A TINTA

Seu João Bento vendia madeira (caibros e linhas) e residia no mesmo local onde trabalhava. Todos os dias, ia à bodega de Dona Luíza, vizinha à sua casa, e tomava algumas bicadas de cachaça.

Certo dia, comprou um galão de tinta, para pintar a frente da pequena casa onde morava. Quando começou a pintura, viu que a tinta não correspondia à cor escolhida na loja. Já tinha pintado a parede quase toda e não tinha mais como trocar a lata de tinta. Contrariado, ficou esbravejando, achando a cor da parede horrorosa. Realmente, o amarelo marfim que ele comprara tinha sido trocado, por um amarelo-ferrugem, avermelhado. Como já estava usando a tinta, estava sem jeito. Sua vontade era voltar à loja e quebrar a cara do vendedor irresponsável, que lhe entregou a tinta errada. Muito triste, ele começou a desabafar com todas as pessoas que por sua casa passavam. Elas foram unânimes em concordar com ele, dizendo que, de fato, a tinta era muito feia.

Seu João Bento, antes de começar a pintura da frente da casa, já tinha tomado a primeira chamada de cachaça do dia. Quando percebeu a troca da tinta, já tinha usado uma boa parte do galão. Ficou contrariado, até a medula óssea.

De repente, mudou o cenário. Pela frente da sua casa, vinha passando a professora Dona Elisa, que era incapaz de um comentário depreciativo, que contrariasse alguém. E a bondosa senhora cumprimentou o homem, delicadamente:

– Bom dia, Seu João Bento! Como está ficando linda sua casa! Que cor bonita e diferente! Está formidável!

Contrariado, Seu João Bento respondeu:

-Bom dia, Dona Elisa! Veja que moleza a minha: Comprei uma tinta amarela, linda, e me mandaram esta cor horrível! Estou com vontade de voltar na loja e quebrar a cara do vendedor!

Muito inteligente, Dona Elisa, vendo o estado de nervos do homem, procurou acalmá-lo:

-Seu João Bento, a cor da tinta está linda! Um amarelo diferente! Está formidável! Pode acreditar! Da próxima vez que eu mandar pintar minha casa, vai ser da cor da sua!

Seu João Bento ficou mais calmo e Dona Elisa seguiu para a escola onde lecionava.

O homem entrou novamente na bodega de dona Luíza e tomou mais três chamadas de cachaça, uma atrás da outra. Embriagado, fez um verdadeiro discurso. Mesmo revoltado com a cor da tinta, teceu grandes elogios à Dona Elisa:

-Dona Elisa é uma santa! Não faz mal a ninguém. Achou linda a tinta que veio trocada. Disse até que vai mandar pintar a casa dela da mesma cor da minha!

Também, mesmo que eu estivesse pintando a casa com tinta cor de “bosta” ela teria dito a mesma coisa:

“Está FORMIDÁVEL, Seu João Bento!”

10 novembro 2017 FULEIRAGEM

MÁRIO – TRIBUNA DE MINAS

10 novembro 2017 DEU NO JORNAL

COMO OS DOIS SE PARECEM…

O deputado João Rodrigues (PSD-SC) encheu a boca para condenar Wesley Batista na sessão da CPMI da JBS, ocorrida quarta-feira (8).

Entre tantas flechas direcionadas ao executivo, o deputado disse que ele contribuiu para piorar este país e que, ao contrário do que se esperava, Batistinha deveria criar “coragem” e ser “honesto uma vez na vida” para contar “absolutamente tudo” que ele sabe. O controlador, durante toda a sessão, permaneceu em silêncio.

Cheio de pompa, o deputado Rodrigues disse ainda que “a Justiça tarda, mas não falha” e desejou que a estada do empresário na prisão seja “longa” e “boa”.

Pois bem. Para o verborrágico parlamentar, pau que bate em Chicho não bate em Francisco. Enquanto prefeito de Pinhalzinho (SC), foi condenado a cinco anos de prisão por fraude em uma licitação. Ele aguarda julgamento de recurso no STF.

Rodrigues foi condenado também por improbidade administrativa por determinar a pintura e decoração de prédios e bens públicos com cores do partido a que pertencia quando prefeito. Ele também aguarda decisão de recurso.

Como se não bastasse, ele ainda é réu em outros três processos de ação civil por improbidade.

Ele disse, em nome dos brasileiros e parlamentares, como ele, que estão “pagando uma conta cara para manter este país de pé”, que a atuação de Wesley Batista é uma “vergonha”.

* * *

Não sei porque…

Lendo a verborrgia demagógica deste corrupto, me lembrei das caganeiras orais de Lula.

Um réu com uma ficha suja querendo bancar a palmatória do mundo e falando das ladroagens alheias.

É Lula todinho!

Este nosso pensamento é interessante: dá cada volta da porra.

Vôte!

10 novembro 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

SEU PEREIRA

10 novembro 2017 FULEIRAGEM

ZOP – CHARGE ONLINE

OITO MOTES BEM GLOSADOS

Pedro Otávio

Adeus, adeus companheiros
Já são horas da partida.

Meus amigos verdadeiros
Da grande luta da vida
É hora da despedida
Adeus, adeus companheiros
Da dor, do riso, parceiros
Nesta quadra já corrida
No peito sangra a ferida
A saudade me devora
A lembrança fala, chora
Já são horas da partida.

* * *

Carlos Severiano Cavalcanti

Devagar, como fogo de monturo,
a saudade invadiu meu coração.

Na fazenda, nasci e me criei,
peraltava e fazia escaramuça,
morcegava, no campo, a besta ruça,
jararaca até mesmo já matei.
Não me lembro da vez em que acordei
assombrado com tiros de trovão,
pinotava da rede para o chão
e saía correndo pelo escuro.
Devagar, como fogo de monturo,
a saudade invadiu meu coração.

* * *

Pinto do Monteiro

Quem é vaqueiro não pode
Ser cantador de viola.

Vaqueiro é pra pegar touro,
Amansar bezerro e vaca,
Cortar pau, fazer estaca
E preparar bebedouro.
Comer queijo e beber soro,
Curtir couro e fazer sola;
Fazer freio e rabichola,
Tirar leite e capar bode,
Quem é vaqueiro não pode
Ser cantador de viola.

* * *

João Paraibano

Poesia é a própria voz divina
A vibrar no baião dos cantadores.

Eu sou mais um repórter do diário
Das notícias que a mão de Deus escreve
Se sou pobre, não estou fazendo greve
Reclamando um aumento de salário
Desconheço o que é dicionário
Onde vejo um letreiro estranho as cores
Nunca tive lição de professores
Quando eu erro um poema, Deus me ensina
Poesia é a própria voz divina
A vibrar no baião dos cantadores.

* * *

Cicinho Gomes

A lua vinha beijando
A linda barra do dia.

Num recanto de quintal,
Num cocho de catingueira,
Vi uma vaca leiteira
Lambendo um resto de sal.
O úbere, um manancial
Que nas pernas não cabia.
E enquanto a mesma lambia
O seu bezerro apojando,
A lua vinha beijando
A linda barra do dia.

* * *

Zé Barreto

Por esses caminhos venho
pedaços de mim deixando.

Nem juntos arte e engenho
de Camões podem cantar
como em vão a tropeçar
por esses caminhos venho.
O amor para mim é lenho
que em meio aos lobos em bando,
aos trancos vou carregando
e a cada mulher que passa
sou tragado na fumaça,
pedaços de mim deixando.

* * *

Nonato Costa

Pra findar a viagem sem tristeza,
É preciso saber envelhecer.

Quem não quer ficar velho é infeliz
Perde a calma de tudo e não sossega:
Passa o tempo no espelho atrás de prega
Pra depois dar serviço aos bisturis…
Sempre esconde a idade e nunca diz,
Fica velho por dentro sem querer
Tenha fé, deixe a ruga aparecer,
Não se lance de encontro à natureza
Pra findar a viagem sem tristeza,
É preciso saber envelhecer.

* * *

Zé Limeira

Me diz coração ingrato
Qual foi o mal que te fiz.

A minha amada primeira
Conheci na escritura
Comendo uma rapadura
Em riba da cumiera
Peguei minha ‘balieira’
Dei um tiro na infeliz
Errei, pegou num concriz
Mordendo a boca d’um pato
Me diz coração ingrato
Qual foi o mal que te fiz.

10 novembro 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

LADRÃO COM CARÁTER

Cabral argumenta que até pode ser acusado de roubo, corrupção e formação de quadrilha, mas elaboração de dossiês contra juízes é demais

“Não é da minha índole. Isso foi feito contra mim maldosamente”.

Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, preso há quase um ano por excesso de bandalheiras, ao negar, na mais recente audiência com o juiz Marcelo Bretas, ter participado da elaboração de um dossiê contra o magistrado, explicando que sua “índole” só permite crimes como corrupção, roubo, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e desvio de dinheiro público, fora o resto.

10 novembro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

FESTIVAIS

Jair Rodrigues – (1939-2014)
* * *

01 – Disparada – (Geraldo Vandré/Théo de Barros) – Jair Rodrigues – 1966 Disparada

02 – Cantiga por Luciana – (Paulinho Tapajós/Edmundo Souto) – Evinha – 1968 Cantiga Por Luciana
03 – Foi Deus quem fez você – (Luiz Ramalho) – Amelinha – 1980 Foi Deus Quem Fez Você
04 – Ponteio – (Edu Lobo/Capinam) – Edu Lobo e Marília Medalha – 1967 Ponteio
05 – BR-3 – (Antonio Adolfo/Tibério Gaspar) – Toni Tornado e Trio Ternura – 1970 Br-3
06 – Maria, carnaval e cinzas – (Luiz Carlos Paraná) – Roberto Carlos – 1967 Maria, Carnaval E Cinzas
07 – A Banda – (Chico Buarque) – Nara Leão – 1966 A Banda
08 – Eu quero é botar meu bloco na rua – (S.Sampaio) – Sérgio Sampaio – 1972 Eu Quero é Botar Meu Bloco Na Rua
09 – Domingo no parque – (G.Gil) – Gilberto Gil e Os Mutantes – 1968 Domingo No Parque
10 – Dona – (Sá/Guarabyra) – Sá e Guarabyra – 1982 Dona
11 – Porto Solidão – (Zeca Bahia/Gincko) – Jessé – 1980 Porto Solidão
12 – Reunião de bacana – (Ary do Cavaco/Bebeto de São João) – Exporta Samba – 1980 Reuniao De Bacana
13 – Universo no teu corpo – (Taiguara) – Taiguara – 1970 Universo No Teu Corpo
14 – Farofa-fá – (Mauro Celso) – Mauro Celso – 1975 Farofa-fá
15 – Fio Maravilha – (Jorge Ben) – Maria Alcina – 1972 Fio Maravilha
16 – Agonia – (Mongol) – Oswaldo Montenegro – 1980 Agonia

10 novembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

10 novembro 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

10 novembro 2017 HORA DA POESIA

PÂNTANOS – Anderson Braga Horta

Caía o luar nos pântanos tranquilos.
Um sapo-boi coaxava tristemente.
A sinfonia sem calor dos grilos
enchia o quarto e entrava-me na mente.

Pus-me a escutá-los, momentaneamente:
cantavam mal… E eu me cansei de ouvi-los,
metendo o olhar, indagadoramente,
dentro da noite plena de sigilos.

Loucas perguntas, que ninguém responde,
em mim ecoavam, como numa furna.
E ébrio de sono e angústia, de repente,

julguei que os homens fossem brejos, onde,
regendo a triste orquestração noturna,
um sapo-boi coaxasse gravemente…

10 novembro 2017 FULEIRAGEM

CHICO CARUSO – O GLOBO

10 novembro 2017 EVENTOS

NOVEMBRO AZUL

O mês de novembro marca o Novembro Azul, movimento que tem como objetivo chamar a atenção da sociedade para o câncer de próstata. A doença é o segundo tipo de câncer mais comum em homens, atrás apenas do de pele. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), somente em 2016 foram registrados mais de 60 mil novos casos no Brasil. Em 2015, a doença foi responsável pela morte de quase 14 mil homens. Além disso, outras doenças também podem afetar a próstata, causando transtornos e inconvenientes para o público masculino.

“O câncer de próstata é o silencioso. Os sintomas aparecem quando a doença já está bastante avançada. O ideal é que o tratamento comece antes de eles surgirem”, afirma Guilherme Maia, urologista do Hospital Santa Joana Recife. Os exames de toque e de sangue (PSA) são indispensáveis para odiagnóstico correto. “Todo homem com mais de 45 anosdeve consultar um urologista anualmente para fazer os exames necessários e checar o risco não só para o câncer, mas também para outras doenças”, explica o especialista.

A hiperplasia prostática benigna se caracteriza pelo crescimento da próstata, comprimindo a uretra e obstruindo o fluxo de urina, podendo levar a infecções e insuficiência renal. “Ela normalmente acomete 80% dos homens com mais de 45 anos e não possui uma causa específica”, ressalta o médico. O sintoma mais comum nesses casos é a vontade constantede urinar. “Quando o homem envelhece, a próstata aumenta. Isso é natural. Não tem nenhuma ligação com câncer e o tratamento pode ser através de medicamentos e, em alguns casos, cirurgia”, explica.

Outra doença que pode afetar muitos homens é a prostatite, caracterizada pela inflamação e infecção da próstata. É o problema urológico que mais acomete os homens com menos de 50 anos. Entre as possíveis causas estão as bactérias presentes na uretra, na bexiga e na urina.Os sintomas mais comuns são dores na região púbica, no pênis e nos testículos, desconforto durante relação sexual, aumento da frequência urinária, ardência ou diminuição do jato da urina e febre. “O tratamento deve ser acompanhado por hidratação rigorosa e uso de antibiótico específico para bactérias urológicas no período de três a quatro semanas, podendo ser prolongado por até dois meses”, finaliza.

10 novembro 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

10 novembro 2017 DEU NO JORNAL

DUAS QUADRILHAS BANÂNICAS COM SIGLA PARTIDÁRIA

A presidente do Partido dos Trabalhadores, senadora Gleisi Hoffmann, disse em Porto Alegre, na noite desta quinta, que a possibilidade de o PT fazer uma aliança com o PMDB no seu estado, o Paraná, é “muito grande” e defendeu a análise de “realidades regionais”.

“No meu estado, o Paraná, o PMDB golpista é o Requião, que não é golpista, que esteve junto com a gente. A possibilidade do PT fazer aliança com o PMDB no Paraná é muito grande e nem por isso vai ser uma aliança com golpista. Porque ele [Requião] não foi golpista.”, disse Gleisi sobre Requião, que votou contra o impeachment de Dilma.

PT-PMDB; Lula, Requião e Amante: três tolôtes do mesmo pinico

* * *

Vamos botar o jumento fubânico Polodoro pra rinchar.

Em homenagem à Amante e aos que votaram nela.

E, de quebra, pra rinchar também em homenagem a todo militante petista e a todo eleitor de Lula.

Rincha, Polodoro!

10 novembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

10 novembro 2017 JORGE OLIVEIRA

TEMER E MEIRELLES VENDEM O PAÍS PARA OS CHINESES

Para os maluquetes que foram às ruas gritar “é golpe, é golpe”, o PT agora reponde com aliança com o PMDB golpista em pelos menos seis estados: Alagoas, Ceará, Piauí, Sergipe, Minas Gerais e Paraná com o aval de Lula, que, com isso, acha que pode tirar o partido do esgoto, onde ambos os partidos estão metidos. Essa aliança justifica o silêncio do Partido dos Trabalhadores as mazelas do governo Temer e a negociata do patrimônio brasileiro como a Eletrobras, a maior holding de energia elétrica do Planeta que, certamente, cairá nas mãos dos chineses.

Esses mesmos maluquetes que se esgoelaram para denunciar o “golpe”, estão passivos diante da liquidação das empresas brasileiras que começou com os aeroportos e estão chegando ao patrimônio estratégico do país, como o setor de energia – hidrelétrico e petrolífero. Este ano, os chineses já investiram 8,5 bilhões de dólares em empresas brasileiras, participando com 12% de todos os leilões realizados até agora. Mas, na verdade, os olhos chineses visam o domínio energético, estratégico em qualquer nação. De uma só tacada eles compraram quatro usinas hidrelétricas este ano.

O grupo chinês Spic pagou apenas pela usina São Simão, da Cemig, 7 bilhões de reais no pregão. Eles também se movimentam para arrematar as áreas mais promissoras de petróleo nas bacias produtoras do Brasil. De 2009 a 2016, a fatia de participação dos chineses nas compras e fusões em empresas brasileiras nunca havia ultrapassado os 4%. Mas, este ano, 35% do valor gasto pelos estrangeiros no Brasil vieram do bolso dos chineses.

E os maluquetes? Continuam silenciosos. Apenas para lembrar, na eleição que disputou com Lula, Geraldo Alckmin chegou até se fantasiar de estatal (portava as logomarcas das grandes empresas estatais na camisa) para negar que iria privatizá-las, como alardeava o Lula nos seus programas eleitorais. Descobriu-se, depois, que o PT tinha um interesse peculiar para defender essas empresas: roubá-las. E assim os militantes fizeram durante quatorze anos, saqueando os cofres da Petrobrás, da Eletrobras e de empresas termonucleares, apenas para citar algumas.

E os maluquetes? Durante todo esse período, os maluquetes também se locupletaram da baderna financeira. A República Sindical ocupou postos estratégicos nas empresas estatais e de lá saíram com as burras cheias de dinheiro. Muitos estão em cana. Um deles, o Vaccari, ex-tesoureiro do PT, acaba de sofrer um revés. Viu os desembargadores gaúchos dobrarem a sua pena. Para quem já se achava com os pés fora do presídio, não deixa de ser um balde de água fria nas suas pretensões de liberdade. A expectativa agora é de delação.

E os chineses? Sim, os chineses. No governo de Temer, os chineses estão deitando na sopa porque conhecem a dificuldade financeira do Brasil para fechar suas contas. Por isso pretendem ampliar “legalmente” o espaço deles nesse setor: o de energia. A exemplo do que aconteceu com as rodovias brasileiras que pioraram com a privatização – algumas delas até foram devolvidas ao governo -, não existe nenhuma garantia dos chineses de grandes investimentos no setor hidrelétrico. Além disso, não é correto o país entregar seu patrimônio estratégico (segurança nacional) a estrangeiros, sujeito a um apagão numa situação de conflito.

Isso ocorre, evidentemente, porque o Temer é o governo do faz de conta. Ele senta na cadeira de presidente, mas quem manda na economia é o Henrique Meirelles, o banqueiro, fantasiado de liberal e boa “gente” que está liquidando o país em nome da recuperação econômica e da inflação controlada. Só um idiota não percebe que Meirelles transformou o Brasil em um balcão de negócios, onde a voz mais ouvida é a do “quem dá mais” do leiloeiro. Para o Temer, que governa, mas não manda, o importante é se segurar na cadeira de presidente mesmo que para isso transforme-se no governo mais “entreguista” desse século.

Para quem nunca imaginou chegar à presidência da república pelo voto, tudo é lucro para ele e seus asseclas. E lucro mesmo!

Ah, e os maluquetes? Continuam dormindo. Quando acordarem, vão descobrir, espantados, que nunca passaram de massa de manobra.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa