Uma interessante informação apareceu ontem no twitter do prisioneiro Luiz Inácio Lula da Silva, vulgo Lapa de Leitor.

Informação que foi redigida pelos seus bem remunerados baba-ovos, claro, já que o prisioneiro não sabe escrever porra alguma, embora leia com abundância incomum!

Vejam que coisa fabulosa:

Descontada a troca de posições de palavras, “preso político” ao invés da versão correta que é “político preso“,  eu achei fantástica esta informação:

Lapa de Corrupto leu 21 livros em menos de dois meses!!!

O Departamento de Investigações Literárias do JBF apurou que entre estas mais de duas dezenas de volumes, Lula devorou “Guerra e paz”, de Tolstoi (que foi concluído em dois dias), “Os irmãos Karamazov”, de Dostoiveski (que o petista leu em apenas seis horas) e, pra completar, Ulisses de James Joyce (lido em 43 minutos)

Detalhe importante: estes três clássicos foram lidos por Lula nos idiomas originais em que foram escritos.

Em português Lula leu “Os Maias“, de Eça de Queiros, em apenas 13 horas!!!!

Eu li a nota do presidiário no dia em que ele botou no ar, ontem, domingo.

Na manhã desta segunda-feira, fui aos correios e despachei meus três romances, todos autografados, para tão voraz leitor: Memorial do Mundo Novo, A Guerrilha de Palmares e O Romance da Besta Fubana.

Calculo que ele vai ler estes três volumes em uma única tarde, depois do lauto almoço que é servido na cadeia.

Quem quiser mandar mais livros, anote aí o endereço.

A Superintendência da Polícia Federal em Curitiba está localizada à Rua Profª Sandália Monzon, 210 – Santa Cândida, Curitiba – PR, 82.640-040 – Telefone: (41) 3251-7500.

Uma sumidade do porte deste prisioneiro-leitor eleva a cultura às mais altas culminâncias!

Cópia do recibo da ECT referente aos livros despachados por este Editor para o fantástico leitor-dinâmico Lula

17 Comentários

  1. Enviarei para o Sr. Luis Inácio Lulalau da Silva o insuperável romance Os Miseráveis, do grande Victor Hugo. tenho a mais completa certeza de que será lido em apenas 1 hora e 13 minutos.
    Outra certeza é a de que o honorável preso político redigirá uma resenha em seu facebook digna de um Machado de Assis.

  2. Papa Berto!!! Issé sério?? Tu mandasse pro baibudin feladaputa teus livros, foi?? Minino!!! Esse mundo tá perdido mêrmo!!! Lularápio lendo!!!
    O que uma cadeia num faz, né mêrmo??!!

  3. Vou enviar uma edição de Finnegans Wake, de James Joyce, na língua original. Tenho certeza que após lê-lo em 48 horas, Lula, o culto, fará a tradução para o português; tarefa que até hoje ninguém conseguiu concluir.

  4. Será que os amigos do presidiário ligados a religião lhe deram algum livro?

    Torço para que ele leia Os Dez Mandamentos e decore ao menos o nº 7.

  5. Paty Not Set do Alferes, 04/06/2018

    Tenho dito que o Onesto está muito bem lá em Curitiba. Está progredindo a olhos vistos. A cadeia está transformando esse mau elemento num cidadão de bem. Deixe ele lá por muitos anos e teremos um novo cidadão erudito, cumpridor dos seus deveres, sem beber, um homem capaz de pensar. Coisa que ele nunca fez.

  6. Como seria maravilhoso se alguém mandasse prele ler todos os livros do Dono do Maranhão, José Sarney. E, depois, como exigência para receber o canudo de leitor disciplinado: escrever uma dese mostrando a beleza narrativa do romance Marimbondo de Fogo!

    Após a leitura, se Lapa de Ladrão não endoidar de uma vez, Millôr Fernandes está errado ao dizer que o homem do Bigode de Buceta Raspada, é um debidoide!

  7. Berto, você esqueceu de citar Xogum, de James Clavell, com seus dois volumes , cada um com 800 páginas escritas em arial 11. Esse ele demorou um pouco mais de 40 minutos.

  8. Tò enviando As vinhas da ira, Nos tempos do cólera (ou Cem anos de solidão) e Papilon. Acredito que lerá tudo no intervalo entre o jantar e a novela das nove.

  9. O problema não é ler, é “escrever” uma resenha , quando da leitura da Branca de Neve e os Sete Anões, vejam o seu entendimento: aquela muler foi a qui robô o meu ispelho mágico ela é ingual ao Temi qui se juntô com rei Moro e prendeu os meu mininos, todos o sete (dirceu, paloci, delubio, genuino, vacari, ferreirinha e o silvo pereira) e inda mais, invenenou minha massã, mais num tem nada não, o meu principi encantadu Ciro Gomes, vai mim bêja na minha bôca, eu vô acordá e nois vai vivê filiz pra caraio, fodam-se oceis, agora min dêxe em paiz, qui eu vô colorir outro livro qui gleicinha min deu!

  10. Errata: segundo o cronista Goianovski, Lulla leu Os Irmãos Karamazov na tradução para o uzbeque. Fez diversos comentários à margem do texto corrigindo imprecisões do tradutor russo-uzbeque.

    Quanto ao Ulisses, desdenhou: “já escrevi coisa melhor num fim de semana em Atibaia”.

  11. Infelizmente não me será possível atender a essa voracidade com a presteza requerida, pois desejava passar às mãos desse nóvel intelectual o livro “Uma história dos povos de língua inglesa” de autoria de Sir Winston Churchill, mas infelizmente a edição brasileira está esgotada.
    Assim tive de pedir, via Amazon, um exemplar da edição original, que devido aos liames burocráticos deste maravilhoso Governo que nos desgoverna demorará um pouco a chegar.
    Acredito, no entanto, que isto será benéfico para o ilustre leitor, que à época já deverá ter devorado todos as obras (atenção são obras literárias e não as que ele deita diuturna e noturnamente no ‘boi’ onde se aloja) que já lhe estão sendo enviadas.

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa