8 maio 2017 FULEIRAGEM

VERONEZI – GAZETA DE PIRACICABA (SP)

A OFTALMOPATIA PULÍTICO-IDEOLÓGICA É UMA MERDA

O chargista Mariano tem seus trabalhados reproduzidas regularmente aqui no JBF.

Como todos os demais chargistas brasileiros.

Eu gostaria de dar destaque a uma charge de Mariano que foi publicada hoje, na página Charge Online

É esta aqui:

Tão vendo, né?

A charge mostra o Juiz Sérgio Moro torturando uma testemunha pra que ela fale mal de Lula em seu depoimento.

Nem um doidinho delirante, amarrado numa camisa-de-força, conseguiria imaginar uma jumentalidade nestas proporções.

Eu não me canso de dizer que a paixão pulítico-ideológica, além de cegar totalmente o crente, faz com que ele fique completamente idiotizado e vague pelo oco do mundo como um zumbi assombrando o bom senso e a razão. Aqui mesmo no JBF tem exemplos disso todo dia e toda hora.

O leitor que arranjar o melhor adjetivo para esta cagada monumental do chargista Mariano, vai ganhar um presente do JBF. Um livro oferecido pela Editoria desta gazeta escrota.

Já o leitor que conseguir citar uma única pessoa que tenha sido torturada pelo Juiz Moro pra falar mal de Lula, vai ganhar uma pajaraca de asas pra surfar por sobre um esgoto entulhado de bosta.

Com direito à torcida da militância petêlha aplaudindo na margem do canal.

Já o chargista Mariano, autor desta cagada monumental, vai receber a Pajaraca de Asas do JBF, com dois lindos culhões e um cabeça vermêia da mesma cor da estrela do PT.

8 maio 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

JOSÉ CABRAL – MACAU-RN

Berto, olha que coisa linda!

O Partido dos Trabalhadores de São Paulo decidiu, durante a realização do congresso estadual, tratar como “presos políticos” os ex-ministros Antonio Palocci e José Dirceu e o ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto.

De acordo com o texto proposto pela chapa Unidade pela Reconstrução do PT, o partido “deveria exigir a liberdade para os seus presos políticos, Zé Dirceu, Vaccari, e Palocci”.

Faz sentido, já que a política do PT sempre foi roubar eles foram presos praticando a dita cuja.

* * *

Três petralhas presos pulíticos pela prática de ladroagem patidário-ideológica

8 maio 2017 FULEIRAGEM

SIMANCA – A TARDE (BA)


STAND-UP COM POESIA

SER OU NÃO SER

É fácil ser Lewandowiski
Toffoli e Gilmar Mendes
Nem precisa competência
Basta aval do presidente
Nesse Brasil jurisconsulto
De povo frágil, belo, inculto…
Difícil mesmo é ser gente

* * *

MEUS DELÍRIOS

Em meus delírios
Chego a aspirar
Fortuna.
Quando estou sóbrio
Não desejo
Coisa alguma.
Tenho alguém
Que por si só
Já me completa
Esteja sóbrio
Ou delirando.
Eu sou poeta.

* * *

ORGASMO DE AMOR

O Sol ejaculou
No útero da terra
Luz e calor
Pela primeira vez
A terra teve
Um orgasmo
Em flor

Era primavera.

8 maio 2017 FULEIRAGEM

CHICO CARUSO – O GLOBO

É MAIS FÁCIL COMPRAR DO QUE COMPOR

Comentário sobre a postagem COINCIDÊNCIAS MUSICAIS DO REI

Marcos André M. Cavalcanti:

“Maravilha, Peninha!

Só que você suaviza bastante quando diz ser apenas se tratar de coincidências…

Isso é bastante comum no meio artístico, principalmente, musical.

Chico Buarque declara que compra músicas e as registra em seu nome.

É mais fácil.”

8 maio 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

BELCHIOR

O colunista ouvindo Belchior em casa, ao som do vinil. LP Alucinação

Sextilha: “Não leve flores para a cova do Inimigo”

Pópulos hoje sente falta
De seu dono, o seu amigo
E a cultura de massa
Perdeu o seu inimigo
Pois “meu coração selvagem”
Repousa no seu jazigo.

Mote em sete: “De primeira Grandeza”

Mote:

“Hoje morreu um pedaço
Do corpo da poesia”

Poeta Zé Bezerra ( SHULUPA)

Hoje a arte está de luto
Pela perda incalculável
Deste poeta louvável
De coracão impoluto
Recebeu salvo conduto
O cantor da rebeldia
Que esbanjou filosofia
Com arte e desembaraço
Hoje morreu um pedaço
Do corpo da poesia.

Quem “na hora do almoço”
“Não morreu pela tristeza”?
Quem enxergava a beleza
Mesmo sendo muito moço?
quem roeu o duro osso
Lutou pela melhoria
Protestou quanto podia
Mas faleceu de cansaço
Hoje morreu um pedaço
Do corpo da poesia.

“Galos noites e quintais”
E “conheço meu lugar”
“Paralelas” pra mostrar
Assim “como nossos pais”
“Aluninacão” tem mais
Mensagem de alforria
E entre a música e a cantoria
Estabeleceu um laço
Hoje morreu um pedaço
Do corpo da poesia.

Compôs “medo de avião”
E na foto três por quatro
Fez o seu autoretrato
Fazendo a revelação
Desse nosso mundo cão
De vileza e covardia
E com sua melodia
Nos mostrou o seu compasso
Hoje morreu um pedaço
Do corpo da poesia.

Assim como Tom Jobim
Também se chamava Antônio
E seu maior patrimônio
Foi nunca ter dado um sim
Àqueles que estavam afim
De comprar sua alegria
Pois ele sempre dizia
Minha vida eu mesmo faço
Hoje morreu um pedaço
Do corpo da poesia.

O colunista e amigos com Belchior na cidade do Crato, em 2005

8 maio 2017 FULEIRAGEM

THIAGO LUCAS – CHARGE ONLINE


http://www.forroboxote.com.br/
O PÃO, O DIABO E O VOTO

Comeu apenas o bico do pão amassado pelo Diabo. Mais, não lhe foi oferecido. E saiu, buscando as tangentes da vida mas procurando, principalmente, tanger da vida tanta agrura. Mais um emprego será tentado, tantos passos serão dados à procura de um alento, de um sim. Ao fim do dia, cheio de nãos e mãos vazias a volta ao lar, se é que assim se possa chamar aquele pedaço de chão com toscas paredes levantadas. O olhar perdido da companheira é do tamanho do sonho também perdido por mais um dia que se perdeu. Dormirá? Amanhã, o recomeço, o tudo de novo. E o nada a persegui-lo, a negação a oferecer-lhe o braço e a mão, feito o político safado que tudo prometerá em troca do seu voto naquela eleição que está por chegar. Resistirá até lá? Na manchete de Jornal a aposentadoria tripla e milionária do velho Senador. Menos mal: ele não sabe ler.

8 maio 2017 FULEIRAGEM

IOTTI – ZERO HORA (RS)

WASHINGTON LUCENA – VISTA SERRANA-PB

Cada estrada que eu passei
As obras que eu já fiz
Hoje me lembro feliz
Que o mal eu não plantei
Na vida eu so procurei
O amor e a harmonia
Com minha sabedoria
Busco o bem todo momento
No papel do pensamento
Só escrevo poesia.

Glosa de Marcelane Araujo
Mote de Washigton Lucena

* * *

Mil cenário com emoções
Eu vivo cada segundo
E vou revirando o mundo
No planeta das ilusões
Vivo mudando as percepções
Pra viver na nostalgia
E escrevo melancolia
Mais nunca vivi lamento
No papel do pensamento
Só escrevo poesia.

Glosa e Mote de Washington Lucena

8 maio 2017 FULEIRAGEM

SINFRÔNIO – DIÁRIO DO NORDESTE (CE)

8 maio 2017 RUY FABIANO

A POLÍTICA NA REDE

O temor de que o habeas corpus concedido pelo STF a José Dirceu deflagre outros, em série, comprometendo – ou mesmo extinguindo – a Lava Jato, ignora o dado novo e revolucionário da atualidade política brasileira: o advento da opinião pública.

A internet tirou-a da condição de ente abstrato e conferiu-lhe protagonismo. No passado, as crises eram resolvidas (ou não) à revelia do público, que mal sabia o nome dos que o governavam.

Hoje, em plena Era da Informação, conhece-se melhor o perfil dos onze ministros do STF que o dos craques da Seleção Brasileira. E os atos dos agentes públicos, antes mesmo que a mídia convencional deles se ocupe, já se submetem ao crivo das redes sociais.

A opinião pública, antes pautada pela mídia – a ponto de ser chamada de opinião publicada -, passou a pautá-la. Foram as redes sociais que produziram as manifestações que levaram ao impeachment de Dilma Roussef. E são elas agora que constrangem o STF a continuar a conceder habeas corpus à clientela de Curitiba.

A voz digital das ruas descobre seu poder e sacode a torre de marfim de Brasília, que procura se ajustar aos novos tempos. Um vídeo no Facebook repercute mais que um discurso da tribuna da Câmara ou do Senado. A política e os políticos descobriram isso – e invadiram as redes. A plateia, porém, mantém-se crítica.

O ministro Edson Fachin, do STF, diante da repercussão negativa da soltura de José Dirceu, optou por encaminhar o pedido de habeas corpus de Antonio Palocci ao plenário – e não mais à segunda turma. Fará o mesmo com os de Eduardo Cunha, João Vaccari e Marcelo Odebrecht. Quer compartilhar as vaias.

O ministro Gilmar Mendes ainda desafia o fenômeno: no julgamento que livrou José Dirceu da prisão preventiva, avisou que o STF não tolera e não pode se curvar a pressões. Mas as pressões prosseguem e geram atitudes mais cuidadosas como a de Fachin.

As redes servem também para que os magistrados duelem indiretamente. O trio da segunda turma do STF que votou pró-Dirceu – Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Lewandowski – criticou o que chamou de abuso da prisão cautelar, atribuído a Sérgio Moro.

Este, por sua vez, sem se dirigir a eles, mas ao imenso público das redes, retrucou: “Excepcional não é a prisão cautelar, mas o grau de deterioração da coisa pública revelada”.

O público pró-Moro dá de goleada no do Supremo – e não só nele, mas em qualquer outro que o desafie. É de lá que provém o combustível que abastece a Lava Jato, que sabe tirar partido dessa receptividade. O PT investe pesadamente nas redes, mas fala apenas à própria militância. Provoca mais vaias que aplausos.

É mesmo assim o partido que primeiro investiu na rede e o que a ocupa de maneira mais planejada. Foca neste momento no depoimento de Lula a Sérgio Moro, no próximo dia 10, em Curitiba; quer arrebanhar adeptos para ocupar a cidade e constranger Moro e os procuradores. Já conseguiu criar um ambiente prévio de tensão.

Lula continua sendo apresentado como perseguido político, mesmo não o sendo; é acusado de delitos capitulados no Código Penal, à frente, segundo a Lava Jato, do maior assalto já havido contra o erário. Esse duelo entre acusação e defesa está prestes a migrar do virtual para o real, o que impõe complicadas medidas de segurança e logística. A primeira, a pedido da Polícia Federal, foi adiar o próprio depoimento, que deveria ter ocorrido ontem.

Teme-se que Curitiba vire praça de guerra, e a defesa de Lula investe nesse temor. Acredita que, dessa forma, esvaziará o depoimento, intimidará os inquiridores e fortalecerá a imagem do perseguido político. Faltou combinar com o outro lado.

8 maio 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

8 maio 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

IRINA KOWALSKI – CURITIBA-PR

Berto,

Sou leitora assídua do nosso querido Besta Fubana.

Meu marido também acessa todos os dias no trabalho (Em tempo: ele não é funcionário público. É empresário. kkkkkkkkkkkkkkkk)

A família toda curte muito esta que você chama de “gazeta escrota”.

Uma denominação ótima!

Estou escrevendo para comunicar que aqui na nossa querida Curitiba estamos de grades abertas para receber o corrupto petista.

Veja na foto em anexo.

Saudações,

R. Cara leitora, a propósito do interrogatório do penta réu Lapa de Canalha, que vai ocorrer nessa sua acolhedora cidade, aconteceu um fato digno de registro.

É o seguinte:

Aquilo que os idiotas muderninhos chamam de “grande mídia“, cometeu uma magistral cagada neste último final de semana.

Um desmantelo piramidal, uma escrotice de tamanho gigantesco, uma babaquice da porra, uma diarreia tolotífera como só mesmo numa republiqueta banânica feito esta nossa seria capaz de acontecer.

Veja só:

As capas das revistas Veja e IstoÉ transformaram o rotineiro, legal e burocrático interrogatório de um bandido pelo juiz que cuida do processo em uma luta entre boxeadores.

Como se estivessem fazendo uma matéria sobre a troca de tapas entre competidores!

Veja só que merda:

Pelo que me disseram, a chuva de mensagens com protestos de leitores de todos os cantos do Brasil, congestionou as caixas postais das duas publicações.

A alta direção da quadrilha petêlha está organizando caravanas de arruaceiros e mortadeleiros remunerados (30 reais) pra fazer zona, baderna e quebra-quebra na pacífica Curitiba.

As pessoas honradas, as pessoas que pertencem à banda decente do Brasil, estão fazendo apelos pra que não saiam às ruas os homens de bem, as mulheres honestas. Os contribuintes, enfim, que querem ver corruptos na cadeia.

Deixem apenas os vagabundos vermêios-istrelados exercerem sua indecente e incivilizada atividade.

A competente Polícia Militar do Paraná saberá cuidar de neguinho que invente de fazer bagunça e de depredar patrimônios públicos e privados. Como eles costumam fazer rotineiramente, de preferência com lenços cobrindo o fucinho.

Acabei de enviar mensagem ao Coronel Maurício Tortato, competente comandante da PM paranaense, sugerindo que seus homens usem cassetetes de grosso calibre caso haja qualquer bagunça.

Cassetetes que sirvam não apenas pra ser baixado no lombo de delinquentes, mas também pra enfiar no furico de cada um deles. Sem vaselina.

A propósito deste assunto – planejamento de manifestações no dia do depoimento de Lapa de Ladrão -, o digno, o honrado, o sensato, o equilibrado Juiz Dr. Sérgio Moro, o verdadeiro Herói do Povo Brasileiro, gravou um vídeo que vale a pena ser divulgado.

Vamos espalhar a mensagem do juiz, que está aí no final desta postagem.

Grato pela força e pela audiência, estimada leitora Irina.

Um grande abraço pra você e pra toda sua família!

8 maio 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa