25 maio 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

25 maio 2017 HORA DA POESIA

SONETO DO AMOR TOTAL – Vinicius de Moraes

Amo-te tanto, meu amor … não cante
O humano coração com mais verdade …
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

MICHELÂNGELO – CHARGE ONLINE

25 maio 2017 DEU NO JORNAL

RECLAMAÇÃO BEM FUNDAMENTADA

O traficante Fernandinho Beira-Mar foi transferido na manhã desta quinta-feira (25) da Penitenciária Federal de Rondônia.

O comboio do Sistema Penitenciário Federal e Polícia Federal chegou por volta das 9h50 no Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira em Porto Velho.

Beira-Mar foi transferido após a deflagração da Operação Epístolas, que através de investigações mostrou que, mesmo do presídio, o preso ainda comandava negócios que chegaram a movimentar R$ 9 milhões nos últimos anos.

* * *

O Instituto Lula e o Diretório Nacional do PT assinaram nota conjunta declarando seu repúdio a este tipo de avião de baixa categoria em que foi transportado Fernandinho.

A aeronave não é compatível com a distinção e a importância do preso“, declarou Rui Falcão à reportagem do JBF.

Segundo o prisidente petêlho, um jato semelhante aos de Eike Batista é que seria o ideal.

Turminha precavida e previdente que só a porra é este povinho que dirige o bando vermêio-istrelado.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

EDER – CHARGE ONLINE

BEIJO DO DESENLUTO

Quando meu ex-amor enviuvou
Do careca que pô-se em meu lugar
Todo ancho saí pra consolar
E de quebra lhe dar meu coração
Vendo seu prantear ante o caixão
Ao beijar a careca do marido
Me curvei e beijei o falecido
No mesminho lugar do seu beijar
Não queria ali me apiedar
Da sofrença de minha ex-donzela
Na verdade eu beijava o beijo dela
Com meu peito a se desenlutar.

(Do livro Prosa Morena)

25 maio 2017 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR

25 maio 2017 DEU NO JORNAL

ORGULHO CÍVICO

As articulações para substituição do presidente Michel Temer já envolvem diretamente os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e José Sarney, segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo.

Desde a eclosão da crise política com a divulgação dos áudios da JBS, na última quinta-feira, os três lideram conversas em buscas de um consenso para a formação de um novo governo caso Temer tenha seu mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral.

* * *

Agora sim!!!!

Com este trio escolhendo o sucessor de Temer, eu fico tranquilo.

Agora a coisa vai pra frente.

Meu coração patriota bate de orgulho cívico dentro do meu peito pelo fato de morar num país da porra feito este nosso.

Viva meu Brasil, meu Brasil brasileiro.

Meu Brasil tucaneiro, pmdebeiro e luleiro!

25 maio 2017 FULEIRAGEM

BRUM – TRIBUNA DO NORTE (RN)

O ASSASSINO DA VERDADE ESQUECEU DE COMBINAR COM A FOTO

O desmoralizante olho no olho com Renato Duque confirmou que o chefão do maior esquema corrupto da história é um assassino patológico da verdade

O ex-presidente Lula e o ex-diretor da Petrobras Renato Duque em foto de 2012 

No depoimento a Sérgio Moro, Lula primeiro declarou que ignorava a existência de laços de amizade ligando os companheiros delinquentes João Vaccari e Renato Duque, transformados em vizinhos de cela pela Lava Jato. Minutos depois, devolvido ao assunto por uma pergunta do juiz, derrapou na contradição.

Ou por ter sido mal ensaiado pela tropa de bacharéis, ou porque é muita mentira para uma memória só, explicou por que pedira ao gatuno que promoveu a tesoureiro do PT que agendasse um encontro com o larápio que instalou numa diretoria da Petrobras: “O Vaccari tinha mais relação de amizade com ele do que eu, que não tinha nenhuma”.

Nesta terça-feira, a divulgação pelo site de VEJA da foto em que aparece ao lado de Duque, num desmoralizante olho no olho, confirmou que o chefão do maior esquema corrupto da história é também um assassino patológico da verdade. Candidato a presidente da República, merece ser eleito presidente do sistema penitenciário – pelo voto direto dos companheiros de gaiola.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

FALTA UMA ASSINATURA?

Lula é réu, a partir desta segunda, pela sexta vez. Hexa não é mais luxo. Agora, por conta do Sítio de Atibaia. Sua defesa, como no caso do Triplex, é que os imóveis não são dele. Nada assinou. Nenhuma promessa de compra e venda. Nenhuma escritura. Um argumento que faz lembrar David Irving, ao sustentar não haver provas da existência das câmaras de gás. Do próprio Holocausto. E das responsabilidades de Hitler, nesses episódios. A historiadora Americana Deborah Lipstadt disse que o britânico usava dados falsos. Irving processou Lipstadt. E perdeu. Acaba de ser lançado, em Paris, “Le Procès du Siècle”. Contando a história desse processo. Um filme de Mick Jackson, inspirado no livro de Lipstadt “My Day in Court with a Holocaust Denier”.

Em essência Irving, como outros historiadores, sustenta não se poder provar seja Hitler responsável pelo que aconteceu aos judeus. Dado por não haver memorandos, nem testemunhas, confirmando isso. Sobretudo, porque jamais assinou qualquer papel com autorização para tantas mortes. Segundo ele, sem assinatura não há prova. Lá, como cá. Naquele tempo, como hoje.

Principal operador na execução dessa política de extermínio foi Adolf Eichmann. Na Gestapo, era diretor de “Assuntos referentes aos Judeus”. Segundo os defensores dessa tese, teria agido sem conhecimento do Führer. Em livro autobiográfico (“Ich: Adolf Eichmann”), Eichmann confessa: Me disseram, em conversa, que o Führer (Hitler) havia ordenado a destruição física do oponente judeu. O escritor Willem Sassen confirma isso: Eichmann não pediu ordem escrita. O desejo de Hitler, expresso através de Himmler (“Comandante militar das SS”) e Heydrich (“Chefe do Gabinete Central de Segurança do Reich”), era bom o suficiente para ele.

Mais tarde, quando a derrota lhe parecia inevitável, Hitler começou a eliminar provas, ou mesmo indícios, que o ligassem ao genocídio. Obstrução da Justiça, hoje se diria. Assim ocorreu quando os SS abandonaram Auschwitz–Birkenau. Destruindo não apenas documentos, como o próprio edifício em que funcionavam as câmaras de gás. Destruíram, igualmente, os campos de extermínio de Treblinka, Sobibór, Belzec e Chelmmo. Como, também, tentaram eliminar evidências físicas de seus crimes. Cem mil corpos foram retirados de valas comuns por tratores, após o que acabaram esmagados e queimados; sendo, já reduzidos a cinzas, devolvidos à terra em fazendas rurais.

Resumindo. A pergunta é se a ausência de um documento, assinado por Hitler, seria suficiente para negar ter sido ele responsável pelo Holocausto. No fundo, ignorando o fato de que processos penais quase nunca exigem provas tão evidentes como fotos, vídeos, assinaturas. No caso dos campos de concentração, por sorte, alguns documentos surgiram depois. Mas, basicamente, temos depoimentos dos sobreviventes. Sem nada em comum, entre eles. Como nas delações premiadas de agora. O que nos leva à questão básica de saber se, ausente uma assinatura, depoimentos ou documentos assim valeriam, como prova, para condenar alguém.

Seria cômodo, para Hitler, reduzir o problema a só uma questão de assinaturas. Problema, contra ele, é não ser crível que algo assim tão enorme pudesse ter ocorrido longe de seus olhos. Ou de seu comando. Sem conhecimento, e consentimento, da autoridade maior. Do chefe. Coincidências… Por isso, perante o julgamento da história, só resta negar. Por a culpa em outros, se possível mortos. E dizer não.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

ALPINO – YAHOO NOTÍCIAS

PINIÃO

Uma embolada de Luperce Miranda e Augusto Calheiros. Gravação de 1954. Canta Augusto Calheiros.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

 augusto

Augusto Calheiros (Jun/1891 – Jan/1956)

25 maio 2017 FULEIRAGEM

GENILDO – CHARGE ONLINE

25 maio 2017 JOSELITO MÜLLER

AÉCIO É DENUNCIADO POR NÃO TER CRECI

BRASÍLIA – O Conselho Regional de Corretores de Imóveis confirmou na manhã de hoje a denúncia ajuizada contra o senador afastado Aécio Neves, por exercício irregular da profissão de corretor.

A denúncia se deu em razão da declaração do tucano, segundo o qual havia procurado Joesley Safadão do grupo JBS não para pedir propina, mas para tentar vender o apartamento em que sua mãe reside há mais de trinta anos.

“PRECISAVA DE DINHEIRO PARA PAGAR OS ADVOGADOS, E COMO SOU POBRE, DECIDI PROCURAR O JOESLEY PARA VER SE ELE QUERIA COMPRAR O APÊ DA MINHA VELHA”, REVELOU AÉCIO À NOSSA REPORTAGEM.

Os representantes do CRECI, no entanto, afirmam que a venda de imóveis só pode ser realizada por quem tenha registro na referida entidade.

“SE O ENCONTRO NÃO FOI MOTIVADO POR PROPINA, AÉCIO COMETEU EXERCÍCIO ILEGAL DA PROFISSÃO”, DECLAROU UM CORRETOR DE IMÓVEIS.

Os advogado do tucano não quiseram adiantar qual será a tese de defesa de Aécio, mas juristas renomados de todo o país especulam que ele irá dizer no processo movido pelo CRECI que o encontro se deu para pedir propina, enquanto que alegará, no processo em que é acusado de pedir propina, que estava apenas exercendo ilegalmente a função de corretor.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

QUINHO – ESTADO DE MINAS

25 maio 2017 A PALAVRA DO EDITOR

NO FURICO DE UM TABACUDO FOLHADO

Ali Kamel, diretor de jornalismo da TV Globo, botou no furico de Marcelo Coelho com muita competência e objetividade.

E mais: enfiou tudinho sem vaselina e com a pica enrolada em arame farpado.

Marcelo Rato, quer dizer, Marcelo Coelho, é colunista da Falha de S. Paulo.

Me adesculpem-me de novo: da Folha de São Paulo.

Vale a pena ler o texto de Kamel e ganhar esta quinta-feira;

Marcelo Coelho comete equívocos, é ofensivo com a Globo e seus jornalistas e omisso em relação ao jornal em que escreve. Não posso me calar diante de ofensas tão graves ao jornalismo que dirijo e aos colegas com quem trabalho.

Coelho começa mentindo: “Veio da Rede Globo o noticiário que torna praticamente inviáveis as reformas liberais do seu governo [de Temer]”. O noticiário não veio da Globo, mas de uma investigação da Procuradoria Geral da República. Não foi a Globo quem a noticiou em primeira mão, mas O Globo, que apenas antecipou em 12 horas o que os brasileiros saberiam de qualquer forma na manhã seguinte.

A isso chamamos de “furo”. Os princípios editoriais do Grupo Globo atestam: “As redações do Grupo Globo são absolutamente independentes uma das outras e competem entre si pelo furo”. Foi o que aconteceu. A Globo foi informada pelo O Globo sobre o furo depois das 18h30 e só recebeu o texto às 19h20. E o divulgou porque os colegas garantiram estar seguros, sem chance de erro. E os dias provaram que isso era verdade.

Em seguida, Coelho atribui as críticas que a Globo recebeu por noticiar o fato a “uma má vontade com a Globo”, “um hábito mental”, cuja origem seria uma “recusa da Globo em perceber a realidade”. E cita os sempre mencionados erros atribuídos à Globo, o último deles ocorrido 28 anos atrás.

Erros que a Globo reconhece parcialmente (o das Diretas) erros que refuta (Proconsult e “invenção” de Collor) e erros que admite (edição do debate de 1989). Coelho não faz menção ao que a Globo diz deles. Prefere realçar os ataques à Globo, mas omite aqueles que a própria Folha sofre, quando, justa ou injustamente, é chamada de Falha de S. Paulo por seus supostos erros. Em momentos de radicalização política, sofrem aqueles que noticiam os fatos com independência.

De todo modo, não considero ético apontar para as feridas alheias sem mencionar as próprias.

Coelho prossegue, dizendo que “os ataques a Temer e a Aécio foram piores do que qualquer coisa já feita pela Globo”. Um leigo em jornalismo pode escrever isso sem que se possa falar em má-fé; um jornalista, nunca. A Globo não atacou ninguém: a Globo, noticiou, com fidelidade, as acusações que a Procuradoria faz.

Pior, Coelho deixa de mencionar que a Folha, apenas 33 minutos depois que O Globo deu o seu furo, repetiu as mesmas acusações, acrescentando que confirmara a notícia. Eis:

“O presidente Michel Temer foi gravado por um dos donos do grupo J&F, proprietário do frigorífico JBS, falando sobre a compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha. A informação foi dada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal ‘O Globo’, e confirmada pela Folha. Temer ouviu do empresário Joesley Batista, da JBS, que ele estava dando a Eduardo Cunha e Lúcio Funaro, um dos operadores da Lava Jato, uma mesada para que ficassem em silêncio. O presidente disse: ‘Tem de manter isso, viu?'”.

Coelho omite tudo isso para poder dizer, apenas contra a Globo: “Ninguém tinha ouvido a gravação. Foi a meu ver uma irresponsabilidade”.

Da Folha também? De ninguém. Nessa parte da gravação, os peritos independentes dizem que não há edições: Temer só afirma que “tem de manter isso” depois que Joesley, ao ouvir o presidente se queixar de que fora fustigado por Cunha, diz que zerou todas as pendências com o ex-deputado e o tirou da frente. Para a Procuradoria, pendências são propinas, o que é uma conclusão realista: que pendências pode ter um corruptor confesso com um acusado de corrupção?

O que mais choca, contudo, é a acusação vil contra um dos melhores times de jornalistas do Brasil, os da Globo News. Coelho os ataca, dizendo que não há visão divergente, “passam a bola uns aos outros, mas o jogo se assemelha a uma cobrança de pênaltis sem goleiro”.

É ultrajante. Eles levam ao público todas as visões: as do governo, as da oposição, as do Judiciário, as da sociedade civil. São intransigentes apenas em duas coisas: na defesa da democracia e na condenação à corrupção.

O mesmo acontece com o noticiário da Globo. Em rede nacional, a Globo, embora sem obrigação legal, transmitiu na íntegra e ao vivo os pronunciamentos do presidente. E repetiu-os, quase na integralidade, em seus telejornais. Nas reportagens, o contraditório está sempre presente. Na Globo News, também. Coelho também mente quando diz que a Globo News, em seus programas, só entrevista tucanos. Ele provavelmente não é um espectador assíduo do canal.

Nos últimos anos, os alvos das investigações eram os presidentes Lula e Dilma. A TV Globo noticiou todas as acusações contra eles, com a mesma intensidade, com a mesma postura de abrir espaço para o contraditório.

Agora que o alvo é o presidente Temer e o tucano Aécio Neves, o que, segundo o colunista, inviabiliza as reformas liberais, Coelho se volta contra a Globo. A postura da Globo, está comprovado, é a de quem não tem lados.

Deixo aos leitores que julguem a postura de Coelho.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

SINFRÔNIO – DIÁRIO DO NORDESTE (CE)

PROTESTO

Ando com preguiça intelectual (se é que eu tenho intelecto), tanto que estou algum tempo ser escrever aqui. Aqui não, em lugar nenhum.

Mas, agora, vendo a zona (no mau sentido, porque zona mesmo não é assim), resolvi externar a minha opinião.

“Manifestações”, quebra quebra, bagunça, tudo em nome da democracia. Que democracia? A deles?… Isso imaginando que, como quer a esquerda, são nós contra eles. Ridículo.

O Temer fez besteira, nada justifica ou explica. Apenas, nos mostrou, mais uma vez, que a política no Brasil está podre, o Brasil está podre. Que ele tenha um pouco de hombridade e renuncie. O País não vai parar não, basta cumprir a Lei. Disseram isso no impeachment da Dilma e seguimos em frente.

O Brasil está podre?…Infelizmente, sim. Não todo o Brasil, mas uma grande parte. Que parte? Aqueles que, mesmo com um bom grau de cultura – não vou falar aqui daqueles que não têm e são apenas inocentes úteis – estão cegos e surdos para o que está acontecendo. E aí vem a teoria da podridão, pois uma fruta podre na fruteira contamina todas as outras, mesmo que sejam frutas nobres.

É muito fácil resolver os problemas do Brasil, basta apenas pensar no Brasil, mas o maior problema é justamente este, nossos políticos e dirigentes não pensam no Brasil, pensam em si mesmos. Pensam nos votos que vão conseguir para poder roubar e enriquecer e, claro, permanecer no poder. Não é só o dinheiro, poder também corrompe. E agora pensam, principalmente, em como vão poder se safar das falcatruas que vieram à tona.
Como acabar com essa baderna que foi instalada pelos “movimentos sociais”?

Facílimo, não precisa chamar Forças Armadas, basta usar a Lei e cumpri-la. Prendam-se os líderes dos ditos movimentos sociais e aí, basta enquadrá-los na lei do terrorismo, pois o que estão fazendo, nada mais é do que terrorismo, basta consultar o Aurélio. Vão fazer isso?

Não entendo o medo dos nossos governantes, talvez até seja um medo infundado, tipo o das crianças e o bicho papão, achando que as FFAA podem vir a tomar o poder novamente. Até a Constituição do Doutor Ulysses mostrou esse medo, e talvez por isso, tenha sido a porcaria que saiu. E as FFAA não querem e não vão. Basta uma vez e aprende-se.

Ou talvez não seja medo, apenas falta de moral… ou “ética”, afinal, como um bandido pode ir de encontro ao modus operandi de outro?

O que fizeram com a segurança pública no nosso País?

Criaram uma tal de Força Nacional que está no limbo, não é guarda nacional nem polícia, só serve como politicagem. Mandam meia dúzia de agentes para “resolver” os problemas de áreas que, sabemos, estão totalmente fora de controle do Estado, e acham que a população vai acreditar que irão dar algum tipo de solução. Fazem, ou viram chacota, ou ambos. Ainda acham que o povo continua burro?

Ou, então, colocam o Exército na rua só para mostrar que estão fazendo alguma coisa, que estão preocupados. Preocupados com o quê? Eles andam em carro blindado e cheio de seguranças. E o Exército, logicamente, não vai resolver nada, não pode, não é polícia e muito menos tem poder de polícia, a Constituição do Doutor Ulysses acabou com isso.

Dito isso tudo, vamos à renúncia do Temer. E agora?…mais um perigo.

Quem esse Congresso podre vai colocar no lugar dele? Jobim? FHC? Joaquim Barbosa? Outro filho da puta?

Não, se o povo não deixar. Não, se o povo tomar as ruas e exigir alguém com um mínimo de decência e que não esteja mancomunado com esses bandidos que hoje, só pensam em melar a Lava-jato. Que seja claro, povo, não esses terroristas a soldo de partidos de esquerda ou de “movimentos sociais”, se é que há diferença entre um e outro, creio eu que não.

Acorde povo!, acorde Brasil!, raciocinem “Hortas”, vocês conseguem!

25 maio 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE


http://orlandosilveira1956.blogspot.com.br/
RAPIDÍSSIMAS

FORASTEIRO

Serei sempre, porque sempre fui assim, um índio sem tribo. Se eu me orgulho disso? Não. Mas também não lamento.

* * *

AS BOAS HISTÓRIAS…

Não prescindem dos deslizes.

* * *

LÁGRIMAS

Se um dia eu perder a coragem de me emocionar, só me restará pisar nas próprias bolas.

* * *

ESCOLHAS

Quase sempre burrice não é sina: é opção.

* * *

O PREÇO

Quem ama faz de tudo para não torrar a paciência do outro.

* * *

SOLIDÃO

Nem ligo para isso. Desde que Sabiá esteja por perto.

* * *

MAKTUB

De um em um, um dia iremos todos.

* * *

ÚLTIMO DESEJO

– Querida, antes de meu suspiro final, me traga uma saideira.

* * *

LIBERDADE

Ser honesto nem sempre dá grana. Mas, como é bom não precisar comer na mão de canalhas.

* * *

PÊNALTI

Visitar quem quer que seja num final de domingo sem avisar.

* * *

SURREALISMO

Era capaz de varar noites contando causos nos quais ninguém acredita – às vezes, nem ele. Mas era tudo verdade. Que lástima.

* * *

MORAL DA HISTÓRIA?

Vá se catar.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

ZOP – CHARGE ONLINE

O EXÉRCITO DE BADERNEIROS BATEU EM RETIRADA

O remédio para a insolência das tropas liberticidas formadas por arruaceiros profissionais é a aparição de tropas militares

Manifestante depreda o Ministério da Agricultura durante protesto que pede a saída do presidente Michel

O que houve nesta quarta-feira em Brasília nada tem a ver com manifestação política, coisa rotineira em países democráticos. Foi uma explosão de violência concebida para transformar a capital numa versão brasileira da Caracas embrutecida e desfigurada por Hugo Chávez e seus filhotes liberticidas. Foi uma celebração da insolência arquitetada pelo ajuntamento de bolivarianos que se expressam em português de cortiço.

No Congresso e na Esplanada dos Ministérios, viu-se em ação pelegos apavorados com o fim da vida mansa garantida involuntariamente por trabalhadores sindicalizados, parlamentares corruptos em pânico com a Lava Jato, vândalos sem cérebro movidos a mortadela e tubaína, vadios profissionais atraídos pelos pixulecos oferecidos a incendiários amadores e outras abjeções a serviço da seita que quase destruiu o país.

As afrontas ao Estado de Direito alcançaram dimensões tão desafiadoras que, tratada inicialmente como caso de polícia, a ofensiva selvagem virou um caso para as Forças Armadas, cujas funções constitucionais incluem a garantia da ordem pública. Tropas formadas por baderneiros aparentemente incuráveis têm cura: os ataques criminosos são interrompidos pela aparição de tropas militares.

Neste 24 de maio, o remédio produziu efeitos imediatos. Previsivelmente, os vigaristas disfarçados de guerreiros do povo brasileiro bateram em retirada, ou saíram em desabalada carreira, tão logo toparam com soldados de verdade. Países civilizados confiam às Forças Armadas a preservação da normalidade democrática. Assim deve ser num Brasil resolvido a enterrar a era da canalhice.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

IOTTI – ZERO HORA (RS)


MANHÃ SERTANEJA

No sertão, um dia, cedo,
quando raiava a alvorada,
quando já festivamente
gorjeava a passarada,
saí de espingarda à mão
pra fazer uma caçada.

Segui pisando na areia
orvalhada dos caminhos,
embevecido, escutando
o trinar dos passarinhos
que, saudando o arrebol,
pousavam perto dos ninhos.

Borboletas coloridas
voavam pela campina…
Busquei um alto rochedo
de onde avistava a colina
naquela hora encoberta
por um lençol de neblina.

Gotas de orvalho escorriam
por sobre a verde milhã.
De um arvoredo distante
vinha o canto da acauã…
Depois o sol cor de ouro
encheu de luz a manhã.

Nem lembrei mais da caçada,
contemplando a natureza.
Passei horas deslumbrado
perante tanta beleza…
Deus nasceu numa manhã,
lá no sertão, com certeza.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

SÚPLICA

Há bem pouco, esse país sangrou feito boi sendo sacrificado em matadouro, em decorrência do impeachment e da estupidez da traidora lesa-pátria, Dilma Rousseff. Embora, estando ela, política e moralmente em estado terminal, optou por agarrar-se ao Poder até, definitivamente, cair da rampa do Palácio do Planalto, sem se importar com a lassidão que se espraiou por esse país, durante mais de nove meses.

Na imagem acima, recordemos Dilma e seu bando de ratos enclausurados dentro do Palácio do Planalto, para não serem pisoteados pelo povo. Lembram? Se essa lacraia vermelha tivesse renunciado, o país não teria sangrado até a última gota, numa via crucis que se estendeu por, pasmem, 273 longos dias.

Todavia, quem conhece bem essa laia de gente, sabe que Dilma jamais declinaria ato de tamanha grandeza, por se tratar de uma apátrida destituída de qualquer sentimento de amor ao Brasil, além de ser mentalmente incapaz, intelectualmente falida e moralmente morta.

Não contente, ainda saiu bradando aos quatro ventos de que fora vítima de “golpe”, mesmo sendo sabedora de que seu impeachment foi balizado pela Carta Magna – à exceção daquela leviandowskada feita a seu favor -, que preservou, à revelia da Lei Maior, seus direitos políticos. Tampouco, jamais teve a grandeza de reconhecer que fora abatida por fogo amigo, naquele míssil fatal disparado por seu ex-companheiro Hélio Bicudo – um dos fundadores da quadrilha–, que atingiu o alvo em cheio graças às coordenadas fornecidas por seu ex-amiguinho de coração, Eduardo Cunha.

Quem tem amigos desse quilate, não há porque temer inimigos, não é mesmo, D. Iolanda 2606?

Dilma e Cunha nos seus áureos tempos de amizade – narizinho com narizinho!

Pois bem, depois da queda da República de Ladrões que pilhou o país por quase 14 anos, e que praticamente destruiu nossa economia, fiquei por demais aliviado. Esperançoso, acreditei que íamos começar a sair desse monumental lodo e, finalmente, seguirmos em frente, mesmo que a passo de tartaruga e começando tudo do zero. Ledo engano! Pois, desgraçadamente, depois que a economia começa a dar claros sinais de recuperação, eis que começa tudo de novo!!

Meu Deus!, até quando?

Presidente Temer, aqui vai meu apelo, mais que apelo… SÚPLICA!

– Não faça o que fez a canalha criminosa Dilma! Demonstre, nem que seja um pouquinho, amor por este chão brasileiro e renuncie ao cargo, imediatamente! Pense um pouco nesse país. Porém, antes, faça um acordo com o Congresso Nacional e a futura governança, para que se mantenha a atual equipe econômica – que é muito boa e está desatolando a economia do país. O resto é resto!

Sua posição é insustentável. Que importa se houve ou não cortes na gravação? Isso é irrelevante diante do conjunto de fatos que nem vale a pena aqui reportá-los. Que importa agora, se Vossa Excelência foi vítima de uma armadilha? Como alguém bem disse, “quem cai em ratoeira, é rato”, o resto é conversa fiada. Meu caro Presidente, um cadáver em decomposição não carece de perito para se atestar que ali não há mais nenhum sinal de vida. Essa é a derradeira questão.

Dizem que uma figura vale por mil palavras. Senhor presidente Temer, desculpe…, mas penso que a imagem abaixo explicita, fielmente, sua atual e delicada situação.

Presidente Temer, lamentavelmente, é assim que o vejo nessas alturas dos acontecimentos:

Agora, minha conversa é com o Congresso Nacional:

– Congressistas, criem, nem que seja uma vez na vida, um pouquinho de vergonha nessas suas caras lavadas! Na vacância do cargo de Presidente da República, sigam o Rito Constitucional. Não venham com essa história de “eleição direta” como prega a sinistra Legião do Foro de São Paulo homiziada no Parlamento, que, sabidamente, quer apresentar um remendo à Constituição, para tentar livrar da cadeia o bandido-chefe da República de Ladrões. Não é por aí!

Não vamos aceitar mais um estupro à Constituição!

Chega de brincar de democracia. Basta!!! O país não aguenta mais tanta podridão! Resolvam isso rapidamente e restabeleçam a normalidade política nesse país, antes que isso tudo desemboque num rompimento institucional que a ninguém interessa.

Outra coisa: se Temer não renunciar, que o TSE entre em campo, casse o mandato da chapa Dilma -Temer e resolva logo essa parada. Por sinal, esse é, sem dúvida, o caminho menos traumático para o país. Aliás, se o Sr. Gilmar Mendes já tivesse saído do armário e cumprido sua obrigação, essa lambança toda não existiria.

Oxalá, o bom senso prevaleça, os políticos se entendam e a solução apareça.

Ou será que as excelências preferem esperar que essa pendenga seja resolvida com ponta de baioneta?!

Creio que não.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

VANDERLEI ZANETTI – SÃO PAULO–SP

Meu Caro Editor,

Nem só de más notícias e sangue vivem os jornais brasileiros. Enfim, uma notícia boa, que o JBF não pode deixar de divulgar.

Pois é, Joesley Batista, da dupla sertaneja universitária Joesley e Wesley e um dos donos da JBS, conseguiu levar para Miami, chegando lá dois dias antes da delação premiada, o seu IATE, com o nome sugestivo, “WHY NOT – POR QUE NÃO”, de 98 pés, avaliado em US$ 10 milhões, mais de 30 milhões de reais.

Assim, ele, sua bela mulher, jornalista Taciana Villas Boas e a família Batista, poderão usufruir, já no próximo verão, dos prazeres que o lindo iate poderá proporcionar em Miami e no mar do Caribe.

É ou não é uma excelente notícia?

Visto que seria um perda deixar, no Brasil, em Itajaí–SC, o WHY NOT, POR QUE NÃO, levar?

R. Caro leitor, a foto que você remeteu junto com sua carta, será devidamente submetida ao Departamento de Falsificações do JBF, competentemente chefiado pelo colunista Goiano.

Aguarde que muito em breve divulgaremos o resultado da perícia.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)


http://www.musicariabrasil.blogspot.com
HISTÓRIAS E ESTÓRIAS DA MPB

Falar de samba no Brasil é perpassar por todas as fases da música popular brasileira e rememorar alguns grandes nomes que contribuíram para escrever a história de uma das músicas mais cultuadas do planeta. A influência do samba dentro da MPB é notória, e para atestar isso desde os anos de 1910 que diversos nomes vem produzindo canções que entraram para o rol dos clássicos do nosso cancioneiro. Dentro do samba contemporâneo nenhum grupo existente se equipara ao Fundo de Quintal, que teve origem a partir de sambistas da escola Imperatriz Leopoldinense na segunda metade da década de 1970 dentro do bloco carnavalesco Cacique de Ramos, em Ramos, subúrbio da região da Leopoldina, na cidade do Rio de Janeiro. A primeira formação do conjunto de samba teve Almir Guineto, Bira Presidente, Jorge Aragão, Neoci (filho do célebre compositor João da Baiana), Sereno, Sombrinha e Ubirany.

Dá para se perceber que se tratava de um time de peso que apresentava-se na quadra de futebol onde se realizavam além dos ensaios do bloco, um dos maiores movimentos de samba que se tem notícia nos anos de 1970: os pagodes de Fundo de Quintal. Essas reuniões, sem dúvida alguma, nos anos posteriores, muito contribuiu positivamente para escrever a história do samba contemporâneo. A princípio, as reuniões aconteciam sempre às quartas-feiras para que fazer aquilo que eles mais gostavam: samba de qualidade. Essas reuniões começou a atrair a atenção de gente importante do mundo do samba porque além de tocar músicas de renomados sambistas, lá eles também apresentavam composições próprias.

Essas canções vinham muitas vezes acompanhadas por de instrumentos até então incomuns nas rodas de samba e eram executadas, muitas vezes, em um ritmo diferente. Um exemplo da excentricidade do grupo era o tantã criado por Sereno, o repique-de-mão criado por Ubirany e o banjo com braço de cavaquinho criado por Almir Guineto. Esta inovação sonora, credita ao Fundo de Quintal a criação de um estilo influenciador a muitos grupos que surgiram posteriormente como é possível observar no cenário musical brasileiro contemporâneo.

Ainda na década de 1970, devido à ascensão e originalidade do grupo, Beth Carvalho convidou-os para participar do disco “Pé no Chão”, o décimo primeiro disco da carreira da sambista (terceiro pela RCA Vitor). No álbum, além de executarem alguns instrumentos, um dos integrantes foi responsável por um dos maiores sucessos da artista carioca até os dias de hoje, quase quatro décadas depois. É neste álbum, entre canções da lavra de Beto sem Braço, Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito, Monarco e Paulo Portela, Wilson Moreira e Nei Lopes, Cartola, Nelson Sargento, Candeia e Martinho da Vila; que se destaca a canção “Vou Festejar”, que tem dentre os seus autores Jorge Aragão.

É neste trabalho também que o grupo se aproxima do produtor Rildo Hora, que mais tarde viria a produzir vários trabalhos do grupo. Apesar do relativo sucesso no universo do samba, o grupo não tinha até então nenhum registro fonográfico, fato que só veio a acontecer em 1980 quando a gravadora RGE lançou o primeiro disco do grupo que trazia por título “Samba é No Fundo do Quintal”, trabalho que foi muito bem aceito pela crítica musical da época. Neste primeiro álbum há canções como “Sou Flamengo, Cacique e Mangueira”, “Bar da esquina”, “Marido da madame”, “Prazer da Serrinha”, e canções de relativo sucesso à época como “Você Quer Voltar”, “Zé da Ralé” e “Gamação Danada”.

Deixo aqui para os amigos leitores um pout-pourri com as canções “A batucada dos nossos tantãs” (de autoria de Adilson Gavião, Sereno e Robson Guimarães) e “Do fundo do nosso quintal” (composta por Alberto Souza e Jorge Aragão). Esse registro encontra-se presente no álbum “Fundo de Quintal – Ao Vivo – Simplicidade”, lançado em 2000:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

25 maio 2017 FULEIRAGEM

MYRRIA – A CRÍTICA (AM)

25 maio 2017 A PALAVRA DO EDITOR

APLAUSOS

A zona, a baderna, a bagunça, a falta de respeito, a criminosa ação de desocupados, vândalos, marginais, terroristas e bandidos mascarados ontem em Brasília serviram para um coisa.

Para este Editor tomar uma posição.

Se eles são a favor da saída de Temer, eu agora sou contra a saída de Temer.

Se eles pedem as “diretas já”, sem dúvida, com absoluta certeza, estão errados e falando merda.

As cenas de selvageria e de depredação de bens públicos e particulares, divulgadas ontem pro mundo todo, respaldam minha decisão.

E mais: a decisão da Presidência da República de convocar as Forças Armadas para combater o terrorismo foi acertadíssima. Detalhe: tudo dentro da lei e conforme a letra fria da Constituição.

Helicópteros, tanques, aviões caças, armamento pesado, canhões, mísseis, fuzis e todas as armas disponíveis devem ser usadas com rigor e com muita abundância.

O Estado Islâmico de Banânia tem que ser bombardeado intensamente. Com rigor, pesadamente e com urgência.

Meus calorosos aplausos para esta importante medida tomada pelo sempre indeciso, gentil, tolerante e diplomata Temer.

Crie coragem na venta, sujeito!!! Mostre raça!!!

Pelo menos teve uma coisa boa no meio daquela baderna: um dos terroristas explodiu a própria mão quando tentava jogar uma bomba contra a polícia.

Incompetente, como todo bom zisquerdista banânico, se fudeu-se e vai ficar cotó pelo resto da vida. Que é pra trazer sempre na memória a merda que fez.

Só uma coisa eu achei insuficiente: o cacete que a polícia baixou nos vagabundos. Foi muito pouco, muito ameno, muito gentil, muito delicado.

Vi uma imagem onde aparece um policial dando uma joelhada nos culhões de um terrorista, mascarado e armado com um porrete.

Foi uma joelhada muito gentil, pois não deu nem pra estourar os ovos do fela-da-puta.

Acabei de enviar mensagem ao comando da Polícia Militar de Brasília recomendando que, da próxima vez, sejam bem mais duros com os vagabundos: pau no lombo, pau nas urêias, pau no fucinho, pau nas pernas, pau no pescoço e pau no furico.

E, pra encerrar, quero mandar um recadinho bem respeitoso e bem contido para todos que participaram da desordem no dia de ontem:

– Vocês vão todos tomar no olho-do-cu, bando de felas-da-puta!!!! (sem qualquer ofensa às putas…)

25 maio 2017 FULEIRAGEM

S. SALVADOR – ESTADO DE MINAS


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa