10 maio 2018TERRA DE NINGUÉM



Os depoimentos das testemunhas no processo relacionado com o Sítio de Atibaia, “o que é, sem nunca ter sido”, estão sendo colhidos. Esta semana tivemos Paulo Okamotto falando do interesse de Lula em comprar o sítio e, instigado pela advogada de Fernando Bittar, responde sobre um almoço no qual foi discutido essa compra. Nas suas palavras: “Teve um almoço. Lula, Kalil, Fernando, não sei se o Fábio também. Esse tema tinha sido tratado. O presidente Lula, já há algum tempo, achava que tinha que comprar o sítio como presente para dona Marisa. Ele tinha um pouco de dúvida, mas tinha essa impressão”. Se Okamotto estava presente nessa reunião ele deveria ter dito “não lembro se o Fábio também”. Ao dizer “não sei”, nitidamente, ele demonstra que isso não passa de uma balela. Se não sabe, então não estava presente e, como tal, deveria se recolher a sua nobre insignificância.

Em 2006, Paulo Okamotto, na CPI dos bingos, foi acareado com Paulo de Tarso Venceslau, ex-petista, e a sensação que se teve foi de absoluta culpa dele em desvios de recursos do então “valerioduto”. Na ocasião ele se manteve firme em não permitir a quebra do seu sigilo bancário para explicar a origem de R$ 29 mil que ele emprestou a Lula. Até Tião Viana, senador do PT, defendeu a quebra desse sigilo, mas ele invocou os direitos individuais para não permitir. Faltou pulso para a justiça decidir, mas a CPI não achou culpados. Como sempre.

O segundo depoimento marcante foi de Gilberto Carvalho. O homem que ficou no governo para vigiar Dilma. Ele disse uma coisa bela de se reproduzir: Lula pensou em comprar o sítio, mas achava longe. A justiça tem registro de 112 viagens de Lula ao sítio. Imagine se fosse perto.

Insistentemente, as pessoas, inclusive a defesa de Lula, não entendem a questão. Lula não está sendo processado pela propriedade do sítio, mas sim por não ter assumido tal propriedade. O delito é ocultação de patrimônio e, por isso, alegar que a escritura está em nome de Fernando Bittar, não afasta a questão, pelo contrário, reforça o uso de laranjas na formação do patrimônio dele. Até hoje, não houve, um esclarecimento sequer por parte da defesa, sobre o motivo da Odebrecht e OAS investirem recursos numa propriedade de Fernando Bittar. Então que se solicite a Marcelo Odebrecht um detalhamento das relações da empresa com Fernando Bittar. Qual a justificativa para as empresas reformularem o sítio, sendo ele de Fernando e de Suassuna?

Cabe lembrar que Emílio Odebrecht, no final do governo Lula, esteve no palácio informando que as obras seriam concluídas em tempo. Que elas foram feitas a pedido de Marisa Letícia, mas que Lula deu a entender que já sabia do assunto. Ninguém até o momento foi capaz de dizer que Emilio está mentido. Sabe por quê? Porque ninguém é doido de desmentir um cara que sabe muito da vida de Lula.

Acredito que há procedimentos elementares que podem esclarecer muitas coisas, mas que não se coloca nos depoimentos. Por exemplo: a OI instalou uma torre de telefonia junto ao sítio, a pedido de um sindicalista chamado José Zunga Alves de Lima. Logo, há uma ordem de serviços e, no mínimo, um estudo de viabilidade pata tal investimento. O sitio é de Fernando e foi entregue para uso indeterminado pela família de Lula, disse Carvalho. Vamos ouvir as gravações da Polícia Federal com o caseiro informando a Fábio sobre o assédio da imprensa. Vamos ouvir o irmão de Fernando pedindo autorização a Fábio para usar o sítio. Vamos entender os motivos que levaram o assessor de Lula, Rogério Aurélio Pimentel, ter aprovado as obras sem sequer pedir desconto, conforme depoimento prestado em 19/02/2018 pelo empreiteiro Carlos Rodrigo do Prado ao juiz Sérgio Moro. Certamente, tudo isso tem explicação, mas a sociedade espera uma explicação coerente.

A PF fez um laudo sobre o sítio e tem copia circulando na internet. O laudo é imparcial e relata, com fotos, a presença de Lula agindo como dono. Essa ação, se externa de forma tão intensa a ponto de o irmão do dono legal solicitar autorização do filho do suposto dono para frequentar, por um fim de semana, o sítio.

Muitos juristas dizem que as provas do sítio de Atibaia são mais robustas do que as provas do apartamento do Guarujá. A defesa de Lula é incompetente porque ao invés de focar a denúncia, eles preferem fazer firulas e emitir notas públicas dizendo “o presidente não é proprietário do sítio”, “o sítio está registrado em nome de Fernando Bittar”. Nesse ritmo, vão conseguir muitos anos de grade.

17 Comentários

  1. Meu caríssimo professor Maurício Assuero:

    No vídeo postado ontem pelo Nobre Editor Papa Perto, sobre o título DILMA OFENDEU A LABORIOSA CLASSE DAS PUTAS.

    Na coluna – DEU NO JORNAL:

    A certa altura do debate entre os Jornalistas Augusto Nunes, Felipe e José Maria Trindade (competente e preparado), o José Maria Trindade fala de uma entrevista que tentou fazer com a senadora Ana Amélia sobre um projeto de lei aprovado pela comissão do senado às pressas, que amenta as potências das rádios piratas de forma irresponsáveis (resquício do governo criminoso de Lula), e lá para tantas, ele, José Maria, diz que ficou decepcionado com aquele plenário do senado cheio de bandidos, mas uma cena lhe chamou a atenção: o rosto desolado do Senador por Pernambuco Fernando Bezerra Coelho cujo processo, após decisão do Supremo Tribunal Federal sobre foro sobre prerrogativa de função, foi direto para a responsabilidade do Juiz Sérgio Moro, o divisor de água do Poder Judiciário.

    Esse registro tem de ficar marcado e eu faço isso em sua coluna que considero super apropriada para tal!

    Infelizmente suicidaram Teori Zavascki, mas não conseguiram eliminar o cérebro da LAVA JATO!

  2. 1) Tens razão, Maurício, o Okamoto declarou em seu depoimento que não esteve presente nesse almoço (8m34s do vídeo).
    2) O empréstimo de vinte e nove mil reais de Okamoto a Lula pode, eventualmente, nada ter a ver com o Sítio de Atibaia, mas tem a ver com o a necessidade de reforçar suspeições.
    3) Segundo depoimentos, o Sítio foi emprestado a dona Marisa e Lula para que o usassem “como quisessem” e sabe-se que o fizeram, passando inúmeros fins de semana lá, 110, 11, 112 ou 113 (ops! olha o treze aí, Berto!), número absolutamente irrelevante, uma vez que o fato de Lula usar o sítio com freqüência parece ter ficado fora de dúvida.
    4) A questão da propriedade do sítio só interessa ao processo que se desenrola na medida em que sirva para demonstrar não que Lula é o real proprietário, mas que a propriedade do sítio é furtiva e constitui lavagem de dinheiro, dinheiro decorrente de uma operação criminosa em que Lula, direta ou por terceiros, fraudou contratações na Petrobras, o que deverá constituir prova para a sua condenação ainda que à falta de prova direta, como já aconteceu e espera-se, para gáudio de quem odeia Lula, repetir-se-á.
    5) A ligação entre serviços realizados no sítio e ação criminosa de Lula para favorecer alguém em contratos da Petrobras é o que precisa ser provado e não suspeitado por ilações e deduções – Não se pode, em um momento social como o que vivemos, condenar-se alguém, que neste momento é Lula, submetido a tais circunstâncias sociais e históricas, por suspeições, indícios ou deduções – teria de ser, no caso, indispensável a apresentação de provas concretas.
    6) O depoimento de Emílio Odebrecht que um dia antes do término do segundo mandato de Lula teria lhe dito que as obras do sítio seriam concluídas a tempo (e Lula parece que nem ouviu), veio a calhar como uma chave de ouro para ligar os motores que conduzem ao primeiro prêmio da delação: a cabeça de Lula. Só assim, situando Lula que fosse nos últimos minutos do seu mandato, se pode determinar crime de corrupção, pois as tratativas já vinham enquanto Lula detinha a presidência.
    7) A série de tentativas de demonstrar que Lula estava na posse, mesmo que parcial, do sítio é absolutamente ociosa! O fato de que o irmão do dono precisaria pedir autorização ao ocupante para entrar para dar uma mijada é pura lantejoula! As provas são tão frágeis que é preciso carregar nas tintas, é isso?!
    8) Muitos juristas dizem que Lula foi condenado irregularmente e estão acompanhando o processo do sítio já com os cabelos do cu arrepiados.

  3. Calma, Mauricio. Logo, logo o defensor mor de Lula dará as caras por aqui e esclarecerá todas as questões pontuadas no teu texto.

    Tenho certeza que ele irá além e apresentará argumentos tão robustos e consistentes que, se chegarem ao conhecimento do juiz Moro, tão constrangido ficará em considerar os dados, fatos e relatos contidos no processo, que inocentará o ladrão-mor e arquivará o feito. Talvez, mas só talvez, até mande um agradecimento ao Ceguinho teimoso por lhe abrir os olhos e evitar o cometimento de uma injustiça sem tamanho.

  4. Mas alguém reformar um imóvel, não importando a titularidade, mas em benefício de alguém que irá usufrui-lo, também não é crime? Mesmo que fosse só uma promessa, também não seria? Independente de estar no cargo, mas em razão dele? Se um empresário resolve agradar um chefe de executivo de qualquer esfera, e este aceita, pois afinal não existe contrapartida evidente, ainda assim, não é crime? Tudo isso é aceitável sob qualquer ponto de vista?

    • Sergio, começo por informar a todos que quando eu não responder a algum comentário é porque não fiquei sabendo dele, uma vez que não estou recebendo NEM UM avisopelo sistema do JBF, o que não se sabe se está acontecendo geral ou só comigo.
      1) Reformar um imóvel em benefício de alguém não é crime, mesmo que seja de graça. Se tu quiseres, podes mandar reformara minha casa e pagar por ela que não constitui crime isso.
      2) Também podes prometer que vais reformar minha casa que não há crime. Promete, por favor.
      3) Se eu estiver ocupando cargo público e tu reformares minha casa de graça isso poderá constituir crime, ou não, depende de inúmeras circunstâncias a serem consideradas e a mais contundente é o tal do liame: O funcionário que, no exercício das suas funções ou por causa delas, por si, ou por interposta pessoa, com o seu consentimento ou ratificação, solicitar ou aceitar, para si ou para terceiro, vantagem patrimonial ou não patrimonial, que não lhe seja devida, é punido com pena de prisão até cinco anos ou com pena de multa.
      4) Decreto 4.081, de 2002, que instituiu o Código de Conduta Ética dos Agentes Públicos em exercício na Presidência e Vice-Presidência da República
      Art. 10. É vedado ao agente público, na relação com parte interessada não pertencente à Administração Pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, ou de organismo internacional de que o Brasil participe:
      II – receber presente, transporte, hospedagem, compensação ou quaisquer favores, assim como aceitar convites para almoços, jantares, festas e outros eventos sociais,
      AS SANÇÕES, no caso de enquadramento nesse decreto, são:
      I – censura ética, a ser aplicada pela CEPR;
      II – exoneração do cargo em comissão ou dispensa da função de confiança;
      III – restituição à empresa contratada para prestação de serviço.
      5) Não, não é tudo aceitável sob qualquer ponto de vista! O que for contrário à lei deve ser penalizado de acordo com a lei.

  5. Pois é: as reformas feitas no apto do Guarujá atenderiam os anseios de Lula. Ele disse que o apto era tão pequeno que parecia minha casa, minha vida. fica claro que ele concordou com isso. Num imóvel que não era dele. O sítio recebeu reformas, mas o não é dele. Goiano, Lula levou de goleada no primeiro process. Um voto sequer a favor. Por favor: apresente argumentos para a Odebrecht ter feito as obras para beneficiar Fernando Bittar. Mostre o nome de Fernando na agenda de Marcelo. Mostre quantas vezes eles se comunicaram.

    • Maurício, muitas coisas não estão provadas nos processos; outras foram consideradas provadas por esse sistema dedutivo que apresentas, que constitui a chamada prova circunstancial. Embora seja elemento constitutivo da prova, no caso do Sítio de Atibaia, saber se Lula é, efetivamente, o proprietário do sítio, porque se não for tudo o mais cai por terra, a despeito de as obras serem feitas gratuitamente por quem quer que seja, é preciso considerar que não só as provas tomadas para considerar que o sítio é dele são ciscunstanciais, como, também, que as provas apresentadas para dizer que Lula recebeu as obras como contrapartida por ação irregular dele são tomadas por dedução lógica, do tipo “dado isso, deve ser aquilo”.
      A questão é que no caso, tratando-se do contexto que envolve a figura de um ex-presidente, nas circunstâncias políticas de disputa pelo poder político, no conflito social e partidário, enfim, em todo o caldo em que encontra mergulhado o assunto, onde os ódios e paixões imperam, que observamos claramente nas manifestações sociais, tanto populares, quanto políticas, quanto jurídicas, quanto da imprensa, a decisão de condenar tal personalidade histórica sem provas concretas para tanto é mais do que temerária!

      • Goiano, lamento só ter visto agora seu comentário. O fato é que toda a as obras foram feitas em benefício de Lula. Nenhum dos empresários conhecem ou tiveram qualquer relação com Fernando Bittar. As reformas foram feitas com recursos desviados de contratos da Petrobras. Isso está mais do que demonstrado.

  6. Não adianta choro nem cara feia, jaula no seboso!!! São mais de 100 anos de cadeia que ele vai puxar com os sete processos. Lula vai sair da cadeia escorado numa bengala ou numa cadeira de rodas feito o seu correligionário e amigo Paulo Maluf. Afinal de contas, como dizia Millor Fernandes: “os canalhas também envelhecem”…

    P.S.: – Geralmente, o petralha é meio retardado, pois se nega ou não tem capacidade cognitiva de apreender a realidade. Vive tal qual uma Alice no País da Maravilha de Lewis Carroll, num mundo de fantasia mórbida e bizarra…

    • Ofender os petistas, diminuindo-os, é uma forma de elogiar-se, para dizer-se diferente, ou seja,para afirmar que se é a banda decente deste País, enquanto os petistas são a banda indecente.
      Como diz o velho ditado, elogio em boca própria é vergonhoso.
      Petistas não são melhores do que ninguém por serem petistas, mas também não são piores. Essa disputa lembra os racistas, que se julgam melhores do que os negros, por exemplo. Para eles, negro é burro e branco é inteligente.

  7. Todo petralha, sem exceção, é um ser inútil, um peso pra sociedade. Essa PUTADA precisa ser extinta, ser expurgada de todos os setores, pois, juntos com os comunistas são representantes do atraso, da mentira e do puro gangsterismo que o diga a coitada da Petrobras que foi roubada em 88 bilhões de reais pelos ratos do PT et caterva.

    P.S.: – Sinceramente, uma nação que tem uma esquerda chinfrim como a nossa e ainda tem em seu comando figuras carimbadas como Boulos Fofo, Manuela Tesuda e a amante-coxa Gleizi, chega a ser hilária…

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa