3 maio 2017 FULEIRAGEM

ELVIS – AMAZONAS EM TEMPO

3 maio 2017 JOSIAS DE SOUZA

SOLTURA DE DIRCEU É TIRO DE CANHÃO NA LAVA JATO

Por 3 votos a 2, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal colocou em liberdade o grão-petista José Dirceu. A decisão é um tiro de canhão contra a Lava Jato. Por duas razões:

1) Consolida-se a impressão de que está formada no colegiado responsável pelos casos do petrolão uma maioria contrária àquilo que o ministro Gilmar Mendes chamou em fevereiro de “alongadas prisões de Curitiba.”

2) Principal defensor dos métodos da força-tarefa da Lava Jato no Supremo, o relator Edson Fachin tornou-se um personagem minoritário. Na semana passada, ele já ficara vencido nas decisões que viraram as chaves das celas do pecuarista José Carlos Bumlai e do ex-coletor do PP João Cláudio Genu.

Sergio Moro decidiu não comentar em público a nova realidade. Mas o blog recolheu afirmações feitas pelo magistrado em privado. Sem mencionar casos específicos, o juiz da Lava Jato afirmou que as críticas às prisões preventivas decretadas por ele não têm relação com a qualidade dos despachos. O que está em jogo, disse Moro, é a “qualidade dos presos”. Nessa versão, o incômodo se deve ao fato de que as grades de Curitiba guardam “presos ilustres”.

Quanto aos procuradores da força-tarefa da Lava Jato, o grande receio é o de que ocorra um “efeito dominó”. Um dos investigadores enumerou os habeas corpus que entraram numa fila hipotética e estão esperando para acontecer na Segunda Turma do Supremo: Antonio Palocci, Eduardo Cunha e Renato Duque.

No caso de Antonio Palocci, outro ex-gigante da era petista, os riscos potenciais à investigação são evidentes. Ex-ministro da Fazenda de Lula e ex-chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff, Palocci já sinalizou a intenção de colaborar com a Justiça. Disse a Moro que dispõe de lenha para alimentar as fornalhas da Lava Jato por mais um ano. O preso coça a língua porque vive a angústia do que está por vir. Sabe que sua pena não será leve.

De resto, Palocci amargou o indeferimento de um pedido de liberdade no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Seus advogados já recorreram ao Supremo. O preso e os defensores, que andavam pessimistas, podem recobrar a animação. E os lábios de Palocci talvez se tornem menos colaborativos. Lula parecia intuir alguma coisa quando disse ter certeza de que Palocci não lhe complicaria o histórico penal.

Diante do novo cenário, os olhos de Curitiba se deslocam de Brasília para Porto Alegre. Ali, funciona o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, responsável pelo julgamento dos recursos contra condenações impostas por Sergio Moro. As penas de Dirceu somam 32 anos e um mês de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Uma confirmação do TRF-4 devolveria o condenado à cadeia, pois o Supremo já decidiu que o julgamento da segunda instância é suficiente para o enceramento.

3 maio 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

3 maio 2017 DEU NO JORNAL

A INCOERENTE SOLTURA DE JOSÉ DIRCEU PELO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Deltan Dallagnol

O que mais chama a atenção, hoje, é que a mesma maioria da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal que hoje soltou José Dirceu – Ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski – votaram para manter presas pessoas em situação de menor gravidade, nos últimos seis meses.

A história de Delano Parente

O ex-prefeito Delano Parente não teve a mesma sorte de José Dirceu. Ele foi acusado por corrupção, lavagem e organização criminosa. São os mesmos crimes de Dirceu, mas praticados em menor vulto e por menos tempo. Foram 17 milhões de reais, entre 2013 e 2015, quando Dirceu é acusado do desvio de mais de 19 milhões, entre 2007 e 2014, sem contar o Mensalão. O âmbito de influência de Delano era bem menor do que o de Dirceu. Chefiou o pequeno Município de 8.618 habitantes do interior do Piauí, Redenção do Gurgueia. Na data do julgamento no Supremo, em 7 de fevereiro de 2017, nem mais prefeito era. Contudo, todos os integrantes da 2ª Turma entenderam que sua prisão era inafastável. A decisão de prisão original estava assentada na prática habitual e reiterada de crimes.

O Ministro Dias Toffoli afirmou: “O Supremo Tribunal Federal já assentou o entendimento de que é legítima a tutela cautelar que tenha por fim resguardar a ordem pública quando evidenciada a necessidade de se interromper ou diminuir a atuação de integrantes de organização criminosa.”

A prisão de Thiago Poeta

Preso aparentemente há mais de 2 anos (mais tempo do que José Dirceu), Thiago Maurício Sá Pereira, conhecido como “Thiago Poeta”, também não teve a sorte de Dirceu em julgamento de março deste ano. Ele reiterou a prática de crimes de tráfico em diferentes lugares e foi preso com 162 gramas de cocaína e 10 gramas de maconha, além de alguns materiais que podem ser usados para manipular drogas. Sua pena foi menor do que a de Dirceu, 17 anos e 6 meses – a de Dirceu, só na Lava Jato, supera 30 anos, sem contar a nova denúncia. Contudo, para Thiago, não houve leniência. Todos os ministros da 2ª Turma votaram pela manutenção da prisão.

O Ministro Gilmar Mendes assim se pronunciou: “Por oportuno, destaco precedentes desta Corte, no sentido de ser idônea a prisão decretada para resguardo da ordem pública considerada a gravidade concreta do crime”. E seguiu dizendo que “Ademais, permanecendo o paciente custodiado durante a instrução criminal, tendo, inclusive, o Juízo entendido por sua manutenção no cárcere, ao proferir sentença condenatória, em razão da presença incólume dos requisitos previstos no art. 312 do CPP, não deve ser revogada a prisão cautelar se não houver alteração fática apta a autorizar-lhe a devolução do status libertatis .” Essas colocações também serviriam, aparentemente em cheio, para manter José Dirceu preso, com a ressalva de que a situação de Dirceu é mais grave.

O caso de Alef Saraiva

Alef Gustavo Silva Saraiva, réu primário, foi encontrado com menos de 150 gramas de cocaína e maconha. Após quase um ano preso, seu habeas corpus chegou ao Supremo. Em dezembro de 2016, a prisão foi mantida por quatro votos, ausente o Ministro Gilmar Mendes, em razão da “gravidade do crime”.

O Ministro Ricardo Lewandowski foi assertivo na necessidade de prisão de Alef: “Com efeito, há farta jurisprudência desta Corte, em ambas as Turmas, no sentido de que a gravidade in concreto do delito ante o modus operandi empregado e a quantidade de droga apreendida – no caso, 130 invólucros plásticos e 59 microtubos de cocaína, pesando um total de 87,90 gramas, e 3 invólucros plásticos de maconha, pesando um total de 44,10 gramas (apreendidas juntamente com anotações referentes ao tráfico e certa quantia em dinheiro), permitem concluir pela periculosidade social do paciente e pela consequente presença dos requisitos autorizadores da prisão cautelar elencados no art. 312 do CPP, em especial para garantia da ordem pública.”

Conclusão

Diz-se que o tráfico de drogas gera mortes indiretas. Ora, a corrupção também. A grande corrupção e o tráfico matam igualmente. Enquanto o tráfico se associa à violência barulhenta, a corrupção mata pela falta de remédios, por buracos em estradas e pela pobreza. Enquanto o tráfico ocupa territórios, a corrupção ocupa o poder e captura o Estado, disfarçando-se de uma capa de falsa legitimidade para lesar aqueles de quem deveria cuidar. A mudança do cenário, dos morros para gabinetes requintados, não muda a realidade sangrenta da corrupção. Gostaria de poder entender o tratamento diferenciado que recebeu José Dirceu, quando comparado aos casos acima.

O Supremo Tribunal Federal é a mais alta Corte do país. É nela que os cidadãos depositam sua esperança, assim como os procuradores da Lava Jato. Confiamos na Justiça e, naturalmente, que julgará com coerência, tratando da mesma forma casos semelhantes. Hoje, contudo, essas esperanças foram frustradas. Mais ainda, fica um receio. Na Lava Jato, os políticos Pedro Correa, André Vargas e Luiz Argolo estão presos desde abril de 2015, assim como João Vaccari Neto. Marcelo Odebrecht desde junho de 2015. Os ex-Diretores Renato Duque e Jorge Zelada desde março e julho de 2015. Todos há mais tempo do que José Dirceu. Isso porque sua liberdade representa um risco real à sociedade. A prisão é um remédio amargo, mas necessário, para proteger a sociedade contra o risco de recidiva, ou mesmo avanço, da perigosa doença exposta pela Lava Jato.

Fontes dos casos: HCs 138.937 (Delano Parente), 139.585 (Thiago Poeta) e 135.393 (Alef Saraiva).

3 maio 2017 FULEIRAGEM

SID – CHARGE ONLINE

3 maio 2017 JOSELITO MÜLLER

CABRAL PARABENIZA DIRCEU

BANGU 8 – O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que teve pedido de Habeas Corpus negado esta semana pela justiça, que o manteve preso, telefonou de dentro da cadeia na noite de hoje para o ex-ministro José Dirceu e o parabenizou pela vitória do petista no Supremo Tribunal Federal, que por maioria de votos, concedeu ordem de soltura.

“JÁ VAI FICAR EM LIBERDADE, NÉ SACANA?!”, DISSE O EX-GOVERNADOR AO EX-MINISTRO, QUE EM RESPOSTA DECLAROU QUE “QUEM PODE, PODE, QUEM NÃO PODE SE SACODE. ENTÃO SE FODE AÍ, OTÁRIO”.

A conversa entre os dois detentos foi interrompida com a chegada à cela de Cabral de agentes penitenciários, o que levou o ex-governador a esconder o aparelho celular.

O petista foi posto em liberdade graças a pedido de Habeas Corpus, tendo a segunda turma do STF, por maioria, concedido o pedido.

NA FUNDAMENTAÇÃO DO VOTO DIVERGENTE, QUE OBTEVE A MAIORIA DOS VOTOS DOS MINISTROS, CONSTA O ARGUMENTO DE QUE “DIRCEU PODE ESTAR SENDO UMA MÁ INFLUÊNCIA PARA OS OUTROS PRESOS, ENTÃO MELHOR SOLTAR”.

3 maio 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

3 maio 2017 FULEIRAGEM

HERINGER – CHARGE ONLINE

DEPOIS RECLAMAM

Há poucos meses, noticiou-se que um partido político, a Rede Sustentabilidade, iria “intensificar“ a ofensiva para ter o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa como candidato à Presidência em 2018.

As qualificações de Joaquim Barbosa para o cargo? Nada mais do que a exposição nacional, como presidente do Supremo Tribunal Federal no julgamento do mensalão. Se as eleições fossem em 2014 poderíamos estar sendo governados, hoje, por um homem completamente inexperiente para o cargo, refém de um partido político oportunista, que assumiria o poder e lhe indicaria quais seriam os políticos que formariam a sua equipe – a não ser que Joaquim Barbosa resolvesse ter como ministros e demais auxiliares seus colegas do STF e outros escolhidos a dedo dentre os juristas mais destacados da Nação. Com o teu voto.

Mas, esse nome é passado, outro herói nacional surgiu para ocupar o seu lugar, tem até página na Internet dedicada à candidatura, agora, do juiz Sérgio Moro à presidência da república. Ora, que vamos bem de candidatos: basta ser magistrado e pegar sob seus cuidados uns bons casos de corrupção e mandar prender um magote de gente e… pronto! Num passe de mágica o povo já tem mais um presidente inexperiente, sem vivência e ambiente político, para levar o País para o buraco. Com o teu voto.

Heróis vão e vêm, os ventos sopram seus nomes que desaparecem na poeira dos dias, semanas e meses, de modo que, neste momento, um novo candidato em potencial se alevanta, com força. Quem? Nada menos do que Luciano Huck, nosso simpático apresentador de programa na TV. Ora, aparecendo na Globo, até eu! Dêem-me espaço para divertir o público e realizar sonhos e… pimba! Goiano presidente da república num piscar de olhos. Ou Luciano Huck, sem a menor experiência e sem ninguém para acompanhá-lo na desastrosa experiência, ou eu! Com o teu voto.

Em poucas horas, tudo pode mudar. E como muda! Nada de Joaquim Barbosa, Sérgio Moro, Luciano Huck ou Goiano – acaba de surgir um novo herói no horizonte das maravilhosas possibilidades: Cármen Lúcia! A cuma?! Quem?! Sim, a presidente do Supremo Tribunal Federal, a qual, segundo um pensamento político pragmático (!) apresenta três atributos que são desejáveis no comandante em chefe do nosso país: experiência profissional, habilidade e um invejável… jogo de cintura! Haja exclamações! Com tais atributos, quem precisa de experiência política e de convivência com os meandros e melindres da administração pública? Qual a necessidade de contar com um grupo capaz de, profissionalmente, comandar os escalões mais altos do governo? Nenhuma! Vamos eleger Cármen Lúcia, sabe-se lá por que, presidente da república. Com o teu voto.

Muitos outros heróis estariam aptos a concorrer às próximas eleições no Brasil, com sérias chances de serem eleitos, como algum Pokémon, ou Harry Potter, qualquer guardião das galáxias ou, até, aquele cachorro que salvou um bebê no Ceará – este não será possível, porque ninguém anotou o nome do cãozinho herói e os outros não fazem parte, infelizmente, da vida real; ainda assim, se alguma dessas candidaturas for lançada poderemos ter um presidente mais que incomum. Com o teu voto.

Depois não reclama!

3 maio 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA


STAND-UP COM POESIA

ÚLTIMO

Ah! Fosse meu:
Teu ultimo beijo
Teu último abraço
Tua última caricia
Teu último amasso
Teus últimos ais
Nos meus braços…
Só para descobrir
Neste espaço inútil
Depois do último
O que vem depois
Antes do fim

Ah! fossem meus.

* * *

PRIMAVERA

Foi-se o inverno
E você voltou
Mais rubra
Mais cheia de cor
Do que já era
E eu seu amor
A sua espera
Pra te dar calor…
Seja bem-vinda
P R I M A V E R A

* * *

CONCAVO X CONVEXO

Já rolamos na lama
Na grama, na cama
No serrado na fama
Continuo côncavo
Você hoje convexa
Já nem rola mais

DE ONDE VIM

Eu vim de um amor e tanto
Da sapiência de um Deus
Misericordioso e perfeito
E do acasalamento de dois
Seres humanos imperfeitos

Deus me deu a vida
Me deu corpo, me deu alma
E o encanto de ser livre

Meus pais me ensinaram tanto
Todavia, por enquanto
Tô aprendendo ser feliz

3 maio 2017 FULEIRAGEM

CLAUTO PADILHA – CHARGE ONLINE

3 maio 2017 DEU NO JORNAL

A INVEJA MATA UM MEDIOCRE

Ouvindo as palavras do Ministro Boca-de-Buceta no vídeo abaixo, me lembrei de uma quadra poética.

Uma quadra antiga, que decorei quando era ainda adolescente e cujo autor não sei quem é.

A quadra é esta:

A inveja tem seu castigo,
Deus mesmo é quem retribui:
Enquanto o invejado cresce
O invejoso diminui.

No presente caso, temos que colocar no plural: os invejados. 

Vejam o que este canalha togado falou sobre os verdadeiros Heróis da Nação Brasileira, os jovens e destemidos procuradores que estão enfiando a pica no furico dos corruptos e dos ladrões deste país.

São eles os invejados por Boca-de-Buceta.

Advertência aos nossos leitores: antes de clicar no vídeo, controlem a ânsia de vômito e retirem de perto as crianças.

O que Boca-de-Buceta fala é simplesmente pornográfico.  

Vejam:

Se dependesse deste bosta, quem estaria atrás das grades seriam os xerifes.

E os bandidos mandados pra rua.

Como, de fato, foi mandado mais um pra rua ontem!

Eike, Zé Dirceu… e o próximo deverá ser Eduardo Cunha…

Do alto da nossa Suprema indignação – a indignação dos homens honestos e das pessoas de bem do Brasil -, vamos oferecer uma música a este… a este… a este…

Puta merda, não consigo encontrar um adjetivo na língua portuguesa que possa classificar este… este… este…

Porra!

Desisto!

Vou apenas dedicar uma música a este… a este… a este…

3 maio 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

MAS A FESTA CONTINUA

Deve ser terrível acordar cedinho com o Japonês da Federal tocando a campainha, não? Talvez seja menos mau do que pensamos. Como não disse Belchior, nossos governantes ainda são os mesmos. Esta é a terra de Cabral – de Sérgio Cabral. E Cabral não é o único a gostar de ostentação.

Neste fim de semana, casou-se a filha do governador (tucano) de Goiás, Marconi Perillo. O governador ergueu em sua fazenda, para o casamento, uma réplica da bela igreja de Pirenópolis, cidade histórica de Goiás. Decorou-a com R$ 680.000,00 de flores; serviu aos 350 convidados (entre eles os casais Geraldo Alckmin e João Dória Jr., que viajaram de jatinho) champanhe Veuve Clicquot, vinho Don Melchior (nos dois casos, há melhores, mas ambos são ótimos), lagostas, flores comestíveis, tudo preparado por um bufê de Brasília. Goiás tem bons bufês, mas não deve ser esta a opinião do governador de Goiás; como Goiás tem a igreja original de Pirenópolis, mas quem quer casar a filha num lugar ao qual tem acesso o povo que o elegeu? E se de repente alguém fala da Lava Jato? Segundo a delação da Odebrecht, Perillo recebeu R$ 8 milhões, caixa 2 – por fora.

Uma festa espetacular da filha caçula do senador Delcídio do Amaral (PT) foi o primeiro sinal de que o padrão de vida de Sua Excelência tinha melhorado. Ele perdeu o mandato, foi preso, virou delator para conseguir prisão domiciliar. Mesmo assim, quem tem medo do Japonês da Federal?

Quero ver você não sonhar

É gostoso ver uma festa bonita, bem decorada, com gente bem vestida. O vídeo do casamento está aqui. As fotos do pessoal elegante, comendo e bebendo bem, estão aqui.

Dinheiro vem, dinheiro vai

1 – O Governo Federal enfrenta um tremendo déficit orçamentário, mas prevê gastar neste ano R$ 200 milhões com propaganda. O Governo disputa o mercado? Para que propaganda – exceto a obrigatória (editais, etc.) e de temas de interesse público (campanhas de vacinação, problemas com serviços essenciais)? Se o Governo é bom ou não, o eleitor que decida.

2 – A Câmara Municipal de São Paulo está gastando pesado com propaganda. Ao que se saiba, não tem concorrentes. Para que anunciar?

Dinheiro entra…

A Câmara Federal decidiu enviar onze deputados para Barcelona, Atenas e Londres. Exilados? Não: para tomar conhecimento do legado olímpico de cada cidade. Por que não estudar o tal legado antes das Olimpíadas do Rio?

…dinheiro sai

O Brasil está há um ano sem vice-presidente da República, desde que o vice Michel Temer passou a presidente. Mas, só nos primeiros três meses de 2017, a vice-presidência já nos custou R$ 370 mil. Uma das despesas do gabinete: R$ 72 mil com uma empresa de terceirização. No gabinete, diz a Folha de S.Paulo, há uma pessoa, com R$ 2 mil e pouco de salário.

Mudando de conversa

O segundo maior município de São Paulo, Guarulhos, tem dívidas que superam de longe a previsão orçamentário deste ano. A informação é do prefeito Gustavo “Guti” Costa, PSB, eleito como boa novidade na política da cidade Ao assumir, Guti disse que um aterro sanitário municipal, a ser operado pela Multilixo, era um problemão que a gestão anterior lhe havia deixado: há especialistas em Direito Ambiental apontando irregularidades no projeto, a empresa operadora tem experiência em coleta, não em gestão de aterros. Mas o prefeito, depois e assumir, já se mostrou flexível: declarou-se disposto a gastar mais R$ 130 milhões na ampliação do aterro.

…da onça beber água

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, já havia cantado a bola no início do ano: o STF teria um encontro com as alongadas prisões (sem prévia condenação) dos juízes de primeira instância – em especial de Sérgio Moro. O STF já havia mandado libertar dois presos que tinham o direito de recorrer em liberdade, e manteve na terça a mesma posição, determinando a soltura de José Dirceu. Dirceu foi condenado, mas pode recorrer em liberdade; e estava em prisão preventiva, ordenada pelo juiz Sérgio Moro. Na opinião dos três ministros que votaram pela libertação, a prisão preventiva não pode servir como antecipação de pena.

A hora da fogueira

O noticiário dos próximos dias vai girar em torno de Dirceu: a ordem de soltura, o novo pedido de prisão preventiva, especulações sobre o efeito da libertação de judeu sobre Antônio Palocci, que, segundo se comentou, estaria disposto a fazer delação premiada para sair da cadeia. Mas essa discussão termina na sexta, quando Renato Duque, ex- diretor de serviços da Petrobras e homem-chave no Petrolão, deve ser interrogado por Moro.

Promete contar tudo sobre propina.

3 maio 2017 FULEIRAGEM

ANTONIO LUCENA – BLOG DO NOBLAT

CATANDO ADJETIVOS

Vou tentar controlar a indignação e ver se consigo catar alguns adjetivos pro trio de felas-da-puta (sem qualquer ofensa às putas), que votou pela soltura do corrupto Zé Dirceu. 

Um detalhe que merece ser realçado: um dos componentes do trio, o Safado Novo, foi subordinado de Zé Dirceu por mais de dois anos, quando ainda era um obscuro bostel que dava expediente no Palácio do Planalto.

Sem contar o fato de que foi advogado do PT por um bom tempo.

Safado Novo, Canalha Velho e Boca-de-Buceta: uma trinca que envergonha a nação

Eu já havia digitado os adjetivos canalhas, biltres, nojentos, repulsivos, pulhas, patifes e trastes.

Mas fui obrigado a interromper o trabalho.

A ânsia de vômito me dominou por completo e eu tive que me valer do meu inseparável pinico, que está sempre ao meu lado quando tenho escrever sobre sicofantas.

Que país da porra é este que nós vamos deixar pros pósteros???

Puta que pariu!!!!!!!!

É phoda!!!!!!!!!!!!!!!

3 maio 2017 FULEIRAGEM

IOTTI – ZERO HORA (RS)

GREVE!?… FERIADÃO DA PELEGADA E OUTROS CAUSOS

Pronto! Cheguei em casa após uma viagem com a família e agora vou comentar a tal da greve geral.

Não! Eu não fiz feriadão, embora seja servidor público trabalhei na sexta-feira, mais por birra que qualquer outra coisa. Já comento.

Mas parece-me que a pelegada brasileira fez uma greve da greve.

O problema é que criaram caso, complicaram as coisas e quem se ferrou? O trabalhador. O mesmo trabalhador que eles (as esquerdas, movimentos sociais e sindicatos) vêm ferrando e roubando nos últimos 13 anos. O mesmo trabalhador que eles juram proteger e defender os interesses, quando na realidade só defendem os interesses deles mesmos.

É contra os interesses destes trabalhadores, do povo, dos pobres, dos desempregados que a corja que infesta nossos sindicatos e movimentos sociais vem atuando, ao promover protestos e tentar boicotar as necessárias reformas da previdência e trabalhista.

Temos 14 milhões de desempregados e uma legislação de 1930, que não mais representa o mercado de trabalho atual.

Tudo tem de ser atualizado! Inclusive as leis, sob pena de sermos regulados (como somos hoje) por uma lei da era pré-informática, pré-telefonia móvel e quase pré-histórica.

Mas porque os sindicatos defendem esta legislação ultrapassada? Por interesses próprios, porque a elite sindical é composta por uma casta de ricos (quiçá milionários) ‘representantes’ dos trabalhadores. Todos vagabundos muito experientes que não trabalham fazem anos, apenas mamam nas tetas públicas e dos sindicatos.

Um olhar mais acurado nos permite enxergar dinastias familiares controlando, extorquindo, explorando e roubando nos sindicatos e congêneres. Claro que vão espernear para largar o osso.

E a reforma trabalhista vai fazer justamente isto, com que percam o osso. Vai permitir que os trabalhadores acordem condições melhores para si sem necessitar destes parasitas. Vai gerar empregos, vai acabar com a mamata da contribuição sindical. Para receber o suado dinheiro de nossos trabalhadores os sindicatos e sindicalistas vão ter fazer por merecer.

Proponho uma coisa, trabalhadores do Brasil, após aprovada a reforma trabalhista, quando não precisarmos mais pagar a famigerada ‘contribuição sindical’, se você ainda dispuser deste dinheiro e quiser dar-lhe um destino, não pague para um sindicato.

Procure uma entidade assistencial idônea e doe um dia de seu trabalho para a caridade. Garanto que lhe fará um bem enorme. E será uma boa ação para a sociedade e para os necessitados.

Mais ainda, você estará fazendo com que um sindicalista trabalhe.

Se a greve do dia 28 de abril foi o máximo de força que nossas esquerdas podem demonstrar creio que o Governo Federal deveria rever as concessões feitas no projeto de Reforma da Previdência e voltar ao projeto original.

Esta reforma é essencial, fazê-la pela metade significa termos de discutir uma nova reforma daqui a 10 ou 15 anos. Temos de ser muito idiotas para não saber fazer simples contas de matemática. O dinheiro não é suficiente, ou fazemos a reforma e nos aposentamos mais tarde ou simplesmente não nos aposentaremos.

É isto! Simples e direto.

Quem está aqui defendendo a reforma da previdência é um funcionário público às portas da aposentadoria. Alguém que vai trabalhar mais alguns anos se aprovada a reforma.

Sei disso, mas defendo a reforma pois quero aposentar-me com segurança de que receberei meus proventos quando mais precisar deles. Por isso torço para que, oxalá, eu tenha de trabalhar mais alguns anos em função da aprovação da reforma trabalhista.

Mas falando de tudo um pouco o plano da pelegada dos sindicatos parecia ser genial propor uma greve geral as vésperas de um feriadão. Todo mundo pára, paralisamos o país, pressionamos a corja do Congresso, etc e tal.

Só faltou, como disse Garrincha, combinar com os russos (ver observação no rodapé do texto). Os servidores públicos, meus pares, aqueles que não perdem oportunidade para participar de uma paralisação, greve ou qualquer assemelhado, acharam maravilhoso.

E aproveitaram para fazer uma greve da greve. Foram viajar e azar da greve, do sindicato e da mortadela.

Eles os servidores públicos não estão nem ai para nada ou ninguém que não sejam seus interesses. Por isso o berram tanto contra as reformas.

Elas atingem em cheio as mordomias dos servidores públicos. Algo ainda mais indignante (as ditas mordomias) se sopesarmos os péssimos serviços públicos que nos são oferecidos e o peso dos impostos que pagamos por eles.

Estes protestos só servem para tirar o foco de outras discussões mais importantes como o tamanho paquidérmico de nosso Estado. Sobre a corrupção, os desperdícios, o atendimento clientelista, as mordomias. É isto, o tamanho de nosso Estado, que devemos discutir. E uma discussão no mínimo consciente nos fará perceber a necessidade urgente de diminuirmos este Estado.

Ah! Mas és funcionário público e viajastes no feriado! Sim viajei. Eu e minha esposa adiantamos o trabalho e fizemos horas a mais durante um período anterior ao feriado para podermos viajar na sexta, dia que não temos aulas e usamos para atendimentos, pesquisa e orientações.

Mas em função da convocação da greve geral nós decidimos, por não compactuar com a putaria, e transferimos nossa viagem. Fomos trabalhar na sexta.

Praticamente, só nós estávamos na Instituição. Nós e cerca de dez abnegados. Isto numa instituição que deve ter cerca de 80 ou mais funções comissionadas e cargos de direção, que não podem fazer greve. Imaginem!

Bom, nós fizemos nossa parte. Trabalhamos na sexta e viajamos após o expediente. Com a alma e o coração pacificados. Curtimos nosso feriado com a sensação do dever cumprido e de estarmos em dia com nossas convicções e caráter.

Queria discutir neste texto outras coisas como o Habeas Corpus do Zé Dirceu, as pesquisas manipuladas pró Lula, e as confusões e quebra-quebras da pseudo-greve. Mas isto ficará para a próxima postagem.

Quanto a tal de greve o que podemos dizer? Demonstra a fraqueza das esquerdas. Demonstra que o povo está de saco cheio desta corja.

Infelizmente teremos de pagar a conta, pois esta meia greve servirá para nossos patrióticos políticos aumentarem o preço para aprovar as tão necessárias reformas.

Ah! E sobrou mortadela. Muita mortadela.

Aguardo ansiosamente a próxima convocação de greve de meia-tigela para que possa exercer meu direito de furar a greve.

* * *

Só um comentário final, ‘combinar com os russos’ é uma história folclórica da Seleção brasileira na Copa de 1958, na Suécia.

Contam que antes do jogo com a URSS, vencido pelo Brasil por 2×0, o treinador Vicente Feola fazia sua preleção, incentivando os jogadores até que olhou para o ponta-direita Garrincha, o anjo das pernas tortas, onde se prosseguiu o seguinte diálogo ou algo assim:

– “Garrincha, é o seguinte: você pega a bola e dribla o primeiro beque. Quando chegar o segundo, você dribla também. Aí vai até a linha de fundo, cruza forte para trás, para o Vavá marcar (o gol)”.

Garrincha, calado, assustado com as instruções, falou:

– Tudo bem professor, mas o senhor já combinou isso com os russos?

3 maio 2017 FULEIRAGEM

VERONEZI – GAZETA DE PIRACICABA (SP)


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa