19 maio 2018 CHARGES

J. BOSCO

ODE AO AMOR

É difícil falar de amor sem parecer piegas. Ainda assim, resolvi entoar este cântico, mesmo correndo o risco de enveredar por um caminho ridicularmente sentimental. Que seja!

Afinal, o que é o amor e como defini-lo? Viajemos no tempo. O termo tem origem no latim amor, e guarda o mesmo significado de agora: afeição, carinho, afeto. Entretanto, definir amor é tão difícil quanto complexo, pois ele se apresenta sob diferentes formas e significados variados.

O amor pode estar num abraço, num olhar, num beijo prolongado. Ele se propaga, naturalmente, entre um homem e uma mulher, porém pode acontecer entre dois homens ou entre duas mulheres. Quando ele é verdadeiro ultrapassa barreiras sociais, raciais e econômicas.

O amor pode ser fraternal, incondicional, próprio, entre amigos e amor ao trabalho. Dizem que o amor é cego, e que é uma bela jornada. Afirmam, também, que ninguém consegue viver sem tal sentimento, que pode até durar para sempre – não se trata aqui do amor espiritual ao Deus de cada um.

Alguns filósofos, da antiguidade, assim definiram o amor:

Sófocles – Uma palavra nos liberta de todo peso e da dor da vida: essa palavra é amor.

Platão – Ao toque do amor todas as pessoas se tornam poetas.

Aristóteles – O amor é formado por uma única alma habitando em dois corpos.

E o que dizer do amor platônico? Aquele que você sabe que nunca vai ter, mas que é bom assim mesmo. O beijo é a mais significativa expressão de amor que o ser humano conhece. No beijo também se esconde a manifestação do que chamamos paixão. Esperem! Amor e paixão não representam o mesmo sentimento?

A psicologia define a paixão como a atração pela idealização que fazemos do próximo, e não, necessariamente, pela pessoa como verdadeiramente é. Nas pessoas apaixonadas, as características de atração são as físicas. Ao contrário do amor, onde enxergamos muito além das aparências alcançando o interior das pessoas.

Estudos sobre o comportamento humano afiançam que a paixão pode durar semanas ou de um a dois anos. Após esse período ou finda o relacionamento, ou se inicia uma verdadeira história de amor.

O amor é o combustível para o romantismo e inspiração para a poesia. Daí textos e músicas que falam de amor, tocar tão fundo em almas sensíveis.

Poucos poetas cantaram tão bem o amor, e com tanta intensidade e profundidade, como o cronista e poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade. Uma das amostras é o pequeno retalho a seguir, extraído de uma de suas obras, O Amor:

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer o seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção, pode ser a pessoa mais importante da sua vida.

Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro ou, às vezes encontram, e por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar sem deixa-lo acontecer verdadeiramente…

Evite que as loucuras do dia a dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o amor.

19 maio 2018 CHARGES

NICOLIELO

19 maio 2018 DEU NO JORNAL

LULA DECIDE LEVAR PT PARA COVA DOS LEÕES

Jorge Oliveira

O Lula já levou muitos dos seus comparsas para a cadeia. Quem se juntou a ele nos últimos vinte anos caiu em desgraça. Nem os filhos foram poupados das suas artimanhas que normalmente acabam em cadeia. Agora, ele decide acabar com o PT, o partido que ajudou a fundar, negando-se a apresentar um candidato à presidente para salvar o que resta da base. Estrategicamente até se entende que ele se mantenha candidato, pois ao anunciar que desiste da disputa, mesmo sendo inelegível, seu destino certamente será um presídio comum.

O PT está se apagando ao não participar dos debates políticos. Preso, Lula mantém-se irredutível. Usa as mulheres para esconder as suas intenções, nem sempre honestas e sinceras. Foi assim com a Dilma, sua primeira marionete, e agora com a Gleisi Hoffmann, a presidente do PT, a quem ele escolheu para ser porta-voz das suas mensagens inócuas aos seus seguidores que tentam manter hasteada a bandeira do partido.

Lula vai continuar candidato porque tem motivos inconfessáveis que ele julga “saudáveis” : os R$ 35 milhões de reais do Fundo Partidário que caíram no caixa do PT este ano, e os R$ 212 milhões do Fundo Eleitoral destinados ao partido em 2018, do total de R$ 1,7 bilhão distribuídos nas eleições. Toda essa dinheirama será administrada por Hoffmann, a senadora submissa que Lula a elevou ao pedestal político para usá-la ao seu bel-prazer. Ao indicá-la presidente do PT, o chefe petista sabia da futilidade da senadora e da sua subordinação aos seus caprichos.

Vaidoso patológico, ele usa mulheres

A história mostra que o ex-presidente risca da sua agenda aqueles que vivem à sua sombra para caminhar sozinho como um soberano inatingível. Abandona os amigos no meio do caminho como fez com vários deles que estão na cadeia. E impõe alguns ao ostracismo como Aloísio Mercadante, Wagner, Dilma, Humberto, Palocci, Vargas, Vaccari, Delúbio, Paulo Ferreira, este condenado esta semana a 9 anos, e tantos outros. Lula, como se diz lá no Nordeste, é igual a Mandacaru: não dá encosto nem sombra.

Quanto a Hoffmann, o ex-presidente vai mantê-la à frente do PT enquanto ela continuar manipulando o caixa, pois do presídio ele mesmo vai se encarregar de distribuir o dinheiro para as campanhas, mantendo-se no domínio financeiro do partido. Espertamente, incentiva Hoffmann como porta-voz, transfere para ela um poder falso, administra a sua vaidade e, nos bastidores, age como um déspota para manipular seus fanáticos e administrar, dentro da cadeia, os milionários fundos dirigidos aos candidatos de sua preferência.

Lula é um egocêntrico, age de acordo com as suas conveniências. Quando a Dilma, por exemplo, ensaiou mudanças ministeriais no segundo mandato, para tentar alçar voo próprio, foi defenestrada por ele que puxou o seu tapete. Ali, ela percebeu que não governava e, como uma marionete, obedecia ao comando do dono do circo. Recolheu-se a sua insignificância e esperou, como uma artista sem alma, que o impeachment chegasse para fechar a cortina do espetáculo mambembe. Pagou também caro o preço da ousadia ao tentar desafiar o chefe que queria apeá-la do poder para sucedê-la na presidência na eleição de 2014.

É natural, portanto, que o Lula, um ser patológico, não se interesse em manter o PT vivo, estruturado e disputando eleições no país enquanto estiver preso. Se abrir espaço para os petistas mais influentes, ele tem a certeza de que perde o comando da agremiação. Assim, raciocina, prefere sucumbir junto com o partido a deixar que aliados se sobressaiam na sua reestruturação. Além disso, enquanto Gleisi estiver ao seu lado, ele mantém sob controle absoluto as finanças e toda a estrutura política do PT.

Afinal de contas, o PT sabe, como nenhum outro partido, usufruir do dinheiro público. Não à toa, o ex-presidente e seu séquito estão guardados em presídios porque dilapidaram o patrimônio dos brasileiros.

Se Hoffmann ainda não entendeu como o seu chefe opera, que se cuide, pois o Sérgio Moro é seu vizinho lá no Paraná. E é prudente que não compare o magistrado ao “fascista” do Jair Bolsonaro, como ela o qualificou em entrevista ao jornal Diário de Notícia de Lisboa ao investir contra Moro: “um juiz parcial, que tomou decisão baseada em atos políticos”.

Cautela senadora, os chineses, do alto da sua sabedoria milenar, já dizia: “A língua é o veneno do corpo”.

19 maio 2018 CHARGES

SINOVALDO

FUTEBOL NO BRASIL

Mal acabou uma Copa do Mundo, que deixou pelo País um rastro de roubalheira e obras não acabadas, e em pouco tempo estamos de volta ao campeonato mundial de seleções. Fico até a pensar, sobre a copa passada, que a criatura se virou contra o criador. Foi o presidiário que através das gorjetas e em uma festa descaradamente de falsas alegrias com gritos, choros, saltos com soco no ar em que até o inventor do salto, o Pelé, participou. As propinas ofertadas pelo governo do ilusionista Lulla, determinaram a escolha do Brasil como sede da Copa de 2014. Tudo foi falso, mentiroso e enganador no governo petista. A Copa foi armada com a visão da corrupção dos governantes que a esperavam ganha-la e com isso aplacar o que viria depois, ou seja, roubamos, mas ganhamos.

O Canadá, como diz uma postagem em meu facebook, não classificou a sua seleção para a Copa da Rússia. Afinal, a Copa do Mundo que costuma competir é outra, a do prêmio Nobel, onde já ganhou vinte e três troféus e para isso tem o preparo de um dos níveis mais altos de qualidade de vida. Devem estar se moendo de tanta inveja do nosso pentacampeonato mundial. Temos algo que eles não nos alcançarão com toda certeza, é quase impossível os canadenses chegarem na marca dos 28 milhões de desempregados.

Acredito que o Brasil seja o campeão mundial nesse campo e marcha célere para um portentoso avanço real nessa área tão logo o Bolsa Família, grupo desempregado, mas não considerado como tal, não encontre mais fonte de financiamento. São, aproximadamente, 45 milhões de pessoas provenientes de 15 milhões de famílias dependentes desse programa. O que torna sério estes dados, é que os beneficiados não buscam por trabalho porque a eles não interessam perder a condição ofertada pelo Estado servil. Empregos, por exemplo, foram ofertados pela indústria têxtil do Ceará que forneceu cursos preparatórios, mas na hora de assinar o contrato ninguém aceitou em razão do risco de perder o cartão do Bolsa Família. Essa é a seleção de miséria que estamos montando e dificilmente seremos superados por qualquer competidor no campeonato do desemprego. E estamos formando um senhor time reserva, são 53 milhões que estão aí aptos para o mercado de trabalho, a turma do PIA (População em Idade Ativa). Solução para isso temos e existem muitas propostas. Acontece que o egocentrismo e individualismo somados à incompetência dos nossos representantes não permitem avanços no campo de propostas.

O Brasil até no futebol é enganador. É enganador porque na verdade, os jogadores que participam da seleção há muito deixaram de ser amantes e praticantes desse esporte jogado no Brasil. O futebol brasileiro está à míngua e o gigantesco manancial de jovens sonhadores com ele não pensam em outra coisa a não ser se mandarem do Brasil. É um desestimulo ficar por aqui. São poucos os times que, mal e porcamente, oferecem alguma coisa de elevado nível na preparação e condição de se desenvolver no futebol. Os clubes não têm sua própria estrutura técnica de pessoal para a preparação física, ficando a mercê dos técnicos e sua equipe de trabalho. Como se muda de técnico a cada mês, mudam-se também os preparadores e toda estrutura e os jovens recomeçam um novo aprendizado de estratégia e formação física.

Considero a seleção brasileira uma imagem falsa do que é o nosso futebol. O mérito, se ganharmos a Copa, deverá ser dado ao treinador, mas muito mais aos preparadores e treinadores dos times europeus que, através de sua organização administrativa e de apoio ao jogador, os preparam com espetacular condição física e emocional e os tornam homens responsáveis e cientes de que a profissão é muito mais do que apenas jogar bola, os aprontam para a vida. Aqui no Brasil os meninos revelações estão entregues a própria sorte, inclusive em relação aos seus próprios agentes. Os clubes não estão nem aí com isso, esperam apenas que se revelem e rendam muito dinheiro aos cofres. A única forma de recomeçar a dar valor ao nosso futebol, é não convocar para a seleção aqueles que lá fora estão e valorizar os que jogam neste chão duro e mal preparado dos nossos estádios, os verdadeiros representantes do futebol pentacampeão. Aliás, foi com a participação de 13 nativos que conquistamos esse quinto título. O futebol no Brasil pode ser, se bem administrado e com seriedade nas propostas de organização, um excelente campo de trabalho a milhares de jovens. Para isso eles precisam confiar de que é real a possibilidade de um dia crescer no esporte e vestir a camisa verde amarela. Tenho fé que voltaremos a ter estádios cheios e com o hoje esquecido, mas verdadeiro, futebol do Brasil.

19 maio 2018 CHARGES

YKENGA

SONETO ESSENCIAL

Teus olhos, quando verdes, são dois mares;
azuis, dois céus de estonteante altura;
castanhos, quase-negros de cismares,
— sóis noturnos de mórbida ternura.

Teu corpo é como uma ânfora de luares,
e na essência que envolve se mistura.
Tuas mãos são estrelas. Caminhares
são pássaros em viva fioritura.

Nos tênues róseos lábios tens a urna
de que a brisa celeste se fez presa.
Nos cabelos, a langue paz noturna.

O mais belo, o mais alto em ti se apura
de quanto nos doou a natureza.
E és luz, e aroma, e canto, e graça pura.

19 maio 2018 CHARGES

BRUNO

19 maio 2018 DEU NO JORNAL

DIRCEU SUPERA OS SONHOS DE LULA

Lula, hoje hospedado na carceragem da PF em Curitiba, costumava dizer que seu “sonho” era que os pobres tivessem três refeições por dia.

Na Papuda, onde está preso desde ontem, José Dirceu terá quatro: café da manhã, almoço, jantar e lanche noturno.

* * *

Isto é o que os muderninhos costumam chamar de “superação”.

Dirceu, Guerreio do Dinheiro do Povo Brasileiro, ultrapassou a promessa (nunca cumprido) de Lula.

Vai comer que só a porra na cadeia.

José Mensalão Dirceu embarcando no confortável camburão da Polícia Federal rumo à cadeia, onde já estão Lula, Vaccari e Palocci; só estão faltando Lindinho e Gleisi Hoffmann pra que toda a cúpula petralha esteja devidamente enjaulada

19 maio 2018 CHARGES

KAYSER

UMA GLOSA

Campeei pelo sertão
Na garupa dum vaqueiro
No seu galope ligeiro
Mais veloz que um avião
Quando vi que faltou chão
Do céu abri a porteira
Jesus saiu na carreira
E me agarrou pelo braço
“Eu, querendo, também faço
Igualzinho a Zé Limeira.”

Mote sugerido por Marco Haurélio

19 maio 2018 CHARGES

VASCOLI

DIRCEU, LUGAR DE DELINQUENTE INSISTENTE É NA CADEIA

19 maio 2018 CHARGES

NANI

OS TARADOS DA AVENIDA

No final da 1ª Guerra Mundial (1914- 1918), o prefeito de Maceió, Firmino Vasconcelos, comemorou o fim da guerra na então “Praia do Aterro”. Depois de bons goles de cachaça da boa, prometeu que ali construiria uma bela Avenida, a Avenida da Paz.

Terminada a obra, a Avenida começou a desbancar Bebedouro, a burguesia se transferiu para a Avenida da Paz, construindo belas casas e mansões. Nessa época apareceu a moda do “banho salgado”, a mulherada moderna vestia maiô até o joelho e caía na água do mar. Maior sucesso, alguns achavam um escândalo. Vinham homens, velhos e meninos do interior apreciar as modernas senhoritas de maiô aparecendo a batata das pernas. Causava reboliço entre os marmanjos. Nessa época também foram aparecendo os primeiros “tarados”. Quando nos anos 30 foi inaugurada a sede do Clube Fênix, o maiô já havia diminuído o tamanho, subindo até a metade das coxas, quanto mais diminuía o tamanho do maiô, mais aumentavam os discípulos de Onã na esplêndida praia da Avenida.

Nos anos 50 eu era um jovem maloqueiro de praia. Nadava singrando a calmaria do mar. Pulava da cumeeira dos trapiches que se estendiam mar adentro, jogava futebol na areia dura, molhada. Pescava nas jangadas, puxava rede. Entretanto, o que nós meninos mais apreciávamos, o nosso esporte predileto, era ficar na areia olhando, que nem jacaré, para as belas mulheres que se estendiam na areia para pegar um bronzeado.

É próprio do homem o “voyeurismo”, o olhar, o apreciar os encantos da mulher. Alguns não se controlam, e praticam o onanismo nas mais esdrúxulas situações. Apanhados em flagrante são taxados de “tarados”. Naquela época, meninos com cara de santinho, trafegavam pelas rodas de conversas com as moças descontraídas. Mas, quando entravam na água, não havia quem segurasse.

O Gaguinho era mestre, ele aproximava-se das meninas, deitava de bruços, cavava uma cova, adaptada a sua mão, e ali dava estímulo para suas fantasias. Certa vez, um amigo percebeu o Gaguinho em posição de trincheira perto de sua belíssima irmã. Ele foi chegando por trás, devagar, de repente virou o Gaguinho que estava em vias da apoteose final. Levaram o “tarado” para a Delegacia de Jaraguá. Ficou preso e sumiu por um tempo.

Certo verão apareceu a Musa! Foi o primeiro biquíni em Maceió. Uma bonita ruiva, dizia-se atriz, hóspede do Hotel Atlântico. Toda manhã, como se fosse uma liturgia descia à praia, estendia uma toalha, armava a sombrinha na areia. Tirava a blusa bem devagar, como se tivesse preguiça, aparecendo a parte superior do biquíni cobrindo seus belos seios. Em seguida, como se fizesse um strip-tease, despia lentamente o short requebrando os quadris em movimentos harmoniosos, sensuais, até transpassar o short por baixo dos pés. Finalmente levantava o short com o pé direito como se chutasse o vento. Dobrava a roupa, arrumava junto à sombrinha. Deitava lentamente, de bruços, deixando o sol dourar suas pernas, seu dorso, sua bunda. Foi o espetáculo daquele verão. Os homens se deliciavam com o ritual erótico da musa dos cabelos de fogo.

“Chaina”, sua cachorrinha pequenez, ficava amarrada no pau da sombrinha. Às vezes, ela soltava-se para alegria da moçada que tentava capturá-la, para receber o agradecimento, olhando de perto as penugens douradas das coxas da dona. Depois que a Chaina começou a frequentar a praia, o número de tarados aumentou na praia da Avenida.

Muita gente graúda entre eles. Certa vez fizemos uma votação para eleger o maior tarado da praia. Em terceiro lugar, o punho de bronze, foi para um atleta famoso. O segundo lugar, o punho de prata, ganhou Kirk Douglas, um coroa, vestia um velho calção de banho, e passava o dia vadiando na praia. E o primeiro lugar, o punho de ouro, fez-se justiça, foi para o dono de um restaurante conhecido na cidade. O ganhador era prático e profissional. Conta a lenda que todas as suas calças tinham os bolsos do lado direito furados.

Hoje, quando dou minha caminhada pela praia da Jatiúca, lembro dos velhos tarados da Avenida ao olhar os corpos deitados, de bruços, belamente bronzeados, dentro de uma minúscula tanga.

Essa e outras Histórias de Maceió este colunista fubânico contará na peça, SE FOR PRA CHORAR QUE SEJA DE ALEGRIA, dia 9 de Junho no Teatro Cine Pajuçara às 20 hs. A afinadíssima Andréa Laís cantará belas músicas relacionadas com as histórias.

19 maio 2018 CHARGES

PATER

JOHNNY CASH

Em vídeo de 1987, Johnny Cash canta, de Stan Jones, “Ghost Riders In The Sky“. Teve a versão brasileira “Cavaleiros do Céu” gravada por Carlos Gonzaga em 1962 e fez na época, muito sucesso. A música foi composta em 1948.

19 maio 2018 CHARGES

NANI


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa