Dois homens caminhavam certa madrugada pela Rua do Ouvidor no centro do Rio de Janeiro.

Iam em direção oposta e cada um cantarolava uma canção.

O que parecia ser mais velho, tinha um cigarro no canto da boca e cantava assim:

Seu garçom faço o favor de me trazer depressa uma boa média que não seja requentada“.

O outro tinha cara de menino e, com as mãos no bolso, quase sussurrava:

Estava à toa na vida o meu amor me chamou pra ver a banda passar cantando coisas de amor“.

Ao se cruzarem cumprimentaram-se:

– Boa noite, Francisco !

– Boa noite, Noel !

O curioso é que nunca se conheceriam pois um morreu em 1937 e o outro só nasceria sete anos depois.

Eram os compositores brasileiros Noel Rosa e Chico Buarque de Holanda

5 Comentários

  1. Eu sou fã incondicional de Chico Buarque. Além de ter toda a discografia dele, seja em vinis e em cd´s, tenho dvd´s de documentários sobre o mesmo e vários dos shows. É um espetáculo!!!!
    Noel Rosa… É sem comentários!!! Não há como definir um gênio desses!!! E nessa música, um amigo meu aqui que gosta de encher o tolé de whisky e cerveja e que sempre o acompanho, diz que ele é um freguês exigente!!
    Tenho as músicas do Noel, algumas claro, raridades na voz dele mesmo; E encontrei, em 2006 na cidade de Arcoverde, duas raridades que não são tão fáceis de encontrar pela aí: dois cd´s de Ivan Lins, cantando justamente as músicas do Noel. Simplesmente genial e impagável!!!
    Acho que o cara que me vendeu os cd´s, não tinha noção da raridade dos discos porque eu paguei apenas R$ 7,00 pelos dois!!!
    Não!! Não insistam!!! Não empresto, não vendo, não troco, não tiro cópias!!! Pronto, acabô-se!!!kkkkkkkkk

  2. Noel Rosa compôs 259 canções em 8 anos, dos 19 aos 26, quando morreu de tuberculose. Algumas canções são conhecidas, gravadas e cantadas até hoje por este que foi conhecido como o poeta da vila. Um Gênio que batalhou seus espaços sem depender de ninguém.

    Vamos ao Chico: Garoto mimado. Pais intelectuais de esquerda, criado no meio de irmãs (Miucha, Ana e Cristina). Em 1961, com 17 anos foi preso por roubar um carro no Pacaembu em SP para correr e quebrar o mesmo. Sua irmã Miucha teve que ir buscá-lo na cadeia e ele ficou 6 meses na condicional. Se fosse hoje seria um menino criado na Nutella e no todinho; em areia anti-alérgica de um condomínio.

    Em 1966 , com 23 anos, a influência da família e dos Zintelectuais da época fizeram com que a marchinha “a Banda” dividisse o 1º lugar no festival de música da Record com “Disparada” de Geraldo Vandré, uma obra prima da música brasileira.

    Em 1967 “Sabiá” com Tom Jobim ficou à frente de “Para não dizer que não falei em flores ou Caminhando” do mesmo Gerando Vandré do ano anterior. Foi a maior vaia que o Maracãnzinho ja viu.

    Chico é isso, uma farsa, que plagia livros, que ganhou prêmios Jabuti com polêmica. O livro Leite Derramado ficou em segundo lugar na categoria romance e em primeiro no geral, um espanto.

    Compará-lo a Noel Rosa é um disparate e mais uma farsa.

  3. João, considero Chico Buarque – ideologias à parte – o maior compositor
    brasileiro vivo, porém não quis compara-lo a Noel Rosa, pois isso, como
    você mesmo diz, seria um disparate, só criei na minha imaginação uma
    imagem em que os dois compositores, gerados em épocas distintas, se
    encontrariam em uma rua da cidade.

    Um abraço.
    Augusto

  4. Quando jovem, também já fui fã do Chico.

    Percebia que havia uma certa idolatria por ele, que sempre evitou se expor.

    Era para muitas pessoas, o que o Lula é para o Ceguinho Teimoso. Um ser inatingível.

    A MPB sempre gravitou em torno dele, quem estava próximo era legal, quem não estava…

    Passei a ter um olhar crítico para suas composições e vi que em quase todas elas não havia nada de original, tampouco de popular. Na música Carta à Marieta ele rima futebol com rock and Ról, um espanto.

    Para mim, compositor vivo melhor que ele tem vários, poderia citar o Geraldo Vandré, o Caetano, o Roberto Carlos (sim, ele mesmo), que qualquer brasileiro sabe dizer de cor ao menos 4 musicas do RC e as ama.

    Saia perguntando aos jovens de menos de 25 anos quantas músicas do Chico ele conhece. Duvido que saberá cantar um verso de ao menos uma.

    Gosto é gosto e não quero aqui convencê-lo de nada. Se o convencer a refletir, já estará ótimo.

    Mas que o Chico é um aristocrata mimado e criado no danoninho, disto eu acho que não há dúvidas.

  5. João, as posições políticas de Chico Buarque são de dar nojo e isso leva muita gente
    a não separar o compositor do cidadão o que, creio, não ser o seu caso. Você citou
    três compositores que eu também considero de primeira linha e escuto muito.

    Nunca tive idolatria por cantores, atores ou jogadores de futebol. A minha admiração
    por eles sempre foi em nível racional.

    Você quando jovem foi fã do Chico. Creio que ainda é, pois o belo envelhece porém
    permanece belo.

    Um abraço e um bom domingo.

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa