A GREVE DOS CAMINHONEIROS E ADJACÊNCIAS

Um dos bons costumes que a gente aprende na academia é mostrar fatos com provas. Digo isso para justificar algumas coisas que ouvi ou li esta semana com esse movimento grevista de caminhoneiros aprovado, segundo o Datafolha, por 87% dos entrevistados. Começo dizendo que Alexandre Garcia foi taxado de imbecil e outros adjetivos porque fez uma referência a politica de crédito do BNDES para financiar caminhões. A tabela 1 mostra a quantidade de caminhões no Brasil no período entre 2000 e 2017, sempre no mês de dezembro de cada ano.

No período observado, a quantidade de caminhões cresceu 96,05%, representando um crescimento médio de 4,04% ao ano. Em 2009 o BNDES emprestou R$ 14,136 bilhões em operações de transporte de carga, número que representa 895% do valor emprestado em 2000. Desde então, os financiamentos passaram a cair em função da crise.

Não tem como reconhecer que houve, sim, aumento na quantidade de veículos em função dos recursos do BNDES. O BNDES está aí para favorecer a economia nacional, não porto de em Cuba ou ponte na Venezuela. A queda da economia mundial cai é acompanhada pelo Brasil como consequência das medidas econômicas, equivocadas, adotadas pelo governo tanto de Lula quanto de Dilma (este responsável por toda desgraça que se seguiu. Os números mostram isso). Naturalmente, o excesso de oferta de frete fez o preço do serviço cair e com o aumento do combustível os caminhoneiros perceberam que iria acontecer com eles a mesma coisa que aconteceu com os taxistas no governo Collor quando obtiveram linha de crédito através de CDC – Crédito Direto ao Consumidor e tiveram que trabalhar quase 24 horas por dia para pagar a prestação do financiamento. Sinais da insatisfação foram dados em duas ocasiões em 2015 quando Dilma era presidente e Temer, vice.

No governo do PT o Brasil também importava combustível. No entanto, o governo preferiu manter o preço doméstico inferior ao preço internacional. Isso fez com que Petrobras, aliado a obrigatoriedade de reconhecer o impacto da corrupção nos seus balanços, perdesse valor de mercado. Vale lembrar que em janeiro de 2015, Graça Foster admitiu que as perdas, com a corrupção, seriam maiores a medida que fosse aparecendo mais contratos, mais envolvidos. Não custa lembrar que a Petrobras tinha um valor de mercado de R$ 510 bilhões em 2008 e que quando os escândalos se tornaram públicos ele perdeu quase 85% do seu valor tendo suas ações negociadas por menos de R$ 5,00.

Diante de tudo isso o senador Humberto Costa falando sobre a Petrobras disse “A Petrobras é uma vaca sagrada dos investidores internacionais e bilionários brasileiros”. Ele não comentou o fato de a Petrobras sustentar partidos políticos, inclusive o dele, com contratos superfaturados, refinarias compradas por um preço e vendida por outro menor, como Pasadena, ou mesmo uma refinaria com a Abreu e Lima que deveria custar US$ 2,4 bilhões e já custou US$ 17,8 bilhões, para ficar, depois de 8 anos, 79% pronta.

Então, em 2016 chega Pedro Parente com a missão de moralizar e resgatar o valor de mercado da empresa. Parente, fez o papel de um profissional sério, visto que a empresa recuperou parte do seu valor, suas ações estão sendo negociadas a R$ 25,00, indicado uma variação de 400% em relação aos R$ 5,00 do passado. A política de preço adotada foi correta, o que tem de errado a política econômica do governo.

Mais do que claro que o aumento dos preços de combustível, principalmente o óleo diesel, impactaria na economia. Mas que o que esse governo medíocre poderia fazer se a principal preocupação do presidente é liberar recursos para os canalhas não permitirem que ele seja investigado? A proposta de Temer é ridícula diante da necessidade econômica. Temos um déficit que não tem a menor perspectiva de ser coberto. No bojo das discussões o governo se compromete a subsidiar a Petrobras com R$ 5 bilhões. Vai tirar de onde? Do nosso bolso.

O que soa mais estranho é que parte dos funcionários da estatal se comporta na base do “quanto melhor, pior”. Em abril de 2017 funcionários da Petrobras fizeram um protesto contra o juiz Sérgio Moro que foi lá para devolver, isso mesmo: devolver, R$ 654 milhões recuperados da corrupção. Deveria ser aplaudido, mas foi vaiado. Alguém consegue entender isso?

Do ponto de vista de gestão, de visão de mercado, de atuação profissional, Pedro Parente agiu de acordo com as convicções. Tanto é assim que no primeiro trimestre desse ano, a Petrobras teve R$ 7 bilhões de lucro, após 4 anos consecutivos de prejuízos. Seus acionistas receberam R$ 656 milhões em dividendos. Foi para isso que ele foi chamado. Ele estava no lugar certo. Que está no lugar errado é Michel Temer. Envolvido em corrupção até a alma e incapaz de apresentar uma política econômica que tire o Brasil do desemprego.

8 comentários

Pular para o formulário de comentário

    • DECO em 1 de junho de 2018 às 11:16
    • Responder

    Aqui é o lugar certo desta frase:
    Os beneficiários de políticas protecionistas e de políticas de subsídios sempre são muito visíveis. Já suas vítimas são invisíveis. Os políticos adoram esse arranjo. E o motivo é simples: os beneficiados sabem em quem devem votar em agradecimento ao arranjo; já as vítimas não sabem quem culpar pelo desastre.

    Walter E. Willians

    Walter E. Willians é um professor honorário de economia da George Mason University – GMU e autor de diversos livros. É reconhecidamente um dos maiores economistas vivos da atualidade. Suas colunas são publicadas nos principais jornais americanos. Negro e de origem humilde, cresceu pelo próprio esforço. Isso o tornou um crítico mordaz das políticas da ação afirmativa e do assistencialismo.

    • Maurício Assuero em 1 de junho de 2018 às 15:19
    • Responder

    Perfeito Deco.

    • C Eduardo em 1 de junho de 2018 às 15:23
    • Responder

    Paty Not Set do Alferes, 01/06/2018

    Isso mesmo Mauricio, precisamos repetir esses argumentos até que todos entendam quais são as causas e consequências, para não confundir.
    Precisamos de concorrência e privatização. Nessa ordem.

      • Maurício Assuero em 1 de junho de 2018 às 19:44
      • Responder

      Carlos, infelizmente o pessoal pensa que boi deitado é vaca. Vão colocar um pau mandado obediente.

    • CÍCERO TAVARES em 1 de junho de 2018 às 16:20
    • Responder

    Caro Professor Mauricio Assuero:

    O economista negro Walter Williams foi um sábio quando se expressou:

    Para destacar a ofensividade à liberdade que a democracia e o governo da maioria representam, apenas pergunte a si mesmo quantas são as decisões da sua vida que você gostaria que tivessem sido tomadas democraticamente. Como por exemplo, sobre o carro que você dirige, onde você mora, com quem se casar, se deve comer peru ou pernil no jantar de Ação de Graças? Se essas decisões fossem tomadas por meio de um processo democrático, as pessoas médias veriam-nas como tirania e não como liberdade pessoal. Não é menos tirania ter o processo democrático determinando se você deve comprar um seguro de saúde ou se deve poupar dinheiro para a sua aposentadoria?

    Tanto para nosso bem e para o bem de nossos semelhantes em todo o mundo, deveríamos estar defendendo a liberdade e não a democracia que nos tornamos, onde um Congresso malandro faz tudo que lhes possa conceder uma maioria de votos.

    Para destacar a ofensividade à liberdade que a democracia e o governo da maioria representam, apenas pergunte a si mesmo quantas são as decisões da sua vida que você gostaria que tivessem sido tomadas democraticamente. Como por exemplo, sobre o carro que você dirige, onde você mora, com quem se casar, se deve comer peru ou pernil no jantar de Ação de Graças? Se essas decisões fossem tomadas por meio de um processo democrático, as pessoas médias veriam-nas como tirania e não como liberdade pessoal. Não é menos tirania ter o processo democrático determinando se você deve comprar um seguro de saúde ou se deve poupar dinheiro para a sua aposentadoria?

    Tanto para nosso bem e para o bem de nossos semelhantes em todo o mundo, deveríamos estar defendendo a liberdade e não a democracia que nos tornamos, onde um Congresso malandro faz tudo que lhes possa conceder uma maioria de votos.

    Esse parágrafo acima também deveria se aplicar ao desastroso presidente Michel Temer, como bem nota o professor Maurício: Envolvido em corrupção até a alma e incapaz de apresentar uma política econômica que tire o Brasil do desemprego.

    A resposta que tenho a desastrado presidente é copiada do bardo da porrada Waldick Soriano: “Renunciarrrrrrr seria a soluçãoooooooo!!!!!”

    A economia não se sustenta com palavras; mas com ações corretas, justas. Cortando gastos excessivos e acabano com mordomias!… Mas isso só terá vez com um governo menos canalha, o que não é o caso do nosso!

    Parabéns, Mestre, pelo artigo!

    • CÍCERO TAVARES em 1 de junho de 2018 às 17:42
    • Responder

    Professor: Desculpe aí os dois erros no comentário feito ao seu artigo:

    Primeiro: a repetição de dois parágrafos na transcrição do texto do grande professor Walter Williams e a palavra “acabano” no penúltimo parágrafo. É que as teclas do meu Notebook estão um desastre.

    • Maurício Assuero Lima de Freitas em 1 de junho de 2018 às 19:41
    • Responder

    Cícero suas observações são pertinentes e não precisa se desculpar. Na verdade a gente não erra. O danado do computador é que se apressa.

    • alberto santo andre em 2 de junho de 2018 às 22:05
    • Responder

    perfeita a avaliaçao , so gostaria de suplementar dois topicos que acredito sejam basicos na atual situaçao que vive a petrobras e o brasil , apetrobras estaatal e um cabidao improdutiv , que para que o brasil pudesse ter uma perpesctiva de modernizaçao deveria ser privatizada , pois a obrigaçao do governos e cuidar da educaao , saude , segurança e infraestrtura , o que simplesmente ele nao fez desde o inico do seculo vinte e hum , e o governo obeso e improdutivo , cujas tetas sao poucas e asassim cm as verbas espoliadas dos verdadeiros trabalhadores para os sustentarem o que equivale nos tres niveis de governo a mais de sessenta por cento do b., combatendo-se estas duas anomalias desta putrefada democracia ai sim poderiamos voltar a sonhar em que algum dia nos tornemos uma naçao , talvez para os nossos bisnetos ou tataranetos …

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.