19 maio 2018UMA GLOSA



Campeei pelo sertão
Na garupa dum vaqueiro
No seu galope ligeiro
Mais veloz que um avião
Quando vi que faltou chão
Do céu abri a porteira
Jesus saiu na carreira
E me agarrou pelo braço
“Eu, querendo, também faço
Igualzinho a Zé Limeira.”

Mote sugerido por Marco Haurélio

4 Comentários

  1. Saí do céu como entrei
    Montando um cavalo baio
    Que corria feito um raio
    Desde que eu lhe esporei.
    Quando Dalinha agarrei
    Pelo braço, na carreira,
    Vaquejamos na ribeira
    Pegando nuvem no laço
    “Eu, querendo, também faço
    Igualzinho a Zé Limeira.”

  2. .
    Na disparada q’ eu vinha
    Naquele cai e não cai
    Senti ser do Paraguai
    O Jesus que me sustinha
    Era Jesus de Ritinha
    Notei pela cabeleira
    Eu esquentei a moleira
    E ele outro pedaço
    “Eu, querendo, também faço
    Igualzinho a Zé Limeira.”

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa