A CAFETINA DOS SEM-TETO DESAFIA OS DEFENSORES DA LEI

As gravações que escancaram as bandidagens de Ednalva Franco, chefe de um certo Movimento Moradia para Todos (MMPT) e assessora da deputada estadual Márcia Lia, do PT paulista, revelam que não há limites para a insolência dos controladores da indústria de invasões de imóveis urbanos.

No repulsivo baú arrombado pelos áudios, duas obscenidades merecem destaque. Primeira: os chefes das siglas que estupram impunemente o direito de propriedade não buscam teto para todos. Buscam dinheiro para poucos. São extorsionários fantasiados de revolucionários.

A segunda abjeção é protagonizada por autoridades que, quando não os engavetam, protelam por meses ou anos o cumprimento de mandados de reintegração de posse. Preferem perder tempo em negociações com meliantes, recitando que logo se chegará a algum “acordo amistoso”.

É cúmplice, comparsa ou coiteiro quem enxerga interlocutores confiáveis em gigolôs da miséria. (Gigolôs e cafetinas, informam as ameaças e retaliações rosnadas por Ednalva Franco). Não faz sentido, portanto, organizar amenos encontros para saber o que pensam os vigaristas liderados por Guilherme Boulos.

Nos países civilizados, casos de polícia não são ouvidos. São interrogados em delegacias e tribunais.

* * *

2 comentários

    • A. Luís em 11 de Maio de 2018 às 19:58
    • Responder

    .
    “”” … A CAFETINA DOS S … “””
    RARAS VEZES um qualificativo foi tão bem empregado !!!
    .
    CAFETINA !!!
    ou, se quiserem,
    CAFITINA !!!
    é uma mesma arrombada !

    • Arre-égua em 12 de Maio de 2018 às 18:57
    • Responder

    Tô pensando em montar uma imobiliária picareta, nos moldes desta aí. Sem nenhum imóvel, mas com centenas de locatários pagando na marra, na porrada ou com a vida. Prédios abandonados não faltam. Só me falta o nôrrau, a cara de pau, as verbas e a sustentação política oferecida aos dirigentes dos MSTs da vida.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.