A CORRUPÇÃO NA POESIA POPULAR

GRITO DO POVO – Manoel do Côco

Essa tal corrução
Está comendo um pedaço
Transmitindo um fracasso
Da saúde e da nação
Falta de condição,
Falta de medicamento
O tamanho do sofrimento
Dos filhos e também dos pais
Nas portas dos hospitais
Um morre a cada momento.

Corrupção é doença,
Um câncer nacional
O Supremo Tribunal
Quer tomar as providências
Mas a nossa paciência
Há tempos se esgotou
Nosso povo se juntou,
Estamos indo pra rua
E se ninguém der um jeito,
Essa luta continua !

* * *

CORRUPTO SÓ É ELEITO POR QUEM SE CORROMPE TAMBÉM – Cleber Sardinha

Brasil meu Brasil tão bonito
Vai vivendo assim aflito
Do luxo ao lixo maldito
Que fede e nos faz refém
A corrupção tem jeito
Corrupto só é eleito
Por quem se corrompe também.

Povo, gente e pátria amada
Uma história manchada
Por delitos federais
Deputados , senadores
Sem moral e sem valores
Não se movem nada faz.

Como pode nossa gente
Ir as urnas novamente
Votar errado assim?
Apoiando vagabundo
Ferrando com todo mundo
Decretando o nosso fim.

Pra votar está difícil
Chega a ser um sacrifício
Achar alguém que merece
Um candidato direito
Sem tretas e sem defeito
Que promete e não esquece.

Só achamos picaretas
Com processos nas gavetas
E a ficha encardida
Nós que pagamos o pato
Pois tem certos candidatos
Que são atraso de vida.

Não se faz democracia
Com propina e regalia
Ferrando gente de bem
A corrupção tem jeito
Corrupto só é eleito
Por quem se corrompe também.

* * *

O VALOR DO SEU VOTO – Izaías Gomes de Assis

Eu quero meu caro amigo
Neste verso te alertar
Sobre a tal corrupção ,
Que pode contaminar
Nos anos das eleições
Querendo te devorar.

É uma coisa do diabo
A tal da corrupção
Ela corrompe a moral
E desgraça o cidadão ,
Fazendo uns bandidos
Controlar nossa nação.

E tudo isso pelo amor
Do maldito e bom dinheiro,
Que infesta a humanidade,
Desgraçando o mundo inteiro,
É um mal do capitalismo,
Que viciou o brasileiro.

Meu caro amigo eleitor
Que é honesto e bom cristão,
Não venda nem troque o voto,
Deus não gosta disso, não
O anjo Dele te ilumine
Te trazendo educação.

O leitor nem imagina,
Como o voto tem poder ,
Ele está nas suas mãos ,
Esperando acontecer
Te alerto nesse meu verso
Seu voto faça valer .

Em nosso imenso país ,
Onde tem democracia ,
O que vale é nosso voto ,
Ele tem supremacia ,
E se for bem aplicado ,
Terá grande serventia.

Mas um cabra safadão ,
Com uma ação desonesta ,
Ele trás corrupção ,
Que ao povão ela infesta ,
E compra o voto do povo
Com cachaça e muita festa.

Mas a tal corrupção
Tem muitos bons aliados ,
Pois não são só os políticos
Que ficam endiabrados
Os eleitores também
Ficam endemoniados.

Quando um safado corrupto ,
Ele consegue ganhar
Pessoas da laia dele
Souberam nele votar
Ladrão só ganha eleição
Se outro ladrão lhe apoiar.

O cabra vem comprar votos
Com remédio e botijão,
Com uns litros de cachaça,
Com forró e animação;
Desgraçando todo mundo
Com a tal corrupção.

Compra o voto do paizão
E dos filhinhos também ,
Com um saco de cimento
Todo mundo se dá bem
O cabra ganha carisma
E num perde nem pro trem.

O povão fica iludido ,
Pois não tem educação ,
Totalmente desconhece
O que é ser cidadão
Até quando , nosso Deus ,
Sofrerá nossa nação?

Quando um homem que é honesto
Aparece num lugar ,
Trazendo suas propostas
Sem votos querer comprar
É xingado de pão duro ,
Como é que ele vai ganhar?

Nosso povo é mais corrupto
Que os próprios politiqueiros ,
Pois eles são minoria
Porém tem alguns dinheiros ,
Que compram as multidões
Enrolando os brasileiros.

Tira um carro do Detran,
E paga uma cirurgia ,
Dá mil tijolos a um trouxa ,
Já a outro dá uma pia ,
Do outro tira o CPF ;
Está feita a freguesia.

2 comentários

    • Jesus de Ritinha de Miúdo em 12 de Maio de 2018 às 08:20
    • Responder

    Êita, Pedro!
    Em ano de eleição os versos acima são um repertório da moléstia, pro caboclo decorar e soltar à mesa com aquele candidato Copa do Mundo.
    Os de Manoel do Côco estão sublimes.
    Em tudo!

    • Pedro Fernando Malta em 12 de Maio de 2018 às 17:26
    • Responder

    Estimado poeta
    O seu comentário é mais um incentivo para que eu continue, com a valiosa ajuda do Berto, buscando divulgar a nossa tão rica cultura popular.
    Fraterno abraço.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.