5 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

É RATO QUE SÓ A PESTE NO BALAIO PETROLÍFERO

O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, denunciou ao Supremo Tribunal Federal os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, os ex-ministros Antonio Palocci Filho, Guido Mantega, Edinho Silva e Paulo Bernardo, a senadora Gleisi Hoffman e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto pelo crime de organização crimonosa.

A denúncia, no âmbito da Operação Lava Jato, foi oferecida dentro de inquérito que apura a organização criminosa montada pelo PT para desviar dinheiro da Petrobras.

* * *

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

VERONEZI – GAZETA DE PIRACICABA (SP)

5 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

USO INDEVIDO DE IMAGEM: CERTAMENTE A ESPOSA NÃO SABE DISTO

O canal GloboNews está anunciando para o próximo dia 9, sábado, um documentário sobre o grande ator brasileiro Antonio Pitanga. (Clique aqui para ver a chamada)

Este canal, como o nome já está dizendo, é de propriedade da Rede Globo, aquela televisão golpista e reacionária.

A esposa de Antonio Pitanga, a deputada petista Benedita da Silva, com certeza não está sabendo que esta emissora, símbolo maior da grande mídia direitista de Banânia, produziu este documentário.

Produziu e vai colocá-lo no ar. No horário nobre do final de semana, para todos os cantos do país, norte a sul, leste a oeste.

Tenho certeza que ela não sabe de nada porque, até o presente momento, Benedita não se pronunciou sobre o assunto, não emitiu nenhuma nota condenado o programa que vai ser apresentado. Condenando o programa e também a intensa divulgação que a GloboNews vem fazendo nos últimos dias.

Com absoluta certeza ela não aprova o fato de seu marido estar sendo tema de reportagem nesta emissora retrógrada.

Quem quiser alertar a nobre parlamentar sobre esta sacanagem – o seu marido sendo estrela na Globo -, é só mandar uma mensagem para ela, aconselhando-a a protestar com veemência sobre esta sacanagem que a emissora está fazendo com o seu amado.

Quem quiser alertar a nobre parlamentar, é só clicar no endereço eletrônico abaixo:

A deputada Benedita, carinhosamente chamada de “Visão da Meia-Noite” pelos seus amigos, ao lado do marido, o astro da Globo Antonio Pitanga

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

SÓ NO BRASIL

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

LUSCAR – CHARGE ONLINE

5 setembro 2017 PERCIVAL PUGGINA

IDEOLOGIA DE GÊNERO, O EMBUSTE FINAL

Há alguns dias, na apresentação do programa Estúdio I (GloboNews), a jornalista Maria Beltrão entrevistou um casal que decidiu atribuir nome neutro a seu bebê, a quem não tratam como menino ou menina, para que a “identidade sexual” da criatura venha a ser resultado de escolha ou escolhas a fazer no futuro. Durante um bom quarto de hora ambos discorreram sobre o tema, estimulados pela entrevistadora, enquanto esta e demais membros do colegiado opinativo intercalavam expressões de admiração e reverência àquela notável efusão de sabedoria e responsabilidade parental. A ninguém ocorreu perguntar que tipo de escolha pode fazer quem sequer sabe o que é porque não lhe é permitido saber.

Impossível desconhecer a existência, no Ocidente, de uma articulação para impor as teses da ideologia de gênero através, principalmente, da comunicação social e do sistema de ensino, mirando de modo resoluto e implacável a população infantil. A ideologia de gênero já integra o patrimônio vitorioso do “politicamente correto”. Quem vê equívoco no que aquela dupla está fazendo com o bebê, acolhe imediatamente os adjetivos homofóbico, sexista, machista e preconceituoso.

No ano passado, a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, motivada pela apresentação do projeto de lei da Escola Sem Partido, emitiu uma Nota Técnica sustentando a inconstitucionalidade do projeto. Nela se lê:

“O que se revela, portanto, no PL e no seu documento inspirador é o inconformismo com a vitória das diversas lutas emancipatórias no processo constituinte: com a formatação de uma sociedade que tem que estar aberta a múltiplas visões do mundo; com o fato de a escola ser um lugar estratégico para a emancipação política e para o fim das ideologias sexistas – que condenam a mulher a uma posição naturalmente inferior, racistas – que representam os não-brancos como os selvagens perpétuos, religiosas – que apresentam o mundo como a criação dos deuses, e de tantas outras que pretendem fulminar as versões contrastantes das verdades que pregam”.

A procuradora federal que assina essa nota técnica, Dra. Deborah Duprat, em debate com o Dr. Miguel Nagib, do Escola Sem Partido, afirmou textualmente: “Ademais, essa percepção equivocada de que a criança pertence à família; que a família tem um poder absoluto (!) sobre a criança – isso não é verdade. A constituição diz que a criança é um problema (?) da família, da sociedade e do Estado. A criança recebe educação na família, mas precisa ser preparada para o espaço público”. A construção do espaço público tem uma arquitetura bem clara na mente da Dra. Deborah e ela não admite divergência. Quando a lei federal removeu a ideologia de gênero da Base Nacional Curricular Comum, os burocratas do MEC tentaram impô-la às unidades federadas através de ato administrativo. Mas se fazia necessária a aprovação pelas Assembleias Legislativas e Câmaras de Vereadores. E quando os legislativos começaram a derrubar a proposta, a Dra. Deborah voltou à carga requerendo ao PGR Rodrigo Janot que questionasse junto ao STF a constitucionalidade dessas leis locais restritivas.

O que a jornalista Maria Beltrão e seu colegiado opinativo politicamente correto desconhecem, escudados pela Dra. Débora Duprat (que conhece bem) é que a ideologia de gênero serve-se de algumas minorias, para a ruptura marxista da ordem familiar. A ideologia de gênero é, então, meramente instrumental. O roteiro vai adiante com sua substância política, deixando para trás seres humanos cuja identidade – logo ela – vira uma torre de Babel sempre em construção. Não sei o que mais possa ser adulterado, depois disso, para aprofundar a desumanização do humano.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

MICHELÂNGELO – CHARGE ONLINE

5 setembro 2017 DEU NO JORNAL

COMO GEDDEL JUNTOU DINHEIRO

Miguezim de Princesa

I
Quando arrombou o imóvel
De Geddel em Salvador,
O agente da Polícia
Foi tomado de um torpor:
– Nós entramos foi num banco! –,
Disse ele no corredor.

II
Havia grana em toda parte,
Do telhado até o chão,
Uma cortina foi feita
Com a quantia de 1 milhão
E o papel de se limpar
Seguia o mesmo padrão.

III
Testemunhando os trabalhos,
Convocaram João Tenente,
Que conhecia Geddel
Desde quando era carente:
Juntou dinheiro tomando
De quem via pela frente.

IV
Ele explicou à Polícia
Que Geddel é cheio de manha:
Enganou quem frequentava
Aquele clube lá da Espanha
E afanou uma rapariga
Na Ladeira da Montanha.

V
Furtou a bacia de um cego
Na Ladeira de São Bento,
Assaltou um aleijado
Na esquina do convento
E despojou Carga Torta
Do único bem: um jumento.

VI
Não gostava de gastar
Desde os tempos do Cruzeiro,
Fazia como Tio Patinhas
De um jeito bem prazenteiro:
No dia que estava triste,
Se deitava no dinheiro.

VII
Guardava dinheiro em malas,
Em travesseiro e colchão,
Tinha um pacote de notas
Escondido num caixão
Que ele tomou de uma velha
Numa visita ao Sertão.

VIII
De tanto tomar do povo,
Geddel foi se acostumando:
Quanto mais ele tomava,
O prazer ia aumentando,
E ele, sem gastar nada,
Uma fortuna ia juntando.

IX
Desde os tempos de ACM,
Passando em FHC,
Tendo seu cartaz em alta
No governo do PT,
Geddel se achou imbatível
Na arte de enriquecer.

X
Só que veio a Lavajato
Pôr ordem no cabaré:
Na esquerda ou na direita,
Não tem mais querrequequé,
Roubou é investigado,
Finda preso e algemado,
Não fica um corrupto em pé!

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

5 setembro 2017 DEU NO JORNAL

DINHEIRO NA CAIXA

A Polícia Federal encontrou, nesta terça-feira (5), uma grande quantidade de dinheiro em apartamento que é utilizado por Geddel Vieira Lima em Salvador.

O ex-ministro cumpre prisão domiciliar na Bahia.

* * *

Havia dinheiro em várias caixas no apartamento de Geddel.

A imprensa publicou fotos fantásticas, nas quais aparecem lindíssimas notas de 100 reais.

Uma imagem de encher os olhos e os bolsos.

Caixas cheias de dinheiro roubado da Caixa: uma visão enriquecedora

Trata-se de uma ocorrência perfeitamente coerente com o fato de ter sido este corrupto diretor da Caixa Econômica Federal.

Nomeado por Dilma.

Tinha mesmo que guardar em caixas o dinheiro roubado da Caixa.

Esta descoberta da Polícia Federal faz parte justamente de uma investigação sobre ladroagens petrálhicas na liberação de créditos no banco estatal.

Na base do “te libero o dinheiro e tu bota um pixuleco no meu bolso“. Ou melhor, na minha caixa.

Fora isto, Geddel foi ministro de Temer.

Ou seja: ele tem uma folha corrida de altíssimo nível pra exercer qualquer tipo de guabirutagem nesta república banânica.

Um candidato a governador que recebeu o apoio de comparsas altamente qualificados

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)

SURTO DE LUCIDEZ

A mais de 16.000 quilômetros de distância, Temer deixa o brasileiro mais esperançoso

“O Brasil que vai agora à China é um país mais confiante”.

Michel Temer, num artigo publicado no Estadão, reconhecendo que quando o presidente da República viaja para o exterior o Brasil fica um pouco melhor.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

ESSES INCRÍVEIS MÚSICOS E SEUS MARAVILHOSOS INSTRUMENTOS

Os músicos e seus instrumentos:

* * *

01 – Cabeça Inchada – (Hervé Cordovil) – Poly e Seu Conjunto – 1960

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


02 – No Rancho Fundo – (A.Barroso/L.Babo) – Zé da Velha & Silvério Pontes – 1995

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


03 – Revendo o Passado – (Freire Júnior) – Jacob do Bandolim – 1956

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


04 – Pisando Corações – (A.Silva / E.Campos) – Alberto Calçada e Seu Conjunto – 1962

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


05 – Jura – (Sinhô) – Pedrinho Mattar – 1981

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


06 – Cidade Maravilhosa – (André Filho) – Ely Arcoverde & Conjunto – 1963

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


07 – Flor Amorosa – (Catulo P.Cearense/J. Callado) – Altamiro Carrilho – 1977

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


08 – Sons de Carrilhões – (João Pernambuco) – Dilermando Reis – 1960

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


09 – Canta Cigarra – (Zequinha Torres) – Fred Williams – 1959

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


10 – Os Cinco Companheiros – (Pixinguinha) – Paulinho da Viola – 1976

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


11 – Ontem ao Luar/Luar do Sertão – (Catulo P.Cearense/P.Alcântara) – Paulinho Nogueira – 1976

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


12 – Balanço Zona Sul – (Tito Madi) – Raul de Souza – 2008

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


13 – Você – (Mario Albanese/Heitor Carillo) – André Penazzi & Conjunto – 1963

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


14 – Índia – (J.A.Flores/M.O.Guerrero) – Luís Bordón – 1959

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


15 – Meu Prelúdio – (W.Azevedo) – Waldir Azevedo – 1963

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


16 – É Fácil Dizer Adeus – (Tito Madi) – Sidney com Astor e Orquestra – 1961

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

O TEMPO, O HOMEM, E O SILÊNCIO…

Os maiores limites do corpo são o tempo e a posse da coragem, e o maior desafio da alma é convencer o “eu” humano que se pode vencer tais obstáculos. O primeiro, através da inspiração que protagoniza a esperança de haver um sentido maior para a existência e o mundo; o segundo, através da fé que robustece a força sediada na mente. Desses alimentos vivem: a pessoa que respira, a arte que supera e a própria razão das coisas que realizamos contra os absurdos.

Nos dias desse ringue temporal nossa luta é nas cordas, acuados. Pugilista de golpes baixos, adversário que avança célere contra o corpo, o rosto e o espírito mundano que nos move pela vida afora, o tempo – que tem contrato assinado com a certeza- só respeita mesmo a sabedoria, ainda que sempre tentando dar uma de esquecidinho em relação a ela…

Nem o gongo intercede, acalma seu desatino. Cercados por todos os lados, marcados, surrados, a luta é inglória e o que ressoa é destino. Aliás, quando acaba a contagem é-nos tarde, um não mais levantar, um repique de sino e aviso: aqui jaz.

Mas a história da humanidade é a história da superação diária da melancolia, a luta para seguir adiante contra a saudade antecipada, a certeza do fim. O maior edifício humano é o horizonte invisível aos olhos que nós sempre divisamos por alcançar, essa estrada que nunca acaba. Aqui, perder-se da fé é esmorecer na coragem, desistir da esperança. Nosso melhor ponto de chegada é prosseguir…

Não há erro em afirmar o tempo como concessão da eternidade, pois absolutamente certo é que nada sai do nada!

Resta entender o quê ou quem existiu e existe desde sempre, essa presença que se dispõe à intuição agora, essa cabal negação do vácuo, essa indizível certeza que se impõe. É inteligente? É consciente?

Há consistências matemáticas aqui e alhures no universo, isso agora também se sabe. Mas números, embora efetivos, são só acúmulos, linguagem ainda sem sentimentos, representações simbólicas de um processo infinito, um firme sinal de inteligência.

Contudo, o que é eterno se fez esperança para o pensamento que pressente, e sentido para a experiência que se constrói. E, essencialmente, se fez afetivo motivo de um mundo sensível que reconhece transcendências para além da física de seus tijolos constitutivos.

Sem dúvida que o princípio de tudo possui uma faculdade lógica de ímpar natureza, verdade insuperável e única. A razão volitiva em si, a inteligência em si, o ato de vontade em si.

Ora, primordialmente não pode haver matemática, energia ou matéria organizada, nenhuma realidade que se evidencie racional, que se preste à percepção inteligente, ao cálculo e a toda fórmula sem que, necessariamente, tenha partido de uma decisão consciente, sem que indique deliberação e vontade causal.

É bem simples: essas coisas, em sendo contingências temporais, são carentes de explicação que lhes seja anterior.

Porém, a despeito dos números que encerram, as leis naturais, as equações, os efeitos aparentes, a ordem e as regularidades da natureza não são meras acumulações, não são cúmulos de acasos. Antes demandam intenção e trabalho volitivo, nascem de causas motivadas.

São realidades que exigem, para virem a existir, um poder deliberado e um querer fazer, ou seja: uma força inteligente e criadora anterior. Portanto, nascem dalguma precedência autônoma. Como? Quem? O Ser Necessário, O Ser em Si. Esse Ser a quem chamamos de “Silêncio”…

Sim, o outro nome de Deus é Silêncio! Não por ausência, mas por infinita sabedoria, pois somente fala com o silêncio quem aprende a mover-se sem o peso dos rancores e procura a paz. Porém, se os sinais do Criador são silenciosos, também são eloquentes: há mais comunicados em uma pétala de flor que palavras em um dicionário… E a atividade a que chamamos de ciência não tem vida própria, ela é uma ferramenta para o conhecimento a serviço da razão. Inclusive, hoje podemos -como nunca na história- juntar filosofia, ciência e religião para atestar essa verdade. Mas…

…Estive tão ocupado com minha própria pequenez, que nem vi o tempo passar. Hoje estou enorme, do tamanho de minhas ausências. Clamo por Deus, acordo na noite, revivo cada dor e me cobro. O tempo não volta; mas eu retorno – sem falta – a mim. Volto como sentença: tudo passa, menos viver esse inexorável destino. Se não aprender o perdão, estarei morto. Pra sempre!Esta palavra é do tamanho do mistério… E tão decisiva quanto o verbo existir, que também tento aprender!

Deus é bom? Ser tirado do nada e trazido à vida é bom ou ruim? Ter consciência, poder pensar, refletir geral é bom ou ruim? Ter uma inteligência poderosa, poder compreender as coisas, ter sensibilidade, é bom ou ruim? Poder amar, ter sentimentos, ter esperança, é bom ou ruim? Cada um que diga, que fale por si. Mas uma coisa é certa: só podemos tudo isso porque um dia fomos tirados de nosso nada existencial e apresentados à luz da existência revelada, esse milagre dos milagres.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

ZOP – CHARGE ONLINE

5 setembro 2017 SONIA REGINA - MEMÓRIA

SINCRONISMO

Riverdance, espetáculo de dança Irlandesa, sapateado.

A primeira apresentação foi ao final do século passado.

Um grande show de musica e dançarinos com um sincronismo de tirar o folego.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa