17 maio 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

17 maio 2017 DEU NO JORNAL

FURO ESPETACULAR DA REDE GLOBO: ARROMBARAM A TABACA DE XOLINHA E FUDERAM TEMER

* * *

Esta bomba foi soltada agora há pouco pelo jornal O Globo, e repercutida com estardalhaço pelo canal Globo News, da Rede Globo.

O Jornal Nacional fez uma chamada em edição extraordinária.

Minha querida amiga Cabeça-de-Fossa, tesoureira do Comitê Municipal do PT em Palmares, acabou de me ligar dizendo que a mídia usurpadora é uma merda mesmo: só publica mentiras.

O ex-prisidente Lula, procurado pela reportagem do JBF, declarou que isto faz parte da insidiosa campanha da grande mídia reacionária pra perseguir os homens de bem.

Só podia ser mesmo uma notícia saída na Rede Globo“, declarou Lula furioso à Editoria desta gazeta escrota.

Temer não pode ser processado por crimes que cometeu antes de ser prisidente.

Mas esta safadeza, revelada hoje pela Rede Globo, se deu quando ele já estava com a bunda na cadeira do Palácio do Planalto.

Ou seja: esta foi pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!!

Foi pra fuder!!!

A situação de Temer Cara-de-Buceta não é apenas grave: é crítica.

Pelo que me disseram, Aécio Cheirador também tá enrolado.

Aguardem mais detalhes.

Pelo que está sendo divulgado, o peido vai avuar e a merda vai dar 10 tostões o dedal.

Eu chega se mijo-me todinho de tanto se rir-se-me.

Essa Globo, como dizem os fubânico petistas Ceguinho Teimoso e Cobra-de-Resguardo, é uma merda mesmo. É muito tendenciosa, pende para uma única banda e só divulga inverdades.

Lula e Dilma ligados no plantão da Rede Globo

17 maio 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

17 maio 2017 A PALAVRA DO EDITOR

UMA NOTA DA PORRA!

O marqueteiro das campanhas presidenciais do PT, João Santana, emitiu nota nesta quarta-feira (17) sobre entrevista concedida ao jornal O Globo pelo petêlho José Eduardo Cardoso, ex-ministro da justiça no gunverno Lula. 

Cagão Cardoso afirmou que não houve caixa 2 nas campanhas de 2010 e de 2014. 

Nestas horas, os valorosos socialistas mudernos petralhas procuram os órgãos da grande mídia golpista, assim como o Globo, pra cagar suas opiniões.

A nota de João Santana enfia impiedosamente uma pajaraca de grosso calibre bem no meio do olho do furico do petista idiota (desculpem a redundância…).

Leiam a íntegra da nota:

“A grotesca e absurda entrevista do advogado José Eduardo Cardozo ao Globo faz-me romper o compromisso – que tinha comigo mesmo – de somente tratar dos termos das colaborações, minha e de Mônica, no âmbito da Justiça.

Desta forma, digo de forma sucinta (e reservo detalhes para momentos apropriados):

1. Não há nenhuma contradição naquilo que Mônica e eu afirmamos sobre as informações recebidas, em fevereiro de 2016, a respeito de nossa prisão iminente. Quando disse que soube da prisão pelas câmeras de segurança de minha casa -acessadas por computador desde a República Dominicana – referia-me ao óbvio: foi naquele momento, na manhã do dia 22 de fevereiro, que eu vi, de fato e realmente, a prisão concretizada.

2. Antes, sabíamos, por informações da presidente Dilma, que a prisão seria iminente. Seu último informe veio no sábado, em e-mail redigido com metáforas, cuja cópia está anexada aos termos da nossa colaboração.

3. Apenas para ficar em dois indícios não devidamente noticiados: se não estivéssemos sendo informados da iminência da prisão, porque chamaríamos, na sexta, 19 de fevereiro, o nosso então advogado, Fabio Tofic, para que viesse às pressas a S. Domingos?

4. Por que cancelaríamos nosso retorno ao Brasil, dias antes, com passagem comprada e com reserva já confirmada? (A Polícia Federal chegou a esse detalhe através de investigação feita na época).

5. Com relação ao Caixa-2, o advogado Cardoso insiste também na versão surrada expressa a mim, desde 2015, pela presidente Dilma, de que o “altíssimo custo” oficial da campanha seria uma prova vigorosa de que não houvera “pagamentos não contabilizados”. Este argumento não se sustenta para qualquer pessoa que conheça os altos custos e a realidade interna das campanhas.

6. Diz, também, de forma enviesada que haveria um espécie de acordo tácito entre eu e Marcelo Odebrecht para misturar caixa dois das campanhas do exterior com a campanha de Dilma. É uma mentira deslavada: nos nossos depoimentos está bem discriminado o que são campanhas do exterior e campanhas do Brasil.

7. De forma cínica diz que não houve caixa dois nas campanhas de 2010 e 2014. Pra cima de mim, José Eduardo?

8. Para finalizar, afirmo que as únicas vezes que menti sobre a presidente Dilma – e isso já faz algum tempo – foi para defendê-la. Jamais para acusá-la. Lamento por tudo que ela, Mônica e eu estamos passando. A vida nos impõe momentos e verdades cruéis.

JOÃO SANTANA”

É isso aí.

Pois é, então.

Quero ter o prazer de repetir uma frase desta nota aí de cima.

É esta aqui:

Para finalizar, afirmo que as únicas vezes que menti sobre a presidente Dilma – e isso já faz algum tempo – foi para defendê-la. Jamais para acusá-la.

Agora, pra fechar a postagem, o nosso querido jegue Polodoro vai relinchar em homenagem aos eleitores de Dilma.

Os eleitores de Dilma e os de Lula, que são do mesmo curral, claro.

Dedico a estes eleitores lobotomizados petralhocais não apenas o relincho, mas também a pica de Polodoro que aparece no vídeo abaixo.

Rincha, Polodoro!

17 maio 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

CORRUPTOS PÚBLICOS E PRIVADOS

Desde março de 2014 acompanhamos diariamente na imprensa as notícias da operação Lava-Jato. Tudo que é apurado nas investigações converge para um grande esquema criminoso para enriquecimento e financiamento dos políticos (principalmente), herdado, aperfeiçoado e ampliado pelo PT sob o comando de seu grande líder Luís Inácio Onesto da Silva. Evidências, acusações, delações premiadas, piadas, tudo aponta para Lulla.

A nação desconfia, faz muito tempo, que todas as operações do serviço público custam aos cofres municipais, estaduais e federal muito mais do que nossas operações privadas equivalentes. Construções, compra de passagens, remédios, tudo que cai na rede é peixe, todos os níveis da administração pública, participam da farra, quase todos os partidos políticos estão de alguma forma com suas digitais na cena do crime. Dá para imaginar que o Petrolão/operação Lava-Jato é apenas um dos tentáculos da corrupção que nos sufoca. Tem muito mais ainda.

Nos três anos que se passaram grandes empresas foram seriamente atingidas pelo escândalo, sofreram punições e algumas estão em situação bastante comprometida em relação a continuidade de suas atividades. Muitos executivos e acionistas dessas companhias passaram pelo vexame de serem presos e apontados para o mundo todo como criminosos. Alguns merecem o castigo máximo, outros apenas cumpriram ordens e mesmo assim estão com suas reputações comprometidas.

Como sempre acontece o setor privado corre riscos, é penalizado pela burocracia, paga altos impostos, sofre com todo ambiente hostil ao empreendedor, enquanto o setor público segue sugando o sangue dos contribuintes oferecendo muito pouco, ou quase nada em troca. No caso da Lava-Jato e suas derivadas o que estamos assistindo é ainda pior. Senador debocha da ordem do Supremo Tribunal Federal, o Congresso desafia a nação e ameaça criar leis que os protejam cada vez mais, etc.

Quase blindados pelo maldito foro privilegiado, Suas Excelências continuam zombando de todos nós desafiando os investigadores a encontrarem o recibo da corrupção. – O documento estava na minha casa, mas se não tem minha assinatura não vale nada – Enquanto isso os corruPTos privados “pagam o pato” quase sozinhos. O Brasil segue nesse ritmo, atônito, perdendo as esperanças de que o resultado seja uma grande limpeza na política nacional e novos procedimentos na administração pública para dificultar e punir severamente os maus servidores e políticos corruPTos.

Não estamos sendo roubados apenas nas nossas finanças, estão roubando a esperança dos brasileiros num país melhor a partir da apuração das responsabilidades nesse escândalo. Todos nós sabemos exatamente como tudo aconteceu, quem participou, comandou. E daí? Sentimos as consequências do desgoverno na forma de desemprego, falta de segurança, assistência médica… tudo. Precisamos que a justiça atue nas duas pontas a jato. O tempo é grande inimigo, estamos numa emergência que exige um esforço turbinado, a jato, antes que a nação sofra um colapso financeiro e moral.

Por que existe um ritmo para os corruptos privados e outro para Suas Excelências?

17 maio 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

17 maio 2017 DEU NO JORNAL

ELE CHEGA LACRIMEJAVA DE EMOÇÃO QUANDO ROUBAVA MUITO

O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, aceitou nesta terça-feira (16) a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-governador Sérgio Cabral, que agora é réu pela oitava vez nas investigações da Operação Lava Jato.

Além dele, tornam-se réus o ex-secretário de Saúde Sérgio Côrtes e outros cincos acusados.

De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público, Côrtes foi escolhido pelo ex-governador com o objetivo de dar prosseguimento ao esquema de propinas na área da saúde que existia no Instituto Nacional de Traumato-Ortopedia (Into).

“A propina foi instituída desde que Sérgio Cabral entrou no governo, em 2007, e Sérgio Côrtes foi nomeado para transferir o esquema do Into para o sistema de saúde”, destacou o procurador regional da República, José Augusto Vagos, na denúncia.

* * *

O Instituto Sérgio Cabral emitiu nota dizendo que tudo isto não passa de “perseguição judicial” contra o probo ex-gunvernador do Rio. Uma perseguição para a qual é dada ampla divulgação na grande mídia golpista e reacionária.

É tudo mentira o que se diz contra o ex-gunvernador.

Nunca se provou nada, absolutamente nada, contra Sérgio Cabral.

Sérgio Cabral não roubou o povo do Rio da Janeiro. Segundo seu aliado fiel, Luiz Inácio Lula da Silva, Sérgio Cabral chega enchia os olhos de lágrimas quando falava do amado povo daquele estado, que ele trazia enternecido no mais fundo do seu coração.

O Instituto Lula solidarizou-se com Sérgio Cabral – logo após ele ter virado Octa Réu -, e pediu que o JBF colocasse no ar as palavras do seu companheiro de honestidade e probidade, o ex-prisidente Lula, em apoio ao injustiçado gunvernador carioca, hoje em dia injustamente encarcerado, cagando de coca num boi imundo no presídio de Bangu.

Vamos atender ao pedido do Instituto Lulas:

17 maio 2017 FULEIRAGEM

SAMUCA – DIÁRIO DE PERNAMBUCO

17 maio 2017 FULEIRAGEM

MÁRIO – TRIBUNA DE MINAS

TELMA CAPISTRANO – BELO HORIZONTE-MG

Impagável e indecente Editor,

É impossível escrever “corruPTo” sem PT.

Um grande abraço para o melhor blog da net.

Minhas saudações para a comunidade fubânica de todo o Brasil, diretamente daqui de BH, a capital brasileira com a maior quantidade de bares e botecos do Brasil.

Beijão!!!!

R. Cara leitora, eu acho que você foi muito peremPTória.

Que também é outra palavra que não se escreve sem PT.

Aliás, você está aPTa a se tornar uma grande comentarista fubânica.

Outro beijão de volta!

17 maio 2017 FULEIRAGEM

OLIVEIRA – CHARGE ONLINE

17 maio 2017 HORA DA POESIA

VOLÚPIA – Florbela Espanca

No divino impudor da mocidade,
Nesse êxtase pagão que vence a sorte,
Num frémito vibrante de ansiedade,
Dou-te o meu corpo prometido à morte!

A sombra entre a mentira e a verdade…
A núvem que arrastou o vento norte…
– Meu corpo! Trago nele um vinho forte:
Meus beijos de volúpia e de maldade!

Trago dálias vermelhas no regaço…
São os dedos do sol quando te abraço,
Cravados no teu peito como lanças!

E do meu corpo os leves arabescos
Vão-te envolvendo em círculos dantescos
Felinamente, em voluptuosas danças…

17 maio 2017 FULEIRAGEM

CHICO CARUSO – O GLOBO


O CABOGRAMA E BIBIU CARA DE JUMENTO

Mapa da rede de distribuição das linhas da Western

Os anos 60. Marca forte na vida de todos os que nasceram no Brasil nas décadas de 40 ou 50. Uma geração que procurava melhorar sempre de vida. No Ceará, as condições climáticas atrapalhavam o desenvolvimento e com ele emperrava também o crescimento. Atravanca tudo. Era um miserê danado.

Nas escolas, as coisas caminhavam rotineiras e a vida social e noturna da capital cearense começava conhecer novos valores, novos hábitos, novas modas. A música trazia novidade com novos ritmos empurrados pelo rock, pelo iê-iè-iê, sem deixar de lado os ritmos afros.
Após a baixa no Exército, o enfrentamento da vida civil. Um trabalho burocrático na Organização Silveira Alencar, que vendia e representava a marca automotiva Chevrolet. Também vendia muito a marca Frigidaire (geladeiras).

E os novos desafios chegaram. Fiz um teste – tipo concurso concorrendo com mais outros 15 jovens – na companhia inglesa THE WESTERN TELEGRAPH COMPANY LIMITED, que operava no ramo da Comunicação, mais precisamente com cabogramas – um dos avanços tecnológicos daquela época. Primeiro, um estágio para assegurar a prática de trabalhar como Operador Teletipista, enviando e recebendo telegramas (cabogramas).

Foi fácil e rápida a adaptação, o que garantiu a admissão com um dos melhores salários e algumas boas e até então desconhecidas vantagens. Enquanto o trabalhador brasileiro (de empresas nacionais) recebia 13 salários por ano, os funcionários da Western recebiam 16 – acrescidas três gratificações: carnavalina, junina e natalina.

Um ótimo e descontraído ambiente de trabalho, com três horários flexíveis de 6 (seis) horas diárias: das 5 às 11 horas; das 11 às 17 horas e das 17 às 23 horas. Nesse último horário, a garantia do transporte para levar em casa.

Teletipo adaptado com teclado e perfurador de fita para envio de cabogramas

Ranqueada entre as empresas mais confiáveis entre as que operavam no ramo da Comunicação no Brasil, a Western era a garantia da rapidez na comunicação – preferida para envio de ordens de depósitos bancários, muitos utilizados pelos bancos públicos e particulares de uma praça para outra.

A confiabilidade era marca registrada e os erros ou equívocos, embora acontecessem, eram muito raros e até chamavam a atenção, quando aconteciam. A rapidez na entrega da correspondência garantia a preferência pela Western.

Um equívoco, certa vez, marcou a vida de um antigo Operador de Teletipo, já próximo da aposentadoria. Um mestre no envio de mensagens – mas, como acontece com qualquer um, certa vez cometeu o equívoco imperdoável, embora, naquele tempo, poucos acreditassem que ele teria se equivocado, preferindo acreditar que o “equívoco” fora proposital.

Uma conhecida empresa de Fortaleza (que vou omitir o nome) enviou um cabograma para São Paulo, com os seguintes dizeres: “ENVIEM URGENTE CINCO DÚZIAS DE BARALHOS PT.”

Na hora de digitar, o Operador “trocou” o “B” da palavra “BARALHOS”, por uma letra “C”. Foi um erro imperdoável, e, pela seriedade da Western, o funcionário respondeu um inquérito interno, foi suspenso do trabalho por alguns dias, e quase era demitido por justa causa, o que significaria a perda dos muitos anos de trabalho e a aposentadoria que se aproximava.

Bibiu conduzindo a jumenta para o banho no açude

Os tempos mudaram. Muitas coisas mudaram. O bonde deixou de circular em algumas capitais; começaram a aparecer veículos sem o uso da manivela; apareceu o telefone celular; já quase não se usa mais o serviço dos sapateiros e já existe no Brasil o que antes era chamado apenas de “pãozinho” – porque o mais vendido e mais comprado era o que hoje chamamos de bisnaga.

Diminuíram sensivelmente os inferninhos (por que hoje o namorado já faz sexo com a namorada no primeiro encontro – e, se não fizer ela mandar o sujeito “andar” e sair da fila); não existem mais confessionários nas igreja e já se comunga sem confessar. Mudou muita coisa.

O avião é mais veloz; a energia elétrica é mais cara; já existe energia eólica e a propina é algo instituído no Brasil. O analfabetismo cresceu, as escolas ensinam cada vez menos, e a política, que era uma ciência, virou uma putaria.

Mas, isso tudo já acontece nas capitais e cidades grandes. Nas cidades menores, muito ainda é como antigamente. A molecada continua tendo a primeira experiência de sexo “comendo jumenta” nas capoeiras – e nem precisam mais recorrer à masturbação como fazíamos antigamente.

E, por falar em comer jumenta, lá na minha Queimadas existia um tal Bibiu Cara de Jumento, por que desde os 15 anos até os 32 ele usou as jumentinhas para “essa necessidade biológica” – um verdadeiro tarado pelas “mocinhas das capoeiras”.

As moçoilas das capoeiras das Queimadas “percurando” Bibiu

Durante muitos anos, os rapazes da mesma faixa etária de Bibiu Cara de Jumento começaram a perceber que o dito cujo não namorava. Não conseguia arrumar uma namorada. Nenhuma menina se aproximava dele – e ele nem fazia muita questão disso. Muitos passaram a achar que ele fosse um “Guardador de Espadas”, daqueles bem enrustidos.

Na linguagem chula atual: muitos achavam que Bibiu era baitola, qualhira, gay, “menina”, fresco, frango, paneleiro (como se diz em Portugal).

Depois de alguns tempos, soube-se que Alzira, uma das muitas filhas de Otacílio Mangueira, precisou atravessar uma das muitas capoeiras do lugar, e avistou Bibiu Cara de Jumento com as calças arriadas “furufando” uma jumentinha. Resolveu contar para as amigas, e, a partir dali, nenhuma quis mais conversa com Bibiu Cara de Jumento.

Ele não se importava muito, pois as meninas do lugar não faziam o que as “moçoilas da capoeira” faziam.

A vida é assim mesmo. A vida é bela!

17 maio 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

REPÚBLICA DE 1817 É LEMBRADA PELO SENADO

Exmos Senadores Humberto Costa e Cristovam Buarque, ilustres membros, companheiros estudiosos de 1817, meu amigo Rubem Amaral Júnior, Embaixador, que aqui veio prestigiar a nossa fala, fala esta que vai de todo à gratidão, à gratidão ao Senador Humberto Costa, que teve a iniciativa de festejar, lembrar e proclamar os feitos da Primeira República do Brasil, a República de 1817. Portanto, o meu agradecimento pessoal, como pernambucano.

Mas eu tomo para mim, neste início de fala, as palavras do poeta João Cabral de Melo Neto, quando ele, no poema Pergunta a Joaquim Cardozo, interroga:

É que todo o dar ao Brasil
de Pernambuco há de ser nihil?
Será que o dar de Pernambuco
é suspeitoso porque em tudo
sintam à distância, o pé atrás,
insubserviente de quem já foi mais?

Meus amigos, o que hoje se comemora foi um comportamento permanente dos pernambucanos.

Muito antes do iluminismo, existia um sentimento de autonomismo em Pernambuco, sentimento este que se encontra presente até nos dias atuais.

Quem nasce em Pernambuco – desculpem a imodéstia – tem sempre um queixo levantado, tem sempre um orgulho muito grande de ser pernambucano.

Não é à toa que o símbolo dos revolucionários de 1817 está nas cabeças, nas camisas dos pernambucanos, que é a nossa bandeira, proclamada, outorgada pelos revolucionários de 1817, desenhada pelo Padre João Ribeiro Pessoa Montenegro e ressurgida pelo Governador Manuel Borba.

O pavilhão azul e branco encontra-se sempre nas cabeças de todos aqueles que, em plena festa de Carnaval, estão a demonstrar o seu orgulho; se vão para um campo de futebol, levam uma bandeira de Pernambuco.

Portanto, estamos diante do sentimento de autonomismo ainda hoje presente em Pernambuco.

Das antigas províncias formadoras do Território nacional, nenhuma deu maior número de mártires do que Pernambuco, haja vista a imensa lista de condenados à morte que nós herdamos de 1710, de 1817, de 1824, de 1848.

Numa consulta à história de Pernambuco, veremos que todos esses movimentos foram gerados do orgulho nativista dos restauradores de 1654.

Com uma mesma ideologia, de que os antepassados pernambucanos conquistaram toda a região do Nordeste do Brasil, da foz do São Francisco até o Maranhão, fora conquistada pelos seus antepassados.

Como diria o Padre Antonio Vieira, sós, pelejando com suas relíquias, Pernambuco conquistou todo aquele território, em batalhas de 1648 e 1649, com a expulsão dos holandeses em 1654. Com tal conquista doaram todo aquele território – que hoje é o Nordeste brasileiro – ao El-Rei de Portugal, à suserania da Coroa Portuguesa, mas debaixo de certas condições, a condição do autonomismo. E essa doutrina nos segue, nos persegue, nos impregna até os dias atuais.

Então, toda vez que Pernambuco se achava ferido no seu autonomismo, ele se manifestava através de uma revolta armada, como a que aconteceu com a República de Olinda, de 1710, chefiada por Bernardo Vieira de Melo, seus filhos e irmãos.

Nela, o governador português, Sebastião de Castro Caldas, se refugiou na Bahia, deixando no governo da capitania o bispo de Olinda, mas logo depois veio o outro governador.

O novo Governador português Félix José Machado de Mendonça – sucedendo a Sebastião de Castro Caldas – resolveu acusar os pernambucanos de tentarem uma rebelião contra a família do próprio governador e, com isso, mandou encarcerar todos os que tiveram destaque no movimento de 1710 e os envia para Lisboa, trancafiando-os na prisão do Limoeiro.

Nos cárceres, os prisioneiros pernambucanos, com o tempo, vão desaparecendo pelas mortes mais misteriosas, como se pode comprovar nos atestados do Livro de Óbitos da Paróquia de São Martinho. Um a um, vão morrendo e, quando chega o perdão real da Coroa, já não havia mais ninguém para perdoar, todos já haviam morrido.
Graças a tais certidões de óbito, pudemos comprovar o dia da morte da cada um dos nove que pereceram na prisão.

Observa José Antônio Gonsalves de Mello que a interligação de um ideário de liberdade dos pernambucanos remonta “à vitória sobre os holandeses e se renova não só em 1710, aqui referido, como ainda em 1817, em 1824 e em 1848. Dentro dessa linha de reivindicações, aqueles que pagaram então com a vida, nas celas do Limoeiro, seu ideal político de participação no governo de sua terra estão na companhia de outros mártires pernambucanos como o Padre João Ribeiro, o Frei Caneca e o Desembargador Nunes Machado”.

No século XVIII, por conta das ideias dos filósofos iluministas da segunda metade, veio a ser gerado, entre os estudantes de Pernambuco, um ideário liberal, um ideário republicano.

Essas ideias vieram a ser propagadas não só por aqueles estudantes de Coimbra e de Lisboa, cujos processos consegui ler detidamente.

Alguns deles tomaram parte ativa na Revolução de 1817, como é o caso do nosso Antônio Morais Silva, autor do primeiro Dicionário da Língua Portuguesa.

No século XVIII, as ideias daqueles iluministas foram divulgadas pelos seminaristas do então Seminário de Olinda, criado em 1799, e pelas lojas maçônicas, que já se faziam presentes no Recife.

Tais ideias passaram para uma revolta armada, eclodida no dia 6 de março de 1817, quando era proclamado um governo de caráter republicano, com representação dos militares, do clero, da magistratura, do comércio e dos senhores rurais.

Por um curto período de dois meses e meio, viveu-se naquela capitania um regime republicano, regido por uma Constituição, chamada de Lei Orgânica, que, sob a orientação de um Conselho de Estado, regulava a representatividade de classes, a independência da magistratura, a imprensa livre e outros direitos até então desconhecidos entre nós.

A Coroa Portuguesa logo combateu a revolta a ferro e fogo, levando à prisão centenas de patriotas, como eram chamados, nas cadeias do Recife e de Salvador.

Dessa lista, 13 presos foram condenados à morte, quatro foram fuzilados em Salvador, e nove foram enforcados no Recife, sendo depois seus corpos esquartejados; com suas cabeças separadas do corpo, juntamente com seus membros. Os troncos eram amarrados às caudas dos cavalos e arrastados até o cemitério.

Esses troféus de cabeça e dos quatro membros eram colocados em pontos previamente determinados.

Morreram, como consequência direta no envolvimento da Revolução de 1817, na atual Praça da República, no centro do Recife, que veio a ser chamada de Campo da Honra, em 8 de julho de 1817, os Capitães Domingos Teotônio Jorge e José de Barros Lima, além dos mártires Antônio Henrique Rabelo, Amaro Coutinho, José Peregrino Xavier de Carvalho, Inácio de Albuquerque Maranhão e o Padre Antônio Pereira de Albuquerque.

Na Bahia, foi executado por fuzilamento, no Campo da Pólvora, o Padre José Ignácio de Abreu e Lima (Padre Roma), em 29 de março de 1817, seguindo-se dos patriotas Domingos José Martins, José Luiz de Mendonça e o Padre Miguel Joaquim de Almeida (Frei Miguelinho), em data de 12 de junho de 1817.

Discurso proferido em sessão especial do Senado Federal no dia 8 de maio de 2017

17 maio 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

17 maio 2017 A PALAVRA DO EDITOR

O PALCO IDEAL

Os petistas vivem baixando o pau nos coxinhas.

Já os anti-petistas vivem baixando o pau nos cuzinhos.

Coxinhas  amarelos e cuzinhos vermêios travam uma batalha feroz aqui nesta gazeta escrota.

Esta troca de tabefes é muito gratificante para a Editoria pois aumenta impressivamente a quantidade de acessos – sempre beirando os 50 mil por dia -, engordando as nossas estatísticas.

Estas duas torcidas podem usar e abusar livremente deste espaço.

É um prazer enorme ceder o ringue para a troca de tabefes entre coxinhas e cuzinhos.

17 maio 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

PELO MUNDO

Saída à francesa

Não havia comentado, ainda, as eleições francesas. Foi, digamos, punk.

Mas sabem o que me chamou a atenção? O fato de que no dia das eleições, proclamado o resultado devidamente reconhecido pela adversária Le Pen, Emmanuel Macron nem começou a comemorar e já haviam protestos.

Protestos de quem? Da esquerda ora bolas, de quem mais? No dia das eleições, proclamado os resultados e eles, os esquerdistas e sindicalistas já estavam nas ruas protestando.

É uma cusparada na cara da tal da democracia. Eles (a esquerda) está deixando o Governo com o pior Presidente da 5ª República Francesa, tentou e não conseguiu emplacar um radical de esquerda, Jean-Luc Mélenchon e, eles já foram as ruas.

Os franceses foram as urnas escolhendo por franca maioria o novo presidente, Macron. E os democratas da esquerda? Nem ai, foram protestar contra a legitimidade do presidente. Acho que como todo esquerdista, os franceses acham que só é legítimo o candidato deles.

Macron tem um grande desafio, estabilizar a França e a Europa, no momento do Brexit e com a guerra da Síria (vide imigrantes as portas da Europa) sem perspectivas de acabar por causa dos mesmos esquerdopatas e seu discurso politicamente correto. Não vai ser mole!

Le Pen tinha, em que pesem algumas teses doidivanas, razão em muitas de suas propostas. Mas Macron elegeu-se num ambiente hostil.

Afinal um dos maiores desafios do mundo é ser um LIBERAL, em um país como a França, ainda mais nos tempos pós-Trump, com a imprensa esquerdopata tendo chiliques por qualquer coisa.

Ser liberal na França é mais difícil que ser de extrema direita. Le Pen talvez não sofresse a pressão que Macron sofrerá.

Mas o novo presidente começou bem ao nomear seu primeiro-ministro.

Que mantenha-se arreigado ao Espirito Liberal e bom governo!

* * *

De tão Maduro, apodreceu

A coisa na democrática Venezuela está cada dia mais feia e complicada. Maduro agora fala com pássaros, vacas, porcos e urubus. E o povo apanha, é preso e assassinado nas ruas.

Só porque ousou protestar contra o democrático regime Chavista. Afinal do que reclamam? Só faltam comida, papel higiênico, remédios e liberdade.

Sejam coerentes, povo venezuelano, afinal é preciso um pouco de sacrifício para atingir o paraíso socialista bolivariano.

Comida para que? Um regime faz bem. E a incoerência de querer papel higiênico, se não comem não defecam.

E remédios, será que este povo não sabe que ninguém adoece em paraísos comunistas como Cuba e Venezuela. E liberdade, liberdade? Já estão exagerando!

Pior é que no Brasil a imprensa só noticia a carnificina na Venezuela em notícias pontuais, notas de rodapé. Será que nossos briosos e ‘independentes’ jornalistas de inclinação esquerdistas estão envergonhados de ter considerado a Venezuela um modelo de democracia e progresso? Ou invejosos da liberdade de imprensa desfrutada pelos colegas venezuelanos?

A ideia de fazer protesto lendo e dançando nas ruas foi genial.

Persistam venezuelanos pois falta pouco em breve Maduro, Cabello et caterva vão ir de encontro ao povo.

Pendurados em praça pública.

* * *

Combinando com os russos

Olha o Trump ai de novo. Enfrentando a imprensa que lhe dedica 25 horas por dia, 8 dias por semana. Querem um impeachment, afinal se no Brasil tivemos dois.

Inclusive um contra Janete/Iolanda/Vanda/Dilma, a honesta e competente, porque não impixar o Trump.

Trocar informações com os russos (se é que trocou), sobre inimigos comuns, inimigos da humanidade diga-se de passagem, é um horror.

Se fosse o Obama seria saudado como visionário ao estreitar relações e colaborar com os russos. Como foi Trump é imperdoável.

Imperdoável, para as esquerdas, foi Trump ter derrotado Hillary Clinton. O resto é choro de perdedor.

* * *

Flatulência norte-coreana

Os testes balísticos e os mísseis norte-coreanos até agora parecem um peido daqueles surdinhos, mas fedorentos. Dizem que parte do arsenal do Anão tarado é fake, feito de papel. Não duvido!

Mas devemos estar preparados. Trump, os Russos e Chineses estão pressionando os norte-coreanos então poderemos ter uma leve abertura do país em breve.

Talvez algo até um pouco mais radical caso resolvam, e tenham coragem, de servir o Anão como ração de cachorro (pobres cachorros).

Ai vamos ter uma noção do que é a vida em um paraíso comunista. Esperem e verão no que resta do povo norte-coreano uma visão esquálida e moderna dos sobreviventes de Auschwitz.

Crianças famélicas, idosos em petição de miséria. Tudo fruto da igualdade socialistas. Onde as ideias de Marx prevalecem desaparece a humanidade.

Não esqueçamos porém que os ‘peidos’ em forma de mísseis norte-coreanos ainda podem ser um perigo. Um flato as vezes é prenuncio de uma diarreia.

Portanto todo cuidado é pouco. Urge uma ação drástica de Chineses e Americanos.

* * *

Proibido para menores

Já nas Terrae brasilis chamaram-me a atenção para mais um crime em curso no nosso país.

Se observarmos o Código Penal brasileiro é tipificado como crime:

Art. 247 – Permitir alguém que menor de dezoito anos, sujeito a seu poder ou confiado à sua guarda ou vigilância:

I – freqüente casa de jogo ou mal-afamada, ou conviva com pessoa viciosa ou de má vida;

II – freqüente espetáculo capaz de pervertê-lo ou de ofender-lhe o pudor, ou participe de representação de igual natureza;

Temos um acinte em curso, uma ignomínia contra nossas crianças.

Gente decente do Brasil devemos exigir imediatamente que se proíbam crianças e menores de idade de visitar o Congresso Nacional e casas assemelhadas (Assembleias, Câmaras, sedes de partidos políticos e Sedes de Sindicato, por exemplo).

Protejam nossas crianças!

17 maio 2017 FULEIRAGEM

SAMUCA – DIÁRIO DE PERNAMBUCO

17 maio 2017 DEU NO JORNAL

ARROMBARAM A TABACA DE XOLINHA DE NOVO (XIII) – OU SERIA (CXIII)???

Uma foto anexada a um processo em que a Operação Lava-Jato investiga o ex-presidente Lula mostra o líder petista num encontro com o então presidente da OAS, Léo Pinheiro, que ocorreu no sítio de Atibaia, no interior de São Paulo, segundo a Polícia Federal.

A imagem foi protocolada como prova da relação de Lula com o empreiteiro, acusado de pagar propina para se beneficiar de obras na Petrobras.

Em depoimento a Sergio Moro, no último dia 10, o ex-presidente admitiu que teve encontros com o ex-presidente da OAS para tratar de obras na cozinha do sítio, mas disse que a reunião aconteceu em seu apartamento, em São Bernardo do Campo.

A foto foi feita no mesmo dia em que Lula se reuniu, também no sítio, com o ex-diretor da OAS, Paulo Gordilho.

O sítio, que está no nome de dois sócios de Fábio Luís, um dos filhos de Lula, foi reformado pelas empreiteiras OAS e Odebrecht para o ex-presidente Lula, que é o real proprietário do imóvel.

* * *

Aquela mãozinha na cintura…. Num sei não…

Que pose estranha…

Pareceu coisa de quem é falso à bandeira.

Ainda bem que a gente sabe que Lula não é chegado a frangagens e xibunguias.

O tanto de vezes que ele comeu a passageira clandestina Rosemary Noronha no avião oficial da Presidência da República, espalhando gala nos lençóis, afasta, de modo definitivo, qualquer insinuação maldosa.

O cabra é chegado num xibiu como todo bom macho de Garanhuns!

Agora, aquele chapéu que ele está usando na beira da piscina do sítio de sua propriedade em Atibaia, ao lado do seu Corruptor Ativo Léo Pinheiro, tá parecendo mais coisa de malandro que banca roleta na feira de Palmares.

Vôte!!!

17 maio 2017 FULEIRAGEM

ELVIS – AMAZONAS EM TEMPO


Mundo Cordel
TEORIAS CONSPIRATÓRIAS: A TEORIA DO PERSEGUIDO

Teorias da conspiração são sempre muito interessantes. Embora o termo seja utilizado para designar teses infundadas, muitas delas são tão bem engendradas que até lamentamos não serem verdadeiras.

Lembro de uma que fala de um governo do mundo, que controla todos os países, escolhe os políticos que serão eleitos e define o que cada um deles fará em seu governo. Outra diz que muitos habitantes do planeta Terra são, na verdade, seres extraterrestres, infiltrados por estas bandas, não se sabendo bem com qual finalidade.

Quanto mais especulativas, mais chamam a atenção.

Essa introdução, no entanto, é apenas um nariz de cera, preparatório de uma paródia que me proponho a apresentar, a partir de uma crônica que li recentemente neste blog(*), segundo a qual a teoria da conspiração mais recente, e uma das mais expandidas no Brasil, seria “a que atribui ao ex-presidente Lula o comando de uma organização criminosa destinada a saquear os cofres do estado brasileiro”.

De fato, trata-se de teoria relativamente recente, mas não a mais nova delas.

Nova mesmo é a teoria que ora batizo de Teoria do Perseguido, e da qual passo a tratar, já iniciando a paródia prometida linhas acima.

A Teoria do Perseguido consiste na crença em que diversas instituições públicas brasileiras, como a Polícia Federal, o Ministério Público e o Poder Judiciário, partindo do convencimento de que o ex-presidente Lula é culpado de toda a corrupção levantada no país, nos anos recentes, passaram a trabalhar para provar isso a qualquer custo.

A Teoria não deixa claro o que levou a essa união de forças contra Lula. Uns dizem que fora o fato de Lula levar os pobres para viajar de avião, outros, que foi porque Lula matriculava jovens de baixa renda em universidades. Coisas assim. Mas não fica explicado como isso teria despertado a fúria das instituições de persecução criminal do país. De toda sorte, se é nisso que os seguidores da Teoria do Perseguido acreditam, não vale a pena discutir.

O que interessa, segundo os adeptos da Teoria do Perseguido, é que essas instituições iniciaram a perseguição a Lula, contrariando as evidências primárias de que o ex-presidente vem de uma longa jornada política de grandes realizações sem jamais ter-se levantado contra ele qualquer suspeita ou acusação.

Aparentemente, os teóricos da perseguição não lembram um episódio recente da história do Brasil chamado de Escândalo do Mensalão.

Revelado ainda no primeiro mandato de Lula, o esquema acarretou a condenação, pelo Supremo Tribunal Federal, de pessoas muito próximas ao ex-presidente, inclusive José Dirceu, que fora seu Ministro Chefe da Casa Civil. Se os teóricos do perseguido lembrassem desse fato, talvez evitassem dizer que jamais se levantaram contra Lula qualquer suspeita ou acusação. Ou talvez lembrem, mas continuam dizendo. Quem sabe?

Prossigamos, então, para observar que, segundo a Teoria do Perseguido, a obstinação em condenar Lula não compreende apenas as instituições públicas já citadas, mas se estende à imprensa e a uma parte da população.

A razão do conluio entre as empresas de jornalismo que compõem a chamada grande mídia também não é esclarecida pela teoria. Se bem que seus seguidores queixam-se da mídia há tanto tempo que podem simplesmente pressupor que a mídia persegue Lula. Ponto. Nada precisa ser demonstrado.

Ainda segundo a Teoria do Perseguido, os Procuradores da República que compõem a chamada Operação Lavajato, por não encontrarem provas, mas terem convicção, submeteriam pessoas a todo tipo de tortura psicológica, para que elas firmem pactos de delações premiadas que incriminem o perseguido.

Não importa que os delatores estejam acompanhados de seus advogados em todas as reuniões, nem tampouco que essas reuniões sejam gravadas em vídeo. Não importa nem mesmo que esses vídeos sejam todos publicados na Internet, e que neles delatores apareçam sorrindo descontraidamente, enquanto revelam seus segredos aos procuradores. Nada disso importa para os seguidores da Teoria do Perseguido.

O fato de haverem sido delatados inúmeros políticos, dos mais diversos partidos, bem poderia alertar os adeptos da Teoria do Perseguido para a possibilidade de estarem equivocados. Afinal, se o objetivo das operações de combate à corrupção é perseguir o Lula, por que razão os delatados teriam cores tão diversificadas?

Aliás, os teóricos da perseguição, curiosamente, parecem acreditar nos delatores, quando eles delatam pessoas ligadas a outros partidos, que não o partido do perseguido. Aí sim! É tudo verdade, e o delatado deve ser condenado sumariamente. Mas se a delação se aproximar minimamente do perseguido, é perseguição.

Mas, os adeptos da Teoria do Perseguido acreditam mesmo, com todas as suas forças, é que o Juiz Federal Sérgio Moro está imbuído de um único propósito na vida: destruir o perseguido e o partido político por ele fundado.

Também quanto a este ponto, a Teoria não apresenta razões convincentes. Blogs defensores da Teoria falam de ligações com partidos políticos e governos estrangeiros, mas não conseguem ultrapassar o plano das especulações. Estar-se-ia diante de um caso de flagrante parcialidade, mas, quando a defesa do perseguido entrou com recursos, tentando afastar o Juiz do caso, o tribunal não se convenceu. Manteve-o à frente do processo.

Essa seria uma boa oportunidade para os teóricos da perseguição esclarecerem se acreditam que também os tribunais estariam mancomunados com o juiz perseguidor da primeira instância. Mas, não se dão a esse trabalho. Continuam acusando o Juiz, não importando se suas decisões são confirmadas pelas instâncias superiores.

Talvez seja assim porque, para os seguidores da Teoria do Perseguido, não importa que doleiros, executivos e empreiteiras tenham devolvido montanhas de dinheiro, inclusive de contas no exterior. Não importa nem mesmo que existam investigações em 26 países, envolvendo as mesmas empreiteiras, o mesmo método de praticar a corrupção e pessoas que fizeram parte do governo brasileiro no mesmo período.

Porque os seguidores da Teoria do Perseguido partem de um pressuposto que é quase um axioma: policiais federais, procuradores da República, membros do Poder Judiciário, servidores públicos, executivos de estatais, executivos de empreiteiras, jornalistas, ex-aliados, marqueteiros, todos se uniram em torno do objetivo de prender o Lula.

Se há alguma força superior que tem atuado na coordenação dessas pessoas e entidades, é algo que a Teoria do Perseguido também não explica. Seus adeptos limitam-se a fazer referências abstratas, dizendo que são “eles”, a “direita” ou as “forças conservadoras”.

Mas, teorias conspiratórias são assim mesmo. Especular é mais importante que desenvolver um raciocínio lógico.

Os que seguem a Teoria do Perseguido talvez estejam certos de que sequer existiu o Mensalão. E que Eduardo Cunha – hoje preso – foi o único responsável pelo impeachment de Dilma.

Talvez acreditem até que há um governo do mundo, cuja cúpula se reúne em uma caverna oculta no inóspito Deserto de Gobi.

O que essas pessoas parecem não conseguir acreditar é que Lula seja um ser humano, e, como tal, pode ter cometido atos reprováveis, antiéticos e até ilícitos. Inclusive os crimes dos quais é acusado.

E, como qualquer pessoa, pode ser investigado, processado e até condenado, se for o caso.

(*) A crônica à qual me refiro foi a publicada pelo colunista Goiano Braga Horta, sob o título LULA E A TERRA PLANA. Agradeço a Goiano a criativa ideia de tratar desse assunto do ponto de vista das teorias conspiratórias. Tudo o que fiz foi aproveitar sua brilhante ideia e desenvolver aqui um ponto de vista alternativo ao apresentado por ele, sem qualquer intenção de depreciar seus argumentos.

17 maio 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

17 maio 2017 DEU NO JORNAL

NOSSO TRAPALHÃO É MELHOR QUE O DELES

O presidente russo, Vladimir Putin, declarou nesta quarta-feira (17) que está “disposto a fornecer a gravação” da conversa entre seu ministro das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, e o presidente americano, Donald Trump, acusado de ter divulgado informações confidenciais durante um encontro na Casa Branca.

“Se a administração americana autorizar, estamos dispostos a fornecer a gravação da conversa entre Lavrov e Trump ao Congresso e ao Senado americanos”, declarou Putin em uma coletiva de imprensa em Sochi junto ao primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni.

Nesta segunda-feira, o jornal “The Washington Post” trouxe à tona relatos de funcionários da Casa Branca que disseram que Trump havia divulgado uma informação altamente secreta sobre uma operação contra o grupo Estado Islâmico durante encontro com Lavrov e com embaixador russo Sergey Kislyak, na semana passada.

* * *

Cada país tem o Lula que merece.

Quanto mais fala, mais mente. Quanto mais mente, mais arranja trapalhada.

Num é só o nosso ex-prisidente que é mestre em cagar tolôtes pela boca.

Nos Zistados Zunidos tem coisa melhor. Ou pior, num sei como diga.

E eu se divirto-me que só a porra.

Num é só o eleitorado de Banânia que elege merda.

Nos Zisteites também tem curral de antinhas amestradas.

Em homenagens a elas, as zantas zamericanas, vamos ouvir Stars and Stripes Forever, inspirada composição de John Philip Sousa, com a The United States Army Field Band and Soldiers’ Chorus.

(Minha mente poluída  e maldosa, me fez lembrar de uma pajaraca preta sendo trabalhada com maestria, quando vi no vídeo a imagem deste linda asiática assoprando a flauta)

17 maio 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

IOLANDA, UMA VIGARISTA CÍNICA, CRUEL E CHINFRIM

Sete fatos negam a biografia de estadista ilibada e avó inocente da ex-presidente Dilma Rousseff.

1) A pretensa heroína da democracia – Dilma jacta-se de que arriscou a vida, foi presa e torturada na ditadura militar lutando pela democracia. De fato, ela militou num grupo armado que combateu a ditadura, pôs a vida em risco e foi torturada, mas o objetivo de tais grupos não era democrático. Seus planos consistiam em substituir uma ditadura militar de direita por outra, comunista. Isso não justifica os métodos da ditadura, mas expõe uma farsa que convém desmascarar. O jornalista Luiz Cláudio Cunha apurou que, de fato, Dilma foi torturada e pelo menos um oficial do Exército foi acusado de tê-la seviciado, mas isso não a torna mártir da democracia, Aliás, ela nunca exigiu na Justiça punição para esse agressor.

2) Sua importância nos grupos armados Durante suas campanhas eleitorais, foi acusada pela direita ignorante e de má-fé de haver participado pessoalmente de assaltos, como ao cofre herdado por Ana Caprioli, amante de Ademar de Barros, celebrizada como “doutor Rui”. Não se sabe se ela participou de ações armadas. Mas o fato é que ela nunca foi relacionada em nenhuma das listas preparadas pelos chefes dos grupos armados para a troca de companheiros presos por sequestrados. Isso em nada deslustra sua biografia de militante nem reduz a importância dos crimes por ela cometidos, mas mostra que Dilma foi mera tarefeira, sem maior relevância, em todos os grupos de que participou. Na luta armada talvez ela só se tenha destacado pela profusão de codinomes que usou: Estela, Vanda, Patrícia e Luíza. Manteve esse gosto pela falsidade ideológica pela vida pública afora, até mesmo durante e após sua passagem pela Presidência.

3) A falsificação do currículo acadêmico – O repórter Luiz Maklouf de Carvalho revelou, em 2009, que o currículo Lattes de Dilma continha fraudes: nele anotou que era master of science e doutoranda em Economia pela Universidade de Campinas (Unicamp). Maklouf apurou que ela começou, mas nunca concluiu o mestrado e também nunca deu início ao doutorado. O professor Ildo Sauer, da USP, ficou tão impressionado com o tal currículo que contou a amigos por e-mail tê-la convidado para participar da mesa na defesa de tese de um orientando dele. Ela respondeu com a má-criação de hábito: “Não tenho tempo para cuidar desse tipo de baboseiras”. Não é mesmo uma fofa?

4) A farsa da gerentona implacável – Analfabeto funcional e completamente jejuno em matérias técnicas ou de administração, Lula desprezou currículos respeitáveis de petistas competentes, como o citado Ildo Sauer e o físico José Pinguelli Rosa, que foi presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Impressionado com a assessora que sempre sacava dados de um laptop, que nunca largava, nomeou-a ministra de Minas e Energia, em vez de um deles. Sauer foi diretor de Gás e Energia da Petrobrás e é o único ex-dirigente da estatal nas gestões do PT que não foi acusado de ter participado da roubalheira. Pinguelli presidiu a Eletrobrás. Ela passou, impávida, pela transformação da petroleira em fornecedora de lama moral e destruiu o sistema elétrico no Brasil. Os especialistas não resistiram ao convívio com seu estilo grosseiro: perderam os cargos subalternos e a possibilidade de avisar ao chefe sobre os desmandos que levaram à descoberta do enorme escândalo de corrupção.

5) O fatiamento da Constituição em seu proveito – Em 2016, os então presidentes do Senado, Renan Calheiros, e do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, rasuraram o artigo 52 da Constituição para lhe garantir o direito de ser merendeira de escola, o que, aliás, seria arriscado, pois, conforme se revelaria depois, ela talvez fosse até capaz de envenenar a merenda.

6) O estelionato eleitoral – Em suas campanhas eleitorais para a Presidência, em 2010 e 2014, as únicas que disputou na vida, ela ludibriou os eleitores, sob a batuta do marqueteiro João Santana, com a produção de ficção milionária, recheada de mentiras e calúnias contra adversários, e bancada por propinas de empreiteiras de obras públicas, não apenas com seu conhecimento, mas também com sua intervenção. Em delação premiada, João e Mônica contaram que, quando o pagamento via caixa 2 atrasava, ela, assim como Lula o fizera antes, cobrava pessoal e duramente. Além das delações, documentos sustentam a acusação, na ação do PSDB contra a reeleição da chapa dela com Temer de vice, com farta exposição de laranjas e abusivo uso de notas frias para forjar serviços não prestados. Será uma ignomínia se o julgamento no Tribunal Superior Eleitoral deixar tais crimes impunes.

7) Clandestina em palácio – Durante o processo do impeachment, ela execrou delações, delatores (“desprezíveis”) e vazamentos seletivos. Mas, segundo Mônica, beneficiou-se de vazamentos feitos por seu ministro da Justiça e advogado no impeachment, José Eduardo Martins Cardozo. Vangloriava-se de ser honesta, nunca ter praticado atos ilícitos nem ter conta no exterior. Na delação, Mônica a desmentiu, ao contar que Dilma usou o expediente chinfrim de pré-adolescente de usar e-mail falso e comunicar-se por rascunhos. Batizou o e-mail de Iolanda, referindo-se à mulher do ex-presidente e marechal Costa e Silva, somado a 2606, relativo a 26 de junho, data em que seus “irmãos em armas” executaram com crueldade, no portão do quartel-general do II do Exército, o recruta Mário Kozel Filho, que nunca torturou ninguém nem participou de nada reprovável. E foi morto por acaso, como sói ocorrer em atentados terroristas. Em casa, em Porto Alegre, deposta, ludibria quem lhe telefona dizendo ser Janete, estratégia usada por vigaristas que alugam terrenos na lua e fogem de credores.

É injusto definir Iolanda/Janete como vigarista cínica, cruel e chinfrim? E dizer o que de Lula, que no-la impingiu?

17 maio 2017 FULEIRAGEM

ALPINO – YAHOO NOTÍCIAS

17 maio 2017 FULEIRAGEM

TACHO – JORNAL NH (RS)

DE CURITIBA A BRASÍLIA

A sentença de Lula deve ser anunciada até o início de julho, se o juiz Sérgio Moro mantiver seu rápido ritmo de decisão. Caso seja condenado, Lula irá recorrer ao Tribunal Regional Federal de Porto Alegre, que costuma decidir em um ano. Se condenado, Lula irá para a cadeia? Talvez não: um condenado em segunda instância pode ser preso, mas isso não é obrigatório. A Justiça pode aplicar a pena só após o trânsito em julgado, no Superior Tribunal de Justiça. Aliás, isso não tem muita importância. Ninguém, exceto os mais ferozes inimigos do PT (e boa parte da opinião pública), quer ver Lula em Curitiba. O que não se quer é vê-lo em Brasília.

O nome do jogo é outro: se Lula conseguirá ou não ser candidato à Presidência da República. Condenado em segunda instância, não poderá concorrer. Mas a condenação, para evitar que ele apareça como vítima, deve ocorrer antes que se inicie o prazo legal para registro de candidaturas, em agosto de 2018. Os prazos, portanto, são a chave da história.

Se Lula for candidato, terá dificuldades para se eleger. Lidera com folga as pesquisas de opinião, mas não o suficiente para ganhar no primeiro turno. E metade do eleitorado o rejeita, o que pode ser decisivo num eventual segundo turno. Mas quem conseguiu eleger até Dilma e Haddad pode dar a vitória a um candidato mais competitivo – ele mesmo. Pelo sim, pelo não, os adversários de Lula preferem que ele fique longe das urnas.

O abecedário petista

Se Lula não for candidato, quem sairá pelo PT? O partido nega que esteja pensando nisso. Mas tenta um Plano B, sim: o nome mais citado, por incrível que pareça, é o de Fernando Haddad, que deixou a Prefeitura paulistana com rejeição recorde e não conseguiu a reeleição. Há quem sugira o ex-governador baiano Jaques Wagner, houve quem pensasse no governador mineiro Fernando Pimentel. Mas Wagner tem ampla troca de mensagens com Leo Pinheiro, então presidente da OAS, sobre liberação de pagamentos; e Fernando Pimentel é alvo de delações premiadas.

O abecedário tucano

O PSDB, que desde o fim dos mandatos de Fernando Henrique manteve três candidatos à Presidência da República, uns abandonando os outros e sendo alternadamente surrados nas eleições, enfim pensa num Plano B: sem Aécio, nome constante de delações premiadas, e sem Serra, também delatado e com problemas de coluna (que, segundo disse, o levaram a renunciar ao Itamaraty), dos TCS (Três Candidatos de Sempre) só restou Geraldo Alckmin. Mas Alckmin não desperta grandes entusiasmos desde que, nas eleições de 2006, teve menos votos no segundo turno do que no primeiro. O Plano B dos tucanos é João Dória Jr., que vem tendo forte aprovação popular como prefeito de São Paulo. Dória foi lançado por Alckmin para disputar a Prefeitura, e já disse muitas vezes que Alckmin é seu nome para a Presidência. Mas, se continuar crescendo, pode ser candidato. Dória não tem esquema montado no partido, porém já disse que o melhor candidato para os tucanos é o que tiver melhores condições de vencer. Em política, o cheiro da vitória é o mais atraente que existe.

O abecedário dos outros

Tirando PT e PSDB, nenhum partido mostrou musculatura suficiente para disputar bem a Presidência. O PMDB é forte, mas não tem candidato (e Michel Temer, hoje com baixa popularidade, dificilmente se arriscaria a sair). Ciro Gomes sonha com a candidatura, pelo seu PDT, ou algum outro; Jair Bolsonaro quer ser candidato pelo PSC (embora brigado com a cúpula partidária). Há candidatos nanicos, como sempre. Há outras possibilidades, mas só nos sonhos de alguma legenda, sem nada articulado, como Sérgio Moro, Joaquim Barboza, ministra Carmen Lúcia ou Luciano Huck.

Firmes…

Um fator novo é a cada vez mais possível delação de Antônio Palocci. Palocci é gente de dentro; conhece hábitos, costumes, manias, vícios do pessoal do PT, do Governo e dos aliados; sabe quem doou e quem levou, como o dinheiro foi ganho e foi gasto. Mônica Moura e João Santana, os marqueteiros de Lula e Dilma, íntimos dos hábitos eleitorais do Planalto, fizeram delações devastadoras. Palocci, além de íntimo, foi coordenador de campanha, foi ministro da Fazenda, foi a conexão entre o PT e os grandes empresários. Ele sabe o que todos fizeram no verão passado.

…como geleia

E tudo depende, enfim, de investigações e de decisões judiciais. Nos dias 6, 7 e 8 de junho, o Tribunal Superior Eleitoral decide se cassa ou não o registro da chapa Dilma-Temer por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2014. Se o registro for cassado, Temer perde o cargo e o Congresso elege quem completará seu mandato. Quem? O TSE levará em conta que o Congresso está cheio de parlamentares sob investigação?

17 maio 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

17 maio 2017 DEU NO JORNAL

ARROMBARAM A TABACA DE XOLINHA DE NOVO ! ! !

Faz parte do material entregue ao juiz federal Sérgio Moro pelo empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, um e-mail de 6 de setembro de 2012 que revela “atenção especial” com o triplex 164-A do Condomínio Solaris, no Guarujá (SP), imóvel de propriedade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo a Operação Lava Jato – o que a defesa do petista nega veementemente.

A mensagem foi trocada às 18h08 daquele dia pelos executivos da empreiteira Lucas Pithon Gordilho a Telmo Tonolli, com cópia para Roberto Moreira Ferreira e Ícaro de Assunção Gomes. O assunto do e-mail é “apto Solaris“.

Lucas escreve. “Telmo, Seria bom sabermos qual das coberturas é a que precisamos ter atenção especial. Lucas.

Às 21h14 do mesmo dia, Ferreira responde. “Lucas, a unidade em questão é a 164- Salinas. Abs.

A denúncia do Ministério Público Federal, no caso triplex, aponta que após a OAS Empreendimentos assumir as obras do Solaris os nomes dos edifícios do condomínio foram trocados: o Edifício Návia passou a ser chamado de Bloco A – Salinas e o Edifício Gijon passou a Bloco B – Málaga.

A troca de correspondências faz parte do acervo de registros que o empresário entregou ao juiz da Lava Jato para reforçar o depoimento que ele fez como réu na ação penal do caso triplex.

Uma outra troca de e-mails foi entregue por Léo Pinheiro. Essas mensagens, de 28 de abril de 2014, são intituladas “Solaris Guarujá” e tratam de “orçamento para elevador no triplex“.

Naquele dia, o então presidente da OAS Empreendimentos Fábio Yonamine escreve às 13h14. “Dr Léo, Fizemos um orçamento para a unidade que visitamos no Guarujá. Está de acordo com o projeto que lhe enviamos e inclui o elevador dentro da unidade. Vai ficar em torno de R$ 370-400 mil. Se estiver de acordo, nossa equipe está pronta para a execução. Abraço, Fabio.

Investigadores da Lava Jato sustentam que entre as melhorias no imóvel a empreiteira teria providenciado a colocação de um elevador – o ex-presidente já negou taxativamente que tivesse solicitado o equipamento ao empreiteiro Léo Pinheiro.

Às 13h17, Antonio Carlos Mata Pires responde. “Estou com Dr. Leo. Pode avançar. Obrigado! Abraço, Antonio Carlos Mata Pires.

Roberto Ferreira, às 16h18, dá a ordem. “Toca o pau … vou mandar um email pro Joilson te copiando.

Interrogado pelo juiz federal Sérgio Moro na quarta-feira, 10, Lula confirmou ter visitado o triplex em fevereiro de 2014 acompanhado da ex-primeira-dama Marisa Letícia e de Léo Pinheiro. O petista atribuiu à Marisa interesse pelo imóvel, “certamente para fazer investimento”, mas afirmou que a compra não foi fechada. Segundo o ex-presidente, Marisa “não gostava de praia” e ele próprio havia identificado “quinhentos” defeitos no apartamento.

* * *

Marisa “não gostava de praia“…

Como diria um tabacudinho rosado, “Com certeza!

Imagine se gostasse.

Pois é. É isto aí.

Bom, o fato é o seguinte: este empresário Corruptor Ativo, atualmente obrando de coca na cadeia, que tome cuidado.

Fica abrindo o bico e entregando o estadista Mais Honesto do Brasil sem saber o perigo que está correndo.

Léo Pinheiro, tu já ouviu falar no “Caso Celso Daniel“????

Já ouviu, né? Pois então.

Tu toma cuidado.

Tem uma música de Joel Silva, interpretada por Bezerra da Silva, que é uma alerta importante.

A música começa assim: “Fecharam o paletó do dedo duro“…

Abre o olho e recolhe a língua, cara.

17 maio 2017 FULEIRAGEM

FRANK – A NOTÍCIA (SC)


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa