Riacho do Navio, caminho para o Pajeú; de lá ao São Francisco

O riacho do Navio é um curso d’água intermitente e afluente do rio Pajeú, atravessando o sertão pernambucano.

Sua fama se deve à música “Riacho do Navio”, composta por Luiz Gonzaga e Zé Dantas.

O riacho recebe esse nome por causa de uma pedra – na Fazenda dos Algodões, na zona rural de Floresta-PE, que lembra um navio.

A música propõe a filosofia de voltar para o simples, quando sugere que “se fosse um peixe” trocaria o imenso mar pela simplicidade do riacho do Navio. Para isso, porém, o tal peixe, mencionando na música, teria que nadar contra as águas.

Riacho do Navio – Luiz Gonzaga/Zé Dantas, com Gonzaga

Semana que vem tem mais..

4 Comentários

  1. É de impressionar a produção artística, tanto musical quanto as ilustrações.
    Já ouvi esta música inúmeras vezes, entretanto, jamais imaginei sua importância juntando a poesia dos lugares e sua importância geográfica.
    Mais uma vez grato aos idealizadores.

  2. Eu enfrentaria esse desafio pra ter uma vida assim : o despertador os pássaros,música pra dormir o chocalho dos bois,pra comercacar ;trabalhar levando os bois pra pastar em outros lugares ou entrega -los a outras fazendas;sem essa de rádioou TV com notícias extresantes.
    Eu mataria contra corrente sim!

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa