13 maio 2018UM SHOW DE TALENTOS



Na bateria Gene Krupa, no trombone de vara Glenn Miller que também compôs a música, completando o espetáculo, Dorothy Dandridge e Nicholas Brothers.

Chattanooga Choo Choo

* * *

ORQUESTRA MALUCA

Mais um curta metragem em versão restaurada da dupla O Gordo e O Magro.

* * *

Dica: A coluna inicia hoje uma reapresentação das séries que foram sucesso em nossa televisão num passado recente.

– Bonanza, foi uma série do gênero western produzida de 1959 a 1973, num total de 430 episódios. Com personagens bastante humanizados, Bonanza conquistou fãs ao redor do mundo todo com suas histórias de bravura, honradez e coragem no Velho Oeste. A última exibição no Brasil, foi pela TV a cabo TCM.

O abandonado 12º episódio com a participação de Charles Bronson

7 Comentários

  1. Como disse muito bem, certa vez, o cinéfilo Darci Fonseca: O FIM DA SÉRIE “BONANZA” FOI MELANCÓLICO, INFELIZ E INGRATO… Pois bem!!! Bonanza foi uma das séries clássicas da TV norte-americana, uma das mais queridas pelo público e, por isso mesmo, uma das séries campeãs de audiência dos anos 60. O que levou “Bonanza” a ser tão admirada e ter uma fiel legião de espectadores foi, sem dúvida, o carisma dos quatro Cartwrights. Enquetes eram feitas para saber qual deles era o preferido do público que se dividia entre o patriarca Benjamin (Ben) e seus filhos Adam, Eric (Hoss) e Joseph (Little Joe), interpretados respectivamente por Lorne Greene, Pernell Roberts, Dan Blocker e Michael Landon. Mesmo a saída de Pernell Roberts ao final da sexta temporada não abalou a performance da série no Nielsen Ratings, principal instituto de pesquisas da TV norte-americana.

    P.S.: – Tenho diversos episódios, todos originais, comprados em loja. Assisto de vez em quando e bate a saudade dos exemplos de moral e honestidade que transmitia aquela família.

  2. Que espetáculo! . Que show de estrelas! Nomes como Krupa, Miller, os sempre magníficos Nocholas Brothers e para coroar isso tudo a estupenda Dorothy Dandrige no inicio de carreira, pois com o tempo ela se tornou uma sensação. Haja vista o seu fabuloso desempenho em CARMEN JONES, DIGA-SE SEM MEDO DE ERRAR, FOI A MELHOR CARMEN DO CINEMA. Beleza, carisma, sensualidade, talento e presença cênica em
    proporções gigantesca, como demonstrou, principalmente em Carmen Jones.
    Perseguida, comentada injuriada pelo seu affair com o diretor alemão Otto Preminger
    que fez de Carmen Jones um imenso sucesso internacional. Vou sugerir ao expert
    em cinema e também principalmente em mulher bonita ALTAMIR PINHEIRO ,que quando tiver oportunidade faça um comentário biográfico sobre a Dorothy Dandrige.

    SONIA REGINA, PEÇO DESCULPAS POR ME ALONGAR NO SEU ESPAÇO, MAS A CULPA É TODA SUA, POIS NOS BRINDA COM ESPETÁCULOS DE QUALIDADE
    QUE FICA IMPOSSIVEL DEIXAR DE COMENTAR PELOS APRECIADORES DE TAIS ESPETÁCULOS COMO TAMBÉM DA SUA ÓTIMA COLINA

    Abraços e bom domingo.
    d.matt

    • Sr. d.matt, não se desculpe, são muito bem vindos seus comentários. Eu também sou fã desses artistas mas, não tinha muita lembrança da Dorothy. Aproveito para reforçar seu pedido para que nosso talentoso Sr. Altamir nos brinde com um texto sobre o trabalho dela.

      Grata e um excelente final de domingo para a família d.matt.

  3. Também sou fã da série BONANZA , porem não consegui assisti nem dez minutos do video
    apresentado. Porque? Vocês notaram que ele é falado em ALEMÃO ? Assistir os vaquei
    ros enrolando a lingua é dose para derrubar fã de western.
    Imaginem a cena : Um cowboy entra num bar em Tombstone, cheio de pistoleiros, encosta
    no balcão, dá uma cuspida de tabaco mascado. O barmam pergunta : O que vai querer ?
    Ele responde olhando enviezado de olho no revolver do bebum ao lado : EU VAI
    QUERRER UMA CHOPP BEM GELADA.
    Desisto e vou assistir um musical com a Carmen Miranda. Desce o pano.

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa