6 junho 2018 CHARGES

TIAGO RECCHIA

6 junho 2018 PERCIVAL PUGGINA

O MISTÉRIO DA FICHA QUE NÃO CAI

Sabe aquela ficha que você insere na fenda adequada e volta para a sua mão por haver seguido percurso errado? Pois é. Lembrei-me muito dela ao acompanhar os recentes acontecimentos nacionais. Passavam-se os dias, a vida tornou-se uma verdadeira sala de aula, a conta crescia e a ficha era devolvida. Aliás, a festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, etc., etc.. Mas a ficha ainda não caiu. “E agora, José?”, perguntaria novamente Drummond.

A aritmética financeira do Estado é muito simples porque o bem-amado ente político que denominamos Estado só tem um bolso, o do cidadão. Mediante uma sutileza chamada imposto, em vez de nos punguear diretamente, ele nos obriga a lhe entregar dinheiro. Nesses atos – não sem certo sarcasmo – os cidadãos recebem do erário o gratificante e honroso título de “contribuintes”. Contribuintes das cotidianas coletas coercitivas organizadas nos diversos níveis do assim chamado poder público (outro sarcasmo da linguagem política), desta feita aplicado a si mesmo.

Sendo tão simples a aritmética oficial, se quem manda gasta e quem obedece paga, parece inacreditável que a maior parte da população não demonstre qualquer interesse em protestar contra os gastos do Estado. Obviamente, é a despesa pública que determina quanto tempo por mês trabalharemos para o Estado. Imposto é o preço da vida civilizada, disse alguém, e é também o preço do gasto público, complemento eu. Tudo piora quando o lado perdulário dessa relação perde o controle e começa a pedir dinheiro emprestado. Nessas circunstâncias, muitos “contribuintes” passam a imaginar que o aumento da despesa não está impactando os impostos que paga. É como se se tratasse um dinheiro novo, que logo ali adiante, salgado pelos juros, não fosse buscado nos bolsos de sempre. Nessas horas, não faltam vozes para exigir “auditorias”, ou pregar calote.

Gasto, déficits e empréstimos, por essas forças inexoráveis do destino, têm que ser pagos. Greves com reivindicação salarial, subsídios públicos, custeio de empresas estatais, luxos e mordomias, obras suntuosas e supérfluas como as da Copa e dos Jogos Olímpicos, penduricalhos de categorias funcionais e toda a despesa incumbida ao Estado oneram o lado pagador dessa relação. Mesmo assim, nunca falta quem se perfile ao lado da criação de tais contas e por elas pressionem como exigências da justiça e dos mais nobres impulsos do coração humano. Onde estavam tais vozes enquanto a Petrobras era saqueada e o preço do combustível usado para proselitismo eleitoral?

Deveria ser o povo, então, o primeiro a se insurgir contra novas despesas, especialmente as não virtuosas, contra a irresponsabilidade fiscal e contra a velha prática de conceder benefícios a alguns à custa de todos. De longa observação, e com raras exceções, a atribuição de qualquer ônus ao poder público se faz em meio a ruidosos e incompreensíveis aplausos.

Fala-se muito, nestes dias, em reduzir impostos, como se o Estado estivesse entesourado ou entesourando. E se deixa de lado o gasto público em seu longo e persistente crescimento. O diabo da ficha não cai!

6 junho 2018 CHARGES

NICOLIELO

ORAÇÃO DE AVE MARIA DA PRA 8, RÁDIO CLUBE DE PERNAMBUCO

Irradiada pela primeira vez, na voz do locutor Sebastião Stanislau, em 8 de setembro de 1939, sendo o seu texto atribuído ao jornalista Carlos Rios, por alguns, e ao radialista Mário Libânio, por outros.

Ave Maria!

Rainha pura e ditosa dos homens pecadores.

Santa radiosa do céu!

Hora doce e emocionante, entre o dia que morre e a noite que surge.

As criaturas perdidas, na inquietação que enche a terra, olham o firmamento, ansiosas pela luz das estrelas que começam a inundar a imensidade.

Ave Maria!

Paz e recolhimento para os espíritos, conforto e esperança para as almas!

O homem dobra os joelhos e abranda a sua ira, esquece os seus sofrimentos e abre o seu coração, nesta hora terna de piedade e de recolhimento.

O seu pensamento voa para o céu, qual gigantesco pássaro audacioso que soltasse, na amplidão, as suas asas doiradas.

Ave Maria!

As catedrais e as capelas humildes entoam, ao mesmo tempo, a sua oração que o bronze secular cobre de sons divinos, enchendo o espaço de harmonias inefáveis.

Ave Maria!

Hora da prece e do perdão.

Hora dos fidalgos e dos plebeus.

Hora dos cristãos de todas as idades e dos filhos de Deus de ambos os hemisférios.

Ave Maria!

Hora grandiosa de Deus!

Traço de união divina entre a criatura e o Criador.

Hora mágica da humanidade que abre um doirado caminho de luz, entre a terra angustiada e o céu bendito.

Ave Maria!

6 junho 2018 CHARGES

SPONHOLZ

EXEMPLO DE POBREZA E HONESTIDADE NO BRASIL

Essa história aconteceu em Santo Antônio da Platina, no norte do Paraná, e viralizou na internet depois que o eletricista funcionário da Companhia Paranaense de Energia (Copel), João Cândido da Silva Neto, 57 anos, relatou em sua página do Feissibuqui, que foi até a casa de uma família de baixa renda cortar a luz por falta de pagamento. Fazer o que ele chama de “atividade desagradável”. Contou que foi procurado por uma criança que lhe pediu um R$ 1, mas como ele não tinha no bolso R$.1,00 real, abriu a carteira e deu de cara com R$ 5,00. Deu ao menino e lhe pediu para dividir com os dois irmãos. Para sua surpresa quando retornou para fazer a religação da energia, à tarde, da casa torta de madeira, a criança esperava-o e devolveu os R$ 2,00 reais de troco!! “Ainda bem que o senhor voltou para eu entregar o troco” – disse a criança a um homem emocionado!

“Naquele instante, ao me devolver os R$ 2,00 reais “Geninho” (nome fictício dado à criança pelo eletricista), estava me mostrando o maior exemplo de honestidade e responsabilidade que eu já tinha visto na vida”, relatou emocionado o trabalhador.

Após a repercussão da história nas redes sociais, que já alcançou mais de 100 mil compartilhamentos, muita gente está mandando mensagens para João Cândido dizendo que quer ajudar a família. Por isso, ele fez uma nova visita à casa do menino e contou por que voltou a se emocionar novamente.

Segundo João Cândido, “o pai da criança disse que não precisava levar nada para eles não, porque tem gente que precisa mais do que a gente!”

Mas, segundo João Cândido, a situação da família é complicada, já que o casal está desempregado. “Não são só duas contas de luz atrasadas”, explicou. O pai tem problemas cardíacos e não pode fazer muito esforço, e a mãe também está doente, conforme o eletricista.

De acordo com João Cândido, funcionários da Copel que fazem voluntariado estão verificando uma forma de organizar as doações para que cheguem até a família. “Eu estou muito feliz, estou transbordando de felicidade!”, comemorou o eletricista que também faz trabalho voluntário e escreve contos e crônicas de fatos do dia a dia.

No encontro que houve, ele disse que conheceu melhor a família e, diferente do que escreveu no Feissibuqui, informou que o casal tem três filhos, uma menina e dois meninos, todos estudando. No dia em que ele foi até lá para cortar a energia, estavam na casa o menino, o irmão e a irmã. Além disso, o nome do menino é fictício, para preservar a família.

O resto dessa história comovente, dada por uma criança de nove anos, deveria servir como exemplo a todos esses políticos, presidentes, juízes, desembargadores e, principalmente, ministros do Supremo Tribunal de Favores mau caráteres e ladrões que envergonham o País, tipo Gilmar Mendes, que merecia um busca pé no rabo para subir ao quinto dos infernos, ou fuzilado em praça pública com a plateia assistindo feliz!

Vale apenas assistir o vídeo e se emocionar com uma história de honestidade e dignidade vinda de uma criança filha de pais humildes!

* * *

EXEMPLO DE CAPITALISMO DE OPORTUNIDADES NOS ESTADOS UNIDOS

O estudante negro Corey Patrick da cidade de Tarrant, Estados Unidos, ganhou um carro de presente do radialista negro da cidade local, Rickey Smiley, após ser fotografado indo à sua formatura na escola Tarrant High School quando estava em seu último ano do curso.

Segundo Felicia White, mãe do rapaz, ao canal WBRC, a família teve de se mudar e ficou morando a 16 quilômetros da escola do estudante, o que obrigava o jovem adolescente se levantar às 4h30mim da madrugada para chegar ao ponto do ônibus às 5h41mim. Na volta, ele tinha de esperar até às 17h19mim, quando o ônibus retornava. Esse trajeto consumia para Corey

Patrick uma hora e meia. E ele nunca farrapou.

Registre-se: Apesar do caminho deserto a caminhar, Patrick nunca foi assaltado!!

Corey Patrick teve de repetir esse mesmo procedimento durante um ano. Foi num desses momentos que ele foi fotografado por um desconhecido indo para o ponto de ônibus vestido da beca da formatura. A imagem viralizou e chamou a atenção do radialista Rickey Smiley da comunidade que, sensibilizado e comovido com a dedicação e perseverança do rapaz, lhe deu um carro de presente.

Esse é o tipo de exemplo que vem do maior país capitalista reacionário do mundo, odiado por todos os esquerdoides e descerebrados de Banânia, mas morrem de inveja por não estarem lá!

6 junho 2018 CHARGES

ZÉ DASSILVA

MEMÓRIAS DO CÁRCERE XILINDRÓ

Dizem que Lula foi orientado por um de seus asseclas, quero dizer, assessores a escrever um livro enquanto estiver ‘guardado’ em Curitiba.

A ideia foi mal recebida pelo apedeuta, afinal segundo ele mesmo, um dos idiotas que escreviam os discursos, falas, cartas e todo o resto que ele enviava, podia fazer isto e depois alguém ‘dava’ uma lida e pronto era só publicar e dizer que era dele, como sempre.

Só que a insistência foi grande e o apedeuta topou fazer algo tipo um diário na prisão. Imaginem que não foi uma discussão fácil , já que ocorreu na saída do Sindicato no ABC, na hora que estavam prendendo o ‘mais honesto’, não deu para ele argumentar muito, se é que me entendem. E os detalhes ficaram de ser combinados no ‘xadrez’ com seus advogados, aquela banca caríssima e até o momento inútil.

A ideia inicial era chamar os diários de Cadernos ou Memórias do Cárcere tentando equiparar o larápio vagabundo a um Gramsci (ordinário, FDP, me refiro ao Antonio Gramsci) tupiniquim ou a um Graciliano Ramos de boteco. Mas não colou.

O dono do PT não entendeu o que quer dizer cárcere e como explicar levaria tempo demais ficou como ‘Memórias do Xilindró’.

São cinco capítulos breves, que se constituem na maior e única obra escrita pelo maior ladrão do Brasil. Vamos a elas, As Memórias do Xilindró, por Luis Inácio Lularápio da Silva (observação, não foram feitas correções ortográficas e/ou gramaticais nos escritos, são os diários nús e crús).

Capítulo 1

Porra, tive de mi entregá. Tava bom lá nu sindicato, tinha pagode, churrasco, cerveja e muié.

Tava gostando, queria ficá pelo menos prá vê o jogo do Curingão.

Mas disserô qui num dava. Qui si eu não mi entregasse ia dar merda. Merda já deu aqueles bosta de adevogado, caro prá caralho e os bosta dos ministro que eu nomiei não me livraram. Me fudi!

Disse que os adevogados não sabiam di nada que não ia mi entregá, já que o povo tava na rua.

Mais os cumpanhero disseram que o dinheiro prá pagá a galera qui tava ali tinha acabado e os sanduiche também, ia todo mundo embora. Então tinha de mi entregá antes. E a Odebrecht não queria pagar mais nenhum extra, tipo purfa.

Eu tava qui nem coro de pica ia e vinha, saia e voltava para fazerem o filme direito. Mas aí a Dilma, a Gleisi e o Lindiberg resolveram que eu tinha de ficar, resistir, não pudia mi entregá. Pensei, se estes treis concordam, vai dar merda!

Mi entreguei e mi truxeram prá Curitiba numa carroça com asa, parecia o sucatão do FHC. Cheguei aqui e mi puseram no xilindró.

Num é ruim! É até melhor que o quarto qui eu tava no sindicato e não tem um bando de puxa-saco me enchendo, vô puder vê o jogo do curingão na boa.

Só que pidiram prá eu escrever esta merda, mas agora vô vê o jogo, cansei.

Capítulo 2

Porra, já tô aqui faiz uma semana. Os bosta dos meus adevogados não consiguiram um Habios copus, nem com o Gilmar, são uns merdas. Eu não tava escrevendo o diário por que me tiraram as birita e a ceva, tô cum tremilique.

Mas agora veio um bando de senador vagabundo puxá meu saco, mandei eles longe, vão mexer na lei e me soltar. Não aguento mais ficá sem mulher e birita, que merda. E a TV só pega a Grobo, nada de pornô.

Porra, fico o dia todo coçando o saco e não posso tomar uma, nem cumer ninguém.

Reclamei com o Delegado, prometi que quando fosse Prisidente ele ia ser o Diretor da PF, era só facilitá umas ceva e ele me deu uma esteira de correr. Vai ver, quando eu for eleito vô manda ele de adido prá Venezuela.

Aí pedi umas muié, sabe tipo aquelas com xereca. Não as dos Grelo Duro, aquelas do sindicato.

Porra aquilo é foda, tem umas muié ali com grelo maior que o pau do Okamoto. Uma vez eu disse pro japa não se fresquia com elas que iam acabá fazendo o boga dele.

Mais eu pedi pru Dr. Delegado umas visita intima, pudia sê a Rosimary, pudi sê umas prosti….prostip…umas puta mesmo. Meus assessor ia buscá na zona, davá prá trazê até umas pro Delega.

Mais ele não quis. Mas me disse que tinha umas muié inscrita prá me fazê companhia.

A Dilma, a Graça Foster, a Marilena Chauí, a Gleisi e o Suplicy.

Porra aí não, né? Gritei. Isto é tortura, crime contra a humanidade. Me prendê tudo bem, mas tortura nem pensar. A Dilma, a Marilena e a Graça é sacanagem. Eu acostumado a fuder 200 milhões de brasileiros vô encarar estes trubufus, não mesmo fico na bronha.

Já a Gleisi é bunitinha, si calar a boca dá prá encarar. Mas é mulher de amigo. E mulher de amigo meu é homi, só na bunda. Brincadeira! Não dá prá encará a Gleisi, vá que o Paulo fique brabo e me dê uma chifrada.

Sobrou a Suplicy. Perguntei pro Delega se a Marta pudia me visitar, intimamente, e ele me pergunto que Marta? A Suplicy ora!

Não é a Marta, seu ex-prisidente, é o Eduardo.

Porra aí é sacanagem, imagina o Eduardo Suplicy de saia e com aquele papo chato. Aí me suicido.
Fiquei com as playboy que um assessor comprô.

Capítulo 3

Tô preso faiz 3 semanas porra! E não dá nem prá durmir. Toda hora é ‘Bom dia Lula’, ‘Boa tarde Lula’, ‘Boa Noite Lula’. Vão se fudê!

Estes bostas não vão trabalhar? Vagabundos! Aliás quem tá pagando esta merda? Não me digam que tão usando aquele dinheiro que tava na Suiça? Porra!.

Taí gritaram de novo, na hora do gol do Curingão. Eu conheçu essa voiz, é do Lindiberg, FDP! Vai enchê o saco lá no Senado. Porra!

Capítulo 4

Porra, ainda tô preso e já faiz 40 dias. Num vô saí tão cedo pelo jeito. O pior não é ficar sem birita e sem muié. Pior é ter que aguentar a Gleisi e aquele bando me visitando todo dia. Até a Dilma veio. Porra!

Já disse prá eles qualquer dia prendem eles tudo junto. Pior é que me encheram a sala que dizer cela de livro, tava um cheiro a mofo du caralho. Parecia uma biblioteca, qui merda!

Só de olhar tava me dando dor de cabeça. Mas feiz um frio do caralho aqui em Curitiba, e eu queimei tudo, deu uma boa fogueira. Até os guarda vieram se aquecer na fogueira. Só não queimei um livro grandão, cum um cara feio barbudo na capa, o livro é tal de O Capital, dum tal Marx, deve ser sobre o cara que fez os parque e os jardins em Brasília.

Como não tem figurinha num pude saber. Este tô usando de peso de porta no banheiro quando vou ‘obrar’. Ontem vi uma notícia que tinha recebido um monte, milhares de cartas, umas até com proposta devassa, deve ter até putaria e eu adoro putaria.

Perguntei prá Gleisi e ela disse que o PT exagerou um pouco no número que na verdade eram aquelas 20 carta que tinham me trazido e que agora era bom eu responder, prá não fica chato.

O problema é que como o papel higiênico aqui é uma lixa, usei as carta prá limpá a bunda. Pior que já levaram o lixo do banheiro, não vai dar prá responder.

Capítulo 5

Tô puto, porra! Ainda não conseguiram mi soltar. E com esta greve de caminhoneiro por ai vão acabar me esquecendo aqui.

Não vou a debate, não vô a palestra. Tô aqui fudido.

E todo dia dizem que eu escrevi isto ou disse aquilo. Não fiz porra nenhuma.

Aliás se me derem uma mulher e uma cerveja juro que fico bem quietinho aqui vendo a Copa.

E como tô puto não vou escrevê mais está merda. Contratem o Duda Mendonça ou qualquer outro bosta que esteja escrevendo estas merdas que vocês dão pro jornal todo dia dizendo que é meu.

Bota um ou dois bostas destes a escrever qualquer coisa, o povo não vai ler mesmo e a militância do PT e do Sindicato engole qualquer merda mesmo. Bota eles a escrever e diz pro Japa pedir prá Odebrecth pagar eles com o dinheiro que tá na Venezuela.

Só num deixa a Dilma, nem a Gleisi escrever nada. Purque si elas escrevê ninguém vai entender porra nenhuma e vai dar merda de novo, como deu no Guverno delas.

E agora vão a merda, que vou cagar e vê o jogo.

Assim encerra a promissora carreira de escriba de nosso apedeuta, o mais honesto(???) homem brasileiro.

PS: Senhores por óbvio os escritos acima são apócrifos e não foram escritos pelo Ex-presidente e escroque Lula. Embora a finesse e rebuscamento de pensamentos lembrem, en pasant, sua verve, seria impossível transcrever tão vasta ignorância em uma folha de papel. Até porque o apedeuta não conseguiria em um período tão curto, quanto este em que está preso, escrever tão vastas laudas.

6 junho 2018 CHARGES

CLÁUDIO

6 junho 2018 A PALAVRA DO EDITOR

UM LEITOR DE FATO E UM MENTIROSO QUE SE DIZ LEITOR

Desmoralizado que fui por Aline e João, saio sempre nos finais de semana pra ir ao maior shopis centis daqui do Recife, o Riomar, um impressionante desmantelo de espaço e de grandeza.

Vôte!

Enquanto os dois, mãe e filho, ficam batendo pernas naqueles espaços gigantescos, eu costumo fazer hora numa das duas livrarias existentes no local, perambulando entre as prateleiras ou sentado num espaço de leitura reservado para os fregueses.

Sempre que vou lá, encontro este quadro comovente, que está retratado na imagem abaixo:

Fingi que estava posando pra uma foto (meu lindo bucho está no lado direito…) e pedi pra Aline registrar o momento.

Um senhor, bastante idoso, está sempre por lá, lendo livros que ele pega nas prateleiras do estabelecimento.

Sua aparência, e a bolsa que carrega consigo, lhe dão um ar que aparenta ser uma pessoa modesta e de poucas posses.

Como não tem condições de comprar um livro, fica horas e horas fazendo sua leitura, sentado numa grande poltrona redonda destinada aos clientes, gozando desta gentileza que a firma propicia.

Eu me lembrei deste cidadão quando li a grande merda que os baba-ovos de Lapa de Mentiroso divulgaram na internet, inventando que o prisioneiro corrupto já tinha lido “21 livros” na sua cela curitibana.

Um tolôte turbinado por uma carga de inverdade capaz de derrubar uma aeronave.

Uma mentira do caralho!!!!

Nem mesmo num país surrealista como Banânia um analfabeto conseguiria ler sequer um bilhete, quanto mais esta quantidade de obras.

Atenção, seus mentiroso safados (chamar assessor de Lula de mentiroso e de safado é uma redundância da porra…): mandem aqui pro JBF os 21 livros que foram “lidos” pelo prisioneiro que cumpre pena por grossa corrupção.

Como não sou mentiroso feito vocês, prometo de público e solenemente que darei todos eles de presente pra este senhor que está na foto aí de cima.

A entrega será documentada com fotos.

Na verdade, eu acho que o fubânico Luiz Peixoto é que está certo.

Vejam só a imagem que ele nos mandou:

6 junho 2018 CHARGES

DUKE

SENHOR DIESEL, TEJE PRESO!

“Subdesenvolvido” é o país que acredita que, repetindo cuidadosamente tudo aquilo que não deu certo, pode obter resultado diferente.

No tempo de Sarney, o Governo congelava preços e usava seu “poder de polícia” para obrigar o mercado a obedecer. Foi a época em que carro usado custava mais caro que o novo; equipes do Governo frequentavam pastos para prender bois gordos (que, aliás, valiam menos que os bois magros) e, assim, assegurar o abastecimento de carne. Claro, não deu certo.

Agora, o Governo manda baixar em R$ 0,46, nos postos, o litro do óleo diesel. Mas o Governo não tem postos. E esqueceu de avisar distribuidoras e postos que têm de baixar o preço porque o presidente Temer mandou. O presidente Temer já não manda mais nem na temperatura do cafezinho que toma, vai mandar em enormes distribuidoras e postos espalhados por todo o país? Não mandaria nem se sua autoridade estivesse intacta: nenhuma lei obriga distribuidoras e postos a seguir tabelamentos. Quem fixa o preço é a concorrência (e, entre as distribuidoras, nem concorrência há). Os donos de postos? Todo dia vemos na TV algum deles envolvido em fraude na venda de combustíveis, fraudando a qualidade ou a quantidade. Que ganham ao vender o diesel R$ 0,46 mais barato? Poder de polícia, só se pretenderem prender o diesel. Mas como farão, escorregadio que é, para algemá-lo?

Como no tempo de Sarney. Pois ainda estamos no tempo de Sarney.

Como funciona

A promessa de Temer aos caminhoneiros só seria viável se a Petrobras vendesse diesel R$ 0,46 mais barato, as distribuidoras se comprometessem a dar o mesmo desconto aos postos, que se comprometeriam a repassar o desconto aos clientes. Mas, lembrando Mané Garrincha, alguém combinou com os russos? De 83 postos visitados pela Agência Nacional de Petróleo, 75 não tinham dado os R$ 0,46 de desconto até a noite de segunda-feira.

Uma ideia

Já que é para buscar lições no passado, que tal uma que por muito tempo deu certo? O BNH cobrava correção monetária trimestral do comprador de casa própria. Mas teve problemas: o salário dos financiados subia uma vez por ano. O problema foi resolvido ao criar-se o Fundo de Compensação das Variações Salariais. A questão dos aumentos quase diários de combustíveis não poderia ter uma solução parecida? E envolver o gás engarrafado, cujos preços sufocam muito mais gente, e mais pobre, que os caminhoneiros?

A dança dos candidatos

Já decidiu em quem votar para a Presidência? Calma: muita coisa vai mudar até outubro. A chance de Lula ser candidato é a mesma de Dilma ganhar o Prêmio Nobel; e ele é um Boeing estacionado na pista, não decola e não deixa nenhum aliado decolar. Os partidos bolivarianos irão se unir em torno do poste que Lula indicar, apoiarão Ciro ou ficarão cada um com seu candidato? Manuela d’Ávila, do PCdoB, disse que pode desistir se houver união. Mas haverá? O PSDB insistirá em Alckmin, que até agora não decolou? Fernando Henrique propõe uma união de centro e nem cita o nome do hoje candidato de seu partido. Mas até agora ninguém imagina um nome que aglutine o centro. Marina, como de quatro em quatro anos, sai candidata, pela meia esquerda. Bolsonaro lidera as pesquisas, mas resistirá sem tempo de TV? E dos novos, algum tem chance de repetir Enéas?

Os votos de Lula

Domingo houve eleições para governador no Tocantins, para completar o mandato dos governantes que perderam o cargo. A senadora Kátia Abreu, do PDT, com apoio do PT, liderava as pesquisas, com 22 a 15 – acima da margem de erro. Era a única que superava a soma de brancos e nulos.

No final da campanha, a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, gravou vídeo com carta de Lula dando apoio expresso a Kátia Abreu. Pois não é que Kátia despencou? Chegou em quarto lugar: à sua frente, disputando o segundo turno, Mauro Carlesse, do PHS, e Vicentinho Alves, do PR. Carlos Amastha, ex-prefeito da capital, Palmas, foi o terceiro.

 

Festança paulistana

Enquanto o país discute caminhoneiros e eleições, a Câmara Municipal de São Paulo cuida do dia-a-dia – do dia-a-dia de seus integrantes. No total, 145 funcionários top de linha terão aumento de até R$ 16 mil por mês, o que eleva seus salários para algo próximo a R$ 40 mil mensais. Lembra do dispositivo constitucional que coloca os vencimentos dos ministros do STF como teto salarial do funcionalismo? Pois é, a Câmara não lembra. Já que era jogo bruto, os vereadores aprovaram também R$ 1.079 mensais para cada um, a título de auxílio-saúde. Valor da festa: R$ 43,6 milhões por ano.

Bom livro

Vale a pena: acaba de sair o livro “A Vingança”, de Antônio Melo. Conta a vida de Dinha, menina que nunca existiu. Mas existe, ah se existe!

6 junho 2018 CHARGES

NANI

PATRIOTA, TRABALHADORA, LUTADORA E NÃO COÇA O SACO

Comentário sobre a postagem MÁRCIA MARIA BUENO – PINHAL- RS

Goiano:

“É preciso prestar atenção nessa mulher.

Não em suas pretensas atividades selvagens, mas em suas posições, não as sexuais, as políticas, em defesa do povo e do interesse nacional.

Gleisi é uma patriota, trabalhadora, lutadora – enquanto muitos coçam o saco.

* * *

É preciso prestar atenção nessa mulher: corrupta, ré, às vésperas de ir pra cadeia e botadora de chifres no também corrupto marido corno; ela não coça o saco, coça somente a beirada da priquita

6 junho 2018 CHARGES

DUKE

6 junho 2018 JOSIAS DE SOUZA

CORRUPÇÃO NÃO É CRIME MENOR, RECLAMA JUIZ BRETAS AO LIBERTADOR GILMAR

Dono da chave das cadeias que o juiz Marcelo Bretas enche, Gilmar Mendes, o libertador, abriu nesta segunda-feira a cela de quatro encrencados na Operação ‘Câmbio, Desligo’: Rony Hamoui, Paulo Sérgio Vaz Arruda, Athos Albernaz Cordeiro e Owaldo Prado Sanches. Com isso, subiu para 19 o número de presos que Gilmar mandou soltar entre os dias 15 de maio a 4 de junho. Descontando-se três finais de semana, foram 15 dias de expediente regular. O que faz de Gilmar um candidato ao livro dos recordes, com a notável marca de 1,26 habeas corpus por dia.

Em ofício endereçado a Gilmar, o juiz da Lava Jato no Rio de Janeiro anotou: ”Casos de corrupção e delitos relacionados não podem ser tratados como crimes menores, pois a gravidade de ilícitos penais não deve ser medida apenas sob o enfoque da violência física imediata. Os casos que envolvem corrupção de agentes públicos têm enorme potencial para atingir, com severidade, um número infinitamente maior de pessoas.”

Entre os argumentos esgrimidos por Gilmar está o de que os crimes supostamente praticados pelos presos que ele manda soltar são antigos. E não envolveram ameaças ou violência física. De resto, o libertador avalia que o encarceramento não ajuda no esforço para recuperar o dinheiro desviado, “pois recursos ocultos podem ser movimentados sem a necessidade da presença física do perpetrador.”

O ministro alega que as prisões não se justificam. Gilmar substitui o encarceramento por medidas cautelares. Coisas como a proibição de conversar com outros investigados e o veto a viagens ao exterior.

Debruçando-se sobre a mesma legislação, Bretas chega a conclusões opostas: ”A repressão à organização criminosa que teria se instalado nos governos do Estado e município do Rio de Janeiro haveria, como de fato houve, de receber deste juízo o rigor previsto no ordenamento jurídico nacional e internacional.”

No seu ofício, o juiz da Lava Jato mencionou o caso de Orlando Diniz, o ex-presidente da Federação do Comércio do Rio, cuja cela Gilmar destrancou na semana passada. Bretas associou o personagem ao ”desvio de vultuosas quantias”. Dinheiro usado para custear a organização criminosa estruturada pelo ex-governador Sérgio Cabral.

Nas palavras do juiz, Orlando Diniz ”utilizava de sua atividade empresarial para fomentar os negócios da organização criminosa e, ao mesmo tempo, se beneficiava dos esquemas engendrados pelo esquema espúrio para ocultar o capital público desviado para si”.

Os quatro libertados nesta segunda-feira – Hamoui, Arruda, Cordeiro e Sanches – estão encalacrados na ramificação da Lava Jato que levou à vitrine uma rede internacional de movimentação de dinheiro sujo. Um esquema encabeçado pelo “doleiro dos doleiros”: Dario Messer, que fugiu.

Curiosamente, Gilmar manteve na tranca um investigado na mesma operação: Sérgio Mizrahy. Alegou que, “além de realizar operações de câmbio, ele atuava como agiota.” Vai entender! A agiotagem merece cana, porque coloca em risco a “ordem pública”. A lavagem de milhões, não.

Bretas colocou-se à disposição de Gilmar para prestar os esclarecimentos que o Supremo julgue necessários. Despediu-se com “protestos de elevada estima e consideração.” É improvável que Gilmar volte atrás em suas decisões. Em abril, ao analisar no plenário do Supremo a situação do Brasil, o ministro dissera: “É como se o diabo nos tivesse preparado um coquetel”. Não é negligenciável a hipótese de que uma parte do martini diabólico tenha sido derramado na água de Brasília.

* * *

SEM COMANDO, BRASIL É EMPURRADO COM A BARRIGA

6 junho 2018 CHARGES

PATER

6 junho 2018 DEU NO JORNAL

UM PEQUENO CONSOLO PRA ELA

Desde o naufrágio no domingo passado, quando foi derrotada na eleição para governadora do Tocantins, Kátia Abreu anda depressiva, se isolou de todos e não atende telefonemas.

Após Gleisi Hoffmann pedir votos em nome de Lula, o que causou sua fragorosa derrota, Kátia Abreu certamente vai avaliar melhor as companhias.

* * *

Anda muito depressiva.

Hem, hein…

Chega faz pena…

Nem o mesmo o onipresente fubânico luleiro Ceguinho Teimoso apareceu pra consolar a coitadinha.

A Editoria do JBF coloca à disposição da derrotada, que anda em péssimas companhias, a excelente companhia do jumento fubânico Polodoro.

Ele está ansioso pra ir ao Tocantins consolar Kátia.

“Estou às ordens!!!”

6 junho 2018 CHARGES

IOTTI

ENTREVISTA

Eu descia apressado do carro estacionado na Avenida Prudente de Morais, movimentada via cortando Natal de Sul a Norte, quando se aproximou de mim um repórter com seu microfone na mão.

– Senhor – chamou a minha atenção exatamente quando o alarme acionado dava dois gritos secos no ar.

– Pois não?

– Estamos fazendo uma matéria para a TV sobre o patriotismo aflorando nos dias da Copa do Mundo – explicou mostrando com o queixo o cinegrafista de câmera na mão. – O senhor se importaria em participar? Serão apenas duas perguntas.

– Claro que não. Desde que não demore muito.

Ele fez sinal de positivo com o polegar e se ajeitou na postura.

Todos a postos, ao sinal do profissional da câmera o jovem repórter me perguntou:

– Qual o melhor país do mundo?

Respondi sem pestanejar:

– O meu quando fecho por dentro a porta da minha casa.

Ele ficou com cara de não-sei-o-quê. Mudo.

Ainda esperei alguns segundos, enquanto ele trocava olhares com o cinegrafista.

Como a segunda pergunta não veio, eu segui para tentar trabalhar sem sequer receber um obrigado.

Também não me despedi dos dois.

Irá ao ar?

6 junho 2018 CHARGES

SPONHOLZ

6 junho 2018 AUGUSTO NUNES

LULA GARANTIU O FIASCO DE KÁTIA ABREU

6 junho 2018 CHARGES

SINOVALDO

HÉLIO DE ARAÚJO FONTES – VIDEIRA-SC

Bom dia, Berto.

Só para comunicar que acabo de fazer uma transferência (modesta) de R$ 50,00, destinada a tornar menos sofrida a existência da secretária Chupicleide.

Com meus respeitos.

Recomendações a D. Aline e ao João.

Para ti, um forte abraço.

R. Nenhuma doação é modesta, caro leitor.

Todas são preciosas para a manutenção desta gazeta escrota.

Chupicleide chega relinchou de tanta alegria!

Veja só a cara dela:

Vocês fubânicos são porretas!!!

Muito obrigado e um grande abraço.


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa