7 setembro 2017 JOSELITO MÜLLER

LULA DECLARA QUE NÃO CONHECE PALOCCI

GUARUJÁ – O ex-presidente Lula, delatado na manhã de ontem pelo ex-ministro Antonio Palocci, fez uma declaração à imprensa na tarde de hoje que poderá causar uma reviravolta na chamada Operação Lava Jato.

Segundo o ex-presidente, ele jamais teve qualquer tipo de relação com Palocci, o que desmentiria as afirmações do ex-ministro, que ocupou a pasta da Fazenda nos governos Lula e Dilma Rousseff.

“NUNCA OUVI FALAR NESSE TAL PALOCCI… É PALOCCI O NOME DO CARA, NÃO É? NÃO SEI NEM QUEM É ESSE, NÃO QUERO SABER E TENHO RAIVA DE QUEM SABE. QUER DIZER QUE AGORA SE QUALQUER ZÉ RUELA DISSER QUE ME CONHECE, VOCÊS DA MÍDIA VÃO CONSIDERAR ISSO COMO VERDADE PARA TENTAR ME INCRIMINAR?”, QUESTIONOU O PETISTA.

Questionado sobre o fato de Palocci ter sido ministro em seu governo, Lula declarou que não se lembra do fato.

Durante a entrevista, Lula exibiu um atestado médico que afirma que ele foi diagnosticado com amnésia.

“SE ESSE CARA FOI MINISTRO DO MEU GOVERNO EU SINCERAMENTE NÃO LEMBRO. EU BEBIA MUITO NAQUELE TEMPO E DEVO TER ESQUECIDO”, FINALIZOU LULA.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

ZÉ DASSILVA – DIÁRIO CATARINENSE

AS PANCADAS DESFERIDAS POR PALOCCI PRECIPITAM O NOCAUTE

Se também Palocci está mentindo, o ex-presidente corrupto é vítima da mais feroz conspiração forjada por velhos companheiros

Para safar-se da gaiola, Lula vem trucidando a verdade em sessões de tortura que se tornaram ainda mais frequentes e muito mais selvagens desde que o juiz Sergio Moro o condenou a nove anos e meio de prisão. Claro que diria que também Antonio Palocci resolveu mentir para livrar-se da cadeia. Esganar a verdade para permanecer em liberdade é que faz o presidente corrupto desde a descoberta do Mensalão. E essa é a discurseira de 171 que sempre recita quando um ex-comparsa aceita colaborar com a Justiça e contar o que efetivamente aconteceu.

Faz de conta que só Lula esteja certo. Faz de conta que todos os outros ─ o juiz, os procuradores, os delegados e agentes da Polícia Federal, os homens honestos, as mulheres sensatas e, naturalmente, os delatores ─ estejam mentindo. Se a hipótese correta for a segunda, Lula não é um perseguido político: por motivos misteriosos, é vítima de uma feroz e harmoniosa ópera dos traidores, encenada pelo elenco que inclui velhos amigos e antigos parceiros do maior dos governantes desde Tomé de Souza.

Quem quiser engolir esse conversa fiada precisa explicar a afinação do diversificado grupo de atores que inclui Léo Pinheiro, Marcelo Odebrecht, Delcídio do Amaral, Paulo Roberto Costa, João Santana, Mônica Moura, Emílio Odebrecht, Nestor Cerveró, Joesley Batista e, desde 6 de setembro de 2017, o protagonista Antonio Palocci. Fora o resto e sem contar os figurantes. Ninguém erra a letra. No ato que evoca as maracutaias envolvendo a Odebrecht, por exemplo, todos cantam em coro que Lula é o Amigo, que Palocci é o Italiano, que Guido Manega é o Pós-Itália ou que Gleisi Hoffmann é a Amante.

Lula anda mesmo sem sorte. Ele estava pronto para celebrar o sucesso da caravana que foi um fiasco quando soube que seu açougueiro predileto conseguiu anular a meia delação premiadíssima e terá de revelar o que fizeram juntos. Levado às cordas, ficou grogue com as novas denúncias da Procuradoria-Geral. Os socos no queixo aplicados por Palocci precipitaram o nocaute iminente.

A abertura da caixa-preta que mais apavorava o partido que virou bando deixou Lula mais perto do que nunca de uma cela em Curitiba. É o fim da linha para o chefão do maior esquema corrupto de todos os tempos.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

7 setembro 2017 JOSIAS DE SOUZA

LAVA JATO: ‘NÃO HÁ NENHUM ACORDO COM PALOCCI’

Membro da força-tarefa da Lava Jato, o procurador regional da República Carlos Fernando dos Santos Lima disse que “não há nenhum acordo de colaboração firmado com Antonio Palocci.” Em conversa com o blog, ele soou enfático: “Também não existe nenhuma promessa da nossa parte. Na verdade, eu diria que está muito longe de acontecer qualquer coisa em relação a essa matéria.”

Foi contra esse pano de fundo, sem qualquer perspectiva de ser reconhecido pelo Ministério Público Federal como um colaborador, que o ex-ministro dos governos petistas entregou Lula na bandeja em depoimento ao juiz Sergio Moro. Segundo Palocci, Lula firmou com a Odebrecht um “pacto de sangue”. Em troca da preservação dos interesses da construtora no governo de Dilma Rousseff, Lula e o PT beliscaram R$ 300 milhões em propinas.

Para Carlos Fernando, Palocci tenta atenuar sua pena num processo específico. “Ele pode, eventualmente, receber um benefício, pois a lei permite a concessão de benefícios àqueles que confessam crimes. Mas não há nada além disso. Nenhum acordo de delação foi firmado. E não há perspectiva de que isso ocorra.”

O acordo com Palocci não prosperou por falta de interesse da força-tarefa de Curitiba. “Assim como vários outros réus, o Palocci manifestou interesse”, disse o procurador Carlos Fernando. ”Mas essas negociações não avançam. Muitas vezes há dificuldade de compreensão. Não fazemos acordo quando não temos certeza de que a colaboração terá utilidade para as investigações.”

Quer dizer: por ora, Palocci não disse nada que os investigadores já não soubessem.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

GUERRA CONJUGAL

Joesley confessou que está disposto a trocar uma mulher de 30 anos por duas de 50

“Eu ando invocado de comer uma velha por aí. Acho que vou comer umas duas velhinhas de 50. Casadinhas”.

Joesley Batista, durante a conversa com o comparsa Ricardo Saud, apimentando a gravação com uma confidência que sua mulher Ticiana Villas Boas só conseguirá perdoar se for tão generosa e compreensiva quanto Rodrigo Janot na montagem do acordo de delação premiada.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

VERONEZI – GAZETA DO POVO (SP)

TREM DA GREAT WEST

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

7 setembro 2017 JOSIAS DE SOUZA

DILMA PARA GEDDEL: VEM PRA CAIXA VOCÊ TAMBÉM!

Michel Temer mal tivera tempo de festejar a erosão da colaboração judicial da JBS quando a Polícia Federal estourou a caverna de Ali-Baba que Geddel Vieira Lima improvisou num condomínio em Salvador. Foi a maior apreensão de dinheiro vivo já realizada na história: R$ 51.030.866,40. Repetindo: depois de passar o dia contando dinheiro, a PF informou que o ex-ministro de Temer, amigo do presidente há três décadas, entesourou num apartamento na capital baiana R$ 51 milhões.

A batida policial foi ordenada pelo juiz Valisney Oliveira, de Brasília. Deu-se no âmbito da Operação Cui Bono, que apura um assalto à Caixa Econômica Federal. Noutros tempos, quando se falava sobre bancos e assaltos, imaginava-se que a coisa acontecia de fora pra dentro. O PMDB da Câmara, grupo de Temer, desenvolveu na Caixa o assalto de dentro pra fora. No caso de Geddel, a coisa aconteceu durante o imaculado governo de Dilma Rousseff.

Sob o comando do PT, a casa bancária estatal já estava loteada politicamente. E Dilma acenou para Geddel: “Vem pra Caixa você também!” Apadrinhado por Temer, Geddel foi guindado ao posto de vice-presidente de Pessoa Jurídica da instituição. Ali permaneceu de 2011 até 2013. Saiu quando bem quis. E produziu resultados que reforçam o já sabido: a corrupção brasileira tem vocação amazônica.

Por uma dessas trapaças do destino, a “caverna” de Geddel foi estourada no mesmo dia em que a Procuradoria-Geral da República denunciou Lula, Dilma e outros seis grão-petistas por formar uma organização criminosa. O grupo é acusado de roubar durante a Era petista R$ 1,485 bilhão em verbas públicas.

No caso de Geddel, a PF desbaratou uma inusitada e sigilosa forma de fazer poupança: dinheiro vivo depositado em caixas de papelão e malas, espalhadas por um apartamento sem mobília. Ironia suprema: escondeu-se num endereço residencial uma fortuna presumivelmente desviada de uma instituição financeira estatal que convida brasileiros pobres a abrir contas de caderneta de poupança nas suas agências: “Vem pra Caixa você também!” Geddel foi.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

7 setembro 2017 DEU NO JORNAL

IDIOTA RACIAL NA PARADA

Um homem foi preso nesta quinta-feira (7) após xingar um sargento do Exército de “macaco” um pouco antes do desfile de 7 de setembro na Avenida Presidente Vargas, no centro do Rio.

Ele foi levado para a delegacia mais próxima.

O homem ofendeu o militar após tentar entrar na área restrita da parada e ter sido impedido por ele.

* * *

E aqui no Recife aconteceu um fato semelhante, também no desfile de 7 de setembro.

Um cidadão preto, cheio de ódio racista, foi preso por xingar um tenente branco da Marinha de “Urso”.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

THIAGO LUCAS – CHARGE ONLINE

AO PADRE NOSSO QUE ESTÁ NO CÉU

Padre Edwaldo Gomes. O “Padre Nosso”, como era conhecido. Na Paróquia de Casa Forte et orbi, assim se diz nas benções do Papa. Hoje, estaria fazendo aniversário. Lembro dele em palavras de Fernando Pessoa (Bernardo Soares, no “Livro do Desassossego”): Alguns morrem logo que morrem, outros vivem um pouco, na memória dos que os viram e amaram; outros ficam na memória da nação que os teve… Mas a todos cerca o abismo do tempo, que por fim os some. É o destino. Do Padre Nosso e de todos nós.

Dois anos faz, me mandou foto na festa da Vitória Régia. Com um amigo, junto, já tocado pelos efeitos do álcool. Nisso éramos diferentes. Que nunca bebi. Respondi assim, pensando já no futuro: Para o pastor/ Meu professor/ Fotografia/ Da alegria/ De um cachaceiro/ Bom companheiro/ E eu no missal/ Tendo afinal/ Alguma chance/ De que Deus canse/ Me deixe ao léu/ Confesso réu/ Nessa festança/ Da esperança/ De entrar no céu.

Em crise anterior de saúde, já escrevi sobre isso, estava no hospital. Entrei no quarto e disse, para lhe animar: Maravilha, pastor. Você, que passou a vida inteira se dedicando ao Pai, vai se encontrar com ele muito em breve. Deve estar feliz. E padre Edwaldo, fingindo estar revoltado: Vade retro, José. Gosto muito dele mas penso que não quer me ver agora. Silêncio. Após o que completou: Nem eu estou com nenhuma pressa de chegar por lá tão cedo. E ficamos rindo. Chegou sua vez, afinal. O Pai estava já impaciente, querendo conversar com ele.

Ao velho amigo que se foi há tão pouco tempo, como abraço de parabéns, ou como homenagem, ou apenas como uma lembrança, dedico esses pobres versos que escrevi chorando. Em seu louvor. Inspirados na oração do Pai Nosso, de Mateus (6:9-13). Só prova de bem querer:

Pai nosso
Que estás no sal da terra, no coração do fogo, na doçura das águas e na incerteza dos ventos nos céus
Santificadas sejam nossas vidas e Vosso exemplo
Venha o Vosso Reino aos homens bons
Seja feita a Vossa piedade, para além da Vossa vontade,
Na terra, mais que no Céu.

A paz nossa de cada dia nos dai hoje e sempre
Perdoai as nossas ofensas, se forem injustas
Porque não perdoaremos as injustiças que nos fizerem
Se a tentação acontecer, nos mostre outros caminhos
E livrai-nos do peso da vida, por fim, quando a hora vier
Amém.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

GABRIEL RENNER – DIÁRIO GAÚCHO (RS)

7 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

O SETE DE SETEMBRO

A banda marcial do Senai, então um internato que formava jovens em cursos técnicos, invadia as ruas de Palmares às 5 horas da manhã pra levar a efeito a Alvorada Festiva. Era a maior e mais bem equipada banda marcial escolar da cidade e da região.

Acordava a população com seu belíssimo toque cadenciado, com especial destaque para as cornetas. À frente da formação, dois enormes tambores, ornamentados com bandeirolas, faziam a marcação e puxavam as quatro fileiras.

E nós, os jovens que iríamos desfilar naquele dia, o Sete de Setembro, pulávamos da cama ansiosos e cheios de alegria pelas comemorações das quais iríamos participar.

Meu pai, rudemente alfabetizado nas letras da vida, tinha um orgulho enorme dos filhos estudantes que iriam participar do desfile. E, como só fazia em dia de votar nas eleições, botava seu terno branco com gravata e ia, faceiro e impando de orgulho, ver a gente desfilar.

Nesta foto, ele aparece atrás dos filhos que haviam acabado de participar do desfile pelas ruas da cidade.

Da esquerda pra direita, Nau, Lúcia e eu, os três irmãos que continuamos unidos e dele saudosos até os dias de hoje.

Esta pose aí de cima foi feita no dia 7 de setembro de 1956. Eu havia completado 10 anos de idade no mês anterior. A foto foi tirada por Alfredo Cachorro-Quente, o grande retratista da cidade naquele tempo.

Hoje eu vou me lembrar muito dele, de Seu Luiz, que nós, seus três filhos, chamávamos de “papai”, com carinho e respeito.

E vou ter saudades de um tempo em que fui muito feliz e que trago vivo até hoje na minha lembrança.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

7 setembro 2017 JOSELITO MÜLLER

PROJETO DE LEI PROÍBE VENDA DE MALAS

BRASÍLIA – Após a descoberta de inúmeras malas de dinheiro no bunker de Geddel Vieira Lima, um projeto de lei promete acabar de uma vez por todas com a corrupção no Brasil.

De autoria do deputado José Prepúcio Rego, líder da bancada do PpnoC, a proposta pretende proibir a venda de malas no Brasil.

“RECENTEMENTE VIMOS QUE OS CORRUPTOS COSTUMAM GUARDAR DINHEIRO EM MALAS, ENTÃO SE PROIBIRMOS MALAS NO PAÍS, ESTAREMOS DANDO UM GOLPE FIRME NA CORRUPÇÃO E NO CRIME ORGANIZADO”, DECLAROU O PARLAMENTAR.

A proposta segue para a Comissão de Constituição e Justiça para análise.

EM CONTATO COM NOSSA REPORTAGEM, GEDDEL VIEIRA LIMA DISSE QUE NÃO ESTAVA SABENDO DA PROPOSTA E DECLAROU QUE “NÃO SABIA QUE GUARDAR DINHEIRO EM MALAS É CRIME. A PARTIR DE AGORA VOU GUARDAR EM SACOLAS DE SUPERMERCADO”.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

ALVARO SIMÕES FILHO – PORTO VELHO-RO

Caro Editor do JBF:

Peço-lhe que faça um favor a seus leitores e ao Brasil reproduzindo em nossa gazetinha o artigo do brilhante jornalista J. R. Guzzo, intitulado “Vamos comer o quê?” publicado na edição 2546 de 6 de setembro de 2017 de Veja.

Na indigência em que andamos nós brasileiros depois do tsunami moral, ético, econômico e financeiro causado por Lula, Dilma e sua quadrilha de ladrões, pouca gente tem dinheiro para ser assinante de Veja e há, ainda, os que nem pronunciam o nome da revista por questões ideológicas.

Mas o artigo de Guzzo precisa ser replicado à exaustão, para que as antinhas maria-vai-com-as outras da esquerda, que repetem qualquer besteira que ouçam sem nem saber do que estão falando, parem de denegrir e agredir o agronegócio brasileiro, que vem carregando o Brasil nas costas há anos.

No artigo há números e argumentos que poucos de nós conhecemos e que, por si só, devem calar as bocas que disseminam a desinformação com propósitos inconfessáveis. E, melhor que isso, fazer justiça e esclarecer as pessoas de bem.

Alvaro Simões Filho
Cidadão com dependência leiturística do JBF

R. Esta tal de “dependência leiturística” tá uma expressão arretada.

Vocês da comunidade fubânica inventam cada uma que até parece duas.

Vôte!

De fato, esta gazeta escrota tem viciados pelos quatro cantos do mundo.

Gente que gosta de safadeza, de sacanagem e de tudo que não presta é o que mais existe em cima da redondura do mundo.

Brigadão pela força e pela audiência, meu caro.

O artigo que você pediu está reproduzido logo a seguir.

Disponha sempre deste espaço e tenha um excelente feriadão!

* * *

EM DEFESA DA AGRICULTURA: VAMOS COMER O QUÊ? – J.R.GUZZO

O fato, provado por fotografias, é que poucos países conseguem tirar tanto da terra e interferir tão pouco na natureza ao redor dela quanto o Brasil

Modernidade – Até 1970 o país era um fazendão primitivo — hoje é o maior exportador de soja do mundo

A regra é antiga: se você quer fazer uma pessoa feliz com as próprias opiniões, nunca apresente a ela dois lados para uma questão. Apresente um lado só — ou, melhor ainda, não apresente nenhum. Nada é mais cômodo do que viver convencido de que certas coisas não podem ser discutidas, pois são a verdade em estado definitivo. É o que está acontecendo hoje com a questão ambiental pelo mundo afora — especialmente no Brasil, que teve o destino de ser sorteado com 8,5 milhões de quilômetros quadrados de território com exuberância ambiental. Ficou decidido pela opinião pública internacional e nacional que o Brasil destrói cada vez mais as suas florestas — por culpa direta da agricultura e da pecuária, é claro. Terra que gera riqueza, renda e imposto é o inferno. Terra que não produz nada é o paraíso. Fim de conversa. Os fatos mostram o contrário, mas e daí? Quanto menos fatos alguém tem a seu favor, mais fortes ficam as suas opiniões.

As coisas estão deste jeito há anos — há apenas uma ideia em circulação, e essa ideia está errada. O resultado direto é a falsificação de alto a baixo de todo o debate sobre desmatamento e cultivo do solo no país. Ninguém poderia imaginar, pelo que se vê e lê todos os dias, que a área de matas preservadas no Brasil é mais do que o dobro da média mundial. Nenhum país do mundo tem tantas florestas quanto o Brasil — mais que a Rússia, que tem o dobro do seu tamanho, e mais que Canadá e Estados Unidos juntos. Só o Parque Estadual da Serra do Mar, em São Paulo, é duas vezes maior que a maior floresta primária da Europa, na Polônia. Mais que tudo isso, a agricultura brasileira ocupa apenas 10%, se tanto, de todo o território nacional — e produz mais, hoje, do que produziu nos últimos 500 anos. Não cresce porque destrói a mata. Cresce por causa da tecnologia, da irrigação, do maquinário de ponta. Cresce pela competência de quem trabalha nela.

Clique aqui e leia este artigo completo »

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

CORÉIA DO NORTE: A GUERRA NUCLEAR

Sou pós-graduado em política e estratégia, logo, parece que sou cientista político. Parece, não acho que sou e nem acredito nesse neologismo. Está na moda. Toda vez que a mídia noticia um conflito, lá vem os “especialistas” analisando aquilo que desconhecem, principalmente quando falam de guerra e operações militares.

É um tal de tantos mil pra lá, tantos mil pra cá; tantos “tanques” pra lá, tantos “tanques” pra cá. Não sabem e nem nunca ouviram falar em ordem de batalha (não vou explicar aqui o que é, pois teria que escrever outro post), que é só o que interessa em uma operação militar, não a quantidade de recursos ou homens. Isso interessava na época das falanges (Grécia antiga). Se assim ainda fosse, Israel não existiria mais.

Mas esse povo não sabe disso, não são militares e talvez nem serviço militar obrigatório tenham feito. São “cientistas”, sociólogos, aqueles que passaram na USP porque não tinham competência pra fazer outro curso, ressalvadas as exceções.

Dito isso, vamos a minha análise do conflito Coréia do Norte X Mundo.

Não gente, não é EUA (pela imprensa, Trump) versus Coréia do Norte. É Gordinho – o único no seu país famélico – recalcado (só pode ser) contra a civilização. Lembra até um filme do 007.

Quando digo Mundo, estou me referindo a uma guerra nuclear, que por mais longe que seja, afetaria os quatro cantos da Terra, seja por radiação, seja pela economia.

O senhor Hussein Obama, com toda sua benevolência comunista, mandava dinheiro para a Coréia do Norte a título de ajuda humanitária (não sabiam?), e mijava pra trás em todas as ameaças dos Kim, “em nome da paz mundial”. O maluco do Trump entrou, a mamata acabou.

O gordinho caricatura resolveu perguntar quem pisou no seu poncho. O Trump respondeu.

Mesmo assim, como um adolescente teimoso, ele resolveu fazer malcriação e começou a lançar mísseis. Criou-se o impasse. Impasse? Jura? Eu não.

Não podemos tirar do gordinho o fato de que, apesar de nem comida existir no seu país, ele conseguiu produzir a bomba atômica. Com que dinheiro? Com o dinheiro do capitalismo. Sanções sérias são urgentes. Mas os bonzinhos, por coincidência comunistas, não querem, pois o povo é que vai sofrer. Jura de novo? Eu não, de novo.

Por que permitir o comércio e dar dinheiro a um país que o usa para desenvolver armas atômicas e não para matar a fome da sua população? Só a esquerda pode explicar.

A China, único “aliado” da Coréia do Norte, vai permitir uma guerra nuclear que vai afetá-la diretamente? Quem acredita nisso? O ceguinho teimoso? Acho que nem ele.

Não, não vai haver guerra nuclear e, sem medo de errar, nem guerra convencional. O único perigo é aquele que a mídia inventou, não porque tem medo, mas porque é preciso atacar o Donald Trump, afinal, o mundo vai acabar por culpa dele.

O maior medo da China, e por isso o apoio, é ter que aceitar milhões de refugiados da Coréia do Norte, pois se a fronteira for aberta, não vai sobrar um norte-coreano sequer no seu país, mas, ao mesmo tempo, se forem pra Coréia do Sul, a China perde prestígio. É a tal da geopolítica.

Posso estar errado, claro. Algum cientista político discorda?

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

7 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

O INIMIGO ESTÁ SENTADO AO LADO

Lapa de Fanfarrão vive relinchando pelo país afora que tem muitos inimigos poderosos e que todos tentam ofender a sua pura moral, a sua magnífica honradez, a sua ética insuperável e a sua grandiosa honestidade. Uma honestidade que é igual à de Jesus Cristo, segundo ele mesmo defecou pela boca.

A julgar pelo que ele caga oralmente, nunca antes neste país alguém teve tantos inimigos, detratores e caluniadores,

Ele se queixa do Juiz Sérgio Moro, dos jornais, da justiça, da televisão, dos reacionários, das zelites brancas, das multinacionais, dos capitalistas, do Ministério Público, dos coxinhas, dos retrógrados, da grande mídia fela-da-puta, dos burgueses safados, dos ricos que não suportam ver pobre viajando de avião e dos promotores que fizeram concurso público.

Enfim, a lista de inimigos que ele vive recitando é mais comprida do que um dia de fome.

Todavia, pelo que se viu ontem, com a divulgação da fraterna deduragem vermêio-istrelada de Palocci, o fato é que o inimigo mora ao lado.

Ou, melhor dizendo, o inimigo se sentava na cadeira ao lado.

Não custa nada repetir, repisar, ressaltar e salientar:

Palocci é petista de primeira hora. Ele já foi vereador, prefeito, deputado estadual e deputado federal, sempre eleito pelo PT.

E, ainda por cima, ocupou dois dos mais importantes cargos da administração federal: Ministro da Fazenda de Lula e Ministro da Casa Civil de Dilma.

Tá pouco, ou querem mais???

Hein???

Pois é.

Diziam por aí que Palocci tinha a língua presa.

Língua presa uma porra.

O cabra fala pra caralho!

Uma fala que muito alegrou e abrilhantou este feriadão de 7 de setembro. 

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)


http://orlandosilveira1956.blogspot.com.br/
OS GEMIDOS DE NÉLSON RODRIGUES

O criador do moderno teatro brasileiro, o polêmico e genial Nélson Rodrigues, foi ele próprio um grande personagem. Sua vida pessoal foi marcada por inúmeros percalços: teve o irmão, também jornalista, assassinado; o pai, por conta da morte do irmão, logo se foi; a tuberculose o mandou diversas vezes para sanatórios; a úlcera não lhe deu tréguas… Mesmo assim, Nélson Rodrigues trabalhou feito mouro, escreveu inúmeras peças de teatro, crônicas e tudo o mais que fosse preciso escrever para garantir a subsistência da família.

Sua trajetória, em detalhes, está descrita em “O Anjo Pornográfico”, de Ruy Castro. Um livro que deve – mais que lido – ser degustado, pela riqueza de informações e pela qualidade do texto. É dele que retiro a historinha que segue.

Durante três meses, Nélson ficou “internado” na sala de sua casa, já que se recusava a voltar para o hospital, onde fora operado da vesícula e para o qual fora levado outra vez por conta de complicações no pós-operatório. Vivia cercado de gente: familiares, vizinhos e parentes. “Durante o dia, o ‘quarto’ de Nélson tinha uma plateia de FLA-FLU”, escreve Castro.

Nas raras vezes em que ele ficava só (tinha medo de morrer sozinho), Nélson apelava em tom dramático para a sogra:

– Dona Concetta, fique comigo. Venha me ouvir gemer.

* * *

Nélson adorava sanduíche de mortadela. Mas a úlcera, sempre ela, lhe castigava. O mestre, então, chamava o contínuo – que à época, ao contrário de hoje, não era guri – e lhe propunha um bom negócio. Que o homem fosse buscar o sanduba. Ele pagava com gosto. Mas tinha um preço: o sortudo tinha que comê-lo na frente de Nélson. Que babava de satisfação.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

SID – CHARGE ONLINE

PARA LULA, EX-COMPARSAS QUE COLABORAM COM A LAVA JATO MENTEM

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

JARBAS – DIÁRIO DE PERNAMBUCO

E OS BRANCOS?

Li em algum lugar certos comentários de pessoas pretendendo desmerecer Benedita da Silva, ativista em movimentos sociais de favelas, vereadora, deputada, senadora, ministra, governadora, negra, de origem humilde, chamando-a de feia, ignorante e, para completar, nepotista.

A Emenda Constitucional (EC) nº 1, de 1969, à Constituição de 1967, dispôs que a primeira investidura em cargo público dependeria de aprovação prévia em concurso público de provas e títulos, salvo os casos indicados em lei (art. 97, § 1º). Além de referir-se ao concurso público como condição apenas para a primeira investidura em cargo público, abrindo espaço à exegese de que o servidor concursado poderia ingressar em cargos superiores sem prestar novo concurso, o art. 97, § 1º, da Emenda, em sua parte final, concedeu ao legislador poderes para excepcionar até mesmo a exigência de concurso para o ingresso inicial no serviço público.

Ainda na vigência da redação original da Carta de 1967, normas estaduais vieram prever formas de ingresso em cargo público com dispensa do concurso, em flagrante descompasso com a Constituição Federal.

Inaugurou-se, então, a contratação de “empregados” para o serviço público, para burlar completamente a proibição constitucional de ingresso no serviço público sem a realização de concurso público. Empregado (o chamado “celetista”, ou seja, sob o regime da CLT) não era “funcionário”; e assim, podia ingressar por “processos simplificados”.

A coisa chegou a tal ponto que os tais processos simplificados passaram a nem ser realizados, ou a constituírem arremedos de seleção, para “pôr para dentro” os apaniguados, que ficaram conhecidos como “janeleiros”, porque “entravam pela janela” (haja aspas, meu Deus!).

Pois bem, entrando no assunto “nepotismo”, foi nessa época que milhares, milhares e milhares, de filhos, irmãos, cunhados, afilhados, sobrinhos, mulheres, netos, amantes, pais, mães, avôs e avós de políticos, dentre outros, entraram para o serviço público sem prestarem concurso público, realizando um festival de nepotismo jamais visto ou imaginado, que se agravou com a transformação posterior dos respectivos empregos em cargos, elevando-os à condição de “funcionários”, termo que hoje corresponde a “servidores”.

O mais grave: o filho do político (por exemplo), entrava em emprego de servente ou outro de categoria subalterna, não especializada, e seu emprego era transformado em cargo de nível médio e até superior, sob a complacência dos órgãos que deveriam exercer o controle – afinal, todo o mundo tinha parentes para empregar.

Não faço idéia de como Nilcéia (56) e Pedro Paulo (55), filhos de Benedita da Silva, entraram para o serviço público, consta que são servidores da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro desde 1987, um anos antes da entrada em vigor da Constituição de 1988, que endureceu completamente quanto ao ingresso nos quadros do serviço público sem concurso público; e que, cedidos à UERJ-Universidade do Estado do Rio de Janeiro, foram denunciados pelo Ministério Público porque recebiam sem ir trabalhar.

Não sei se foram condenados ou absolvidos, se há processo, se, havendo, foi julgado, está em andamento, ou foi arquivado – se alguém quiser pode informar ao distinto público.

Benedita da Silva disse, por ocasião da denúncia, que não usou de nepotismo quanto a seus filhos e que se eles fizeram algo errado teria sido por sua própria conta e risco.

O interessante é que como Benedita da Silva é negra, foi empregada doméstica e pobre, ativista em movimento de favela, e é do Partido dos Trabalhadores, o conhecido PT, as acusações caem como uma luva contra ela, mas ninguém está interessado quanto aos milhões e culhões de casos de nepotismo dos políticos brancos e ricos, bonitos e de olhos verdes, azuis e furta-cor, vindos de berços de cetim e formados em Harvard e pertencentes a outros partidos políticos. Nem os chamam de burros e de asquerosos.

Sim, vocês não sabiam de nada disso e portanto estão desculpados.

Esclareço que alguns elementos desta exposição foram chupados.

Chupados do Renato Monteiro de Rezende, em “Concurso Público: Avanços e Retrocessos”, e não de Gil Brother Away.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

BRUM – TRIBUNA DO NORTE (RN)

POBRE PORTUGUÊS

Joesley Batista tem muita coisa em comum com Lula além de negócios patrocinados pelo BNDES

“Se nós entregar o Zé, nós entrega o Supremo… Eu falei pro, eu falei pro Marcelo, cê quer pegar o Supremo? Quer? Pega o Zé. Guarda o Zé, o Zé entrega o Supremo”.

Joesley Batista, num trecho de um dos áudios em que conversa com Ricardo Saud, seu braço direito na JBS, deixando o país sobressaltado não com a notícia de que José Eduardo Cardozo pode estar enredado nas bandalheiras da dupla, mas com a descoberta de que existe outro brasileiro capaz de tratar a língua portuguesa tão impiedosamente quanto Lula.

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

WASHINGTON LUCENA – VISTA SERRANA-PB

“A lua bela prateia
As noites do meu sertão”.

Mote de Alexandre Garcia Ferreira

No lugar que Deus habita
Toda luz nos contagia,
São José faz a poesia,
Nossa Senhora recita.
A paisagem é tão bonita
E tem tanta inspiração
Que eu vejo de Deus a mão
No íntimo da lua cheia
A lua bela prateia
As noites do meu sertão.

Érica Pereira

A lua da cor de prata
É soberana na terra
Vendo no cume da serra
Iluminar toda mata.
Ela já fez serenata
Sem saber tocar canção
E já fez nascer paixão
Quando no céu fica cheia
A lua bela prateia
As noites do meu sertão.

Washington Lucena

Como o claro do sol quente
A lua mostra seu brilho
Parece o riso de um filho
Quando a mãe traz um presente.
Se deslumbra no nascente,
Desfila na imensidão
Parecendo um avião
Que na galáxia passeia
A lua bela prateia
As noites do meu sertão.

Érica Pereira

Sem cordel tem Poesia
No brilho da face sua
E os versos que tem na lua
Declamo durante o dia.
O grilo faz cantoria
Sem saber tocar baião,
Mãe da lua no mourão
Canta fazendo rodeia
A lua bela prateia
As noites do meu sertão.

Washington Lucena

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

OUVIRAM DE CURITIBA AS MARGENS (NADA) PLÁCIDAS

E setembro chegou acelerando, ao final do mês neste ritmo, não vai sobrar pedra sobre pedra. Ótimo!

Do jeito que o PT et caterva deixaram o Brasil após 13 anos de desgoverno nada melhor que recomeçar do zero. Destruir tudo eles já destruíram, está na hora de sacudir a poeira jogar o lixo petista, bolivariano e qualquer outro resíduo fétido de nossa política, fora e começar de novo.

Parece que o mês de setembro promete, tanto que no dia da Pátria mãe, no dia de nossa ‘Independência’ até o hino será mudado. São fortes os ventos de Curitiba, local aonde a Pátria brasileira vai sendo refundada.

E a ação dos patriotas de Curitiba vem encontrando eco pelo Brasil afora. Retumba em Porto Alegre, em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo só para citar alguns locais e seus procuradores, juízes e tribunais.

Vamos ter de reescrever o Hino Nacional para homenagear estes abnegados que apoiados pelo grito das ruas estão derrotando o leviatã que habita os porões do poder brasileiro.

Nesta breve semana de setembro vieram à tona coisas que me pareciam óbvias e ululantes, mas que muitos fingiam não enxergar. A ‘ Copa das Copas’ e a “Olimpíada piada’ do Rio foram só um caminho para corrupção e desvio de dinheiro, o que acabou nos premiando com imensos e caríssimos elefantes brancos inúteis, obras não acabadas, muita propina e a quebradeira generalizada especialmente do Rio de Janeiro.

E se não bastasse a corrupção na Copa do Brasil foi tão grande que derrubou a cúpula da FIFA e pelo que se avizinha a corrupção das Olimpíadas fará grandes estragos no COI.

A peregrinação do bandido Lula pelo nordeste pareceu mais uma caminhada de cangaceiros com o objetivo de roubar até a alma daquele povo pobre e sofrido. Mas até o nordestino está escaldado e o comparecimento mínimo mostrou a ínfima popularidade do ‘Ladrão do Brasil’. Atrás da caravana da vergonha meia dúzia de políticos de pés de barro e de sindicalistas, desanimados pela pouca verba para a mortadela, faziam às vezes de carpideiras de aluguel.

De ato de mobilização popular a Caravana da vergonha fez às vezes de funeral do mais honesto. Pena que a palmeira imperial acabou pagando o pato ante a sanha pelo poder e dinheiro destes homens mínimos.

No mesmo Nordeste, na Bahia de todos os Santos e de muitos ladrões, Geddel, que estava ‘preso’ em casa graças a um protótipo de Gilmar Mendes com Ricardo Lewandowski do Tribunal Regional de Brasília, teve seu paraíso descoberto. Coitadinho!

O dinheiro não era seu, eram as economias de seu falecido pai. Aliás provavelmente ele nem sabia que se tratava de dinheiro, pois enlutado não deve ter aberto as malas e caixas que guardavam lembrança dolorosas do de cujus tão saudoso.

E eram só alguns milhõezinhos. Poxa neste ponto eu deveria ficar fulo com meu saudoso e recentemente falecido pai. Papai não deixou-me uma notinha de 100 reais sequer escondida no fundo de uma mala. Papai era pobre e honesto ou, como diriam outros, pobre por ser honesto. Mas pelo menos não deixou-nos dívidas, dele ficaram apenas as boas lembranças e o exemplo.

Coisa que seu Geddel apesar dos 51 milhões não deixará para seus filhos. Aliás quando é que vão revogar a prisão domiciliar deste senhor e mandá-lo de volta para o xilindró, temos alguns milhões de motivos para isto.

O dinheiro de Geddel foi um balde de água fria na festa de Temer pelo recuo e pelas burradas de Janot. Eu já havia dito isto, a PGR estava agindo partidariamente, Janot tem partido e estava agindo pelos interesses de seu partido. Mas se enrolou e agora teve de ceder e fazer um estrago no seu PT.

Denunciou Dilma, finalmente! Por mais burra que ela fosse era impossível ficar sentada na cadeira de Presidente da República por quase seis anos e não ver a roubalheira. A cegueira neste caso é sinônimo de esperteza e rendeu ótimos frutos em propina.

Janot teve de agir e agora ficou para nova PGR tocar adiante as denúncias, o que certamente fará, pois o foco sai do Congresso e vai para o PT, de novo. O que é interessante para alguns safados de plantão, embora ainda seja uma droga para o país. O ideal era pegar toda a corja de vez, numa cajadada só.

O PT ensaiou uma comemoração no caso Geddel, fingindo que o tal de Geddel não foi Ministro de Lula, nem alto funcionário de Dilma. Mas o ex-ministro, ex-manda-chuva, ex-coordenador de campanha e escroque Palocci cantou que nem passarinho em manhã ensolarada e deu todo o serviço.

Entregou o Chefe, a Chefe e toda a camarilha. Deu o serviço, o número da conta, o operador e o valor operado. Confirmou o que os outros delatores vinham dizendo mas com mais propriedade pois pode afirmar e afirmou: eu vi! Eu estava lá. Lula mandou, disse Palocci. Podem até tentar negar, mas o agora auto-intitulado Italiano era um Grão Petista, homem de confiança estava junto e dedurou o Chefe. Se sobreviver será execrado, mas agora é tarde.

E outros vão cantar rapidinho. Mantega sabe que se não cantar vai acabar na cadeia. E o boi, quero dizer, Paulo Bernardo tem na cabeça alguns motivos para entregar todo mundo, especialmente sua amada esposa. Basta colocá-los na jaula, da qual escaparam e, em poucos dias estarão cantando como o Italiano.

E só passaram-se sete dias do mês. Dia treze (viram treze) teremos o julgamento do Zé Dirceu no TRF 4. E, com justiça será reconduzido à Curitiba para mofar e morrer na cadeia. Vai acabar a farra, as cartas, entrevistas e ordens no partido. Este não vai falar, mas não importa, que morra na cadeia que é seu lugar.

O Mochi Vaccari também será julgado. Que seja condenado para continuar, justamente preso, pagando por seus crimes que não são poucos. Este sim se confirmada a condenação deverá abrir o bico.

O STF está contra a parede e deve apressar a condição de réu da camarilha toda e como sabemos réu no STF não pode ocupar a linha sucessória da presidência da República, portanto não deverá poder ser candidato. Viu Lula?

E no mesmo dia 13, o mais Honesto, o Capo di tutti Capi, o Nove-dedos encontrará de novo em Curitiba o Juiz Moro. Deve estar se cagando, pois agora o buraco vai ser mais embaixo. E como o dinheiro e a cara de pau estão acabando então teremos um cirquinho mixuruca para acompanhá-lo, provavelmente formado só por políticos, as nossas custas, e por Sem-terra, Sindicalistas e outros vagabundos profissionais.

É! Setembro promete!

Amanhã no dia da Pátria vistam verde e amarelo, nossas cores, e vão às ruas comemorar e apoiar o Brasil novo que está nascendo a partir de Curitiba.

Feliz dia da Pátria! Feliz 7 de Setembro!

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

HERINGER – CHARGE ONLINE

ESTAMOS FIRMES COM ELE! PODES CRER, AMIZADE

Comentário sobre a postagem UMA LINDA MANCHETE PRA ENCERRAR O EXPEDIENTE DESTA QUARTA-FEIRA

Goiano:

“Espero que todos estejam assistindo aos vídeos para opinarem que quanto mais se ataca Lula mais estamos firmes com ele!

Lula virá, não adianta inventar, não resolve mentir, de nada vale mentir.

A verdade de Lula transparece, estamos com ele e com Lula o Brasil voltará a crescer com humanidade.”

* * *

Se afogou-se, se lascou-se, se arrombou-se. Para o Brasil, uma alegre partida. Tchau, Lu-La-Lau!

7 setembro 2017 FULEIRAGEM

SID – CHARGE ONLINE


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa