1 outubro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – AMAZÔNIA JORNAL (PA)

AVANÇO PARA O ATRASO

Tarso Genro espera que, em 2018, o PT olhe para o futuro dando dez passos para o passado

“Ele tem que ser o candidato da esquerda e do centro democrático progressista e antineoliberal. Não pode ser um candidato que vá se escorar nas alianças que já superamos. Tenho certeza que o Haddad sabe isso muito mais do que eu. Ele tem que estar no centro da disputa política”.

Tarso Genro, ex-governador do Rio Grande do Sul, explicando que o plano do PT para perder as eleições em 2018 consiste em trocar a candidatura de Lula pela de Haddad e a aliança com José Sarney e Edison Lobão por uma parceria com Jandira Feghali e Vanessa Grazziotin.

1 outubro 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

FRAGMENTOS DE UMA PEQUENA QUASE LENDA SEM PÉ NEM CABEÇA

Num fim de tarde de outubro, um jovem médico caminhava sozinho pelas areias de uma das praias da sua cidade, assobiando a música “Desbravador dos sete mares” – que todo mundo pensa que é de Tim Maia mas é de Lulu Santos -, quando vislumbrou entre espumas, um pacote que era levado e trazido de volta pelas ondas.

O jovem pegou o pacote que tinha o formato de um queijo de coalho e era embalado com fita de empacotamento marrom da marca “SCOTH”. Não teve dúvida do seu conteúdo e já pensava em presenteá-lo a um outro jovem poeta amigo seu que acabara de voltar de uma viagem de turismo etílico a um país da América Latina.

Tomando em mãos o embrulho, pela sua consistência, o jovem logo percebeu que se enganara, não era o que pensava.

Dirigindo-se ao calçadão da avenida, ali sentou-se e com ajuda dos dentes conseguiu rasgar a embalagem que, para sua surpresa, guardava um velho alfarrábio escrito em javanês sânscrito de uma era qualquer AC.

Intelcetual que era, o jovem logo decifrou o conteúdo do alfarrábio que mandava que ele, na companhia de outros famosos amigos, fosse até um hotel numa determinada cidade do interior e, lá chegando, subisse até o topo de uma montanha e lá procurasse um Xamã de uma tribo de índios todos louros descendentes de Vikings, que moravam em casas de taipa com paredes precárias, bebiam água suja e cachaça e fumavam liamba em cachimbos sagrados.

O Xamã, (pra encurtar a história) foi curto e grosso:

“Vocês que eram cinco inseparáveis amigos, depois passaram a ser quatro, agora serão apenas dois, abandonem com a maior brevidade possível dois dos seus amigos, que bebem rum e uísque de qualidade duvidosa.

Larguem todos os bares e mercados públicos, frequentados por eles e voltem imediatamente pra o “CLUB DU VIN” de onde nunca deveriam ter saído”.

Os dois amigos (agora são dois) médicos retornaram, puseram em prática os ensinamento do XAMÃ, evitando o contato com os velhos e sem futuro amigos.

E assim viveram sempre muito felizes daí pra frente, frequentando ambientes, agora de classe.

Enquanto seus velhos ex amigos continuaram na sina que lhes escolheram os seus destinos.

Frequentando bares decadentes, mercados públicos, bebendo rum e uísque de qualidade duvidosa…

1 outubro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – O LIBERAL (PA)

1 outubro 2017 JOSIAS DE SOUZA

LULA VIROU UMA VIRTUDE COM OS GLÚTEOS NA VITRINE

Até agora, sem uma defesa técnica convincente, Lula vinha enfrentando seu calvário criminal acorrentado ao enredo-procissão. Nele, a divindade percorre sua via-crúcis, cabendo aos devotos gritar “amém” e denunciar os ímpios que tentam crucificar o político mais honesto que o espelho já conheceu. Mas a conversão do discípulo Antonio Palocci à Lava Jato fez de Lula uma espécie de virtude com os glúteos expostos na vitrine.

A decomposição da imagem de Lula atingiu um estágio inédito. O imaculado do PT conseguira atravessar o mensalão sem amarrotar o terno. Na Era do petrolão, depois que a soma das denúncias acomodadas sobre seus ombros chegou à marca de nove, Lula perdeu o paletó e a camisa. Quando sete dessas denúncias foram convertidas em ações penais, ele ficou sem as calças.

A pena de nove anos e meio de cadeia imposta por Sergio Moro deixou Lula sem cueca. Mas ele ainda aguardava no fundo da loja pelo julgamento do recurso no TRF-4. Os glúteos da virtude foram à vitrine por duas razões. Uma é a devastadora carta em que Antonio Palocci se desfiliou do PT com a seguinte pergunta: “Afinal, somos um partido político sob a liderança de pessoas de carne e osso ou somos uma seita guiada por uma pretensa divindade.” A outra razão é a incapacidade de Lula de demonstrar a honestidade que até o ex-discípulo é incapaz de reconhecer.

Medida por seus autocritérios, a virtude de Lula é tão exagerada que, em vez de favorecer, pode aniquilar. Há tantos “mentirosos” contestando Lula que o beato do PT vai se transformando num personagem inacreditável. Os delatores da Odebrecht confirmam a propina. O “laranja” que assumiu o apartamento de São Bernardo desmente a fábula do aluguel. A herdeira do imóvel informa ao fisco que o vendeu imaginando que Lula era o comprador.

Foi contra esse pano de fundo que Palocci disparou suas interrogações mortais. Como essa: “Até quando vamos fingir acreditar na autoproclamação do ‘homem mais honesto do país’ enquanto os presentes, os sítios, os apartamentos e até o prédio do Instituto são atribuídosa dona Marisa?”

O contrário do antilulismo que o PT supõe existir é o pró-lulismo que o PT gostaria que existisse. Tal sentimento, para sobreviver, exigiria a aceitação de todas as presunções de Lula a seu próprio respeito. Algo que só seria possível com a aceitação da tese segundo a qual Lula de fato tem uma missão especial no mundo, de inspiração divina e, portanto, inquestionável.

Se Lula reconhecer que também está sujeito à condição humana, pode sair da vitrine. Se seus advogados pararem de atacar investigadores e magistrados para levar meio quilo de explicações à balança, Lula pode recuperar o paletó. Se a defesa parar de utilizar Marisa Letícia como álibi de todas as culpas, o marido talvez consiga reaver a cueca.

Quanto às calças, não será fácil tê-las de volta. A coisa seria simples se os ataques de Palocci tivessem transformado Lula num político igual a todos os outros. Mas foi pior do que isso. A descompostura companheira fez de Lula um personagem completamente diferente de si mesmo – ou da divindade que ele imaginava ser.

1 outubro 2017 FULEIRAGEM

YKENGA – CHARGE ONLINE

VIADO É VIADO

Sabem concordo com o Berto (Editor do JBF) nestes últimos dias além dos absurdos da política e dos altos comissionados da justiça, além das notícias sobre a corrupção endêmica e sistêmica em nosso Brasil e, é claro, além da cara-de-pau cada vez mais escrota de Lula. Outro tema tem tomado conta dos noticiários brazucas: arte e viadagem.

Viadagem com ‘i’ mesmo, de viado com ‘i’. Aqui no sul veado é o bicho, a bicha nós chamamos de viado, por isso viadagem com ‘i’, desculpem a redundância.

Só se fala de baitola, de bicha tendo ataques e de exposições de ‘arte’ que deixariam o Kid Bengala constrangido. Achei que não devia opinar, depois fiquei me questionando se não estaria sendo preconceituoso.

Mas na real, não sou preconceituoso. Tenho opiniões e a tal de constituição ainda me garante o direito de expressá-las. Aliás acho que nossa constituição deveria evoluir e ir ao encontro da bicentenária constituição americana em termos de liberdade de expressão.

Ninguém pode ficar ofendido pela opinião do outro ou pelo o que o outro é ou deseja ser, não é? Concordo, em grau, gênero e número. Logo ninguém pode tolher ou ofender-se com o que eu penso ou com o que eu digo, direitos recíprocos.

Hora se não podemos criticar isto que ‘eles’ chamam de arte e, que para mim é pouca vergonha, porque ‘eles’ podem censurar o que eu penso. A imprensa resolveu que grupos de pessoas ou grupos da sociedade como o MBL são quase criminosos porque se organizaram e foram as ruas e redes sociais protestar por aquilo que lhes incomoda.

As esquerdas acham muito bom protestar desde que ela (a esquerda) paute os protestos, se alguém protestar por algo contrário a sua cartilha é fascista, nazista, um monte de ‘istas’, é homofóbico, é de direita, etc.

No Brasil de hoje, se depender ‘deles’, ser homem, macho, branco, trabalhador, classe média, honesto e ter uma religião (principalmente se for católico) será crime inafiançável. Daqui um tempo ‘eles’ proporão uma exceção nos tais Direitos Humanos para permitirem a fuzilamento em praça pública dos ‘ogros’ e ‘trogloditas’ que ousam ter nascidos brancos, trabalham, temem a um Deus e gostam de mulheres. Que horror! Dirão. Homens que gostam apenas de mulheres?!!

Neste dia tornar-me-ei criminoso, mas antes de me fuzilarem levarei alguns junto. Pois sou, com muito orgulho, um admirador das mulheres em todas as suas dimensões, já disse aqui que não gosto de homem nem por perto. Sou branco, de nascença, embora seja temerário falar isto na miscelânea racial brasileira, mas meu biotipo é caucasiano. Sou trabalhador e ainda estudo. Trabalho de 8 a 10 horas diárias (em aulas, pesquisa, projetos e orientações) e estudo outras quatro horas (estou concluindo minha 5ª graduação, embora já tenha especialização, mestrado e doutorado). Faço caridade, pago meus impostos, tento ser alguém útil na sociedade. Não sou católico, mas isto nem o atual Papa o é, sou espirita (racionalista Cristão). E trabalho diuturnamente por uma sociedade justa e perfeita, à Glória do Grande Arquiteto do Universo.

Em resumo sou o algoz ideal desta canalha, sou o protótipo de tudo aquilo que eles odeiam e querem destruir. Mas não vou, jamais, mudar meus valores por aquilo que os outros pensam. Tenho uma máxima em minha vida ‘posso não concordar com, absolutamente nada, daquilo que dizes; mas lutarei até a morte para que possas dizê-lo’, portanto também não aceito que me impeçam de expor minhas opiniões.

Partindo deste princípio vou expor algumas ideias talvez um pouco incomodas para almas mais sensíveis, mas azar quem não quiser que não leia.

Primeiro não sou preconceituoso contra homossexuais… Aliás tenho vários amigos que o são. Um grande amigo, profissional conceituadíssimo, grande gestor e professor que é homossexual assumido, mas sem os trejeitos e frescuras, sempre diz que chamar viado de homossexual é muita viadagem. Viado é viado! Coisa que o cantor cearense Falcão já nos disse no sucesso ‘Holiday foi muito’.

Tenho amigos e conhecidos viados e sapatões. Dai, algum problema? Não nenhum problema. Eles dão o que é deles, se relacionam com quem querem e fazem de suas vidas o que lhes apraz. Acho isto muito salutar e não tenho nenhum problema com isto.

O problema está quando o cara resolve que eu tenho que achar bonito ou resolve que quer dar para mim ou pior ainda quando ele acha que eu tenho de dar junto. Ai não meu amigo, eu respeito tuas escolhas, respeite as minhas.

O que eu penso e aquilo que eu quero vivenciar ou com quem quero conviver são escolhas minhas. Se eu respeito as ‘escolhas’ dos outros, que me respeitem, ou o pau vai comer e não no sentido sexual da coisa.

Liberdade é isto, é fazer de sua vida o que se quer e respeitar as vidas e opiniões dos demais. E ai me incomoda esta cruzada, literalmente, que esta havendo na imprensa tentando nos pôr goela abaixo a ‘causa gay’. Ninguém vai me pôr nada goela abaixo.

O problema é que querem incutir na cabeça das crianças que é normal, ou pior, que é o correto. E assim vão deturpando nossa juventude. Não pensam na família destas crianças, na formação religiosa e cultural de seus pais. Só querem ‘respeito’ a sua causa.

Se querem respeito que se deem ao respeito, é isto. Já disse que aceito a dita ‘viadagem’. Mas que não é natural, ou melhor, não é a conduta mais natural, não é. Se fosse, a raça humana não se reproduziria sexuadamente (é meus caros para fazer uma criança precisamos de um homem e de uma mulher) e sim partenogeneticamente.

E ai? O que estamos tendo agora? Uma guerra. A mídia nos bombardeia com a causa gay 24 horas por dia, o desgoverno do PT com o Haddad tentou criar uma cartilha gay para crianças e implantar banheiros mistos em escolas (ia ser uma putaria), não conseguiu porque a sociedade reagiu e vai reagir cada vez mais.

A população brasileira é em sua maioria conservadora e religiosa, putaria só na zona e não na televisão. E agora aprendeu a se organizar e vai reagir. E os ‘zintelectuais’ de esquerda dizem que são minorias de direita.

Não meus caros, não mesmo! São a maioria reacionária (reacionária no bom sentido) da população brasileira. São as famílias que revoltadas com a putaria que os senhores vem pregando resolveram expressar sua opinião. E a esta maioria se juntam os liberais, como eu. De saco cheio das picuinhas, ranços, belicosidade e imbecialidades de nossa esquerda pseudo intelectualizada.

Este senhores é o peso de uma democracia de verdade. Não aquelas que os senhores admiram tanto em Cuba ou na Coréia do Norte (dois países, aliás, onde ser viado é crime passível de prisão perpétua ou pena de morte).

Não é a voz da censura ou atraso que estamos ouvindo é a voz do povo. É a voz da maioria absoluta dos brasileiros, respeitem-na!

Claro que cabe ao Estado garantir as liberdades das minorias e sua voz, mas cabe a estas minorias saberem respeitar o que pensa a maioria do país, embora esta maioria agora tenha aprendido a pensar sozinha e diferente daquilo que as esquerdas acham.

Dito isto acho louvável os protestos contra as putarias do Queermuseu e acho que a exposição do MOM em São Paulo deve ser proibida para menores e o dito ‘ator’ ser processado por estupro da menor com quem interagiu.

Dinheiro público nestes dois casos deve ser devolvido com juros. É o que penso e pelo que ouço nas ruas (não na imprensa, impregnada do ranço esquerdista e que não mais mostra fatos e notícias, apenas versões agradáveis aos esquerdopatas) também é o que pensa a maioria dos brasileiros.

Portanto meus amigos continuo achando que vocês podem dar o que quiserem e fazerem de suas vidas o que quiserem. Mas continuarei pensando que não é o curso natural das coisas, continuarei gostando de mulher cada vez mais (embora eu seja pelotense) e continuarei afirmando que ‘viado é viado’. Homofóbico? Talvez e daí, homofobia não é crime.

Eu respeito suas opções, respeitem as minhas! Democracia e liberdade são isto, fazer o que queremos, falar o que queremos e muitas vezes ouvir o que não queremos.

Eu estou pronto a ouvir e a respeitar pois não deixarei de falar!

Mas e nossas esquerdas e a dita ‘comunidade gay’ estarão prontas a ouvir e aceitar a opinião do Brasil? Só se concordarem com suas pautas? Então vocês não lutam por uma causa, lutam por uma ditadura, lutam pro falsos valores.

E de ditaduras, falsos valores e mentiras estamos cheios!

Um beijo à todos, sem viadagem!

1 outubro 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

1 outubro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

CALENDÁRIO GREGORIANO NÃO É O CALENDÁRIO LULIANO

Os desastrados forjadores de recibos do além – recibos psicografados em nome de Dona Marisa Letícia -, precisam ser avisados de um detalhe sutil mas importante.

Hoje, domingo, é dia 1º de outubro de 2017.

Hoje NÃO é 31 de setembro.

E, já que falamos em domingo, temos um bom pretexto pra ouvir música.

Um excelente dia para toda comunidade fubânica!

1 outubro 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

A RELEITURA DA CARTA SUGERE QUE PALOCCI TEM FLECHAS DE SOBRA

Que Rodrigo Janot, que nada: quem tem flechas de sobra é Antonio Palocci, sugere a releitura mais atenta da carta em que o ex-ministro formalizou o seu adeus ao PT. A primeira flechada mira na destinatária para fulminar o alvo real – a arrogância de Dilma Rousseff. Ao dirigir-se à “senhora presidente”, Palocci negou a Gleisi Hoffmann o ridículo tratamento que teve de usar enquanto chefiou a Casa Civil da “presidenta” que o impeachment transferiu do Planalto para a lata de lixo da História.

A chuva inaugural de setas sangra o partido que celebra delinquentes juramentados, atira ao purgatório quem ousa admitir o próprio envolvimento em patifarias devassadas pela Lava Jato e condena ao fogo do inferno quem ousa dizer a verdade sobre o dono do time que logo estará disputando com o PCC a liderança do campeonato nacional dos presidiários. Depois de reiterar que está disposto a pagar pelos pecados que cometeu, o arqueiro mais perigoso do Planalto convida os meliantes companheiros a buscar o caminho da salvação. Como se houvesse salvação para quem canoniza corruptos irremissíveis.

O relator do texto esbanja familiaridade com os pontos fracos de cada alvo. A dose de veneno aumenta consideravelmente no lote de flechas reservado a Lula. As mais letais atingem a farsa do menino retirante que passou fome em São Paulo, venceu todos os infortúnios e virou presidente para salvar os pobres da morte por inanição. A carta desloca essa figura fictícia para o terreno pantanoso da corrupção. É nesse terreno malcheiroso que chapinha a divindade acanalhada que, em sermões de missa negra, culpa a mulher pelas obscenidades que protagonizou.

Os estragos já visíveis incluem os sintomas de desequilíbrio emocional exibidos por Lula. O hepta-réu da Lava Jato, por exemplo, já não sabe quantos dias tem novembro ou quando agosto termina. As flechadas que vêm aí vão tornar inevitável o confisco da liberdade de um farsante que, sem emprego regular desde 1978, virou dono de imobiliária clandestina – e um dos maiores falsificadores de escrituras desde o primeiro caso de estelionato registrado no Brasil.

1 outubro 2017 FULEIRAGEM

MARIANO – CHARGE ONLINE

1 outubro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

A FOME NA CALIFÓRNIA É PIOR DO QUE NO HAITI

Esta notícia é de hoje, domingo, 1º de outubro de 2017.

E saiu no jornal O Globo, expoente da grande mídia reacionária e golpista.

Vejam que manchete medonha:

Aconselho meus desesperados compatriotas – sobretudo os policiais que fogem da violência -, a pensarem bem antes de decidir partir em desabalada correira para a terra dos zimperialistas zianques.

O colunista fubânico Goiano, em comentário feito ontem, comparou a fome que grassa nos Zistados Zunidos com a fome do resto do Planeta Terra.

A fome que massacra os zamericanos é mais cruel que a fome que dizima os habitantes do Haiti.

Em San Francisco e Nova Iorque, por exemplo, a roedeira das tripas é mais tenebrosa do que em Camaguey e Havana, fazendo com que as meninas ianques se prostituam aos montes.

Vejam o que Goiano escreveu:

Para oferta de xoxota não é preciso ir a Cuba. Um estudo “Impossible Choices”, feito em parceria com Feeding America, fez o Globo estampar a seguinte manchete: ADOLESCENTES NOS EUA SE PROSTITUEM PARA FUGIR À FOME. Mas parece que a fome americana é diferente da fome cubana.

Pois é isto mesmo: as adolescentes americanas estão dando a tabaca e o furico a troco de sanduíche da McDonalds.

A data e o link da matéria citada, vocês não precisam pedir pra ele, que é especialista em catação e coleta de detalhes de suma importância para avançados estudos político-sociológicos.

É só clicar aqui pra ler a matéria, publicada há um ano.

Leiam e comprovem que a situação social dos Zistados Zunidos do aloprado Trump está infinitamente pior que a situação  social da  Cuba do pacato Raul Castro.

Adolescentes cubanas OP (Operárias Prostitutas), libertas da tirania burguesa, aguardando fregueses no Malecón, em Havana; são apenas três, enquanto que em Chicago e Los Angeles são milhares

1 outubro 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE


REBOLANDO NO MATO UM PENICO DE BOSTA

Penico velho de ágata – ou “urinó” para alguns matutos

Muito melhor que coçar frieira na beirada da rede, é cagar no mato. Cagar no mato quando se está com vontade de fazer isso, é uma coisa maravilhosa – melhor, ainda, se for trepado numa árvore, com porcos e galinhas incomodado. Vira cena hilária.

Limpar o fiofó com folha de marmeleiro, sabugo, palha de milho ou algo que tenha à mão. Essa é a chamada “barrigada” no dizer de quem quer jogar alguma coisa fora.

Por anos seguidos o “jogar barro fora” no interior era feito num buraco cavado no quintal, com apoio de paus e varas para o cagão se equilibrar; e coberto com palhas para os animais (galinhas, patos, catraios e porcos) não caírem na merda – o que obrigaria diariamente a alguém ter que descer para recuperar o animal ou deixa-lo morrer na bosta.

Mas esse era o cagador para pessoas jovens e até a meia idade. Idosos e crianças tinham sempre algo diferente à disposição. Era o penico. Penico de barro ou de ágata, colocado à disposição na camarinha.

Sempre que o dia amanhecia, alguém tinha a responsabilidade de “rebolar no mato o penico de mijo ou de bosta”. Aproveitava para lavar o dito cujo e colocá-lo na ponta de uma das varas da cerca. Perto de uma terrina com água, ficava também uma vassourinha, exclusivamente para ajudar na assepsia do penico.

Era hábito corrente em algumas casas do interior, cavar o buraco da bosta com até 6 metros de profundidade. Como se fora uma cacimba. Também era hábito, cobrir o buraco com paus, varas e palhas. A exposição ao sol e às chuvas por longo tempo, acabava por apodrecer os paus, as varas e as palhas.

Certo dia meu Avô resolveu tomar umas calibrinas e foi além da conta e do tempo. Era um domingo e o jumento Jombrega foi quem o trouxe para casa. O jumento voltou muito mais por que estava com fome, e claro, por que fazia aquele mesmo trajeto todos os dias.

Quando Vovô chegou em casa, nem teve tempo de tirar a cela, a cangalha e os cambitos do Jombrega. Foi direto para o buraco, jogar o barro fora. O pau de apoio estava podre e quebrou e Vovô caiu no buraco da bosta. Passou a noite ali. Na merda. Vovó não tinha como ajuda-lo a subir. Foi zoação por anos e anos.

* * *

Casa do pau encarnado

Flamboyant – o pau encarnado

Com certeza muitos já ouviram falar em Jessier Quirino, Rogaciano Leite, Zé Limeira, Ariano Suassuna, Orlando Silveira, Dalinha Catunda e essa “cabraiada” famosa que “veve e alegra” o nosso sertão. E antes que alguém tente me corrigir, “veve” e não “vive”, é cuma se fala nesse sertão de meu Deus.

Patativa do Assaré ficou famoso, por que o Assaré é alto sertão cearense e fica bem pertim de Orós, lugarzinho fei, onde nasceu Raimundim Fagner, o cabra que se treme todim quando canta. Arre égua! Parece que quando canta adoece de “cesão”, uma doença que dá lá para as nossas bandas – o cabra se treme todim!

Pois, muito embora não tenha nascido no Ceará, quem também acabou ficando famoso, foi “Seu Lunga” – e ficou famoso só por causa das respostas atravessadas que dava para as perguntas idiotas.

Agora vosmecê pega uma máquina de somar (a geração de hoje não faz “conta de cabeça”) e junta Rogaciano, Jessier, Luiz Berto, Dalinha, Ariano, Zé Limeira e Fred Monteiro que não vai dar alguém do topete de Nhonhoca – a mulher mais grossa e mal educada que já apareceu nim riba dessa terra.

A bicha era grossa, siô. Mas era tão grossa que começava pelos beiços e se acabava no osso do calcanhar. Era grossa da cabeça inté os pés. Arre égua! Era mais grossa do que calçada de amolar faca.

Eis que certa noite Nhonhoca estava deitada numa espreguiçadeira colocada de frente para a porteira de casa, quando, “lá fora” alguém que passava, parou e perguntou:

– Ei, dona Nhonhoca, sabe me informar aonde mora Germanim de Dora?

– Sei! Ele mora lá na casa do pau encarnado!

OBS: “Casa do pau encarnado” nada mais era que uma casa na beirada da estrada, onde reinava florido um flamboyant – mas que servia de referência nas primaveras.

1 outubro 2017 FULEIRAGEM

VERONEZI – GAZETA DE PIRACICABA (SP)

ALAMIR LONGO – QUARAÍ-RS

Estimado Editor Berto,

Cada dia que passa fico mais impressionado com a dinâmica do nosso Besta Fubana.

Imagine que a gente é informado até dos outros comentários no post em que se comenta.

Se recebe informação de tudo.

Incrível, sensacional e muito gratificante.

É por isso que o número dos que acessam o BF vai se multiplicando dia a dia embora já seja gigantesco.

Mas nada acontece por acaso. Muito menos o sucesso dessa Gazeta. A gente sabe e reconhece que é graças ao trabalho perseverante, competente, meticuloso e, sobretudo, feito com muito amor e dedicação

Descobrir o Besta Fubana, para mim, foi achar um tesouro.

Muitíssimo obrigado!

Saúde, sucesso, paz e um ótimo fim de semana.

Da fronteira gaúcha.

R. Você me deixou ancho que só a porra com esta sua mensagem, meu caro colunista.

Ganhei meu final de semana!

Melhor do que isto que você escreveu, só a mesmo a notícia que me foi enviada pelo Serviço de Inteligência do JBF: a Vaca Peidona está puta de raiva com esta gazeta escrota.

Ela disse que não aguenta mais tantas calúnias e tantas injustiças escritas por este Editor.

Eu se mijei-me todinho de tanto se rir-se-me.

A alegria tomou conta do meu peito.

Num é ótimo???!!!

Deixar esta descerebrada petêlha puta de raiva é uma prova irrefutável de que estamos no caminho certo.

Agradeço do fundo do coração a força e as carinhosas palavras (as suas e as de Dilma…)

E vamos em frente!

Vou fechar esta postagem com um vídeo que me foi enviado pelo leitor Márcio Santucci, um seu coestaduano residente em Uruguaiana.

Uma autêntica declamação gauchesca pampeira, intitulada “O sapo mais honesto do Brasil“.

1 outubro 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

LUIZ GONZÁGUA

Certa manhã de março de 1991, eu estava numa autoestrada chegando em Bruxelas. Liguei o rádio para saber como era e o que havia naquela cidade. O locutor, muito animado, logo anunciou: “e agora vamos ouvir LUIZ GONZÁGUA”. Demos boas risadas com sua pronuncia e passamos a comentar: “Faz sentido, ele deve ter conhecido o cantor através de Asa Branca ou Vozes da Seca e não teve dúvida em incluir a água em seu nome”. Mas a música que tocou em seguida foi O fole roncou.

Assim, entramos na cidade animadíssimos ao som de um forró arretado. A cidade pareceu bem mais alegre do que realmente era. A música nos proporcionava uma saudade gostosa e um certo orgulho de sermos conterrâneos do ilustre cantor.

Esta digressão saudosista serve para informar aos leitores fubânicos que o painel de “Ilustres pernambucanos”, que vimos publicando aqui às terças-feiras, desde o início do ano, está próximo do fim. Hoje estamos no ilustre nº 40 e no final de dezembro chegaremos ao nº 53 apresentando Luiz Gonzaga. Desse modo, vamos encerrar o painel comemorativo do bicentenário da Revolução Pernambucana, de 1817. Confesso que eu mesmo fiquei surpreendido com tantos nomes ilustres, que ilustram e fazem de Pernambuco um lugar destacado no País. Começamos com Chacrinha e terminamos com Luiz Gonzaga. Creio que que acertamos nos nomes apropriados para animar uma festa comemorativa de 200 anos. Quem quiser ver todo o painel, pode acessar o link Tiro de Letra.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa