Não sabemos ainda se a operação Lava-Jato está próxima do fim, ou se não chegou nem na metade.

“A previsão geral entre parlamentares e membros do governo é a de que as dores de cabeça de políticos estão longe do fim. A base para a crença de todos eles, está na pouca resistência à prisão de doleiros e operadores financeiros. Nesta quinta-feira (3), mais de 50 pessoas foram alvos da Operação Câmbio, Desligo. Um parlamentar chegou a afirmar que pode se esperar o terror para mais quatro anos, agravado com a restrição do foro privilegiado” (Revista Época)

Uma coisa está evidente, ela atinge quase exclusivamente, a parte superior da pirâmide social brasileira. Muitos bilionários, vários ricos e parte de cima da classe média alta. Olhando do ponto de vista do poder e dos cargos que os investigados ocupam, a coisa é ainda mais escandalosamente VIP. Foram alvejados os executivos das principais empreiteiras do país, empresas com capacidade técnica e financeira que as habilitava para participar de grandes obras no Brasil e no exterior. Acertaram em cheio o emergente brasileiro dono do Império X, candidato a homem mais rico do Mundo. Os irmãos goianos (não tem nada a ver com nosso estimado confrade) que haviam sido escolhidos pelo PT para tornarem-se os maiores exportadores de proteína do mundo. Ex-Presidente da República, governadores, senadores, deputados, banqueiros e doleiros. Entre outros.

Com números enormes e tanta gente importante envolvida de alguma forma no grande esquema montado para distribuir renda alheia, fica fácil para o cidadão ter alguma possível ligação, até involuntária e desconhecida com o esquemão. Por exemplo: muita gente pode estar preocupada por ter operado em algum momento com um desses doleiros e terem sido usados como contraparte na compra e venda de Dólares para um investigado. Tá enrolado!

No Rio de Janeiro, os joalheiros acabaram envolvidos pelo ex-governador que protegia uma parte da sua propina em joias. Custo a acreditar que essas empresas sejam mentores da ideia, mas gostaram da farra e confiando na força política do freguês e na histórica impunidade nacional, se lambuzaram e se complicaram na tramoia. A conta veio.

As empresas que forneceram para as obras do tríplex e do sítio do presidiário mais importante do Brasil também precisaram aparecer no inquérito.

Assim, um bom número de cidadãos foi manchado, ou promovido, com a tinta da Lava-Jato. Nada inocentes, mas de alguma forma forçados pela condição da nossa barafunda burocrática e exagerada cunha de impostos a ceder e aceitar um pequeno deslize para fazer negócio. Assim passaram a ser personagem do maior escândalo de corrupção nacional.

Aparecer sendo conduzido para depor, ou acordar com o carro da PF na sua porta, estou começando a achar que está deixando de ser uma vergonha e passando a ser um sinal de status. É como passar a fazer parte do luxuoso Clube Privê da Lava-Jato.

Enquanto isso a abundante teta de onde sugaram a propina que abasteceu os corruPTos do Petrolão não morreu. Petrobrás com uma gestão competente e com foco no negócio e não na política rasteira, conseguiu no primeiro trimestre de 2018 apresentar lucro igual ao do primeiro trimestre de 2013. Na época o barril do petróleo era negociado acima de US$ 100,00, durante o primeiro trimestre de 2018 o preço estava em torno de US$ 60,00. Os acionistas que participaram da oferta pública em 2010 estão conseguindo ver a luz no fim do túnel. Aquela operação que o Governo Próspero, do Presidiário Lulla vendeu ações da Petrobrás ao preço de R$ 26,30 e que hoje, passados 8 anos, custam R$ 23,00. Se o cidadão, ao invés de comprar as ações que Lulla vendeu, tivesse colocado seu dinheiro em títulos do Governo, teria hoje R$ 57,07. Fico imaginando a satisfação das pessoas que usaram seu FGTS para comprar essas ações.

2 Comentários

  1. Quando as ações da Petrobras chegaram a uns quatro reais em 2016 eu recomendei:
    – COMPREM!
    Eu não comprei só porque estava durango kid.
    A cotação deste momento, hoje, é de R$ 26,00 a PETR4.
    Em 2006, em pleno Lula, elas andaram pelos R$ 46,00.
    Em 2007, ainda Lula, pelos R$ 55,00.
    Em 2008, mês de abril, estavam em R$ 84,00 !
    Nesse mesmo ano de 2008, a crise internacional foi ao fundo do poço, levando a cair em dezembro para R$ 18,00.
    De lá para cá vieram oscilando:
    Dezembro de 2009 – R$ 38,40
    Dezembro de 2010 – R$ 25,75
    Dezembro de 2011 – R$ 21,30
    Dezembro de 2012 – R$ 20,21
    Dezembro de 2013 – R$ 16,91
    Setembro de 2014 – R$ 22,82
    Dezembro de 2014 – R$ 10,32
    Dezembro de 2015 – R$ 7,52
    FEVEREIRO 2016 – R$ 4,54
    Dezembro de 2017 – R$ 15,83
    HOJE, MAIO 2018 – R$ 26,00

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa