17 julho 2017 FULEIRAGEM

MYRRIA – A CRÍTICA (AM)

NO AQUECIMENTO

Gleisi aproveita a condenação de Lula para treinar o que vai dizer no tribunal

“Sergio Moro prestou contas aos meios de comunicação e a (sic) opinião pública que formou contra Lula. Condenou sem provas! Vergonhoso”.

Gleisi Hoffmann, pelo Twitter, treinando o que vai dizer quando forem julgadas as bandidagens da senadora paranaense conhecida no Departamento de Propinas da Odebrecht pelos pseudônimos Amante e Coxa.

17 julho 2017 FULEIRAGEM

GENILDO – CHARGE ONLINE

FEITIÇO DA VILA

Letra de Noel Rosa e música de Vadico. Elizete Cardoso canta com acompanhamento de Jacob do Bandolim. 

17 julho 2017 FULEIRAGEM

S. SALVADOR – ESTADO DE MINAS

17 julho 2017 DEU NO JORNAL

UM ROMBO PLANETÁRIO

Os escândalos de corrupção na Petrobras e sua política de preços levaram a estatal brasileira a ser a empresa de petróleo mais endividada do mundo.

A constatação faz parte do informe produzido pela OMC, que avalia a situação da política comercial do Brasil.

* * *

A OMC, vocês já sabem, é a Organização Mundial do Comércio.

Que de mundial não tem nada, pois deve ser dirigida por coxinhas reacionários aqui de Banânia.

Perguntem pra Ceguinho Teimoso que ele dará detalhes sobre este covil golpista.

Agora, aqui entre nós: é bilhão pra caralho.

E de dólares!!!

A notícia fala que a empresa está “no vermelho“.

O mais correto seria dizer que a Petrobras está “no preto“.

Preto da tonalidade nove dedos.

17 julho 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

VINGANÇA – Anderson Braga Horta

Ontem à noite o luar era uma coisa estranha
pisando a escuridão. Monstruosa lanterna,
sua voz fogo-fátua, iridescente e terna,
ecoava em luz do bosque ao sopé da montanha.

E tal era o negror, e a tristeza tamanha,
e tão fundo o silêncio – a acusar a luzerna
de altura e solidão – que, numa dor superna,
explode o luar, chovendo astros em pura sanha.

A treva insulta a luz indecorosa e nua…
e a vingança do luar é um punhado de estrelas,
e uma chuva de sóis é a vingança da lua.

Assim tua alma em dor tudo ao mundo suporta,
e, vingando-se, chora o perdão dessas velas
que brilham-te na face enregelada e morta.

17 julho 2017 FULEIRAGEM

SAMUCA – DIÁRIO DE PERNAMBUCO

17 julho 2017 A PALAVRA DO EDITOR

NÃO ESPERE 2018: VOTE AGORA!

Desperdice o seu precioso tempo e participe da nova Enquete Fubânica.

Vá aí do lado direito do JBF e dê o seu pitaco.

Uma excelente semana para toda aquele que tem a coragem de ler esta gazeta escrota!!!

17 julho 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

17 julho 2017 JOSIAS DE SOUZA

ESTE COLUNISTA TIRA FÉRIAS E PLANEJA UMA VIAGEM AO INFERNO

Você sabe que está ficando velho quando começa a ter saudades do tempo em que as cartas chegavam pelas mãos do carteiro. Hoje, considerando-se todas as caixas de entrada – e-mail, WhatsApp, Facebook, Twitter… – recebo mais de mil mensagens diariamente. Impossível ler tudo. Responder, nem pensar. Entretanto, duas mensagens me chamaram a atenção nos últimos dias.

Um apologista de Temer enviou-me algo muito parecido com um desafio: “Sabichão, você critica tudo. Candidate-se à Presidência! Terá o meu voto. Quero ver do que você é capaz. O Brasil decerto vai virar um paraíso sob a Presidência do Josias”

Uma admiradora de Lula e Dilma me mandou para o inferno. Pedi o endereço, já que a localização da morada do Tinhoso é uma questão teológica antiga e não resolvida. E ela me enviou para outro lugar: “Vai à…”

Embora convocado, não disputarei a Presidência. Se disputar, não pedirei dinheiro ao Joesley Batista. Se vencer, não tomarei posse. Se receber a faixa, não darei foro privilegiado a quem não merece. Temer já me negou três entrevistas. Soube que deixou de me ler. Não ganhará um ministério.

Quanto à tarefa dada pela leitora petista, embora pareça irrealizável, me esforçarei para realizá-la. Nas próximas duas semanas, estarei em férias. Planejo viajar para o inferno. Ainda não encontrei o endereço. Mas já soube que o caminho não está mais calçado apenas de boas intenções. Nos governos do PT, Asmodeu mandou a Odebrecht refazer o calçamento com dinheiro roubado.

Volto dentro de duas semanas.

17 julho 2017 FULEIRAGEM

THIAGO LUCAS – CHARGE ONLINE

PAULO FRANCIS, PROVOCADOR E POLEMISTA

Nascido no Estado do Rio de Janeiro no dia 02 de setembro de 1930, Franz Paul Trannin da Motta Heilborn, adotou o pseudônimo de Paulo Francis, por sugestão, à época, 1957, do ator, poeta, teatrólogo e diplomata Pascoal Carlos Magno, e com ele criou fama de polemista e provocador, na carreira de jornalista, crítico de teatro, diretor e escritor. Também escreveu para jornais, como Ultima Hora, O Pasquim, O Estado de São Paulo, A Folha de São Paulo, onde, durante muito tempo manteve a coluna O Diário da Corte, onde expunha suas opiniões com clareza, ironia, deboche e sarcasmo.

Com sua experiência de diretor, Paulo Francis notabilizou-se, em primeiro lugar, como crítico de teatro do Diário Carioca, entre 1957 e 1963, quando intentou realizar uma crítica de teatro que, longe de simplesmente fazer a promoção pessoal das estrelas do momento, buscava entender os textos teatrais do repertório clássico para realizar montagens que fossem não apenas espetáculos, mas atos culturais – nas suas próprias palavras, “buscar em cena um equivalente da unidade e totalidade de expressão que um texto, idealmente, nos dá em leitura […] a unidade e totalidade de expressões literárias”. Seu papel como crítico, à época, foi extremamente importante.

Paulo Francis foi o centro de diversas polêmicas e disenssão. Dizia que a ferocidade que seria a marca registrada de seus textos nasceu na infância. Aos 7 anos foi arrancado dos braços da mãe e atirado às feras de um internato na ilha de Paquetá. Atribuía todo o sarcasmo e agressividade a essa brutal separação, contou ao jornalista José Castello, colunista da Folha de São Paulo à época.

Ficou famoso o ataque – que ele mesmo classificaria mais tarde de “mesquinho, deliberadamente cruel” – à atriz Tônia Carrero que, por havê-lo acusado de “sofrer do fígado” e ser “sexy” – na gíria da época, homossexual – foi por ele acusada de haver-se prostituído e de mercadejar fotos de si mesma despida. Foi por isso agredido fisicamente duas vezes – pelo então marido da atriz, Adolfo Celi, e pelo colega de Tônia no Teatro Brasileiro de Comédia, Paulo Autran.

Em 1983, a sexualidade de Paulo Francis foi, mais uma vez, alvo de ataques e de insinuações. Ele criticou a entrevista que Caetano Veloso fizera com Mick Jagger, alegando que o roqueiro inglês zombou do entrevistador. Caetano respondeu, dizendo que Francis era uma “bicha amarga” e uma “boneca travada”.

No final da década de 1970, Paulo Francis lançou-se como romancista, tentando fazer uma crítica geral da sociedade brasileira através dos seus romances Cabeça de Papel (1977) e Cabeça de Negro (1979). Para essa crítica por meio da literatura, Francis aproveitou suas experiências pessoais dentro da elite cultural e social do Brasil e principalmente do Rio de Janeiro.

Clique aqui e leia este artigo completo »

17 julho 2017 FULEIRAGEM

MARIANO – CHARGE ONLINE


http://www.forroboxote.com.br/
BORBOLETAS E FLORES

Ao ver entre o céu e minha cabeça borboletas azuis, amarelas e de todas as cores e matizes veio-me à lembrança a dúvida que sempre tive: borboletas são flores que aprenderam a voar ou são as flores borboletas preguiçosas que preferem ficar no chão? Não importa. O bailar preciso e bonito desses voares me encanta desde sempre. Um corpo de baile coeso e colorido, um arco-íris voante a enfeitar o céu e a vida da gente. Me encantam as flores esvoaçantes nos céus do meu olhar do mesmo jeito que me enfeitiça a aquarela viva das borboletas com preguiça mágica seduzindo os jardins. Onde Deus se inspirou para criar tamanha beleza? Nas borboletas ou nas flores?

17 julho 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

17 julho 2017 DEU NO JORNAL

FESTIVO ENCONTRO ILEGAL DE MELIANTES DE GROSSO CALIBRE

Ao menos sete parlamentares do PT abandonaram o serviço em Brasília para ir a São Paulo participar do “lançamento da candidatura” a presidente de Lula, após o petista ser condenado a 9 anos e meio de cadeia por corrupção.

Passagens custam em média R$ 1 mil. Cada parlamentar ganha R$ 34 mil de salário, mas ainda assim repassam o custo das passagens aéreas para visitar Lula ao contribuinte.

A cota parlamentar já foi usada para bajular Lula após denúncia do Ministério Público.

As deputadas Benedita da Silva (PT) e Jandira Feghali (PCdoB) se deram folga na quinta-feira (13) e foram visitar Lula, o condenado.

Além de deputados, os senadores Gleisi Hoffmann, Lindbergh Farias, Paulo Rocha e José Pimentel também foram aparecer na foto.

* * *

Esta foto tá arretada.

O grupo que cerca Lapa de Mentiroso constitui um time de altíssimo calibre corrupcional-mentirístico-bostoso.

Coisa de 13ª qualidade!!!

Vou emoldurar o flagrante e colocá-lo na minha parede de recordações surrealísticas banânicas.

Saber que fomos governados por esta cambada por mais de uma década enche meu peito de orgulho cívico-lacrimal.

E vamos celebrar o encontro ilegal da rataria petêlha, para “lançamento de candidatura” antes da data prevista em lei – de um réu já condenado à prisão pela justiça -, com uma linda música:

17 julho 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

FRASES POÉTICAS DE ADÉLIA PRADO

“Deus de vez em quando me tira a poesia e eu olho pedras e vejo pedras mesmo…”

“Eu quero depois, quando viver de novo, a ressurreição e a vida escamoteando o tempo dividido, eu quero o tempo inteiro.”

“Pior que medo de alma do outro mundo é o medo da alma do outro.”

“É verdade, experimento o ruim e acho que o mundo desabou.”

“Tudo aquilo que a memória amou já ficou eterno.”

“Eu ponho o amor no pilão com cinza e grão de roxo e soco. Macero ele, faço dele cataplasma e ponho sobre a ferida.”

“A gente tem sede de infinito e de permanência, então, esse ser que assegura a permanência das coisas, é que eu chamo de Deus. É o absoluto.”

“O amor me fere é debaixo do braço, de um vão entre as costelas, atinge o meu coração é por esta via inclinada.”

“Era raiva não. Era marca de dor.”

“Um corpo quer outro corpo, uma alma quer outra alma e seu corpo. Este excesso de realidade me confunde.”

“Beleza não é luxo. É uma necessidade!”

“Se pudesse, hoje, varria, isso mesmo, varria as pessoas todas com vassoura, como se fossem ciscos.”

“Há sempre uma razão, embora não haja nenhuma explicação.”

“Quanto a mim, dou graças pelo que agora sei e, mais que perdôo, eu amo.”

“Dor não tem nada haver com amargura. Acho que tudo que acontece é feito para a gente aprender cada vez mais, é pra ensinar a gente a viver. Desdobrável. Cada dia mais rica de humanidade.”

“Não quero faca, nem queijo. Quero a fome.”

“Estremecerei de susto até dormir, e no entanto é tudo tão pequeno. Para o desejo do meu coração, o mar é uma gota.”

“Minha mãe achava estudo a coisa mais fina do mundo. Não é. A coisa mais fina do mundo é o sentimento.”

“O transe poético é o experimento de uma realidade anterior a você. Ela te observa e te ama. Isto é sagrado. É de Deus. É seu próprio olhar pondo nas coisas uma claridade inefável. Tentar dizê-la é o labor do poeta.”

“Fui dormir umas vezes tão feliz, que, se soubesse minha força, levitava. Em outras, tanta foi a tristeza que fiz versos.”

* * *

Adélia Luzia Prado de Freitas nasceu em 1936 em Divinópolis – MG, onde cresceu e se educou. Formou-se em Filosofia e trabalhou como professora. Em 1971, publicou o livro de poemas “A Lapinha de Jesus”, junto com Lázaro Barreto. Cinco anos depois foi que publicou sozinha seu primeiro livro, “Bagagem” (1976), revelando uma artista de extrema originalidade e lirismo. Publicou depois “Coração Disparado” (1978), coletânea que trouxe a consagração merecida, trazendo-lhe o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro de São Paulo. Seus textos literários retratam o cotidiano com perplexidade e encanto, norteados pela fé cristã e permeados pelo aspecto lúdico, uma das características de seu estilo único.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa