5 maio 2017 REPORTAGEM

“ELE TINHA CONHECIMENTO DE TUDO E DETINHA O COMANDO”

O ex-diretor de Serviços da Petrobrás afirmou nesta sexta-feira, 5, em juízo, que se reuniu com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por três vezes após ele deixar a Petrobrás, em 2012. Foram encontros em 2012, 2013 e 2014 – o último, depois de deflagrada as investigações de corrupção na estatal.

“Nesse encontro de 2012, para mim ficou muito evidente, fiquei surpreendido com o conhecimento que ele tinha com esse projeto de sondas”, afirmou Duque.

Condenado e candidato a delator, Duque foi ouvido pelo juiz federal Sérgio Moro, dos processos de primeira instância da Operação Lava Jato, em Curitiba.

Duque, que pediu para ser novamente ouvido por Moro.

O último encontro com Lula foi em julho de 2014. “Foi no aeroporto Congonhas, no hangar da TAM. Eu tenho passagem. acredito que tinha Infraero, porque teve passagem para ir ao hangar.”. Duque disse ainda que, para ele “Lula tinha pleno conhecimento de tudo e detinha comando”

Seguindo ele, foi um encontro por intermédio de João Vaccari, ex-tesoureiro do PT.

O candidato a delator assumiu que cometeu “ilegalidades”.

“Mas quero pagar pelas ilegalidades que eu cometi. Se for fazer uma comparação om o teatro, da situação que a gente vive, sou um ator, tenho papel de destaque nessa peça, mas não sou nem o diretor, nem o protagonista dessa história.”

O réu afirmou que quer “passar essa história a limpo”.

Assista abaixo aos vídeos do depoimento

Depoimento de Renato Duque – Vídeo 1

 Depoimento de Renato Duque – Vídeo 2

 Depoimento de Renato Duque – Vídeo 3

5 maio 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES_

5 maio 2017 DEU NO JORNAL

A PÁ DE CAL

Em depoimento ao juiz Sergio Moro nesta sexta-feira, o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque revelou que teve um encontro secreto com o ex-presidente Lula, num hangar do Aeroporto de Congonhas, já durante as investigações da Operação Lava-Jato, no qual recebeu do petista ordens para fechar as contas que mantinha no exterior para receber propina de contratos da Petrobras.

Segundo Renato Duque, o ex-presidente relatou na conversa que a então presidente Dilma Rousseff havia lhe repassado a informação de que diretores da Petrobras estavam recebendo propina de fornecedores da estatal, como a multinacional SBM, em contas no exterior.

Lula queria saber se Duque estava entre os beneficiários da propina. Como o ex-diretor negou, Lula insistiu querendo saber se a propina de contratos de sondas da Sete Brasil estava sendo paga no exterior. Duque voltou a negar. Lula então fez questão de advertir para a necessidade de eliminar rastros no exterior que pudessem levar as autoridades até a propina.

Principal operador do PT na Petrobras, Renato Duque também afirmou que se reuniu com Lula secretamente para discutir contratos de interesse das empreiteiras do petrolão em pelo menos duas oportunidades. Segundo Duque, Lula sabia de tudo que se passava no petrolão.

Mas não só.

O ex-presidente monitorava pessoalmente o fluxo de pagamentos de contratos que renderiam propinas posteriormente. Lula era tão envolvido que chegava a ter informações antes mesmo do próprio Renato Duque.

* * *

O fubânico petista Citador de Números vai ter serviço neste final de semana.

E é um tipo de serviço que ele gosta: desmentir as mentiras e calúnias que a grande mídia golpista publica sobre Lula.

Só invenções e falsidades criadas na Sala de Guerra da Globo.

Minha querida amiga e conterrânea Cabeça-de-Fossa – tesoureira do Comitê Municipal do PT em Palmares -, me telefonou agora há pouco, comentando esta notícia fresquinha.

Cabeça-de-Fossa me disse que estes traidores, estes falsos petistas renegados, estes vagabundos felas-da-puta, estes machos frouxos que não honram as calças que vestem, são uns cabras safados que inventam qualquer mentira pra ganhar uma pena leve.

5 maio 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

UMA HOMENAGEM DE CHICO ANYSIO

Comentário sobre a postagem BELCHIOR

Jorge Macedo, Recife-PE:

“Amigo e Editor Luiz Berto:

Acredito que você tenha assistido Chico Anysio no Programa de Rolando Boldrin, homenageando Belchior com esta música.

O cantor estava na platéia e se emocionou:

Eis a música:”

5 maio 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

AVE MARIA NO MORRO

Há exatamente cem anos, no dia 5 de maio de 1917, nascia em Rio Claro-SP, a saudosa Dalva de Oliveira. Ela encantou-se em agosto de 1972. Vamos reverenciar sua memória ouvindo-a interpretar uma composição de Herivelto Martins.

5 maio 2017 FULEIRAGEM

PAULO WERNER – CHARGE ONLINE

QUERO SER SOCIALISTA!

Estava eu conversando com um empresário socialista, se é que isso existe, e ele estava me dizendo que tinha 31 funcionários.

Aí eu, capitalista convicto, perguntei como ele era socialista se era empregador, afinal, no socialismo o único empregador é o Estado.

Pasmem! A resposta foi, digamos, surreal. Pelo menos no entendimento da minha pouca inteligência.

Mas antes da infame resposta, perguntei se ele dividia a renda da empresa igualmente com todos os funcionários.

NÃO!, claro que não… Bobinho eu, né? Socialismo só é bom pra pobre que acredita… e vai continuar pobre.

Bem, a resposta dele foi: “Eu não divido a minha renda, mas pago mais imposto do que eles”.

Fiquei eu a imaginar a fortuna que o Fidel pagava de imposto pra Cuba.

Aí eu aprendi o que é o tal de socialismo, dito pelos socialistas.

Socialista é aquele que ganha muito dinheiro, faz turismo na Europa (ele tinha acabado de chegar), paga mal seus funcionários, mas…paga um monte de imposto.

Agora, depois dessa aula, cheguei à conclusão que eu, apesar de assalariado, sou socialista. Pago uma fortuna de imposto todo mês. Fortuna sim, pra mim, pra ele talvez não seja, mas creio que pra todo brasileiro assalariado é, e pra nós, descontados em folha, não tem pra onde correr.

Só esqueci de dizer que o citado empresário é petista. Juro!

Quero pagar um milhão de reais por mês de imposto e votar no PT. E vocês?

E assim caminha a humanidade. Sou socialista, mas amo um Blue Label.

Ninguém é de ferro.

5 maio 2017 FULEIRAGEM

CLÁUDIO – AGORA SÃO PAULO

TRÊS POETAS NORDESTINOS E UMA DUPLA EM CANTORIA

Raimundo Lucas Bidinho glosando o mote:

Seis e meia na igreja
Às oito no cabaré.

Nossa Várzea Alegre cria
Uma certa criatura
Que toda noite mistura
Orações com putaria
É louca pela orgia
E nas imagens tem fé
São Vicente e São José
Bem veem a sua peleja
Seis e meia na igreja
Às oito no cabaré.

Dizem que este fulano
Pelos seus modos não mente
Pensa em ser futuramente
Um novo São Cipriano
Que todos dia do ano
É encontrado na Sé
Ajoelhado ou em pé
Por enfadado que esteja
Seis e meia na igreja
Ás oito no cabaré.

Em sua religião
É um católico acordado
Quando comete um pecado
Vai logo pedindo perdão
Não sei se terá ou não
A crença de São Tomé
Ou tendo, ou não tendo fé
À noite os altares beija
Seis e meia na igreja
Às oito no cabaré.

* * *

Leonardo Bastião

Eu também plantei saudade
Numa pequena panela
Só de quinze em quinze dias
É que eu botava água nela
Pr’ela não crescer demais
E matar quem cuidava dela

Eu não adivinho a morte
Porque Deus não quer assim
Mas as doenças que eu sinto
E as “dor” que se arrancha em mim
Dá pra perceber que a vida
Tá muito perto do fim

Na mocidade eu não pude
Vencer os planos que fiz
A velhice acompanhou
Já fez de mim o que quis
Com tanta velocidade
Que deixou a mocidade
Numa distância infeliz

Quem já passou dos sessenta
Do seu futuro tem medo
Que o tempo anda mais vexado
Pra chegar no fim mais cedo
Depois do fim é a morte
Depois da morte é segredo

No dia que eu morrer
A minha vida se encerra
Vou prestar conta a Jesus
Único juiz que não erra
E pagar pelos pecados
Que fiz em cima da terra.

* * *

Rangel Junior – QUEM SOU EU

Sou meio destrambelhado
Sempre chegando atrasado
Vivo sempre apaixonado
Só assim vejo sentido
Sou como chão de estrada
Vivo levando porrada
Ô, vida desmantelada
Essa que tenho vivido.

Às vezes sou meio gente
Às vezes sou meio bicho
Quase sempre estou contente
Igual a pinto no lixo
Quando a vida faz careta
Feito “boi-da-cara-preta”
Respondo c’uma munganga
“Isprito” de cangaceiro
Feito entidade em terreiro
Num tem quem me bote canga.

De Dona Neide sou filho
E também de Seu Tonito
Bom de mote e estribilho
Não sou feio nem bonito
Um cab’assim, mais-ô-meno
Nem muito grande ou pequeno
Nascido em Juazeirinho
Pode não saber de tudo
Mas não sabe ficar mudo
Fazendo o próprio caminho.

* * *

Poetas cantadores Hipolito Moura e Jonas Bezerra improvisando com o mote

Sepultei as lembranças do passado
E não vou mais padecer por causa dela

5 maio 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

5 maio 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

LEONEL BRACHMANN- CANOAS-RS

Sugestão para os amigos fubânicos com prisão de ventre.

Há um novo remédio milagroso na praça.

Saiu Laxante Gilmar!

Impunemax 171 mg

Tem bosta petista presa?

O Gilmar solta!

5 maio 2017 FULEIRAGEM

MICHELÂNGELO – CHARGE ONLINE

INCOMPETÊNCIA PRISIDENCIAL BANÂNICA

O nosso loroteiro prisidente, Michel Cara-de-Buceta Temer, tomou posse no dia 31 de agosto de 2016.

Fazendo as contas na ponta dos dedos, ele tá com a bunda na cadeira do Palácio do Planalto há apenas oito meses. Oito meses e cinco dias.

Aí eu pergunto:

Como é que pode um sujeito ser incompetente a ponto de conseguir com que quase 15 milhões de brasileiros fiquem desempregados em tão pouco tempo???

Hein???

Segundo o fubânico petista Citador de Números, doutor em estatísticas e dados, no tempo do gunverno lulista de Dilma Roussef a taxa de desemprego era de 0%.

Zero, zero, zero desempregados.

Não havia um único cidadão banânico coçando o saco até o mês de agosto do ano passado.

Exatamente a partir do dia 1º de setembro de 2016, começou a miséria e teve início a desgraça. O paraíso luloso começou a ser impiedosamente transformado em inferno.

Era gente perdendo emprego a todo segundo, em todos os cantos, de norte a sul e de leste a oeste.

Num tinha vagas nem nas filas de desempregados!

Michel Temer começou a desmontar impiedosamente a geração de empregos que foi construída nos gunvernos petistas.

O fubânico petista Citador de Números está coberto de razão quando diz que só mesmo um idiota é capaz de elogiar Temer.

Francamente, eu não consigo entender como é que ainda tem gente que dá apoio a um sujeito incompetente feito este prisidente Cara-de-Buceta.

Um péssimo administrador. O pior gerente que Banânia já teve.

Não entra na minha cabeça que há tão pouco tempo existiam descerebrados (e também descerebradas) que elogiavam este sujeito.

5 maio 2017 FULEIRAGEM

JORGE BRAGA – O POPULAR (GO)

CÍCERO TAVARES DE MELO – RECIFE-PE

Caro editodos Luiz Berto:

O jornalista Ricardo Boechat no seu programa da BADNEWS FM bota mais uma vez no afolozado furico do Cara-de-Buceta, Gilmar Mendes, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), indicado por FHC que mais desmoraliza aquela Corte de Bosta.

Vale apenas ouvir o comentário ácido do grande jornalista contra sua insolência, que está avacalhando aquele Lupanar, junto com os comparsas Dias Toffoloty e Ricardo Bigode de Espalhar Tolete Lawscadeira.

Mais outro vídeo comentado pelo jornalista da BANDNEWS FM, Ricardo Boechat, tecendo a pajaraca polodoriana no furido dos três comparsas que compõem a primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF), e soltando todos os bandidos presos na Operação Lavajato, para estancar a sangria do ladravaz Romero Guabiru Jucá:

5 maio 2017 FULEIRAGEM

YKENGA – CHARGE ONLINE

O SÁBIO

Olegário assim que aposentou-se comprou um sítio com uma bela casa para as bandas de do Alto de Ipioca. Uma linda vista da praia e um clima gostosamente ventilado. Contratou um caseiro para tomar conta do sítio e deu certo nos afazeres. Lula, o caseiro, ficou morando numa casa de taipa dentro do sítio, bem arrumada, com dois quartos, sala, cozinha e banheiro.

Olegário gostou de Lula, trabalhador, incentivou ao empregado arrumar uma moça e casar ou amigar. Lula confessou que ter acontecido uma decepcionante experiência marital. Sua mulher fugiu com um pilantra, ele preferia ficar só na vida.

Certo dia o caseiro foi a Rio Largo, aniversário de um primo, conheceu Esmeralda, morena bonita, 26 anos, também separada.

A família começou a incentivar em namoro entre os primos. Lula ainda traumatizado com experiência de ser corno, foi engolindo a corda. Depois de algumas cervejas os dois já conversavam animados. No mês seguinte Lula parou um caminhão na porta de Esmeralda, pegaram uma cama e um guarda-roupa, se juntaram na casa de morador do Sítio de Olegário.

A lua-de-mel durou pouco, Esmeralda tem um defeito congênito que alguns chamam de furor uterino ou comichão na genitália ou ninfomaníaca, o companheiro tem que ser ótimo de cama para dar conta e Lula não é tão bom assim. Com certo tempo Olegário ouviu alguns cochichos, Esmeralda estava saindo com moradores e vaqueiros das redondezas, até o menino Pedroca visitava a mulher enquanto. Lula toda tarde entrava nas matas em busca de lenha ou fiscalizando os caçadores proibidos por Olegário, deixava a mulher sozinha, sem ter o que fazer. Alguém chegou a fuxicar em seu ouvido, ele não quis saber, achava Esmeralda honesta, gostava dela, lhe dava carinho e boa comida quando chegava cansado da mata. Mas ficou desassossegado com o fuxico.

Nos fins-de-semana o casal descia à belíssima praia de Ipioca, direto para a bodega do Joaldo. Os dois casais se davam bem, tomavam cerveja, cachacinha, iam à praia, tinham um domingo maravilhoso. Até que Joaldo deu para visitar Lula com assiduidade, mesmo sem Lula em casa, ele aparecia para uma prosa com Esmeralda. Precisou um amigo abrir o jogo: Joaldo estava de caso com sua mulher, toda tarde ele chegava sorrateiramente para visitá-la.

Lula ficou indignado. Logo seu maior amigo, fazer uma traição dessa! A coisa não ia ficar assim. Depois de muito remover, pensar, resolveu dar fim aquela história que machucava o fundo de seu coração. Foi à Feira do Passarinho, comprou um velho revólver, R$ 150,00. Ao entrar em casa Esmeralda desconfiou, havia alguma coisa no ar, perguntou porque ele estava estranho. Lula pediu que o deixasse em paz. No outro dia, domingo, os dois desceram até à casa de Joaldo. Enquanto as mulheres foram à praia, Lula pediu um particular com o amigo. Foram para mesa de um bar mais afastado. Ele foi direto, estava com mágoa no coração.

– Joaldo, estou com um problema. Primeiro eu desconfiei, agora tenho certeza de um caso muito sério. Esmeralda está me traindo, ela tem um amante. Eu preciso acabar com esta situação. Comprei uma arma, está aqui em minha cintura, vou matar o amante de minha mulher.

O amigo respirou fundo, baixou os olhos, maior silêncio entre os dois. De repente Joaldo olhou nos olhos de Lula e falou bem pausado.

– Meu amigo, não faça isso. Você vai acabar sua vida por causa dessa mulher que não lhe merece. No mínimo 20 anos de cadeia. Eu estou sabendo que ela é doente, precisa procurar um médico para ver se tem cura. Se você matar esse cara, vai ser uma desgraça.

Segurou na mão do amigo e perguntou

– Escute! Por quanto você comprou o revólver?

– R$ 150,00

– Vamos fazer um negócio! Eu estou precisando de uma arma na venda, tenho medo de assalto, lhe dou R$ 250,00 por ela está bom?

Calaram-se, um olhando para o outro. Lula pensou, pensou, depois de alguns minutos de silêncio, chegou às conclusões.

– Você tem razão, não vale a pena pegar uma cadeia por aquela cadela. Mas, me faça um favor, eu vou para casa agora, você diga a essa vaca que não pise mais em minha casa, vou queimar tudo dela. Ela não apareça!

Pegou o dinheiro de Joaldo, colocou no bolso, entregou o revólver, levantou-se. Subiu ao Alto de Ipioca aliviado da dor que oprimia seu coração. Prometeu-se nunca mais casar, só raparigar. Hoje Lula, o Sábio, vive sozinho no Sítio do Olegário, com direito a levar uma amiga para esquentar a cama juntos. Casar nunca mais.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa