9 novembro 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

SUEVAN BRAGA – CAUCAIA-CE

Amigo Berto.

Muito bom dia pra você.

Nós, da bela cidade de Caucaia-ce, estamos lhe enviando um grande abraço e gratidões.

Essa é uma história baseada em fato real.

Publique na Besta Fubana.

Agradecemos.

* * *

Amanda era uma menina bonita que gostava de pintar, olhar as flores e sonhar sendo uma linda beija-flor para visitar cada rosa que existia na sua casa. Era muito vaidosa e gostava de ficar em frente ao espelho contemplando seus belos cabelos encaracolados. Na escola não faltavam elogios.

Sua escola por ser muito ativa, se escreveu numa competição e inventou um quadro para apresentar, no qual as crianças iriam se tranformar em personagens escolhidas pela professora. Por ser muito bonita e ter esses belos cabelos, Amanda foi escolhida para fazer a rainha da peça. Ela ficou radiante. Não via a hora de chegar em casa e contar para sua mãe. Na volta a escola, começaram os ensaios. J´estava no nono dia. A apresentação estava próxima. Não se continua de tanta ansiedade.

No caminho, vinha tão empolgada que não viu a sua frente um escada com um pintor que estava em cima pintando uma fachada. Amanda tropeçou na escada e para sua falta de sorte, uma lata de tinta caiu em sua cabeça e pregou todo seu cabelo. Saiu desesperada para casa para lavar os cabelos e tirar a tinta.

Mas que nada. A tinta já tinha secado e enlinhado tudo. Sua mãe teve que cortar to seus cabelos e por cima deixá-la careca. Quando a menina se viu no espelho, quase morreu de tanta tristeza. O que ia fazer? Afinal a apresentação seria no dia seguinte. Recolheu-se no quarto e só fazia chorar. Então sua mãe teve uma ideia: Comprar uma peruca para Amanda. Foi rápido ao quarto e contou para menina que aceitou a ideia, colocou um lenço na cabeça e sairam rapidamente em busca desse acessório. Procuraram em tudo que era loja e nada. Nenhuma peruca combinava com Amanda e o personagem.

A pobre menina ficava cada minuto mais triste, afinal seria uma competição com outras escolas e a melhor apresentação receberia um prêmio e a rainha mais bonita, teria um ano de reinado na rede escolar da cidade.

Depois de todas as opções serem esgotadas, a menina não se conteve e chorou muito na última loja, se lamentando pela situação.

Uma senhora que estava ao lado ouviu e tudo e se aproximou:

– Ouvi o que vocês estavam falando. Eu tiver uma doença que meu cabelo caiu. Tive que usar uma peruca. Ví o sofrimento da menina e gostaria de dizer a vocês que eu tenho uma do geito que vocês estão procurando. Só temos que fazer um pequeno aperto.

Foi como se o mundo se abrisse para Amanda que ficou radiante e foi na casa da senhora buscar a peruca. Quiseram pagar, mas a senhora não quis e só pediu que Amanda fosse muito feliz na apresentação. Foram direto para casa fazer os acertos . Ficou perfeita. Amanda estava linda.

No dia da apresentação, a menininha estava impecável. Bela. Uma verdadeira princesa. A apresentação de Amanda foi linda. Assim que terminou, muitos correram para abraçar a menina. Mas… o improvável aconteceu. Alguém ,quando foi abraçar Amanda , pegou no seus cabelos e a peruca caiu. Todos ficaram surpresos. Alguns pensaram em rir e outros não sabiam o que dizer. Ficaram por alí se olhando e foram sentar e esperar o resultado da competição. Amanda estava arrasada.

Quando foram anunciar a rainha, todos ficaram tensos. Antes seria certa a vitória de Amanda, mas agora, com essa situação, não haveria chance.

O diretor da escola foi anunciar o resultado e Amanda ficou em último lugar.

Todos olharam com muita tristeza para a menininha.

A vencedora caberia o direito de se expressar no microfone. Quem ganhou estava tão emocionada que nada falou.

Nisso, Amanda foi até o diretor e pediu o direito da palavra que lhe foi concedido, pela impulgação que estava em seus olhos.

– “Boa noite a todos. Hoje pela manhã, eu era uma derrotada. De repente me veio uma sobrevida. Tive a chance de lutar e fui a luta. Em nenhum momento desistí. Eu e minha mãe rodamos toda cidade em busca de uma peruca. Quando tudo estava perdido apareceu uma senhora que nos deu uma lição de vida e vontade de viver.

Hoje, nesse momento, em fiquei em último lugar na competição, mas para o meu coração, fiquei em primeiro no amor que recebí .

Aprendi que numa competição, aquele que nunca dessiste, será sempre um vencedor”.

A platéia que ouvia tudo atenta e derramando lágrimas, se levantou e aplaudiu Amanda que saia da competição com o título de “ Rainha da superação.”

9 novembro 2017 FULEIRAGEM

LANE – CHARGE ONLINE

9 novembro 2017 PERCIVAL PUGGINA

CASTRO & CASTRO CIA. LTDA.

Cuba proporciona ao estudioso uma das histórias mais dramáticas na vida do continente. No período que vai do século XVI ao XIX, às causas usuais de debilidade econômica das colônias tropicais (extrativismo, monopólio da metrópole e uso intensivo de mão de obra escrava), somava-se, como complicador da cena interna cubana, a grande proximidade com os Estados Unidos.

Parte expressiva da elite local, olhos postos na prosperidade do gigantesco vizinho, foi seduzida pelo desejo de anexação. No entanto, também em relação a esse objetivo, o domínio espanhol se constituía em obstáculo. Por isso, tanto os que queriam a independência quanto os anexionistas precisavam livrar-se do jugo ibérico.

A despeito da enorme desproporção de forças, a Ilha foi palco de duas longas guerras contra a Espanha. A primeira durou de 1868 a 1878. A segunda começou em 1895 e se prolongou, sem sucesso, até que, no início de 1898, a explosão do navio USS Maine, que estava ancorado no porto de Havana, alterou o cenário do conflito. Identificado o caráter intencional do ato que matou 260 marinheiros enquanto dormiam, os norte-americanos desembarcaram em Cuba e, poucos meses depois, a Espanha entregava os anéis para preservar os dedos, firmando um tratado de paz que transferiu Cuba, Porto Rico e Filipinas para os Estados Unidos.

Assim, ao entrar no século XX, quando todas as outras colônias espanholas já estavam libertadas havia décadas, Cuba trocou de bandeira. Arriou a espanhola e desfraldou a norte-americana. E mesmo quando, três anos mais tarde, conseguiu estabelecer uma gestão cubana, seria extremamente contrário à verdade dos fatos afirmar que aquele autogoverno fosse suficiente para caracterizar um estado nacional soberano. O senhorio ianque era evidente e se manteve, com intervenções diretas e indiretas e sempre com forte presença econômica e política, situação que persistiu até cessar o apoio a Fulgêncio Batista em fins de 1958.

Embora a economia prosperasse, num cenário paradisíaco e ornado por belíssimas construções coloniais (hoje em ruínas), o fato é que Cuba, até a metade do século passado não era, ainda, uma nação independente. Por isso, o mundo saudou a vitória dos guerrilheiros de Sierra Maestra. Raiava, enfim, a liberdade sobre Cuba!

Qual o quê! Bastaram dois anos sem suporte americano para Fidel declarar-se comunista de carteirinha e entregar o país numa bandeja à União Soviética. Nas três décadas seguintes, em troca de vultosas vantagens comerciais, Cuba se converteu na principal fornecedora de infantaria combatente para guerrilhas comunistas em locais tão dispersos quanto Panamá, República Dominica, Haiti, El Salvador, Nicarágua, Guatemala, Colômbia, Peru, Bolívia, Honduras, Somália, Angola, Congo, Moçambique e Etiópia.

Como escrevi em “Cuba, a Tragédia da Utopia”, o sangue e a vida da juventude cubana foram arrendados a URSS por um ditador que gastava hectolitros de saliva para discorrer sobre autodeterminação dos povos. E enquanto se imiscuía com intuitos revolucionários em autonomias alheias, cedia a de seu próprio país aos russos. O fato é que até o desmoronamento da URSS em 1991, a bela ilha caribenha ainda não conhecera uma real independência. E quando essa situação se impôs no início dos anos 90, ela chegou sob a forma de um amargo abandono à própria sorte. A histórica pobreza da sociedade se converteu em miséria, tendo início o período que Fidel, eufemisticamente, denominou “Período Especial” e eu chamo “Caos econômico por falta de patrocinador”.

Resumindo: ainda que nestes últimos anos, o Estado cubano esteja vivendo, pela primeira vez, como senhor de seu destino, o fato é que, para o povo, permanece a submissão que antes foi à Espanha, depois aos Estados Unidos, mais tarde aos interesses econômicos norte-americanos, posteriormente a Fidel e ao Partido Comunista Cubano. E dentro desse aziago período, três longas décadas de ingerência russa.

Quando se aproxima o 59º aniversário da revolução, se justifica plenamente a dúvida que me assiste desde a sucessão de Fidel por Raúl. O povo cubano vive sob uma monarquia comunista onde a transmissão do poder se faz por consanguineidade ou como empregado muito mal pago da firma Castro & Castro Cia. Ltda.?

9 novembro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

WILLIAM WAACK

* * *
Nota do Editor:

Para saber mais sobre este assunto, leia matéria publicada na página G1, integrante das Organizações Globo. Clique aqui.

9 novembro 2017 FULEIRAGEM

TACHO – JORNAL NH (RS)

ALTO NÍVEL DO DEBATE POLÍTICO NACIONÁ

Cada candidato dirige um desaforo ao adversário com direito a uma réplica de dois segundos:

– …Saiba Vossa Excelência que na minha cabeça ninguém caga.

– Pois fique sabendo que comigo a parada é dobrada, escreveu não leu o pau comeu.

– Comigo não tem pescoço, tudo é gógó.

– Comigo ninguém tira leite com espuma.

– Pois vamos emendar as camisas pra ver a tapa voar?

– Eu emendo sim as camisas, pois quando me abufelo madeira sobe de preço.

– Pois fique sabendo que eu sou uma pessoa que nunca morreu e não tem inveja de quem morre.

– E eu sou uma pessoa que nunca morreu e nem tem inveja de quem Deus já matou.

– Pois pise no meu pé e diga quantos murros quer.

– Pise no meu e veja quem se fodeu.

– Retire essa palavra do debate.

– Minha palavra é feito peido, não tem retorno; pronto.

9 novembro 2017 FULEIRAGEM

ZOP – CHARGE ONLINE

9 novembro 2017 DEU NO JORNAL

AJUDA NÓIS, CUMPANHERO!

A presidente do PT e réu na Lava Jato, senadora Gleisi Hoffmann, gravou vídeo pedindo doações para bancar a “caravana de Lula” já que o PT “não tem mais doações externas ao partido”, explica ela.

* * *

As “doações externas” vinham da Odebrecht.

Mas Marcelo está na cadeia e as doações externas sumiram.

Também não é mais possível Lula se deslocar por Banânia a bordo dos jatinhos do prisioneiro Eike Batista.

Além disto, já tem 1 ano e 69 dias que o PMDB está no poder, de caneta na mão, e as torneiras secaram pro lado do PT.

De modo que vamos atender ao apelo da ré Gleisi Hoffman – cognominada de Amante na lista de propinas da Odebrecht -, e vamos ajudar o pobre coitado a continuar lotando as ruas com suas vibrantes caravanas.

Conforme vemos no noticiário as caravanas de Lula tem sido um sucesso da porra.

Um sucesso vermêio-istrelado do carai!

Para fazer uma doação, basta entrar na página da organização criminosa, facção do Rio de Janeiro, clicando aqui.

Vamos lá gente!

Vamos ajudar o pobre coitado, o proletário, o torneiro mecânico, o liso, o fudido, o endividado.

Ele precisa do nosso patriótico apoio.

9 novembro 2017 FULEIRAGEM

MYRRIA – A CRÍTICA (AM)


STAND-UP COM POESIA

CLAUSURA

Vivo enclausurado
Na doçura dos teus beijos
Nas curvas fechadas
Do teu corpo nu…
Quando começo a viver
Me embaraço de desejo
Porque me mato de amor
No momento que te vejo.

QUANDO EU DIGO

Quando eu digo
Vou embora
É porque fico
E jamais vou
Meu a Deus
Significa
Uma oferenda
Ao Criador.
Quase sempre
Uma oração
De um pecador

VERBOS A PARTE

O homem divide-se
Em três partes,
A primeira é barro
É terra fria,
A segunda é arte,
É alma é poesia.
A terceira sou eu
Quem diria.

VAZIO

Meu peito está vazio
Não tem mais coração
Substituí por fibra ótica
Pra levar minha paixão

COISA DE LOUCO

Esta tua boca
Feita só de lábios
Coisa de louco…

Estas tuas mãos
Quando me afaga
Me deixa elétrico…

Este teu corpo
Cheio de curvas
É um perigo…

Dentro do teu peito
Não tem coração
Tem fibra ótica
Para transmitir
Tamanha paixão

Mas, se não fosse
Pecado, pecar…
Não houvesse castigo
Talvez, quem sabe
Casar-me-ia contigo.

NÃO DIGA

Não diga “por conta de”
Nem também, “sou de menor”
Para a língua não ferir
Diga sim, “por causa de”
E “eu sou menor, ou maior”

Não diga, “moro na rua”
Procure outro lugar
“Moro à rua”, por favor
Morar na rua é perigoso
Você pode se machucar

Não diga, “sentei na mesa”
A mesa pode quebrar
“Sente-se à mesa”, por favor
Ou procure outro lugar.

Não diga, “fui no banco”
“Fui ao banco”, por favor
Mostre que está antenado
E pela língua tenha amor.

Pode falar o que quiser
Mas, só diga onde
Se souber aonde
E só diga aonde
Quando não souber

Quem fala errado produz afta

9 novembro 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

9 novembro 2017 DEU NO JORNAL

UMA PAÍS DA PORRA!!!!

Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes devem soltar Eduardo Cunha.

O julgamento de seu habeas corpus pela Segunda Turma do STF foi marcado para o dia 28.

Depois de engavetar as denúncias contra Michel Temer e de abafar os grampos da JBS, só falta soltar o chefe peemedebista.

* * *

E alguém duvida que isto possa acontecer?

Hein?

Vocês tão lembrados em que país nós vivemos?

Pois é.

Isto aqui é a República Federativa de Banânia!

Vamos repetir os nomes do trio que vai julgar o habeas corpus de Cunhão:

Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes.

Só mesmo numa republiqueta banânica feito esta nossa, é que seria possível uma indecência deste porte:  Toffoli, Lewandowski e Gilmar ocupando cadeiras no órgão máximo da justiça do país.

Agora, pra completar e fechar o círculo, só falta mesmo o réu Renan Calheiros (Senado) e o prisioneiro Eduardo Cunha (Câmara), ocuparem a chefia do Legislativo e, coroando tudo, o condenado Lula assumir a chefia do Executivo.

Judiciário, Legislativo e Executivo nas mãos desta tropa.

Não se esqueçam que já tivemos presidentes, eleitos pelo povão, do porte de Jânio Quadros, Fernando Collor, Lula e Dilma.

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!

9 novembro 2017 FULEIRAGEM

MYRRIA – A CRÍTICA (AM)

9 novembro 2017 DODDO FELIX - GORJEIOS


A VAQUEJADA

I

Dois vaqueiros. Um boi encurralado
dentro da sanga hostil, muito assustado,
entregue à própria sorte, enfurecido.
Gritarias e apupos da plateia,
que mais parece uma louca alcateia
numa orgia selvagem sem sentido.

Quanta aflição esse animal devora!
No estreito brete o castigo piora.
A sede e a fome já turvam-lhe a vista.
Eis aberta afinal a portinhola…
Qual se os cascos pisassem sobre mola,
num impulso é jogado para a pista.

Em princípio, atônito, não sabe
que papel no espetáculo lhe cabe.
Sem escolha, só resta, então, correr…
E dispara, a seguir, apavorado,
os vaqueiros no encalço, lado a lado…
A plateia delira de prazer!

II

Esta festa popular
do nordeste brasileiro
envolve um par de cavalos
e uma dupla de vaqueiros.
É a vaquejada, vista
por esse sertão inteiro.

Uma dupla corajosa
se apresenta como artista.
Sua proeza consiste
em derrubar boi na pista.
Quanto mais queda ela dá,
mais fama e troféus conquista.

Outrora o gado era solto
no pasto sem divisão.
Cada ano, a vaqueirama,
em forma de mutirão,
reunia as reses para
fazer a apartação.

Hoje a festa está moderna,
ficou mais sofisticada,
existem regras e prêmios,
é bastante divulgada.
Transformou-se em festa vip
a popular vaquejada!

9 novembro 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE


http://orlandosilveira1956.blogspot.com.br/
RAPIDÍSSIMAS

DIFERENÇAS

Crianças passam pela fase do “por quê?” Uma chatice. Velhos enveredam pelo beco do “para quê?” Uma lástima.

* * *

RECEITINHA

Na dúvida, mostre-se pessimista. Muitos vão tomá-lo por “cabeça”.

* * *

E OS AMORES SE FORAM

Não lamento. Fui junto.

* * *

GLÓRIAS

Vivo das que jamais tive.

* * *

LIBERDADE, LIBERDADE

Não tenho mais opinião definitiva sobre nada.

* * *

TAREFA IMPOSSÍVEL

Perdão, senhor, jamais me recolherei à minha insignificância. Dela nunca saí.

* * *

BAIXA TEMPORADA

– Pois é, minha velha, está difícil inventar.

* * *

DE CARA LIMPA

É difícil sustentar, com a maioria das pessoas, um papinho de meia hora.

* * *

LAGOSTA

– Querida: você tem muitos sabores. Meu predileto é o de frutos do mar.

* * *

TPM

– Isaura, o que acaba com você não é a feiura: é o gênio.

9 novembro 2017 FULEIRAGEM

MARIANO – CHARGE ONLINE

9 novembro 2017 DEU NO JORNAL

AMIGO É COISA PRA SE GUARDAR

O fotógrafo de Lula, Ricardo Stuckert, recebia 40 mil reais por mês do esquema de propinas de Sérgio Cabral.

O mensalinho, segundo O Globo, durou de 2012 a 2014.

O delator Renato Pereira, responsável pelos pagamentos, disse que se tratava de um agrado de Sérgio Cabral ao comandante máximo do PT.

Um agrado de aproximadamente um milhão de reais.

“Até o fotógrafo deste companheiro eu faço questão de pagar. Amigo é coisa pra se guardar no lado esquerdo do peito”

* * *

Um cabra cuja missão é tirar retratos do maior cara-de-pau de Banânia, merece ser regiamente recompensado.

Ou, melhor dizendo, lulaicamente recompensado.

Um milhão é muito pouco.

Sérgio Cabral, o presidiário que é amigo-irmão de Lula, já que o dinheiro não saía mesmo do bolso dele, deveria ter propinado o fotógrafo Ricardo Stucker com uma quantia 13 vezes maior.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa