Ao encaminhar Eduardo Azeredo para o xadrez, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais qualificou a faxina, tornando-a menos seletiva. A cúpula miliciana do PT, incluindo Lula, foi encarcerada. A falange do (P)MDB está representada no xadrez por presidiários do porte de Eduardo Cunha, Sérgio Cabral e Geddel Vieira Lima. Até corruptores da estirpe de Marcelo Odebrecht já amargaram sua cota de cana. Faltava um tucano na gaiola. A prisão de Azeredo chega bem e vem tarde. Representa pouco se for considerado tudo o que já se descobriu sobre os seres da sua espécie. Mas já é um bom começo — sobretudo porque o PSDB vai preso junto com seu protegido.

O feitiço dos tucanos acabou enfeitiçando o ninho. Em 2005, quando se revelou que o mensalão petista tinha um DNA tucano, o PSDB meteu o malho na tesouraria petista ”não contabilizada” de Delúbio Soares e passou a mão no bico de Eduardo Azeredo, que tivera a caixa de campanha anabolizada pelas mágicas do mesmo operador: Marcos Valério. Azeredo servira-se dos truques financeiros de Valério na sua malograda campanha à reeleição para o governo mineiro, em 1998. Ao livrar o filiado ilustre das labaredas de um processo ético-disciplinar, o PSDB pulou na fogueira.

Os tucanos cometeram o mesmo erro que apontavam nos petistas. Trataram com consideração quem merecia punição. Hoje, sabe-se porque agiram assim: não havia inocentes na legenda, apenas culpados e cúmplices. Como sucede em todas as agremiações partidárias, ninguém ignora os crimes cometidos ao redor nos verões passados. Azeredo renunciou ao mandato de deputado para fugir da condenação no Supremo. E nenhum correligionário se animou a representar contra ele no Conselho de Ética da legenda. Azeredo foi condenado a mais de 20 anos de cana na primeira instância. E nada.

Ex-presidente nacional do PSDB, Azeredo chega à condição de corrupto com sentença de segunda instância e ainda mantém intacto seu assento na Executiva Nacional da legenda. Como o partido não foi capaz de mostrar aos transgressores a saída de incêndio, acumulou-se entulho na entrada. O réu Aécio Neves coleciona uma ação penal e oito inquéritos. A Odebrecht enfiou R$ 23 milhões numa caixa eleitoral de José Serra, com escala na Suíça. A mesma empreiteira empurrou R$ 10,3 milhões nas arcas eleitorais clandestinas do hoje presidenciável Geraldo Alckmin. Tudo isso sem uma delação do operador Paulo Preto.

O PSDB, como o PT, perdeu todas as oportunidades que a história ofereceu para demonstrar que possui uma noção qualquer de ética. O PT continuará afirmando que o PSDB protege os seus corruptos. E vice-versa. A má notícioa é que os dois partidos têm razão. A boa notícia é que a Lava Jato transformou a blindagem num péssimo negócio.

5 Comentários

  1. Infelizmente o debate político no Brasil continuará naquele “alto nível”: Coxinha! Mortadela! Direita! Esquerda! Comunista! Fascista! Petralha! Tucanalha!

  2. Boa Tarde a todos!
    Durante os dois mandatos de Lula e os desgovernos de Dilma, o PSDB não fez oposição de verdade e todo mundo não entendia o porque. Hoje todos nós sabemos a resposta graças a Lava Jato e ao trabalho destes jovens procuradores do MPF e do Dr. Sergio Moro.
    Todos juntos na mesma quadrilha para se locupletarem as custas de todos nós.
    Cadeia neles. VIVA A DEMOCRACIA. VIVA O TRABALHADOR BRASILEIRO.
    Um abraço a todos.
    João Bosco

  3. E as desculpas mingam a cada dia.
    E quem defende bandido tem, a cada nova ação da PF, um argumento a menos para chorar seu bandido preso.

  4. Um dia,que espero bem próximo,uma parcela melhor informada do brasileiros vão concluir que ,apesar de o 9DEDOS ser o maior bandido do Brasil e que mais roubou por unidade de tempo,o artífice da mega-roubalheira estratosférica do país nestes últimos 30 anos foi FHC,na realidade um laranja especial de George Soros,fiel ao Diálogo Interamericano e aos satanistas sob a batuta dos Rothschlids.

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa