29 junho 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

QUEM TEM, TEM MEDO

Lula já começou a ensaiar o que vai dizer quando o Italiano contar tudo o que sabe

“O Palocci foi condenado ontem, mas não tem nenhuma prova a não ser a delação. Fica palavra contra palavra e ninguém pode ser condenado por isso”.

Lula, sobre a condenação de Antônio Palocci, codinome Italiano no departamento de propinas da Odebrecht, ensaiando o que vai recitar quando seu ex-ministro da Fazenda começar a revelar tudo o que sabe do chefe.

29 junho 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

UM NERVOSO E O OUTRO SAI DO MEI

Um japonês entra num ônibus que vai de Campina Grande pra Recife e diz ao motorista:

– Olhe, seu motorista, eu tou indo pra Olinda, mas como eu tou muito cansado, vou dar um cochilo e temo não acordar e passar do ponto. Gostaria que, antes de chegar em Recife, o senhor me acordasse na passagem por Olinda, ta certo? Se eu acordar meio afobado, se, até mesmo eu xingar o senhor, não ligue, eu sou assim mesmo. Pode me botar pra fora na marra. Eu quero é descer em Olinda, ta legal?

– Ta legal! Pode deixar comigo, Seu Japa!

Só que, quando o japonês acorda, pra sua surpresa, dá de cara com o terminal de Recife, lá no Curado, pra lá da Caixa-Prego, e, de venta acesa, parte pra cima do motorista com cachos de fela-da-puta, corno e seu bosta irresponsável.

Um passageiro vendo a cena comenta com o passageiro do lado:

– Mas que japonêzinho nervoso da gota!!!!

E o passageiro retruca:

– Nervoso? Ora bom basta! Cê tinha que ver o outro japonês que o motorista botou pra fora lá em Olinda… Aquele sim…

29 junho 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

BURRICE É PIOR DO QUE MALDADE

“Diante da crise que vivemos, o Governo não é a solução para nossos problemas, Governo é o problema” (Ronald Reagan)

Pobre país que parece estar condenado a viver os próximos 18 meses sob um governo podre sem capacidade e competência para fazer absolutamente nada do que foi anunciado no programa “Uma Ponte Para o Futuro”.

Temos um presidente corrupto, desmoralizado, ciente de que ao deixar o cargo, um carro da Policia Federal poderá estar esperando para conduzi-lo para o xilindró. Tão fraco que é obrigado pelos seus comandados, ou comandantes, Gato Angorá, Padilha, Jucá, a permanecer com a faixa e a caneta, pois se fraquejar e resolver renunciar leva junto o restante da quadrilha. Fontes muito bem informadas, falam que Temer tremeu com a gravação de Joesley e estava decidido a renunciar, foi convencido, ou forçado a continuar pelos comparsas mais ousados e desesperados com a possibilidade de fazer companhia a Rocha Loures. Ruim com ele, pior sem ele. O presidente do Brasil não sabe porque Deus lhe deu esse cargo.

Não podemos nos enganar com a historinha de que estamos retomando o crescimento, que a inflação está sob controle, que estamos voltando a viver a normalidade. Se normalidade é ter um presidente ladrão e um governo sem nenhum compromisso com a nação, preocupado apenas em usar os cargos em benefício próprio, então, estamos num lugar condenado ao fracasso. É o que parece.

Nossa economia reage aos quase três anos de recessão, a pequena reação do primeiro trimestre não pode ser vista como início de um novo período de crescimento, os investimentos não aparecem para podermos confiar que as empresas voltarão a contratar e teremos dias melhores a frente. A inflação continua cedendo muito mais por causa do desemprego, perda de renda e juros muito altos (apesar da tendência de queda), do que pelo aumento da oferta, ou confiança na moeda. Resumindo: os sinais positivos ocasionais na economia estão aparecendo pelos motivos errados e não pelo sucesso da política econômica. Sem reformas, sem crescimento, sem empregos.

As reformas prometidas, ficarão mesmo na promessa. No máximo, um ou outro, pequeno ajuste poderá ocorrer para manter o discurso de que “estamos no caminho certo”. Caminho certo? Escuto essa expressão desde que comecei a entender o português, quando deveria ter uns 3 anos de idade. Estou com 60. Antes dizíamos que estávamos parados na direção certa, hoje parece que estamos olhando na direção certa e andando para trás.

Qual o futuro que nos espera?

Difícil arriscar quem poderia comandar o governo pós-Temer. Sem reformar a Constituição Cidadã, aquela que ferra com o cidadão, continuamos com déficits crescentes nos próximos anos e cada vez menos capacidade de investir para fazer a economia crescer e gerar empregos. Precisamos de alguém que compreenda isso, que tenha liderança para fazer isso e capacidade de atrair gente competente para a tarefa. Pelos nomes especulados não dá para ficar animado. Marina, Bolsonaro, Ciro, Lulla, qualquer um do PSDB.

Sonho com um candidato com a lucidez e a coragem de Ronald Reagan e quando acordo o que vejo é mais do mesmo.

Enquanto o cidadão fica atônito, sem perspectiva, os mercados financeiros mostram nitidamente que consideram a burrice muito pior do que a maldade. Vejam os números da Bolsa e do Dólar durante a agonia da presidanta Dilma e agora com Temer moribundo:
Início do processo de impeachment de Dilma – Bovespa 44.000, Dólar 4,50

Quando Janot encaminhou denúncia contra Temer – Bovespa 62.000, Dólar 3,30

29 junho 2017 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)

29 junho 2017 DEU NO JORNAL

A CONFIANÇA DOS CONSUMIDORES

Brasil é o segundo país em que os consumidores de notícias online mais confiam nos veículos de comunicação, apontou um estudo realizado pelo Reuters Institute e a Universidade de Oxford.

As duas instituições ouviram mais de 70 mil consumidores de notícia online de 36 países.

No Brasil, o índice de confiança chegou a 60% dos entrevistados.

O percentual só não é maior do que o da Finlândia, de 62%.

* * *

Em se tratando do Jornal da Besta Fubana, este índice de confiança chega a 113% entre os consumidores de notícia.

Minha querida amiga Cabeça-de-Fossa, tesoureira do Diretório Municipal do PT em Palmares, já me mandou mensagem dizendo que não confia nestes números da notícia aí de cima.

Segundo ela, o Reuters Institute a a Universidade de Oxford, que realizaram este estudo, são duas instituições reacionários e golpistas.

29 junho 2017 FULEIRAGEM

FRANK – A NOTÍCIA (SC)

LOTERIA DO JANOT

Para o procurador-geral, ninguém está acima da lei a menos que se chame Wesley Batista

“Num regime democrático, sob o pálio do Estado de Direito, ninguém está acima da lei ou fora do seu alcance, cuja transgressão requer o pleno funcionamento das instituições para buscar as devidas responsabilidades”.

Rodrigo Janot, procurador-geral da República, na mensagem enviada a procuradores em que justificou a denúncia contra Michel Temer, sem explicar por que manteve Joesley Batista acima da lei e fora do alcance da Justiça ao presentear o açougueiro preferido de Lula com a meia delação premiadíssima.

29 junho 2017 FULEIRAGEM

HERINGER – CHARGE ONLINE

SERENA NO MAR

Um embalo gostoso, um sacolejo arretado, de autoria do casal Sivuca-Glorinha Gadelha, para alegrar a nossa quinta-feira.

O trio que interpreta a composição dispensa apresentações: Luiz Gonzaga e o casal de autores, Glorinha Gadelha e Sivuca.

29 junho 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

UM VICE PARA TEMER

Há semelhanças e dessemelhanças relevantes entre os processos de impeachment que depuseram os ex-presidentes Fernando Collor de Mello, em 1992, e Dilma Rousseff, em 2016, e a situação do desgoverno de Michel Temer. Este, mesmo parecendo moribundo ou zumbi, não inspira profecias de igual desfecho, ao menos por enquanto. Sem conhecê-las, entendê-las e enfrentá-las, por mais absurda que pareça a hipótese, resta esperar pela improvável demonstração de espírito público do chefe do Executivo, a renúncia, imitando, não Getúlio Vargas no suicídio, mas Jânio Quadros no abandono voluntário do melhor emprego da República.

Diferença fundamental nos dois exemplos anteriores é que tanto para Collor quanto para Dilma havia um substituto automático, um vice, a possibilidade de se agrupar em torno de um nome. Esta talvez seja, na atual conjuntura, a principal diferença do caso de agora em relação a ambos os anteriores. Com Temer já no exercício do poder presidencial, o Supremo Tribunal Federal (STF) chegou a decidir a dúvida específica de o então presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), poder, ou não, participar de uma fictícia “linha sucessória” do presidente pelo fato de responder a processos judiciais. A decisão final foi esdrúxula, como muitas outras adotadas recentemente pelo órgão supremo do Poder Judiciário: Renan foi autorizado a permanecer no comando da chamada Câmara Alta, que não tem dado demonstrações de muita altitude ultimamente. Mas foi retirado da chamada, mas inexistente, linha de sucessão na chefia do Executivo.

De fato, no presidencialismo mitigado, dito semiparlamentarista ou “de coalizão”, vigente conforme as normas da Constituição de 1988, só há um sucessor autorizado a assumir automaticamente a Presidência em estado de vacância: o vice-presidente. Já o era na democracia de 1946, quando Café Filho substituiu Vargas após o suicídio e João Goulart assumiu, depois de longa negociação, o posto abandonado por Jânio.

Com exceção do Partido dos Trabalhadores (PT), que então era, ou pretendia ser, infenso a pactos de governabilidade, houve, de fato, substituição consensual de Collor – deposto por impeachment de indiscutível legitimidade – pelo vice, Itamar Franco. O próprio PT, sob a batuta de Luiz Inácio Lula da Silva, que antes havia rejeitado votar em Tancredo Neves, do PMDB, para substituir o último general da ditadura, João Batista Figueiredo, apoiou a deposição no Congresso. Mas desautorizou sua militante Luiza Erundina de Souza, ex-prefeita de São Paulo, a assumir um ministério, a Secretaria de Administração, no mandato-tampão do ex-governador de Minas, forçando-a a sair do partido.

Não se pode dizer o mesmo do impeachment de Dilma, até hoje contestado como se tivesse resultado de uma intervenção fora dos parâmetros constitucionais para extinção do mandato. Onde lhe é autorizado protestar, como agora na visita de Michel Temer à Rússia e à Noruega e em shows de artistas populares de esquerda, este é xingado de “golpista” e ouve berros de “fora Temer”.

Esse comportamento inconsolável da militância esquerdista, expelida com Dilma das boquinhas do poder, chama a atenção para outra dessemelhança dos casos de Itamar e Temer. O mineiro nascido em mar baiano sempre se manteve longe do carcará sanguinolento, sendo, na prática, um desafeto do titular da chapa pela qual se elegeu e mercê da qual chegou ao poder maior depois do impeachment. Após assumir a chefia do Executivo, o ex-vice comportou-se de forma exemplar, nunca tendo herdado nenhuma suspeita de participação no esquema de corrupção operado pelo notório PC Farias. Afinal, ele fora, seja na campanha, seja na administração, um corpo completamente estranho à famigerada “república de Alagoas”, de tristíssima memória, marca registrada do desmantelo Collor.

Com essa autoridade moral, que reforçou ao afastar seu homem de confiança, Henrique Hargreaves, da chefia da Casa Civil, à qual este só voltaria após provar inocência, Itamar montou o time que fez o Plano Real, acabou com a inflação e apostou no futuro, criando a alternativa Fernando Henrique. Desta o PSDB se aproveitou para vencer Lula e o PT em duas eleições consecutivas e sem precisar de segundo turno.

Ao ler o relato acima, o leitor de posse das faculdades mentais, imparcial, impoluto e munido do mínimo de lógica perceberá que Temer é inteiramente diferente. Primeiramente, ele antes pertencia à quadrilha que assaltou os cofres republicanos nos 13 anos, 4 meses e 12 dias de desmazelo sob Lula e Dilma, chegando até a funcionar provisoriamente como coordenador político da cabeça da chapa que se reelegeu. Por causa disso lhe coube o desgaste do processo contra a chapa vitoriosa em 2014 no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que, aliás, o favoreceu num julgamento que só desmoralizou a já desmoralizada Justiça Eleitoral de antanho.

Portanto, o oxigênio que mantém o governo Temer respirando por aparelhos é não haver vice disponível para evitar a necessidade da solução constitucional da eleição indireta no Congresso, que é quase tão impopular quanto o ex-vice beneficiado. E aterroriza o tal do mercado, que acredita que se ele sair do governo, apesar de todas as evidências de seus passeios pelo Código Penal, será substituído por alguém capaz de jogar as conquistas econômicas no lixo, num ambiente infecto em que todos os Poderes da República padecem de absoluta falta de crédito.

Até agora Temer tem mantido seus parceiros de rapina no Executivo e seus sócios no Legislativo asseguram o terço de votos necessário para mantê-lo no poder, ao arrepio da lei criminal. Conta ainda com parte do Judiciário que se dispõe a interpretar a lei de acordo com as conveniências dos amigos, comprovando que cabeça de juiz pode surpreender tanto quanto bumbum de bebê.

29 junho 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)


SONHOS DESFEITOS

Foram-se os sonhos que eu sonhei pra nós!
Sonhos tão lindos que morreram cedo,
deixando dor e frustração após…
De amar de novo, agora eu tenho medo.

Prefiro dela nem lembrar a voz…
Ouvir somente a voz do passaredo
para afastar essa tristeza atroz
que me acompanha e disfarço em segredo.

Quantas vezes a gente não se engana,
ante um rostinho encantador e doce
que esconde uma alma falsa, leviana?…

Hoje, não sei se seria capaz
de perdoar quem mágoa só me trouxe…
É arriscado, no amor, voltar atrás!

29 junho 2017 FULEIRAGEM

SINFRÔNIO – DIÁRIO DO NORDESTE (CE)

29 junho 2017 DEU NO JORNAL

LASCOU-SE DE VEZ POR COMPLETO

O presidente Michel Temer se reuniu nesta terça-feira (27) à noite, fora da agenda oficial, com o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

Procurado, o Palácio do Planalto confirmou o encontro e disse que eles trataram de reforma política.

* * *

Pronto: agora fudeu tudo mesmo.

Temer sujou de modo irreparável o seu prontuário.

Além de ter sido escolhido pelo PT pra ser vice de Dilma, (por duas vezes!!!) com a aprovação de Lula, o proprietário do Bando, agora surge mais esta nova cagada.

Temer Cara-de-Priquita reuniu-se com Gilmar Boca-de-Buceta, a mais desqualificada toga das muitas togas desqualificadas que botam a bunda no Supremo.

E pra tratar de “reforma política“!!!!!!!!!!!!

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

Só mesmo numa republiqueta banânica feito esta nossa é que um fato enlameado como este pode se assuceder-se.

É phoda!!!!

29 junho 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES_


http://orlandosilveira1956.blogspot.com.br/
AS PAPINHAS DO PIERINO

– Nossa Senhora! Hoje o senhor está com uma cara…

– Cara de que, Ananias?

– De poucos amigos.

– Nunca tive muitos amigos, dois ou três, no máximo. Já é muito.

Ananias enfiou a viola no saco, emudeceu.

O Velho Marinheiro, após longos minutos de silêncio, pediu uma nova rodada para o Carneiro, acendeu o cigarro e desandou a falar:

– Não é nada contra você, Ananias. Mafalda é que me tira do sério. Já cansei de lhe falar: “Mulher, não gosto de me intrometer na vida dos outros. Agora, não me calo ante coisas que acho erradas e afetam pessoas indefesas ou das quais eu gosto. Então, se é para me contar lambanças alheias e esperar que eu fique calado, pegou o bonde errado”. Adianta falar? Mafalda me conta as coisas e depois reclama de minhas reações. Vai entender.
Ananias estava mudo, mudou permaneceu, receoso de irritar ainda mais seu amigo, já a ponto de explodir.

– Você não está interessado na conversa?

– Sou todo ouvidos, Velho Marinheiro. O que aconteceu?

– Meu neto e a mulher dele – peru e perua, dois basbaques deslumbrados – levaram meu bisneto ao médico. Diagnóstico: a criança está desnutrida, gorda e desnutrida. Que vergonha! Se ainda fossem miseráveis, vá lá, daria para entender. Mas dinheiro não lhes falta, ao contrário. A criança anda mais enfeitada que poodle de pet shop, tem toda sorte de brinquedos e roupas de grife. A mãe, porém, nunca fez uma sopa para o menino. Diz que não tem tempo, vida agitada, trabalho, cursos, festas e viagens. O pai compra potes e mais potes de “papinha” pronta e tudo o que é tranqueira industrializada. E se gaba: “É da melhor qualidade, custa caro!” Pode? É essa a alimentação básica do menino: papinha industrializada. Você precisa ver a conversa dos dois sobre criação de filhos. É como se dizia: “quem vê cara não vê coração”. Posam de pais ultramodernos, discutem métodos educativos e sei lá mais o quê. Falam de viagens futuras pelo mundo. Mas são incapazes de fazer um caldo para Pierino, de dar uma fruta na boca de Pierino! Deixam tudo para a tal da babá.

– Perdão, Velho Marinheiro. Quem é Pierino?

– A puta que o pariu, Ananias.

– Como?

– Meu bisnetinho. Perdão. Ora, quem mais seria Pierino, Ananias? Tenha paciência.

– Claro, claro.

– Mas lhes falei um bocado.

Por via das dúvidas, Ananias pediu mais uma rodada completa para Carneiro, antes de perguntar ao Velho Marinheiro:

– E o que o senhor lhes disse?

– Olha aqui, vagabunda e vagabundo, quem tem preguiça de fazer comida para o próprio bebê não serve para nada. O que lhes falta é vergonha na cara. Vão-se catar. Se quiserem, Mafalda e eu criamos Pierino. Mais um não vai nos aleijar.

– E eles?

– Desligaram o telefone na minha cara. Juraram que nunca mais pisam em minha casa. Danem-se, me fariam um favor.

29 junho 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

CARLOS DE LÉLLLIS LUNA – FORTALEZA-CE

Prezado Berto,

Em busca de poemas de Chico Pedrosa, encontrei o genial JORNAL DA BESTA FUBANA.

Escrachado e versátil, esse JORNAL tem muitas coisas boas, além de respirar esse ar que só o Nordeste oferece.

Cabra da peste !!!

Que esse divulgador faça bem aos que gostam de coisa boa por muitos e muitos anos.

Felicidades,

R. Meu caro, fiquei ancho que só a porra com esse “genial” que você botou na sua mensagem.

Seja bem vindo a este antro repleto de safadezas e fique inteiramente à vontade.

E não se esqueça de que, além do ar do Nordeste, neste gazeta escrota se respira os ares de todos os cantos do território brasileiro.

Abraços e um excelente final de semana!

29 junho 2017 FULEIRAGEM

DUKE – SUPER NOTÍCIA (MG)


http://www.musicariabrasil.blogspot.com
HISTÓRIAS E ESTÓRIAS DA MPB

Recentemente trouxe para esta coluna o nome de Abigail Maia abordando um pouco do início de sua biografia, trazendo ao conhecimento dos amigos leitores as dificuldades que a fizeram decidir pela carreira artística, sua passagem por terras portuguesas, além do seu casamento com o maestro Luís Moreira, responsável, de certo modo, por sua inserção na música, quando ainda morava em Portugal. Após seu retorno ao Brasil entra para a companhia de José Loureiro, da qual seu marido era maestro e pouco tempo depois, na cidade de Santos, conhece o humorista João Foca, com quem resolve formar um trio: ela cantava, Luís Moreira tocava piano e João Foca fazia conferências divertidas. Com esta formação percorre São Paulo e depois todo o interior do estado. Nesta época, a imprensa paulista passou a cognominá-la a Rainha da Canção Brasileira. De volta ao Rio de Janeiro em 1915, apresentaram-se durante um mês no Cinema Pathé, na Avenida Rio Branco. No entanto, a fatalidade mais uma vez cruza o caminho de Abigail, levando consigo João Foca. Em sua carreira como atriz atuou, além das companhias já citadas na abordagem anterior, na Companhia de Cristiano de Souza, no Trianon; no Teatro Recreio, onde fez “Bocaccio” e outras operetas; foi contratada por nomes como Pascoal Segreto para atuar no Teatro São Pedro, chegando a atuar ao lado de Vicente Celestino, com música de Chiquinha Gonzaga. Após o falecimento do segundo marido, em 1921 casa-se com Oduvaldo Viana e junto com ele organiza a própria companhia e tem a oportunidade de excursionar por Buenos Aires e Montevidéu com boa acolhida do público. Abigail ainda atuou como radioatriz no radioteatro da Rádio Nacional atestando a sua versalidade artística.

Sua escassa discografia é composta por apenas dez canções gravadas entre os anos as décadas de 1910 e 1930. O seu primeiro registro é datado de 1913, onde fez a gravação de uma adaptação da canção “Rolinha” feita por Luis Moreira com Olimpio Duarte. Ainda em 1913 fez mais um registros: “Mulata pernóstica” (outra adaptação de Luis Moreira), sendo que neste mesmo ano sai pela Phoenix 160 o seu primeiro 78RPM com gravações suas de ambos os lados (na verdade trata-se da junção dos dois registros anteriores). Depois, só viria a gravar novamente em 1916, quando registrou as canções “Chico, Mané, Nicolau“, “Súplica”,O cambuco e o balaio” e “Faceira” e novamente procurou dar um intervalo na carreira para dedicar-se a outras atividades para além do canto. Esse intervalo estendeu-se até o ano de 1929, quando no mês dezembro chegou às melhores casas do ramo o 78RPM Odeon 10.510 com as faixas “Sarará” (Eduardo Souto) e “Meu príncipe encantado” (de autoria de Armando Ângelo e Guilherme de Almeida).

Seus últimos registros fonográficos foram lançados em fevereiro 1931: foram as canções “Sorriso de Mulher” (Marcelo Tupinambá e Oduvaldo Viana Filho) e “Flor De Maracujá” (Amadeu Amaral e Marcelo Tupinambá). É por essas e outras que reafirmo a importância da memória de nossa cultura, coisa tão em desuso em nosso país. Precisamos nos conscientizar que preservar a história de nossa cultura é sem sombra de dúvida preservar também a nossa identidade. É por artistas como Abigail Maia e tantos outros que busco manter viva essa chama da lembrança aqui em nosso espaço apesar de ter plena consciência de que estou indo de encontro a toda a lógica existente e confesso que baseada em não sei o quê. Lutemos por nossa cultura sempre.

Para deleite daqueles que acompanham a nossa coluna, deixo aqui uma canção de autoria desconhecida, mas que ganhou da artista o seu registro em 1915. Trata-se de um coco baiano intitulado de “O cumbuco e o balaio“:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

29 junho 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

UM BLOG RUIM, DIREITÃO E MENTIROSO QUE, ENFIM, BOTA PETISTA PRA TRABALLHAR

Novo comentário em ALEXANDRE GARCIA É HOSTILIZADO EM AEROPORTO MAS NÃO CAI NA PILHA

Paulo Machado:

“Desculpe, mas este blog é ruim demais, de direita e sem argumento nos seus conteúdos, tendencioso e falacioso, Direitão mesmo.

Uma hora essa merda de direita vai pro ralo, porque estamos trabalhando pra isso.

Porra , que merda de matéria que só mente sobre os outros.

* *

A Editoria do JBF dá as boas vindas ao mais novo descerebrado petralha zisquerdóide que passou a ler esta gazeta escrota.

Vamos botar o jegue Polodoro pra rinchar em homenagem a ele.

Rincha, Polodoro!

29 junho 2017 FULEIRAGEM

MÁRIO – TRIBUNA DE MINAS

A PRINCESA E O INFANTE

Conta a lenda que dormia/ Uma Princesa encantada. São os primeiros versos de um dos mais instigantes poemas de Fernando Pessoa, “Eros e Psique”. Publicado, na revista Presença, em maio de 1934. Como epígrafe, palavras de um Ritual dos Templários (“Assim vêdes, meus irmãos…”). Nada a estranhar. Que Pessoa era dado ao misticismo. Ele mesmo confessou, em carta a sua tia Anica (24/6/1916), ter começado a ser médium. Era capaz de prever o futuro. O suicídio do amigo Sá Carneiro, em Paris. O fim de Salazar. E sua própria morte. Não se poderia esperar é que fosse também capaz de, naquele tempo, saber o que se passa hoje no Brasil.

A Princesa encantada dos versos penso que é Dilma. Dando-se que dita Princesa encontra Um Infante que viria/ De além do muro da estrada (todas as citações são do poema). E esse Infante penso é Temer. Que veio de De além do muro (do PMDB). Só que dito Infante tentava deixar O caminho errado/ Por que à Princesa vem. Nenhuma novidade. Que até bilhetinhos queixosos mandou, para ela. Enfim O Infante, esforçado/ Rompe o caminho fadado. Com o impeachment. E acabaram se afastando. A partir daí, Ele dela é ignorado/ Ela para ele é ninguém. Sugerindo, Pessoa, que Cada um cumpre o Destino. Mas qual será tal Destino?, eis a questão.

A Princesa Dilma parece não ter ânimo para novas aventuras eleitorais. Devolveu a seu mentor, e criador, o comando. Não será suficiente. Lula jamais a perdoará por não lhe ter cedido lugar antes, em 2014. Tanto que já publicamente atribui, às medidas desastrosas tomadas pela Princesa, a crise do PT. Sem piedade. E aposta todas as fichas em um improvável “Diretas Já”. Que teria que vir antes de ficar inelegível, por conta da Lei da Ficha Limpa (LC 135/2010).

Enquanto isso o Infante Temer, depois da denúncia de Janot (nesta segunda), já não parece ter condições para governar. Tornou-se um espantalho. “Uomo de paglia”, como dizem os italianos. Era carne, hoje é só palha seca. Rocha Loures, amigo íntimo que amava passear com malas endinheiradas, está preso. O Infante diz “duvidar de sua delação” (Folha SP, 3/6). Rezando pelo silêncio do assessor. Palavras erradas, senhores meus. Deveria pedir é que dissesse tudo. Quem seria o desconhecido beneficiário dessa propina. Porque, fora disso, acaba sendo legítimo acreditar fosse o próprio Infante.

Resumindo, hoje, dito Infante quer só permanecer no cargo. As reformas vão sendo desfiguradas, em busca de apoios. O fim do imposto sindical, por exemplo, já foi trocado por uma certa condescendência das centrais sindicais. E familiares têm seus imóveis restaurados com grana suja. Tudo como já vimos, antes, com outros.

Seu governo, a cada dia, fica melancolicamente mais parecido com o daquela Princesa que sucedeu. Semana passada, chamou o rei da Noruega de rei da Suécia. Frase digna da própria Dilma. Até ministros e assessores são os mesmos. E a gula por grana é a mesma. Só a equipe econômica se salva, graças ao bom Deus. Se o Infante aceitar conselhos, talvez pudesse ouvir o de Pablo Neruda (na sua “Canção Desesperada”): “É hora de partir. Oh Abandonado”.

O final do poema de Pessoa é profético. Ele imagina o Infante olhando para sua Princesa. Com A cabeça em maresia, ainda pensa que seus destinos poderiam ser diferentes. Embora saiba, no íntimo, que vão ser iguais. Todos sabemos. Afinal, como anunciado por Pessoa nos versos finais do poema, o Infante Ergue a mão, e encontra hera,/ E vê que ele mesmo era/ A Princesa que dormia.

29 junho 2017 FULEIRAGEM

BAGGI – CHARGE ONLINE

29 junho 2017 JOSELITO MÜLLER

BANCA AVALIADORA DA COR DE COTISTAS TERÁ COTA PARA DALTÔNICOS

SÃO PAULO – Com o justíssimo propósito de incluir os excluídos que até então se encontravam desprovidos de inclusão social no meio da sociedade brasileira, a Comissão Permanente do Vestibular da Universidade de São Paulo anunciou na tarde de hoje que adotará política de cotas para composição da banca que avaliará a cor dos candidatos cotistas eventualmente aprovados para ingressar naquela instituição.

A banca elaborou critérios objetivos, como por exemplo, reprovar todo e qualquer candidato de cor salmão, alaranjado e rosa claro, mas a discussão sobre a definição de cada cor pode gerar polêmica.

Isso porque a banca incluirá entre seus quadros 20% de membros com daltonismo.

“Achamos que a inclusão de daltônicos para a banca que avaliará a cor dos candidatos é justa, pois inclui essa minoria, atualmente muito minoritária em nosso país, de modo a conferir mais inclusão”, explicou o idealizador da proposta.

ELE AFIRMOU TAMBÉM QUE “O CONCEITO DE COR VARIA DE PESSOA PRA PESSOA. O QUE É VERDE PRA MIM, PODE SER VERMELHO PRA VOCÊ. NÃO LEMBRA DO CASO DO VESTIDO QUE ERA VISTA DE CORES DIFERENTES CONFORME A PESSOA? É COMO A INSONDÁVEL COISA EM SI DE KANT, QUE VISTA SOB ÓTICAS DIFERENTES, PODE TER VÁRIOS SIGNIFICADOS”, FILOSOFOU.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa