Acordava com o carinho do seu cheiro
Suas mãos me afagando com calor
Sua voz me chamando com amor
Sentimento tão puro e verdadeiro.
Pela manhã isso era fato corriqueiro
Minha mãe me acordando, e eu acordado
Mas fingindo que dormia, embalado
Pra que tudo fosse assim continuando
No metrô do presente eu vou puxando
Um vagão de saudade do passado.

Em sua voz o meu nome é o mais lindo
Entre todos os bons sons que eu já ouvi
E entre todos os carinhos que eu senti
O seu foi e será o mais bem-vindo.
E assim, eu seguia me fingindo
E ajeitava meu rosto com cuidado
E sentia o seu hálito perfumado
Era mamãe, com um beijo, me acordando
No metrô do presente eu vou puxando
Um vagão de saudade do passado.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa