo já decidiu que o julgamento da segunda instância é suficiente para o enceramento.

3 maio 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

3 maio 2017 DEU NO JORNAL

A INCOERENTE SOLTURA DE JOSÉ DIRCEU PELO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Deltan Dallagnol

O que mais chama a atenção, hoje, é que a mesma maioria da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal que hoje soltou José Dirceu – Ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski – votaram para manter presas pessoas em situação de menor gravidade, nos últimos seis meses.

A história de Delano Parente

O ex-prefeito Delano Parente não teve a mesma sorte de José Dirceu. Ele foi acusado por corrupção, lavagem e organização criminosa. São os mesmos crimes de Dirceu, mas praticados em menor vulto e por menos tempo. Foram 17 milhões de reais, entre 2013 e 2015, quando Dirceu é acusado do desvio de mais de 19 milhões, entre 2007 e 2014, sem contar o Mensalão. O âmbito de influência de Delano era bem menor do que o de Dirceu. Chefiou o pequeno Município de 8.618 habitantes do interior do Piauí, Redenção do Gurgueia. Na data do julgamento no Supremo, em 7 de fevereiro de 2017, nem mais prefeito era. Contudo, todos os integrantes da 2ª Turma entenderam que sua prisão era inafastável. A decisão de prisão original estava assentada na prática habitual e reiterada de crimes.

O Ministro Dias Toffoli afirmou: “O Supremo Tribunal Federal já assentou o entendimento de que é legítima a tutela cautelar que tenha por fim resguardar a ordem pública quando evidenciada a necessidade de se interromper ou diminuir a atuação de integrantes de organização criminosa.”

A prisão de Thiago Poeta

Preso aparentemente há mais de 2 anos (mais tempo do que José Dirceu), Thiago Maurício Sá Pereira, conhecido como “Thiago Poeta”, também não teve a sorte de Dirceu em julgamento de março deste ano. Ele reiterou a prática de crimes de tráfico em diferentes lugares e foi preso com 162 gramas de cocaína e 10 gramas de maconha, além de alguns materiais que podem ser usados para manipular drogas. Sua pena foi menor do que a de Dirceu, 17 anos e 6 meses – a de Dirceu, só na Lava Jato, supera 30 anos, sem contar a nova denúncia. Contudo, para Thiago, não houve leniência. Todos os ministros da 2ª Turma votaram pela manutenção da prisão.

O Ministro Gilmar Mendes assim se pronunciou: “Por oportuno, destaco precedentes desta Corte, no sentido de ser idônea a prisão decretada para resguardo da ordem pública considerada a gravidade concreta do crime”. E seguiu dizendo que “Ademais, permanecendo o paciente custodiado durante a instrução criminal, tendo, inclusive, o Juízo entendido por sua manutenção no cárcere, ao proferir sentença condenatória, em razão da presença incólume dos requisitos previstos no art. 312 do CPP, não deve ser revogada a prisão cautelar se não houver alteração fática apta a autorizar-lhe a devolução do status libertatis .” Essas colocações também serviriam, aparentemente em cheio, para manter José Dirceu preso, com a ressalva de que a situação de Dirceu é mais grave.

O caso de Alef Saraiva

Alef Gustavo Silva Saraiva, réu primário, foi encontrado com menos de 150 gramas de cocaína e maconha. Após quase um ano preso, seu habeas corpus chegou ao Supremo. Em dezembro de 2016, a prisão foi mantida por quatro votos, ausente o Ministro Gilmar Mendes, em razão da “gravidade do crime”.

O Ministro Ricardo Lewandowski foi assertivo na necessidade de prisão de Alef: “Com efeito, há farta jurisprudência desta Corte, em ambas as Turmas, no sentido de que a gravidade in concreto do delito ante o modus operandi empregado e a quantidade de droga apreendida – no caso, 130 invólucros plásticos e 59 microtubos de cocaína, pesando um total de 87,90 gramas, e 3 invólucros plásticos de maconha, pesando um total de 44,10 gramas (apreendidas juntamente com anotações referentes ao tráfico e certa quantia em dinheiro), permitem concluir pela periculosidade social do paciente e pela consequente presença dos requisitos autorizadores da prisão cautelar elencados no art. 312 do CPP, em especial para garantia da ordem pública.”

Conclusão

Diz-se que o tráfico de drogas gera mortes indiretas. Ora, a corrupção também. A grande corrupção e o tráfico matam igualmente. Enquanto o tráfico se associa à violência barulhenta, a corrupção mata pela falta de remédios, por buracos em estradas e pela pobreza. Enquanto o tráfico ocupa territórios, a corrupção ocupa o poder e captura o Estado, disfarçando-se de uma capa de falsa legitimidade para lesar aqueles de quem deveria cuidar. A mudança do cenário, dos morros para gabinetes requintados, não muda a realidade sangrenta da corrupção. Gostaria de poder entender o tratamento diferenciado que recebeu José Dirceu, quando comparado aos casos acima.

O Supremo Tribunal Federal é a mais alta Corte do país. É nela que os cidadãos depositam sua esperança, assim como os procuradores da Lava Jato. Confiamos na Justiça e, naturalmente, que julgará com coerência, tratando da mesma forma casos semelhantes. Hoje, contudo, essas esperanças foram frustradas. Mais ainda, fica um receio. Na Lava Jato, os políticos Pedro Correa, André Vargas e Luiz Argolo estão presos desde abril de 2015, assim como João Vaccari Neto. Marcelo Odebrecht desde junho de 2015. Os ex-Diretores Renato Duque e Jorge Zelada desde março e julho de 2015. Todos há mais tempo do que José Dirceu. Isso porque sua liberdade representa um risco real à sociedade. A prisão é um remédio amargo, mas necessário, para proteger a sociedade contra o risco de recidiva, ou mesmo avanço, da perigosa doença exposta pela Lava Jato.

Fontes dos casos: HCs 138.937 (Delano Parente), 139.585 (Thiago Poeta) e 135.393 (Alef Saraiva).

3 maio 2017 FULEIRAGEM

SID – CHARGE ONLINE

3 maio 2017 JOSELITO MÜLLER

CABRAL PARABENIZA DIRCEU

BANGU 8 – O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que teve pedido de Habeas Corpus negado esta semana pela justiça, que o manteve preso, telefonou de dentro da cadeia na noite de hoje para o ex-ministro José Dirceu e o parabenizou pela vitória do petista no Supremo Tribunal Federal, que por maioria de votos, concedeu ordem de soltura.

“JÁ VAI FICAR EM LIBERDADE, NÉ SACANA?!”, DISSE O EX-GOVERNADOR AO EX-MINISTRO, QUE EM RESPOSTA DECLAROU QUE “QUEM PODE, PODE, QUEM NÃO PODE SE SACODE. ENTÃO SE FODE AÍ, OTÁRIO”.

A conversa entre os dois detentos foi interrompida com a chegada à cela de Cabral de agentes penitenciários, o que levou o ex-governador a esconder o aparelho celular.

O petista foi posto em liberdade graças a pedido de Habeas Corpus, tendo a segunda turma do STF, por maioria, concedido o pedido.

NA FUNDAMENTAÇÃO DO VOTO DIVERGENTE, QUE OBTEVE A MAIORIA DOS VOTOS DOS MINISTROS, CONSTA O ARGUMENTO DE QUE “DIRCEU PODE ESTAR SENDO UMA MÁ INFLUÊNCIA PARA OS OUTROS PRESOS, ENTÃO MELHOR SOLTAR”.

3 maio 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

PUTA QUE PARIU, STF!!!

3 maio 2017 FULEIRAGEM

HERINGER – CHARGE ONLINE

DEPOIS RECLAMAM

Há poucos meses, noticiou-se que um partido político, a Rede Sustentabilidade, iria “intensificar“ a ofensiva para ter o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa como candidato à Presidência em 2018.

As qualificações de Joaquim Barbosa para o cargo? Nada mais do que a exposição nacional, como presidente do Supremo Tribunal Federal no julgamento do mensalão. Se as eleições fossem em 2014 poderíamos estar sendo governados, hoje, por um homem completamente inexperiente para o cargo, refém de um partido político oportunista, que assumiria o poder e lhe indicaria quais seriam os políticos que formariam a sua equipe – a não ser que Joaquim Barbosa resolvesse ter como ministros e demais auxiliares seus colegas do STF e outros escolhidos a dedo dentre os juristas mais destacados da Nação. Com o teu voto.

Mas, esse nome é passado, outro herói nacional surgiu para ocupar o seu lugar, tem até página na Internet dedicada à candidatura, agora, do juiz Sérgio Moro à presidência da república. Ora, que vamos bem de candidatos: basta ser magistrado e pegar sob seus cuidados uns bons casos de corrupção e mandar prender um magote de gente e… pronto! Num passe de mágica o povo já tem mais um presidente inexperiente, sem vivência e ambiente político, para levar o País para o buraco. Com o teu voto.

Heróis vão e vêm, os ventos sopram seus nomes que desaparecem na poeira dos dias, semanas e meses, de modo que, neste momento, um novo candidato em potencial se alevanta, com força. Quem? Nada menos do que Luciano Huck, nosso simpático apresentador de programa na TV. Ora, aparecendo na Globo, até eu! Dêem-me espaço para divertir o público e realizar sonhos e… pimba! Goiano presidente da república num piscar de olhos. Ou Luciano Huck, sem a menor experiência e sem ninguém para acompanhá-lo na desastrosa experiência, ou eu! Com o teu voto.

Em poucas horas, tudo pode mudar. E como muda! Nada de Joaquim Barbosa, Sérgio Moro, Luciano Huck ou Goiano – acaba de surgir um novo herói no horizonte das maravilhosas possibilidades: Cármen Lúcia! A cuma?! Quem?! Sim, a presidente do Supremo Tribunal Federal, a qual, segundo um pensamento político pragmático (!) apresenta três atributos que são desejáveis no comandante em chefe do nosso país: experiência profissional, habilidade e um invejável… jogo de cintura! Haja exclamações! Com tais atributos, quem precisa de experiência política e de convivência com os meandros e melindres da administração pública? Qual a necessidade de contar com um grupo capaz de, profissionalmente, comandar os escalões mais altos do governo? Nenhuma! Vamos eleger Cármen Lúcia, sabe-se lá por que, presidente da república. Com o teu voto.

Muitos outros heróis estariam aptos a concorrer às próximas eleições no Brasil, com sérias chances de serem eleitos, como algum Pokémon, ou Harry Potter, qualquer guardião das galáxias ou, até, aquele cachorro que salvou um bebê no Ceará – este não será possível, porque ninguém anotou o nome do cãozinho herói e os outros não fazem parte, infelizmente, da vida real; ainda assim, se alguma dessas candidaturas for lançada poderemos ter um presidente mais que incomum. Com o teu voto.

Depois não reclama!

3 maio 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA


STAND-UP COM POESIA

ÚLTIMO

Ah! Fosse meu:
Teu ultimo beijo
Teu último abraço
Tua última caricia
Teu último amasso
Teus últimos ais
Nos meus braços…
Só para descobrir
Neste espaço inútil
Depois do último
O que vem depois
Antes do fim

Ah! fossem meus.

* * *

PRIMAVERA

Foi-se o inverno
E você voltou
Mais rubra
Mais cheia de cor
Do que já era
E eu seu amor
A sua espera
Pra te dar calor…
Seja bem-vinda
P R I M A V E R A

* * *

CONCAVO X CONVEXO

Já rolamos na lama
Na grama, na cama
No serrado na fama
Continuo côncavo
Você hoje convexa
Já nem rola mais

DE ONDE VIM

Eu vim de um amor e tanto
Da sapiência de um Deus
Misericordioso e perfeito
E do acasalamento de dois
Seres humanos imperfeitos

Deus me deu a vida
Me deu corpo, me deu alma
E o encanto de ser livre

Meus pais me ensinaram tanto
Todavia, por enquanto
Tô aprendendo ser feliz

3 maio 2017 FULEIRAGEM

CLAUTO PADILHA – CHARGE ONLINE

3 maio 2017 DEU NO JORNAL

A INVEJA MATA UM MEDIOCRE

Ouvindo as palavras do Ministro Boca-de-Buceta no vídeo abaixo, me lembrei de uma quadra poética.

Uma quadra antiga, que decorei quando era ainda adolescente e cujo autor não sei quem é.

A quadra é esta:

A inveja tem seu castigo,
Deus mesmo é quem retribui:
Enquanto o invejado cresce
O invejoso diminui.

No presente caso, temos que colocar no plural: os invejados. 

Vejam o que este canalha togado falou sobre os verdadeiros Heróis da Nação Brasileira, os jovens e destemidos procuradores que estão enfiando a pica no furico dos corruptos e dos ladrões deste país.

São eles os invejados por Boca-de-Buceta.

Advertência aos nossos leitores: antes de clicar no vídeo, controlem a ânsia de vômito e retirem de perto as crianças.

O que Boca-de-Buceta fala é simplesmente pornográfico.  

Vejam:

Se dependesse deste bosta, quem estaria atrás das grades seriam os xerifes.

E os bandidos mandados pra rua.

Como, de fato, foi mandado mais um pra rua ontem!

Eike, Zé Dirceu… e o próximo deverá ser Eduardo Cunha…

Do alto da nossa Suprema indignação – a indignação dos homens honestos e das pessoas de bem do Brasil -, vamos oferecer uma música a este… a este… a este…

Puta merda, não consigo encontrar um adjetivo na língua portuguesa que possa classificar este… este… este…

Porra!

Desisto!

Vou apenas dedicar uma música a este… a este… a este…

3 maio 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

MAS A FESTA CONTINUA

Deve ser terrível acordar cedinho com o Japonês da Federal tocando a campainha, não? Talvez seja menos mau do que pensamos. Como não disse Belchior, nossos governantes ainda são os mesmos. Esta é a terra de Cabral – de Sérgio Cabral. E Cabral não é o único a gostar de ostentação.

Neste fim de semana, casou-se a filha do governador (tucano) de Goiás, Marconi Perillo. O governador ergueu em sua fazenda, para o casamento, uma réplica da bela igreja de Pirenópolis, cidade histórica de Goiás. Decorou-a com R$ 680.000,00 de flores; serviu aos 350 convidados (entre eles os casais Geraldo Alckmin e João Dória Jr., que viajaram de jatinho) champanhe Veuve Clicquot, vinho Don Melchior (nos dois casos, há melhores, mas ambos são ótimos), lagostas, flores comestíveis, tudo preparado por um bufê de Brasília. Goiás tem bons bufês, mas não deve ser esta a opinião do governador de Goiás; como Goiás tem a igreja original de Pirenópolis, mas quem quer casar a filha num lugar ao qual tem acesso o povo que o elegeu? E se de repente alguém fala da Lava Jato? Segundo a delação da Odebrecht, Perillo recebeu R$ 8 milhões, caixa 2 – por fora.

Uma festa espetacular da filha caçula do senador Delcídio do Amaral (PT) foi o primeiro sinal de que o padrão de vida de Sua Excelência tinha melhorado. Ele perdeu o mandato, foi preso, virou delator para conseguir prisão domiciliar. Mesmo assim, quem tem medo do Japonês da Federal?

Quero ver você não sonhar

É gostoso ver uma festa bonita, bem decorada, com gente bem vestida. O vídeo do casamento está aqui. As fotos do pessoal elegante, comendo e bebendo bem, estão aqui.

Dinheiro vem, dinheiro vai

1 – O Governo Federal enfrenta um tremendo déficit orçamentário, mas prevê gastar neste ano R$ 200 milhões com propaganda. O Governo disputa o mercado? Para que propaganda – exceto a obrigatória (editais, etc.) e de temas de interesse público (campanhas de vacinação, problemas com serviços essenciais)? Se o Governo é bom ou não, o eleitor que decida.

2 – A Câmara Municipal de São Paulo está gastando pesado com propaganda. Ao que se saiba, não tem concorrentes. Para que anunciar?

Dinheiro entra…

A Câmara Federal decidiu enviar onze deputados para Barcelona, Atenas e Londres. Exilados? Não: para tomar conhecimento do legado olímpico de cada cidade. Por que não estudar o tal legado antes das Olimpíadas do Rio?

…dinheiro sai

O Brasil está há um ano sem vice-presidente da República, desde que o vice Michel Temer passou a presidente. Mas, só nos primeiros três meses de 2017, a vice-presidência já nos custou R$ 370 mil. Uma das despesas do gabinete: R$ 72 mil com uma empresa de terceirização. No gabinete, diz a Folha de S.Paulo, há uma pessoa, com R$ 2 mil e pouco de salário.

Mudando de conversa

O segundo maior município de São Paulo, Guarulhos, tem dívidas que superam de longe a previsão orçamentário deste ano. A informação é do prefeito Gustavo “Guti” Costa, PSB, eleito como boa novidade na política da cidade Ao assumir, Guti disse que um aterro sanitário municipal, a ser operado pela Multilixo, era um problemão que a gestão anterior lhe havia deixado: há especialistas em Direito Ambiental apontando irregularidades no projeto, a empresa operadora tem experiência em coleta, não em gestão de aterros. Mas o prefeito, depois e assumir, já se mostrou flexível: declarou-se disposto a gastar mais R$ 130 milhões na ampliação do aterro.

…da onça beber água

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, já havia cantado a bola no início do ano: o STF teria um encontro com as alongadas prisões (sem prévia condenação) dos juízes de primeira instância – em especial de Sérgio Moro. O STF já havia mandado libertar dois presos que tinham o direito de recorrer em liberdade, e manteve na terça a mesma posição, determinando a soltura de José Dirceu. Dirceu foi condenado, mas pode recorrer em liberdade; e estava em prisão preventiva, ordenada pelo juiz Sérgio Moro. Na opinião dos três ministros que votaram pela libertação, a prisão preventiva não pode servir como antecipação de pena.

A hora da fogueira

O noticiário dos próximos dias vai girar em torno de Dirceu: a ordem de soltura, o novo pedido de prisão preventiva, especulações sobre o efeito da libertação de judeu sobre Antônio Palocci, que, segundo se comentou, estaria disposto a fazer delação premiada para sair da cadeia. Mas essa discussão termina na sexta, quando Renato Duque, ex- diretor de serviços da Petrobras e homem-chave no Petrolão, deve ser interrogado por Moro.

Promete contar tudo sobre propina.

3 maio 2017 FULEIRAGEM

ANTONIO LUCENA – BLOG DO NOBLAT

CATANDO ADJETIVOS

Vou tentar controlar a indignação e ver se consigo catar alguns adjetivos pro trio de felas-da-puta (sem qualquer ofensa às putas), que votou pela soltura do corrupto Zé Dirceu. 

Um detalhe que merece ser realçado: um dos componentes do trio, o Safado Novo, foi subordinado de Zé Dirceu por mais de dois anos, quando ainda era um obscuro bostel que dava expediente no Palácio do Planalto.

Sem contar o fato de que foi advogado do PT por um bom tempo.

Safado Novo, Canalha Velho e Boca-de-Buceta: uma trinca que envergonha a nação

Eu já havia digitado os adjetivos canalhas, biltres, nojentos, repulsivos, pulhas, patifes e trastes.

Mas fui obrigado a interromper o trabalho.

A ânsia de vômito me dominou por completo e eu tive que me valer do meu inseparável pinico, que está sempre ao meu lado quando tenho escrever sobre sicofantas.

Que país da porra é este que nós vamos deixar pros pósteros???

Puta que pariu!!!!!!!!

É phoda!!!!!!!!!!!!!!!

3 maio 2017 FULEIRAGEM

IOTTI – ZERO HORA (RS)

GREVE!?… FERIADÃO DA PELEGADA E OUTROS CAUSOS

Pronto! Cheguei em casa após uma viagem com a família e agora vou comentar a tal da greve geral.

Não! Eu não fiz feriadão, embora seja servidor público trabalhei na sexta-feira, mais por birra que qualquer outra coisa. Já comento.

Mas parece-me que a pelegada brasileira fez uma greve da greve.

O problema é que criaram caso, complicaram as coisas e quem se ferrou? O trabalhador. O mesmo trabalhador que eles (as esquerdas, movimentos sociais e sindicatos) vêm ferrando e roubando nos últimos 13 anos. O mesmo trabalhador que eles juram proteger e defender os interesses, quando na realidade só defendem os interesses deles mesmos.

É contra os interesses destes trabalhadores, do povo, dos pobres, dos desempregados que a corja que infesta nossos sindicatos e movimentos sociais vem atuando, ao promover protestos e tentar boicotar as necessárias reformas da previdência e trabalhista.

Temos 14 milhões de desempregados e uma legislação de 1930, que não mais representa o mercado de trabalho atual.

Tudo tem de ser atualizado! Inclusive as leis, sob pena de sermos regulados (como somos hoje) por uma lei da era pré-informática, pré-telefonia móvel e quase pré-histórica.

Mas porque os sindicatos defendem esta legislação ultrapassada? Por interesses próprios, porque a elite sindical é composta por uma casta de ricos (quiçá milionários) ‘representantes’ dos trabalhadores. Todos vagabundos muito experientes que não trabalham fazem anos, apenas mamam nas tetas públicas e dos sindicatos.

Um olhar mais acurado nos permite enxergar dinastias familiares controlando, extorquindo, explorando e roubando nos sindicatos e congêneres. Claro que vão espernear para largar o osso.

E a reforma trabalhista vai fazer justamente isto, com que percam o osso. Vai permitir que os trabalhadores acordem condições melhores para si sem necessitar destes parasitas. Vai gerar empregos, vai acabar com a mamata da contribuição sindical. Para receber o suado dinheiro de nossos trabalhadores os sindicatos e sindicalistas vão ter fazer por merecer.

Proponho uma coisa, trabalhadores do Brasil, após aprovada a reforma trabalhista, quando não precisarmos mais pagar a famigerada ‘contribuição sindical’, se você ainda dispuser deste dinheiro e quiser dar-lhe um destino, não pague para um sindicato.

Procure uma entidade assistencial idônea e doe um dia de seu trabalho para a caridade. Garanto que lhe fará um bem enorme. E será uma boa ação para a sociedade e para os necessitados.

Mais ainda, você estará fazendo com que um sindicalista trabalhe.

Se a greve do dia 28 de abril foi o máximo de força que nossas esquerdas podem demonstrar creio que o Governo Federal deveria rever as concessões feitas no projeto de Reforma da Previdência e voltar ao projeto original.

Esta reforma é essencial, fazê-la pela metade significa termos de discutir uma nova reforma daqui a 10 ou 15 anos. Temos de ser muito idiotas para não saber fazer simples contas de matemática. O dinheiro não é suficiente, ou fazemos a reforma e nos aposentamos mais tarde ou simplesmente não nos aposentaremos.

É isto! Simples e direto.

Quem está aqui defendendo a reforma da previdência é um funcionário público às portas da aposentadoria. Alguém que vai trabalhar mais alguns anos se aprovada a reforma.

Sei disso, mas defendo a reforma pois quero aposentar-me com segurança de que receberei meus proventos quando mais precisar deles. Por isso torço para que, oxalá, eu tenha de trabalhar mais alguns anos em função da aprovação da reforma trabalhista.

Mas falando de tudo um pouco o plano da pelegada dos sindicatos parecia ser genial propor uma greve geral as vésperas de um feriadão. Todo mundo pára, paralisamos o país, pressionamos a corja do Congresso, etc e tal.

Só faltou, como disse Garrincha, combinar com os russos (ver observação no rodapé do texto). Os servidores públicos, meus pares, aqueles que não perdem oportunidade para participar de uma paralisação, greve ou qualquer assemelhado, acharam maravilhoso.

E aproveitaram para fazer uma greve da greve. Foram viajar e azar da greve, do sindicato e da mortadela.

Eles os servidores públicos não estão nem ai para nada ou ninguém que não sejam seus interesses. Por isso o berram tanto contra as reformas.

Elas atingem em cheio as mordomias dos servidores públicos. Algo ainda mais indignante (as ditas mordomias) se sopesarmos os péssimos serviços públicos que nos são oferecidos e o peso dos impostos que pagamos por eles.

Estes protestos só servem para tirar o foco de outras discussões mais importantes como o tamanho paquidérmico de nosso Estado. Sobre a corrupção, os desperdícios, o atendimento clientelista, as mordomias. É isto, o tamanho de nosso Estado, que devemos discutir. E uma discussão no mínimo consciente nos fará perceber a necessidade urgente de diminuirmos este Estado.

Ah! Mas és funcionário público e viajastes no feriado! Sim viajei. Eu e minha esposa adiantamos o trabalho e fizemos horas a mais durante um período anterior ao feriado para podermos viajar na sexta, dia que não temos aulas e usamos para atendimentos, pesquisa e orientações.

Mas em função da convocação da greve geral nós decidimos, por não compactuar com a putaria, e transferimos nossa viagem. Fomos trabalhar na sexta.

Praticamente, só nós estávamos na Instituição. Nós e cerca de dez abnegados. Isto numa instituição que deve ter cerca de 80 ou mais funções comissionadas e cargos de direção, que não podem fazer greve. Imaginem!

Bom, nós fizemos nossa parte. Trabalhamos na sexta e viajamos após o expediente. Com a alma e o coração pacificados. Curtimos nosso feriado com a sensação do dever cumprido e de estarmos em dia com nossas convicções e caráter.

Queria discutir neste texto outras coisas como o Habeas Corpus do Zé Dirceu, as pesquisas manipuladas pró Lula, e as confusões e quebra-quebras da pseudo-greve. Mas isto ficará para a próxima postagem.

Quanto a tal de greve o que podemos dizer? Demonstra a fraqueza das esquerdas. Demonstra que o povo está de saco cheio desta corja.

Infelizmente teremos de pagar a conta, pois esta meia greve servirá para nossos patrióticos políticos aumentarem o preço para aprovar as tão necessárias reformas.

Ah! E sobrou mortadela. Muita mortadela.

Aguardo ansiosamente a próxima convocação de greve de meia-tigela para que possa exercer meu direito de furar a greve.

* * *

Só um comentário final, ‘combinar com os russos’ é uma história folclórica da Seleção brasileira na Copa de 1958, na Suécia.

Contam que antes do jogo com a URSS, vencido pelo Brasil por 2×0, o treinador Vicente Feola fazia sua preleção, incentivando os jogadores até que olhou para o ponta-direita Garrincha, o anjo das pernas tortas, onde se prosseguiu o seguinte diálogo ou algo assim:

– “Garrincha, é o seguinte: você pega a bola e dribla o primeiro beque. Quando chegar o segundo, você dribla também. Aí vai até a linha de fundo, cruza forte para trás, para o Vavá marcar (o gol)”.

Garrincha, calado, assustado com as instruções, falou:

– Tudo bem professor, mas o senhor já combinou isso com os russos?

3 maio 2017 FULEIRAGEM

VERONEZI – GAZETA DE PIRACICABA (SP)

FÁBIO MADEIRA – UBERABA-MG

Meu caro Berto,

Recebi este desenho do meu filho, que mora na Bélgica.

Repasso para o nosso querido Besta Fubana.

Saudações mineiras!

3 maio 2017 FULEIRAGEM

BRUM – TRIBUNA DO NORTE (RN)

O TOMBAMENTO DA CORRUPÇÃO

Lorota de corrupção histórica só servirá para anistiar bandido que vacilou e foi pego

Ingênuo é quem pensar que a Operação Lava Jato já revelou tudo quanto havia (e há) de podre na política nacional e que nada o surpreenderá mais. O que aconteceu na semana passada mostra que a caixinha de Pandora ainda pode revelar coisas que antigamente se chamavam do arco da velha. Por exemplo: a confirmação pelo Partido Republicano da Ordem Social (PROS) do conteúdo da delação premiada de Alexandrino Alencar, ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, dando conta de que a empreiteira comprou o tempo do horário eleitoral de cinco partidecos, entre os quais o dito-cujo.

É um caso de arrepiar os cabelos até de quem está por dentro das engrenagens podres da política no Brasil. O delator premiado contou que a empreiteira pagou pelo tempo no horário dito gratuito na programação da televisão e do rádio dos partidos PCdoB, PDT, PP, PRB e PROS. O primeiro, como é de conhecimento público, resulta de uma dissidência radical, antes seguindo a linha chinesa e agora, a albanesa (pois sim!), do Partido Comunista Brasileiro, o Partidão velho de guerra. O segundo foi fundado por Leonel Brizola para gerir a herança do “socialismo moreno” populista de Getúlio Vargas, depois que a ditadura militar entregou o PTB original a Ivete Vargas. O PP foi fundado e era antigamente controlado por Paulo Maluf, antigo ícone da corrupção na política profissional, mas que hoje se jacta de não ter sido citado na Operação Lava Jato. O PRB é o braço político da Igreja Universal do Reino de Deus, do bispo Edir Macedo.

Autorizado a funcionar em 2013, o PROS é o melhor exemplo do resultado da facilidade com que qualquer grupelho obtém autorização da Justiça Eleitoral para funcionar neste país do vai da valsa. Eurípedes Júnior era vereador de Planaltina de Goiás quando conseguiu as assinaturas necessárias para obter o registro dessa sua legenda, pela qual nem sequer conseguiu se eleger deputado federal em 2014. Sua plataforma era a amizade com Dilma e o programa de ação, servir de ponte entre Goiás e o Planalto.

Pelo tempo na campanha Alexandrino disse ter combinado com Eurípedes que a Odebrecht pagaria R$ 7 milhões. “Mas devia estar faltando aí, não sei exatamente, 500 mil reais aí, falou 500 mil reais vai o deputado vai na sua sala buscar isso aí”, contou o delator premiado. O encarregado de pegar com ele o troco que faltava foi o então deputado Salvador Zimbaldi Filho, campineiro que se iniciou na política no PSDB e em 2014 não conseguiu vaga na Câmara pelo PROS. Ele não foi encontrado pela Veja para confirmar a versão de Alencar. Mas o fizeram, à revista e ao Fantástico, da Rede Globo, no domingo, o ex-tesoureiro Niomar Calazans e o ex-presidente de honra do PROS Henrique Pinto.

É difícil saber o que é mais sórdido nesse caso: a desfaçatez com que a barganha foi feita ou a tentativa de retirá-lo da Justiça criminal pelo fato de ser histórico e ter sido sempre rotineiro. Na mesma semana em que veio a lume, o publicitário João Santana e a mulher, Mônica Moura, espécie de tesoureira informal da campanha de Dilma e Temer em 2014, narraram outros detalhes em depoimentos ao relator da ação do PSDB contra a chapa oficial por abuso de poder econômico e político no TSE, ministro Herman Benjamin.

Santana, que foi também uma espécie de espírito santo de orelha, confessor, filósofo de cabeceira e conselheiro sentimental de Dilma em suas campanhas vitoriosas, o que reforça o peso de sua delação premiada na Lava Jato, disse que o uso de caixa 2 na campanha eleitoral da gerentona malvada de Lula em 2014 reforçou sua percepção de que os políticos brasileiros sofrem de “amnésia moral”. A expressão é sofisticada, apesar de dura, mas atenuada pela generalização que a acompanhou. O baiano Patinhas assegurou no depoimento que as coligações partidárias nas eleições não passam de leilões em que se negociam interesses e cargos.

O poeta e ficcionista de talento na juventude fez uma cínica tentativa de amenizar a informação de que, apesar de ser “rainha da Inglaterra” nas finanças da campanha, Dilma, a “honestíssima” dos Pampas às Alterosas, foi informada de todas as tramoias para lavar dinheiro sujo. Mais do que isso, o que não pode passar despercebido nessa narrativa engenhosa é seu engajamento no movimento sub-reptício de transformar a corrupção numa espécie de tradição cultural brasileira, para tombá-la judicialmente e evitar a punição dos que caíram em tentação só porque repetiram os malvadões de antanho. Do ponto de vista penal, é o mesmo que inocentar o goleiro Bruno do assassínio da mãe de seu filho, Eliza Samudio, porque ele apenas teria imitado o exemplo de Caim, que matou o irmão Abel.

Segundo nosso historiador de tornozeleira, trata-se de “um esquema maior que o ‘petrolão’. Essa promiscuidade de público e privado vem do Império, passou por todas as coisas da República”. E o profeta de Tucano, no sertão baiano que Antônio Conselheiro percorreu, vaticinou: “Isso vai perdurar enquanto tiver empresário querendo corromper e político querendo ser corrompido”.

João Santana e Mônica Moura formam um casal caríssimo, comparável, por exemplo a Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo. Seu lorotário não pode servir para tornar impunes seus cúmplices no maior assalto aos cofres públicos da História. Ao contrário, em vez de ser tombada, a corrupção tem de ser rigorosamente punida dentro da lei atual, sem necessidade de dez medidas contra a corrupção nem de lei do abuso de autoridade. Para extinguir o sistema do furto permanente e tolerado é preciso que os ladravazes flagrados paguem multas pesadas, cumpram penas previstas no Código Penal e não sejam perdoados por repetirem seus antecessores. E, para completar, não se deve nem se pode recriar todo o esquema milionário de financiamento de campanhas eleitorais, pois nele vive o pecado original. Basta de eleições milionárias.

3 maio 2017 FULEIRAGEM

RONALDO – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

É HORA DO ALMOÇO – BELCHIOR

Comentário sobre a postagem BELCHIOR – NOSSA HOMENAGEM

Luciano Moreira:

Peninha,

Você pode disponibilizar a canção “É hora do almoço“?

Grato,

* * *

Resposta do colunista fubânico Peninha:

Atendendo pedido do leitor e ouvinte Luciano Moreira: 

Na hora do almoço, de e com Belchior.

Com esta canção ele venceu, em 1971, o Festival da TV Tupi.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

3 maio 2017 FULEIRAGEM

CHICO CARUSO – O GLOBO


O PERIQUITO DA SORTE

Periquito veio de Caetés para Curitiba para sortear destino de jararaca

Rezadeiras, benzedeiras, cartomantes, catimbozeiras, bolas de cristal, cartas, búzios. Nada deu certo ou resolveu a questão.

A informação parou de ser procurada, quando o Periquito “Pai Julim”, usando das muitas mordomias que lhe ofereceram, viajou de Caetés para tirar a sorte e definir o destino da jararaca, hoje sem nenhum tipo de veneno que possa ser aproveitado pelo Instituto Butantã – nem mesmo depois de ter passado uns fins de semana em Atibaia, em endereço que nunca lhe pertenceu.

“Pai Julim” virou atração e motivos de curiosidade. Todos os dias, no expediente matinal – de noite, aproveita para coçar as frieiras do bico nos punhos da rede armada em duas árvores da praça. Pode ser visto próximo da Paróquia Nossa Senhora de Mont´Serrat, nas imediações da Rua Anita Garibaldi, 888, no bairro Cabral, em Curitiba.

Depois de atender centenas de interessados em saber suas sortes e o que está por vir nos próximos dez dias, “Pai Julim” descansou a tarde inteira de domingo, mas voltou com força e fé total na manhã do feriado do Dia do Trabalho. Afinal, era dia de trabalhar.

Quando menos “Pai Julim” esperava, eis que surge um homem vestido com a camisa do Corínthians, barba por fazer, com ares de quem nunca soube de nada, mas que demonstrava ansiedade para descobrir o seu destino nos próximos dias. Pagou a taxa cobrada para tirar a sorte e ouvir a desgastada música do realejo. Ao fim da música, a portinhola da gaiola se abriu para o trabalho da estrela do momento: “Pai Julim”.

Olha para um lado, olha para o outro lado. Fecha os dois olhos como se quisesse dizer: sua sorte está lançada. Abaixa o bico, abre a gaveta e de lá retira um pedaço de papel, onde podia ser lido: “O sol vai nascer quadrado para você”.

Claro que o torcedor do Corínthians precisou se controlar, quando escutou do acompanhante (que o segue para ler o que for necessário – haja vista que ele é analfabeto) o que estava escrito ali no papel da sorte.

Descrente, teve coragem de vociferar para “Pai Julim”:

– Ora fá se vuder, papagai do cu pelado! Inté vossê tá me perceguino!

* * *

II – Joaninha

Joaninha acabou com casamento

O calor intenso que fez durante o dia começou a ser amenizado com o “sereno” da noite que chegava, trazendo consigo um frescor que faz bem ao corpo e à alma – o clima muda repentinamente e, quem já se deita para dormir, começa a ficar na posição fetal, fechando todas as possíveis entradas do frio. Os lençóis velhinhos e macios passam a ser uma dádiva da natureza.

Lá fora mais uma vez está Vovô Camilo acendendo seu cachimbo, pigarreando, enquanto a plateia infanto-juvenil espera pelo belo e sortido repertório de estórias – são tantas que não dá para contar em muitas mãos.

E a estória daquela noite era muito engraçada. Vamos à ela.

“Meninos, quando vocês começarem os namoros e pretenderem casar, não deem muita atenção a algumas bobagens e acidentes que a vida prega em todos nós. Namorem por gostar e, se casarem, casem pelo que as pessoas são e jamais pelo que possuem. Toda posse é passageira, não significa nada e pode acabar de um dia para outro.

Era uma vez um moço jovem, pele clara e olhos esverdeados, que atendia pelo nome de Everaldo. Ele era filho de um dos fazendeiros mais ricos da cidade, tinha muitos empregados e as posses eram tantas que ele nem conhecia algumas.

Como dizem que a água só corre para os rios, Everaldo conheceu certo dia uma jovem e bela moça. Também filha de gente abastada da cidade. Moça bem educada, viajada na vida que visitava a Europa todo ano. Os dois acabaram se aproximando e o namoro ficou mais fácil.

Namoro e noivado. Noivado e pedido de casamento. Padrinhos arrumados, testemunhas confirmadas, festa organizada. Tudo nos conformes. Dia do casamento chegou, e a festa estava toda montada, preparada.

No dia do casamento parece que o destino estava contra o evento. Uma coisa rara aconteceu. Costumeiramente, as noivas chegam para a celebração depois do noivo. Nesse dia aconteceu o contrário. A noiva chegou primeiro e foi levada para o altar pelo pai. Aprendam: é o pai quem leva a noiva para o altar.

Não demorou muito e o noivo chegou. Vestido com a melhor roupa encomendada, Everaldo passava debaixo de um pé de acácia, quando lhe caíram na cabeça e na parte de trás da roupa duas joaninhas. Ele percebeu, sentindo um incômodo na cabeça e, ao passar a mão, acabou matando a joaninha, o mesmo acontecendo com a que lhe caíra nas costas.
– O que é joaninha, Vô Camilo? Perguntou um dos meninos.

Meu neto, joaninha é um besouro muito fedorento. É bonito por fora, chama a atenção onde chega, mas, antes de sair deixa um cheiro insuportável.

Pois, antes de entrar na igreja, Everaldo tentou se livrar do cheiro horrível do besouro. Não conseguiu e entrou assim mesmo. Chegou ao altar e, quando começou a ouvir os conselhos do Padre, viu a noiva sair de fininho, com as duas mãos no nariz. Ela não suportou a fedentina que o inseto “pregou” no noivo e foi embora para casa, chorando e desolada. Achava que é o noivo que estava com aquele cheiro insuportável.

Prestem atenção meninos. Nem tudo que é bonito é agradável. Foi a joaninha que acabou com o casamento dos dois jovens. Ricos, donos de muitas posses, não possuíam inteligência para entender que, joaninha era apenas um besouro, e o mau cheiro poderia sair com um simples banho. Lembrem: as aparências enganam.”

“Joaninha é o nome popular dos insetos coleópteros da família Coccinellidae. Os cocinelídeos possuem corpo semiesférico, cabeça pequena, 6 patas muito curtas e asas membranosas muito desenvolvidas, protegidas por uma carapaça quitinosa que geralmente apresenta cores vistosas. Podem medir de 4 a 8 milímetros, vivendo até 180 dias. Como os demais coleópteros, passam por uma metamorfose completa durante seu desenvolvimento; seus ovos eclodem em 1 semana e o estágio larval é de 3 semanas, durante o qual o inseto já apresenta a mesma alimentação do adulto (imago). As larvas, geralmente, tem corpo achatado e longo, com tubérculos ou espinhos e faixas coloridas ao seu longo. Possui duas antenas que servem para sentir o cheiro e o gosto. Há cerca de 4500 espécies na família, distribuídas por 350 gêneros, distinguíveis pelos padrões de cores e pintas da carapaça. As joaninhas são predadores no mundo dos insetos e alimentam-se de afídios, moscas da fruta, piolhos da folha e outros tipos de insetos, a maioria deles nocivos para as plantas. Uma vez que a maioria das suas presas causa estragos às colheitas e plantações, as joaninhas são consideradas benéficas pelos agricultores. Apesar da grande utilidade, estes insetos sofrem ameaça dos agrotóxicos utilizados pelos agricultores em suas plantações, embora a maioria das espécies não seja considerada como ameaçadas.” (Transcrito do Wikipédia)

3 maio 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

O MINISTRO BOCA-DE-BUCETA CONSEGUIU O QUE QUERIA

Ele é manchete em todos os jornais, rádios, blogs, revistas e canais de televisão.

Boca-de-Buceta persegue a notoriedade a qualquer custo e pra consegui-la não teme o ridículo e a aputalhação.

Fala merda, caga tolôtes orais a cada instante e toma decisões surrealistas só pra não sair do noticiário.

Tem orgasmos múltiplos a cada linha em que aparece seu nome.

Tira corruptos e ladrões da cadeia ansioso pra aparecer no Jornal Nacional e no Jornal da Band. E pra brilhar nas manchetes das grandes páginas.

Chega ao cúmulo de pedir pra tirar foto ao lado deste Editor, só pra ter sua imagem divulgada nesta gazeta escrota.

Que paiszinho bosta, que naçãozinha fela-da-puta é esta em que nós vivemos.

Vorta pra prisidença da repúbrica Lula!!!!

Volta pra prisidência do senado Renan!!!!

Vocês dois, Lula e Renan, junto com Boca-de-Buceta, formam um trio do caralho.

Lula no executivo, Renan no legislativo e Boca-de-Buceta no judiciário farão a chuva de merda fertilizar com mais vigor os campos da corrupção, da gatunagem, da guabirutagem e da roubalheira deste fantástico e impressionante recanto de mundo.

Comandando os três poderes desta incrível República Federativa de Banânia, este trio seria a cara cagada e cuspida, o retrato fiel e perfeito do país mais debochado do Planeta Terra. 

3 maio 2017 FULEIRAGEM

OLIVEIRA – CHARGE ONLINE

O SUPREMO É UMA VERGONHA

3 maio 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

3 maio 2017 JOSELITO MÜLLER

DIRCEU DÁ DICAS A LULA

GUARUJÁ – Ainda em meio às comemorações por causa da concessão de Habeas Corpus pelo Supremo Tribunal Federal, que colocou o ex-ministro José Dirceu em liberdade, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva o convocou para uma reunião, na qual pediu dicas de como se portar na cadeia.

“TODO MUNDO, NOS LUGARES ONDE ANDO, ESTÃO ME PERGUNTANDO QUANDO VOU SER PRESO. ISSO JÁ ESTÁ ME ENCHENDO O SACO, MAS DE QUALQUER MANEIRA, É MELHOR EU IR ME PREPARANDO”, AFIRMOU LULA.

O ex-presidente perguntou detalhes sobre o dia a dia na cadeia para Dirceu, que pacientemente respondeu as indagações de Lula.

“QUANDO OS VETERANOS QUEREM COMER TUA BUNDA, VOCÊ DÁ, OU TENTA NEGOCIAR? E QUANDO O SABONETE CAI NO CHÃO, VOCÊ PEGA OU DEIXA LÁ?”, FORAM ALGUMAS PERGUNTAS FEITAS POR LULA.

O ex-presidente enfatizou que seria importante que o Diretório Nacional do partido dos Trabalhadores elaborasse uma cartilha orientando os filiados de como agirem quando forem presos.

“ISSO TERIA PREVENIDO OS COMPANHEIROS DE VÁRIAS SURPRESAS DESAGRADÁVEIS”, DECLAROU O EX-MANDATÁRIO.

Dirceu relatou que na cadeia, teve que “alugar” um colchão por dois mil reais e um maço de cigarros mensais, pois na cadeia “só dorme na cama quem pode pagar o aluguel ao xerife”.

Ele explicou também que na prisão existem várias moedas de troca, “mas a principal é o cigarro, que, como diz o Silvio Santos, valem mais que dinheiro”.

O ex-ministro recomendou, por fim, que Lula se integre a algum “coletivo”, uma vez que seria menos arriscado à sua integridade física.

“VOCÊ VAI CHEGAR LÁ E ENCONTRAR ALGUNS DESAFETOS JÁ VETERANOS, COMO O CUNHA, POR EXEMPLO”, ADVERTIU DIRCEU, INFORMANDO QUE O EX-PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS LIDERA UMA FACÇÃO CHAMADA “PRIMEIRO COMANDO DO PARAÍSO FISCAL”.

3 maio 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

MONUMENTO AOS MÁRTIRES DE 1710, 1817 E 1824

Das antigas províncias formadoras do território nacional, nenhuma contribuiu com o maior número de mártires em favor da causa da liberdade do que Pernambuco, haja visto a imensa lista de condenados à pena capital nos movimentos emancipacionistas de 1710, 1817 e 1824.

Numa consulta à História de Pernambuco, veremos que todos os movimentos emancipacionistas aqui originários estavam inspirados no orgulho nativista dos Restauradores de 1654.

Uma mesma ideologia, a de que os antepassados pernambucanos conquistaram esta terra aos holandeses e que doaram a El-Rei de Portugal debaixo de certas condições, se repete ao longo de todas as revoluções e vem explicar o ideal republicano da gente de Pernambuco. Esse comportamento é uma constante em quase todos os movimentos revolucionários como bem observou Evaldo Cabral de Mello, uma espécie de doutrina das relações entre a Capitania e a Coroa.

Falta a essa legião de mártires o reconhecimento da gente pernambucana que, até o momento, em que pesem às comemorações pelo transcurso do segundo centenário da Revolução de 1817, ainda não tiveram os seus nomes gravados em um grande bloco de granito a ser colocado na Praça da República.

Assim sendo, estamos propondo a construção deste Monumentos aos Mártires da Pátria, constituído de um bloco de granito de cinco metros, inclinado sobre o jardim central da Praça da República, no qual, em sua face polida, sejam talhados os respectivos nomes dos que deram a vida pela causa da liberdade, de modo a ser conhecidos e reverenciados pelas gerações do presente e do futuro.

Clique aqui e leia este artigo completo »

3 maio 2017 FULEIRAGEM

SOLDA – BLOG DO SOLDA CÁUSTICO

SONIA REGINA – SANTOS-SP

Sr. Editor,

envio um vídeo com a entrevista que o relator da Reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA), concedeu hoje no Jornal da Manhã da Jovem Pan.

Ele fornece explicações que, talvez os amigos do jornal queiram oferecer suas opiniões sempre muito lucidas.

3 maio 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa