REGOZIJAI-VOS, SENHORES LARÁPIOS

É simplesmente estarrecedor! Segundo o jornalista Gilberto Prado, quase todos os 513 deputados federais do Brasil, estariam sendo investigados. Quer mais? Dos 39 ainda ministros, 4 também estariam sob investigação. Não para aí. Dos 81 senadores, 78 estariam monitorados. E para complementar números tão imorais, há 2 ex-presidentes investigados e, o que é ainda mais dramático, um presidente, em pleno exercício de suas funções, acusado de corrupção pelo procurador-geral da República!

Curiosamente, neste instante o efetivo da Polícia Federal dedicado à Operação Lava- Jato sofre uma rigorosa redução, o que, para os procuradores daquela Operação é um retrocesso, já que prejudica as investigações e dificulta o prosseguimento do trabalho com o mesmo padrão de eficiência verificado até agora.

Só como exemplo, dizem os procuradores que são milhares de documentos carecentes de análise e que assim permanecerão por longo tempo, a clamar que o fim do grupo exclusivo da Lava-Jato não contribuirá para priorizar ainda mais as investigações. Dizem mais, que a ausência de exclusividade na Lava Jato prejudica a especialização do conhecimento e da atividade, o desenvolvimento de uma visão do todo, a descoberta de interconexões entre as centenas de investigados e os resultados, o que parece evidente. Para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, basta de hipocrisia. Não há mais espaço pra a apatia. Ou caminhamos juntos contra essa vilania que abastarda a política ou estaremos condenados a uma eterna cidadania de segunda classe, servil e impotente contra aqueles contra aqueles que deveriam nos representar com lealdade.

Enquanto isso, o ministro da Justiça, Torquato Jardim, sapientíssimo, declara que a Operação Lava-Jato é uma ameaça à democracia, na medida que está desfazendo a classe política.

Não, ministro. Suas palavras estão ultrajando a verdade. Não é a Operação Lava-Jato que está desfazendo a classe política, mas própria classe política. Quer um exemplo?

Voltemos ao começo desta conversa: são quase 513 deputados, 4 ministros,79 senadores, 2 ex-presidentes investigados e, para finalizar estatísticas tão vergonhosas, o presidente da República é acusado de corrupção.

Com números tão gritantes, dá para acreditar que são, mesmo, os procuradores da Lava-Jato as ameaças a democracia?

13 julho 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

13 julho 2017 DEU NO JORNAL

LADROAGEM LATRINO AMERICANA

Vai ter consequências no Brasil o pedido de prisão do ex-presidente do Peru Ollanta Humala e de sua mulher, Nadine Heredia, apresentado esta semana em Lima.

O caso peruano é consequência direta da Lava-Jato.

O casal recebeu US$ 3 milhões da Odebrecht.

O dinheiro foi usado na campanha presidencial de 2011, executada por publicitários escolhidos e vinculados ao PT.

* * *

Assim como a turma da foice-e-martelo tem a “internacional socialista“, a turma da istrêla-vermêia tem a “internacional roubalhista“.

A ladroagem lulo-petralha ultrapassou as fronteiras de Banânia.

Vôte!!!

“Cumpanhero Ollanta, essa tua mulé Nadine é uma ladrona di premêra; ocês dois cum cara di índio e eu cum cara di rato, vamo inchê os cu de dinhêro”

13 julho 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

MAURICIO ASSUERO – RECIFE-PE

Meu caro Editodos:

fiquei estarrecido com o depoimento de Lula ao MP. Ele foi irônico ao extremo e disse, dentre outras coisas que “numa outra encarnação nós vamos somente indicar pessoas do ministério público”. Para ele as nomeações fazem parte de uma consequência natural para a governabilidade. Eu estou precisando voltar a estudar novamente.

No meu entendimento, a governabilidade se realiza, também, pela coalizão de partidos que apoiam uma determinada candidatura e também entendo ser consequência que os apoiadores participem do governo visto que ninguém governa sem maioria na câmara. Agora, o entendimento de governabilidade adotado nos 13 anos do PT soa bastante estranho.

Primeiro porque a governabilidade do primeiro governo Lula se deu através da prática do mensalão. Os deputados votavam nas propostas do PT porque recebiam grana. Não havia, como ficou demonstrado no processo relatado por Joaquim Barbosa, uma linha sequer de negociações políticas. Havia, negociatas que foram descobertas a partir do video gravado com Maurício Marinho, nos correios, dizendo claramente para quem ele arrecadava recursos.

Depois veio a entrevista de Roberto Jefferson e se seguiram as fraturas externas de Valdomiro Diniz, Marcos Valério, etc. Esse modelo de governabilidade se propagou. Partidos políticos apoiavam Lula e em troca indicavam pessoas para diretoria de estatais. Ficou absolutamente claro no depoimento de Paulo Roberto Costa como funcionava o esquema de arrecadação com recursos da Petrobras e de tudo que é empresa pública neste país.

Será mesmo que tais conchavos sejam argumentos de governabilidade?

Em absoluto. Não queremos nenhum governante que negocie dessa forma.

Finalmente, Lula fala sobre uma outra encarnação.

Caramba!!!!!!!!!!!! Deus está ouvindo isso?

Que ele reencarne no inferno, que vá pagar propina, noutra encarnação, com as brasas do inferno que queimam almas sebosas.

Xô satanás!

Abraço

13 julho 2017 FULEIRAGEM

SID – CHARGE ONLINE

UMA PERGUNTA CABÍVEL

Comentário sobre a postagem QUAL É A SOLUÇÃO?

Lena:

“Como é que um país que elegeu e reelegeu Dilma Rousseff pode considerar o Bolsonaro, ou quem quer que seja, despreparado?”

* * *

13 julho 2017 FULEIRAGEM

BRUNO – VALEPARAIBANO (SP)

CÍCERO TAVARES – RECIFE-PE

Caro editodos Luiz Berto:

A vigésima câmara Extraordinária de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo manteve sentença de primeira instância condenando o palhaço e Deputado Federal Tiririca ao pagamento de indenização por danos materiais por utilizar música do cantor e compositor bipolar Roberto Carlos em sua propaganda eleitoral de 2014, sem o pagamento dos devidos direitos autorais. Lamentável a decisão!

Na campanha eleitoral de 2014, o então candidato Tiririca imitou Roberto Carlos, usou peruca e terno branco, para pedir votos. Sentado em frente a um prato de bife, em referência à propaganda de um frigorífico protagonizada por Roberto, Tiririca cantava: “Eu votei, de novo eu vou votar / Tiririca, Brasília é o seu lugar”. A propaganda adaptou os versos originais da canção “O Portão”: “Eu voltei, agora pra ficar / Porque aqui, aqui é meu lugar”.

O advogado criminalista e jornalista ficcional, JOSELITO MULLER, colunista do Jornal da Besta Fubana (JBF), é puto com essa história do dano moral e material utilizado indiscriminadamente para auferir lucros cessantes quando não fere a dignidade da pessoa. Para Joselito a banalização do dano moral é um absurdo!

O jornalista e biógrafo de Roberto Carlos, Paulo César de Araújo, que foi alvo de um dos processos mais criminosos da história da Jovem Guarda movido pelo rei contra ele, foi incisivo ao afirmar no programa RODA VIVA que o objetivo de Roberto Carlos em processá-lo e a milhares de outros que, supostamente tentam imitá-lo ou utilizar sua imagem de homem público, é de pura ganância por dinheiro. Nada mais que isso! Muitos profissionais em todo Brasil já foram alvo da sanha criminosa do rei e perderam tudo antes de serem absolvidos pela justiça tardia!

Para se tirar a dúvida, vejam esses dois vídeos abaixo: um que não fez sucesso e outro que fez, mas ambos com os mesmos objetivos: propaganda. E só um foi alvo da fúria do Rei da Perna de Pau!

* * *

13 julho 2017 FULEIRAGEM

ED CARLOS – CHARGE ONLINE

LUA DE TAPIOCA

Quando a lua se faz de tapioca
Com a goma e o coco a me banhar
Sinto meu coração corcovear
Por estar no abandono abandonado
E sozinho que nem boi de arado
Me avermelho que é ver flor de quipá
E se algum alegreiro me jogar
Tanto assim de alegria, eu arrenego
Porque fico que nem olho de cego
Que só serve somente pra chorar.

É a lua acendendo a lamparina
E meu facho de luz a se apagar
Com as bochecha chorada a se chorar
Taliquá mamão verde catucado
Mas porém, sinto meu peito caiado
Quando vejo de longe o riso teu
Igualmente a um morrido que viveu
Peço que teu socorro não demore
E que só minha fala te sonore
E que dentro de ti só more eu.

Poema publicado no livro Prosa Morena

13 julho 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

NOÊMIA FREITAS – SÃO PAULO-SP

Prezado Editor,

Se ainda não leu, leia agora.

São as provas consideradas pelo Juiz Moro para condenar o maior corrupto que este país já teve em toda a sua história.

Basta clicar aqui para ler.

Abraços daqui da Terra da Garoa!

13 julho 2017 FULEIRAGEM

JOÃO BERTO – JORNAL DA BESTA FUBANA

LULA FOI CONDENADO INJUSTAMENTE PELO JUIZ SÉRGIO MORO

A aparente lógica da sentença do juiz Sérgio Moro que condenou o ex-presidente Lula a nove anos e meio de prisão em regime fechado é aparente porque deixou de considerar algumas reflexões que deveriam ou expandir a lista de pretensos crimes ou concluir por sua inexistência.

Lula teria nomeado três diretores da Petrobras com o fim de articulá-los na prática de crimes contra a empresa, mediante a série de atos de corrupção por eles praticados, crimes esses envolvendo negócios de empreiteiras com a estatal.

A participação e responsabilidade do presidente estariam evidenciadas pelo recebimento de um apartamento de valor mais elevado do que o pago, beneficiado com reformas, equipamentos e mobiliário também não pagos.

O valor desses “favores” seria descontado de uma conta-corrente de propina, de modo que as diferenças de preço, a reforma e seus componentes não estavam sendo dados a Lula “de graça”: estavam sendo pagos por um caixa de propinas.

Sem aprofundar pesquisas, sabe-se que no final de 2015 afirmava o Ministério Público Federal que o montante de propinas envolvidas nas atividades relacionadas a Petrobras chegaria a dez bilhões de reais.

No final de 2014, um dos administradores da estatal envolvidos, Pedro Barusco, aceitou devolver ao Estado cem milhões de dólares, algo em torno de duzentos e sessenta milhões de reais à cotação da época.

Outro, Renato Duque, ex-diretor, concordou em devolver vinte milhões de euros, aproximadamente setenta milhões de reais aos valores de então.

Independente do que afinal se concretizou e do que foi efetivamente recuperado, mais um dos principais funcionários da Petrobras, Paulo Roberto Costa, propôs-se a entregar setenta milhões de reais.

Pois bem: Lula, se tivesse, realmente, colocado essas três pessoas em cargos de chefia na Petrobras para realizarem o assalto, algumas conseqüências teriam de decorrer disso:

Uma, que havia uma quadrilha montada para saquear os cofres públicos via Petrobras.

Duas, que Lula era o chefe da quadrilha: pois não se há de admitir que o detentor do poder de colocar as peças-chave na formação da quadrilha não seja o seu mentor, o agente principal.. Esta conclusão impor-se-ia, nesse caso sim, pela Teoria do Domínio do Fato, uma vez que, comprovada a participação do Presidente da República, autoridade máxima da Nação, na formação do esquema criminoso, não se poderia admitir não ser ele o chefe da quadrilha.

Três, que Lula, como o Chefe da ORCRIM, como se popularizou a sigla de “organização criminosa”, não comandaria esses crimes por, digamos assim, uma “merreca”, comparada ao volume do dinheiro envolvido e, particularmente, à parte que coube a três dos empregados da Petrobras envolvidos, que, sem contar com os bens deles bloqueados e tomados pela Justiça, concordaram em devolver quatrocentos milhões de reais aos cofres públicos!

Apenas para se ter uma idéia, digamos que os valores das devoluções fossem o total, que nem de longe é, das propinas recebidas por aqueles agentes. Teríamos:

Lula, o Chefe:……………. R$ 2.252.472,00

Pedro Barusco: …………..R$ 260.000.000,00

Renato Duque:……………R$ 70.000.000,00

Paulo Roberto Costa:…..R$ 70.000.000,00

Valores relacionados a outros processos não poderiam ser considerados nessa condenação de Lula, mas nós, que fazemos esta análise independente, podemos já objetar alguma oposição quanto à participação de Lula, considerando que mesmo somando estes valores deste processo aos de outros em andamento, o que teria aproveitado a Lula, caso fosse condenado em todos os processos, não chegaria a quinze milhões de reais.

Mas não é só isso.

Quatro: não existe qualquer prova nos autos, tanto quanto podemos saber sem compulsar o processo, mas atentos aos dados divulgados pela imprensa, em especial o teor da sentença de mais de duzentas páginas, repito: não existe qualquer prova de que o então presidente da república tivesse participado de tratativas e ações na Petrobras, nem que ele tivesse praticado qualquer ato em contrapartida a propinas que, sob qualquer forma, tivesse recebido.

Ou seja, o crime de Lula foi “ser o responsável” pela nomeação dos administradores que se serviram dos cargos para praticar a corrupção, uma vez que, alega o juiz, Lula os nomeou justamente para roubarem, tanto que também recebeu propinas.

Voltamos ao círculo vicioso: ou Lula era o chefe, formou a quadrilha e aproveitou-se dos roubos e, forçosamente, tem centenas de milhões de reais escondidos em algum lugar, que deve devolver; ou Lula foi “aproveitado” por delator premiado, o presidente da OAS, Léo Pinheiro, que valeu-se de circunstâncias que possibilitaram construir uma delação capaz de livrá-lo de penas, para incriminar Lula.

As ilações que levaram à condenação de Lula caem por terra, ao partirem do caminho inverso – a atribuição a Lula de uma propina de dois milhões e duzentos e cinqüenta mil reais consistente na diferença de preço dos apartamentos negociados e da reforma – e a sua participação em atos de corrupção sem que tenha agido neles, pois não participou dos atos praticados pelos agentes da Petrobras, nem praticou atos de que tenha decorrido favorecimento às empreiteiras, salvo (e isso tem de ser destacado) se ele nomeou os administradores da Petrobras para praticarem os crimes, o que tornaria forçoso considerá-lo o chefe da oganização criminosa. Isso certamente não ocorreu: Lula, como presidente da república, era o responsável final pela nomeação de todos os cargos importantes da Petrobras, das demais empresas estatais, dos ministérios – de todos os entes do Poder Executivo (e outros, como o Supremo Tribunal Federal), tenham-se corrompido ou não.

Concluindo: a participação de Lula na prática de atos criminosos de corrupção passiva não foi apurada. Desse modo, o valor envolvido no imóvel não pode ser considerado propina, lavagem de dinheiro, corrupção. Assim, a condenação de Lula foi irregular.

Além da condenação em si, muitas das manifestações do Juízo na sentença merecem reparos, na medida em que corroboram a tese de “tour de force” para elaborar o quadro negativo capaz de desembocar na demonstração de culpa do ex-presidente em tais crimes.

É evidente que, se Lula praticou alguma irregularidade, ela não estaria ligada nem aos crimes da Petrobras, nem a corrupção passiva, nem a lavagem de dinheiro.

A frase que nunca foi dita, “não tenho provas, mas estou convencido”, cairia como uma luva aqui.

Arranjem outra: o Tribunal Regional Federal da 4ª Região não engolirá essa!

13 julho 2017 FULEIRAGEM

CHICO CARUSO – O GLOBO


NA ROTA DOS TROPEIROS

I

Com o céu ainda escuro
os animais carregados
vão em busca das veredas,
pelos tropeiros guiados,
em demanda do sertão
nos velhos tempos passados.

Nas horas frescas do dia
segue a burrama apressada,
aqui e ali se detendo,
abocanhando a ramada,
enquanto os tropeiros vão
distribuindo relhada.

Lentamente o sol se alteia.
O calor aos poucos vem.
A tropa mantém o passo.
A sede chega também.
Um minuto de descanso
a comitiva não tem.

Contínuo estalar de relho
vai ecoando no espaço,
enquanto a tropa caminha
em cima do firme passo,
cada vez sentindo mais
o peso no espinhaço.

Meio dia, o sol a pino,
uma rápida parada
para os animais beberem.
Depois prossegue a jornada.
Parar, só para o pernoite.
Mas inda tem muita estrada.

Um tropeiro mais saudoso
uma cantiga inicia.
Logo após, acompanhando,
um companheiro assobia.
Talvez já sintam saudade
da querida moradia..

Nos períodos invernosos
aumentam os desafios:
lamaçal por toda parte,
solos escorregadios
e perigos redobrados
na travessia dos rios.

Temporais inesperados
desabam a qualquer hora,
fustigando os caminhantes.
No percurso, mais demora…
Alguém chega a fazer prece,
mas o tempo não melhora.

Enormes dificuldades
nessa época aflige a tropa.
A chuva cai sem parar
e tudo o que encontra ensopa.
Com empecilhos diversos
quem viaja sempre topa…

Clique aqui e leia este artigo completo »

13 julho 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

A DEUSA DOS ORIXAS

A saudosa Clara Nunes (1942-1983) interpreta uma composição de autoria da dupla Romildo e Toninho.

13 julho 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa