GEOGRAFIA DAS MÚSICAS – “I WANNA TO GO BACK DO BAHIA”

Paulo Diniz: inglês de Joel Santana, numa letra homenageando Caetano Veloso

Alguns tinham-no como desparecido, outros como morto, havia ainda os que, precisos nas minúcias, falavam de doença terminal.

Nos últimos tempos, Paulo Diniz vinha realizando shows em cidades do interior, mas a doença que o acometeu (esquistossomose) agora já não o premite sair de casa, inspirar-se com o cotidiano.

Diniz compôs e cantou muitos sucessos nacionais, principalmente entre os anos 1970 e 1980.

O seu maior grande hit foi a canção “I wanna to go back do Bahia”, na qual homengeou Caetano, então auto-exilado em Londres.

De 12 aos 16 anos, Diniz trabalhou numa fábrica de doces da sua cidade natal Pesqueira-PE.

Mais tarde, mudou-se para o Recife, onde tentou ganhar a vida engraxando sapatos, como crooner e baterista em casas noturnas, locutor de casas comerciais e, em seguida, locutor e ator da Rádio Jornal do Commercio.

Do Recife seguiu para Caruaru-PE, depois para Fortaleza-CE. Em 1964 foi para o Ro de Janeiro.

Nascido em 1940 (78 anos), Paulo Diniz compôs inúmeros sucessos como: Chorão, Ponha um Arco-Iris na sua Moringa, Pingos de Amor, “E agora, José” (poema de Drummond), Um chopp para distrair, entre outros. Odibar foi o principal parceiro de Paulo Diniz.

Suas canções foram gravadas por Clara Nunes, Emílio Santiago e Simone.

Eu Vim de Piri-Piri (Paulo Diniz/Odibar)

Semana que vem, tem mais

2 comentários

  1. Quincas,

    Era capaz de jurar que “I wanna to go back to bahia”, era do Caetano. Vivendo e aprendendo.
    Outras músicas de Paulo Diniz , como “E agora José” , são super conhecidas e gostosas e se ouvir.

    • Marcão/DF em 22 de maio de 2018 às 14:36
    • Responder

    Paulo Diniz faz parte da minha memória musical, tenho dois cebolões e dois CD’s,, sempre que exagero na “marvada”, meus vizinhos o escutam.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.