STAND-UP COM POESIA

IMPERATRIZ

O Sol se põe chorando
A Lua já nasce triste
As estrelas inexistem
Não há poetas a contá-las
A poesia nem se fala
Tudo está ultrapassado
O velho está encostado
O moderno pede vênia
A Imperatriz boemia
Só existiu no passado

QUESTÃO DE GOSTO

Não gosto de maçãs
Nem as do teu rosto
Prefiro os teus lábios
Têm melhor gosto

COMO SABER?

“MANGA” de mim
Uma palavra
Dispersa em mil
Confusão sem fim.
Nosso português
Não é tão simples assim
CRIANÇA X ADULTO
A criança que fui deixei
chorando pelos caminhos.
Para me tornar o adulto que sou
sorrindo pelas estradas.

FOGO DA PAIXÃO

Mantive a meia chama
O fogo da nossa paixão
Por isso ainda há fumaça
Nos lençóis da nossa cama
Com um sopro, talvez
A fumaça vire fogueira
E queime a noite inteira
Talvez, quem sabe, talvez.

CÔNCAVO X CONVEXO

Já rolamos na lama
Na grama, na cama
No serrado, na fama…
Quarenta anos depois
Eu continuo côncavo
Você ainda convexa
Muito pouco ainda rola
Mas o amor nos conexa

ISTO SOU EU

Eu sou assim:
Interiorano,
Indefinido
Abstrato,
Vazio,
Mal escrito
Sem fim definido…
Acho que sou
Um rascunho de mim
Isto sou eu

2 comentários

    • violante Pimentel em 11 de maio de 2018 às 09:56
    • Responder

    Parabéns, querido poeta Francisco Itaerço, pelo seu maravilhoso “STAND-UP COM POESIA”! Versos bonitos e verdadeiros! Destaco, dentro do meu romantismo, ” FOGO DA PAIXÃO”!
    Afinal, onde há fumaça, há fogo! A chama poderá brilhar novamente!
    Um grande abraço!

    Violante Pimentel Natal (RN)

    • Itaerço Bezerra em 11 de maio de 2018 às 11:41
    • Responder

    A chama sempre brilha por uma segunda vez, amiga querida, você tem razão.
    Meu abraço, e um bom final de semana.

    Itaerço
    Imperatriz-ma

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.