The Magnificent Seven” música tema do filme de 1960, que no Brasil recebeu o título de “Sete Homens e Um Destino“, é aqui executada pela Orquestra Temple Square, da cidade de Salt Lake no Estado de Utah nos Estados Unidos. A composição é de Elmer Bernstein.

1 Comentário

  1. OS DIVISORES DE ÁGUAS DA CINEMATOGRAFIA DAS PELÍCULAS DE FAROESTES CHAMARAM-SE: NO TEMPO DAS DILIGÊNCIAS(1939), COM JOHN WAYNE e SETE HOMENS E UM DESTINO(1960), COM CHARLES BRONSON. YUL BRYNWE, ELI WALLACH, STEVE MCQEEN E TANTOS OUTROS…

    P.S1.: – Segundo os entendidos do ramo dos filmes faroeste, todos hão de convir que, parece heresia afirmar que “Sete Homens e um Destino” teve para o gênero western a mesma importância de “No tempo das Diligências”. A obra-prima de John Ford trouxe ao faroeste um status que ele desconhecia e a partir daí o gênero deixou de ser subestimado, fazendo com que praticamente todo grande ator atuasse nesse segmento de filmes, agora dirigidos pelos mais renomados diretores de Hollywood. Quando pelo final da década de 50 o faroeste começou a dar sinais de cansaço, surgiu “Sete Homens e um Destino” para revitalizar o gênero, assim como havia feito “No Tempo das Diligências” 20 anos antes. A influência do filme de John Sturges se fez sentir nos faroestes norte-americanos e muito mais na prolífica produção que teve início na Itália e que ficou conhecida por western-spaghetti.

    P.S2.: – Nenhum ardoroso fã do faroeste tem o direito de bocejar durante a projeção desses dois espetáculos citados acima que tanto encantou o mundo nas telonas de cidadezinhas de interior…

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa