4 novembro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

4 novembro 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

FRANCISCO CIASCA – SÃO PAULO-SP

Amigo Berto

aqui em São Paulo são 17,30 hs e até agora estou órfão.

Nenhuma atualização do melhor jornal.

Estou completamente desinformado.

Abraços amigão.

R. E aqui no Recife são 16:30, uma hora a menos.

Ficamos fora do ar neste sábado por conta da mudança de hospedagem.

Não foi pane ou desmantelo. Foi só um ajuste.

E, por conta deste ajuste, é possível que algumas postagens saiam meio desmanteladas, um pouco fora do padrão editorial normal deste jornal.

A mudança de hospedeiro é pra deixar esta gazeta escrota mais ágil.

Espero que isto se concretize e que o nosso esforço consiga vencer as pragas dos invejosos.

Abraços e um excelente final de semana pra todos os fubânicos daí da Terra da Garoa, a cidade brasileira com a maior quantidade de acessos e de viciados neste JBF.

4 novembro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – O LIBERAL (PA)

JOAO ROBERTO MACIEL DE AQUINO – SANHARÓ-PE

O DEDO DO EXÉRCITO

Oh, brasileiro sacana,
pra gostar de arriar!
Até com o presidente,
cismaram de aprontar,
dizendo que ele já tava
há cinco dias sem mijar
e chamaram o SAMU ligeiro
antes dele desmaiar,
foram pro Hospital de Base,
pro doutor examinar,
surgiu Dr. Coronel
de tudo que foi lugar,
passaram quase dois dias
pra diagnosticar,
era próstata empanzinada,
danaram-se a cutucar,
rasparam, quebraram pregas,
e, pra desmoralizar,
tão chamando o cavucado
no furico do coitado,
de INTERVENÇÃO MILITAR.

4 novembro 2017 FULEIRAGEM

MÁRIO – TRIBUNA DE MINAS

“MAXIXE DA FAMÍLIA” POR FAMÍLIA OZZETI

4 novembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

4 novembro 2017 DEU NO JORNAL

EFEITO CASCATA EM PROPORÇÃO BANÂNICO-BOSTÍFERA

Assembleias estaduais e Câmaras municipais do Brasil estão usando uma decisão do Superior Tribunal Federal para soltar parlamentares presos por suspeita de corrupção.

O ato é criticado por juristas que classificam as ações como abusivas.

Recentemente, em Mato Grosso o deputado estadual Gilmar Fabris foi solto depois que Assembleia Legislativa de Mato Grosso votou pela soltura dele.

Deputados e vereadores têm sem beneficiado pelas medidas.

A decisão do STF diz que as medidas cautelares aplicadas contra os parlamentares presos podem ser derrubadas pelos legislativos estaduais e municipais. A determinação gerou consequências logo em seguida.

O caso mais emblemático é do senador Aécio Neves. O STF decidiu que as punições impostas contra ele, como a obrigatoriedade de ficar em casa à noite e a perda do mandado, teriam que ser autorizadas pelo próprio Senado.

O resultado: o Senado rejeitou as punições e Aécio voltou a exercer livremente as funções dele.

* * *

Eu só não vou chamar esta nação banânica de cabaré porque irei ofender as putas, uma nação de gente trabalhadora que ganha a vida honestamente. Dando duro e levando duro.

Agora, pra completar a esculhambação, só faltar Lula ser eleito ano que vem e nomear seu aliado Renan Calheiros para ser ministro da justiça.

Nóis merece!!!!!!!!!!!!!!!!

4 novembro 2017 FULEIRAGEM

S. SALVADOR – ESTADO DE MINAS

4 novembro 2017 HORA DA POESIA

CASTELÃ DA TRISTEZA – Florbela Espanca

Altiva e couraçada de desdém,
Vivo sozinha em meu castelo: a Dor!
Passa por ele a luz de todo o amor…
E nunca em meu castelo entrou alguém!

Castelã da Tristeza, vês?… A quem? …
– E o meu olhar é interrogador –
Perscruto, ao longe, as sombras do sol-pôr…
Chora o silêncio… nada…ninguém vem…

Castelã da Tristeza, porque choras
Lendo, toda de branco, um livro de horas,
À sombra rendilhada dos vitrais?…

À noite, debruçada, plas ameias,
Porque rezas baixinho? … Porque anseias?…
Que sonho afagam tuas mãos reais?

4 novembro 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

4 novembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

UMA PAPA-FIGA NO MINISTÉRIO DO LOBISOMEM

4 novembro 2017 FULEIRAGEM

CHICO CARUSO – O GLOBO

FÁBIO – LOJA PASSADISCO – RECIFE-PE

Caro Berto.

Hoje, 04 de novembro, a partir das 16 horas, o escritor Bráulio Tavares estará lançando na Passa Disco o seu novo livro; o primeiro volume de uma trilogia sobre a cantoria: “Arte e Ciência da Cantoria de Viola” (Bagaço).

Bráulio é também cantor e compositor; suas músicas já foram gravadas por Elba Ramalho (“Nordeste independente“, “Caldeirão dos mitos“), Lenine (“O dia em que faremos contato“, “O último por do sol“, “Caribenha nação“), Zé Ramalho (“Trupizupe“), entre outros.

Conto (mais uma vez) com a divulgação fubânica da sua Besta.

Abraços

R. A comunidade fubânica estará presente neste evento, meu caro. Pode ter certeza

Bráulio Tavares é um cabra talentoso, um grande estudioso da cultura nordestina e merece o sucesso que faz.

Este livro dele, Cantoria de Viola, em dois volumes, certamente é uma obra-prima, um estudo profundo sobre o assunto.

Vamos aproveitar o pretexto pra ouvir um dos grandes sucessos de Bráulio, Caldeirão dos Mitos, na voz de Elba Ramalho:

4 novembro 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

É TUDO UM PISCAR DE OLHOS

Houve um tempo que me incomodava ouvir falar de morte ou de vida após a morte, mas, à medida que os anos atingem os costados de nossa existência o homem fica mais reflexivo com relação ao seu futuro, e queda-se perguntando: Por quantos anos ainda respirarei o ar fresco da vida? Para onde irei? O que me acontecerá após a ultrapassagem da tênue barreira que divide a vida da morte?

Sim, são perguntas pertinentes, porque a morte é a única certeza plena no transcorrer de nossa trajetória humana. E a vida?… Ah! A vida não passa de uma nuvem passageira perante a escala de tempo de Albert Einstein (1879-1955).

Por falar em Einstein, qual a visão deixada pelos grandes pensadores acerca da vida?… E sobre a morte? No entendimento de Sócrates (469a.C.- 399a.C.), que já defendia, naquela época, a imortalidade da alma, o ser humano é um espírito encarnado que vive algum tempo na matéria. Acerca do tema assim ditou ele:

No mundo físico a alma se conturba e fica perdida porque está vinculada a objetos perecíveis. Mas, ao voltar-se para si mesma, vislumbra as ideias imortais que outrora conhecera. Este é o momento definido como sabedoria. Daí a necessidade do “conhece-te a ti mesmo”. Ainda segundo Sócrates, somente os que cultivarem a virtude nada temerão da vida que continuará depois da morte.

Sócrates definiu filosofia como “preparação para a morte”. Schopenhauer (1788 – 1860), na mesma linha de pensamento do filósofo grego, afirmou que a “a morte é a musa da filosofia”. Então, será a filosofia a ciência da morte?

Também houve um tempo que eu sonhava com uma vida de riqueza, poder e feitos épicos, mas a própria vida me mostrou a utopia de tudo isso, e me fez derivar para uma interpretação mais simples e objetiva para a nossa existência.

Tanto é assim que a minha filosofia se assemelha a de Ariano Suassuna ao discorrer sobre Deus e o sentido da vida: Deus para mim é uma necessidade. Se eu não acreditasse em Deus eu seria um desesperado.

Hoje eu assimilo melhor as palavras do compositor Gonzaguinha ao aconselhar, na canção, que viver e não ter a vergonha de ser feliz. Ou quando afiança que a vida é uma doce ilusão ou, ainda, que é uma gota, é um tempo que nem dá um segundo, mas que nada impede de repetirmos que ela é bonita, é bonita e é bonita!

Voltaire (1694-1778), o filósofo francês, disse: Nós nascemos sozinhos. Nós vivemos sozinhos. Nós morremos sozinhos. E qualquer coisa neste intervalo que possa nos dar a ilusão de que não estamos sós, nós nos agarramos a ela. Ao trocarmos em miúdos esse pensamento, advém a seguinte reflexão: Nascemos sem trazer nada. Morremos sem levar nada. E nesse meio tempo brigamos por coisas que não trouxemos nem levaremos.

Segura teu filho no colo, sorria e abraça teus pais enquanto estão aqui

Que a vida é trem-bala parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir.

E nem é preciso ser um grande pensador para descrever o sentido da existência, com gritante objetividade, como a compositora Ana Vilela na canção Trem-Bala, lembrando-nos que o interregno do nascimento à morte não passa de um piscar de olhos.

4 novembro 2017 FULEIRAGEM




www.cantinhodadalinha.blogspot.com
AMIGA BRUXA

Amiga, muito obrigada
Por essa sua atenção
Trepar no pau da vassoura
Era a sua diversão
Aquele negro vestido
Já era bem conhecido
Voando pelo sertão.

Entre o cabo e a vassoura
De um tudo acontecia
Era tempo de fartura
Você nem se maldizia
E cansou de me dizer
Que alcançava seu prazer
No ato de bruxaria.

Quando findava outubro
Com cruel satisfação
Da dispensa retirava
O seu velho caldeirão
E em meio a gargalhada
No meio da madrugada
Caprichava na porção.

Você bem sabe que é bruxa
Vem e diz que sou também
Eu não vou dizer que não
Pois não sei se me convém
Um cabinho de vassoura
É coisa que não desdoura
Quem esfregou o sedém.

4 novembro 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa