31 agosto 2017 A PALAVRA DO EDITOR

OREMUS

No dia de hoje está se completando exatamente um ano que Michel Miguel Elias Temer Lulia assumiu o governo de Banânia.

Lula o escolheu pra ser vice de Dilma pela seu lindo sobrenome: Lulia.

Também no dia de hoje acaba o mês de agosto.

Já se passaram 243 dias deste ano de 2017 e faltam apenas 122 para o seu término.

Repito a invocação latina que antigamente se usava na hora de celebração da missa católica: 

Oremus!

31 agosto 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

QUANDO SETEMBRO CHEGAR…

De vez em quando parece-me que regressei ao passado. Olho a televisão e vejo as mesmas notícias de ontem, do ano passado, de dez anos atrás.

Prestando melhor a atenção mudaram alguns personagens, outros continuam os mesmos, talvez um pouco mais velhos, mas tão velhacos quanto outrora. Sim, mudaram alguns personagens, mas o roteiro, o enredo e o picadeiro continuam os mesmo. E pior, os palhaços, que somos nós, pobres eleitores/espectadores continuamos sentados tristemente.

Nenhum sorriso, nenhuma alegria! Só frustração, decepção e desencanto em todos os níveis do desgoverno. Os mesmos safados (e mais alguns novos sem-vergonhas) querendo nos enrabar, os mesmo vagabundos nos roubando, os mesmos cínicos mentirosos.

É o bandido que rouba e diz que é vítima da sociedade!(?) É o servidor público que não serve ninguém além dele mesmo e, só pensa em direitos. É o jovem que não estuda, não trabalha e não quer estudar ou trabalhar. Acha que seu precioso tempo deve ser dispendido com coisas uteis ou serão fúteis? Na opinião deles (da geração NEM-NEM) útil provavelmente é brincar de Black block enquanto fuma um baseado.

É o politicamente correto me execrando, me tratando como um criminoso, só porque sou sincero ou não concordo com a baboseira que ‘eles’ pregam. E o pior é que são uns chatos, de galochas. Só ‘eles’ é que respeitam os outros, só ‘eles’ é que sabem o que é melhor para a sociedade.

Não coma isto! Engorda! Faça exercícios! Não coma aquilo, pois maltratou um pobre animalzinho para fazer! Não beba! Use protetor solar! Seja vegano! Sorria! Não tenha preconceitos! Aceite Marx! Proteste contra o Governo golpista! Vote em Lula! Admire os homossexuais! Defenda a liberação das drogas! Dê a bunda!

Vão se fu…Catar! Eu detesto que me digam o que fazer!

Meu prato predileto é um só: o prato cheio!

ADORO carne! Churrasco, bife e assado. Estou cag… e andando para o pobre animalzinho que ali está servido em meu prato. Minto! Admiro este ‘animalzinho’ e lhe serei muito grato, exatamente por estar em meu prato. Inclusive vou homenageá-lo comendo-o todo!

Bebo sim. Bebo, pago minha bebida com meu trabalho. Quando bebo não dirijo e não fico chato, sou maior e posso tomar meus tragos. Não uso protetor solar. Acho que ser vegano ou vegetariano é coisa de veado desocupado.

O cara pode ser o que quiser é só não encher meu saco!

Marx foi um fdp, vagabundo e inútil. Aplicar a constituição e tirar uma corrupta incompetente do poder não é golpe! Greve é coisa de servidor público vagabundo.

Sorrio para que eu quero! Nunca votei ou votarei no Lula ou no PT, prefiro o suicídio.

Liberar as drogas é uma ideia idiota, só vai destruir mais rapidamente nossa sociedade. Sociedade que aliás já está a um passo da destruição com estas ideias idiotas do politicamente correto.

Em minha opinião bandido só deve receber três coisas da sociedade: porrada, chumbo e cana-dura.

Não admiro veado. Aliás, não gosto de homem, nem macho nem veado. Respeito à opção e, suporto, aqueles com quem convivo!

Gosto é de mulher, de xibiu, de carne mijada. Quanto a ideia de dar a bunda, dê a sua e não encha meu saco!

Está é minha revolta quanto ao Brasil hoje. O país virou uma zona pior do que sempre foi e agora está ficando chato e repetitivo.

Não que a zona seja novidade. Se lermos os Bruzungandas de Lima Barreto (escrito no inicio do século XX) ou FEBEAPÁ do Stanislaw Ponte Preta (escrito nos anos 1950) pensaremos estar lendo o jornal de hoje. A putaria é cíclica e parece que não vai mudar.

Talvez porque a política, o Governo e o Congresso Nacional reflitam verdadeiramente a média do povo brasileiro. Talvez esta zona seja apenas um reflexo no espelho de quem somos. E se for isso, bom ai não tem jeito. Ninguém foge do que realmente é.

Esperemos que não! Esperemos que a sujeira que turba nosso país seja apenas reflexo da putrefação daqueles que nos desgovernaram. E dos intelectuais e ricos que os alentaram e apoiaram. Pois sem estes intelectuais e sem o dinheiro dos poderosos esta escumalha já teria sido varrida do Brasil.

Esperemos também que o futuro não nos reserve uma Venezuela nos braços de Lula ou de outro salvador da Pátria. Esperemos um país que no futuro embale com um Estado enxuto, com bons políticos, com excelentes e poucos (apenas os essenciais) serviços públicos. Esperemos um país que no futuro não nos assalte diariamente cobrando impostos escorchantes.

Aliás, lia outro dia Olavo de Carvalho (não o faço todos os dias, não se preocupem) quando este perguntou qual a diferença entre pagar impostos no Brasil e dar a bunda (ou algo assim). Um gaiato respondeu que ao dar a bunda pelo menos você recebe algo em troca.

É mais ou menos assim que o brasileiro trabalhador e honesto se sente. E em Brasília só conchavos, Fufucas, propinas, maracutaias para abafar a Lava-jato e a tal reforma política que nunca sai.

E Lula, o criminoso, andando pelo Nordeste, cuspindo na cara da justiça. Cometendo outros crimes, como o de campanha antecipada ou crime ambiental ao derrubar uma palmeira imperial. E ninguém faz nada.

Já pensaram que nós é que pagamos a conta disto. O sem caráter do apedeuta passeia com passagens pagas por nós, a Dilma vai junto e quem paga seus deslocamentos e seguranças, como ex-presidentes? Nós. Quem paga os comícios e carreatas? Nós, pelo fundo partidário e com dinheiro dos desgovernos nordestinos, que não tem caixa para pagar uma escola decente para o povo mas jogam dinheiro na carreata de Lula.

E Lula abraçado em Renan, agradecendo Sarney! Como diria Aparicio Torelly (O Barão de Itararé): ‘Diga-me com quem andas e te direi se vou junto’. Eu certamente não irei!

Nem o povo nordestino vai junto. A julgar pelo vazio da caravana, nem cachorro magro segue Lula pois sabe que dali não vai sair nem mortadela. Só o acompanham os cada vez mais escassos sindicalistas e militantes. E estes deveriam acompanhá-lo na prisão, deveriam ser presos junto.

E nós aqui, na mesma m…

Espero que setembro chegue alvissareiro. Com a reforma política decente sendo discutida. Com a nova PGR denunciando a corja do PT, Lula e Dilma (material ela tem). Com a reforma da previdência sendo aprovada.

Esperança é a última que morre! Ou pelo menos um alento na desilusão!

Setembro chega e com ele a possibilidade da condenação e prisão de um crápula: José Dirceu. Tomara que ocorra, pelo menos será um alento neste deserto desesperador!

Até lá só nos resta esperar Setembro chegar e com ele chegue um Brasil melhor.

E que me chegue junto um pouco de ânimo para aguentar a chatice cíclica deste país!

31 agosto 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Berto

Só quem entende de Enologia é capaz de explicar.

Os portugueses tem um sério problema na hora de escolher nome de vinho.

Veja só:

R. Vôte!

“Força no Pau”???

Danô-se!

“Finca la Pica”???

Arre égua!

Este portugueses botam cada nome da porra nos vinhos que fabricam.

Vendo esta foto que você nos mandou, eu se alembrei-me de um mimo que ganhei do colunista fubânico José Paulo Cavalcanti, ilustre jurista brasileiro.

Ele me trouxe de Lisboa uma garrafa de bebida por nome de Curvada de Velha.

Isto mesmo: Curvada de Velha.

E a explicação do nome estava no formato da garrafa: o gargalo era curvado mesmo!

Veja:

Confira aí na foto que o precioso líquido não acabou. Tem ainda uns dois dedos.

A abstinência compulsória que me foi imposta pelo meu cardiologista impede que eu cumpra esta prazerosa tarefa de esvaziar a garrafa.

A bebida é assim identificada no rótulo: “aguardente vínica velha“.

Aguardente vínica… Só falta mesmo aparecer um “vinho aguardentifero“.

Na embalagem do presente que José Paulo me deu, havia um verdadeiro prefácio, informando que a Curvada de Velha “é proveniente da cuidada destilação de vinhos de qualidade e estagiou em cascos de carvalho Limousin durante 15 anos“.

É mole ou quer mais???

31 agosto 2017 FULEIRAGEM

ED CARLOS – CHARGE ONLINE

31 agosto 2017 A PALAVRA DO EDITOR

A HISTÓRIA SE REPETIU

Nosso estimado fubânico Jesus de Rita de Miúdo assina neste JBF a coluna “Conversa em Glosa, Rima em Prosa“.

Jesus é um PP (Poeta da Porra), que costuma nos presentar com glosas magistrais e excelentes textos.

Pois esta semana um conterrâneo de Jesus, um fuxiqueiro lá do Rio Grande do Norte, me presentou com uma foto interessante. 

Uma foto que ele capturou na internet.

Segundo o fuxiqueiro, a foto é de 2005, quando Jesus “tinha 18 quilos a menos de peso e tinha 18 quilos a mais de ilusão“.

A ilusão era pelo fato de, naquele tempo, Jesus ser eleitor de Lula.

Uma deformação de caráter que, felizmente, o nosso querido colunista curou e, hoje em dia, esclarecido e bem informado, exercitando diariamente o uso da razão, renega com veemência o seu passado vermêio-istrelado.

Na foto, o fubânico Jesus aparece entre Lula e o deputado federal petista Vicentinho.

Vejam que lindo:

E, sobre a foto, o fuxiqueiro escreveu o seguinte:

“Se acontecesse um acidente no momento em que a foto foi feita, o teto caísse, entrasse um atirador do Estado Islâmico, explodisse o gás… a história se repetiria: Um Jesus morreria entre dois bandidos”.

Pronto, seu cabra difamador: o fuxico está publicado nesta gazeta escrota e será lido em toda Banânia.

E também em várias partes do mundo.

Eu só quero mesmo é ver o que Jesus vai dizer. 

31 agosto 2017 FULEIRAGEM

MICHELÂNGELO – CHARGE ONLINE

31 agosto 2017 JOSIAS DE SOUZA

NOVA DENÚNCIA ANTI-TEMER REACENDE CHANTAGEM

31 agosto 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

O BRASIL ESTÁ FODIDO COM FUFUCA PRESIDENTE

Comentário sobre a postagem FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

Jesus de Ritinha de Miúdo:

“Bom, lá vai um mote no melhor estilo Glosa Fescenina:

O BRASIL ESTÁ FODIDO
COM FUFUCA PRESIDENTE

O povo arrependido
Porque não sabe votar
Acabou de constatar
O BRASIL ESTÁ FODIDO.
Completamente falido
Em estado deprimente
Onde o pior ambiente
É a casa dos de-puta-dos
Mais de quinhentos safados
COM FUFUCA PRESIDENTE.

Recheado de bandido,
De corruto e de ladrão
Andando na contramão
O BRASIL ESTÁ FODIDO.
Um país todo vendido
Um Congresso delinquente
Mal representando a gente
Bando de fela-da-puta
Uma chusma má-conduta
COM FUFUCA PRESIDENTE.

* * *

André Fufuca, Presidente Interino da Câmara dos Deputados: “Só tem poeta porreta neste JBF!”

31 agosto 2017 FULEIRAGEM

MÁRIO – TRIBUNA DE MINAS

MAIS UM CONFISCO

Cristovam Buarque, no seu “A Conspiração Próspero 1984”, disse que Uma conspiração perfeita é uma conspiração em que a própria descoberta da conspiração faça parte da conspiração. Não é o caso dessa de agora, em Pernambuco. Não tão sutil. Dura. Envergonhada. Uma conspiração apenas para transferir, ao caixa do governo, recursos de terceiros. Privados. Apropriação indébita, sem dúvida. Conduta mais própria do Código Penal.

Por essa conspiração, até 75% de recursos financeiros depositados no Tribunal de Justiça, decorrentes de ações em que Estado e agregados sejam parte; e até 20% de depósitos privados (litígio de José contra João, por exemplo), vão passar às mãos do Estado. Para pagar precatórios, é o que se diz. Será mesmo, no mundo real? Só Deus sabe.

Por que particulares, em vez de pagar valores questionados pelos poderes públicos, preferem depositá-los em juízo? Por uma razão evidente. É que não confiam no Estado. E com toda razão. Se perdem a ação, esses recursos vão afinal para os cofres públicos. Só que, ganhando, os levam de volta para casa. Sem mais esperas. Nem riscos. E não se trata só desses recursos. Os que o Estado deposita para pagar desapropriação, e afins, também. Finda essas ações, as partes recebem os recursos. E se, depois dessa tunga, já não houver grana para pagar? Como ficamos?

Tanto mais grave é que, um a um, nossos Estados estão quebrando. Pernambuco também, algum dia, talvez. Se faltarem esses recursos, quem vai garantir o contribuinte? Justificativa é que os recursos estão parados. Sem uso. Só mesmo rindo. Que o dinheiro não é do Estado. Se o argumento valer, também não têm uso boa parte dos depósitos bancários à vista da população. Em pouco, vão querer apropriá-los. Se não o Governo daqui, será o de Brasília. Sob a mesma desculpa. Caso necessário, o Estado repõe. Mas e se não houver recursos para isso?

Mais grave é que o Supremo já se pronunciou sobre essa questão. Em favor dos contribuintes. E contra os Estados. Por considerar se tratar de modalidade de empréstimo compulsório. Qualificável, na prática, como confisco. É só consultar as Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADI) números 5.072, 5.353, 5.365 e 5.392. Com decisões já tomadas, nesse sentido, pelos Ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes, Rosa Weber e Teori Zavascki.

Em resumo, então, melhor seria resistir à tentação de promover confiscos desse tipo. Melhor fazer uma conspiração do bem. Que é cumprir a lei. Bem mais sensato. E mais democrático.

CHESF. A CHESF já foi desmontada. Emagrecida. Transferida à Eletrobrás. E perdeu qualquer chance de manter seu papel de protagonista, no desenvolvimento. Nem incentivos à Cultura se faz mais por aqui. O que é ruim para o Nordeste. Muito ruim. Péssimo. Só que isso tudo se deu não agora, mas no governo Dilma (MP 579/2012). Que destruiu todo o sistema elétrico nacional. Sob o silêncio cúmplice de (quase) todos os que hoje fazem Frentes, e discursam, e protestam ruidosamente contra sua privatização. Às vésperas das eleições de 2018. Vai ver é só coincidência. Deveriam ter protestado antes. Mas preferiram calar. O que uma eleição não faz… É engraçado.

31 agosto 2017 FULEIRAGEM

CAZO – COMÉRCIO DO JAHU (SP)

UM PECADO A MENOS

Lula confirma que prefere receber em apartamentos, sítios, viagens em jatinhos e dinheiro vivo

“Eu tinha 13 anos e nunca roubei uma maçã, com medo de envergonhar minha família. Agora eu não iria envergonhar milhões de vocês”.

Lula, pelo Twitter, jurando que nunca roubou maçãs.

31 agosto 2017 FULEIRAGEM

THIAGO LUCAS – CHARGE ONLINE

TRÊS AÇÕES AVACALHATIVAS

Meu cumpade e Papa Berto I

É de perplexidade o assunto.

Numa única semana, vi, nas redes sociais e no noticiário de TV, pelo menos três ações avacalhativas, que me deixaram perplexo e até pensar estar sofrendo da bola.

Uma foi a do Deputado Fufuca. A primeira vez que viçou, cruzou logo com o touro da presidência da Câmara.

Êita pau!

Outra foi a intenção esbaforida do governo, de rever leis ambientais em reservas de floresta, área indígena e de mineração, tudo ao sabor dum vexame, como diz o matuto, que não tinha vexame. Esta, (por enquanto), questionada pela justiça e pelo povo.

Como diria Reinivaldo “o Crente”: tem ciênça nesse pé de pau!!

A terceira, uma de derrubar o queixo, e, brilhantemente relatada por José Paulo Cavalcanti, na crônica: “Minha terra tem palmeiras”; foi de quando a motosserra roncou, bem dizer, na mão de um partido que se diz ético, esquartejando uma palmeira adulta, pra passar com um trio elétrico que Deus o livre.

Tenho um poema chamado “Coco do pé de manga”, do livro Papel de Bodega que diz:

As mangueiras tão de luto
E as mangas de sentimento
Derrubaram um pé de manga
Pra fazer um apartamento.

Pergunto, por que não:

As palmeiras tão de luto
E as árvores de sentimento?

Confiram uma versão pedagógica da garotinha Heloísa, de 10 anos da cidade de Areia-PB, cantando de pandeiro na mão.

Recebi este vídeo do cumpade e cantador Vital Farias.

31 agosto 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – O LIBERAL (PA)

31 agosto 2017 JOSIAS DE SOUZA

CONGRESSO TEM NOITE DE BAR: “NÃO SOU NEGA SUA”

Além da falta de ética, a política vive uma crise de compostura. Isso ficou evidente na sessão noturna do Congresso Nacional, nesta terça-feira. O plenário viveu uma noite de boteco. Não um botequim qualquer. Um bar de quinta categoria. O tratamento cerimonioso de ‘Vossa Excelência’ perdeu o sentido. No calor da confusão, uma Excelência era vista por outra como um biltre. E vice-versa. A certa altura, Eunício Oliveira, presidente do Senado e do Congresso, dirigiu-se com a sobriedade de um ébrio a um deputado que o interpelava: “Baixe os dedos, não sou nega sua!”

A sessão reuniu deputados e senadores no plenário da Câmara, que é maior do que o do Senado. Destinava-se à análise de vetos de Michel Temer. Nas sessões ordinárias da Câmara, só com deputados, já é grande a confusão. Com o acréscimo dos senadores, aí mesmo é que a atmosfera conspira a favor das ofensas e dos empurrões, não de decisões sensatas. Os parlamentares ficam em pé, na frente da mesa. É como se não dispusessem de poltronas.

A encrenca começou quando o líder do PDT, Weverton Rocha (MA), pediu a palavra para formular uma ”questão de ordem”. Para usufruir um pouco mais do microfone, ele requisitou o tempo destinado aos líderes, que é mais elástico. Presidia a sessão o segundo vice-presidente do Senado, João Alberto Souza (PMDB-MA). Conspiração dos astros! Os dois são rivais na política maranhense. Weverton é da tribo do governador Flavio Dino (PCdoB). João Alberto é um seguidor devoto do clã Sarney. E a Câmara virou uma espécie de quintal de São Luís.

João Alberto deu de ombros para a solicitação de Weverton, que o acusou de censurá-lo. Outros deputados de oposição solidarizaram-se com o líder do PDT. Grita daqui, empurra dali, Eunício Oliveira (PMDB-CE) acomodou-se na poltrona de presidente. Desatendido, Weverton jogou um exemplar do regimento interno na direção da Mesa. Um grupo de parlamentares marchou em direção a Eunício, para cobrar respeito ao regimento. Agentes da Polícia Legislativa do Senado fizeram um escudo humano para proteger o mandachuva do Congresso da ira dos congressistas.

Eunício suspendeu a sessão por dez minutos. Na volta, com os ânimos menos exaltados, afirmou não ter medo de gritos, agressões ou cara feia. O deputado Silvio Costa (PTdoB-PE) disse não ter duvida de que o presidente do Congresso não teme cara feia. Do contrário, disse ele, Eunício não suportaria olhar seu próprio reflexo no espelho. O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) acusou Eunício de trazer do Senado agentes armados, para “intimidar” os deputados. Coube à senadora Ana Amélia (PP-RS), gaúcha como Pimenta, sair em defesa colega.

Segundo Ana Amélia, os seguranças não fizeram senão assegurar a ordem. Ela recordou uma cena ocorrida no início de julho. Um grupo de senadoras, sob a liderança de Gleisi Hoffmann (PR), presidente do PT de Paulo Pimenta, ocupou a Mesa do Senado. As sublevadas atrasaram por quase oito horas a votação da reforma trabalhista de Michel Temer. Eunício chegou a cortar a luz do plenário. “O Brasil inteiro se deparou com a cena dantesca”, enfatizou Ana Amélia.

Numa época em que congressistas trazem códigos de barras na lapela e comercializam seus votos à luz do dia, as confusões do plenário apenas adicionam à crise moral elementos de uma crise de compostura. A diferença entre o boteco e o Congresso é que na mesa de bar os bêbados pagam do próprio bolso a bebida que entorta a prosa. No Legislativo, é o Tesouro Nacional que financia tudo – do salário ao cafezinho. No botequim, de resto, o álcool sai na urina. No Congresso, se os resíduos verbais fossem concretos, não haveria esgoto que bastasse.

31 agosto 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa