7 maio 2018 CHARGES

NICOLIELO

7 maio 2018 DEU NO JORNAL

NEURÔNIO EM COLPASO

Augusto Nunes

Depois de despejada do emprego por justíssima causa, Dilma Rousseff ficou mais parecida com Marilena Chauí

“Todos nós devemos temer pelo Lula. Todos nós devemos estar atentos para denunciar qualquer novo ato de arbítrio em relação ao Lula. Eu temo pela vida do Lula. Não sei até onde irão. Temo pela comida que ele ingere, pela água que ele bebe”.

Dilma Rousseff, num palavrório em Buenos Aires, insinuando que Lula está na mira da turma que afastou Toninho do PT da prefeitura de Campinas e liquidou os problemas criados por Celso Daniel, então prefeito de Santo André.

A idiota e o seu domador

7 maio 2018 CHARGES

CÉSAR

HIPÓLITO MOREIRA DE VASCONCELOS – URUÇUI-PI

Olá Berto, bom dia!

Preciso dos dados bancários para poder fazer uma pequena doação.

É de Uruçuí-Pi de onde acesso a melhor Gazeta dos tempos modernos para manter-me atualizado.

Felicidades!!

R. Meu caro, pra fazer uma doação a esta gazeta escrota é só ir aí do lado direito e clicar em Pag Seguro.

E seguir as instruções.

Num tem erro.

Chamar este antro safado de “melhor Gazeta dos tempos modernos” levantou meu astral e me fez ganhar o resto da semana.

Brigadão mesmo pela força e pela audiência.

Uruçui, localizada no Alto Parnaíba Piauiense, com 20.623 habitantes e a 453 km de distância da capital

7 maio 2018 CHARGES

RICARDO MANHÃES

COSME E DAMIÃO, DOIS MOLEQUES PSICOPATAS

Segundo contava a parteira Preta Veia das Tripas, famosa nos anos oitenta na Comunidade de Cachimbo de Boca Sem Dentes, Floresta dos Leões, por puxar bebês de xibius sem anestesia, os gêmeos Cosme e Damião já nasceram dando sopapos no ar, de bimba dura e mijando com dois palmos de altura, um mau sinal de que não iriam ter bons modos de vida na adolescência. Como a velha era uma espécie de morubixaba da Tribo dos Chuparam a Mãe, advinha, mãe de santo respeitada na redondeza, parteira com uma longa experiência de vida, ninguém duvidava das suas premonições aziagas.

Adolescentes ainda, os dois gêmeos começaram a frequentar o cinema “Ganga Zumba” na comunidade do bairro de Santo Antônio, administrado pelo senhor Irineu Venta de Cu de Ema, um sujeito mais feio do que as necessidades e mais gordo do que um hipopótamo. Assistiam principalmente a filmes de cowboys. Dentre seus favoritos estavam: Sete Homens e Um Destino (1960), Nas Trilhas da Aventura, (1965), Três Homens em Conflito (1966), Meu Ódio será sua Herança (1969), e todos os filmes de Kung Fus de Bruce Lee e genéricos, onde a pancadaria e a quebradeira sem pé nem cabeça de wushu (arte de guerra) comiam no centro e todos os brigões saíam correndo, quebrados e desconchavados no final, sem ninguém saber quem era os vilões ou os mocinhos da história, porque todos tinham a mesma cara de tabaca japonesa.

Foi a partir daí que os irmãos Cosme e Damião começaram a frequentar batizados, festas de aniversários, rela bucho, remelexos, quermesses, novenas, nos finais de semana à noite. Onde houvesse um sarau estavam eles lá para simularem uma briga entre ambos e saírem quebrando tudo que encontravam pela frente na porrada, no cacete e botando todo mundo pra correr.

Empolgados com as diatribes aprontadas, tiveram a ideia de que todos os finais de semana iriam procurar uma casa, um bar, um cabaré, onde houvesse festas para participarem sem ser convidados para aprontarem. Chegavam. Sentavam à mesa. Observavam o ambiente e quando sentiam que a festa estava no auge, bolavam uma briga entre si, trocavam tapas, murros, quebra-quebras até o ponto de não sobrar ninguém na festa. Isso se repetia semanalmente entre os irmãos. Puro instinto presepeiro de se divertir com a desgraça alheia, quebrando tudo que encontravam pela frente, mas sem ferir as pessoas, apenas provocando prejuízo aos donos da festa para depois saírem sirrindo de se mijarem dos corre corres apavorados dos frequentadores da tertúlia!

Seus instintos de aventureiro era tanto, que com o tempo eles foram ampliando os freges e rompendo fronteiras. Em qualquer festa, aniversários, forrós, que chegavam podiam ficar certos os frequentadores que o pau ia comer no centro e não ia sobrar pedras sobre pedras. Eram bancos, mesas, tamboretes, garrafas – tudo destruído na porrada dos irmãos que saíam quebrando tudo por puro prazer e diversão.

Já de sacos cheios de fazerem arruaças nos bairros contíguos, partiram para outras paradas sem se darem conta de que suas aventuras presepeiras estavam tomando proporções gigantescas, perigosas, e mal vistas pelas pessoas. Atravessando fronteiras e chegando ao conhecimento de outras comunidades.

Um dia cismaram do butico e saíram à procura de outros meios de diversão e quebradeiras e pensaram com seus botões: que tal irmos aprontar num terreiro de umbanda? E saíram à procura de um. De repente, passaram por um sítio onde havia o xangô tradicional de seu Zé Preto da Gamela, um macumbeiro do beição conhecido e afamado na região por comer muitas mães de santo fogosas e carentes que ficavam dando sopa em seu “terreiro”.

Entram. De cara topam com vários negões batendo tambores, mulheres vestidas tradicionalmente de vestidos compridos e estampados. Mesas fartas de todo tipo de comidas da região. Galinhas assadas. Bois guisados. Cabras refogadas. Bodes ensopados. Era a festa sagrada de Jurema, remanescente da tradição religiosa dos índios que habitavam o litoral da Paraíba, Rio Grande do Norte e do Sertão de Pernambuco e dos seus pajés, grandes conhecedores dos mistérios do além, plantas e animais exóticos.

Quando a festa pegou o pique mesmo, com todo mundo se manifestando, se torcendo, contorcendo e gemendo na boca de suas “entidades”, os irmãos gêmeos aproveitaram o ensejo, simularam que uma entidade havia lhes incorporados, começaram a berrar, gritar, saracotear, e do nada, baixou-lhes um caboclo desordeiros e o pau comeu no centro: quebraram as zabumbas, os pandeiros, as mesas. As cabras fugiram, os bois dispararam, as galinhas avoaram, e o povo sumiu, apavorado. Até os vira latas sumiram com os rabos entre as pernas canaviais adentro. Foi um verdadeiro pandemônio.

Foi aí que seu Zé Preto da Gamela, o pai de santo “Tora Pleura” do beição, mais macho do que um preá de agave, dono do terreiro “A Pomba do Preto Velho”, sentindo a coisa preta, juntou-se aos outros pais de santos, cada um com um metro e oitenta de altura, braços grossos, beiços de gamela, partiram de porrete para cima dos irmãos desordeiros. Deram-lhe uma pisa tão do caralho com tora de marmeleiro, quebrando-lhes os dentes, as costelas, que os irmãos gêmeos sumiram no canavial todo quebrado e desconchavado, que até hoje devem estar correndo por dentro do mato com as pessoas que corriam paralelas com medo deles, sumindo do pedaço para sempre!

– Quem no butico do outro quer butar, no seu butico um dia será butado – dizia o tarimbado macumbeiro Zé Preto da Gamela, o maior comedor de xibius de caboclas viçosas, mentor da deflagração da rebelião “Ou a rola ou o cu”, que desmoralizou os irmãos desordeiros Cosme e Damião para sempre.

7 maio 2018 CHARGES

GENILDO

7 maio 2018 DEU NO JORNAL

O GOLPE EM CONSTRUÇÃO

J.R. Guzzo

Responda com franqueza, por favor: se amanhã ou depois o ministro Gilmar Mendes, por exemplo, fosse despejado do seu gabinete no Supremo Tribunal Federal por um terceiro-sargento do Exército, enfiado num camburão verde oliva e entregue na penitenciária da Papuda por ordem do Alto Comando das Forças Armadas, quantas lágrimas você derramaria por ele? Esqueça as lágrimas. Você, ao menos, diria alguma coisa, qualquer coisa, contra a prisão do ministro? Ou, ao contrário, acharia muito bem feito o que lhe aconteceu? Só mais uma coisa: entre Gilmar Mendes (ou Toffoli, ou Lewandowski, ou Marco Aurélio, etc.) e o general que mandou todos para o xadrez, depois de passar a chave no STF e evacuar o prédio, você ficaria ao lado de quem? Para completar o exercício, basta somar ao Supremo o Congresso Nacional inteirinho, com seus 513 deputados e 81 senadores, os 27 governadores de Estado e mais os milhares de reizinhos, sem concurso público e sem competência, nomeados para mandar na máquina pública ─ onde se dedicam a roubar o erário, para si e para os chefes, e a infernizar a sua vida. Se as Forças Armadas assumissem o governo, fechassem o Congresso e demitissem essa gente toda, de preferência mandando a maioria para o xadrez, tente calcular quantos brasileiros ficariam a favor deles e quantos ficariam a favor dos militares. Chegue então às suas conclusões.

Intervenção militar, golpe militar, regime militar, ditadura militar ─ francamente, quem gosta de falar abertamente dessas coisas? É preciso ficar contra, é claro ─ e ficar contra agora pode vir a ser um belo problema depois, se a casa acabar caindo um dia. É verdade que o cidadão que tem algum tipo de interesse em política já não sente maiores incômodos em tocar no assunto, principalmente se não tem mais paciência com o lixo que as mais altas autoridades da República produzem sem parar e depositam todos os dias na sua porta. Não chega a ser uma surpresa fenomenal, assim, que um número cada vez maior de cidadãos esteja começando a achar que seria uma boa ideia se os militares assumissem de novo o governo do Brasil para fazer uma limpeza em regra na estrebaria que é hoje a vida pública do país. Mas entre os políticos, nos meios de comunicação, nas classes intelectuais e em outros lugares onde as pessoas supostamente “entendem” dessas coisas, é um assunto que se trata como um porco-espinho ─ com extremo cuidado. É melhor não ficar comentando em voz alta, dizem. Não é o momento, não é o caso, não “se trabalha com esse cenário”. É como falar mal do defunto no velório, na frente no caixão. Tudo bem. Mas não é assobiando que se faz a assombração ir embora. Nem fazendo cara de preocupado em programas de televisão ou escrevendo artigos para solicitar aos militares, por favor, que respeitem rigorosamente a Constituição, as instituições e os monstros que ambas criaram e hoje estão soltos por aí. É preciso muito mais do que isso.

Está complicado, em primeiro lugar, porque muita gente nem acha que essa assombração é mesmo uma assombração ─ ao contrário, acha que é a equipe de resgate chegando para salvar os feridos. Quantos brasileiros, hoje, seriam a favor de uma intervenção militar? É pouco provável que os institutos de pesquisa façam a pergunta, porque têm medo de ouvir a resposta ─ mas eis aí, justamente, um indicador muito interessante. Dá para se deduzir, por ele, que uma grande parte da população receberia com uma salva de palmas as imagens de tanques rolando nas ruas e políticos, ministros supremos e empreiteiros de obras se atropelando uns aos outros para fugir pela porta dos fundos. Em segundo lugar, está complicado porque democracias só ficam de pé se elas forem vistas como um bem importante e compreensível pela maioria da população ─ e se houver um número suficiente de cidadãos dispostos, de verdade, a brigar por sua manutenção. Muito bem: quantos brasileiros acham que estão sendo realmente beneficiados, em suas vidas cotidianas, por essa democracia que veem desfilar à sua frente no noticiário de cada dia? E quantos topariam sair à rua para defender, por exemplo, os mandatos dos senadores Romero Jucá, Renan Calheiros ou Jarbas Barbalho?

O fato, que não vai embora por mais que se queira fazer de conta que “as instituições estão funcionando”, é que praticamente ninguém, no mundo político, merece o mínimo respeito do cidadão hoje em dia. Honestamente: alguém seria capaz de dizer o contrário? Se os encarregados de manter o regime democrático em funcionamento se desmoralizam todos os dias, e desprezam abertamente as regras da democracia com a sua conduta criminosa, fica difícil supor que está tudo bem. Nossas autoridades “constituídas” acham que está. Como a Constituição diz que é proibido fechar o Supremo, o Congresso, etc., imaginam que podem continuar fazendo qualquer barbaridade que lhes passar na cabeça. Imaginam que os militares, informados de que existe uma “cláusula pétrea” mandando o Brasil ser uma democracia, se veriam obrigados, por isso, a continuar assistindo em silêncio a anarquia promovida diante de seus olhos por magistrados do STF, ministros de Estado, líderes parlamentares e os demais peixes graúdos que têm a obrigação de sustentar o cumprimento das leis ─ mas vivem em pleno colapso moral e não conseguem mais segurar no chão nem uma barraca de praia.

É cansativo ouvir, mais uma vez, que a democracia é uma coisa e as pessoas que ocupam os cargos de governo são outra. Não se deve confundir as duas, reza a doutrina, pois nesse caso um regime democrático só poderia existir numa sociedade de homens justos, racionais e bondosos; se as pessoas que mandam estão mandando mal, a solução é substituí-las por outras através de eleições, processos na Justiça e demais mecanismos previstos na lei. Mas o Brasil está fazendo mais ou menos isso desde 1985, e até agora não deu certo. Alguém tem alguma previsão sobre quanto tempo ainda será preciso esperar? A democracia brasileira faliu; é possível que nunca tenha tido chances reais de existir, por insuficiência de gente realmente disposta a praticá-la, mas o fato é que estão tentando fazer o motor pegar há mais de 30 anos, e ele não pega. Talvez ainda desse para ir tocando adiante por mais tempo, com um remendo aqui e outro ali. Acontece que neste momento, justamente, há muito menos esforço para escorar o que está bambo do que para tacar fogo na casa inteira.

A questão central, curiosamente, é a manutenção da lei. Nove em dez golpes, ou nove e meio, são dados por quem tem a força armada e quer mandar a lei para o espaço. Aqui parece estar se montando o contrário. Os militares dizem, como deu a entender semanas atrás o general Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército, que exigem o cumprimento da Constituição e das leis penais para continuar nos quartéis. Quem está querendo abolir a aplicação da lei são os que não têm as armas, mas chegaram à conclusão que não conseguem sobreviver se forem mantidas as regras atuais da democracia brasileira. Está mais do que claro de quem se trata. Trata-se, em primeiro lugar, do ex-presidente Lula, do PT e dos seus partidos auxiliares. Em segundo lugar vem o populoso cardume de políticos, de qualquer partido, que estão fugindo da Justiça penal por prática de corrupção e outros crimes ─ são centenas de indivíduos, literalmente. Em terceiro lugar, fechando a trindade, estão as empreiteiras de obras públicas, fornecedores do governo e o restante das gangues que vivem de roubar o Tesouro Nacional. Todos estes precisam desesperadamente de uma virada de mesa que solte Lula da prisão, salve da linha de tiro os ladrões ameaçados pela lei e devolva condições normais de operação para o negócio da ladroagem de dinheiro público em geral.

O último esforço em seu favor foi essa grosseira ofensiva dos ministros Toffoli, Lewandowski e Gilmar para tirar Lula da prisão, suprimir provas dos processos criminais que ele tem pela frente, anular sua condenação, impedir o trabalho do juiz Sérgio Moro ─ em suma, fraudar a Justiça penal brasileira numa trapaça de escala realmente monumental, com o vago objetivo de “zerar tudo”. É o sonho de Lula e seus advogados milionários de Brasília, do Complexo PT-PSOL-PCdoB etc., e de dez entre dez ladrões sob ameaça de punição: declarar a Operação Lava Jato ilegal, sumir com tudo o que ela já fez, está fazendo ou vai fazer e demitir o juiz Moro a bem do serviço público, junto com todos os magistrados que combatem a corrupção no Brasil. Eles não dizem isso, é claro: sua conversa é que estão aplicando o embargo dos embargos de agravo teratológico com efeito suspensório, diante da combinação hermenêutica de mutatis mutandis interlocutórios com ora pro nobis infringentes. Não perca o seu tempo com o vodu jurídico do STF sobre “direito de defesa” que a mídia repassa a você com casca e tudo: é pura tapeação para ver se soltam Lula da cadeia e ajudam a ladroagem ─ primeiro para que ela escape da penitenciária e, em seguida, para permitir que continue roubando em paz.

É disso que se trata. Há, simplesmente, uma guerra contra o estado de direito neste país, comandada pelas forças que não podem conviver com ele. Lula e o seu sistema de apoio não querem a democracia. Recusam-se, abertamente, a cumprir a lei e a aceitar decisões legítimas da Justiça; sabem que não têm futuro num regime democrático, com poderes independentes, Lava Jato, imprensa livre e o restante do pacote. Estar no governo, para essa gente, não é a mesma coisa que seria para você. Eles precisam estar no governo. Não só para ter empregos, fazer negócios e ganhar dinheiro da Odebrecht, mas porque enfiar-se no poder é a diferença entre estar dentro ou fora da cadeia. É por isso que os senadores petistas Lindbergh Farias e Gleisi Hoffmann, entre outros, se agitam tanto. Se as leis continuarem a ser normalmente aplicadas, podem ter diante de si, em breve, ações penais duríssimas. É por isso que o deputado Wadih Damous, também do PT, disse outro dia que “é preciso fechar o Supremo Tribunal Federal” ─ depois de reconhecer que o ministro Gilmar é um “aliado” do partido. (O deputado não esclareceu o que pretende fazer com ele, mais os Toffolis, Lewandowiskis e similares, depois de fechar o STF.)

O mundo político e a elite, caídos de quatro no chão, olham em silêncio para tudo isso, aterrorizados por Lula e assustados com a voz da tropa. Quando quiserem reclamar, podem se ver reclamando tarde demais e em muito pouca companhia.

7 maio 2018 CHARGES

RENATO MACHADO

7 maio 2018 DEU NO JORNAL

A SENTENÇA DE BOCA-DE-BUCETA

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal afirmou que o ex-presidente e atual presidiário Luiz Inácio Lula da Silva está inelegível e por isso não poderá disputar a eleição, como determina a Lei de Ficha de Limpa.

“O próprio Lula, que é um animal político, sabe que sua candidatura é inviável”, disse ele durante entrevista à TV Bandeirantes.

* * *

Eu queria ver era Gilmar Boca-de-Buceta Mendes tentando explicar isto para a ré Gleisi Hoffmann, a presidente do PT que é mais conhecida como Amante na lista de propinas da Odebrecht.

Ou, então, tentando explicar pro fubânico Ceguinho Teimoso, adorador do Deus Lula.

Iria ser bem divertido.

“Tu me fudeu, seu gorpista safado. Ceguinho Teiimoso vai te pegá”

7 maio 2018 CHARGES

J. BOSCO

AGORA SÓ FALTA UMA DÚZIA!

Bom dia, presidiário!

Nesta segunda-feira, a prisão de Lula completa um mês.

Como ele foi condenado a doze anos e um mês, agora só faltam doze anos.

7 maio 2018 CHARGES

MÁRIO

SWAMI RODRIGUES – CAMPINA GRANDE-PB

Caro Editor Berto,

A sabedoria e a arte popular nordestina magistralmente interpretadas por dois cantadores.

São dois poetas nordestinos improvisando sobre um bandido nordestino.

O mote é este:

“Quem tem sete processos que nem Lula,
não se deve julgar tão inocente”.

Ouça com atenção e publique no nosso querido jornal.

Abraços.

R. Caro leitor, logo a seguir está o áudio que você nos mandou.

Mas faltou uma coisa muito importante: o nome dos dois poetas.

Quem souber mande nos informar, por favor.

7 maio 2018 CHARGES

VERONEZI

MANIFESTO DOS SEM-SACO

Nós, um grupo de brasileiros, honestos, trabalhadores, pagadores de impostos e toda aquela ladainha que você já está careca de saber, reunidos, casualmente para protestar contra toda esta merda que ai está resolvemos publicizar todo nosso inconformismo com a situação de nosso país, o Brasil. Desta forma divulgamos o ‘MANIFESTO DOS SEM-SACO’.

Também, como não aguentamos mais tanto movimento ‘social’, junatndo vagabundo por ai; é MST, MTST, é CUT, é síndicato é PT, é MDB, é um monte de movimentos e partidos, inúteis para juntar sem-vergonhas, vagabundos e ladrões para vilipendiar nosso dinheiro. Resolvemos organizarmos e fundar o MOVIMENTO DOS SEM-SACO.

SEM SACO para aguentar toda esta putaria que ai está. Como não temos tempo nem paciência para explicar mais e, você já entendeu mesmo – ou então é um débil mental, militonto ou petista, casos em que não adianta explicar -, vamos direto ao Manifesto.

Manifesto:

Nós cidadãos brasileiros, honestos, trabalhadores e pagadores de impostos vimos por intermédio deste documento manifestar nossa indignação, repúdio, nojo, asco e revolta com toda esta merda que está ai.

Não temos mais saco para aguentar:

1- Movimentos sociais repletos de sanguessugas e vagabundos;

2- Políticos filhos da puta, ladrões e /ou incompetentes;

3- Partidos políticos que são verdadeiras quadrilhas mafiosas;

4- Bandidos tentando disfarçarem-se de Salvadores da Pátria;

5- Professores, intelectuais, artistas e outros imbecis querendo fazer nossa cabeça;

6- Servidores públicos que se servem da administração pública;

7- Corruptos, corruptores, empreiteros, marqueteiros, bolivarianos, comunistas e outras pragas;

8- Vagabundos que acham que só tem direitos;

9- Juízes e ministros que não julgam e que destorcem a Lei em prol de seus interesses;

10- Esta conversa fiada de país dividido, de ‘nós contra eles’, de direitos e cotas para A, B e C e outras vagabundagens;

11- E toda esta zona, ou melhor, toda esta putaria que virou este país.

Por isso declaramos que:

1- Sindicatos pelegos têm de acabar e sindicalista tem de trabalhar;

2- Não queremos mais reeleição para políticos;

3- Lugar de corrupto é na cadeia;

4- Bandido bom é bandido morto;

5- Diretos humanos são para humanos diretos;

6- Servidor público é para servir ao público;

7- Juiz é para fazer cumprir a lei, para todos, inclusive para eles;

8- Basta de impunidade e de mordomias;

9- Chega de frescura, de mimimi e de direitos disto ou daquilo;

10- Vamos privatizar, Estado e Governo são para fiscalizar e regular, não para produzir;

11- Viva a Operação Lava-jato;

12- Queremos Lula, Aécio, Dilma, Temer, Collor, Sarney, Maluf, Gleisi e toda a corja apodrecendo na cadeia;

13- Chega de mordomias para preso. É porrada e trabalho, só! Preso não tem direitos.

14- Foda-se o politicamente correto!

De resto é o seguinte: vai trabalhar vagabundo e parem de frescura!

Como não temos saco para fazer manifestações e nem tempo, pois temos de trabalhar para sustentar nossas famílias e de quebra esta corja toda, não haverá bloqueio ou protesto, pois isto é coisa de vagabundo, sem-vergonha, sindicalista e militante de esquerda.

Faremos nosso protesto nas urnas, em outubro e vai ser avassalador. Vamos limpar este país!

Faça parte do Movimento dos Sem-saco, daqueles que não tem mais saco para aguentar tudo isto que está ai.

Não precisa se inscrever, não precisa pagar taxa, basta votar consciente em outubro. Votar para mudar esta merda.

Mas não pensem que somos cordeirinhos. Não somos!

Provoquem-nos e vão sentir o peso de nossas mãos. As ruas vão baixar a porrada e serão centenas de milhões de mãos.

E vamos acabar com este manifesto para não encher sua paciência. Você já entendeu nosso ponto de vista.

Voto na urna e se preciso porrada neles! Em todos eles!

7 maio 2018 CHARGES

DUKE

UMA BOVINA RIDICULAMENTE BANÂNICA

Um vídeo humorístico para abrir a nossa semana.

Não se esqueçam-se-vos que a idiota que aparece cantando foi presid-Anta deste país.

Isto mesmo.

Vou repetir:

Buceta-de-Vaca foi escalada por Lula pra ser votada pelo eleitorado descerebrado de Banânia e chegou à presidência da república.

As idiotas que a levaram pra “cantar” no palco são tão babacas quanto ela.

Coitado do compositor… Coitadinha da santa…

7 maio 2018 CHARGES

CLAYTON

NEBLINA E TEMPESTADE

Antes de tornar-me chuva, neblinei-me lentamente em meio às nuvens cinzentas que flutuavam sobre meu chapéu. Ao primeiro pingo mais grosso, pressenti o brotar de um pé de verso, carregado de poesia, rimas e amor, no jardim de minha casa, bem ao lado ao lado do meu pé de manacá. A semente do bem-querer virou flor. Já quase tempestade, deixei-me envolver no lençol das lembranças boas e dormi o sono dos que acreditam que pode haver um mundo feliz. E sonhei. E ainda sonho. E sonharei até quando for possível sonhar.

7 maio 2018 CHARGES

RONALDO

7 maio 2018 CHARGES

NANI

ORLY GUERRA – VILA VELHA-ES

Prezado Luiz Berto,

nós aposentados do extinto BANESPA – (Banco do Estado de São Paulo), estamos desde a PRIVATIZAÇÃO, sofrendo nas mãos dos donos do banco ESPANHOL Santander. Não houve Privatização do Banespa, mas, DOAÇÃO ao banco Espanhol SANTANDER em novembro-2000, pelo ex-presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO.

Estamos vivendo terrível DRAMA desde o ano 2001, quando o Santander conseguiu no TST, que o ex-presidente ALMIR PAZZIANOTTO assinasse ATA nos impondo CINCO ANOS DE REAJUSTE ZERO (set-2001 a ago-2006), passando por cima da CONSTITUIÇÃO; porque não se pode reduzir salários e muito menos aposentadorias, quando HÁ DINHEIRO SUFICIENTE – (títulos “INEGOCIÁVEIS”).

Perdemos 35,6% das nossas aposentadorias, que, no meu caso, representa 57% do COMPLEMENTO que o Santander me paga mensalmente. Isto porque esse banco USURPA, TAMBÉM, o reajuste que o INSS nos dá em janeiro de cada ano – (em dez-2017 o Santander me pagava R$ 3.674,88 de complemento; em jan-2018, passou a me pagar R$ 3.636,35; diminuindo R$ 38,53 do meu complemento. Tive perda considerável desde 2001, mais de R$ 500,00).

Eu disse acima que o Banespa foi doado ao Santander, porque FHC entregou nossos títulos “INEGOCIÁVEIS” no valor de quatro bilhões, 141 milhões – (correção IGP-DI e JUROS 12% a.a. – Já renderam 240% igp-di mais 613% de juros); entregou também, dois bilhões e 700 milhões de IMPOSTO DE RENDA recolhidos das folhas de pagamento e não repassados à RECEITA FEDERAL, pelo BANCO CENTRAL antes da privatização

– POR QUÊ? – (Operação Zelotes – propina para não pagar MULTA).

Entregou mais LUCROS DE BALANÇOS NÃO PUBLICADOS; os tais balanços escondidos por GILMAR MENDES (procurador Geral), FHC e sua equipe, para conseguir na Justiça autorização para privatizar o Banespa.

Na realidade, a propalada PRIVATIZAÇÃO para acabar com a CORRUPÇÃO, não passou de TRANSFERÊNCIA da corrupção para os MINISTÉRIOS E SECRETARIAS.

Éramos 15 mil em jan-2001; hoje apenas pouco mais de nove mil titulares.

Todas as nossas ações individuais o TST MANDOU sistematicamente para o ARQUIVO;

– POR QUÊ?

Temos dois processos coletivos patrocinados por nossa associação de aposentados AFABESP. Uma de 1998 que ganhamos em todas as instâncias do tribunal do trabalho e está parada no SUPREMO, porque o banco alegou inconstitucionalidade em certo despacho. Fux já pediu VISTA por quatro vezes e demorou anos para devolver e continuar o julgamento.

Outra ação ficou no Supremo ONZE LONGOS ANOS, para dizer se nossa associação poderia nos defender, e não apenas o sindicato. O juiz (TRF-SP) deu “TUTELA ANTECIPADA” em 2002 e, quando voltou do Supremo (após 11 anos), repetiu a sentença em abril de 2013. (o juiz foi promovido a desembargador para não colocar mais a mão no processo).

Mas o banco ESPANHOL Santander não quer cumprir a ordem da justiça. Este mês completará SESSENTA MESES a tutela antecipada, e o réu alegou num evento em outubro-2017, no DORAL INN que, se cumprisse a sentença, QUEBRARIA; mas não apresentou o SALDO ATUARIAL dos títulos para comprovar.

Pelos meus cálculos, o SALDO ATUARIAL é de mais QUARENTA E CINCO BILHÕES – (não há informações dos títulos nos balanços). E nossa justiça é DESRESPEITADA SEM MAIS NEM MENOS por um banco ESTRANGEIRO dentro do território Brasileiro!

– POR QUÊ?

Luiz Berto, se puder nos ajudar divulgando nosso drama, gostaríamos muitíssimo. Quero mencionar que o processo dos funcionários da MOGIANA demorou QUARENTA E UM ANOS, apenas 150 estavam vivos para receber. E as idades?

Agradeço-lhe a atenção, em nome dos APOSENTADOS DO EXTINTO Banespa!

R. Caro leitor, nada mais tenho a acrescentar.

Você já disse tudo.

Coisas horríveis de um país chamado Banânia

Conte com a solidariedade da comunidade fubânica na torcida por um desfecho favorável.

E vamos aos vídeos que você nos mandou:

7 maio 2018 CHARGES

GILMAR


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa