Engana-se quem pensa que essa greve traz à população algo que não seja caos. Ela é pelo Diesel e não reduzirá nem o frete.

Essa frase, que postei dia 26/05 nas minhas páginas do Facebook, suscitou inúmeros comentários. A maioria expressando desagrado. Era previsível porque pesquisa feita pelo Instituto Methodus informava, na véspera, que 86% da população apoiava a greve. No entanto, não tenho o hábito de auscultar a opinião pública para decidir o que devo escrever ou falar. Se fosse fazê-lo, não teria escrito ou dito coisa alguma quando poucos, muito poucos, combatíamos as ideias de esquerda e o petismo na segunda metade dos anos 80.

Estou convencido, pela simples aplicação da razão aos fatos, de que é preciso distinguir as motivações. Uma coisa é a greve dos caminhoneiros, com apoio dos transportadores e produtores rurais interessados em reduzir o preço do diesel. Atendida essa reivindicação e isentos do pagamento de pedágio quando vazios, não fica um caminhão no acostamento. Ou alguém acredita que seus condutores continuarão parados até que o país tome jeito, que o Estado encolha, que os impostos diminuam, que a segurança aumente, que as estradas melhorem?

Outra coisa, então, são as pautas nacionais, sobre as quais muito tenho escrito e das quais poucos se têm ocupado. Quanto mais terrível for a situação no dia 7 de outubro, quanto maior o caos, mais receptiva estará a massa de eleitores a quem lhe oferecer, em 7 de outubro, o conhecido prato feito de mentira, populismo, corporativismo, estatismo e, claro, subsídios públicos. Não vislumbro a menor chance de que em tal situação a maioria do eleitorado decida optar por uma política econômica liberal. Ao contrário, ela se inclinará para o lado de quem lhe oferecer doses mais robustas do mesmo veneno através da mão falsamente dadivosa do Estado. Sou contra o plantio do caos.

Comece a falar em privatização e fim do monopólio e veja o que acontece. Quais as demandas da greve da Federação Única dos Petroleiros (FUP) programada para quarta feira? Demissão do presidente da Petrobras, retirada das Forças Armadas das refinarias onde garantem o abastecimento dos caminhões, manutenção dos empregos, “não às privatizações” e ao “desmonte da Petrobras”. Ah! Enquanto a empresa era vampirizada pelo governo petista que a transformou em objeto de escândalo e escárnio mundial, a turma da FUP, agora grevista, posava para fotos ao lado de Lula e Dilma. Agora, faz greve e se une aos caminhoneiros… “para o bem do Brasil”. Deve haver apoiador do caos aplaudindo a greve desses hipócritas porque, afinal, ela ajuda o caos, certo?

A pluralidade de expectativas em relação aos caminhoneiros é uma evidência de que ela está sendo vista como uma espécie de Bombril com usos contraditórios. Ora é uma porta aberta para a “intervenção militar constitucional”, ora uma oportunidade para o “Fora Temer”, ora uma chance de criar clima para a volta da esquerda ao poder, ora uma oportunidade de acabar com os males do estatismo e ora uma oportunidade de buscar soluções junto ao Estado, ora servirá para acabar com o monopólio do petróleo e ora servirá para preservar definitivamente o monopólio. Entendam-se, porque eu não entendo.

Ponderação final: se você está convencido que a greve é boa para o país, que o “Fora Temer” petista que vi em caminhões, vindo ontem de Santa Maria, é uma boa pauta, que o agravamento do caos institucional fará o que até agora não foi feito, responda para você mesmo, a quatro meses de eleições gerais, qual o grupo político que colherá maior vantagem dele com vista aos próximos quatro anos de poder no país?

7 Comentários

  1. Muito oportuno o artigo do Sr. Percival.

    Aliás, esse governo burro (sem ofensa aos quadrupedes), em momento algum veio a público explicar a questão.

    Aqui a palavra de dona de casa:

    – a greve é para que os caminhoneiros equilibrem seus vencimentos e possam saber o valor de um frete quando contratado, sem essa coisa esquisita de aumentos do combustivel a toda hora. Eu acho mais que correto.

    – infelizmente, algumas pessoas que conversei pensam que vai diminuir os preços de mercadorias e serviços.

    – Vai?

    – Não. Pior, com a falta de produtos o comerciante oportunista vai aproveitar para também encher seus bolsos, sem contar que houve grandes prejuízos e alguém vai pagar a conta.

    Quem?

    Estou errada? É só uma perguntinha.

  2. O país esta na situação daquela velha expressão: “Casa que falta pão, todos gritam e ninguém tem razão.”

    O modo de vida brasileiro é levar vantagem em tudo, sempre que puder, acreditando ou fingindo acreditar que as vantagens vem do governo, e não às custas dos outros.

    No momento, quem levou vantagem são os caminhoneiros e as empresas transportadoras, às custas de todos, como sempre. Em outros momentos, já foram os bancários, os funcionários públicos, os sem-terra. Sempre às custas dos outros. Sempre em um jogo de resultado final negativo.

  3. Concordo plenamente com o presente artigo. Aproveito para repetir o meu comentário, feito para o artigo ” 0ra Petrobrás!”, do mesmo autor :
    A raiz do problema é que não temos empresas ESTATAIS. Temos sim empresas GOVERNAMENTAIS. E segundo o Observatório das Estatais da Fundação Getúlio Vargas, hoje, temos um total de 438 empresas “governamentais”, sendo que 144 seriam da União. Só para dar um exemplo, como sempre nos EUA , na meca do capitalismo, lá também existem diversas estatais e em diversos setores da economia. Só que lá elas pertencem ao ESTADO ( são administradas como verdadeiras empresas privada) e não aos governos, que são trocados a cada 4 anos, e muito menos ainda pertencem aos sindicatos, partidos políticos, políticos e “coronéis”.
    Isto sim é fundamental para a organização administrativa e econômica do país. Enquanto perdurarem essas empresas GOVERNAMENTAIS no país, o Brasil não terá nenhum progresso. Primeiro temos de realmente transformá-las em ESTATAIS, verdadeiramente do ESTADO brasileiro, para depois sim pensarmos se valem ou não privatizá-las.

  4. concordo com voce percival em todos os topicos e ainda afirmo que podem ter certeza que muitos preços siquer voltarao aos patamares de antes , mas tambem e certo que como tenho inumeros colegas que sao motoristas autonomos , , que vendo o desespero destes , que as vezes ficam meses sem aparecer em casa para tentar se manter e pagar seus compromissos , e vendo tambem a maioria destes perdendo na justiça seus caminhoes , rodando com pneus sem condiçoes por nao terem condiçoes financeiras para fazer a reposiçao , vendo os pedagios e os guardas rodoviarios tambem dilapidando o ganho irrisorio , e os banços com ordem de preensao de su ganha pao , , tambem ha de se convir que assim como naao se consegue dominar uma populaçao faminta como a populaçao venezuelana , a nao ser pela força , como temos visto assim tambem o foi e e com os caminhoneiros autonos , que nos ultimos tres anos teem vindo trocando o almoço pela janta e com as transportadoras , que cresceram exponencialmente mamando nas tatas do erario e puxando o saco dos petistas e suas corjas , , explorando ainda mais a atual mediocrizaçao docrescimento impondo fretes que siquer davam para que conseguissem dar um minimo de comodidade a familia , niguem se sujeita a ficar sem comer direito ou mesmo sem tomat banho na beira de uma estrada simplesmente pelo prazer de impor sacrificios a populaçao , experimente andar nas estradas mal sinalizadas ecom traçados anacefalos , e sem condiçoes , que se impoe a estes caminhoneirosautonomos , dormindo em postos ,sem quaqluer condiçao de segurança e as vezes de igene , pagando para que possa tomar um bnho , nao podendopernoitar em postos melhores se nao abastecer e pagar o combustivel ainda mais caro , portanto embora tambem concorde com voce , temos que tambem analizar a situaçao que estes desgernos colocaraam , os mais de trinta por cento de mtoristas autonomos de carga , e inada masi com o denatram permitindo imbecibilidades nunca vistas em paises onde se preservam as estradas e as manteem em condiçoes minimas de segurança , érmitindo cargas que simplesmente arrenbentam o asfalto simplesmente por nao saberem calcular a força de traçao exercida no eixo traçao de um triminhao com mais de oitenta toneladas de carga , a incompetencia extrema em todos os orgaos governamentais e que estao matando o pas , nao a paralizaçao dos caminhoneiros , um governo incompetente que foi avisado da situaçao dos automos mas que prefiriu ignora-los e que permitiu, que os randes empresarios de transporte dessem seu val e apoio a esta paralizaçao .. o brasil tem em seu eleitor a incompetencia de eleger incompetentes e bandidos corruptos como renan, dilma e por conseguinte temme , lula o populista , maluf, collor , ciro e cid gomes que faliram o cera, e os constantes governos populistas em estados hoje falidos , , portanto nao culpem apenas os caminhoneiros por uma desgraça anunciada desde 2003.

  5. Eu apoiei os caminhoneiros e não me arrependo e mais, tenho esperanças que, depois desse sufoco esses políticos idiotas tomem tento e façam as reformas necessárias, esses caras nem sabe o quão perto do abismo já estamos.

  6. Toda situação de caos como a que estamos vivendo conduz a procedimentos e decisões as mais díspares e muitas vezes com poder de agravar ainda mais o momento.
    Sem sombra de dúvidas os caminhoneiros têm razões que não se pode esconder, razões estas que também são de outros segmentos de nossa sociedade.
    Infelizmente neste imenso quiproquó que é a discussão sobre combustíveis, alguns fatos paralelos não estão sendo levados em conta, a começar pelo fato ou situação monopolista da Petrobrás, que lhe dá plenos poderes para praticar os desmandos que temos visto há tempos.
    E esse monopólio se torna ainda mais odioso, digamos, pelo fato de que ela é extremamente monopolista, pois opera, inclusive, com algo que não produz uma gota sequer, que é o álcool.
    Em país nenhum, efetivamente democrático e economicamente organizado, se permite esse absurdo que é a monopolização do álcool combustível como vemos, com sua sujeição a uma cadeia que só contribui para aumentar seu preço, auferindo gordos lucros com intermediação que bem podemos chamar de socialmente estúpida, pois que não tem nenhuma justificativa se não encher as burras de uns poucos privilegiados áulicos governamentais.
    Ao incentivar e consolidar o álcool como combustível alternativo, o então Presidente Ernesto Geisel estabeleceu parâmetros que dariam a produtores independentes a necessária condição para oferecer à sociedade brasileira uma alternativa viável, barata e racional ao combustível fóssil, que, àquela época, já se prenunciava fonte de futuros aborrecimentos e insegurança, o que vemos, hoje.
    Infelizmente essa situação de desordem social se instalou e não se vê com otimismo uma solução razoável, enquanto essa burocracia incompetente e irracional estiver na chefia do Estado gargântua que temos.
    Infelizmente esta é uma triste situação que não sabemos como resolver…

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa