REGOZIJAI-VOS, SENHORES LARÁPIOS

É simplesmente estarrecedor! Segundo o jornalista Gilberto Prado, quase todos os 513 deputados federais do Brasil, estariam sendo investigados. Quer mais? Dos 39 ainda ministros, 4 também estariam sob investigação. Não para aí. Dos 81 senadores, 78 estariam monitorados. E para complementar números tão imorais, há 2 ex-presidentes investigados e, o que é ainda mais dramático, um presidente, em pleno exercício de suas funções, acusado de corrupção pelo procurador-geral da República!

Curiosamente, neste instante o efetivo da Polícia Federal dedicado à Operação Lava- Jato sofre uma rigorosa redução, o que, para os procuradores daquela Operação é um retrocesso, já que prejudica as investigações e dificulta o prosseguimento do trabalho com o mesmo padrão de eficiência verificado até agora.

Só como exemplo, dizem os procuradores que são milhares de documentos carecentes de análise e que assim permanecerão por longo tempo, a clamar que o fim do grupo exclusivo da Lava-Jato não contribuirá para priorizar ainda mais as investigações. Dizem mais, que a ausência de exclusividade na Lava Jato prejudica a especialização do conhecimento e da atividade, o desenvolvimento de uma visão do todo, a descoberta de interconexões entre as centenas de investigados e os resultados, o que parece evidente. Para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, basta de hipocrisia. Não há mais espaço pra a apatia. Ou caminhamos juntos contra essa vilania que abastarda a política ou estaremos condenados a uma eterna cidadania de segunda classe, servil e impotente contra aqueles contra aqueles que deveriam nos representar com lealdade.

Enquanto isso, o ministro da Justiça, Torquato Jardim, sapientíssimo, declara que a Operação Lava-Jato é uma ameaça à democracia, na medida que está desfazendo a classe política.

Não, ministro. Suas palavras estão ultrajando a verdade. Não é a Operação Lava-Jato que está desfazendo a classe política, mas própria classe política. Quer um exemplo?

Voltemos ao começo desta conversa: são quase 513 deputados, 4 ministros,79 senadores, 2 ex-presidentes investigados e, para finalizar estatísticas tão vergonhosas, o presidente da República é acusado de corrupção.

Com números tão gritantes, dá para acreditar que são, mesmo, os procuradores da Lava-Jato as ameaças a democracia?

13 julho 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

13 julho 2017 DEU NO JORNAL

LADROAGEM LATRINO AMERICANA

Vai ter consequências no Brasil o pedido de prisão do ex-presidente do Peru Ollanta Humala e de sua mulher, Nadine Heredia, apresentado esta semana em Lima.

O caso peruano é consequência direta da Lava-Jato.

O casal recebeu US$ 3 milhões da Odebrecht.

O dinheiro foi usado na campanha presidencial de 2011, executada por publicitários escolhidos e vinculados ao PT.

* * *

Assim como a turma da foice-e-martelo tem a “internacional socialista“, a turma da istrêla-vermêia tem a “internacional roubalhista“.

A ladroagem lulo-petralha ultrapassou as fronteiras de Banânia.

Vôte!!!

“Cumpanhero Ollanta, essa tua mulé Nadine é uma ladrona di premêra; ocês dois cum cara di índio e eu cum cara di rato, vamo inchê os cu de dinhêro”

13 julho 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

MAURICIO ASSUERO – RECIFE-PE

Meu caro Editodos:

fiquei estarrecido com o depoimento de Lula ao MP. Ele foi irônico ao extremo e disse, dentre outras coisas que “numa outra encarnação nós vamos somente indicar pessoas do ministério público”. Para ele as nomeações fazem parte de uma consequência natural para a governabilidade. Eu estou precisando voltar a estudar novamente.

No meu entendimento, a governabilidade se realiza, também, pela coalizão de partidos que apoiam uma determinada candidatura e também entendo ser consequência que os apoiadores participem do governo visto que ninguém governa sem maioria na câmara. Agora, o entendimento de governabilidade adotado nos 13 anos do PT soa bastante estranho.

Primeiro porque a governabilidade do primeiro governo Lula se deu através da prática do mensalão. Os deputados votavam nas propostas do PT porque recebiam grana. Não havia, como ficou demonstrado no processo relatado por Joaquim Barbosa, uma linha sequer de negociações políticas. Havia, negociatas que foram descobertas a partir do video gravado com Maurício Marinho, nos correios, dizendo claramente para quem ele arrecadava recursos.

Depois veio a entrevista de Roberto Jefferson e se seguiram as fraturas externas de Valdomiro Diniz, Marcos Valério, etc. Esse modelo de governabilidade se propagou. Partidos políticos apoiavam Lula e em troca indicavam pessoas para diretoria de estatais. Ficou absolutamente claro no depoimento de Paulo Roberto Costa como funcionava o esquema de arrecadação com recursos da Petrobras e de tudo que é empresa pública neste país.

Será mesmo que tais conchavos sejam argumentos de governabilidade?

Em absoluto. Não queremos nenhum governante que negocie dessa forma.

Finalmente, Lula fala sobre uma outra encarnação.

Caramba!!!!!!!!!!!! Deus está ouvindo isso?

Que ele reencarne no inferno, que vá pagar propina, noutra encarnação, com as brasas do inferno que queimam almas sebosas.

Xô satanás!

Abraço

13 julho 2017 FULEIRAGEM

SID – CHARGE ONLINE

UMA PERGUNTA CABÍVEL

Comentário sobre a postagem QUAL É A SOLUÇÃO?

Lena:

“Como é que um país que elegeu e reelegeu Dilma Rousseff pode considerar o Bolsonaro, ou quem quer que seja, despreparado?”

* * *

13 julho 2017 FULEIRAGEM

BRUNO – VALEPARAIBANO (SP)

CÍCERO TAVARES – RECIFE-PE

Caro editodos Luiz Berto:

A vigésima câmara Extraordinária de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo manteve sentença de primeira instância condenando o palhaço e Deputado Federal Tiririca ao pagamento de indenização por danos materiais por utilizar música do cantor e compositor bipolar Roberto Carlos em sua propaganda eleitoral de 2014, sem o pagamento dos devidos direitos autorais. Lamentável a decisão!

Na campanha eleitoral de 2014, o então candidato Tiririca imitou Roberto Carlos, usou peruca e terno branco, para pedir votos. Sentado em frente a um prato de bife, em referência à propaganda de um frigorífico protagonizada por Roberto, Tiririca cantava: “Eu votei, de novo eu vou votar / Tiririca, Brasília é o seu lugar”. A propaganda adaptou os versos originais da canção “O Portão”: “Eu voltei, agora pra ficar / Porque aqui, aqui é meu lugar”.

O advogado criminalista e jornalista ficcional, JOSELITO MULLER, colunista do Jornal da Besta Fubana (JBF), é puto com essa história do dano moral e material utilizado indiscriminadamente para auferir lucros cessantes quando não fere a dignidade da pessoa. Para Joselito a banalização do dano moral é um absurdo!

O jornalista e biógrafo de Roberto Carlos, Paulo César de Araújo, que foi alvo de um dos processos mais criminosos da história da Jovem Guarda movido pelo rei contra ele, foi incisivo ao afirmar no programa RODA VIVA que o objetivo de Roberto Carlos em processá-lo e a milhares de outros que, supostamente tentam imitá-lo ou utilizar sua imagem de homem público, é de pura ganância por dinheiro. Nada mais que isso! Muitos profissionais em todo Brasil já foram alvo da sanha criminosa do rei e perderam tudo antes de serem absolvidos pela justiça tardia!

Para se tirar a dúvida, vejam esses dois vídeos abaixo: um que não fez sucesso e outro que fez, mas ambos com os mesmos objetivos: propaganda. E só um foi alvo da fúria do Rei da Perna de Pau!

* * *

13 julho 2017 FULEIRAGEM

ED CARLOS – CHARGE ONLINE

LUA DE TAPIOCA

Quando a lua se faz de tapioca
Com a goma e o coco a me banhar
Sinto meu coração corcovear
Por estar no abandono abandonado
E sozinho que nem boi de arado
Me avermelho que é ver flor de quipá
E se algum alegreiro me jogar
Tanto assim de alegria, eu arrenego
Porque fico que nem olho de cego
Que só serve somente pra chorar.

É a lua acendendo a lamparina
E meu facho de luz a se apagar
Com as bochecha chorada a se chorar
Taliquá mamão verde catucado
Mas porém, sinto meu peito caiado
Quando vejo de longe o riso teu
Igualmente a um morrido que viveu
Peço que teu socorro não demore
E que só minha fala te sonore
E que dentro de ti só more eu.

Poema publicado no livro Prosa Morena

13 julho 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

NOÊMIA FREITAS – SÃO PAULO-SP

Prezado Editor,

Se ainda não leu, leia agora.

São as provas consideradas pelo Juiz Moro para condenar o maior corrupto que este país já teve em toda a sua história.

Basta clicar aqui para ler.

Abraços daqui da Terra da Garoa!

13 julho 2017 FULEIRAGEM

JOÃO BERTO – JORNAL DA BESTA FUBANA

LULA FOI CONDENADO INJUSTAMENTE PELO JUIZ SÉRGIO MORO

A aparente lógica da sentença do juiz Sérgio Moro que condenou o ex-presidente Lula a nove anos e meio de prisão em regime fechado é aparente porque deixou de considerar algumas reflexões que deveriam ou expandir a lista de pretensos crimes ou concluir por sua inexistência.

Lula teria nomeado três diretores da Petrobras com o fim de articulá-los na prática de crimes contra a empresa, mediante a série de atos de corrupção por eles praticados, crimes esses envolvendo negócios de empreiteiras com a estatal.

A participação e responsabilidade do presidente estariam evidenciadas pelo recebimento de um apartamento de valor mais elevado do que o pago, beneficiado com reformas, equipamentos e mobiliário também não pagos.

O valor desses “favores” seria descontado de uma conta-corrente de propina, de modo que as diferenças de preço, a reforma e seus componentes não estavam sendo dados a Lula “de graça”: estavam sendo pagos por um caixa de propinas.

Sem aprofundar pesquisas, sabe-se que no final de 2015 afirmava o Ministério Público Federal que o montante de propinas envolvidas nas atividades relacionadas a Petrobras chegaria a dez bilhões de reais.

No final de 2014, um dos administradores da estatal envolvidos, Pedro Barusco, aceitou devolver ao Estado cem milhões de dólares, algo em torno de duzentos e sessenta milhões de reais à cotação da época.

Outro, Renato Duque, ex-diretor, concordou em devolver vinte milhões de euros, aproximadamente setenta milhões de reais aos valores de então.

Independente do que afinal se concretizou e do que foi efetivamente recuperado, mais um dos principais funcionários da Petrobras, Paulo Roberto Costa, propôs-se a entregar setenta milhões de reais.

Pois bem: Lula, se tivesse, realmente, colocado essas três pessoas em cargos de chefia na Petrobras para realizarem o assalto, algumas conseqüências teriam de decorrer disso:

Uma, que havia uma quadrilha montada para saquear os cofres públicos via Petrobras.

Duas, que Lula era o chefe da quadrilha: pois não se há de admitir que o detentor do poder de colocar as peças-chave na formação da quadrilha não seja o seu mentor, o agente principal.. Esta conclusão impor-se-ia, nesse caso sim, pela Teoria do Domínio do Fato, uma vez que, comprovada a participação do Presidente da República, autoridade máxima da Nação, na formação do esquema criminoso, não se poderia admitir não ser ele o chefe da quadrilha.

Três, que Lula, como o Chefe da ORCRIM, como se popularizou a sigla de “organização criminosa”, não comandaria esses crimes por, digamos assim, uma “merreca”, comparada ao volume do dinheiro envolvido e, particularmente, à parte que coube a três dos empregados da Petrobras envolvidos, que, sem contar com os bens deles bloqueados e tomados pela Justiça, concordaram em devolver quatrocentos milhões de reais aos cofres públicos!

Apenas para se ter uma idéia, digamos que os valores das devoluções fossem o total, que nem de longe é, das propinas recebidas por aqueles agentes. Teríamos:

Lula, o Chefe:……………. R$ 2.252.472,00

Pedro Barusco: …………..R$ 260.000.000,00

Renato Duque:……………R$ 70.000.000,00

Paulo Roberto Costa:…..R$ 70.000.000,00

Valores relacionados a outros processos não poderiam ser considerados nessa condenação de Lula, mas nós, que fazemos esta análise independente, podemos já objetar alguma oposição quanto à participação de Lula, considerando que mesmo somando estes valores deste processo aos de outros em andamento, o que teria aproveitado a Lula, caso fosse condenado em todos os processos, não chegaria a quinze milhões de reais.

Mas não é só isso.

Quatro: não existe qualquer prova nos autos, tanto quanto podemos saber sem compulsar o processo, mas atentos aos dados divulgados pela imprensa, em especial o teor da sentença de mais de duzentas páginas, repito: não existe qualquer prova de que o então presidente da república tivesse participado de tratativas e ações na Petrobras, nem que ele tivesse praticado qualquer ato em contrapartida a propinas que, sob qualquer forma, tivesse recebido.

Ou seja, o crime de Lula foi “ser o responsável” pela nomeação dos administradores que se serviram dos cargos para praticar a corrupção, uma vez que, alega o juiz, Lula os nomeou justamente para roubarem, tanto que também recebeu propinas.

Voltamos ao círculo vicioso: ou Lula era o chefe, formou a quadrilha e aproveitou-se dos roubos e, forçosamente, tem centenas de milhões de reais escondidos em algum lugar, que deve devolver; ou Lula foi “aproveitado” por delator premiado, o presidente da OAS, Léo Pinheiro, que valeu-se de circunstâncias que possibilitaram construir uma delação capaz de livrá-lo de penas, para incriminar Lula.

As ilações que levaram à condenação de Lula caem por terra, ao partirem do caminho inverso – a atribuição a Lula de uma propina de dois milhões e duzentos e cinqüenta mil reais consistente na diferença de preço dos apartamentos negociados e da reforma – e a sua participação em atos de corrupção sem que tenha agido neles, pois não participou dos atos praticados pelos agentes da Petrobras, nem praticou atos de que tenha decorrido favorecimento às empreiteiras, salvo (e isso tem de ser destacado) se ele nomeou os administradores da Petrobras para praticarem os crimes, o que tornaria forçoso considerá-lo o chefe da oganização criminosa. Isso certamente não ocorreu: Lula, como presidente da república, era o responsável final pela nomeação de todos os cargos importantes da Petrobras, das demais empresas estatais, dos ministérios – de todos os entes do Poder Executivo (e outros, como o Supremo Tribunal Federal), tenham-se corrompido ou não.

Concluindo: a participação de Lula na prática de atos criminosos de corrupção passiva não foi apurada. Desse modo, o valor envolvido no imóvel não pode ser considerado propina, lavagem de dinheiro, corrupção. Assim, a condenação de Lula foi irregular.

Além da condenação em si, muitas das manifestações do Juízo na sentença merecem reparos, na medida em que corroboram a tese de “tour de force” para elaborar o quadro negativo capaz de desembocar na demonstração de culpa do ex-presidente em tais crimes.

É evidente que, se Lula praticou alguma irregularidade, ela não estaria ligada nem aos crimes da Petrobras, nem a corrupção passiva, nem a lavagem de dinheiro.

A frase que nunca foi dita, “não tenho provas, mas estou convencido”, cairia como uma luva aqui.

Arranjem outra: o Tribunal Regional Federal da 4ª Região não engolirá essa!

13 julho 2017 FULEIRAGEM

CHICO CARUSO – O GLOBO


NA ROTA DOS TROPEIROS

I

Com o céu ainda escuro
os animais carregados
vão em busca das veredas,
pelos tropeiros guiados,
em demanda do sertão
nos velhos tempos passados.

Nas horas frescas do dia
segue a burrama apressada,
aqui e ali se detendo,
abocanhando a ramada,
enquanto os tropeiros vão
distribuindo relhada.

Lentamente o sol se alteia.
O calor aos poucos vem.
A tropa mantém o passo.
A sede chega também.
Um minuto de descanso
a comitiva não tem.

Contínuo estalar de relho
vai ecoando no espaço,
enquanto a tropa caminha
em cima do firme passo,
cada vez sentindo mais
o peso no espinhaço.

Meio dia, o sol a pino,
uma rápida parada
para os animais beberem.
Depois prossegue a jornada.
Parar, só para o pernoite.
Mas inda tem muita estrada.

Um tropeiro mais saudoso
uma cantiga inicia.
Logo após, acompanhando,
um companheiro assobia.
Talvez já sintam saudade
da querida moradia..

Nos períodos invernosos
aumentam os desafios:
lamaçal por toda parte,
solos escorregadios
e perigos redobrados
na travessia dos rios.

Temporais inesperados
desabam a qualquer hora,
fustigando os caminhantes.
No percurso, mais demora…
Alguém chega a fazer prece,
mas o tempo não melhora.

Enormes dificuldades
nessa época aflige a tropa.
A chuva cai sem parar
e tudo o que encontra ensopa.
Com empecilhos diversos
quem viaja sempre topa…

Clique aqui e leia este artigo completo »

13 julho 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

A DEUSA DOS ORIXAS

A saudosa Clara Nunes (1942-1983) interpreta uma composição de autoria da dupla Romildo e Toninho.

13 julho 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

13 julho 2017 A PALAVRA DO EDITOR

UM PERFEITO IDIOTA ZISQUERDISTA VERMÊIO DA REPÚBLICA BANÂNICA

Não dá nem pra mandar um babaca deste porte tomar no meio do olho do bufante porque é exatamente isto que faz a alegria da vida dele.

Mesmo assim, vamos enviar pelos ares pra Jean Aero Wyllys a pajaraca voadora do JBF:

Paralelamente à doação do orifício pecaminoso, falar merda e fazer merda são duas das grandes fontes de felicidade deste quadrúpede. Quadrúpede porque sempre leva bimba de quatro pés.

Vamos alegrar a nossa quinta-feira dando umas boas risadas às custas de um descerebrado zisquerdóide banânico.

13 julho 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

“INTERVENÇÃO MILITAR JÁ”

Domingo passado, bem cedinho, dois carros de som atrapalharam o sono das vizinhanças do Primeiro Jardim. Com gravações de antigas canções da caserna. Sobretudo o Hino da Independência (Já podeis, da Pátria filhos). Bem na frente, a faixa “Intervenção Militar Já”. Outras, “Pátria e Família”, “SOS Forças Armadas”, “Não à Lei de Imigração”. E “Quem Concorda Buzina”. Quase ninguém buzinou, graças ao bom Deus. Protegendo a trupe de quase 50 cidadãos, alguns carros da Polícia Militar. Não foram necessários, ainda bem. Porque ninguém foi lá protestar. Por não valer a pena, talvez.

Parte desse grupo, sobretudo aqueles mais jovens, não tem ciência do que aconteceu verdadeiramente nos 20 anos de chumbo inaugurados em 1964. Corrupção, por exemplo, naquele tempo foi farta. O que levou o governo, em 1968, a editar o Decreto-Lei 359. Criando uma CGI para promover o confisco dos bens adquiridos de maneira ilícita. Por militares e agregados. Não foi suficiente. A farra continuou. Tanto que, em 1970, o major Waldyr Coelho, Coordenador da OBAN (braço clandestino da repressão), propôs, ao Comando do II Exército, uma OBAN específica contra essa corrupção (documento ACE 16.645-70, AN). A diferença para hoje é que não se sabia dos submundos, então. Por conta da censura.

Mortos e desaparecidos foram 434. Todos minunciosamente descritos, vidas e mortes, no Relatório da Comissão Nacional da Verdade – da qual fiz parte. De Abelardo Rausch de Alcântara até Zuleika Angel Jones. Houve tortura, também. Convertida em política de Estado. Nossas polícias, acostumadas a ser violentas apenas com traficantes e ladrões de carro, tiveram que recorrer a especialistas estrangeiros. Da França, vieram veteranos de guerra da Argélia. Da Inglaterra, das lutas contra o IRA. De lá, veio a novidade das torturas psicológicas. Com as “Five Techniques”. Alternando: 1. Manter a pessoa de pé, por muitas horas, em frente a uma parede; 2. Encapuzar; 3. Sujeitar a grandes barulhos; 4. Impedir o sono; 5. Oferecer pouca comida e água.

Dos Estados Unidos, também. Militares brasileiros foram treinados no Latin American Training Center: Ground Division, que os States mantinham no Panamá. Quem quiser ver seus nomes basta ir ao Arquivo CNV 00092.003322/2014-32. O Coronel Paulo Malhães, em depoimento que nos deu, justificou. Sem denotar constrangimentos. Ou arrependimentos. “A tortura é um meio. O senhor tem que me apertar para eu contar. Então, a tortura é válida”.

Há provas de que pelo menos 1.843 pessoas (o número real é bem maior) foram submetidas a sevícias. Parte delas não sobreviveu. Entre as modalidades de torturas físicas estavam Afogamento – derramar água com querosene, amoníaco ou outro líquido no nariz da vítima, já pendurada de cabeça para baixo. Animais – lançados sobre o torturado ou introduzidos em alguma parte do seu corpo. Choque Elétrico – numa das máquinas usadas constava inscrição Donated by the people of United States. Pau de Arara – a vítima ficava suspensa por um travessão, com braços e pés atados, sofrendo afogamento, choques elétricos e sevícias sexuais. Produtos químicos – para fazer o torturado confessar, ao produzir alterações na consciência. Telefone – mãos em concha nos dois ouvidos, ao mesmo tempo, até a perda dos sentidos, em muitos casos com rompimento dos tímpanos e surdez permanente.

Ainda Cadeira do Dragão. Churrasquinho. Coroa de Cristo. Corredor Polonês. Crucificação. Enforcamento. Éter. Geladeira. Palmatória. Poço de Petróleo. Soro da verdade. Sufocamento. E outros. Essas técnicas estão descritas com detalhes nas páginas 366/375 de nosso Relatório. É bom que os jovens de hoje saibam, antes de pedir a volta do antigo regime. Porque esse passado foi duro demais, sujo demais, vergonhoso demais e indigno demais para ser esquecido tão cedo.

13 julho 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

SONIA REGINA – SANTOS-SP

Sr. Editor

Depois das cenas vergonhosas que tivemos no Senado Federal, patrocinadas por mulheres que não representam a grande maioria das cidadãs brasileiras, coloque o vídeo com a palavra de uma “Senhora” digna do cargo que ocupa:

– Senadora Ana Amélia, representante do Rio Grande do Sul que fala pelo povo Brasileiro.

Grata

13 julho 2017 FULEIRAGEM

IOTTI – ZERO HORA (RS)

GLEISI AINDA VAI CHEFIAR REBELIÕES NO PRESÍDIO FEMININO

Depois de debochar do Judiciário, Gleisi tenta agora desmoralizar o Poder Legislativo

Em 26 de junho, numa nota assinada pela presidente (ela prefere ‘presidenta’) do partido que virou organização criminosa, Gleisi Hoffmann avisou que o PT resolvera proibir Sérgio Moro de condenar Lula pelas patifarias embutidas no caso do triplex do Guarujá.

Alheia aos incontáveis pecados do vigarista que institucionalizou a corrupção impune – e com isso tornou inevitável a reprovação com louvor no Dia do Juízo Final -, Gleisi exigiu a absolvição sumária do cinco vezes réu da Lava Jato. O comandante do maior esquema corrupto de todos os tempos é inocente apesar da montanha de provas em contrário.

Nesta terça-feira, a senadora paranaense que debochou do Poder Judiciário tentou desmoralizar o Legislativo – e assumiu a liderança do bando de desordeiras que expropriou a mesa do Senado para interromper a sessão em que seria votada a reforma trabalhista. Coisas de um Brasil devastado pela Era da Canalhice, berra o prontuário da companheira conhecida pelos codinomes Amante e Coxa no Departamento de Propinas da Odebrecht.

Num país menos primitivo, Gleisi já estaria em campanha para eleger-se chefe de ala de presídio – ou, a julgar pelo que fez ontem à tarde, articulando mais uma rebelião na cadeia.

13 julho 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

13 julho 2017 DEU NO JORNAL

UMA PARELHA NA MEDIDA

Renan Calheiros gravou um vídeo de apoio ao ex-presidente Lula.

Renan afirma que a condenação imposta pelo juiz Sergio Moro é inadmissível, e que a sentença é um “erro que será reparado”.

* * *

Lula não podia ter arranjado um advogado melhor.

Renan e Lula formam uma bela parelha de corruptos de altíssimo calibre. Os dois tem muitas afinidades.

Fiquem tranquilos, caros leitores, não vou botar aqui o vídeo gravado por Renan.

Jamais eu estragaria a nossa linda quinta-feira.

“Vê só, Lula, que coisa linda aqui no meu celular: a foto de nós dois no Jornal da Besta Fubana”

13 julho 2017 FULEIRAGEM

BRUM – TRIBUNA DO NORTE (RN)

SUEVAN BRAGA – CAUCAIA-CE

A JUVENTUDE DOS ANOS 60/70

A geração mais marcante da história , teve seu auge nos anos 60 e 70. Uma juventude que nunca parava. Sempre estava inventando algo de novo para aprontar.

Os homens com suas vespas e fuscas rebaixados, rodavam a cidade atormentando os mais velhos que viam nesses jovens predadores para suas belas filhas.

A turma do pedal, rodava a cidade, com suas bicicletas modificadas e sem freios.

Tudo parecia distante, por falta de estradas, mas era perto comparado com o atrevimento desses jovens.

No esporte, verdadeiros craques, davam show nos gramados do País.

Essa juventude trazia novidades esportivas para prática na cidade: Futebol de salão, Hand bol, jogos de salão. Eram capazes de se unirem , para calmamente conversar, mas também ariscos ao ponto de jogarem baralhos com os presos em cadeia municipal ou fazer parar a banda de música chupando limão.

AS GAROTAS:

As belas moças, mostravam atrevimento com suas mini-saias e uma nova maneira de vestir. Belas, mas bem mais recatadas que os homens, concentravam-se em atividades educativas e culturais. Alguns grupos se formavam para cantar e discutir a mudança de comportamento no mundo.Na praça, se juntavam para fazer disparates, ver a exibição dos garotos, fazer sues bilhetinhos e se divertir com as brincadeiras diversas. Essas garotas, não diferente dos homens tornaram-se profissionais com as mesmas especialidades ou melhores.

ESSAS PESSOAS TIVERAM O GRANDE PRIVILÉGIO DE TER VIVIDO AS MAIORES EMOÇÕES DO SÉCULO:

* Criação e expansão da Tv. As grande novelas como “ Irmãos Coragem”, “Saramandaia”, “O Bem-amado”; Os grandes programas como Chico Anysio, Flávio Cavalcante, Carlos Imperial, Chacrinha, etc.

* Presenciaram a implantação do sistema de telefonia e novos canais de TV.

* O movimento Hipie que estourava nos EUA. Alguns apareceram na cidade e ficavam acampados nas praças, vendendo seus artesanatos.

* Na música, viveram o encantamento de Liverpool com Thes Beatles; foram testemunhas do nascimento do maior cantor e compositor do Brasil: O Rei Roberto Carlos; Dançaram o Iê, Iê Iê ;Viram o surgimento da Jovem Guarda; Testemunharam o surgimento dos “Secos e Molhados”;Curtiram o som das discotecas;

* Viram o homem chegar a Lua;

* Puderam ver nascer para o mundo o Rei Pelé;

* Assistiram pela TV os grandes festivais de músicas;

* Se encantaram com o nascimento da Tropicália;

A NOVA GERAÇÃO:

A nova geração, estar bem acomodada com tudo pronto: Controle remoto, celular,, internet, redes sociais..

Eles podem usufruir de tudo isso e andar pela estrada pronta, mais jamais viverão esses momentos de glória. Nunca sentirão o prazer de ter visto nascer e ficar torcendo para dá certo.

Essa geração que ainda brilha, talvez não se dê conta do quão foram importantes para formação do que existe.

Mas é só parar no pensamento, consultar sua memória e ver que nada foi em vão, que essa estrada longa foi o alicerce, as paredes e o telhado do que hoje podemos ser.

13 julho 2017 FULEIRAGEM

GILSON – CHARGE ONLINE

MEU SÃO JOÃO FOI RESGATADO

Parabéns, prefeito Orlando
Pela sensibilidade
O São João que foi saudade,
Finalmente está voltando.
Ouvi o povo cantando
Os forrós de Assisão,
Jorge, O Príncipe do Baião,
Sob o troar da “reúna”,
Cantando o seu “Rio Una”,
“Vivência” e “Separação”.

Aqui não houve sofrência,
Chororô nem traições…
Ouvimos muitos baiões
Com mil “watts” de potência.
Preservando a existência
Do que plantou Gonzagão,
Distinta situação
Ocorreu nesta cidade:
São João não virou saudade;
Saudade virou São João!

Festival de Repentistas,
Quadrilhas, Bacamarteiros,
Milhares de forrozeiros
Enchendo todas as pistas.
Feliz com tantas conquistas
O povo veio animado,
Coco, baião e xaxado
Fizeram a grande mistura
Quem sorriu foi a cultura:
– Meu São João foi resgatado!

13 julho 2017 FULEIRAGEM

S. SALVADOR – ESTADO DE MINAS

FÁBIO – RECIFE-PE

Caro Berto.

A Passa Disco vai se mudar da Galeria Shopping Sítio Trindade.

A partir de agosto funcionará na Galeria Hora Center, na Rua da Hora, 345, no Espinheiro.

Abraços

R. Está dado o recado, meu caro. Mais sucesso ainda no novo endereço!

A Loja Passa Disco, que está na lista de Comparsas do JBF aí do lado direito do jornal, é especializada em música de alta qualidade, além de ser ponto de encontro de artistas, de intelectuais e de gente que curte o que é bom.

Informo aos leitores de outros estados que podem comprar discos via internet, com toda tranquilidade e segurança. Eu garanto!

Clique na imagem abaixo e conheço a página desta empresa que é motivo de orgulho pra todos nós aqui da terrinha:

13 julho 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

13 julho 2017 PERCIVAL PUGGINA

SENADORAS À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS

Ingênuo eu. Tão ingênuo que, se não visse as imagens, não acreditaria no que estava em curso à mesa do Senado da República. Mesa posta, servida com quentinha, mastigação e lábios torcidos acionando palitos hidráulicos. Selfies e Face Times mostrando à plebe aquela fornida linha de frente dos interesses populares, armada a garfos e facas. Bom proveito, Brasil “progressista”!

Ali estavam as senadoras Gleisi Hoffmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Regina Sousa (PT-PI), Fátima Bezerra (PT-RN) e Lídice da Mata (PSB-BA), em plena pirataria do poder senatorial. Às costas, como convém a piratas, alguns marmanjos se postavam qual papagaios, filando a ridícula notoriedade proporcionada pelas imagens. “Mamãe, saí na Globo!”. Crrác, crrác.

O objetivo daquele desrespeitoso gesto de ruptura com o Regimento Interno e com a ética parlamentar era o mesmo que sempre observei como determinante de ações públicas promovidas por partidos e movimentos de esquerda: impor à maioria ou às regras do jogo aquilo que é apenas vontade de uns poucos.

Desde meus tempos colegiais, aliás, pude observar, na repetição desse comportamento, uma disposição para a conduta histérica. De início, em meus tempos de política estudantil, pensei que fosse produto de uma rebeldia adolescente. Posteriormente, percebi que aquela adolescência não tinha fim, caracterizando, isto sim, uma incivilidade belicosa que facilmente descambava para gritaria e ruptura com padrões civilizados.

Mais tarde, pude ver o mesmo repetir-se, vezes a fio, nas casas legislativas do país, sempre que a esquerda se encontrasse em posição desvantajosa. Só pode haver tropa de choque se o choque faz parte dos hábitos da tropa. Quando algo semelhante ocorre, toda tentativa de restabelecer a ordem é denunciada, de modo invariável e sistemático, como abuso de autoridade e restrição à sublime liberdade de bagunçar o coreto.

Pois mesmo assim, as parlamentares me surpreenderam pelo inusitado de seu gesto. Senadoras invadindo a mesa dos trabalhos do Senado!… Aquela tentativa de barrar a votação da reforma trabalhista foi expressão renovada de sua aversão aos processos democráticos e ao Estado de direito. As declarações que sucederam o ato permitem trucidar versos de Fernando Pessoa para afirmar que as atoras fingem com tanta pantomima que, às vezes, fingem ser real a insolência que deveras as anima.

13 julho 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)


http://www.musicariabrasil.blogspot.com
HISTÓRIAS E ESTÓRIAS DA MPB

Roberto Carlos é sem sombra de dúvidas o nome mais expressivo da música popular brasileira ainda em atividade. Prestes a completar 76 anos, destes quase sessenta dedicados à carreira fonográfica, Roberto recebeu a alcunha de Rei merecidamente quando nos anos de 1960 encabeçou um movimento musical que revelou um misto de ingenuidade com romantismo. Este movimento chamado Jovem Guarda também foi responsável pela ascensão de nomes como Wanderléa, o parceiro-irmão Erasmo Carlos, Jerry Adriani, Ronnie Von, Goldens Boys, Renato e Sseus Blue Caps, e tantos outros que ao longo dos últimos cinquenta anos extrapolaram o modismo do gênero e mantém-se na ativa embalando não apenas pessoas daquela época, mas toda uma gama de novos fãs que foram surgindo com o passar dos anos.

Roberto (ou o Rei como muitos se referem), manteve-se na “crista da onda” à época da Jovem Guarda, e ainda hoje mantém-se como um dos mais destacáveis nomes de nossa música, com cachês que beiram, segundos sites de fofoca, a 6 milhões em datas específicas. Dentre tantas abordagens que podem existir em torno do Rei, hoje não procurarei trazer dados biográficos, mas informações um pouco inusitada para as abordagens padrões. Não lembro de ter encontrado, ao longo de minha pesquisa, não cheguei a encontrar nenhuma abordagem acerca dos números que circundam a carreira do Roberto Carlos, e por atinar para este fato, resolvi fazer isso. Estou ciente que é bem provável que já haja, mas fica aqui registrada esse desejo de também trazer os principais dados numéricos da carreira deste cantor que quando gostava de ouvir e imitar Bob Nelson por ser fã declarado do cantor. Sua admiração pelo saudoso cantor e ator paulista era tanta que chegou a gravar, ao lado de Erasmo, uma música sua.

Roberto ao longo das quase seis décadas de carreira já vendeu mais de 100 milhões de cópias, colocando-o entre os artistas de maior expressividade comercialmente falando de todo o mundo. Para se ter uma ideia, ele é o artista brasileiro que mais vendeu discos ao redor do mundo e, na América Latina, o Rei Roberto Carlos vendeu mais discos que os Beatles. O engraçado é que o seu primeiro LP (“Louco por você”) é um dos discos mais disputados no Brasil por colecionadores, pois foram impressas apenas 500 cópias. Deste álbum (antes Roberto havia lançado um 78 RPM) até os dias atuais o cantor e compositor capixaba já lançou mais de 100 títulos entre LP’s, compactos e CD’s. Dentre suas gravações constam registros em diversos idiomas, dentre eles italiano, francês, espanhol e inglês. Em números, segundo o site Midiorama, foram 12 canções em inglês, 61 em italiano, 4 em francês, 244 em espanhol e mais de 400 em português.

Outros números curiosos se dão a partir do seu tradicional especial de fim de ano, que já foram exibidos em mais de 20 países. Entre eles, Albânia e Finlândia em mais de 40 anos de exibição na Rede Globo. A popularidade de Roberto Carlos e seus amigos rompeu as fronteiras da música e da TV e chegou aos cinemas entre 1968 e 1971, quando Roberto gravou três filmes de grande popularidade: Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-rosa, Roberto Carlos em Ritmo de Aventura e Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora. Recentemente, mais números entraram para as estatísticas do Rei. O jornal O Globo noticiou que o empresário de Roberto, Dodi Sirena, está pleiteando a entrada do cantor no Guinness como o artista com maior número de hits em rádios (cem músicas) e o que está há mais tempo em uma mesma gravadora (54 anos com CBS / Sony).

Deixo agora uma canção de sua grande fase como intérprete e compositor. “A janela“, composição sua em parceria com Erasmo Carlos foi registrada pelo cantor em 1972:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

13 julho 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa